Page 1

DUETS NUTRITION EXTRACTOS VEGETAIS + ALIMENTOS FUNCIONAIS - EM OLICAPS... As olicaps são cápsulas gelatinosas duras que podem conter líquidos, semi-sólidos ou suspensões. Em seguida, segue-se um estudo comparativo entre as cápsulas gelatinosas duras com líquidos (olicaps) e as vulgares cápsulas gelatinosas moles com líquidos: PRINCIPAIS DIFERENÇAS CÁPSULAS DURAS OLICAPS CÁPSULAS MOLES INVÓLUCROS Gelatina vegetal Gelatina animal Sem emolientes sintéticos Com emolientes sintéticos* ESTRUTURA Homogénea Heterogénea com canais GRAU DE PERMEABILIDADE AO O2 Reduzida ou Nula Elevada SENSIBILIDADE AO CALOR E Reduzida Média HUMIDADE NO ARMAZENAMENTO BIODISPONIBILIDADE** TEMPO MÈDIO DE ABSORÇÂO ASPECTO SABOR / CHEIRO COMODIDADE

Elevada 100% Absorção ao fim de 1 H Atractivo Protege dos maus sabores odores dos princípios activos Boa

Lenta Lento Comum e Não protege dos maus sabores e odores dos princípios activos Normal

* Os emolientes sintéticos presentes nos invólucros das cápsulas gelatinosas moles, possuem acção de plastificação. Incluem a glicerina, sacarose, propilenoglicol, polietilenoglicóis, entre outros, os quais podem causar respectivamente, os seguintes efeitos secundários: desidratação, diabetes, irritação e alergias. ** Biodisponibilidade = Quantidade de princípio activo que atinge o seu local de acção no nosso organismo. Corresponde à velocidade de dissolução dos princípios activos e sua subsequente absorção no nosso organismo.

Alimentos Funcionais: São alimentos que nos proporcionam um benefício medicinal (uma “funcionalidade”), para além da nutrição básica conhecida. Podem contribuir para a prevenção de doenças e/ou promoção de um estado de saúde e bemestar e para a redução de doenças. Propomos 10 associações diferentes entre extractos vegetais e alimentos funcionais, em olicaps: - Linha Verde: Sistema Digestivo • Erva Cidreira + Papaia – indigestões, gastrites • Cardo Mariano + Beterraba – problemas de fígado e vesícula • Alcachofra + Salmão – redução níveis colesterol e triglicéridos no sangue -

Linha Amarela: Intestinos • Funcho + Gengibre – gases intestinais (flatulência) • Cáscara Sagrada + Ameixa – acção laxativa na prisão de ventre

-

Linha Azul: Sistema Nervoso • Tília + Alface – insónias e calmante nervosismo

-

Linha Rosa: Sistema Imunitário • Equinácea + Acerola – infecções virais (incluindo gripes e constipações)

-

Linha Laranja: Próstata • Palmeira Anã + Abóbora Menina – hipertrofia da próstata

-

Linha Vermelha: Sistema Circulatório • Espinheiro Alvar + Alho – tónico cardíaco e hipertensão arterial • Castanheiro da Índia + Gérmen de Trigo – perturbações circulatórias (varizes)


Linha Verde: Sistema Digestivo Dispepsia ou Má Digestão É um transtorno do processo digestivo em que este se torna difícil e doloroso. Manifesta-se com arrotos, sensação de estômago cheio, mal-estar ou distensão abdominal e acidez. É causada por uma alimentação inadequada ou por hábitos pouco saudáveis. É preciso corrigir estas causas para que possa ser curada. Se assim não for, pode evoluir para a gastrite e a úlcera do estômago. Estes são alguns dos factores que podem produzir dispepsia ou agravá-la: 1) Mastigação insuficiente (comer depressa) 2) Irregularidade no horário das refeições 3) Stress ou tensão nervosa 4) Alimentação rica em fritos, conservas (com ou sem vinagre) 5) Excesso de gordura e consumo de alimentos que costumam causar intolerância digestiva, como o leite 6) Excesso de líquidos, especialmente refrescos com gás e cerveja. Gastrite É a inflamação da mucosa do estômago, causada quase sempre por maus hábitos alimentares ou por substâncias agressivas para o estômago. O tratamento dietético da gastrite requer uma alimentação branda, suave e não irritante para o estômago. É fundamental evitar tudo aquilo que possa irritar a mucosa gástrica, assim como o tabaco e a tensão nervosa. Úlcera Gastroduodenal É uma perda de substância na mucosa que reveste o interior do estômago ou do começo do duodeno. As suas causas são múltiplas, destacando-se as seguintes: 1) Excesso de ácido no estômago 2) Substâncias irritantes (especiarias, álcool, café, bebidas com gás, comprimidos de acetilsalicílico, tabaco, etc.) 3) Certos microorganismos (como o Helicobacter pylori) que podem causar gastrites e ulcerações no estômago e no duodeno 4) Stress ou tensão nervosa, que causam uma vasoconstrição e uma menor chegada de sangue à mucosa do estômago, que fica assim desprotegida. Hérnia do Hiato Consiste numa alteração anatómica em que a parte superior do estômago passa para a cavidade torácica através de um orifício (ou hiato) que existe no diafragma, por onde passa normalmente o esófago. Impede que o esfíncter (válvula que separa o esófago do estômago) cumpra a sua função de evitar a passagem do conteúdo do estômago para o esófago. A manifestação mais comum da hérnia do hiato é o refluxo do conteúdo gástrico (muito ácido) para o esófago. Este ácido ataca o esófago e produz a típica sensação de acidez na boca do estômago – pirose. Alimentação Para além dos alimentos a evitar já referidos, evitar também mariscos, chocolate e leite. Evitar o café, bebidas alcoólicas e o tabaco. Preferir: germinados – com enzimas que facilitam a digestão cereais integrais (aveia) arroz, batatas fruta (papaia) e saladas abóbora e cenouras


Erva Cidreira + Papaia Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 870 mg Composição por cápsula de 870 mg: Óleo vegetal; extracto seco concentrado 4:1 de Melissa officinalis, Cidreira, folhas 150 mg 17,2%*; extracto seco concentrado 4:1 de Carica papaya, Papaia, frutos 150 mg 17,2%**; gelatina. * 150 mg de extracto de cidreira concentrado doseados a 4:1, correspondem a 600 mg de folhas de cidreira. ** 150 mg de extracto de papaia concentrado doseados a 4:1, correspondem a 600 mg de frutos de papaia.

Informação Complementar: Dose Diária: 2 cápsulas Doses por Embalagem: 22 Quantidade Diária Melissa officinalis, Cidreira 300 mg Folhas 1.200 mg Carica papaya, Papaia 300 mg Frutos 1.200 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula antes das duas principais refeições (almoço e jantar). Indicações: Erva Cidreira, folhas (Melissa officinalis): Contém óleo essencial, ácidos fenólicos e taninos, entre outros. Tradicionalmente usada em casos de: - Indigestões e dificuldade na digestão - flatulência, vómitos e náuseas (acção anti-espasmódica) - insuficiência hepática – efeito colerético (aumenta a produção de bílis) Papaia, frutos (Carica papaya): Contém papaína (enzima com acção proteolítica); boa fonte de β-caroteno e vitaminas C e A. Tradicionalmente usada para: - auxiliar a digestão (digestão pesada) - neutralizar o excesso de acidez gástrica (gastrite, úlcera gastroduodenal, hérnia do hiato) e - combater infecções intestinais (gastrenterite e colite). Esta combinação de Erva Cidreira + Papaia, é então indicada em casos de: - Más digestões com vómitos e náuseas - Gastrites - Gastrenterite - Colite Atenção: A segurança do uso deste produto em caso de gravidez e aleitamento não foi determinada, pelo que não se recomenda a sua utilização nestas situações, sem o devido acompanhamento médico. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Fígado Encontra-se na zona superior direita do abdómen, protegido pelas costelas. É o maior órgão do corpo e desempenha mais de 500 funções, algumas delas vitais: -

Principal desintoxicante do organismo (elimina e neutraliza toxinas, medicamentos, substâncias químicas e álcool presentes no sangue) Armazenagem de glucose sob a forma de glicogénio e a manutenção dos níveis de açúcar no sangue Produção de proteínas importantes e decomposição dos aminoácidos em excesso, em ureia, a qual é eliminada através dos rins Produção de bílis, que é armazenada na vesícula biliar e passa para o duodeno, onde se decompõem as gorduras em minúsculos glóbulos, para se tornarem mais digeríveis.

Hepatopatias São as doenças do fígado em geral, que se fazem acompanhar de alguma alteração nas muitas funções desta indispensável glândula. Transtornos da Vesícula A vesícula biliar é um reservatório de bílis que deve esvaziar-se no momento adequado (quando passem gorduras pelo duodeno) e com a intensidade adequada. Por diversos motivos, como cálculos biliares no seu interior, inflamação ou bílis espessa, a vesícula pode não se esvaziar no momento preciso ou com a intensidade devida. Manifestam-se como peso no abdómen, dores no lado direito ou dor de cabeça. Certos alimentos dotados de acção colerética (que aumentam a secreção de bílis e a tornam fluída) e colagoga (que estimulam o esvaziamento mais ou menos suave da vesícula) podem evitar transtornos funcionais. Outros, especificamente se forem ricos em gorduras, agravamnos. Alimentação Evitar o consumo de gorduras saturadas animais, açúcar, café, álcool, contaminantes alimentares (pesticidas e aditivos químicos) e alimentos condimentados. Preferir: -

citrinos e morangos – ricos em vitamina C cereais integrais rábano e rabanete peixe – rico em vitamina B12 sumos de beterraba e cenoura


Cardo Mariano + Beterraba Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 655 mg Composição por cápsula de 655 mg: Extracto de Silybum marianum, Cardo Mariano (Cardo de Stª Maria) 225 mg (teor mínimo 80% silimarina) 34,4%; extracto de Beta vulgaris, Beterraba, raiz 200 mg 30,5%; óleo vegetal e gelatina. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária %DDR Silybum mariano, Cardo Mariano 225 mg * Silimarina > 180 mg * Beta vulgaris, Beterraba 200 mg * * Dose diária não estabelecida Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula por dia, de preferência numa das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço ou jantar), com um bom copo de água. Em situações de carências maiores, pode aumentar-se a toma até 3 cápsulas por dia. Indicações: Cardo Mariano, planta (Silybum marianum): Contém silimarina, óleo essencial, histamina, tiramina, mucilagens e fitoesteróis. Tradicionalmente usado em casos de: - afecções hepáticas: protecção e regeneração das células do fígado - intoxicações hepáticas por bebidas alcoólicas, medicamentos e outros produtos químicos - cálculos biliares – acção colagoga (facilita o esvaziamento da vesícula biliar) Beterraba-vermelha, raiz (Beta vulgaris): Boa fonte de ácido fólico; rica em potássio e fibra; contém vitamina C e ferro. Com betaína, colina e betanina. Tradicionalmente usada como: - anti-anémica: graças à presença simultânea de ferro e vitamina C (a vitamina C favorece a absorção do ferro) - protectora, reguladora e estimulante das células hepáticas - alcalinizante: graças à combinação de minerais que possui, é usada em casos de gota, excesso de ácido úrico no sangue e sempre que esteja presente uma alimentação sobrecarregada e pobre em vegetais - hipolipemiante: a fibra que possui facilita o trânsito intestinal e auxilia na redução dos níveis elevados de colesterol no sangue. Esta combinação de Cardo Mariano + Beterraba, é então indicada em casos de: - Afecções hepáticas - Intoxicações hepáticas por bebidas alcoólicas, medicamentos e outros produtos químicos - Redução dos níveis de colesterol e triglicéridos no sangue - Cálculos biliares - Anemia Atenção: A segurança do uso deste produto em caso de gravidez e aleitamento não foi determinada, pelo que não se recomenda a sua utilização nestas situações, sem o devido acompanhamento médico. Não exceder as


dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.

Colesterol O colesterol é uma substância gorda que se encontra no sangue e na maior parte dos tecidos. O organismo é capaz de produzir a quantidade suficiente de colesterol para satisfazer as suas próprias necessidades, sem que seja preciso ingeri-lo com os alimentos: o fígado produz até uma grama de colesterol por dia, para o sangue. O colesterol do sangue participa na formação de algumas hormonas, na produção de vitamina D e ácidos biliares, que auxiliam a digestão. O colesterol torna-se nocivo, unicamente porque a partir de certo nível no sangue, se deposita nas paredes das artérias, causando a arteriosclerose e doenças cardiovasculares. LDL e HDL Como o sangue é formado principalmente por água, que não se mistura com a gordura, o colesterol percorre o organismo associado a proteínas específicas - lipoproteínas. Existem dois tipos de colesterol: - LDL – lipoproteínas de baixa densidade Podem obstruir as artérias e dificultar a circulação do sangue nos órgãos vitais, o que pode provocar o aparecimento de várias doenças, tais como os problemas cardíacos e os acidentes cardio-vasculares (AVCs). As LDL transportam cerca de ¾ do colesterol no sangue e são também conhecidas como o “mau colesterol”. - HDL – lipoproteínas de alta densidade Produzem o efeito contrário ao das LDL: retiram os lípidos perigosos da circulação sanguínea. São também conhecidas como o “bom colesterol”. Triglicéridos São um tipo de gordura que circula no sangue como parte das lipoproteínas, juntamente com o colesterol e os fosfolípidos. Embora os óleos sejam formados essencialmente por triglicéridos, estes encontram-se em todas as gorduras. Cada molécula de triglicérido é formada por uma molécula de glicerol e três moléculas de ácidos gordos. Os ácidos gordos podem ser saturados, monoinsaturados e poliinsaturados. Quanto mais ácidos gordos insaturados entrarem na composição de um óleo, mais ele será fluído à temperatura ambiente, mais reactivo (menos estável e mais susceptível de criar ranço) e mais redutor do nível de colesterol no sangue e preventivo da arteriosclerose. Arteriosclerose É um processo degenerativo que pode afectar as artérias de todo o corpo. Inicia-se com o depósito de colesterol na sua camada mais interna. O engrossamento e endurecimento da parede das artérias, unido à diminuição do seu diâmetro interior, tem como consequência uma diminuição no fluxo de sangue que circula por elas. Fibras Solúveis (ou hidrossolúveis) Contribuem para reduzir os níveis de colesterol no sangue, pois ligam-se ao colesterol presente na bílis, o qual é posteriormente eliminado com as fibras, em vez de ser reabsorvido no nosso organismo. No intestino delgado, as fibras solúveis tornam mais lenta a absorção da glucose pela corrente sanguínea, evitando um súbito aumento do nível de açúcar no sangue, o que é particularmente benéfico para os diabéticos. Alimentação Uma taxa elevada de colesterol está associada a riscos consideravelmente mais elevados de doenças cardíacas e AVCs. Deve-se evitar a ingestão de gorduras saturadas, alimentos refinados, bebidas alcoólicas, café e sal, evitar o tabaco e preferir a ingestão de: - fibras hidrossolúveis: cereais integrais, farelo e flocos de aveia, leguminosas (ervilhas, soja e feijão) - legumes: feijão, cebola, alho, brócolos, legumes de folhas verdes e cenouras - alcachofras - fruta: morangos, maçãs e pêra abacate


-

peixe gordo: cavala, arenque, sardinhas, salmão alho, cebola, azeite e amêndoas

Alcachofra + Salmão Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 700 mg Composição por cápsula de 700 mg: Extracto de Cynara scolymus, Alcachofra (teor mínimo 5% cinarina) 300 mg 42,9%; Óleo de Salmão (teor mínimo de 18% EPA e 12% DHA)* 300 mg 42,9%; gelatina. * EPA – Ácido Eicosapentanóico, DHA – Ácido Docosahexanóico Informação Complementar: Dose Diária:

Cynara scolymus, Alcachofra Cinarina Óleo de Salmão EPA DHA * Dose diária não estabelecida

1 cápsula Quantidade Diária 300 mg >15 mg 300 mg 54 mg 36 mg

Doses por Embalagem: %DDR * * * * *

45

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula por dia, de preferência numa das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço ou jantar), com um bom copo de água. Em situações de carências maiores, pode aumentar-se a toma até 2 cápsulas às três principais refeições. Indicações: Alcachofra, planta (Cynara scolymus): Contém cinarina, mucilagem, esteróis, pectina e manganésio. A cinarina actua sobre as células do fígado (aumentando a produção de bílis – efeito colerético) e sobre as células do rim (aumentando a excreção de urina e principalmente de ureia – efeito diurético). Os esteróis (betasitosterol e estigmasterol) são substâncias semelhantes ao colesterol na estrutura química, mas de origem vegetal. Limitam e reduzem a absorção do colesterol no intestino, pois vão camuflar a sua acção. Tradicionalmente usada para: - descongestionar e desintoxicar o fígado, com efeito hepatoprotector - potencializar uma acção colagoga (facilita o esvaziamento da vesícula biliar), sendo usada em casos de dispepsia biliar provocada pela presença de pedras na vesícula ou mau funcionamento da vesícula - reduzir a tendência do colesterol se depositar nas paredes das artérias, evitando a arteriosclerose e doenças cardiovasculares. Óleo de Salmão: Rico em ácidos gordos poliinsaturados omega-3 (18% EPA e 12% DHA) e vitaminas A, B 12 e D. Tradicionalmente usado na: - redução dos níveis de triglicéridos no sangue - redução do risco de ocorrência de doenças cardiovasculares Esta combinação de Alcachofra + Salmão, é então indicada em casos de: - Desintoxicação hepática - Afecções hepato-biliares - Redução dos níveis de colesterol e triglicéridos no sangue - Prevenção de arteriosclerose e doenças cardiovasculares Atenção: A segurança do uso deste produto em caso de gravidez e aleitamento não foi determinada, pelo que não se recomenda a sua utilização nestas situações, sem o devido acompanhamento médico. Não exceder as


dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.

Linha Amarela: Intestinos Intestinos O intestino é um lugar de passagem para os alimentos. À medida que estes avançam pelo intestino delgado, processa-se a absorção dos principais nutrientes que contêm. O que resta dos alimentos, por não ter sido absorvido, passa para o intestino grosso, formando ali as fezes, que serão posteriormente expulsas. As duas alterações mais frequentes no funcionamento dos intestinos, têm a ver com a velocidade a que os alimentos se deslocam pelo seu interior: 1) Trânsito demasiado rápido: que provoca diarreia, com a consequente perda de água, sais minerais e outros nutrientes que o organismo não absorve. 2) Trânsito demasiado lento: que provoca a prisão de ventre. As fezes sofrem um processo de putrefacção que leva à produção de substâncias tóxicas, as quais passam para o sangue e provocam uma auto-intoxicação em todo o organismo. Prisão de Ventre É um sintoma muito comum que se deve normalmente a transtornos funcionais ou a uma alimentação inadequada. Outras causas são o hábito intestinal irregular (devido à tensão nervosa ou à falta de tempo para o efeito, pode-se perder o reflexo intestinal), o abuso de laxantes e a falta da prática de exercício físico. É o trânsito lento ou dificultoso do conteúdo intestinal, com evacuações pouco frequentes e fezes excessivamente duras. Considera-se normal evacuar desde duas vezes por dia a uma vez de dois em dois dias. Se a frequência diminui, considera-se prisão de ventre. Hemorróidas São uma das afecções mais comuns e calcula-se que duas em cada cinco pessoas sejam suas vitimas. As causas mais prováveis das hemorróidas, veias distendidas no revestimento do anus que causam prurido ou dor, são episódios prolongados de prisão de ventre, gravidez ou redução do fluxo sanguíneo para o abdómen, pelo facto do doente passar mais tempo sentado. A obesidade pode agravar também esta situação. No caso de hemorróidas ocasionais, certas medidas alimentares podem ser muito eficazes para as atenuar: Evitar: pratos condimentados, café, cacau, bebidas com cola e sal Preferir: ameixas secas, farelo de trigo, beber 2 litros de água por dia Fibras Insolúveis Graças à sua capacidade de reter água, actuam como uma esponja no estômago e intestinos. Contribuem para evitar a prisão de ventre, pois actuam como agentes de aumento de volume das fezes no intestino, tornando-as mais moles e fáceis de expelir. Apesar das fibras não serem digeridas, alimentam as bactérias presentes no intestino grosso e a fermentação subsequente produz ácidos gordos voláteis (leves e facilmente absorvidos) que são utilizados como fonte de energia pela parede intestinal. Alimentação Uma dieta rica em alimentos refinados e pobre em hidratos de carbono complexos, fruta e legumes será deficiente em fibras. Evitar marmelos, dióspiro, romã e a nêspera. Reduzir ou eliminar a ingestão de bolos refinados, pão branco, chocolate e marisco. A maior parte dos casos de prisão de ventre responde bem a alterações apropriadas no regime alimentar. Preferir: beber 1,5 a 2 litros de água ou chás de plantas ao longo do dia fibras insolúveis: farelo de trigo, ameixas secas, milho, arroz cereais e massas integrais iogurte ou soro de leite com flora probiótica fruta com casca (maçã, uvas e figos) hortaliças e sementes de linho


Cáscara Sagrada + Ameixa Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 870 mg Composição por cápsula de 870 mg: Óleo vegetal; Extracto seco concentrado 4:1 de Rhamnus purshiana, Cáscara Sagrada, casca 150 mg 17,2%*; Extracto de Prunus spinosa, Ameixa, fruto 150 mg 17,2%; gelatina. * 150 mg de extracto de cáscara sagrada concentrado doseados a 4:1, correspondem a 600 mg de casca de cáscara sagrada. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária Rhamnus purshiana, Cáscara Sagrada 150 mg Casca 600 mg Prunus spinosa, Ameixa 150 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula ao deitar, com um bom copo de água; se necessário, aumentar a dose para duas cápsulas diárias. Indicações: Cáscara Sagrada, casca (Rhamnus purshiana): Rica em antroquinonas, com conhecida acção purgante. Tradicionalmente é usada em casos de: - prisão de ventre (laxativo suave: usar também em casos de hemorróidas) - cólicas intestinais Ameixa, fruto (Prunus spinosa): Rica em fibra solúvel (pectina), boa fonte de potássio, ferro e cobre; contém diidroxifenilisatina (estimula suavemente os movimentos peristálticos do intestino). A pectina absorve a água no intestino, aumenta o volume das fezes, favorecendo a seu evacuação. Tradicionalmente é usada no: - alívio da prisão de ventre (graças ao efeito laxante e protector do intestino) - prevenção de cancro do cólon Esta combinação de Cáscara Sagrada + Ameixa, é então indicada em casos de: - prisão de ventre - cólicas intestinais - colite - prevenção do cancro de cólon Atenção: Não utilizar durante a gravidez e período de amamentação. Contra-indicada em casos de obstrução intestinal, dor abdominal de origem desconhecida ou qualquer doença inflamatória dos intestinos (colite, doença de Crohn, síndroma do intestino irritável,...); e em crianças com idade inferior a 12 anos; não usar mais de 8-10 dias. Não se recomenda a utilização excessiva ou prolongada deste produto. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Flatulência É um excesso de gases no intestino, que causa espasmos intestinais e distensão abdominal. Provoca uma sensação de inchaço desconfortável que só pode ser aliviada expelindo os gases pela boca ou através do anus. O gás do intestino pode ter várias origens: 1) pode surgir quando os gases produzidos pelas bactérias no intestino grosso atingem níveis anormais, muito provavelmente devido à ingestão de alimentos que as enzimas intestinais não conseguem digerir completamente 2) procede daquele que se ingere na deglutição (resultado de stress e ansiedade durante a refeição) 3) intolerância à lactose, que se caracteriza por uma digestão incompleta de açúcares do leite no intestino delgado Colite É a inflamação do cólon, o segmento mais importante do intestino grosso. Manifesta-se com fezes diarreicas ou desfeitas, que por vezes podem conter mucosidade e restos de sangue. Normalmente, tem uma causa infecciosa, embora as alergias e as intolerâncias alimentares, os antibióticos e os laxantes, possam também desempenhar um papel importante na sua formação. Gastrenterite É a inflamação da mucosa que cobre o interior do estômago e dos intestinos, principalmente o delgado. Geralmente é causada por microorganismos transmitidos pelos alimentos (vírus ou bactérias) ou por toxinas diarreicas (como as do marisco). As bactérias do género Salmonela, que se encontram sobretudo nos ovos e na carne, são uma das causas mais frequentes de gastrenterite. Manifesta-se com náuseas, vómitos, diarreia, dores abdominais e, por vezes, por febre. Durante as primeiras 24 ou 48 horas, só se devem ingerir líquidos, tais como caldo de verduras, soro para rehidratação oral, sumo de limão diluído, tisanas de plantas medicinais adstringentes e leite de soja. Os primeiros alimentos sólidos a tomar, podem ser a maçã, bananas, arroz e alhos. Reduzir ou eliminar o leite, ovos, carne de frango e marisco. Alimentação Deve-se comer devagar, evitar refeições pesadas e não beber líquidos de um trago, sobretudo se forem bebidas gaseificadas. Evitar couves de Bruxelas, brócolos, couve, couve-flor, ervilhas, feijão seco, pão e massas, leite, cebolas, soja e nabo. Preferir: - alho - gengibre, raiz - germinados (alfalfa) e ervas aromáticas (funcho, hortelã-pimenta) - hortaliças e courgete - dióspiro - iogurte ou soro de leite com flora probiótica


-

beber cerca de 1,5 a 2 litros de água ou chá de plantas, por dia

Funcho + Gengibre Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 485 mg Composição por cápsula de 485 mg: Óleo vegetal; Extracto seco concentrado 4:1 de Foeniculum vulgare, Funcho, frutos 75 mg 15,5%*; Extracto seco concentrado de Zingiber officinale, Gengibre, raiz 50 mg (teor mínimo 20% gingeróis e sagaols) 10,3%; gelatina. * 75 mg de extracto de funcho concentrado doseados a 4:1, correspondem a 300 mg de frutos de funcho. Informação Complementar: Dose Diária: 2 cápsulas Doses por Embalagem: 22 Quantidade Diária Foeniculum vulgare, Funcho 150 mg Frutos 600 mg Zingiber officinale, Gengibre 100 mg Gingeróis e Sogaols >20 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula depois das duas principais refeições (almoço e jantar). Indicações: Funcho, frutos (Foeniculum vulgare): Contém óleo essencial, substâncias minerais, amido e alcalóides. Tradicionalmente é usado em caso de: - meteorismo (gases intestinais, flatulência) - colite - espasmos dos órgãos digestivos - tosse (acção expectorante) Gengibre, raiz (Zingiber officinale): Rizoma com um odor aromático e sabor muito picante, rico em gingeróis e sagaols. Contém óleo essencial e resinas aromáticas. Tradicionalmente usado como: - estimulante das funções digestivas - carminativo – favorece e provoca a expulsão de gases intestinais. Usado em casos de flatulência e colites - preventivo de enjoos provocados por transportes (náuseas e vertigens) - hipolipemiante: redução dos níveis de colesterol e triglicéridos no sangue Esta combinação de Funcho + Gengibre, é então indicada em casos de: - gases intestinais (colite e flatulência) - espasmos dos órgãos digestivos Atenção: Não se recomenda a utilização deste produto em caso de gravidez. Pessoas com cálculos na vesícula devem procurar aconselhamento com um especialista, antes de utilizarem este produto. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Linha Azul: Sistema Nervoso Nervosismo É um estado de excitação em que o sistema nervoso responde de forma exagerada ou desproporcionada a estímulos considerados normais. Existem hábitos saudáveis que podem combater o nervosismo: 1) tomar um bom pequeno-almoço para evitar a hipoglicemia (falta de açúcar no sangue), a qual pode provocar nervosismo e irritabilidade 2) comer a horas regulares, para evitar descidas bruscas do nível de glucose no sangue 3) dormir o suficiente e de maneira regular 4) praticar algum desporto, especialmente a marcha ou caminhada Ansiedade e Depressão É um estado emocional indesejável e injustificado. Trata-se de um transtorno psicossomático que começa por afectar a mente mas acaba por se repercutir sobre diversos órgãos do corpo, produzindo taquicardia, dores de estômago, cólon irritável (prisão de ventre e diarreia alternadamente), etc. O stress é uma possível causa para este problema. A ansiedade agrava-se com as dietas de emagrecimento desequilibradas e ingestão de bebidas alcoólicas ou estimulantes (com cafeína) e tabaco. A depressão é um estado psicológico marcado por uma tristeza excessiva e melancolia. Em casos mais graves, pode revelar-se uma doença mental debilitante, em que é necessária ajuda médica especializada. Insónia O tipo de alimentos que se ingerem influi na capacidade de conciliar bem o sono. Além disso, é muito importante o momento em que se tomam. Os jantares fartos, mesmo à base de alimentos saudáveis, podem alterar o sono. O ideal, tanto para facilitar o sono como a digestão, é não tomar alimentos nas 2-3 horas anteriores ao momento de ir para a cama. Alimentação Evitar o consumo de álcool, açúcar, corantes, tabaco, café e bebidas estimulantes com cola. Preferir: - hidratos de carbono complexos – batatas, pão, feijão, cereais (aveia) e massas (não misturar com alimentos ricos em proteínas) - óleo de gérmen de trigo - nozes e cajus - alface e ervilhas - vitaminas do complexo B


Tília + Alface Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 870 mg Composição por cápsula de 870 mg: Óleo vegetal; Extracto seco concentrado de Lactuca sativa, Alface, folhas 200 mg (teor mínimo de 12,5% flavonóides) 22,9%; Extracto seco concentrado de Tilia platyphyllos, Tília, brácteas 100 mg (teor mínimo de 1% rutina) 11,5%; gelatina. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária Lactuca sativa, Alface 200 mg Flavonóides >25 mg Tilia platyphyllos, Tília 100 mg Rutina >1 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula 15-20 minutos antes de ir dormir. Indicações: Tília, brácteas (Tilia platyphyllos): Contém glicósidos, mucilagem, tanino e óleo volátil. Tradicionalmente é usada em: - insónias - calmante do sistema nervoso (excitação nervosa, stress) Alface, folhas (Lactuca sativa): Rica em provitamina A; contém folatos, potássio e ferro. Com lactucina, lactucerina, asparagina e lactacina. Tradicionalmente usada em casos de: - nervosismo, hiperexcitabilidade nervosa, stress, tensão psíquica, ansiedade e induzir o sono (insónias) Esta combinação de Tília + Alface, é então indicada em casos de: - insónias - excitação nervosa (stress, ansiedade, tensão psíquica) Atenção: A segurança do uso deste produto em caso de gravidez e aleitamento não foi determinada, pelo que não se recomenda a sua utilização nestas situações, sem o devido acompanhamento médico. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Linha Rosa: Sistema Imunitário Sistema Imunitário Durante toda a vida, o organismo tem de manter uma luta permanente contra microorganismos patogénicos e substâncias estranhas que o assediam – chamadas antigénios. O conjunto de tecidos e células encarregados de defender o organismo dos antigénios que o ameaçam, denominam-se sistema imunitário. Infecções As infecções são provocadas por microorganismos nocivos, nomeadamente vírus, bactérias, parasitas ou fungos, que invadem o organismo. Existem dois grandes meios de prevenir as infecções: 1) evitar a exposição aos microorganismos. Por exemplo: evitar o contacto com outra pessoa constipada 2) manter o sistema imunitário reforçado para que ele possa expulsar ou destruir os agentes infecciosos. Os antibióticos naturais encontrados nos alimentos e em algumas plantas, actuam de forma menos intensa que os antibióticos de origem farmacêutica. No entanto, têm a vantagem de não produzir resistências e de não alterar a flora bacteriana normal do organismo. Constipação e Gripe Foram descritos cerca de 200 vírus capazes de desencadear os sintomas das constipações. A constipação é causada por um vírus que se transmite normalmente por meio de minúsculas gotículas de saliva expulsas durante a tosse ou os espirros. A melhor forma de prevenir a constipação, consiste em evitar estar junto de pessoas constipadas. Em média, uma constipação dura 7-12 dias. Na constipação predominam os sintomas catarrais (aumento da mucosidade e inflamação) das vias respiratórias superiores (nariz e garganta). Na gripe, também causada por uma infecção viral, o estado geral é todo afectado, com dores de cabeça e osteomuscular. Nenhum alimento cura a constipação ou a gripe, assim como nenhum antibiótico ou outro medicamento o faz. São as próprias defesas do organismo que têm de vencer a infecção viral e deve-se seguir uma alimentação adequada que fortaleça o sistema imunitário. Alimentação Evitar bebidas alcoólicas, açúcar branco, sal, leite, mariscos, gorduras e café. Preferir uma alimentação equilibrada e incluir: sumo de arando acerola, kiwi e limão – ricos em vitamina C cebola e alho iogurte ou soro de leite com flora probiótica zinco couve e rabanete propólis e geleia real no caso específico da constipação: alimentos quentes e condimentados, tais como o caril, mostarda e pimentão, que liquidificam o muco, tornando-o mais fácil a expectoração de ser eliminada pela tosse.


Equinácea + Acerola Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 600 mg Composição por cápsula de 600 mg: Extracto doseado a 45:1 de Echinacea purpurea, Equinácea, planta 200 mg 33,3%; Malpighia punicifolia, Acerola, fruto 200 mg 33,3%; óleo vegetal e gelatina. * 200 mg de extracto de equinácea planta concentrado doseados a 45:1, correspondem a 9.000 mg de planta de equinácea. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária Echinacea purpurea, Equinácea 200 mg Planta 9.000 mg Malpighia punicifolia, Acerola 200 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula por dia, de preferência numa das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço e jantar), com um bom copo de água. Em situações de carências maiores, pode aumentar-se a toma até 3 cápsulas por dia. Indicações: Equinácea, planta (Echinacea purpurea): Contém óleo essencial, resina, fitosterina, polifenóis, equinacósido e equinaceína (com acção bacteriostática). Tradicionalmente usada para: - aumento da resistência e defesas do organismo às agressões microbiológicas – reforça o sistema imunitário - prevenção e tratamento de doenças infecciosas (incluindo gripes e constipações) - feridas de difícil cicatrização, úlceras, furunculoses e diversas infecções cutâneas Acerola, fruto (Malpighia punicifolia): Excelente fonte de vitamina C – a fruta mais rica em vitamina C! Cerca de 50 vezes mais rica em vitamina C do que o limão!. Contém também ácidos orgânicos (como o ácido málico) e flavonóides (como a rutina). Tradicionalmente usada para: - todo o tipo de infecções, especialmente nas de origem vírica (gripes e constipações) - reforça as defesas do nosso organismo, estimulando o sistema imunitário. Esta combinação de Equinácea + Acerola, é então indicada em casos de: - Aumento das defesas do organismo a agressões externas - Prevenção e tratamento de doenças infecciosas (incluindo gripes e constipações) - Cicatrizante externo (feridas de difícil cicatrização Atenção: Não se recomenda a utilização deste produto em situações de gravidez e aleitamento. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Linha Laranja: Próstata Próstata A próstata é uma glândula do aparelho genital masculino, do tamanho de uma noz, que se encontra imediatamente abaixo da bexiga, junto à parte inicial da uretra. Os problemas da próstata são extremamente comuns e atingem sobretudo os homens a partir dos 50 anos, sob a forma de hipertrofia da próstata. Ocorre quando o tamanho da próstata é superior ao normal, comprime a uretra (canal por onde se evacua a urina) que atravessa o interior da glândula, dificultando a micção. Esta afecção tem como sintomas típicos: 1) uma necessidade frequente e imperiosa de urinar, acompanhada de dores durante a micção e, em casos mais graves, 2) de vestígios de sangue na urina e dificuldade em conter o seu derramamento. Deve-se sempre consultar o médico.

Alimentação Evitar gorduras, especiarias e café. Preferir: -

óleo de gérmen de trigo – rico em vitamina E sementes de abóbora – conseguem eliminar quase por completo a necessidade de urinar durante a noite e reduzir a frequência das micções em cerca de 70%. marisco – rico em zinco soja tomate pão de trigo integral peixes gordos frutos secos – ricos em vitamina E


Palmeira Anã + Abóbora Menina Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 480 mg Composição por cápsula de 480 mg: Extracto de Sabal serrulara, Palmeira Anã, bagas 180 mg (teor mínimo 85% ácidos gordos livres) 37,5%; Óleo de Curcubita sps, Abóbora Menina, sementes 180 mg 37,5%; óleo vegetal e gelatina. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária Sabal serrulata, Palmeira Anã 180 mg Ácidos Gordos Livres >153 mg Curcubita sps., Abóbora Menina 180 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula por dia, de preferência numa das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço e jantar), com um bom copo de água. Em situações de carências maiores, pode aumentar-se a toma até 3 cápsulas por dia. Indicações: Palmeira Anã, bagas (Sabal serrulata): O ingrediente activo desta planta é desconhecido. No entanto, existem estudos feitos na Europa que mostram que um extracto feito com bagas desta planta, combatem o efeito dos andrógenos, hormonas sexuais masculinas que possivelmente causam a dilatação da próstata. Tradicionalmente é usada em casos de: - dilatação da próstata (hipertrofia da próstata) - intermitência urinária (melhora o fluxo urinário) - prevenção do cancro da próstata em homens a partir dos 50 anos Abóbora Menina, sementes (Curcubita sps.): Ricas em cucurbitina (alcalóide com propriedades antiprostáticas e vermífugas), vitamina E, mucilagem, aleurona, ácido linoléico, boa fonte de ferro, fósforo e potássio; contêm também magnésio e zinco. Tradicionalmente usadas em casos de: - problemas da próstata (impedem o crescimento excessivo da próstata em homens a partir dos 50 anos) - problemas urinários (desinflamam, descontraem a bexiga e facilitam a micção) e - como vermífugas (paralisam os vermes que parasitam o intestino, como as ténias, soltando-os da parede intestinal a que aderem – usar um laxante para posteriormente expulsá-los do intestino). Esta combinação de Palmeira Anã + Abóbora Menina, é então indicada em casos de: - hipertrofia da próstata - dificuldade de micção urinária - parasitas do intestino, tais como as ténias (solitárias) – em seguida, usar um laxativo Atenção: Não se recomenda a utilização deste produto em situações de gravidez e aleitamento. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Linha Vermelha: Sistema Circulatório Coração Dois dos conselhos simples para reduzir o risco de sofrer de doenças cardiovasculares são: 1) Diminuir ao máximo o consumo de gorduras saturadas e de colesterol, como a carne de vaca e porco, ovos, manteiga, queijo e gelados 2) Substituir as gorduras saturadas de origem animal (manteiga, toucinho, etc.) por óleos vegetais poliinsaturados, como os de girassol, soja, grainha de uva ou gérmen de trigo. O azeite também é uma boa opção. Angina de Peito Consiste num espasmo ou estreitamento reversível das artérias coronárias. Estas artérias são encarregadas de proporcionar irrigação sanguínea ao próprio músculo do coração, para que este possa bater. A angina de peito manifesta-se com uma dor intensa e opressiva no lado esquerdo do tórax, que pode irradiar para o braço do mesmo lado. Apresenta-se geralmente após um esforço físico, uma emoção intensa ou situação de stress. Ao contrário do enfarte, a angina é reversível e costuma passar sem deixar danos permanentes no coração. Insuficiência Cardíaca e Arritmia Insuficiência Cardíaca é a doença que se produz como consequência da incapacidade do coração para bombear o volume de sangue necessário. Arritmia é uma alteração no ritmo das batidas cardíacas, que costuma sentir-se como uma palpitação. Se a alteração for grave, pode reduzir a capacidade do coração para bombear o sangue até aos tecidos do corpo e produzir uma insuficiência cardíaca. Em alguns casos, o coração pode mesmo parar. Hipertensão Arterial A tensão arterial determina-se medindo a pressão exercida pelo sangue contra as paredes das artérias. A tensão máxima ou sistólica representa a pressão que se exerce quando o coração se contrai para fazer entrar o sangue nas artérias. A tensão mínima ou diastólica representa a pressão entre dois batimentos do coração. O termo hipertensão é utilizado para designar a doença de uma pessoa cuja tensão arterial é cronicamente mais elevada do que o normal (superior a 16/9), nos indivíduos da mesma idade e do mesmo sexo. Não produz quaisquer sintomas, mas deteriora lentamente as artérias e diversos órgãos. A hipertensão arterial origina graves riscos cardíacos e AVCs e pode ser causada por vários factores: 1) aperto das artérias (taxa elevada de colesterol) 2) estilo de vida inadequado (obesidade, tabagismo, falta de exercício físico e consumo excessivo de álcool) 3) níveis elevados de stress e ansiedade Alimentação Reduzir o consumo de sal, gorduras saturadas, alimentos com colesterol, açúcar. Evitar o tabaco e o café. Preferir: ácidos gordos omega-3: peixes gordos e óleo de linhaça alho e cebola cereais integrais nozes aipo pão e massa integral soro de leite fruta, legumes e salada


Espinheiro Alvar + Alho Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 600 mg Composição por cápsula de 600 mg: Crataegua monogyna, Espinheiro Alvar 250 mg (teor mínimo 2-3% flavonóides como vitexina) 41,7%; Allium sativum, Alho 200 mg (contém 2.000 mcg de alicina) 33,3%; óleo vegetal e gelatina. Informação Complementar: Dose Diária: 1 cápsula Doses por Embalagem: 45 Quantidade Diária Crataegua monogyna, Espinheiro Alvar 250 mg Flavonóides >5 mg Allium sativum, Alho 200 mg * Dose diária não estabelecida

%DDR * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula por dia, de preferência numa das três principais refeições (pequeno-almoço, almoço ou jantar), com um bom copo de água. Em situações de carências maiores, pode aumentar-se a toma até uma cápsula às três principais refeições. Indicações: Espinheiro Alvar, planta (Crataegus monogyna) : Contém ácido crataégico, flavonóides, hiperósido, vitexina e óleo essencial. Tradicionalmente é usado em: - distúrbios do ritmo cardíaco (diminui a pulsação, taquicardia e insuficiência cardíaca) - angina de peito e outros afecções cardíacas - acção cardiotónica e vasodilatadora Alho (Allium sativum): Rico em compostos de enxofre e alicina Com conhecidas propriedades antibióticas, antivirais e antibacterianas. Tradicionalmente usado para: - diminuir a tensão arterial (hipertensão arterial) - reduzir os níveis de colesterol e triglicéridos no sangue - prevenção de arteriosclerose e de doenças cardiovasculares. Esta combinação de Espinheiro Alvar + Alho, é então indicada em casos de: - distúrbios do ritmo cardíaco (taquicardia e insuficiência cardíaca) - angina de peito e outras afecções cardíacas - redução dos níveis de colesterol e triglicéridos no sangue - prevenção de arteriosclerose e de doenças cardiovasculares Atenção: Este produto não deve ser usado durante o período de amamentação. Este produto não deve ser utilizado em caso de hipersensibilidade e em caso de doenças com um risco acrescido de hemorragias. Como este produto pode alterar o tempo de coagulação, a sua ingestão deve cessar antes de qualquer cirurgia, devendo o médico assistente ser avisado antes de qualquer intervenção cirúrgica. O uso simultâneo deste produto com anticoagulantes pode aumentar os efeitos destes últimos, pelo que pode ser necessário ajustar as doses de anticoagulantes quando se inicia ou cessa a coutilização. Se pretende usar este produto e toma medicação antiretroviral, contacte primeiro o seu médico – existem relatos de que doses elevadas de preparações de Allium sativum podem reduzir os níveis séricos de saquinovir em 50%. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


Varizes Doença que provoca mal-estar e por vezes, dores. Existem diversos tipos de varizes, entre as quais as hemorróidas. No entanto, as varizes são um termo normalmente utilizado para designar uma afecção provocada pela dilatação, distensão e deformação das veias superficiais das pernas. Pode ter causas numerosas, entre elas, a hereditariedade, gravidez e obesidade. Passar várias horas sentado ou em pé, podem também originar varizes. Alimentação -

peixes gordos óleo de gérmen de trigo e nozes – ricos em vitamina E cereais integrais, pão e massa frutos e legumes secos alho e cebola lacticínios magros


Castanheiro da Índia + Gérmen de Trigo Suplemento Alimentar – Complexo de Plantas Apresentação: 45 Olicaps 850 mg Composição por cápsula de 850 mg: Triticum aestivum, Gérmen de Trigo, óleo 480 mg 56,5%; Extracto seco concentrado de Aesculus hippocastanum, Castanheiro da Índia, frutos (teor mínimo 20% escina) 250 mg 29,4%; óleo vegetal e gelatina. Informação Complementar: Dose Diária: 2 cápsulas Doses por Embalagem: 22

Triticum aestivum, Gérmen de Trigo, óleo Aesculus hippocastanum, Castanheiro da Índia Escina * Dose diária não estabelecida

Quantidade Diária 960 mg 500 mg 100 mg

%DDR * * *

Modo de Tomar: Administração por via oral: tomar uma cápsula pela manhã e outra pela tarde, com um bom copo de água. Indicações: Castanheiro da Índia, fruto (Aesculus hippocastanum): Contém tanino e substâncias amargas, escina, pigmentos flavónicos e saponina, pectina e alguns minerais. Tradicionalmente é usado em casos de: - varizes, flebites e perturbações circulatórias (aumenta a resistência dos capilares) - acção vasoconstritora periférica Gérmen de Trigo (Triticum aestivum): Contém todas as substâncias necessárias para iniciar o desenvolvimento de uma planta completa, sendo por isso, muito rico em nutrientes. Boa fonte de vitaminas do complexo B e vitamina E. Rico em ácidos gordos essenciais, fósforo e manganésio. Tradicionalmente usado em: - transtornos do sistema nervoso: cansaço, depressão, stress, nervosismo - esterilidade masculina ou feminina, pois a vitamina E favorece a produção de espermatozóides e óvulos - hiperlipidemias: redução dos níveis de colesterol e triglicéridos no sangue - prevenção de doenças cardiovasculares e arteriosclerose - desportistas, estudantes e todos aqueles que necessitem de um aumento das necessidades nutritivas. Esta combinação de Castanheiro da Índia + Gérmen de Trigo, é então indicada em casos de: - perturbações circulatórias (varizes e flebites) - vida agitada (adultos com stress, estudantes, desportistas) - prevenção de esterilidade masculina ou feminina - prevenção de arteriosclerose e de doenças cardiovasculares Atenção: A segurança do uso deste produto em caso de gravidez e aleitamento não foi determinada, pelo que não se recomenda a sua utilização nestas situações, sem o devido acompanhamento médico. Não exceder as dosagens recomendadas. Este produto não deve ser utilizado como substituto de um regime alimentar variado.


BIBLIOGRAFIA: -

Alimentos Bons, Alimentos Perigosos, Selecções do Reader`s Digest, SA, 1997

-

Dance B., Roberfroid M, Breslim L, et al. Functional food science in Europe: Forward. Br J Nutr 1998; 80:S3-S4

-

Dr. José Lyon de Castro, Medicina Vegetal – teórica e prática conforme a naturopatia, 2ª Edição, Colecção Diversos, Publicações Europa-América, 1981

-

Eduardo Ribeiro, Plantas Medicinais e Complementos Bioterápicos, Colecção Medicina Natural; Livros de Vida, Editores, Lda., 1995

-

François Balmé, Plantas Medicinais, Hemus Editora, Lda., 1982

-

Gerhard Leibold, Guia das Plantas Medicinais, Colecção Habitat, Editorial Presença, 2ª Edição, Lisboa, 1993

-

Jorge Roger, A Saúde pela Alimentação – Tratado de bromatologia e dietoterapia, Enciclopédia de Educação e Saúde, Publicadora Atlântico, Volumes 1-2, 2001

-

Hornstra G, Barth CA, Galli Cl, et al. Functional food science and cardiovascular system. Br J Nutr 1999; 80: S77-122

-

Manual Completo de Medicina y Curas Naturales, Editorial Paidotribo, Barcelona, 1998

-

Pascal G. Functional foods in the European Union. Nutr Rev 1996; 54: S29-S32

-

René Morgan, Enciclopédia das ervas e plantas medicinais, Hemus-Livraria Editora, Lda., 1979

-

Roberfroid MB. Functional effects of food components on the gastrointestinal system. Nutr Rev 1996; 54: S38-42

-

Roberfroid MB. Prebiotics and symbiotics: concepts and nutritional properties. Br J Nutr 1998; 80: S197-202

-

William Habets, Os Alimentos que Curam – Auto-Cura pelo poder secreto dos alimentos, Publicações Prevenção de Saúde, 1998

ALIMENTOS FUNCIONAIS - DUETS NUTRITION 2005  

As olicaps são cápsulas gelatinosas duras que podem conter líquidos, semi­sólidos ou suspensões. Em seguida, segue­se um estudo comparativo...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you