Page 1

PLANTAS US ADAS Nß M E D I C I N ß POPULAß NO € 0 NC EL HO D fl ß l B E I ß ß GRf i NDE


1 - INTRODUÇÃO

P ere ira p u b lica, no bo letim na 17 da C o m issã o Reguladora des Cereais do Arquipélago dos Açores, um artigo intitulado “Plantas em pregadas na m ed icin a popular nas ilhas dos Açores”. No seu trabalho, Silvano Pereira, ao referir-se às 44 espécies citadas, segue a nomenclatura usada pelo Professor Ruy Telles Palhinha, açoriano que prom oveu im portantes excursões aos Açores, das quais resultou a mais intensa vaga de estudos botânicos por portugueses, da primeira metade do nosso século (Dias, 1988), c a adoptada pelo Professor João C arvalho de V asconcelos, do Instituto S up erio r de A gronom ia, no seu liv ro P la n ta s M e d ic in a is e Aromáticas, editado pela Direcção Geral dos Serviços Agrícolas em 1949. Em 1986, Y olanda C orsépius, no seu livro Algumas Plantas Medicinais dos Açores, apresenta uma co m p ilação de 132 esp c cics, re su ltad o das suas descobertas cm passeios pelo campo e da leitu ra de alguns livros. Nas Primeiras Jornadas Atlânticas de Protecção do Meio Ambiente, a Dra. Maria Helena Ramos Lopes ap resen to u uma co m u n icação in titu lad a “ P la n ta s Medicinais dos Açores”. No seu trabalho é apresentada uma lista “meramente teórica” de 139 espécies. Entusiasmado com a leitura da com unicação atrás referida e seguindo a m etodologia usada pela autora, consulta bibliográfica, elaborámos, cm 1988, uma lista, ainda inédita, de 267 espccics com propriedades medicinais existentes nos Açores. Por sugestão do Dr. Jorge Paiva, do Instituto Botânico da Universidade de Coimbra, nos anos de 1988, 89 c 90 promovemos a realização de um inquérito com o objectivo de indagar quais as plantas usadas actualmente, cm S. Miguel, na medicina popular. Através do inquérito, conseguimos identificar 61 espécies. No âmbiLo do Curso, de Património HistóricoArtístico, Natural e Etnográfico para Professores do Ensino Básico e Secundário,.prom ovido pelo Centro N acional de C ultura, decidim os prosseguir o nosso trabalho, no Concelho da Ribeira Grande, com o apoio de alguns colegas e dos nossos alunos da Escola Secundária da Ribeira Grande. Neste modesto trabalho apresentamos uma lista de 45 espécies usadas nas freguesias rurais do concelho, obtida através da realização de 127 inquéritos (fig. 1).

Não é nossa intenção fazer a história do uso das plantas na m edicina po p u lar nos A çores. C ontudo, achamos por bem apresentar uma breve perspectiva histórica, referindo alguns trabalhos a que através de uma pesquisa, não muito exaustiva, tivemos acesso. É antiquíssimo, perde-se nos tempos, o esforço do homem para compreender e depois usar as plantas como alimento e como medicamento. Os prim eiros povoadores, dos A çores terão trazido consigo o conhecim ento em pírico e a grande m aioria das p lan tas u sad as na m e d ic in a p o p u la r. R efcrindo-se à ilha de S. M aria, G a sp a r F ru tu o so menciona “um João Vaz Melão, que se cham ava das Virtudes, natural de Viseu, donde veio à ilha logo no princípio, depois de ser achada ... onde tinha m uita fazenda e uma grande casa que lhe não servia mais do que dos enfermos que de muita parte o buscavam , os quais ele curava, por am or de Deus, só com ervas c azeite, sem m ais o u tra m ezin h a” . Ao d e sc re v e r a fertilidade da ilha Terceira, menciona a existência de “muito mel e bom pasto para ele, com o é alecrim , rosmaninho, erva ussa, ou timo, queiró, poejos, cubres e muitas flores de árvores diversas, muito género de ervas, de que usam os boticários...”. Adanson, cm 1757, foi o primeiro naturalista a visitar os Açores, ilha do Faial, c a referir-se à sua flora. No seu C atalogas plantarurn horti-botanici m edico-cirurgicae scholae o lisip o n en sis, de 1851, Bernardino & B eirão são os prim eiros n atu ralistas portugueses a estudarem espécies dos Açores. Em 1869, o médico-cirurgião Acúrcio Garcia Ramos publica a sua “Notícia do Arquipélago dos Açores e do que há mais importante na sua História Natural”. Garcia Ramos terá recorrido a Drouet que, em 1866, publicara um “Catalogue de la flore des Iles Açores précédé; de l’itinéraire d ’un voyage dans cet archipel”, para enumerar ura conjunto de “plantas notáveis pelas suas propriedades alimentares ou medicinais, pelo seu emprego nas artes, e pelos materiais que fornecem ao comércio e in d ú s tria ...” . Das espécies cita d a s, 30 apresentam propriedades medicinais. Em 1892, o o u riv es Jo aq u im C ân d id o Abranches, ao tomar conhecimento de uma listagem de 13 plantas medicinais da autoria de Richard J&lcs, inserta no Diário de Anúncios, de 27 de Janeiro, publicou, no mesmo jomal, a 24 de Fevereiro do mesmo ano, “a fim 2 - O INQUÉRITO que se saiba, que a ilha não é pobre em tais plantas”, uma relação de 29 espccics. Dois anos mais tarde, Cândido A branches, na obra in é d ita M e d ic in a P o p u la r Micaelense, desenha 73 estampas c elabora uma lista de O concelho da Ribeira Grande possui cerca de 70 espccics, indicando o fim a que se destinam. 27 mil habitantes, distribuídos por catorze freguesias (fig. Em 1953, o Rcgente-Agrícola Silvano Augusto— 2 >.------


Ramos 1869

Abranches Pereira 1894 1953

Corsépius 1988

Lopes 1988

Braga 1988

Braga 1991

Braga 1992

Fig. 1 - Autores e ne de citações

Fig. 2 - Freguesia da ilha de S. Miguel

Responderam ao inquérito vinte e nove pessoas, moradoras em seis das catorze freguesias do concelho

30

(fig. 3). De entre os inquiridos, mais de 65 % têm idades superiores a 50 anos (fig. 4) e apenas um é do sexo masculino.


5 -r

7

6 5 -4 -3 2 -1 -0 Calhetas

P. Formoso

L. da Maia

P. da Pedra

Maia

Ribeirinha

Fig. 3 - Freguesia e ns de inquiridos C u rio sam en te, ap esar de te r apelado, à colaboração de todos os meus alunos, apenas obtive a colaboração dos provenientes de freguesias rurais, o que poderá significar uma maior abertura e espírito de

participação por parte de quem vive fora da sede do concelho. Em anexo, apresento uma lista das pessoas que responderam a o -in q u é rito e as resp o sta s aos 127 inquéritos realizados.

lllÉ f

5160

>91

Fig. 4 - Idade e ns de inquiridos

31.


3 - LISTA DAS PLANTAS USADAS NA MEDICINA POPULAR NO CONCELHO DA RIBEIRA GRANDE N. CIENTÍFICO

UTILIDADE

Abóbora-menina

Cucurbita máxima Duch. ex Lam

raquitismo

Alecrim

Rosmarinus officinalis L.

reumatismo rouquidão abcessos espíritos maus

Alho

Allium sativum L.

coluna

Arruda

Ruta chalenensis L.

resfriamentos estômago bexiga rilis bruxas

Babosa

Aloe sp.

úlceras

Bananeira

Musa sp.

isepele

Bonina

Calendula officinalis L.

inflamações

Cebola

Allium cena L.

calos

N.

COMUM

Cedro-de-cheiro

Chamaecvnaris lawsoniana ■(A. Murr.) Pari.

tosse

Cenoura

Daucus carota L.

tosse

Cidreira

Melissa officinalis L.

nervos febre coração k$mga(dores)

Crista de galo

?

asma

Erva-férrea

Prunella vulgaris

sangue

Erva-Iuísa

Linnia citriodora (OrL ex Pers.)

estômago nervos coração

Ervas-das-sete sangrias

Lithosnermum diffusum Lap.

Erva-de-São Roberio

Geranium robertianum L.

diabetes

Erva tintureira

Chelidonium m aiusL.

feridas ligeiras

Eucalipto

F.ucalvptus Hobulus T^bbil.

gripe bronquite dor ciática

Fava-da-cova

Parietaria officinalis L.

pés inchados hemorróidas

Funcho

Foeniculum vulpare Mill

diarreia estômago gases

Goiaveiro

Psidium araca Raddi

intestinos

Hortelã-de-sopa

Mentha snicaia I.

lombrigas

Hortelã pimenta

Mentha x pipfirita L.

vóm itos iosse resfriam entos

Laranjeira

Citrus sinensis (I-') Osbeck

nervos constipações

V

*.

alergias estômago


Laranjeira-azeda

Citrus aurantium L. var amara

baixa a tensão

Limoeiro branco

Cífnis limonium L.

constipação febre dor de barriga

Limoeiro galego

Citrus Kmetta Risso

baixa a tensão

Losna

Artemisia absinthium T„

estômago intestinos nervos

Malva

Malva silvestris L.

inflamações dores

Mangericão

O ç m m n ^ a liç g m L .

tose rouquidão estômago febre

•"

Marcela

Anthemis nobiíis L.

estômago intestinos pele(alergia) olhos vómitos

Milho amarelo

Zea mavs L.

rins bexiga

Neveda

Calamintha svlvatica Bromf.

boa disposição

Ourego

Orieanum Virens Link

Constipação rouquidão estômago

Pepino

Cucumis sativus L.

&.

dor de barriga

Poejo y

Rabo de asno

Fouisetum arvensftT-

Rosmaninho

brônquios estômago coração resfriamentos rins bexiga

tosse estômago

Sabugueiro

Sambucus niera L.

febre bronquite infecções diarreia

Saião

Semnervivum teciomm T..

queda de cabelo Caspa borbulhas

Salsapairilha

tensão arterial diarreia

Salva

Salvia officinalis 7..

estômago nervos tosse falta de ar coração

Terlantana

I,antana cam ara T..

tosse

Tília

Tilia cordata Mill

nervos

Tomilho

Thvmus vutaam T..

cérebro friagens rouquidão tosse


4 - CONCLUSOES 0 número de plantas referido neste trabalho, quarenta e cinco, é bastante bom, tendo em atenção o número de inquéritos efectuados. Nenhuma das plantas referidas é endémica dos Açores e um número bastante significativo diz respeito a espécies cultivadas.

O enriquecimento da listagem que apresento neste trabalho requer um a pesquisa mais exaustiva, abrangendo um maior número de pessoas e todas as freguesias do concelho.Q Teófilo Braga (Professor de nomeação definitiva da Escola Secundária das Laranjeiras)

BIBLIOGRAFIA ABRANCHES, J. Cândido (1894). Medicina Popular Michaelense. Ponta Delgada. CORSÉPIUS, Yolanda (1986). Algumas plantas medicinais dos Açores. DIAS, Eduardo (1989). Flora e Vegetação Endémica na Ilha Terceira- Açores. -Univ. Açores Dep. Ciências Agrárias Angra do Heroísmo. LOPES, M. H. Ramos (1991). Plantas Medicinais dos Açores. Comunicações das l*5 Jornadas Atlânticas de Protecção do Meio Ambiente. Câmara Municipal de Angra do Heroísmo. PEREIRA, Silvano (1953). Plantas empregadas na medicina popular nas ilhas dos Açores. Comissão Reguladora dos Cereais do Arquipélago dos Açores 17:111-117. RAMOS, A. G. (1869). Notícia do Arquipélago dos Açores e do que há mais importante na sua História Natural. Lisboa. N.R.: As fotos deste artigo foram extraídas da História Natural.


PLANTAS USADAS NA MEDICINA POPULAR NO CONCELHO DA RIBEIRA GRANDE Quem respondeu ao inquérito ?

NOME Maria Isabel Pereira Cristina S. Medeiros Deolinda Cordeiro Maria José Alves M3Espírito S. Arruda Mã Bemaldina Moniz Mâ Conceição Cabral Dolira Barbosa MâEstrela Claro M3 Angelina Medeiros M3Eduarda Silva Augusto Vieira Ma Goretti Leite Ms Gilberta Alves Catarina M. Medeiros Laudalino Freitas M3Evarista Labão Mâ Gabriela Oliveira Antónia Tavares Claudete M. Rita ..... -_M1Manuela Tavares M3Teresa Botelho Beatriz Melo Jesuina Raposo Almorinda Janeiro M3 da Graça Raposo Mã do Carmo Barbosa — Cecília-Branco

FREGUESIA

COM QUEM IDADE APRENDEU" (EM 1991 Calhetas pais 69 P. Formoso pais e avós 66 L. da Maia vizinha 49 P. da Pedra pais 46 Maia tias 77 P. da Pedra mãe 63 • 5 Ribeirinha mãe 65 '■ Maia mais velhos 54 P. Formoso avó 35 P. da Pedra pais 49 P. Formoso mãe 37 Maia pai 59 -----Maia* tio 37 P. da Pedra mãe 53 _ L. da Maia 55 _ P. Formoso 68 P. da Pedra mãe •47 Ribeirinha mãe ........ 37 P. Formoso mãe ........... 42 Maia*— mãe 40 _ „ ___ JP._da Pedra___ .. ...... mãe. 52 P. da Pedra mãe 65 _ L. da Maia 39 P. Formoso 92 Calhetas pais 69 P. Formoso ______ avó .43 Maia mãe 89 PrForm oso---mãe"------------ --------- 81 -

NOTA: Assinalado com * a localidade de Lombinha da Maia.

■ o

J íA / .

Í K

í ' “N. A

?.

/

;■

1 íH U

:OTIH3UP/ÍÍO SA I BUQ A0223<J AG 3M 0T 4 — :AuA5IOí>l ----------------------------- — ------


PLANTAS USADAS NA MEDICINA POPULAR * ^

TNOTJÉRITO

(EM CADA IMPRESSO INDICAR APENAS UMA PLANTA E UM SÓ FIM PARA QUE AQUELA É UTILIZADA) »• .

1 - NOME DA PLANTA:

"■;NOMECIENTÍFICO:

_

2 - PARTE UTILIZADA: 2.1- RAIZ

_ _ _ _ _ _ 2.4-FLORES _

2.2 - CAULE

;

'

2 .5 -FRUTOS

•-

2.3 - FOLHAS

: W.2.6-SEMENTES

'3 - COLHEITA: Em que época do ano se fez? (Indicar o mês ou estação)

__________

'

4 - A Planta é usada: 4.1 - VERDE _

_

_

e/ou

4.2 - SECA _________

5 - Como se procede à secagem: 5.1- A O SOL

_________

6 - Como é feita a conservação?

5 .2 - À SOMBRA _________

_______________________________________________ ~

7 - UTILIDADE DA PLANTA: 7.1 - FINS (Doença, etc.)

7.2 - MODO DE EMPREGO (quantidades, modo de aplicação, quantas vezes ao dia, etc.)

8 - NOME D A PES S OA QUE DÁ A INFORMAÇÃO: ___________ ________________________________________

DATA NASC.

MORADA: ____________________________ ;_____________ ___ PESSOA COM QUEM APRENDEU: --------------------------- LOCALIDADE: -----------------------------------9 - NOME DA PESSOA QUE FAZ O INQUÉRITO: ----------------------------------------------------------

MORADA: ------------------------


<b

Os alunos e

Os

Revista de acção educativa Nr 11 - Maio/Agosto T993

Lusíadas


Plantas usadas na medicina popular na ribeira grande informar nº11 maio agosto de 1993  

Relatório de um inquérito efectuado no concelho da Ribeira Grande em 1993

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you