Issuu on Google+

12

Dendotyo

março de 2009

Jornal Tenri

43º Encontro das Moças Realizado no dia 07 de fevereiro, na Sede Dendotyo, com a participação de 91 moças. Na oportunidade, houve a sucessão da diretoria: na presidência, no posto da Natália Keiko Murata, assumiu Cintia Tamami Sato, e ainda foram nomeadas 7 novas diretoras. Após, as jovens saíram animadas para o Kaminanagashi e divulgação; entregaram panfletos e receberam a graça de ministrar o Sazuke. A tarde, foi realizado o treino das mãos e em seguida o workshop: dança, com o professor Emilio Ohnuma, que ensinou a razão da dança e a gratidão do corpo emprestado; e a confecção do porta-retrato de lembrança. Posteriormente houve 3 relatos de experiência, tendo como tema, os lemas do departamento.

Ano XXXVIII - nº 453

N

Dançando o Yorozuyo defronte o Monumento do Marco Zero na cidade de Macapá-AP

A execução do Serviço diário sem falha (foto acima)

o ensinamento da Tenrikyo aprendemos que Deus-Parens nos empresta esse corpo maravilhoso que o utilizamos todos os dias. Portanto, como é algo tomado emprestado, devemos usá-lo da melhor forma possível, guardando o senditmento de agradecer naturalmente quando da devolução, no retornamento. Então, qual a melhor forma de cuidar do nosso corpo? Será comendo do bom e do melhor? Será usando as melhores roupas e adereços? Uma vez uma amiga do meu irmão pediu um caderno emprestado a ele, mas quando ela foi devolvê-lo, o caderno, ela estava sem a capa. Aonde está a capa? - perguntou o meu irmão Ah! Eu deixei em casa, você quer? - respondeu a amiga. Imagino que alguém que pede um caderno emprestado é porque deve ter faltado a aula ou quer copiar alguma lição que não fez. Quando estudava na faculdade, me aconteceu algo parecido, uma amiga pediu um livro emprestado, para estudar, pesquisar ou fazer algum trabalho. Para a minha surpresa, quando ela me devolveu, o livro voltou melhor do que quando foi, voltou caprichosamente encapado. Por brincadeira, até quis perguntar se ela não estava precisando de outros livros.

E, dedicando toda a sincerida na ajuda e salvação do próximo (foto à direita)

Assim, com certeza, se ela me pedisse outros livros emprestados, cederia sem pensar duas vezes. Agora, se a amiga do meu irmão pedisse novamente um caderno emprestado, será que ele confiaria com toda a sua boa vontade?

Por exemplo, se eu emprestar as minhas ferramentas para alguém e esta pessoa as utilizar para uma ação social-humanitária, o meu desejo é de querer emprestar sempre, e, ainda, deixá-las em perfeitas condições, para um uso imediato.

Palestra

Avançar de mãos dadas pág 6 e 7

Da mesma forma, acredito que seja o pensamento para o corpo emprestado por Deus-Parens e tomado emprestado por nós, seus filhos. Com que propósito Deus- Parens teria criado os seres humanos? No livro Doutrina de Tenrikyo consta o seguinte: “Originalmente este mundo foi um mar de lama, Tsukihi ou DeusParens, julgando insípida esta condição caótica, teve a idéia de criar os seres humanos e compartilhar da sua alegria, vendo-os viverem felizes, plenos de júbilo.” Assim, se Deus-Parens nos criou para a vida plena de alegria e felicidade, nada mais natural , tomar o corpo emprestado e viver alegres e felizes. Ainda, a melhor forma, correta, de utilizar o nosso corpo é animar-se, alegrando as pessoas que nos cercam. Utilizando a boca para falar coisas agradáveis; comer com satisfação; estender a mão às pessoas que necessitam de apoio e ajuda; utilizar as pernas para fazer visitas. E também, alegrar-se com tudo que ouvimos e vemos. Utilizando o corpo para prejudicar as pessoas, a boca para entristecê-las, chatear-se com tudo que vê e ouve, essas atitudes não contentará a quem nos emprestou. Entretanto, se estivermos utilizando o corpo para ajudar, servir e contentar as pessoas, Deus Parens, feliz por nos emprestar o corpo, nada deixará de atender.

Para maiores informações, procure-nos:

Leia mais . . .

do Shimbashira

Admirando a razão daqueles que missionan em locais distantes da Sede - Igreja Hokuhaku, Castanhal-PA

Órgão de divulgação da Igreja Tenrikyo

Razão da coisa emprestada

38ª Caravana de Missionamento Promovida pela Associação dos Moços, em duas etapas, no periodo de 11 de janeiro á 7 de fevereiro, na região norte do país, com a participação de 7 jovens desbravadores Arakitoryos. Com o veículo Aragosha, partindo de Bauru, tomaram a rodovia Belém-Brasília e passaram pelas cidades de Castanhal-PA (Igreja Hokuhaku), Ananindeua-PA (Igreja Amazônia); e seguiram até Macapá-AP no extremo norte, e por todo o trajeto tiveram a oportunidade de conhecer de perto a realidade deste vasto país, no amplo sentido geográfico, sócio e cultural. E, também, puderam admirar a alegria e a sinceridade dos missionários que divulgam o nome de Deus-Parens naquelas regiões, com restrições, mas superando muitos desafios. E, assim, motivados pelos exemplos destes missionários, os jovens desbravadores do caminho, recebendo a proteção diária de Deus-Parens, sem falhar um dia sequer, sob sol ou chuva, dedicaramse de corpo e alma na divulgação e salvação, e com muita gratidão nos serviços de hinokishin. Foram 6 mil quilómetros percorridos e receberam a graça de poder ministrar o Sazuke por mais de 350 vezes, distribuir 3.500 exemplares do Jornal Tenri, 3.500 panfletos e mais as tiragens ofertadas pela Associação Feminina, totalizando-se mais de 7.000 exemplares.

São Paulo, março de 2009

Relatos

Dendotyo

do 98ª Seminário de Formação Espiritual

-Encontro das Moças -Caravana de Missionamento

dos seminaristas

pág 11

Atividades da Sede

pág 12


2 Editorial

março de 2009

Palavras de Oyassama “Uma vez estabelecido, não se deve cortar. Se cortar, o lado que o cortou, será cortado” do livro Episódios da Vida de Oyassama 32. Palavra da esposa

As palavras acima foram dirigidas a Yassu Matsuda, então com 23 anos de idade, no encontro de apresentação ao seu noivo, da família Inui de Shoyashiki. Antes, Oyassama disse: “Deus diz este com aquela. E assim se estabelece.” Ensinando que os encontros são estabelecidos por Deus-Parens. Na Escritura Divina Ofudessaki, há: Protejo-os unindo as predestinações das vidas anteriores. Isto se estabelecerá firme para todo o

sempre. Ofu. I-74 Aos olhos de Deus-Parens, são pessoas que se complementam uma à outra; por isso, está sendo advertida a ação de se cortar pelo pensamento humano. Yassu serviu durante longos anos, na cozinha da Residência e certa vez, Oyassama lhe ensinou: “Ouça, Yassu. Qualquer homem depende da palavra da esposa. Mesmo o homem considerado tolo pelos outros, se a esposa o recebe com todo respeito quando ele volta ao lar, as

pessoas, vendo o modo respeitoso pelo qual a esposa o trata, dirão: ‘deve ser um grande homem embora o consideremos um tolo’, não é? O marido torna-se uma grande pessoa ou um tolo apenas com a palavra da esposa.” Apesar de terem sido dirigidas a Yassu, orienta as pessoas a tomarem cuidado com as palavras que falam no cotidiano, seja homem ou mulher. Valorizar uma pessoa, marido ou esposa, depende unicamente de como a tratamos no dia-a-dia.

Eduardo Yoshinobu Otake* original da humanidade, que é a vida plena de felicidade. E quando falamos de felicidade, a família é a base. Familiares que se abraçam e conversam, também se apóiam mutuamente, e, assim, conquistam seus merecimentos de paz e tranquilidade. Uma vida “mais feliz” do que daquelas que vivem em conflitos de relacionamento. Muitos dos conflitos vêm do desejo de liberdade e independência. E mesmo que em aparente harmonia, estes dois fatores fazem desestabilizar a base da família. Por natureza o ser humano foi criado por Deus-Parens para ser livre; assim, mesmo que amordaçado a algo, nunca perderá esta excelência divina. Os “sacrifícios” de Oyassama são as visões aflitivas dos que a observavam e Nossa-Mãe nunca se esquivou em cumpri-los, pois na qualidade de Sacrário vivo de Deus-Parens havia apenas a manifestação de satisfação

Jornal Tenri é uma publicação com fins religiosos, órgão da Igreja Tenrikyo de Dendotyo para divulgação. Publicação mensal editada desde 1971. Igreja Tenrikyo de Dendotyo (Sede Missionária do Brasil) R. Tenri, 4- 58 - C. Vila Independência CEP 17054-250 - Bauru - SP Fone: (14) 3236-1144 e-mail: b.tenrikyo@uol.com.br Diretores responsáveis: Idioma Japonês - Yoshio Watanabe Idioma Português - Hiroshi Kajiura Administ., redação e publicidade: Centro Cultural e Social de S. Paulo Rua Pelotas, 385 - Vila Mariana São Paulo - SP - CEP 04012-001 Fone: ( 11) 5579-1959 e-mail: spkaikan@uol.com.br

Associação Itiretsu-kai

Total de doações (fevereiro/09): R$ 7.775,00 Igrejas: *Rikuhaku Osasco; *Manaus; *Nova Yooki; *Marialva; *Seiki Brasil; *Taimo; *Miko Bastos; *Tsuhakuryu; *Marília; *Nippaku; *Sul América; *Oriente; *Arapongas; *Atlântico; *Continental; *Diadema; *Meihakuiti; *Alvorada; *Campinas; *Monte Kemel; *Duartina; *Brasil Koshihiro; *Paineira; *Tucuruvi; *Brasl Yamashiro; *Monte Brás; *Eldorado; *Penápolis; *São Miguel; Casas de Divulgação: *Brasil Yukikai; *Cravinhos; *5º Paulista; *Saúde; *Brasil Yushin; *Miko São Paulo; *Líder; *Aliança; *Brasil Kowa; ; *Horizonte; *Tamahaku; *Tohaku; *Takehaku; *Primavera; *4º Paineira; *Terra Nova; *Nanyo;

EDITORIAL

O Shimbashira há tempos vem orientando sobre a importância de reverenciar a igreja com a família unida e, em janeiro passado, na reunião executiva daAssociação InfantoJuvenil da Sede da Igreja, reforçou o tema aos líderes, recomendando-os a incentivar as atividades de otomarikai (eventos com pernoite das crianças na igreja). Não há dúvidas de que a preocupação do Shimbashira é legitima: muitos dos frequentadores já são idosos e vivem solitários. Por onde andam os seus filhos e netos? E porque não vêm reverenciar a igreja? Os fatores que afetam a vida atual são sutis e certamente complexos, mas é claro que com o advento da alta tecnologia tudo ficou prático e muito mais confortável para usufruto de todos. Não obstante, o ser humano, qual seja o seu nível de acesso a estas facilidades, concomitantemente, vem persistindo com o objetivo maior e

Jornal Tenri

e sinceridade em construir o modelo de vida. A independência é uma ação dúbia. Máquinas e robôs podem ter processos automatizados que os fazem independentes da ação humana, mesmo assim são dependentes daqueles que os programam e os fazem trabalhar. O ser humano que porta o livre-arbítrio é menos ainda independente. Um povo que por algum motivo histórico “criou” sua independência, também “filiou-se” a um novo sistema para prosseguir sua vida. Para apressar a vida plena de alegria e felicidade precisamos estar sinceramente satisfeitos com a liberdade e a “dependência” alcançada. Nada mais prazeroso do que usufruir a liberdade tendo a alegria da interdependência familiar mantida por gerações.

Yoboku da Igreja Bauru e responsável pelo Tenri Kaikan SP

*Kaoru, Nobuko, Haruko e Keiko Murata; *Hiromi, Guilherme e Artur Nakamine; *Mitsuhiro Tanaka; *Mitsukazu e Haruyo Nakanishi; *Massatoshi, Yuji, Mika, Sumie, Mitie, Lie e Mei Ukei; *Massashi, Takeshi, Yoshinori, Yoshitaka e Chizuru Fujishige; *Yutaka, Yuri e Akiyoshi Tanio, Yoshie Ishii, Karen Nakamura e Yumi Yamamoto; *Miwa, Massaharu, Mika, Miyuki e Atsuko Murakami; *Clarissa, Thais e Nilson Otake; *Yuiti, Hiroe, Hitomi, Mitiaki e Yuri Namiki; *Kunimassa Kosaka; *Kazuaki Kosaka; *Douglas, Daisy, Dalton, Dennis e Daniela Takeuchi; *Rodrigo Higa; *Henrique, Heitor e Juliana Oshiro; *Priscila, Cristiane, Tony e Leandro Oshiro; *Nakamoto; *Casa de Divulgação Namihiro; *Akira e Nana Yamase; *Ichiro Kusakawa; *Momoe, Mari, Koji, Motoo e Yae Saito; *Otoichi Oka; *Morio Aoki; *Ricardo Fujikawa; *Tadashi Ota; *Ernesto Sanbuichi; *Carlos Miyoshi; *Erika Miyoshi; *Mitiko Kameoka; *Atsushi Aoyagui; *Terumasa e Mitsuyuki Kuroki; *Shoichi Nakano; *Emerson Seo; *Giuliana Seo; *Victor e Mariane Higa; *Paulo Rodrigo Oshiro; *Sayuri, Akemi e Midori Aizawa; *Priscila Sakurai; *Akiyoshi, Hideaki e Yuki Watanabe; *Victor Hara; *Gilberto Massuda; *Tiago Massuda; *Guilherme e Gustavo Fuzimoto da Silva, Roberto e Carolina Lopes Fuzimoto; *Leandro, Lenice e Rubens Nozu; *Wilton Tani; *Sanae Ota; *Aline Yashiro; *Risa Nakamura; *Hiromi Kaneshiro; *Aki Hashimoto; *Tetsuki, Ken e Massaki Okamura; *Fabio Ushida; *Yoshinobu Tanaka; *Dalton Sueri, Minoru e Shuji Haga; *Yasunori Okamura; *Hitomi e Satoru Nagasawa; *Vinicius Hara; *Isabel Mukai; *Mario Mukai; *Hiroo, Yoshihiro, Risa e Airi Sohara; *Toshimitsu Kosaka; *Wilton Tani; *Jackson, Victor e Janete Minami; *Caroline Sasaki; *Cintia Tokura; *Amanda e Paulo Mukai; *Igor e Bruno Harayshiki; *Família Wajima; *Noriaki Ito.

Jornal Tenri

Relatos 11

março de 2009

Relatos dos seminaristas do 98º Seminário de Formação Espiritual - Shuyokai do Brasil

Conheci a Tenrikyo através do meu marido. Antes disso, eu nunca ouvira falar da religião. No fim de 2007, descobri que estava grávida. No momento foi um choque, fiquei desesperada, me perguntava por que tinha acontecido isso comigo, o que eu tinha feito de errado para merecer isso. Não sabia mais o que fazer. Mas meu marido me acalmou e falou que, se aconteceu com a gente, é porque Deus quis assim, talvez fosse um sinal, uma

predestinação, e que tem gente que passa uma vida inteira tentando ter filhos e não consegue, então, com certeza, a nossa filha é uma graça de Deus, devo me sentir abençoada por isso. As vezes me sentia triste porque minhas roupas não cabiam mais, estava ficando gorda. Sentia vergonha de sair de casa, não tinha nem vontade de voltar para a faculdade com vergonha do que os outros iriam falar. Guardei esse sentimento ruim comigo. Foi quando vim para o Dendotyo e recebi o Sazuke, e uma mestre me falou, que as pessoas falam muitas coisas, a gente só deve pegar o que acha que é bom e proveitoso, e o que for ruim, a gente joga fora. E para não alimentar

sentimento ruim dentro de mim, para não passar para o bebê. Que eu podia ficar tranqüila porque Deus está nos protegendo, e tendo fé, tudo dá certo. Voltei para casa mais tranqüila e com o espírito melhor. E tive uma gravidez sem nenhum problema, sem dores e um pós-parto ótimo. Vim ao Shuyokai para conhecer melhor sobre a religião e agradecer pela vida da minha filha, que, após um ano cheio de tristeza, perdas e correria, só veio para alegrar a todos. Pretendo colocar em prática tudo o que tenho aprendido e melhorar meu espírito cada vez mais. Cristiane Mayumi Arakawa Oshiro Casa de Divulgação Santo André

Iniciei no caminho da Tenrikyo ao observar que em minha rua havia uma vizinha que possuía uma Casa de Divulgação, o Jardim Hoyo. Essa vizinha é conhecida de minha família há muito tempo, no entanto, não sabia do que se tratava a religião que ela praticava. Eu sou o primeiro e único tenrikyano de minha família “até agora”, porque desde jovem sentia que algo no Serviço Sagrado me atraía inconscientemente. Comecei a ir, de vez em quando, para a Cerimônia Mensal devido a minha amizade com os netos daquela casa. Posteriormente, começei a frequentar a Igreja Nordeste Hoyo, que também fica perto de minha casa e era um lugar muito alegre e gostoso de participar, como é até hoje, com muitos jovens e muitas atividades. No início, sofria com preconceito da sociedade em geral que desconhem a Tenrikyo, entretanto, logo que participei de um Encontro Infanto-Juvenil de banda Koteki, pude compreender melhor alguns ensinamentos de Oyassama. E, a partir daí, freqüentei ainda mais o Kyokai, sem me importar tanto com o

que os outros iam achar. Dentro das dependências do Kyokai, para mim, parecia um mundo paralelo ao que realmente vivia, mas hoje, creio que já consigo enxergar tudo com o mesmo olhar de compreender o outro e aceitar com alegria as provações que Deus manda diariamente para mim. Aprender os ensinamentos da Tenrikyo foi fundamental para passar pela separação dos meus pais, umas enfermidades de minha mãe e uns apertos financeiros. Ainda, é importante lembrar que desde que comecei a me dedicar às diversas atividades do Kyokai, não sofri com problemas de assaltos, o que é comum na região onde resido e, em relação às doenças, raramente acontecia comigo, pois se Deus queria me alertar de algo, fazia com que eu escutasse os fiéis da igreja. É uma época de muito aprendizado! Depois de um tempo participei do Curso de Doutrina Koshu, em 2006, recebi a graça de passar no vestibular, o que contentou bastante meus familiares e amigos, além de abrir novos horizontes para mim.

Eu nunca tive o espírito de obediência que a esposa do sucessor de minha igreja sempre me alertava, entretanto, ano passado, me determinei a fazer o Seminário Shuyokai em julho deste ano e, realmente, fiz planos sinceros para conseguir o objetivo. A graça foi alcançada antes do prazo, pois tudo se acertou para que eu fizesse agora em janeiro; que extraordinário! Não entrei neste caminho por meio de enfermidades, nem problemas sociais, de fato, tudo aconteceu naturalmente de acordo com a vontade do Parens. Espero compreender sua vontade depressa,para ser uma madeira usável na salvação que pacificará o mundo. Todo esse trajeto foi realizado graças a DeusParens e a muitas pessoas que desejam que eu evolua espiritualmente, sou grato a cada um e espero retribuir em dobro. Danilo A. de Macêdo Igreja Nordeste Hoyo


10 Associações

março de 2009

Jornal Tenri

Jornal Tenri

Um mundo de encontros

Gakuseikai

Estudando a doutrina com o professor Tiago

Revelação Divina - II (continuação da edição 452) Jéssica: Professor, qual é o significado de Deus original, Deus verdadeiro? Professor: Ah, sim! Vamos ler este livro explicativo da Doutrina. Temos o seguinte nesta parte: “Expressou como ‘Deus original’ por ser Deus que iniciou a criação dos seres humanos e do mundo que inexistam, como também, concedeu vida a todas as coisas. E ‘Deus verdadeiro’ por ser Deus autêntico que está trabalhando e nos protegendo introduzindo-se no corpo humano e em todas as coisas. No céu temos o Sol e a Lua e, neste mundo, a água, o fogo e o ar. A começar destas providencias, do calor, da umidade e da respiração, introduzindo-se no corpo humano, está vivificando e protegendo.” Jéssica: Isso significa que Deus-Parens criou este mundo e está protegendo até os dias de hoje? Professor: É isso mesmo. Vocês estão entendendo muito bem. Fábio: Mas, se for assim, será que Deus-Parens só começou a mostrar a sua força há 172 anos, quando se revelou ao mundo? Jéssica: Por ser Deus-Parens que criou os seres humanos, achou que ele veio nos protegendo já bem antes disso. Fábio: Se for assim, por que não iniciou o ensinamento da Tenrikyo bem antes? Professor: É mesmo. Você percebeu uma coisa interessante. Porém, por ser ensinamento fundamental, podemos dizer que só foi possível começar a ensinar há 172 anos. Vamos ver o que temos na Doutrina sobre este assunto:

Fujinkai

Encontro do Departamento das Moças No último dia 7 de fevereiro, na Sede Missionária Dendotyo, houve a realização do 43º Encontro das Moças do Brasil. Pudemos contar com a participação de um grande número de moças, que compareceram de diversas localidades alegres e animadas. Com a graça de Deus-Parens e Oyassama, e um dia ensolarado, as participantes puderam sair para a divulgação kaminanagashi, na qual cada grupo de moças partiu em uma direção, nas redondezas do Dendotyo, e realizaram a divulgação do nome de Tenri-Ô-no-Mikoto e do ensinamento de Oyassama. Com esforço de todas, houve um grande número de ministrações do Sazuke. Também, no Encontro, cada associada pode praticar os três lemas do Departamento das Moças, que são: Frequentar a Igreja, Praticar o Hinokishin e Realizar a Divulgação. Agradecemos a todos pelos esforços e pelo sucesso deste Encontro! Ainda, no próximo ano, em 2010, será comemordo os 100 anos da Fundação da Associação Feminina da Sede da Igreja. No mesmo período, também em Jiba, será realizada a 26ª Convenção das Moças. Portanto, nós, do Departamento das Moças, como membros da Associação Feminina, vamos determinar sinceramente o espírito e regressarmos a Jiba para esta importante ocasião. O Departamento das Moças do Brasil espera o regresso de um grande número de participantes, contamos com você!

Opinião 3

março de 2009

Yoshimiti Matsusaki*

“Ele (Deus-Parens) esclareceu íntima e pessoalmente, através de Oyassama, a verdade de todas as coisas. É o acabamento dos seus ensinamentos, que têm sido instruídos como tratamento e fertilizante, adequadamente, de acordo com a maturação humana durante o longo processo de anos. Quer dizer que já têm sido instruídos nove décimos dos ensinamentos e, enfim aqui, foi-nos revelado, diretamente por Deus-Parens, o seu derradeiro ensinamento, a última verdade ainda não revelada: a identidade do Parens original, com a intenção de incentivar o nosso sentimento de fraternidade e amor, dando-nos a convicção de que todos os seres humanos são seus filhos e despertando-nos para a verdade de que somos todos irmãos, e remodelar o mundo naquele em que o Parens e nós juntos desfrutaremos num círculo familiar a vida plena de alegria e felicidade.” Jéssica: Será que a expressão, “de acordo com a maturação humana”, não é o ponto chave para compreendermos? Professor: É isso mesmo. Por exemplo, o que vocês estão estudando agora na aula de Matemática e Inglês, se fosse ensinado quando vocês começaram a andar, com certeza, não entenderiam nada. Para o Fábio, creio que ainda hoje, está difícil compreender estas duas aulas, não é? Fábio: Professor, não exagere. Este ano, comecei bem. Jéssica: É realmente desta forma. Deus-Parens veio protegendo interruptamente os seres humanos desde antigamente e, de acordo com a maturação humana, há 172 anos, iniciou a Tenrikyo. Jéssica: Professor, o que é realizado em Jiba no dia de 26 de outubro?

Deste que nascemos encontramos ao longo da caminhada da vida diversas pessoas. Nas relações mais próximas podemos citar os nossos pais e depois os avós, irmãos, tios, primos, namorados, marido, mulher, sogros e então vem os filhos, cunhados, sobrinhos, genros, noras, netos. Temos também os amigos da vizinhança, os colegas da escolinha até da faculdade, dos diversos trabalhos e em cada um destes novos ambientes temos vizinhos, professores, chefes, subordinados, clientes, fornecedores, e em cada novo evento conhecemos novas pessoas, ou seja, a nossa vida é na verdade uma rede quase infinita de relações onde encontros e desencontros estão ocorrendo a todo o momento. Para mim, Tsukihi, todos do mundo são meus filhos. Tenho unicamente plena afeição Ofu. XVII-16

Nós não escolhemos os pais, escolhemos a casa em que moramos, mas não o vizinho. Podemos escolher a escola, o trabalho, mas não os companheiros, ou seja, temos a falsa percepção que escolhemos as pessoas do convívio, mas elas foram ali colocadas por Deus-Parens, inclusive a pessoa que imaginamos ter escolhido para casar; todos sem exceção são pessoas presentes no nosso caminho de acordo com a nossa predestinação e merecimento. Protejo-os unindo as predestinações das vidas anteriores. Isto se estabelecerá firme para todo o sempre. Ofu. I-74 Se refletirmos sobre as grandes conquistas de nossa vida, percebemos que para chegarmos ali quantas pessoas não estiveram e estão do nosso lado; sem elas com certeza aquilo não teria sido alcançado.

Muitas coisas que gostamos ou não, fizemos ou não, também dependeram deste nosso convívio com outros que estiveram ali nos apoiando e incentivando, muitas vezes temos inclusive aqueles que pareceram verdadeiros obstáculos, mas foram e são na verdade oportunidade de evolução, superação e reflexão, mas certamente há um motivo muito forte para que ele esteja ali. Cuidarei dia a dia das madeiras usáveis. Não pensem jamais que aí haja algum mal. Ofu. III-131 Na mina opinião, podemos afirmar que: A nossa vida, e quem nós somos, depende muito das pessoas que encontramos nesta caminhada. É o que faz com que sejamos melhores e que esta travessia valha a pena. *condutor da Igreja Taimo

...encontros do caminho

(continua na próxima edição)

100 Anos de Fundação da Associação Feminina Meta e Plano de Ação 20 jovens de São Paulo se dedicaram na divulgação no dia 10 de fevereiro, marcando encontro na principal avenida empresarial-financeira do país, a Avenida Paulista. Percorreram toda a sua extensão, cantando o Hino Yorozuzo, o qual também foi dançado, além da distribuição de panfletos.

Encontro-Infanto-Juvenil da Igreja Marília, entre os dias 29 e 31 de janeiro, na cidade de MaríliaSP, com 62 participantes. “Fazer amizade”, “Ajuda mútua”, e “Fazer hinokishin” foram os temas do encontro, que contou com a criatividade e diversão para transmitir os ensinamentos às crianças.

35º Encontro-Infanto-Juvenil da Igreja Paulista, entre os dias 30 de janeiro e 1 de fevereiro, na cidade de Vera Cruz-SP, contando com a participação de 67 pessoas. Sob o tema “fogo, água e ar”, aprenderam a razão dos ensinamentos diretamente na natureza, onde puderam pescar, nadar, cozinhar e acampar.

おぢばがえりのお世話取り、おまかせ下さい

$VJEBNPTEPTQSFQBSBUJWPTEPTFV3FHSFTTPB+JCB São Paulo: Rua dos Buritis, 128 - bloco A - conj. 402 - Jabaquara

fone/fax (11) 5011-3992 / 5011-9237 / 5011-1835 - e-mail: gema-a@br2001.com.br

Filial no Japão: Aichi-Ken -Toyohashi-shi - Ekimae Odori 3-83 - Shingen Bldg 4F %-"2!452   

〒 440-0888 - fone: (0532) 53-6760 / 53-6761 - e-mail: gema@eagle.ocn.ne.jp


março de 2009

Jornal Tenri

Jornal Tenri

Visão religiosa do mundo Cenário do discurso de posse de Barack Obama, presidente dos EUA - por Katsumi Shimada

Na tão esperada data, 20 de janeiro, mais de 1 milhão de pessoas acompanharam a cerimônia de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em Washington. Eleito como o primeiro presidente negro, Obama também é conhecido pela excelência de seus discursos. E com diversas questões a serem resolvidas, atual crise econômica, política externa entre outros assuntos, além dos americanos, o mundo inteiro centralizou a atenção no evento. Logo após o discurso de posse, o assunto repercutiu na mídia japonesa acompanhado de críticas de especialistas. Nesta edição abordarei principalmente sobre questões como religião e cultura, explicarei sobre os diversos problemas abrangendo este cenário e sobre o significado de suas colocações. Na minha visão, acredito que haja dois pontos importantes no discurso. Primeiro, é a palavra dirigida ‘diretamente ao povo muçulmano’, da atual questão norte-americana sobre o princípio dos problemas envolvendo a política externa; e, segundo, é a ‘diversidade religiosa dentro do continente norte-americano’, do atual crescimento de questões envolvendo religiões e culturas diversificadas. Sobre o primeiro ponto, o presidente Obama disse: Para o mundo muçulmano, buscamos um novo caminho, baseado em interesses e respeitos mútuos. Para aqueles líderes pelo mundo que buscam semear o conflito, ou culpam o Ocidente pelos males de suas sociedades, saibam que seus povos irão julgá-los a partir do que vocês podem construir, e não destruir. Para aqueles que se agarram ao poder por meio da fraude e da corrupção, saibam que estão no lado errado da história. Mas, nós estenderemos as mãos se estiverem dispostos a cooperar. Dentro do histórico de discursos de posses, o que marcou neste pronunciamento foi o fato do próprio presidente ter dirigido pessoalmente essas palavras aos muçulmanos , sem o uso de terceiros. Obviamente, há uma certa crítica ao mandato anterior, de George Bush, conhecido pela proposta de ‘combater o terrorismo’. Quem apoiava este plano de ação da política externa eram os Estados Unidos, os países aliados, e o país que praticava o terrorismo. Era a pressão de ‘que lado fica’ do pensamento dualista e visão alternativa de Bush. Na atual condição, é com base nessa orientação política que durante o mandato de Bush os Estados Unidos iniciaram a guerra no Afeganistão e Iraque, piorando ainda mais o relacionamento com o Irã. Lembrando que todas são nações islâmicas. As palavras dirigidas pelo presidente Obama diretamente ao mundo islâmico foi de grande repercussão, pois trata-se de sua postura clara de querer adotar uma ‘política externa de conciliação’,

Perfil Katsumi Shimada • Kyoto da Igreja Makinoshima • Graduação: Letras e Teologina (Univiversidade de Tenri) • Mestre e doutor: Estudos Religiosos (Universidade Tóquio) • Doutor: Teologia (Universidade de Harvard) É especialista em pensamento teológico cristão do final da Idade Média, no período do Renascimento, e em questões religiosas atuais.

mostrando sua diferença com Bush. No entanto, não estou apontando que o plano de Obama seja tolerante comparado ao mandato de Bush. O que há no significado destas palavras é que os conflitos entre os inúmeros islamitas ocorrem diplomatica e economicamente, nesta sequente relação de antagonismo, pode-se dizer que há um certo interesse nacional por parte dos Estados Unidos,;para Obama, trata-se da frieza no pensamento em identificar a realidade. Com certeza, a partir da visão religiosa, as circunstâncias do mundo atual, como o recente atentado terrorista ocorrido no final do ano passado em Mumbai, na Índia, entre outras questões ainda são evidentes com esta realidade a frente, Obama convida os muçulmanos ao diálogo a partir do ponto de vista ‘empírico’ e ‘pragmatico’. Porém, esta postura do presidente, após a estratégia política adotada por Bush, uma guinada de 180 graus seria correta? Conforme a clareza do discurso, tanto Obama quanto os Estados Unidos possuem forte convicção de que estão no lado correto da história, e assim como Bush, visualizam um mundo dualista. Observando de forma favorável, essa ‘justiça americana’, acima de tudo, trata-se apenas um profundo espírito nacionalista que mesmo Obama não conseguirá expressar facilmente uma postura reflexiva em público. Em seguida, abordarei o segundo ponto pronunciado pelo presidente Obama quanto a diversidade religiosa: Sabemos que nossa herança multicultural é uma força, não uma fraqueza. Somos uma nação de cristãos e muçulmanos, judeus e hindus - e ateus. Somos moldados por cada língua e cultura, de cada parte desta Terra. Quanto a este pronunciamento, uma parte da mídia japonesa fez críticas pelo fato de Obama não ter citado os parceiros ‘budistas’: “Obama deu pouca importância ao Japão que é um país budista

isso acaba refletindo em sua postura”. No entanto, isto não é um absurdo, pois no livro publicado em 2006 por Obama, “A Audácia da Esperança”, no Cap. VI - Fé, ele expressa de forma semelhante, mas citando o budismo. Entretanto, o que se deve dar mais atenção é para o fato de Obama ter acrescentado os ‘ateus’, sendo os Estados Unidos um país com ‘herança multicultural’. Esta palavra também foi a primeira dita num discurso de posse de presidente eleito dos Estados Unidos. Citar os ‘ateus’ em locais públicos era um tabu que não quebrado faz anos na história dos Estados Unidos. Obviamente, neste caso, o presidente não está afirmando ser um ‘ateu’. Obama passou a frequentar uma igreja católica voluntariamente aos 20 anos de idade, quando trabalhava como agente comunitário numa associação religiosa em Chicago. Até então, a religião para ele era algo inexistente. O ponto importante não está na visão religiosa de Obama e sim na base que é a ‘confiança política’. Provavelmente a palavra ‘inclusão’ se encaixaria bem nessa postura, ou seja: ‘possuir a postura de se dedicar às pessoas com opiniões e posições diversificadas’. Com certeza, Obama sucede também a política que Bush adotou durante o seu mandato, dos assuntos sérios e complexos, como ‘a guerra cultural’. Isto abrange desde questões sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o aborto, que se dividem entre os liberais e os ultra conservadores da igreja católica. Seu papel está, além de harmonizar este confronto entre ambos os lados, voltar sua atenção também para as ‘pessoas que não possuem fé’. Creio que a sua maior preocupação está em elevar o significado da aliança entre os cidadãos norteamericanos que possuem ou não fé, a união entre essas diferenças de valores religiosos. A primeira frase em seu discurso de posse não foi uma repetição de seus antecessores ‘Meu povo americano’ , mas, ‘Meus caros cidadãos’; uma famosa frase dita pelo primeiro presidente George Washington e o 19º presidente Hayes. Desde a época em que Obama advogou como agente comunitário em Chicago, seu estilo político vem sendo ressaltado. Com certeza, a postura política de Obama é com base na idéia de ‘cidadão’; pretende realizar a inclusão de todo o povo americano, não como ‘idealismo’, mas como uma ‘estratégia política’. Porém, não basta apenas relatar o ideal e a esperança para que as coisas acontençam. Tudo se torna possível, a visão clara e o conceito estratégico concreto, com a fé certeira do presidente Obama. do Jornal Tenri Jiho, de 15 de fevereiro de 2009

Missionamento Família 9

março de 2009

Compreendendo a Tenrikyo

Dom do Sazuke O Dom da Concessão Divina Sazuke é concedido através da solicitação com o espírito purificado após ouvir nove vezes a preleção do Besseki. O Okakissage entregue quando se recebe o Dom da Concessão é uma norma espiritual da vida. Deve-se ler repetidamente para compreendê-lo bem. O yoboku deve ministrar voluntariamente a Concessão (Sazuke) aos enfermos. DeusParens, aceitando a sinceridade do yoboku que deseja somente a salvação e a sinceridade da decisão espiritual da pessoa que recebe a ministração da Concessão (Sazuke), pode solucionar qualquer doença. Para isso, devemos transmitir a vontade de Deus-Parens que está promovendo a maturação espiritual através dos problemas físicos e fazer esforço para que o espírito do enfermo se aproxime dessa vontade. Nota O Dom da Concessão é entregue por Oyassama ao espírito sincero de dedicação única à salvação de cada solicitante através do Shimbashira. É o dom sublime como “...um presente para o país, um tesouro do país” (Indicação Divina (Ossashizu) de 30 de dezembro de 1898) Temos também: “...Mesmo os instrumentos, sejam de quão alto valor em dinheiro, se não houver a razão de espírito, nada adiantará” (Indicação Divina de 7 de julho de 1890), o ministrador do Sazuke deve ter a sinceridade verdadeira.

Seguindo os passos dos pioneiros -Passar com espírito único-

Um fato ocorrido em Nigata, em fevereiro de 1931. Uma senhora idosa que sofria de otite média, veio a Casa Missionária Mizuhara a procura de salvação. O médico havia lhe dito: “não posso garantir a sua vida mesmo que faça a cirurgia”, e essa senhora também dizia: “Se eu for internada no hospital e passar por uma cirurgia, sinto que irei morrer, por isso quero ser salvo pelo Deus desta Igreja, farei oferenda em valor correspondente às despesas com a cirurgia.” Então, um jovem chamado Yuji Hida, que estava se dedicando à essa casa missionária devido sua enfermidade no pulmão, determinando o espírito de realizar o Serviço Sagrado de Solicitação de 3 dias e 3 noites, ministrou-lhe o Sazuke. Assim, no terceiro dia, o ouvido direito que estava bastante inflamado, começou a desinchar gradativamente, e um pouco de pus começou a sair pelo nariz. Então, a senhora achou sem cabimento fazer apenas a solicitação, jurou a Deus que traria a oferenda durante o 2º e 3º dia e, foi embora. Entretanto, ouviu dos seus familiares: “Se for para internação no hospital daremos o dinheiro, mas se for para oferendar a Deus da Tenrikyo não!” Yuji consolou esta senhora dizendo: “Se os familiares virem a sua completa recuperação, creio que eles se convencerão e darão o dinheiro.” E instou que fizesse a determinação espiritual de reverenciar a Jiba na Grande Cerimônia de Outono e ouvir as preleções do Besseki. Essa senhora recebeu a completa graça em aproximadamente um mês, com a eliminação de todo o pus pelo nariz. Mas, não obteve a compreensão dos familiares, nem mesmo as despesas para a viagem a Jiba. Então, Yuji declarou: “Como sou

Agenda

Abril

11 - Treino Geral do Serviço Concurso de Koteki (Shonenkai) 12 - Cerimônia Mensal 13 e 20 - Caravana de Regresso a Jiba

Maio

Mês do Dia do Hinokishin 9 - Curso HARP (Associação Estudantil) 10 - Cerimônia Mensal 15 - Caravana de Regresso a Jiba

PRODUÇÕES PRODUÇÕES ,/-/ ,/-/ -

** Foto Foto

** Vídeo Vídeo

** Som Som

Katsumi Mizoguchi Katsumi Mizoguchi Av. Celso Garcia, 1.017 Av. Celso Garcia, 1.017 Belenzinho - Capital - SP Belenzinho - Capital - SP Tel. (11) 2694-4771 / 2557-6792 Tel. (11) 2694-4771 / 2557-6792 e-mail: seimiprod@hotmail.com

o intermediário entre você e Deus, vamos dizer que sou o seu fiador. Do resto, assumirei a responsabilidade como fiador, por isso gostaria que mantivesse a determinação espiritual de regressar a Jiba sem falta” Isso ele falou devido a fé nos seguintes dizeres: “O caminho difícil de se passar, farei passar com espírito único.” (Indicações Divinas de 28/04/1888) Após três dias, desta vez, apareceu uma jovem senhora com câncer no útero desejando ser salva. Ela dizia: “O médico disse faça logo a cirurgia, mas ouvindo a conversa dos outros, mesmo as pessoas que tiveram boa recuperação pós-cirurgica, todos tem falecido depois de dois ou três anos, por isso não quero fazer a cirurgia.” Yuji ministrou-lhe o Sazuke após transmitir os ensinamentos de Deus, e no dia seguinte, foi até a casa dessa pessoa e, diante do casal, após explanar os ensinamentos de Deus, sobre predestinação, arrependimento e determinação espiritual, transmitiu-lhe o Sazuke. Então passados 10 dias, essa senhora veio reverenciar a Cerimônia Mensal da casa missionária com uma aparência muito saudável e agradeceu: “Muito obrigada, graças a Deus recebi a cura.” Segundo ela, a partir do terceiro dia, a barriga começou a fazer barulho, e como num abrir de torneira, começou a sair tudo que desce. E, realizando novos exames com o médico que consultara anteriormente, milagrosamente o câncer havia desaparecido sem deixar marcas. Isto foi motivo para que, logo após, sucedessem salvações milagrosas, também foi possível conseguir as despesas de regresso a Jiba. Em outubro desse ano, Yuji pôde fazer o regresso a Jiba, levando 4 pessoas para ouvir as preleções do Besseki da Revista Taimo nº 457 – janeiro/2007

JVVRLQTPCNVGPTKM[QEQODT

4 Tenri Jiho


8 Depoimento

março de 2009

Jornal Tenri

Minha história - uma reflexão

No ano comemorativo do centenário da imigração japonesa no Brasil, completei 75 anos de vida em solo brasileiro. Vou contar uma história ocorrida em 1953 ou 54. “Okamura-san, vou receber mudas de sakura (flor de cerejeira) enviadas lá da minha terra natal. Como não conheço Santos, gostaria que fosse comigo, pois soube que o senhor tem ido lá de vez em quando” – perguntou o senhor Chujiro Otake, vindo de São Paulo. Meu marido prontificou-se em acompanhá-lo e algum tempo depois foram a Santos, e, com a ajuda do proprietário do hotel Mikasaya, retiraram da alfândega 100 mudas de sakura. Em agradecimento, meu marido recebeu duas mudas. Ao retornar, notificou a condutora Hatsue entregando-lhe as mudas. Ela as observou por um bom tempo e disse: “Niisan (irmão mais velho), infelizmente, uma delas deve secar”. “Por que a senhora diz isso?”- perguntou o meu marido espantado. “Esta muda não tem nó. Sem nó, não cresce e secará. Mas, por via das dúvidas, plante-as”. Desse modo, meu marido plantou as mudas, dedicando-lhes os mesmos cuidados. Mas, realmente, uma delas não vingou, conforme palavras da condutora. Muitas vezes, o nó da árvore é tão pequeno, que é difícil identificar. Entretanto, com o passar dos anos, e chegando a época oportuna, dele surgirá um pequeno broto que se transformará em pequenas folhas e ramos, daí surgirão novamente novos brotos e ramos que, gradualmente, formar-se-ão novos galhos e finalmente resultarão em flores e frutos. Relembrando-me daquelas palavras, sinto que esse nó representa não só a vida da planta, mas também a nossa. A nossa existência atual são as virtudes dos nossos pais avós, bisavós, e seus ancestrais que

vieram renascendo através do tempo. Acredito que cada geração transmite uma herança de virtudes de nossos ancestrais. Assim, percebo que a virtude se compara ao nó das árvores. Qual o significado da virtude? É o dom de criar, educar com todo amor e carinho, ser misericordioso, ter compaixão; é ter espírito de dedicar-se, de iniciativa, de ajuda mútua, de praticar ação em função de outros; é ter o espírito capaz de encorajar, de incentivar as pessoas; e ainda ter o espírito de satisfação sincera, e de transformar tristezas, sacrifícios e sofrimentos num espírito de alegria e incentivo. É o estudo da vida, estudo do cotidiano tendo como adubo as virtudes recebidas para alcançar o amadurecimento social e espiritual. Neste mundo vivem bilhões de pessoas. Todos são iguais como seres humanos, pois têm olhos, orelhas, boca, nariz, braços e pernas, órgão reprodutor e outros. Porém, a aparência, o caráter, a personalidade varia de pessoa a pessoa. Não há duas pessoas iguais neste mundo. Assim que chego à igreja, a primeira coisa que avisto é a grande placa escrita “Igreja Tenrikyo de Três Barras”. E, é com muita felicidade que mensalmente me encontro com os senhores fiéis, o que acredito que é pela vontade divina. Quando penso com profundidade, percebo que fui doutrinada de que Tenri significa o universo a que pertencemos, inclusive o planeta terra em que vivemos. E, compreendo desta forma, o ensinamento de Oyassama diz que não existe outro Deus, a não ser o Fogo, a Água e o Vento. Fogo representa o sol, a luz, o calor do nosso corpo. Água representa a umidade do corpo, e que recebe a influência da lua. E o vento representa o ar que respiramos. Estas três forças dão vida a todos os seres deste mundo - este é o ensinamento da Tenrikyo. Tenri é a própria obra da natureza, é a graça da sobrevivência, isto é, a graça recebida de Deus. Se neste mundo nascessem dez homens, teríamos

dez cores diferentes; se nascessem cem, seriam cem cores diferentes. Essa diferença é a virtude que cada um recebe de seus ancestrais. Acredito que ninguém é de fato perfeito. Portanto, é natural que haja pessoas diferentes, com habilidades e preferências diferentes. Assim, devemos reconhecer e respeitar a individualidade de cada pessoa, confiar e complementar aquilo que falta através da compreensão, da cooperação e de ajuda mútua, daí surgirá um lar feliz, nascerá boas amizades entre vizinhanças e, consequentemente, haverá progresso nas vilas e nos povoados, que contribuirão na formação do indivíduo social e útil à comunidade. Na convivência com os senhores que, animadamente, cumprem os afazeres da igreja, sinto ainda mais a presença e proteção de Deus-Parens. Tudo que vejo, ouço ou sinto, é algo milagroso. Neste mundo, onde a civilização progride cada vez mais e o homem é capaz de criar e idealizar tantas coisas, fico a imaginar o quanto ainda poderão evoluir. Agradeço a Deus-Parens por ter me propiciado esta longevidade, permitindo acompanhar os senhores que animadamente participam das atividades da igreja, seguindo sempre as orientações divinas. O Hino Sagrado, do Yorozuyo até o Hino XII, é cantado e acompanhado pelos movimentos das mãos e mostra em detalhes o desejo de Deus-Parens e o caminho que os homem devem seguir. A realidade é que estamos vivos porque somos vivificados. A graça da natureza, a proteção de Deus-Parens é algo que não podemos mudar, pois é absoluto. Não devemos nos esquecer que somos nós que recebemos toda esta proteção, com tal exatidão, que sequer permite um mínimo de erro. Amparados nesta fé e tendo em vista o amadurecimento espiritual, faço votos que, juntos, caminhemos o dia a dia com muita alegria e ânimo. *Michi Okamura, esposa do 3º condutor da Igreja Três Barras, atualmente com 96 anos de idade.

≡ O corpo ≡ Foi-nos ensinado que Deus-Parens criou o mundo e os seres humanos para compartilhar da Vida Plena de Alegria que os seus filhos desfrutassem. Isto significa que temos a garantia de que qualquer ser humano pode alcançar a Vida Plena de Alegria e Felicidade. Contudo, para atingirmos esse objetivo, devemos utilizar adequadamente este

corpo emprestado por Deus-Parens. Exemplificando, imaginemos os nossos olhos, os ouvidos, o nariz e a boca. - Os olhos existem para enxergamos, e assim, sentir alegria; - Os ouvidos existem para ouvirmos, e assim, sentir alegria ; - O nariz existe para percebermos o olfato, e assim, sentir alegria;

- A boca existe para que possamos dizer palavras que proporcione alegria às pessoas. Além disso, é explicado que os olhos, os ouvidos são dois e o nariz possui dois orifícios para que possamos discernir o bem do mal. Todavia, a boca é uma, justamente para que não seja dito nada mais além do bem.

Jornal Tenri

Família Brasil 5

março de 2009

Curtas 208º Curso de Doutrina Realizado na Sede Missionária, entre os dias 9 e 13 de fevereiro, com 5 participantes, todos concluintes. Professores: Massahiro Kimura, Kiyoshi Hasegawa, Harumi Kataoka, Makoto Mukai (responsável da classe, Dança Sacra), Yoshinobu Otake. Orientadora feminino: Mitsuko Takemura Participantes por filiação: Três Barras (1), São Paulo (1), Brasil Hoyo (1), Hokuyu Brasil (1), Mihaku (1). Pessoas que receberam o Dom do Sazuke (janeiro/09) dia 5 – Viviane Tomomi Nakano (Santo Amaro); Eduardo Takao Yoshikawa (Santo Amaro); Cristiane Tomoe Nakano (Santo Amaro); Erika Terumi Nakano (Santo Amaro); Tadao Takahata (Santo Amaro) dia 13 – Tadashi Nakahara (Saikai Brasil); Hugo Masayoshi Yoshimura (Tenryu Brasil) dia 18 – Ivan Koji Murakami (Promissão) dia 24 – Elson Ferreira dos Santos (Hope) Realizado o 98º Shuyokai do Brasil Entre os dias 11 de janeiro e 7 de fevereiro, equivalente ao 812º Shuyoka da Sede da Igreja, em três idiomas, português (42 pessoas), japonês (11 pessoas) e espanhol (6 pessoas). Professores: -Classe português (Doutrina, Instrumentos Musicais, responsável da classe – Paulo Matsunobu; Vida de Oyassama, Instrumentos Musicais – Massako Uchiyama, Kiyomi Ota; Hinos Sagrados, Dança Sacra – Roberto Tanaka, Milton Kassahara) - Classe japonês (Doutrina, Instrumentos Musicais, responsável da classe – Shoji Sakaguchi, Mitsuzo Nakanishi; Vida de Oyassama – Assaji Tanaka, Tsutomu Imai; Hinos Sagrados, Dança Sacra – Masaru Ishii, Masahiro Yoshimura) - Classe espanhol (Doutrina – Chitoshi Moriguchi; Vida de Oyassama – Setsuko Ando de Perez;

Hinos Sagrados – Moriguchi, Perez) - Instrumentos Musicais Feminino – Uchiyama, Shizuka Aizawa, Nami Ota, Yuka Sakai, Ota, Takako Onishi, Seika Kimura, Sakiko Sato. - Encarregado do cotidiano, auxiliar de Dança Sacra e Instrumentos Musicais Masculino – Yosuke Takeuchi e Koji Saito Cursistas Nilson Yoshihito Otake, Mariana Otake Yamada, Selma Yukari Ito (Bauru); Emiko Higashi Mizuta (Promissão); Roberto da Silva Rocha, Yuzie Pedro Manoel Nishikito, Tatiana Yuiko Matsuoka (Marília); Heitor Hatizuga Yoshida, Leandro Tetsuo Okamura, Milton Koiti Fujikawa (Três Barras); Hisanaga Iijima, Vítor Hideki de Lima Matsubara, Camila Takeko Kaquimoto, Maria de Lourdes Barbosa dos Santos (São Paulo); Katia Setsuko Kimura (Jussara); Sandra Hitomi Hamazaki Uno (Central);André Luiz Gusman (São Miguel); Kazuko Nishitani (Meishin Brasil); Daniel Kenji Kochi (Piratininga); Fabio Akira Kori (Daihakuyo); Alberto Takashi Hatsuga, Maurício Hitoshi Hatsuga (Brasil Nansho); Daniel Shoiti Nagano (Bandeirantes); Celso Fujita, Danilo Arcelino de Macêdo, João Bernardo da Silva, Paulo Sérgio da Silva, Vanessa Bezerra de Lima (Nordeste Hoyo); Airton Sussumu Kimura, Hugo Hajime Kimura (Cianorte); Emiri Asai (Meihakuiti); Robson Luis Santana dos Santos (Alvorada); Jennifer Maya Takeuchi (Miko Bastos); Giseli de Carvalho Souza (Tsuhakuryu); João Victor Ribeiro (Céu Azul Hoyo); Kenji Nakahara (Saikai Brasil); Carina Nogueira Yamaguchi (Brasil Tinzei); Viviane Hiromi Kitagawa (Cruzeiro do Sul); Shuri Ito (Meisei); Kumiko Hayashida (Kohaku); Kanae Maejima (Mihaku); Suzana Guimarães (Shimagahara Aracaju); Marcelo Toshiharu Sawada, Tony Hirodi Oshiro, Cristiane Mayumi Arakawa Oshiro (Santo André); Cristian Rodriguez Cubillas, Mario Cabrera Vazquez, Johana Vázquez, Ramona Coronel Escobar (Taiten Yguazu); Saori Yamashita (Yguazu Hoyo); Joaquin Nicolas Benitez, Karina Veronica Salvatori (Buenos Aires); Haruka Suzuki (Paraguay Hoyo);

Hikaru Kayama (Nakatsu); Takanori Kurokawa (Takamatsu); Haruyo Otake (Nankai); Hatsuko Komoda, Mitiko Komoda (Saikai); Mami Shimada (Tsugaru). Resumo das obras comemorativas Foi firmado contrato de contrução com a Construtora Mesquita, e estava prevista o início imediato, porém, devido a dias seguidos de chuva em janeiro, de fato, a construção foi iniciada em 2 de fevereiro. Para as obras de fundação foram determinados os pontos, e simultaneamente ao início da construção da base, também está em andamento as obras de reforço das paredes divisórias das casas circunvizinhas, que ficaram desestabilizadas após a terraplenagem. As obras de reforma da cozinha da residência de visita foram iniciadas no dia 9 de fevereiro. Alteração de número de telefone Igreja Penápolis: (18) 3821-1682

Nota de Retornamento Namiko Takeuchi Esposa do condutor anterior da Igreja Miko Bastos, retornou no dia 12 de fevereiro de 2009, aos 89 anos de idade, na cidade de Bastos-SP. O Culto de Homenagem e Despedida foi celebrado pelo reverendo Yoshitaka Senda, condutor da Igreja Mihai (Igreja-Mor Muya), no dia 13, na Igreja Miko Bastos, onde o corpo foi velado. O sepultamento ocorreu às 17:30 h, no Cemitério Municipal de Bastos. Familiares e parentes, ainda consternados pelo retornamento, vêm a público agradecer as manifestações de carinho e pesar recebidos. Informam que será realizada a oferenda para a Associação Itiretsu-kai do Brasil. O Culto de 50 Dias será celebrado no dia 22 de março, às 13 horas. Fukashi Takeuchi, familiares, parentes e fiéis da Igreja Miko Bastos

- UKEI

Assessoria Contábil / Assessoria Empresarial / Corretora de Seguros

Ukei Contábil “Tradição, Competência e Seriedade”

Desde 1967 - sede própria Rua Lino Coutinho, 1721, Ipiranga

(11) 2272-2511

e-mail: ukei@ukei.com.br – http://www.ukei.com.br

Rua Thomas Gonzaga, 92 - São Paulo TEL: 3271-3525, 3271-9238


6 Palestra

março de 2009

Jornal Tenri

Avançar de mãos dadas

H

Palestra do Shimbashira na Grande Cerimônia de 26 de janeiro de 2009

á pouco, realizamos o Serviço de Kagura e a Dança das Mãos da Grande Cerimônia de Janeiro. O que vem à minha mente é a situação da Residência há 122 anos. Naquele dia, Oyassama estava descansando na Casa de Repouso, situada ao norte do Local do Serviço, que foi realizado ao ar livre, ao redor de Jiba, onde, depois que o Kanrodai fora confiscado, havia um amontoado de pequenas pedras. Cercados pelos milhares de seguidores que vieram reverenciar, imagino os semblantes dos membros do Serviço, preparados para qualquer situação, realizando o Serviço desejando unicamente o restabelecimento da saúde de Oyassama. O ambiente que os cercava era extremamente tenso e ao término do Serviço, Oyassama ocultou-se fisicamente. O significado da realização da Grande Cerimônia de Janeiro está na reflexão da intenção do Parens, contido naquele dia, 26 de janeiro de 1887, ou seja, no dia original. Além disso, é para refletirmos sobre o que se passava no coração das pessoas próximas, e repensarmos a maneira de como estamos agindo atualmente, para renovar o espírito da caminhada da dedicação única à salvação. Oyassama instruiu através do seu estado de saúde sobre a importância de se realizar o Serviço Sagrado. Para o caminho da dedicação única à salvação, o fundamental é o Serviço Sagrado, sem o qual seria impossível a reforma do mundo para o de vida plena de alegria. É por esse motivo que, por várias vezes, apressou com severidade a realização do Serviço. Também, instruiu sobre estar totalmente de acordo com a intenção do Parens, de colocar o espírito de dedicação a Deus acima de tudo. Eles não tinham coragem de realizar o Serviço com medo da perseguição policial.Aessas pessoas, ensinou obstinadamente sobre a ordem das coisas, indicando-lhes os pontos que deveriam ser refletidos. E, finalmente, chegando a explanar: “Temem a lei ou temem a Deus?”, incentivou a determinação da prática o Serviço Sagrado.

Esta é uma instrução que não foi feita apenas às pessoas daquela época. Deixou esclarecida a disposição espiritual que devemos ter quando houver o conflito entre o espírito da dedicação única à salvação e as cogitações humanas. Ao terminarem o Serviço Sagrado sem problemas, todos estavam extremamente animados, crentes que, com isso, Oyassama restabeleceria a saúde. Mas, se depararam com uma notícia inacreditável. Assustados, caíram em total desânimo e, desesperados, não paravam de chorar. Nesse momento, receberam através de Izo Iburi o seguinte Ossashizu: “Nivelarei a terra. Estão todos reunidos? Compreendam bem. O que disse até agora deixei colocado na caixa da verdade. Porém, como saí abrindo o portal, por amor aos filhos, encurtei 25 anos da vida que o Parens tinha ainda pela frente e começo a salvação a partir de agora. Fiquem observando bem. Fiquem observando bem o que foi até agora e o que será doravante. Perguntei se desejavam a terra nivelada abrindo o portal ou fechando-o. Não disseram para nivelar a terra abrindo o portal? Fiz como desejaram. Até agora havia algo que queria dar aos filhos. Porém, não pude dar devidamente. Doravante, será entregue gradualmente. Ouçam bem.” Com essas palavras, todos finalmente conseguiram recobrar os ânimos.

No capítulo 10 da minuta da Vida de Oyassama, há o seguinte: “Deixou subitamente o corpo, encurtando 25 anos da vida que tinha ainda pela frente, a fim de incentivar a maturação espiritual dos homens, seus filhos, em virtude do seu amor.” Podemos perceber nas palavras “... seus filhos, em virtude do seu amor”, o sentimento com relação às pessoas próximas, que estavam submetidas a uma lamentável situação, de não conseguirem realizar o Serviço, por não quererem que Oyassama, com idade já avançada, passasse pelo sacrifício de ser levada presa. Além disso, acredito que há também a intenção do Parens, de colocar em prática, sem demora, o caminho da dedicação única à salvação para todos os filhos. Mas, quão deve ter sido o sentimento do Parens, a ponto de precisar encurtar a vida, por amor aos filhos. Oyassama, por longos 50 anos, através da boca e do pincel, transmitiu a intenção de Deus-Parens, ensinou o Serviço Sagrado, e entregou o Sazuke. Não apenas preparou o caminho da dedicação única à salvação mas, mostrou pessoalmente a vida-modelo, deixando estabelecido o caminho que deve ser trilhado pelos yoboku. Dessa forma, os filhos do Caminho, pedindo a salvação a Oyassama e solicitando orientações, vieram trilhando

amparados nela. Foi-lhes ensinado que a vida determinada era de 115 anos, por isso, acreditavam e desejavam que, com certeza, ela ainda os conduzisse. A estes filhos que já tinha ensinado o suficiente e baseando-se no que foi ensinado, cada um deveria refletir e procurar a maneira de passar correspondendo à intenção de Deus a partir de agora. Para isso, deveriam unir as forças, visando a vida plena de alegria, através do caminho da dedicação única à salvação. Oyassama não apenas incentivou para que trilhassem o caminho por conta própria, como também, mesmo ocultando-se fisicamente, ainda hoje, proteje e guia todos os filhos com a razão da alma eternamente viva. No Ossashizu a que me referi anteriormente há o seguinte: “Até agora havia algo que queria dar aos filhos. Porém, não pude dar devidamente. Doravante, será entregue gradualmente”. Isto significa que, devido ao amor parental, entregará amplamente o Dom do Sazuke. Quando disse: “começo a salvação a partir de agora”, o caminho fundamental desta salvação está no Serviço Sagrado. Por esse motivo, apressou veementemente a realização deste Serviço, mostrando através do agravamento do seu estado de saúde. Dessa maneira, para a salvação das doenças, a partir de agora, entregará amplamente o Dom do Sazuke, que é a razão da eficácia, pois a intenção é trabalhar através dessa razão mesmo depois de ocultar-se fisicamente. Foi ensinado que o Sazuke é o custeio da viagem. É aquilo em que podemos confiar durante a caminhada da salvação, a que podemos recorrer para conseguirmos amparo ao passarmos por um caminho. Os filhos do caminho que receberam o Dom do Sazuke, dedicaram-se aos trabalhos de salvação como instrumentos de Oyassama. E as maravilhosas salvações mostradas através da ministração do Sazuke, proporcionaram a convicção de que Oyassama estava guiando-os eternamente presente. Dessa maneira, se empenharam cada vez mais ao missionamento, com isso, o caminho cresceu e se expandiu de

Jornal Tenri

Palestra 7

março de 2009

maneira estrondosa. A maior prova da Oyassama eternamente viva são as Indicações Divinas transmitidas através do Honseki. Por ter nos instruído através dos Ossashizu, é que podemos saber que Oyassama está trabalhando tal como se estivesse fisicamente presente. No ano seguinte ao ocultamento físico, apesar de terem conseguido a autorização para a instalação da Sede da Igreja, ainda havia os ataques da sociedade e a perseguição das autoridades. Oyassama conduziu com as Indicações Divinas por esse difícil caminho trilhado sob repressão, indicando os pontos fundamentais da razão e, dessa forma, foi construindo as bases do que é a instituição religiosa atual. Mesmo depois da independência da Igreja, conseguimos superar o período de rigoroso controle religioso a que fomos submetidos, graças às Indicações Divinas. É uma inestimável consideração de Oyassama. Atualmente, realizamos o Serviço Sagrado todos os meses, com a maior naturalidade. Acredito que, em muitas igrejas, realizam o Serviço de maneira aparentemente melhor do que fora realizado naquele dia, em 1887. Entretanto, se está realmente sendo satisfatório a Deus-Parens, lamento dizer que ainda falta muito.Apesar dos instrumentos sagrados estarem incompletos, Oyassama aceitou o espírito sincero dos membros que realizaram o Serviço Sagrado, exatamente como fora ensinado, amparando-se totalmente em Deus-Parens e deixando de lado os pensamentos e cogitações humanas. É importante realizar o Serviço com os membros completos, na Dança das Mãos e nos Instrumentos Sagrados, porém, mais importante é executar com união espiritual, para que Deus aceite a sinceridade dos executantes. Se todos completos executarem logo o Serviço e os próximos se animarem, Deus também se animará. Ofu. I-11 Refletindo com o espírito realmente animado, e amparados em Deus, executem o Serviço Alegre. Ofu. IV-49 Neste preparo para ensinar gradualmente o Serviço, purifico por completo o íntimo do coração. Ofu. VII-95 Quanto ao Serviço, não pensem ser outra coisa senão o meu desejo único de salvar todos. Ofu. XVI-65 Ou seja, é o Serviço Sagrado realizado com os espíritos radiantes e unidos, para animar e contentar Deus-Parens.

Também, é o Serviço executado com alegria inteiramente amparado em DeusParens, refletindo sobre a vontade divina e estabelecendo-a no coração. Assim, é importante limpar as poeiras do coração e realizar com o espírito purificado. Além disso, no que se refere ao Serviço da Salvação, é importante realizaremno, assimilando no corpo a intenção da dedicação única à salvação. O que é explanado nestes versos do Ofudessaki, refere-se especialmente ao Serviço de

É preciso transmitir para as crianças a importância e alegria de seguir esta fé Kagura, que é realizado em Jiba, mas da mesma maneira, pode-se dizer que tem relação com o Serviço realizado nas igrejas das diversas localidades dos países, que recebem essa mesma razão. Hoje em dia, podemos realizar o Serviço e seguir esta fé sem nenhuma interferência ou opressão. De fato, não existe mais nenhuma pressão externa que nos impossibilite divulgar de acordo com os ensinamentos. Por outro lado, existe a preocupação de que, cada um possa distorcer os ensinamentos por conveniência própria, por deixarem-se levar pelas cogitações humanas ou pelos costumes da sociedade. Logicamente, não existir mais pressão externa é muito gratificante, por isso, fazendo bom proveito desta vantagem, desejo que tenham ânimo e disposição para executarem tudo o que estiver ao seu alcance. Por ter havido esse acúmulo de fatos e experiências, em quaisquer circunstâncias ou momentos, sem perder a calma e com confiança, é que podemos seguir conforme a intenção divina. Bem, como todos sabem, há a meta estabelecida pelas três associações, Associação Feminina, Associação dos Moços e Associação Infanto-Juvenil: “vamos reverenciar na igreja acompanhados dos filhos”. Este Caminho visa o mundo da vida plena de alegria e felicidade para todas

as pessoas, por isso, devemos transmitir, divulgar e aprofundar os ensinamentos para todas as gerações futuras. Por conseguinte, é preciso transmitir para as crianças, a importância e a alegria de seguir esta fé, cultivando e formando os futuros seguidores das próximas gerações, que serão os sucessores do Caminho. Para isso, acima de tudo, é importante que os pais, cuja função é cultivar e educar, frequentem a igreja. Ao nosso redor, existem muito mais pessoas que não seguem este Caminho, do que as que seguem. Nesse ambiente, caso se afastem da igreja, naturalmente acabarão esquecendo os ensinamentos. Por outro lado, se frequentarem a igreja, poderão sentir que estão ligados a este Caminho e não se esquecerão da intenção de Deus-Parens. Quanto aos pais, quando forem à igreja, peço que façam o máximo possível para levarem seus filhos. Seria ótimo, se toda a família unida pudesse fazer a reverência diária, ou reverenciar no dia da Cerimônia Mensal. Porém, na prática, sabemos que isso é difícil, por causa do trabalho e da escola. Nesses casos, gostaria que se esforçassem em encontrar meios para ir à igreja, reverenciar após o término do trabalho juntamente com os filhos que voltam da escola, ou num domingo. Ainda, há muitas pessoas que moram distantes da igreja filiada. Mesmo assim, gostaria que pelo menos uma vez por ano fossem à igreja, e no dia-a-dia a uma igreja próxima, procurando se

Todas as igrejas são locais que receberam a razão de Jiba dedicar firmemente para manterem-se ligados a Deus-Parens e a Oyassama. Pode parecer difícil ir a uma igreja a qual não estão filiados, mas todas as igrejas são locais que receberam a razão de Jiba. Por isso, peço a todos os condutores de igreja que tenham o sentimento de ajudarem-se mutuamente, mesmo não pertencendo à mesma igreja, para assim, se animarem e se desenvolverem.

Através da frequência dos próprios pais à igreja, é mostrada dentro do cotidiano a importância de dedicar-se a Deus. Assim, um dia, os filhos sendo educados dentro desse cotidiano, passam a participar das diversas atividades da igreja, a começar pelo Serviço Sagrado. Para a criança, isso se torna um local de apoio espiritual, sendo a base para receber a graça de levar uma excelente vida, além da harmonia no lar, e se encarregarão de dar continuidade à parte do trabalho da salvação mundial. A vida plena de alegria desejada pelo Parens original é que seus filhos vivam em completa harmonia familiar. Nós, que também assim almejamos, precisamos colocar em prática esta harmonia, para que isso seja refletida na sociedade. Peço a todos que se empenhem mais em fazer as pessoas frequentarem a igreja com a família unida, pois é o local para a prática da salvação e para a evolução espiritual. Na atual sociedade, com a tendência de desunião, isso se torna ainda mais importante. Atualmente, a começar pela recessão econômica , fala-se muito sobre assuntos tristes e desanimadores. Mas não é por estarmos deixando de receber as providências de Deus-Parens; continuamos a recebê-las sem nenhuma alteração. Os problemas tem sido ocasionados pelo mau uso espiritual dos seres humanos. Nós, que conhecemos a intenção divina, se direcionarmos os olhos para as grandes providências recebidas inalteradamente, notaremos que há muito que agradecer e se contentar. Devemos ajudar as pessoas desanimadas, redirecinando os seus espíritos para não desperdiçarem as providências que nos são concedidas. Não é fácil mudar as tendências do mundo, mas também não podemos deixar ser levados por elas. Se trilharmos animadamente, esse ânimo irá refletir nas pessoas à nossa volta. E, com o acúmulo desta dedicação, acredito que o mundo irá tornar-se mais alegre. Devemos transmitir o ensinamento a um grande número de pessoas, convidando-as para o caminho da verdadeira alegria, avançando de mãos dadas rumo ao mundo da plena de alegria. Por ser uma época de instabilidade, de um futuro incerto, é que precisamos estar ainda mais preparados; é a oportunidade para nós yoboku, sairmos para a divulgação e a salvação.


6 Palestra

março de 2009

Jornal Tenri

Avançar de mãos dadas

H

Palestra do Shimbashira na Grande Cerimônia de 26 de janeiro de 2009

á pouco, realizamos o Serviço de Kagura e a Dança das Mãos da Grande Cerimônia de Janeiro. O que vem à minha mente é a situação da Residência há 122 anos. Naquele dia, Oyassama estava descansando na Casa de Repouso, situada ao norte do Local do Serviço, que foi realizado ao ar livre, ao redor de Jiba, onde, depois que o Kanrodai fora confiscado, havia um amontoado de pequenas pedras. Cercados pelos milhares de seguidores que vieram reverenciar, imagino os semblantes dos membros do Serviço, preparados para qualquer situação, realizando o Serviço desejando unicamente o restabelecimento da saúde de Oyassama. O ambiente que os cercava era extremamente tenso e ao término do Serviço, Oyassama ocultou-se fisicamente. O significado da realização da Grande Cerimônia de Janeiro está na reflexão da intenção do Parens, contido naquele dia, 26 de janeiro de 1887, ou seja, no dia original. Além disso, é para refletirmos sobre o que se passava no coração das pessoas próximas, e repensarmos a maneira de como estamos agindo atualmente, para renovar o espírito da caminhada da dedicação única à salvação. Oyassama instruiu através do seu estado de saúde sobre a importância de se realizar o Serviço Sagrado. Para o caminho da dedicação única à salvação, o fundamental é o Serviço Sagrado, sem o qual seria impossível a reforma do mundo para o de vida plena de alegria. É por esse motivo que, por várias vezes, apressou com severidade a realização do Serviço. Também, instruiu sobre estar totalmente de acordo com a intenção do Parens, de colocar o espírito de dedicação a Deus acima de tudo. Eles não tinham coragem de realizar o Serviço com medo da perseguição policial.Aessas pessoas, ensinou obstinadamente sobre a ordem das coisas, indicando-lhes os pontos que deveriam ser refletidos. E, finalmente, chegando a explanar: “Temem a lei ou temem a Deus?”, incentivou a determinação da prática o Serviço Sagrado.

Esta é uma instrução que não foi feita apenas às pessoas daquela época. Deixou esclarecida a disposição espiritual que devemos ter quando houver o conflito entre o espírito da dedicação única à salvação e as cogitações humanas. Ao terminarem o Serviço Sagrado sem problemas, todos estavam extremamente animados, crentes que, com isso, Oyassama restabeleceria a saúde. Mas, se depararam com uma notícia inacreditável. Assustados, caíram em total desânimo e, desesperados, não paravam de chorar. Nesse momento, receberam através de Izo Iburi o seguinte Ossashizu: “Nivelarei a terra. Estão todos reunidos? Compreendam bem. O que disse até agora deixei colocado na caixa da verdade. Porém, como saí abrindo o portal, por amor aos filhos, encurtei 25 anos da vida que o Parens tinha ainda pela frente e começo a salvação a partir de agora. Fiquem observando bem. Fiquem observando bem o que foi até agora e o que será doravante. Perguntei se desejavam a terra nivelada abrindo o portal ou fechando-o. Não disseram para nivelar a terra abrindo o portal? Fiz como desejaram. Até agora havia algo que queria dar aos filhos. Porém, não pude dar devidamente. Doravante, será entregue gradualmente. Ouçam bem.” Com essas palavras, todos finalmente conseguiram recobrar os ânimos.

No capítulo 10 da minuta da Vida de Oyassama, há o seguinte: “Deixou subitamente o corpo, encurtando 25 anos da vida que tinha ainda pela frente, a fim de incentivar a maturação espiritual dos homens, seus filhos, em virtude do seu amor.” Podemos perceber nas palavras “... seus filhos, em virtude do seu amor”, o sentimento com relação às pessoas próximas, que estavam submetidas a uma lamentável situação, de não conseguirem realizar o Serviço, por não quererem que Oyassama, com idade já avançada, passasse pelo sacrifício de ser levada presa. Além disso, acredito que há também a intenção do Parens, de colocar em prática, sem demora, o caminho da dedicação única à salvação para todos os filhos. Mas, quão deve ter sido o sentimento do Parens, a ponto de precisar encurtar a vida, por amor aos filhos. Oyassama, por longos 50 anos, através da boca e do pincel, transmitiu a intenção de Deus-Parens, ensinou o Serviço Sagrado, e entregou o Sazuke. Não apenas preparou o caminho da dedicação única à salvação mas, mostrou pessoalmente a vida-modelo, deixando estabelecido o caminho que deve ser trilhado pelos yoboku. Dessa forma, os filhos do Caminho, pedindo a salvação a Oyassama e solicitando orientações, vieram trilhando

amparados nela. Foi-lhes ensinado que a vida determinada era de 115 anos, por isso, acreditavam e desejavam que, com certeza, ela ainda os conduzisse. A estes filhos que já tinha ensinado o suficiente e baseando-se no que foi ensinado, cada um deveria refletir e procurar a maneira de passar correspondendo à intenção de Deus a partir de agora. Para isso, deveriam unir as forças, visando a vida plena de alegria, através do caminho da dedicação única à salvação. Oyassama não apenas incentivou para que trilhassem o caminho por conta própria, como também, mesmo ocultando-se fisicamente, ainda hoje, proteje e guia todos os filhos com a razão da alma eternamente viva. No Ossashizu a que me referi anteriormente há o seguinte: “Até agora havia algo que queria dar aos filhos. Porém, não pude dar devidamente. Doravante, será entregue gradualmente”. Isto significa que, devido ao amor parental, entregará amplamente o Dom do Sazuke. Quando disse: “começo a salvação a partir de agora”, o caminho fundamental desta salvação está no Serviço Sagrado. Por esse motivo, apressou veementemente a realização deste Serviço, mostrando através do agravamento do seu estado de saúde. Dessa maneira, para a salvação das doenças, a partir de agora, entregará amplamente o Dom do Sazuke, que é a razão da eficácia, pois a intenção é trabalhar através dessa razão mesmo depois de ocultar-se fisicamente. Foi ensinado que o Sazuke é o custeio da viagem. É aquilo em que podemos confiar durante a caminhada da salvação, a que podemos recorrer para conseguirmos amparo ao passarmos por um caminho. Os filhos do caminho que receberam o Dom do Sazuke, dedicaram-se aos trabalhos de salvação como instrumentos de Oyassama. E as maravilhosas salvações mostradas através da ministração do Sazuke, proporcionaram a convicção de que Oyassama estava guiando-os eternamente presente. Dessa maneira, se empenharam cada vez mais ao missionamento, com isso, o caminho cresceu e se expandiu de

Jornal Tenri

Palestra 7

março de 2009

maneira estrondosa. A maior prova da Oyassama eternamente viva são as Indicações Divinas transmitidas através do Honseki. Por ter nos instruído através dos Ossashizu, é que podemos saber que Oyassama está trabalhando tal como se estivesse fisicamente presente. No ano seguinte ao ocultamento físico, apesar de terem conseguido a autorização para a instalação da Sede da Igreja, ainda havia os ataques da sociedade e a perseguição das autoridades. Oyassama conduziu com as Indicações Divinas por esse difícil caminho trilhado sob repressão, indicando os pontos fundamentais da razão e, dessa forma, foi construindo as bases do que é a instituição religiosa atual. Mesmo depois da independência da Igreja, conseguimos superar o período de rigoroso controle religioso a que fomos submetidos, graças às Indicações Divinas. É uma inestimável consideração de Oyassama. Atualmente, realizamos o Serviço Sagrado todos os meses, com a maior naturalidade. Acredito que, em muitas igrejas, realizam o Serviço de maneira aparentemente melhor do que fora realizado naquele dia, em 1887. Entretanto, se está realmente sendo satisfatório a Deus-Parens, lamento dizer que ainda falta muito.Apesar dos instrumentos sagrados estarem incompletos, Oyassama aceitou o espírito sincero dos membros que realizaram o Serviço Sagrado, exatamente como fora ensinado, amparando-se totalmente em Deus-Parens e deixando de lado os pensamentos e cogitações humanas. É importante realizar o Serviço com os membros completos, na Dança das Mãos e nos Instrumentos Sagrados, porém, mais importante é executar com união espiritual, para que Deus aceite a sinceridade dos executantes. Se todos completos executarem logo o Serviço e os próximos se animarem, Deus também se animará. Ofu. I-11 Refletindo com o espírito realmente animado, e amparados em Deus, executem o Serviço Alegre. Ofu. IV-49 Neste preparo para ensinar gradualmente o Serviço, purifico por completo o íntimo do coração. Ofu. VII-95 Quanto ao Serviço, não pensem ser outra coisa senão o meu desejo único de salvar todos. Ofu. XVI-65 Ou seja, é o Serviço Sagrado realizado com os espíritos radiantes e unidos, para animar e contentar Deus-Parens.

Também, é o Serviço executado com alegria inteiramente amparado em DeusParens, refletindo sobre a vontade divina e estabelecendo-a no coração. Assim, é importante limpar as poeiras do coração e realizar com o espírito purificado. Além disso, no que se refere ao Serviço da Salvação, é importante realizaremno, assimilando no corpo a intenção da dedicação única à salvação. O que é explanado nestes versos do Ofudessaki, refere-se especialmente ao Serviço de

É preciso transmitir para as crianças a importância e alegria de seguir esta fé Kagura, que é realizado em Jiba, mas da mesma maneira, pode-se dizer que tem relação com o Serviço realizado nas igrejas das diversas localidades dos países, que recebem essa mesma razão. Hoje em dia, podemos realizar o Serviço e seguir esta fé sem nenhuma interferência ou opressão. De fato, não existe mais nenhuma pressão externa que nos impossibilite divulgar de acordo com os ensinamentos. Por outro lado, existe a preocupação de que, cada um possa distorcer os ensinamentos por conveniência própria, por deixarem-se levar pelas cogitações humanas ou pelos costumes da sociedade. Logicamente, não existir mais pressão externa é muito gratificante, por isso, fazendo bom proveito desta vantagem, desejo que tenham ânimo e disposição para executarem tudo o que estiver ao seu alcance. Por ter havido esse acúmulo de fatos e experiências, em quaisquer circunstâncias ou momentos, sem perder a calma e com confiança, é que podemos seguir conforme a intenção divina. Bem, como todos sabem, há a meta estabelecida pelas três associações, Associação Feminina, Associação dos Moços e Associação Infanto-Juvenil: “vamos reverenciar na igreja acompanhados dos filhos”. Este Caminho visa o mundo da vida plena de alegria e felicidade para todas

as pessoas, por isso, devemos transmitir, divulgar e aprofundar os ensinamentos para todas as gerações futuras. Por conseguinte, é preciso transmitir para as crianças, a importância e a alegria de seguir esta fé, cultivando e formando os futuros seguidores das próximas gerações, que serão os sucessores do Caminho. Para isso, acima de tudo, é importante que os pais, cuja função é cultivar e educar, frequentem a igreja. Ao nosso redor, existem muito mais pessoas que não seguem este Caminho, do que as que seguem. Nesse ambiente, caso se afastem da igreja, naturalmente acabarão esquecendo os ensinamentos. Por outro lado, se frequentarem a igreja, poderão sentir que estão ligados a este Caminho e não se esquecerão da intenção de Deus-Parens. Quanto aos pais, quando forem à igreja, peço que façam o máximo possível para levarem seus filhos. Seria ótimo, se toda a família unida pudesse fazer a reverência diária, ou reverenciar no dia da Cerimônia Mensal. Porém, na prática, sabemos que isso é difícil, por causa do trabalho e da escola. Nesses casos, gostaria que se esforçassem em encontrar meios para ir à igreja, reverenciar após o término do trabalho juntamente com os filhos que voltam da escola, ou num domingo. Ainda, há muitas pessoas que moram distantes da igreja filiada. Mesmo assim, gostaria que pelo menos uma vez por ano fossem à igreja, e no dia-a-dia a uma igreja próxima, procurando se

Todas as igrejas são locais que receberam a razão de Jiba dedicar firmemente para manterem-se ligados a Deus-Parens e a Oyassama. Pode parecer difícil ir a uma igreja a qual não estão filiados, mas todas as igrejas são locais que receberam a razão de Jiba. Por isso, peço a todos os condutores de igreja que tenham o sentimento de ajudarem-se mutuamente, mesmo não pertencendo à mesma igreja, para assim, se animarem e se desenvolverem.

Através da frequência dos próprios pais à igreja, é mostrada dentro do cotidiano a importância de dedicar-se a Deus. Assim, um dia, os filhos sendo educados dentro desse cotidiano, passam a participar das diversas atividades da igreja, a começar pelo Serviço Sagrado. Para a criança, isso se torna um local de apoio espiritual, sendo a base para receber a graça de levar uma excelente vida, além da harmonia no lar, e se encarregarão de dar continuidade à parte do trabalho da salvação mundial. A vida plena de alegria desejada pelo Parens original é que seus filhos vivam em completa harmonia familiar. Nós, que também assim almejamos, precisamos colocar em prática esta harmonia, para que isso seja refletida na sociedade. Peço a todos que se empenhem mais em fazer as pessoas frequentarem a igreja com a família unida, pois é o local para a prática da salvação e para a evolução espiritual. Na atual sociedade, com a tendência de desunião, isso se torna ainda mais importante. Atualmente, a começar pela recessão econômica , fala-se muito sobre assuntos tristes e desanimadores. Mas não é por estarmos deixando de receber as providências de Deus-Parens; continuamos a recebê-las sem nenhuma alteração. Os problemas tem sido ocasionados pelo mau uso espiritual dos seres humanos. Nós, que conhecemos a intenção divina, se direcionarmos os olhos para as grandes providências recebidas inalteradamente, notaremos que há muito que agradecer e se contentar. Devemos ajudar as pessoas desanimadas, redirecinando os seus espíritos para não desperdiçarem as providências que nos são concedidas. Não é fácil mudar as tendências do mundo, mas também não podemos deixar ser levados por elas. Se trilharmos animadamente, esse ânimo irá refletir nas pessoas à nossa volta. E, com o acúmulo desta dedicação, acredito que o mundo irá tornar-se mais alegre. Devemos transmitir o ensinamento a um grande número de pessoas, convidando-as para o caminho da verdadeira alegria, avançando de mãos dadas rumo ao mundo da plena de alegria. Por ser uma época de instabilidade, de um futuro incerto, é que precisamos estar ainda mais preparados; é a oportunidade para nós yoboku, sairmos para a divulgação e a salvação.


8 Depoimento

março de 2009

Jornal Tenri

Minha história - uma reflexão

No ano comemorativo do centenário da imigração japonesa no Brasil, completei 75 anos de vida em solo brasileiro. Vou contar uma história ocorrida em 1953 ou 54. “Okamura-san, vou receber mudas de sakura (flor de cerejeira) enviadas lá da minha terra natal. Como não conheço Santos, gostaria que fosse comigo, pois soube que o senhor tem ido lá de vez em quando” – perguntou o senhor Chujiro Otake, vindo de São Paulo. Meu marido prontificou-se em acompanhá-lo e algum tempo depois foram a Santos, e, com a ajuda do proprietário do hotel Mikasaya, retiraram da alfândega 100 mudas de sakura. Em agradecimento, meu marido recebeu duas mudas. Ao retornar, notificou a condutora Hatsue entregando-lhe as mudas. Ela as observou por um bom tempo e disse: “Niisan (irmão mais velho), infelizmente, uma delas deve secar”. “Por que a senhora diz isso?”- perguntou o meu marido espantado. “Esta muda não tem nó. Sem nó, não cresce e secará. Mas, por via das dúvidas, plante-as”. Desse modo, meu marido plantou as mudas, dedicando-lhes os mesmos cuidados. Mas, realmente, uma delas não vingou, conforme palavras da condutora. Muitas vezes, o nó da árvore é tão pequeno, que é difícil identificar. Entretanto, com o passar dos anos, e chegando a época oportuna, dele surgirá um pequeno broto que se transformará em pequenas folhas e ramos, daí surgirão novamente novos brotos e ramos que, gradualmente, formar-se-ão novos galhos e finalmente resultarão em flores e frutos. Relembrando-me daquelas palavras, sinto que esse nó representa não só a vida da planta, mas também a nossa. A nossa existência atual são as virtudes dos nossos pais avós, bisavós, e seus ancestrais que

vieram renascendo através do tempo. Acredito que cada geração transmite uma herança de virtudes de nossos ancestrais. Assim, percebo que a virtude se compara ao nó das árvores. Qual o significado da virtude? É o dom de criar, educar com todo amor e carinho, ser misericordioso, ter compaixão; é ter espírito de dedicar-se, de iniciativa, de ajuda mútua, de praticar ação em função de outros; é ter o espírito capaz de encorajar, de incentivar as pessoas; e ainda ter o espírito de satisfação sincera, e de transformar tristezas, sacrifícios e sofrimentos num espírito de alegria e incentivo. É o estudo da vida, estudo do cotidiano tendo como adubo as virtudes recebidas para alcançar o amadurecimento social e espiritual. Neste mundo vivem bilhões de pessoas. Todos são iguais como seres humanos, pois têm olhos, orelhas, boca, nariz, braços e pernas, órgão reprodutor e outros. Porém, a aparência, o caráter, a personalidade varia de pessoa a pessoa. Não há duas pessoas iguais neste mundo. Assim que chego à igreja, a primeira coisa que avisto é a grande placa escrita “Igreja Tenrikyo de Três Barras”. E, é com muita felicidade que mensalmente me encontro com os senhores fiéis, o que acredito que é pela vontade divina. Quando penso com profundidade, percebo que fui doutrinada de que Tenri significa o universo a que pertencemos, inclusive o planeta terra em que vivemos. E, compreendo desta forma, o ensinamento de Oyassama diz que não existe outro Deus, a não ser o Fogo, a Água e o Vento. Fogo representa o sol, a luz, o calor do nosso corpo. Água representa a umidade do corpo, e que recebe a influência da lua. E o vento representa o ar que respiramos. Estas três forças dão vida a todos os seres deste mundo - este é o ensinamento da Tenrikyo. Tenri é a própria obra da natureza, é a graça da sobrevivência, isto é, a graça recebida de Deus. Se neste mundo nascessem dez homens, teríamos

dez cores diferentes; se nascessem cem, seriam cem cores diferentes. Essa diferença é a virtude que cada um recebe de seus ancestrais. Acredito que ninguém é de fato perfeito. Portanto, é natural que haja pessoas diferentes, com habilidades e preferências diferentes. Assim, devemos reconhecer e respeitar a individualidade de cada pessoa, confiar e complementar aquilo que falta através da compreensão, da cooperação e de ajuda mútua, daí surgirá um lar feliz, nascerá boas amizades entre vizinhanças e, consequentemente, haverá progresso nas vilas e nos povoados, que contribuirão na formação do indivíduo social e útil à comunidade. Na convivência com os senhores que, animadamente, cumprem os afazeres da igreja, sinto ainda mais a presença e proteção de Deus-Parens. Tudo que vejo, ouço ou sinto, é algo milagroso. Neste mundo, onde a civilização progride cada vez mais e o homem é capaz de criar e idealizar tantas coisas, fico a imaginar o quanto ainda poderão evoluir. Agradeço a Deus-Parens por ter me propiciado esta longevidade, permitindo acompanhar os senhores que animadamente participam das atividades da igreja, seguindo sempre as orientações divinas. O Hino Sagrado, do Yorozuyo até o Hino XII, é cantado e acompanhado pelos movimentos das mãos e mostra em detalhes o desejo de Deus-Parens e o caminho que os homem devem seguir. A realidade é que estamos vivos porque somos vivificados. A graça da natureza, a proteção de Deus-Parens é algo que não podemos mudar, pois é absoluto. Não devemos nos esquecer que somos nós que recebemos toda esta proteção, com tal exatidão, que sequer permite um mínimo de erro. Amparados nesta fé e tendo em vista o amadurecimento espiritual, faço votos que, juntos, caminhemos o dia a dia com muita alegria e ânimo. *Michi Okamura, esposa do 3º condutor da Igreja Três Barras, atualmente com 96 anos de idade.

≡ O corpo ≡ Foi-nos ensinado que Deus-Parens criou o mundo e os seres humanos para compartilhar da Vida Plena de Alegria que os seus filhos desfrutassem. Isto significa que temos a garantia de que qualquer ser humano pode alcançar a Vida Plena de Alegria e Felicidade. Contudo, para atingirmos esse objetivo, devemos utilizar adequadamente este

corpo emprestado por Deus-Parens. Exemplificando, imaginemos os nossos olhos, os ouvidos, o nariz e a boca. - Os olhos existem para enxergamos, e assim, sentir alegria; - Os ouvidos existem para ouvirmos, e assim, sentir alegria ; - O nariz existe para percebermos o olfato, e assim, sentir alegria;

- A boca existe para que possamos dizer palavras que proporcione alegria às pessoas. Além disso, é explicado que os olhos, os ouvidos são dois e o nariz possui dois orifícios para que possamos discernir o bem do mal. Todavia, a boca é uma, justamente para que não seja dito nada mais além do bem.

Jornal Tenri

Família Brasil 5

março de 2009

Curtas 208º Curso de Doutrina Realizado na Sede Missionária, entre os dias 9 e 13 de fevereiro, com 5 participantes, todos concluintes. Professores: Massahiro Kimura, Kiyoshi Hasegawa, Harumi Kataoka, Makoto Mukai (responsável da classe, Dança Sacra), Yoshinobu Otake. Orientadora feminino: Mitsuko Takemura Participantes por filiação: Três Barras (1), São Paulo (1), Brasil Hoyo (1), Hokuyu Brasil (1), Mihaku (1). Pessoas que receberam o Dom do Sazuke (janeiro/09) dia 5 – Viviane Tomomi Nakano (Santo Amaro); Eduardo Takao Yoshikawa (Santo Amaro); Cristiane Tomoe Nakano (Santo Amaro); Erika Terumi Nakano (Santo Amaro); Tadao Takahata (Santo Amaro) dia 13 – Tadashi Nakahara (Saikai Brasil); Hugo Masayoshi Yoshimura (Tenryu Brasil) dia 18 – Ivan Koji Murakami (Promissão) dia 24 – Elson Ferreira dos Santos (Hope) Realizado o 98º Shuyokai do Brasil Entre os dias 11 de janeiro e 7 de fevereiro, equivalente ao 812º Shuyoka da Sede da Igreja, em três idiomas, português (42 pessoas), japonês (11 pessoas) e espanhol (6 pessoas). Professores: -Classe português (Doutrina, Instrumentos Musicais, responsável da classe – Paulo Matsunobu; Vida de Oyassama, Instrumentos Musicais – Massako Uchiyama, Kiyomi Ota; Hinos Sagrados, Dança Sacra – Roberto Tanaka, Milton Kassahara) - Classe japonês (Doutrina, Instrumentos Musicais, responsável da classe – Shoji Sakaguchi, Mitsuzo Nakanishi; Vida de Oyassama – Assaji Tanaka, Tsutomu Imai; Hinos Sagrados, Dança Sacra – Masaru Ishii, Masahiro Yoshimura) - Classe espanhol (Doutrina – Chitoshi Moriguchi; Vida de Oyassama – Setsuko Ando de Perez;

Hinos Sagrados – Moriguchi, Perez) - Instrumentos Musicais Feminino – Uchiyama, Shizuka Aizawa, Nami Ota, Yuka Sakai, Ota, Takako Onishi, Seika Kimura, Sakiko Sato. - Encarregado do cotidiano, auxiliar de Dança Sacra e Instrumentos Musicais Masculino – Yosuke Takeuchi e Koji Saito Cursistas Nilson Yoshihito Otake, Mariana Otake Yamada, Selma Yukari Ito (Bauru); Emiko Higashi Mizuta (Promissão); Roberto da Silva Rocha, Yuzie Pedro Manoel Nishikito, Tatiana Yuiko Matsuoka (Marília); Heitor Hatizuga Yoshida, Leandro Tetsuo Okamura, Milton Koiti Fujikawa (Três Barras); Hisanaga Iijima, Vítor Hideki de Lima Matsubara, Camila Takeko Kaquimoto, Maria de Lourdes Barbosa dos Santos (São Paulo); Katia Setsuko Kimura (Jussara); Sandra Hitomi Hamazaki Uno (Central);André Luiz Gusman (São Miguel); Kazuko Nishitani (Meishin Brasil); Daniel Kenji Kochi (Piratininga); Fabio Akira Kori (Daihakuyo); Alberto Takashi Hatsuga, Maurício Hitoshi Hatsuga (Brasil Nansho); Daniel Shoiti Nagano (Bandeirantes); Celso Fujita, Danilo Arcelino de Macêdo, João Bernardo da Silva, Paulo Sérgio da Silva, Vanessa Bezerra de Lima (Nordeste Hoyo); Airton Sussumu Kimura, Hugo Hajime Kimura (Cianorte); Emiri Asai (Meihakuiti); Robson Luis Santana dos Santos (Alvorada); Jennifer Maya Takeuchi (Miko Bastos); Giseli de Carvalho Souza (Tsuhakuryu); João Victor Ribeiro (Céu Azul Hoyo); Kenji Nakahara (Saikai Brasil); Carina Nogueira Yamaguchi (Brasil Tinzei); Viviane Hiromi Kitagawa (Cruzeiro do Sul); Shuri Ito (Meisei); Kumiko Hayashida (Kohaku); Kanae Maejima (Mihaku); Suzana Guimarães (Shimagahara Aracaju); Marcelo Toshiharu Sawada, Tony Hirodi Oshiro, Cristiane Mayumi Arakawa Oshiro (Santo André); Cristian Rodriguez Cubillas, Mario Cabrera Vazquez, Johana Vázquez, Ramona Coronel Escobar (Taiten Yguazu); Saori Yamashita (Yguazu Hoyo); Joaquin Nicolas Benitez, Karina Veronica Salvatori (Buenos Aires); Haruka Suzuki (Paraguay Hoyo);

Hikaru Kayama (Nakatsu); Takanori Kurokawa (Takamatsu); Haruyo Otake (Nankai); Hatsuko Komoda, Mitiko Komoda (Saikai); Mami Shimada (Tsugaru). Resumo das obras comemorativas Foi firmado contrato de contrução com a Construtora Mesquita, e estava prevista o início imediato, porém, devido a dias seguidos de chuva em janeiro, de fato, a construção foi iniciada em 2 de fevereiro. Para as obras de fundação foram determinados os pontos, e simultaneamente ao início da construção da base, também está em andamento as obras de reforço das paredes divisórias das casas circunvizinhas, que ficaram desestabilizadas após a terraplenagem. As obras de reforma da cozinha da residência de visita foram iniciadas no dia 9 de fevereiro. Alteração de número de telefone Igreja Penápolis: (18) 3821-1682

Nota de Retornamento Namiko Takeuchi Esposa do condutor anterior da Igreja Miko Bastos, retornou no dia 12 de fevereiro de 2009, aos 89 anos de idade, na cidade de Bastos-SP. O Culto de Homenagem e Despedida foi celebrado pelo reverendo Yoshitaka Senda, condutor da Igreja Mihai (Igreja-Mor Muya), no dia 13, na Igreja Miko Bastos, onde o corpo foi velado. O sepultamento ocorreu às 17:30 h, no Cemitério Municipal de Bastos. Familiares e parentes, ainda consternados pelo retornamento, vêm a público agradecer as manifestações de carinho e pesar recebidos. Informam que será realizada a oferenda para a Associação Itiretsu-kai do Brasil. O Culto de 50 Dias será celebrado no dia 22 de março, às 13 horas. Fukashi Takeuchi, familiares, parentes e fiéis da Igreja Miko Bastos

- UKEI

Assessoria Contábil / Assessoria Empresarial / Corretora de Seguros

Ukei Contábil “Tradição, Competência e Seriedade”

Desde 1967 - sede própria Rua Lino Coutinho, 1721, Ipiranga

(11) 2272-2511

e-mail: ukei@ukei.com.br – http://www.ukei.com.br

Rua Thomas Gonzaga, 92 - São Paulo TEL: 3271-3525, 3271-9238


março de 2009

Jornal Tenri

Jornal Tenri

Visão religiosa do mundo Cenário do discurso de posse de Barack Obama, presidente dos EUA - por Katsumi Shimada

Na tão esperada data, 20 de janeiro, mais de 1 milhão de pessoas acompanharam a cerimônia de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em Washington. Eleito como o primeiro presidente negro, Obama também é conhecido pela excelência de seus discursos. E com diversas questões a serem resolvidas, atual crise econômica, política externa entre outros assuntos, além dos americanos, o mundo inteiro centralizou a atenção no evento. Logo após o discurso de posse, o assunto repercutiu na mídia japonesa acompanhado de críticas de especialistas. Nesta edição abordarei principalmente sobre questões como religião e cultura, explicarei sobre os diversos problemas abrangendo este cenário e sobre o significado de suas colocações. Na minha visão, acredito que haja dois pontos importantes no discurso. Primeiro, é a palavra dirigida ‘diretamente ao povo muçulmano’, da atual questão norte-americana sobre o princípio dos problemas envolvendo a política externa; e, segundo, é a ‘diversidade religiosa dentro do continente norte-americano’, do atual crescimento de questões envolvendo religiões e culturas diversificadas. Sobre o primeiro ponto, o presidente Obama disse: Para o mundo muçulmano, buscamos um novo caminho, baseado em interesses e respeitos mútuos. Para aqueles líderes pelo mundo que buscam semear o conflito, ou culpam o Ocidente pelos males de suas sociedades, saibam que seus povos irão julgá-los a partir do que vocês podem construir, e não destruir. Para aqueles que se agarram ao poder por meio da fraude e da corrupção, saibam que estão no lado errado da história. Mas, nós estenderemos as mãos se estiverem dispostos a cooperar. Dentro do histórico de discursos de posses, o que marcou neste pronunciamento foi o fato do próprio presidente ter dirigido pessoalmente essas palavras aos muçulmanos , sem o uso de terceiros. Obviamente, há uma certa crítica ao mandato anterior, de George Bush, conhecido pela proposta de ‘combater o terrorismo’. Quem apoiava este plano de ação da política externa eram os Estados Unidos, os países aliados, e o país que praticava o terrorismo. Era a pressão de ‘que lado fica’ do pensamento dualista e visão alternativa de Bush. Na atual condição, é com base nessa orientação política que durante o mandato de Bush os Estados Unidos iniciaram a guerra no Afeganistão e Iraque, piorando ainda mais o relacionamento com o Irã. Lembrando que todas são nações islâmicas. As palavras dirigidas pelo presidente Obama diretamente ao mundo islâmico foi de grande repercussão, pois trata-se de sua postura clara de querer adotar uma ‘política externa de conciliação’,

Perfil Katsumi Shimada • Kyoto da Igreja Makinoshima • Graduação: Letras e Teologina (Univiversidade de Tenri) • Mestre e doutor: Estudos Religiosos (Universidade Tóquio) • Doutor: Teologia (Universidade de Harvard) É especialista em pensamento teológico cristão do final da Idade Média, no período do Renascimento, e em questões religiosas atuais.

mostrando sua diferença com Bush. No entanto, não estou apontando que o plano de Obama seja tolerante comparado ao mandato de Bush. O que há no significado destas palavras é que os conflitos entre os inúmeros islamitas ocorrem diplomatica e economicamente, nesta sequente relação de antagonismo, pode-se dizer que há um certo interesse nacional por parte dos Estados Unidos,;para Obama, trata-se da frieza no pensamento em identificar a realidade. Com certeza, a partir da visão religiosa, as circunstâncias do mundo atual, como o recente atentado terrorista ocorrido no final do ano passado em Mumbai, na Índia, entre outras questões ainda são evidentes com esta realidade a frente, Obama convida os muçulmanos ao diálogo a partir do ponto de vista ‘empírico’ e ‘pragmatico’. Porém, esta postura do presidente, após a estratégia política adotada por Bush, uma guinada de 180 graus seria correta? Conforme a clareza do discurso, tanto Obama quanto os Estados Unidos possuem forte convicção de que estão no lado correto da história, e assim como Bush, visualizam um mundo dualista. Observando de forma favorável, essa ‘justiça americana’, acima de tudo, trata-se apenas um profundo espírito nacionalista que mesmo Obama não conseguirá expressar facilmente uma postura reflexiva em público. Em seguida, abordarei o segundo ponto pronunciado pelo presidente Obama quanto a diversidade religiosa: Sabemos que nossa herança multicultural é uma força, não uma fraqueza. Somos uma nação de cristãos e muçulmanos, judeus e hindus - e ateus. Somos moldados por cada língua e cultura, de cada parte desta Terra. Quanto a este pronunciamento, uma parte da mídia japonesa fez críticas pelo fato de Obama não ter citado os parceiros ‘budistas’: “Obama deu pouca importância ao Japão que é um país budista

isso acaba refletindo em sua postura”. No entanto, isto não é um absurdo, pois no livro publicado em 2006 por Obama, “A Audácia da Esperança”, no Cap. VI - Fé, ele expressa de forma semelhante, mas citando o budismo. Entretanto, o que se deve dar mais atenção é para o fato de Obama ter acrescentado os ‘ateus’, sendo os Estados Unidos um país com ‘herança multicultural’. Esta palavra também foi a primeira dita num discurso de posse de presidente eleito dos Estados Unidos. Citar os ‘ateus’ em locais públicos era um tabu que não quebrado faz anos na história dos Estados Unidos. Obviamente, neste caso, o presidente não está afirmando ser um ‘ateu’. Obama passou a frequentar uma igreja católica voluntariamente aos 20 anos de idade, quando trabalhava como agente comunitário numa associação religiosa em Chicago. Até então, a religião para ele era algo inexistente. O ponto importante não está na visão religiosa de Obama e sim na base que é a ‘confiança política’. Provavelmente a palavra ‘inclusão’ se encaixaria bem nessa postura, ou seja: ‘possuir a postura de se dedicar às pessoas com opiniões e posições diversificadas’. Com certeza, Obama sucede também a política que Bush adotou durante o seu mandato, dos assuntos sérios e complexos, como ‘a guerra cultural’. Isto abrange desde questões sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o aborto, que se dividem entre os liberais e os ultra conservadores da igreja católica. Seu papel está, além de harmonizar este confronto entre ambos os lados, voltar sua atenção também para as ‘pessoas que não possuem fé’. Creio que a sua maior preocupação está em elevar o significado da aliança entre os cidadãos norteamericanos que possuem ou não fé, a união entre essas diferenças de valores religiosos. A primeira frase em seu discurso de posse não foi uma repetição de seus antecessores ‘Meu povo americano’ , mas, ‘Meus caros cidadãos’; uma famosa frase dita pelo primeiro presidente George Washington e o 19º presidente Hayes. Desde a época em que Obama advogou como agente comunitário em Chicago, seu estilo político vem sendo ressaltado. Com certeza, a postura política de Obama é com base na idéia de ‘cidadão’; pretende realizar a inclusão de todo o povo americano, não como ‘idealismo’, mas como uma ‘estratégia política’. Porém, não basta apenas relatar o ideal e a esperança para que as coisas acontençam. Tudo se torna possível, a visão clara e o conceito estratégico concreto, com a fé certeira do presidente Obama. do Jornal Tenri Jiho, de 15 de fevereiro de 2009

Missionamento Família 9

março de 2009

Compreendendo a Tenrikyo

Dom do Sazuke O Dom da Concessão Divina Sazuke é concedido através da solicitação com o espírito purificado após ouvir nove vezes a preleção do Besseki. O Okakissage entregue quando se recebe o Dom da Concessão é uma norma espiritual da vida. Deve-se ler repetidamente para compreendê-lo bem. O yoboku deve ministrar voluntariamente a Concessão (Sazuke) aos enfermos. DeusParens, aceitando a sinceridade do yoboku que deseja somente a salvação e a sinceridade da decisão espiritual da pessoa que recebe a ministração da Concessão (Sazuke), pode solucionar qualquer doença. Para isso, devemos transmitir a vontade de Deus-Parens que está promovendo a maturação espiritual através dos problemas físicos e fazer esforço para que o espírito do enfermo se aproxime dessa vontade. Nota O Dom da Concessão é entregue por Oyassama ao espírito sincero de dedicação única à salvação de cada solicitante através do Shimbashira. É o dom sublime como “...um presente para o país, um tesouro do país” (Indicação Divina (Ossashizu) de 30 de dezembro de 1898) Temos também: “...Mesmo os instrumentos, sejam de quão alto valor em dinheiro, se não houver a razão de espírito, nada adiantará” (Indicação Divina de 7 de julho de 1890), o ministrador do Sazuke deve ter a sinceridade verdadeira.

Seguindo os passos dos pioneiros -Passar com espírito único-

Um fato ocorrido em Nigata, em fevereiro de 1931. Uma senhora idosa que sofria de otite média, veio a Casa Missionária Mizuhara a procura de salvação. O médico havia lhe dito: “não posso garantir a sua vida mesmo que faça a cirurgia”, e essa senhora também dizia: “Se eu for internada no hospital e passar por uma cirurgia, sinto que irei morrer, por isso quero ser salvo pelo Deus desta Igreja, farei oferenda em valor correspondente às despesas com a cirurgia.” Então, um jovem chamado Yuji Hida, que estava se dedicando à essa casa missionária devido sua enfermidade no pulmão, determinando o espírito de realizar o Serviço Sagrado de Solicitação de 3 dias e 3 noites, ministrou-lhe o Sazuke. Assim, no terceiro dia, o ouvido direito que estava bastante inflamado, começou a desinchar gradativamente, e um pouco de pus começou a sair pelo nariz. Então, a senhora achou sem cabimento fazer apenas a solicitação, jurou a Deus que traria a oferenda durante o 2º e 3º dia e, foi embora. Entretanto, ouviu dos seus familiares: “Se for para internação no hospital daremos o dinheiro, mas se for para oferendar a Deus da Tenrikyo não!” Yuji consolou esta senhora dizendo: “Se os familiares virem a sua completa recuperação, creio que eles se convencerão e darão o dinheiro.” E instou que fizesse a determinação espiritual de reverenciar a Jiba na Grande Cerimônia de Outono e ouvir as preleções do Besseki. Essa senhora recebeu a completa graça em aproximadamente um mês, com a eliminação de todo o pus pelo nariz. Mas, não obteve a compreensão dos familiares, nem mesmo as despesas para a viagem a Jiba. Então, Yuji declarou: “Como sou

Agenda

Abril

11 - Treino Geral do Serviço Concurso de Koteki (Shonenkai) 12 - Cerimônia Mensal 13 e 20 - Caravana de Regresso a Jiba

Maio

Mês do Dia do Hinokishin 9 - Curso HARP (Associação Estudantil) 10 - Cerimônia Mensal 15 - Caravana de Regresso a Jiba

PRODUÇÕES PRODUÇÕES ,/-/ ,/-/ -

** Foto Foto

** Vídeo Vídeo

** Som Som

Katsumi Mizoguchi Katsumi Mizoguchi Av. Celso Garcia, 1.017 Av. Celso Garcia, 1.017 Belenzinho - Capital - SP Belenzinho - Capital - SP Tel. (11) 2694-4771 / 2557-6792 Tel. (11) 2694-4771 / 2557-6792 e-mail: seimiprod@hotmail.com

o intermediário entre você e Deus, vamos dizer que sou o seu fiador. Do resto, assumirei a responsabilidade como fiador, por isso gostaria que mantivesse a determinação espiritual de regressar a Jiba sem falta” Isso ele falou devido a fé nos seguintes dizeres: “O caminho difícil de se passar, farei passar com espírito único.” (Indicações Divinas de 28/04/1888) Após três dias, desta vez, apareceu uma jovem senhora com câncer no útero desejando ser salva. Ela dizia: “O médico disse faça logo a cirurgia, mas ouvindo a conversa dos outros, mesmo as pessoas que tiveram boa recuperação pós-cirurgica, todos tem falecido depois de dois ou três anos, por isso não quero fazer a cirurgia.” Yuji ministrou-lhe o Sazuke após transmitir os ensinamentos de Deus, e no dia seguinte, foi até a casa dessa pessoa e, diante do casal, após explanar os ensinamentos de Deus, sobre predestinação, arrependimento e determinação espiritual, transmitiu-lhe o Sazuke. Então passados 10 dias, essa senhora veio reverenciar a Cerimônia Mensal da casa missionária com uma aparência muito saudável e agradeceu: “Muito obrigada, graças a Deus recebi a cura.” Segundo ela, a partir do terceiro dia, a barriga começou a fazer barulho, e como num abrir de torneira, começou a sair tudo que desce. E, realizando novos exames com o médico que consultara anteriormente, milagrosamente o câncer havia desaparecido sem deixar marcas. Isto foi motivo para que, logo após, sucedessem salvações milagrosas, também foi possível conseguir as despesas de regresso a Jiba. Em outubro desse ano, Yuji pôde fazer o regresso a Jiba, levando 4 pessoas para ouvir as preleções do Besseki da Revista Taimo nº 457 – janeiro/2007

JVVRLQTPCNVGPTKM[QEQODT

4 Tenri Jiho


10 Associações

março de 2009

Jornal Tenri

Jornal Tenri

Um mundo de encontros

Gakuseikai

Estudando a doutrina com o professor Tiago

Revelação Divina - II (continuação da edição 452) Jéssica: Professor, qual é o significado de Deus original, Deus verdadeiro? Professor: Ah, sim! Vamos ler este livro explicativo da Doutrina. Temos o seguinte nesta parte: “Expressou como ‘Deus original’ por ser Deus que iniciou a criação dos seres humanos e do mundo que inexistam, como também, concedeu vida a todas as coisas. E ‘Deus verdadeiro’ por ser Deus autêntico que está trabalhando e nos protegendo introduzindo-se no corpo humano e em todas as coisas. No céu temos o Sol e a Lua e, neste mundo, a água, o fogo e o ar. A começar destas providencias, do calor, da umidade e da respiração, introduzindo-se no corpo humano, está vivificando e protegendo.” Jéssica: Isso significa que Deus-Parens criou este mundo e está protegendo até os dias de hoje? Professor: É isso mesmo. Vocês estão entendendo muito bem. Fábio: Mas, se for assim, será que Deus-Parens só começou a mostrar a sua força há 172 anos, quando se revelou ao mundo? Jéssica: Por ser Deus-Parens que criou os seres humanos, achou que ele veio nos protegendo já bem antes disso. Fábio: Se for assim, por que não iniciou o ensinamento da Tenrikyo bem antes? Professor: É mesmo. Você percebeu uma coisa interessante. Porém, por ser ensinamento fundamental, podemos dizer que só foi possível começar a ensinar há 172 anos. Vamos ver o que temos na Doutrina sobre este assunto:

Fujinkai

Encontro do Departamento das Moças No último dia 7 de fevereiro, na Sede Missionária Dendotyo, houve a realização do 43º Encontro das Moças do Brasil. Pudemos contar com a participação de um grande número de moças, que compareceram de diversas localidades alegres e animadas. Com a graça de Deus-Parens e Oyassama, e um dia ensolarado, as participantes puderam sair para a divulgação kaminanagashi, na qual cada grupo de moças partiu em uma direção, nas redondezas do Dendotyo, e realizaram a divulgação do nome de Tenri-Ô-no-Mikoto e do ensinamento de Oyassama. Com esforço de todas, houve um grande número de ministrações do Sazuke. Também, no Encontro, cada associada pode praticar os três lemas do Departamento das Moças, que são: Frequentar a Igreja, Praticar o Hinokishin e Realizar a Divulgação. Agradecemos a todos pelos esforços e pelo sucesso deste Encontro! Ainda, no próximo ano, em 2010, será comemordo os 100 anos da Fundação da Associação Feminina da Sede da Igreja. No mesmo período, também em Jiba, será realizada a 26ª Convenção das Moças. Portanto, nós, do Departamento das Moças, como membros da Associação Feminina, vamos determinar sinceramente o espírito e regressarmos a Jiba para esta importante ocasião. O Departamento das Moças do Brasil espera o regresso de um grande número de participantes, contamos com você!

Opinião 3

março de 2009

Yoshimiti Matsusaki*

“Ele (Deus-Parens) esclareceu íntima e pessoalmente, através de Oyassama, a verdade de todas as coisas. É o acabamento dos seus ensinamentos, que têm sido instruídos como tratamento e fertilizante, adequadamente, de acordo com a maturação humana durante o longo processo de anos. Quer dizer que já têm sido instruídos nove décimos dos ensinamentos e, enfim aqui, foi-nos revelado, diretamente por Deus-Parens, o seu derradeiro ensinamento, a última verdade ainda não revelada: a identidade do Parens original, com a intenção de incentivar o nosso sentimento de fraternidade e amor, dando-nos a convicção de que todos os seres humanos são seus filhos e despertando-nos para a verdade de que somos todos irmãos, e remodelar o mundo naquele em que o Parens e nós juntos desfrutaremos num círculo familiar a vida plena de alegria e felicidade.” Jéssica: Será que a expressão, “de acordo com a maturação humana”, não é o ponto chave para compreendermos? Professor: É isso mesmo. Por exemplo, o que vocês estão estudando agora na aula de Matemática e Inglês, se fosse ensinado quando vocês começaram a andar, com certeza, não entenderiam nada. Para o Fábio, creio que ainda hoje, está difícil compreender estas duas aulas, não é? Fábio: Professor, não exagere. Este ano, comecei bem. Jéssica: É realmente desta forma. Deus-Parens veio protegendo interruptamente os seres humanos desde antigamente e, de acordo com a maturação humana, há 172 anos, iniciou a Tenrikyo. Jéssica: Professor, o que é realizado em Jiba no dia de 26 de outubro?

Deste que nascemos encontramos ao longo da caminhada da vida diversas pessoas. Nas relações mais próximas podemos citar os nossos pais e depois os avós, irmãos, tios, primos, namorados, marido, mulher, sogros e então vem os filhos, cunhados, sobrinhos, genros, noras, netos. Temos também os amigos da vizinhança, os colegas da escolinha até da faculdade, dos diversos trabalhos e em cada um destes novos ambientes temos vizinhos, professores, chefes, subordinados, clientes, fornecedores, e em cada novo evento conhecemos novas pessoas, ou seja, a nossa vida é na verdade uma rede quase infinita de relações onde encontros e desencontros estão ocorrendo a todo o momento. Para mim, Tsukihi, todos do mundo são meus filhos. Tenho unicamente plena afeição Ofu. XVII-16

Nós não escolhemos os pais, escolhemos a casa em que moramos, mas não o vizinho. Podemos escolher a escola, o trabalho, mas não os companheiros, ou seja, temos a falsa percepção que escolhemos as pessoas do convívio, mas elas foram ali colocadas por Deus-Parens, inclusive a pessoa que imaginamos ter escolhido para casar; todos sem exceção são pessoas presentes no nosso caminho de acordo com a nossa predestinação e merecimento. Protejo-os unindo as predestinações das vidas anteriores. Isto se estabelecerá firme para todo o sempre. Ofu. I-74 Se refletirmos sobre as grandes conquistas de nossa vida, percebemos que para chegarmos ali quantas pessoas não estiveram e estão do nosso lado; sem elas com certeza aquilo não teria sido alcançado.

Muitas coisas que gostamos ou não, fizemos ou não, também dependeram deste nosso convívio com outros que estiveram ali nos apoiando e incentivando, muitas vezes temos inclusive aqueles que pareceram verdadeiros obstáculos, mas foram e são na verdade oportunidade de evolução, superação e reflexão, mas certamente há um motivo muito forte para que ele esteja ali. Cuidarei dia a dia das madeiras usáveis. Não pensem jamais que aí haja algum mal. Ofu. III-131 Na mina opinião, podemos afirmar que: A nossa vida, e quem nós somos, depende muito das pessoas que encontramos nesta caminhada. É o que faz com que sejamos melhores e que esta travessia valha a pena. *condutor da Igreja Taimo

...encontros do caminho

(continua na próxima edição)

100 Anos de Fundação da Associação Feminina Meta e Plano de Ação 20 jovens de São Paulo se dedicaram na divulgação no dia 10 de fevereiro, marcando encontro na principal avenida empresarial-financeira do país, a Avenida Paulista. Percorreram toda a sua extensão, cantando o Hino Yorozuzo, o qual também foi dançado, além da distribuição de panfletos.

Encontro-Infanto-Juvenil da Igreja Marília, entre os dias 29 e 31 de janeiro, na cidade de MaríliaSP, com 62 participantes. “Fazer amizade”, “Ajuda mútua”, e “Fazer hinokishin” foram os temas do encontro, que contou com a criatividade e diversão para transmitir os ensinamentos às crianças.

35º Encontro-Infanto-Juvenil da Igreja Paulista, entre os dias 30 de janeiro e 1 de fevereiro, na cidade de Vera Cruz-SP, contando com a participação de 67 pessoas. Sob o tema “fogo, água e ar”, aprenderam a razão dos ensinamentos diretamente na natureza, onde puderam pescar, nadar, cozinhar e acampar.

おぢばがえりのお世話取り、おまかせ下さい

$VJEBNPTEPTQSFQBSBUJWPTEPTFV3FHSFTTPB+JCB São Paulo: Rua dos Buritis, 128 - bloco A - conj. 402 - Jabaquara

fone/fax (11) 5011-3992 / 5011-9237 / 5011-1835 - e-mail: gema-a@br2001.com.br

Filial no Japão: Aichi-Ken -Toyohashi-shi - Ekimae Odori 3-83 - Shingen Bldg 4F %-"2!452   

〒 440-0888 - fone: (0532) 53-6760 / 53-6761 - e-mail: gema@eagle.ocn.ne.jp


2 Editorial

março de 2009

Palavras de Oyassama “Uma vez estabelecido, não se deve cortar. Se cortar, o lado que o cortou, será cortado” do livro Episódios da Vida de Oyassama 32. Palavra da esposa

As palavras acima foram dirigidas a Yassu Matsuda, então com 23 anos de idade, no encontro de apresentação ao seu noivo, da família Inui de Shoyashiki. Antes, Oyassama disse: “Deus diz este com aquela. E assim se estabelece.” Ensinando que os encontros são estabelecidos por Deus-Parens. Na Escritura Divina Ofudessaki, há: Protejo-os unindo as predestinações das vidas anteriores. Isto se estabelecerá firme para todo o

sempre. Ofu. I-74 Aos olhos de Deus-Parens, são pessoas que se complementam uma à outra; por isso, está sendo advertida a ação de se cortar pelo pensamento humano. Yassu serviu durante longos anos, na cozinha da Residência e certa vez, Oyassama lhe ensinou: “Ouça, Yassu. Qualquer homem depende da palavra da esposa. Mesmo o homem considerado tolo pelos outros, se a esposa o recebe com todo respeito quando ele volta ao lar, as

pessoas, vendo o modo respeitoso pelo qual a esposa o trata, dirão: ‘deve ser um grande homem embora o consideremos um tolo’, não é? O marido torna-se uma grande pessoa ou um tolo apenas com a palavra da esposa.” Apesar de terem sido dirigidas a Yassu, orienta as pessoas a tomarem cuidado com as palavras que falam no cotidiano, seja homem ou mulher. Valorizar uma pessoa, marido ou esposa, depende unicamente de como a tratamos no dia-a-dia.

Eduardo Yoshinobu Otake* original da humanidade, que é a vida plena de felicidade. E quando falamos de felicidade, a família é a base. Familiares que se abraçam e conversam, também se apóiam mutuamente, e, assim, conquistam seus merecimentos de paz e tranquilidade. Uma vida “mais feliz” do que daquelas que vivem em conflitos de relacionamento. Muitos dos conflitos vêm do desejo de liberdade e independência. E mesmo que em aparente harmonia, estes dois fatores fazem desestabilizar a base da família. Por natureza o ser humano foi criado por Deus-Parens para ser livre; assim, mesmo que amordaçado a algo, nunca perderá esta excelência divina. Os “sacrifícios” de Oyassama são as visões aflitivas dos que a observavam e Nossa-Mãe nunca se esquivou em cumpri-los, pois na qualidade de Sacrário vivo de Deus-Parens havia apenas a manifestação de satisfação

Jornal Tenri é uma publicação com fins religiosos, órgão da Igreja Tenrikyo de Dendotyo para divulgação. Publicação mensal editada desde 1971. Igreja Tenrikyo de Dendotyo (Sede Missionária do Brasil) R. Tenri, 4- 58 - C. Vila Independência CEP 17054-250 - Bauru - SP Fone: (14) 3236-1144 e-mail: b.tenrikyo@uol.com.br Diretores responsáveis: Idioma Japonês - Yoshio Watanabe Idioma Português - Hiroshi Kajiura Administ., redação e publicidade: Centro Cultural e Social de S. Paulo Rua Pelotas, 385 - Vila Mariana São Paulo - SP - CEP 04012-001 Fone: ( 11) 5579-1959 e-mail: spkaikan@uol.com.br

Associação Itiretsu-kai

Total de doações (fevereiro/09): R$ 7.775,00 Igrejas: *Rikuhaku Osasco; *Manaus; *Nova Yooki; *Marialva; *Seiki Brasil; *Taimo; *Miko Bastos; *Tsuhakuryu; *Marília; *Nippaku; *Sul América; *Oriente; *Arapongas; *Atlântico; *Continental; *Diadema; *Meihakuiti; *Alvorada; *Campinas; *Monte Kemel; *Duartina; *Brasil Koshihiro; *Paineira; *Tucuruvi; *Brasl Yamashiro; *Monte Brás; *Eldorado; *Penápolis; *São Miguel; Casas de Divulgação: *Brasil Yukikai; *Cravinhos; *5º Paulista; *Saúde; *Brasil Yushin; *Miko São Paulo; *Líder; *Aliança; *Brasil Kowa; ; *Horizonte; *Tamahaku; *Tohaku; *Takehaku; *Primavera; *4º Paineira; *Terra Nova; *Nanyo;

EDITORIAL

O Shimbashira há tempos vem orientando sobre a importância de reverenciar a igreja com a família unida e, em janeiro passado, na reunião executiva daAssociação InfantoJuvenil da Sede da Igreja, reforçou o tema aos líderes, recomendando-os a incentivar as atividades de otomarikai (eventos com pernoite das crianças na igreja). Não há dúvidas de que a preocupação do Shimbashira é legitima: muitos dos frequentadores já são idosos e vivem solitários. Por onde andam os seus filhos e netos? E porque não vêm reverenciar a igreja? Os fatores que afetam a vida atual são sutis e certamente complexos, mas é claro que com o advento da alta tecnologia tudo ficou prático e muito mais confortável para usufruto de todos. Não obstante, o ser humano, qual seja o seu nível de acesso a estas facilidades, concomitantemente, vem persistindo com o objetivo maior e

Jornal Tenri

e sinceridade em construir o modelo de vida. A independência é uma ação dúbia. Máquinas e robôs podem ter processos automatizados que os fazem independentes da ação humana, mesmo assim são dependentes daqueles que os programam e os fazem trabalhar. O ser humano que porta o livre-arbítrio é menos ainda independente. Um povo que por algum motivo histórico “criou” sua independência, também “filiou-se” a um novo sistema para prosseguir sua vida. Para apressar a vida plena de alegria e felicidade precisamos estar sinceramente satisfeitos com a liberdade e a “dependência” alcançada. Nada mais prazeroso do que usufruir a liberdade tendo a alegria da interdependência familiar mantida por gerações.

Yoboku da Igreja Bauru e responsável pelo Tenri Kaikan SP

*Kaoru, Nobuko, Haruko e Keiko Murata; *Hiromi, Guilherme e Artur Nakamine; *Mitsuhiro Tanaka; *Mitsukazu e Haruyo Nakanishi; *Massatoshi, Yuji, Mika, Sumie, Mitie, Lie e Mei Ukei; *Massashi, Takeshi, Yoshinori, Yoshitaka e Chizuru Fujishige; *Yutaka, Yuri e Akiyoshi Tanio, Yoshie Ishii, Karen Nakamura e Yumi Yamamoto; *Miwa, Massaharu, Mika, Miyuki e Atsuko Murakami; *Clarissa, Thais e Nilson Otake; *Yuiti, Hiroe, Hitomi, Mitiaki e Yuri Namiki; *Kunimassa Kosaka; *Kazuaki Kosaka; *Douglas, Daisy, Dalton, Dennis e Daniela Takeuchi; *Rodrigo Higa; *Henrique, Heitor e Juliana Oshiro; *Priscila, Cristiane, Tony e Leandro Oshiro; *Nakamoto; *Casa de Divulgação Namihiro; *Akira e Nana Yamase; *Ichiro Kusakawa; *Momoe, Mari, Koji, Motoo e Yae Saito; *Otoichi Oka; *Morio Aoki; *Ricardo Fujikawa; *Tadashi Ota; *Ernesto Sanbuichi; *Carlos Miyoshi; *Erika Miyoshi; *Mitiko Kameoka; *Atsushi Aoyagui; *Terumasa e Mitsuyuki Kuroki; *Shoichi Nakano; *Emerson Seo; *Giuliana Seo; *Victor e Mariane Higa; *Paulo Rodrigo Oshiro; *Sayuri, Akemi e Midori Aizawa; *Priscila Sakurai; *Akiyoshi, Hideaki e Yuki Watanabe; *Victor Hara; *Gilberto Massuda; *Tiago Massuda; *Guilherme e Gustavo Fuzimoto da Silva, Roberto e Carolina Lopes Fuzimoto; *Leandro, Lenice e Rubens Nozu; *Wilton Tani; *Sanae Ota; *Aline Yashiro; *Risa Nakamura; *Hiromi Kaneshiro; *Aki Hashimoto; *Tetsuki, Ken e Massaki Okamura; *Fabio Ushida; *Yoshinobu Tanaka; *Dalton Sueri, Minoru e Shuji Haga; *Yasunori Okamura; *Hitomi e Satoru Nagasawa; *Vinicius Hara; *Isabel Mukai; *Mario Mukai; *Hiroo, Yoshihiro, Risa e Airi Sohara; *Toshimitsu Kosaka; *Wilton Tani; *Jackson, Victor e Janete Minami; *Caroline Sasaki; *Cintia Tokura; *Amanda e Paulo Mukai; *Igor e Bruno Harayshiki; *Família Wajima; *Noriaki Ito.

Jornal Tenri

Relatos 11

março de 2009

Relatos dos seminaristas do 98º Seminário de Formação Espiritual - Shuyokai do Brasil

Conheci a Tenrikyo através do meu marido. Antes disso, eu nunca ouvira falar da religião. No fim de 2007, descobri que estava grávida. No momento foi um choque, fiquei desesperada, me perguntava por que tinha acontecido isso comigo, o que eu tinha feito de errado para merecer isso. Não sabia mais o que fazer. Mas meu marido me acalmou e falou que, se aconteceu com a gente, é porque Deus quis assim, talvez fosse um sinal, uma

predestinação, e que tem gente que passa uma vida inteira tentando ter filhos e não consegue, então, com certeza, a nossa filha é uma graça de Deus, devo me sentir abençoada por isso. As vezes me sentia triste porque minhas roupas não cabiam mais, estava ficando gorda. Sentia vergonha de sair de casa, não tinha nem vontade de voltar para a faculdade com vergonha do que os outros iriam falar. Guardei esse sentimento ruim comigo. Foi quando vim para o Dendotyo e recebi o Sazuke, e uma mestre me falou, que as pessoas falam muitas coisas, a gente só deve pegar o que acha que é bom e proveitoso, e o que for ruim, a gente joga fora. E para não alimentar

sentimento ruim dentro de mim, para não passar para o bebê. Que eu podia ficar tranqüila porque Deus está nos protegendo, e tendo fé, tudo dá certo. Voltei para casa mais tranqüila e com o espírito melhor. E tive uma gravidez sem nenhum problema, sem dores e um pós-parto ótimo. Vim ao Shuyokai para conhecer melhor sobre a religião e agradecer pela vida da minha filha, que, após um ano cheio de tristeza, perdas e correria, só veio para alegrar a todos. Pretendo colocar em prática tudo o que tenho aprendido e melhorar meu espírito cada vez mais. Cristiane Mayumi Arakawa Oshiro Casa de Divulgação Santo André

Iniciei no caminho da Tenrikyo ao observar que em minha rua havia uma vizinha que possuía uma Casa de Divulgação, o Jardim Hoyo. Essa vizinha é conhecida de minha família há muito tempo, no entanto, não sabia do que se tratava a religião que ela praticava. Eu sou o primeiro e único tenrikyano de minha família “até agora”, porque desde jovem sentia que algo no Serviço Sagrado me atraía inconscientemente. Comecei a ir, de vez em quando, para a Cerimônia Mensal devido a minha amizade com os netos daquela casa. Posteriormente, começei a frequentar a Igreja Nordeste Hoyo, que também fica perto de minha casa e era um lugar muito alegre e gostoso de participar, como é até hoje, com muitos jovens e muitas atividades. No início, sofria com preconceito da sociedade em geral que desconhem a Tenrikyo, entretanto, logo que participei de um Encontro Infanto-Juvenil de banda Koteki, pude compreender melhor alguns ensinamentos de Oyassama. E, a partir daí, freqüentei ainda mais o Kyokai, sem me importar tanto com o

que os outros iam achar. Dentro das dependências do Kyokai, para mim, parecia um mundo paralelo ao que realmente vivia, mas hoje, creio que já consigo enxergar tudo com o mesmo olhar de compreender o outro e aceitar com alegria as provações que Deus manda diariamente para mim. Aprender os ensinamentos da Tenrikyo foi fundamental para passar pela separação dos meus pais, umas enfermidades de minha mãe e uns apertos financeiros. Ainda, é importante lembrar que desde que comecei a me dedicar às diversas atividades do Kyokai, não sofri com problemas de assaltos, o que é comum na região onde resido e, em relação às doenças, raramente acontecia comigo, pois se Deus queria me alertar de algo, fazia com que eu escutasse os fiéis da igreja. É uma época de muito aprendizado! Depois de um tempo participei do Curso de Doutrina Koshu, em 2006, recebi a graça de passar no vestibular, o que contentou bastante meus familiares e amigos, além de abrir novos horizontes para mim.

Eu nunca tive o espírito de obediência que a esposa do sucessor de minha igreja sempre me alertava, entretanto, ano passado, me determinei a fazer o Seminário Shuyokai em julho deste ano e, realmente, fiz planos sinceros para conseguir o objetivo. A graça foi alcançada antes do prazo, pois tudo se acertou para que eu fizesse agora em janeiro; que extraordinário! Não entrei neste caminho por meio de enfermidades, nem problemas sociais, de fato, tudo aconteceu naturalmente de acordo com a vontade do Parens. Espero compreender sua vontade depressa,para ser uma madeira usável na salvação que pacificará o mundo. Todo esse trajeto foi realizado graças a DeusParens e a muitas pessoas que desejam que eu evolua espiritualmente, sou grato a cada um e espero retribuir em dobro. Danilo A. de Macêdo Igreja Nordeste Hoyo


12

Dendotyo

março de 2009

Jornal Tenri

43º Encontro das Moças Realizado no dia 07 de fevereiro, na Sede Dendotyo, com a participação de 91 moças. Na oportunidade, houve a sucessão da diretoria: na presidência, no posto da Natália Keiko Murata, assumiu Cintia Tamami Sato, e ainda foram nomeadas 7 novas diretoras. Após, as jovens saíram animadas para o Kaminanagashi e divulgação; entregaram panfletos e receberam a graça de ministrar o Sazuke. A tarde, foi realizado o treino das mãos e em seguida o workshop: dança, com o professor Emilio Ohnuma, que ensinou a razão da dança e a gratidão do corpo emprestado; e a confecção do porta-retrato de lembrança. Posteriormente houve 3 relatos de experiência, tendo como tema, os lemas do departamento.

Ano XXXVIII - nº 453

N

Dançando o Yorozuyo defronte o Monumento do Marco Zero na cidade de Macapá-AP

A execução do Serviço diário sem falha (foto acima)

o ensinamento da Tenrikyo aprendemos que Deus-Parens nos empresta esse corpo maravilhoso que o utilizamos todos os dias. Portanto, como é algo tomado emprestado, devemos usá-lo da melhor forma possível, guardando o senditmento de agradecer naturalmente quando da devolução, no retornamento. Então, qual a melhor forma de cuidar do nosso corpo? Será comendo do bom e do melhor? Será usando as melhores roupas e adereços? Uma vez uma amiga do meu irmão pediu um caderno emprestado a ele, mas quando ela foi devolvê-lo, o caderno, ela estava sem a capa. Aonde está a capa? - perguntou o meu irmão Ah! Eu deixei em casa, você quer? - respondeu a amiga. Imagino que alguém que pede um caderno emprestado é porque deve ter faltado a aula ou quer copiar alguma lição que não fez. Quando estudava na faculdade, me aconteceu algo parecido, uma amiga pediu um livro emprestado, para estudar, pesquisar ou fazer algum trabalho. Para a minha surpresa, quando ela me devolveu, o livro voltou melhor do que quando foi, voltou caprichosamente encapado. Por brincadeira, até quis perguntar se ela não estava precisando de outros livros.

E, dedicando toda a sincerida na ajuda e salvação do próximo (foto à direita)

Assim, com certeza, se ela me pedisse outros livros emprestados, cederia sem pensar duas vezes. Agora, se a amiga do meu irmão pedisse novamente um caderno emprestado, será que ele confiaria com toda a sua boa vontade?

Por exemplo, se eu emprestar as minhas ferramentas para alguém e esta pessoa as utilizar para uma ação social-humanitária, o meu desejo é de querer emprestar sempre, e, ainda, deixá-las em perfeitas condições, para um uso imediato.

Palestra

Avançar de mãos dadas pág 6 e 7

Da mesma forma, acredito que seja o pensamento para o corpo emprestado por Deus-Parens e tomado emprestado por nós, seus filhos. Com que propósito Deus- Parens teria criado os seres humanos? No livro Doutrina de Tenrikyo consta o seguinte: “Originalmente este mundo foi um mar de lama, Tsukihi ou DeusParens, julgando insípida esta condição caótica, teve a idéia de criar os seres humanos e compartilhar da sua alegria, vendo-os viverem felizes, plenos de júbilo.” Assim, se Deus-Parens nos criou para a vida plena de alegria e felicidade, nada mais natural , tomar o corpo emprestado e viver alegres e felizes. Ainda, a melhor forma, correta, de utilizar o nosso corpo é animar-se, alegrando as pessoas que nos cercam. Utilizando a boca para falar coisas agradáveis; comer com satisfação; estender a mão às pessoas que necessitam de apoio e ajuda; utilizar as pernas para fazer visitas. E também, alegrar-se com tudo que ouvimos e vemos. Utilizando o corpo para prejudicar as pessoas, a boca para entristecê-las, chatear-se com tudo que vê e ouve, essas atitudes não contentará a quem nos emprestou. Entretanto, se estivermos utilizando o corpo para ajudar, servir e contentar as pessoas, Deus Parens, feliz por nos emprestar o corpo, nada deixará de atender.

Para maiores informações, procure-nos:

Leia mais . . .

do Shimbashira

Admirando a razão daqueles que missionan em locais distantes da Sede - Igreja Hokuhaku, Castanhal-PA

Órgão de divulgação da Igreja Tenrikyo

Razão da coisa emprestada

38ª Caravana de Missionamento Promovida pela Associação dos Moços, em duas etapas, no periodo de 11 de janeiro á 7 de fevereiro, na região norte do país, com a participação de 7 jovens desbravadores Arakitoryos. Com o veículo Aragosha, partindo de Bauru, tomaram a rodovia Belém-Brasília e passaram pelas cidades de Castanhal-PA (Igreja Hokuhaku), Ananindeua-PA (Igreja Amazônia); e seguiram até Macapá-AP no extremo norte, e por todo o trajeto tiveram a oportunidade de conhecer de perto a realidade deste vasto país, no amplo sentido geográfico, sócio e cultural. E, também, puderam admirar a alegria e a sinceridade dos missionários que divulgam o nome de Deus-Parens naquelas regiões, com restrições, mas superando muitos desafios. E, assim, motivados pelos exemplos destes missionários, os jovens desbravadores do caminho, recebendo a proteção diária de Deus-Parens, sem falhar um dia sequer, sob sol ou chuva, dedicaramse de corpo e alma na divulgação e salvação, e com muita gratidão nos serviços de hinokishin. Foram 6 mil quilómetros percorridos e receberam a graça de poder ministrar o Sazuke por mais de 350 vezes, distribuir 3.500 exemplares do Jornal Tenri, 3.500 panfletos e mais as tiragens ofertadas pela Associação Feminina, totalizando-se mais de 7.000 exemplares.

São Paulo, março de 2009

Relatos

Dendotyo

do 98ª Seminário de Formação Espiritual

-Encontro das Moças -Caravana de Missionamento

dos seminaristas

pág 11

Atividades da Sede

pág 12


Jt ed0453