Issuu on Google+

11. Mudanรงa de comportamento


11. M udança de comportamento Aline, 19 anos, diabética tipo 1 há 7anos. Durante a fase de pré-adolescência e adolescência manteve controles glicêmicos não adequados com valores de hemoglobina glicada sempre próximos a 9%. Por vezes omitia a aplicação de insulina e fazia a ingestão de alimentos ricos em carboidratos. Atualmente refere que está mais consciente da necessidade do autocuidado e tem feito as aplicações de insulina seguindo as orientações médicas. Hemoglobina glicada atual 7,9%. A mãe, que foi a principal cuidadora durante os primeiros anos de diabetes, não acredita nesta mudança de comportamento e nem que Aline faz dieta e toma os medicamentos corretamente.

Resposta: A relação com a mãe precisa ser refeita, para que possam estabelecer uma relação de confiança. Para isso, o ideal é começar do passo inicial, ou seja, começar realizando glicemia capilar, aplicando insulina junto com a mãe, para que ela possa participar dos controles e da alimentação. Deste modo, ela poderá se sentir segura quanto à capacidade da filha no autocuidado. Restabelecendo esses passos, mãe e filha poderão sentirse novamente confiantes e seguras


11. Mudança de comportamento