Page 1

Ricardo Nitrini Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento Departamento de Neurologia da FMUSP


Funções Cognitivas

Ricardo Nitrini


FUNÇÕES COGNITIVAS • Conceito: funções relacionadas aos processos mentais de percepção, linguagem, memória e raciocínio • Funções cognitivas resultam da ação do cérebro como um todo? • Ou existem “centros” responsáveis” por estas funções?


FUNÇÕES COGNITIVAS • Funções complexas organizam-se no sistema nervoso central como sistemas (ou redes – networks) de conexões


FUNÇÕES COGNITIVAS • O sistema nervoso central (SNC) pode ser entendido como um conjunto de sistemas que são responsáveis por funções complexas como a linguagem, a memória, a abstração, a capacidade de reconhecimento visual, por exemplo • Cada um desses sistemas tem distribuição ampla mas específica (com áreas específicas conectadas entre si; a função não se localiza em nenhuma delas)


Conclusões • Funções cognitivas resultam da ação do cérebro como um todo? • Não • Ou existem “centros” responsáveis” por estas funções? • Não • São organizadas segundo sistemas ou redes de conexões


Conclusões • Se uma lesão em uma região afeta uma função, não significa que a função se localize nesta região • Significa que a região faz parte de um sistema funcional ou de uma rede de conexões


Uma função como a memória, que participa de tantas atividades complexas, pode estar localizada em uma região específica do cérebro humano?


Carolyn Jones


Hipótese • Evocar algo, uma imagem ou um evento, depende da capacidade de reproduzir padrões de ativação neural (no tempo e espaço) similares àqueles desencadeados pela percepção original da imagem ou do evento


Conclusão • Evocar algo, uma imagem ou um evento, depende da capacidade de reproduzir padrões de ativação neural (no tempo e espaço) similares àqueles desencadeados pela percepção original da imagem ou do evento


Duas questões fundamentais • Por que este padrão tornou-se mais facilmente reprodutível do que outros? • Como reproduzimos este padrão similar ao da percepção?


Por que este padrĂŁo tornou-se mais facilmente reprodutĂ­vel do que outros?


Hipótese de Hebb (1949) • “Quando um axônio da célula A ... excita a célula B e repetida e persistentemente participa de sua descarga, ocorre algum processo de crescimento, ou alteração metabólica, em uma ou ambas as células, de modo que a eficiência de A como uma das células ativadoras de B fica aumentada”


Hebb e Penfield


Como demonstrar que as modificações ocorrem no nível sináptico?


Ivan P. Pavlov (1849 - 1936)


Eric Kandel


Memória de curto prazo (imediata) • Modificações da quantidade de neurotransmissor liberada em estímulos repetitivos pode explicar fenômenos relacionados com a memória de curto prazo (como necessária para reter um número de telefone ou um endereço enquanto o escrevemos na agenda)


Memória de longo prazo • A memória de longo prazo (além de 1 ou 2 minutos) depende, provavelmente, de modificações estruturais das sinapses e de síntese protéica. Portanto, de modificações no nível genético


Onde estรฃo situados os circuitos responsรกveis por nossas memรณrias?


Carolyn Jones


Dificuldades de recordar todo o conteúdo de uma informação em lesões corticais circunscritas • Ao ser solicitado que diga o nome do objeto (uma caneta): __ “Eu sei o que é... Tenho uma igual...é para (e faz o gesto de escrever)” Paciente com lesão vascular isquêmica na convexidade do lobo temporal esquerdo, anterior à área de Wernicke


Lesão vascular nas regiões temporo-occipitais à esquerda


O homem que confundiu sua mulher com um chapéu • Oliver Sacks


Memórias e córtex cerebral • Provavelmente nossas memórias declarativas estão armazenadas em nosso córtex cerebral • Os circuitos envolvem áreas de diversas modalidades quando o conteúdo é multimodal (como usualmente são nossas memórias declarativas)


Conclusões • Provavelmente nossas memórias declarativas estão armazenadas em nosso córtex cerebral distribuídas em circuitos que se tornaram mais facilmente acessíveis por modificações sinápticas (transitórias para a memória imediata; permanentes para a memória tardia)


Muito do que sabemos sobre a memória (e outras funções cognitivas) foi e continua sendo aprendido na prática clínica pelos neurologistas, neuropsicólogos, fonoaudiólogos, neurorradiologistas, psiquiatras • O caso HM


HM: Henry Gustav Molaison


O caso HM


Brenda Milner


Caso HM • Memória de longo prazo comprometida

• Memória de curto prazo conservada • Memória remota conservada


S CA1 CA3

FORMAÇÃO HIPOCAMPAL

GD CÓRTEX ENTORRINAL

CÓRTEX PERIRRINAL

OUTRAS PROJEÇÕES DIRETAS

CÓRTEX PARAHIPOCAMPAL

ÁREAS DE ASSOCIAÇÃO UNI E POLIMODAIS (Lobos Frontais, temporais e parietais)


Conclusões • Modificações da quantidade de neurotransmissor que é liberada em estímulos repetitivos pode explicar fenômenos relacionados com a memória de curto prazo, QUE INDEPENDE DO HIPOCAMPO • A memória de longo prazo (além de 1 ou 2 minutos) depende, provavelmente, de modificações estruturais das sinapses e de síntese protéica. NO SER HUMANO DEPENDE DO HIPOCAMPO, MAS NÃO É ARMAZENADA NO HIPOCAMPO.


Para ser memorizada além de 1 ou 2 minutos: • Conexões entre o neocótex responsável pela percepção visual, auditiva, táctil, do conteúdo afetivo, entre outras, e a formação hipocampal são essenciais para que ocorra memorização (memória explícita) • Depois de memorizadas, a recuperação do conteúdo independe do hipocampo


Hipocampo e memória • O papel importante do hipocampo provavelmente depende da convergência poli-sensorial e da sua posição estratégica entre o neocórtex e o hipotálamo


Recuperação (evocação) • Estratégias de evocação • Importância dos lobos frontais para as funções executivas


Ainda o caso HM


“Priming” • • • • • •

Ausente Renda Per íodo Discutir Queijo Elemento

Aus________ Ren________ Per_________ Dis_________ Que_________ Ele_________


Caso HM • Memória de longo prazo comprometida

• Memória de curto prazo conservada • Memória remota conservada • Memória implícita conservada


De volta à clínica


Eu extraí a vesícula? • Cirurgião experiente, 58 anos


Amnésia global transitória • Não retém informações além de 1 ou 2 minutos (menos ainda se sofrer interferência): amnésia anterógrada • Memória remota preservada • Amnésia retrógrada


Amnésia global transitória • Não retém informações além de 1 ou 2 minutos (menos ainda se sofrer interferência): amnésia anterógrada • Memória remota preservada • Amnésia retrógrada • Preservação da memória implícita


Doença de Alzheimer • Doença degenerativa do sistema nervoso central • Principal causa de demência

• Sinonímia: – demência do tipo Alzheimer

– demência senil do tipo Alzheimer


DOENÇA DE ALZHEIMER Alois Alzheimer, 1906


EMN (NFT) na fase inicial daDA


Evolução dos EMN (NFT) na DA


Distúrbios de memória • São comuns na prática clínica • Doença de Alzheimer é uma das causas mais importantes de distúrbio de memória no idoso (e decorre do acometimento dos hipocampos)


FIM


Cognitivo2013  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you