Page 1

Ricardo Nitrini Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento Departamento de Neurologia da FMUSP


Funções Cognitivas

Ricardo Nitrini


FUNÇÕES COGNITIVAS • Conceito: funções relacionadas aos processos mentais de percepção, linguagem, memória e raciocínio • Funções cognitivas resultam da ação do cérebro como um todo? • Ou existem “centros” responsáveis” por estas funções?


FUNÇÕES COGNITIVAS • Funções complexas organizam-se no sistema nervoso central como sistemas (ou redes – networks) de conexões


FUNÇÕES COGNITIVAS • O sistema nervoso central (SNC) pode ser entendido como um conjunto de sistemas que são responsáveis por funções complexas como a linguagem, a memória, a abstração, a capacidade de reconhecimento visual, por exemplo • Cada um desses sistemas tem distribuição ampla mas específica (com áreas específicas conectadas entre si; a função não se localiza em nenhuma delas)


Conclusões • Funções cognitivas resultam da ação do cérebro como um todo? • Não • Ou existem “centros” responsáveis” por estas funções? • Não • São organizadas segundo sistemas ou redes de conexões


Conclusões • Se uma lesão em uma região afeta uma função, não significa que a função se localize nesta região • Significa que a região faz parte de um sistema funcional ou de uma rede de conexões


Uma função como a memória, que participa de tantas atividades complexas, pode estar localizada em uma região específica do cérebro humano?


Carolyn Jones


Hipótese • Evocar algo, uma imagem ou um evento, depende da capacidade de reproduzir padrões de ativação neural (no tempo e espaço) similares àqueles desencadeados pela percepção original da imagem ou do evento


Conclusão • Evocar algo, uma imagem ou um evento, depende da capacidade de reproduzir padrões de ativação neural (no tempo e espaço) similares àqueles desencadeados pela percepção original da imagem ou do evento


Duas questões fundamentais • Por que este padrão tornou-se mais facilmente reprodutível do que outros? • Como reproduzimos este padrão similar ao da percepção?


Por que este padrĂŁo tornou-se mais facilmente reprodutĂ­vel do que outros?


Hipótese de Hebb (1949) • “Quando um axônio da célula A ... excita a célula B e repetida e persistentemente participa de sua descarga, ocorre algum processo de crescimento, ou alteração metabólica, em uma ou ambas as células, de modo que a eficiência de A como uma das células ativadoras de B fica aumentada”


Hebb e Penfield


Como demonstrar que as modificações ocorrem no nível sináptico?


Ivan P. Pavlov (1849 - 1936)


Eric Kandel


Memória de curto prazo (imediata) • Modificações da quantidade de neurotransmissor liberada em estímulos repetitivos pode explicar fenômenos relacionados com a memória de curto prazo (como necessária para reter um número de telefone ou um endereço enquanto o escrevemos na agenda)


Memória de longo prazo • A memória de longo prazo (além de 1 ou 2 minutos) depende, provavelmente, de modificações estruturais das sinapses e de síntese protéica. Portanto, de modificações no nível genético


Onde estรฃo situados os circuitos responsรกveis por nossas memรณrias?


Carolyn Jones


Dificuldades de recordar todo o conteúdo de uma informação em lesões corticais circunscritas • Ao ser solicitado que diga o nome do objeto (uma caneta): __ “Eu sei o que é... Tenho uma igual...é para (e faz o gesto de escrever)” Paciente com lesão vascular isquêmica na convexidade do lobo temporal esquerdo, anterior à área de Wernicke


Lesão vascular nas regiões temporo-occipitais à esquerda


O homem que confundiu sua mulher com um chapéu • Oliver Sacks


Memórias e córtex cerebral • Provavelmente nossas memórias declarativas estão armazenadas em nosso córtex cerebral • Os circuitos envolvem áreas de diversas modalidades quando o conteúdo é multimodal (como usualmente são nossas memórias declarativas)


Conclusões • Provavelmente nossas memórias declarativas estão armazenadas em nosso córtex cerebral distribuídas em circuitos que se tornaram mais facilmente acessíveis por modificações sinápticas (transitórias para a memória imediata; permanentes para a memória tardia)


Muito do que sabemos sobre a memória (e outras funções cognitivas) foi e continua sendo aprendido na prática clínica pelos neurologistas, neuropsicólogos, fonoaudiólogos, neurorradiologistas, psiquiatras • O caso HM


HM: Henry Gustav Molaison


O caso HM


Brenda Milner


Caso HM • Memória de longo prazo comprometida

• Memória de curto prazo conservada • Memória remota conservada


S CA1 CA3

FORMAÇÃO HIPOCAMPAL

GD CÓRTEX ENTORRINAL

CÓRTEX PERIRRINAL

OUTRAS PROJEÇÕES DIRETAS

CÓRTEX PARAHIPOCAMPAL

ÁREAS DE ASSOCIAÇÃO UNI E POLIMODAIS (Lobos Frontais, temporais e parietais)


Conclusões • Modificações da quantidade de neurotransmissor que é liberada em estímulos repetitivos pode explicar fenômenos relacionados com a memória de curto prazo, QUE INDEPENDE DO HIPOCAMPO • A memória de longo prazo (além de 1 ou 2 minutos) depende, provavelmente, de modificações estruturais das sinapses e de síntese protéica. NO SER HUMANO DEPENDE DO HIPOCAMPO, MAS NÃO É ARMAZENADA NO HIPOCAMPO.


Para ser memorizada além de 1 ou 2 minutos: • Conexões entre o neocótex responsável pela percepção visual, auditiva, táctil, do conteúdo afetivo, entre outras, e a formação hipocampal são essenciais para que ocorra memorização (memória explícita) • Depois de memorizadas, a recuperação do conteúdo independe do hipocampo


Hipocampo e memória • O papel importante do hipocampo provavelmente depende da convergência poli-sensorial e da sua posição estratégica entre o neocórtex e o hipotálamo


Recuperação (evocação) • Estratégias de evocação • Importância dos lobos frontais para as funções executivas


Ainda o caso HM


“Priming” • • • • • •

Ausente Renda Per íodo Discutir Queijo Elemento

Aus________ Ren________ Per_________ Dis_________ Que_________ Ele_________


Caso HM • Memória de longo prazo comprometida

• Memória de curto prazo conservada • Memória remota conservada • Memória implícita conservada


De volta à clínica


Eu extraí a vesícula? • Cirurgião experiente, 58 anos


Amnésia global transitória • Não retém informações além de 1 ou 2 minutos (menos ainda se sofrer interferência): amnésia anterógrada • Memória remota preservada • Amnésia retrógrada


Amnésia global transitória • Não retém informações além de 1 ou 2 minutos (menos ainda se sofrer interferência): amnésia anterógrada • Memória remota preservada • Amnésia retrógrada • Preservação da memória implícita


Doença de Alzheimer • Doença degenerativa do sistema nervoso central • Principal causa de demência

• Sinonímia: – demência do tipo Alzheimer

– demência senil do tipo Alzheimer


DOENÇA DE ALZHEIMER Alois Alzheimer, 1906


EMN (NFT) na fase inicial daDA


Evolução dos EMN (NFT) na DA


Distúrbios de memória • São comuns na prática clínica • Doença de Alzheimer é uma das causas mais importantes de distúrbio de memória no idoso (e decorre do acometimento dos hipocampos)


FIM


Cognitivo2013  
Cognitivo2013  
Advertisement