Page 1

Liga Acadêmica de Telessaúde como Liga Ferramenta: Relato de uma Experiência no Estado do Maranhão

Autores: Caio Graco Bruzaca1, Yuri Armin Crispim de Moraes2, Philippe Costa Carvalho2, Marcone Moreno Cruz Soares2, Ilana Mirian Almeida Felipe3,José Albuquerque de Figueiredo Neto4,. 1

Médico Formado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), ExCoordenador Discente da Liga Acadêmica de Telessaúde do Maranhão (LTS) nos anos de 2009 a 2013, 2Acadêmico de Medicina da UFMA, Coordenador Discente da LTS 3Acadêmico de Medicina da UFMA, Membros Efetivos da LTS, 4Doutoranda de Saúde Pública em Enfermagem pela Universidade de São Paulo(USP), Vice-Coordenadora Docente da LTS. 5Doutor em Cardiologia pela Universidade de São Paulo (USP), Coordenador Docente da LTS. São Luís, Maranhão, Brasil. Objetivo: Descrever a experiência da Liga Acadêmica de Telessaúde no estado do Maranhão. Método: O presente estudo é um relato de experiência da atuação da Liga Acadêmica de Telessaúde (LTS) desde 2010 até a atualidade. Resultados: A partir do ano de 2010, a Liga Acadêmica de Telessaúde do Maranhão (LTS) desenvolveu, inicialmente, atividades em educação médica utilizando as tecnologias de informação e comunicações (TICs). Nesse ano, através de parcerias firmadas com a Liga de Gestão em Saúde da Universidade de São Paulo (USP) e Liga de Telemedicina da USP, foi possível a transmissão do V Curso Introdutório da Liga de Gestão em Saúde entre ambas as instituições. Além disso, com parcerias firmadas com outras ligas de telessaúde, durante o ano de 2010 foram desenvolvidas atividades do Grupo de Interesses Especiais (SIG) das Ligas de Telessaúde. A partir de 2011 até o presente ano, com o apoio do Fundo de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), a LTS mudou o seu foco, e passou a atuar na educação em saúde utilizando TICs. Foi assim criado o projeto de extensão “Saúde na Tela” em parceria com o Núcleo de Telessaúde (NTS) do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA) e o Colégio Universitário (COLUN) dessa mesma instituição. Este projeto visou produção audiovisual para educar em saúde, com público alvo adolescentes em idade escolar. Discussão: Diferentemente de uma liga de especialidades ou temáticas, uma liga de telessaúde é considerada uma liga ferramenta. Uma vez que não possui um tema definido, esta age como ferramenta auxiliadora para as demais ligas, com a utilização de TICs. A experiência com a transmissão do curso da Liga de Gestão em Saúde da USP, uma liga temática, é uma forte evidência de como uma liga ferramenta pode ser útil a uma liga temática através do uso de TICs, uma vez que possibilitou a expansão do auditório físico da USP para alunos do estado do Maranhão


remotamente. Ao comparar a LTS com as outras ligas de telessaúde no Brasil, aquela que está atuante no Rio Grande do Sul é a que mais se assemelha com a LTS apesar das peculiaridades regionais, utilizando como parâmetro as atividades desenvolvidas. Porem, em 2011, com a criação do projeto “Saúde na Tela”, cujo foco é educação em saúde e não educação médica, a LTS se assemelhou mais com as atividades descritas pela liga do estado de Minas Gerais. Conclusão: Portanto, pode-se observar que a experiência da LTS no estado do Maranhão nos últimos anos foi satisfatória, atuando tanto em educação médica quanto em educação em saúde. Dessa forma, como liga ferramenta, a LTS mostrou-se eficiente em si tratando de ser auxiliadora, além de possibilitar o uso das TICs para as demais Ligas e, por fim, ser um instrumento chave para produção de material audiovisual em educação em saúde.

A118  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you