Page 1

A experiência de cursos à distância na atualização dos profissionais do SUS - Núcleo RJ Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes

Marta Rocha, Alexandra Monteiro, Davi Bezerra, Munique Valério dos Santos, Frederico de Sá, Bruno Krause, Leonardo Rodrigues, Rodrigo Santos, João Neves, Edson Diniz,Rodrigo Knupp Laboratório de Telessaúde & Núcleo RJ – Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes Rio de Janeiro. RJ. BRASIL. E-mail: marta@telessaude.uerj.br

Introdução: O Núcleo Técnico-Cientifico do Estado do Rio de Janeiro1,do Programa Nacional de Telessaúde Brasil Redes, implantado no Laboratório de Telessaúde da Universidade do Estado do Rio de Janeiro(UERJ), com o objetivo de atender às demandas das Redes de Atenção à Saúde está disponibilizando cursos de atualização profissional, exclusivamente à distância, multiprofissionais para nível superior e médio. O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados qualitativos e quantitativos desta metodologia para qualificação dos profissionais de saúde que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS). Materiais e Métodos: Cursos de extensão universitária, exclusivamente, à distância com carga horária de 15 horas, na modalidade atualização profissional, incluindo 10 horas-aula, a disponibilização de material de apoio bibliográfico, avaliação quantitativa para aprovação e formulário de avaliação qualitativa ao final do curso. Os cursos estão disponibilizados em espaço específico na plataforma Moodle que foi customizada pela equipe do Laboratório de Telessaúde da UERJ. Todos os cursos são certificados pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).


Resultados: No período de junho de 2010 até agosto de 2013, 16.920 profissionais de saúde realizaram 64.868 inscrições no total de 36 cursos, disponibilizados até o presente momento. Totalizando uma média de aproximadamente 4 cursos por usuários. Estes foram agrupados em: 18 na Rede de Atenção Primária, 4 na Rede Cegonha, 7 em Saúde do Idoso, 2 em Saúde Mental, 1 em Rede Urgência e Emergência, 2 em Saúde Bucal e 2 em Pesquisa em Saúde; sendo 30 cursos para profissionais de nível superior e 6 para profissionais de nível médio. No total de 14.912 profissionais de nível superior: 45% eram enfermeiros, 22% fisioterapeutas, 13% nutricionistas, 8% médicos e 3% cirurgiões-dentista, dentre outras profissões (9%). No total de 2.008 profissionais de nível médio: 44% agentes comunitários, 41% eram auxiliares e técnicos de enfermagem, 8% agente de saúde bucal, 5% técnicos de saúde bucal e 2% técnico de nutrição.

A distribuição nacional regional

destes profissionais foi de 55% região sudeste, 29% nordeste, 7% sul, 5% centro-oeste e 4% norte. Conclusão: A utilização de tecnologias em saúde está efetivamente contribuindo para a qualificação profissional, por conseguinte para o melhor atendimento a população.

Marta Rocha marta@telessaude.uerj.br Alexandra Monteiro coordenacao@telessaude.uerj.br Davi Bezerra davi@telessaude.uerj.br Munique Valério dos Santos munique@telessaude.uerj.br Frederico de Sá fred@telessaude.uerj.br Bruno Krause bruno@telessaude.uerj.br Leonardo Rodrigues leonardo@telessaude.uerj.br Rodrigo Santos rodrigo@telessaude.uerj.br João Neves joao@telessaude.uerj.br Edson Diniz edson@telessaude.uerj.br Rodrigo Knupp knupp@telessaude.uerj.br

A104  
Advertisement