Issuu on Google+

TITULO: IMPLANTAÇÃO DA TELEASSISTÊNCIA EM HOSPITAL SECUNDÁRIO ATRAVÉS DO INTERNATO DE CLÍNICA MÉDICA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ AUTORES: GERSON LUIZ BREDT JÚNIOR 1,2, CARLA SAKUMA DE OLIVEIRA BREDT1,2, JULIO EMPINOTTI1,2, BRANDINA APARECIDA MOURA2, CLÁUDIO BARRADAS SEBASTIÃO 1,2, JULIANA GERHARDT1,2GIOVANE WOLF HNATUW3 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ1 - CASCAVEL/PR HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ2 (HUOP) HOSPITAL SANTA SIMONE3 - CORBÉLIA/PR OBJETIVOS: Ampliar o ensino da medicina no internato de clinica médica em hospital de secundário monitorado por telemedicina. MÉTODOS: Através de videoconferência os casos clínicos dos pacientes do Hospital Santa Simone de Corbélia foram discutidos e proporcionaram o ensino e aprendizado da medicina aos discentes do internato de clinica médica do curso de Medicina da UNIOESTE. RESULTADOS: Foi instalada uma Câmera de vídeo da UNIOESTE no Hospital Santa Simone para viabilizar as conexões. As mesmas aconteceram 4 vezes por semana e as sextas-feiras, a supervisão do internato foi integralmente presencial. Durante 11 semanas, período correspondente ao internato curricular de clinica médica do curso de medicina da UNIOESTE, os alunos foram divididos em duplas e participaram das atividades de assistência no Hospital Santa Simone, localizado em Corbélia/PR situado a 23 km de Cascavel/PR. Durante o período de 18/07/13 a 30/09/13, 11 alunos do curso de Medicina da UNIOESTE tiveram oportunidade de conduzir 221 pacientes adultos do Hospital Santa Simone. Os alunos tiveram oportunidade de avaliar, evoluir e aprender com casos clínicos menos complexos, já que o HUOP é um hospital terciário e referência para pacientes poli traumatizados. As condutas foram guiadas pelo preceptor local e monitoradas por 6 docentes do internato de Clínica Médica. Cada aluno teve oportunidade de conduzir em média 20 novos casos com este novo cenário de prática. DISCUSSÃO: O ensino da Medicina pode e deve ser incentivado que seja realizado além dos muros do hospital/ universidade. Proporcionar novos cenários de prática cabe aos coordenadores de curso, preceptores dos internatos imbuídos de boa vontade para oferecer e viabilizar estas práticas. A Telemedicina proporciona um ambiente seguro de monitoramento do estágio assim como proporciona a teleassistência, que sem dúvida, contribui para otimizar os esforços dos profissionais da saúde em todos os níveis de atenção.


CONCLUSÃO: O presente projeto foi de grande valia para a comunidade local. Além de ampliar os campos de estágio para os alunos de medicina, fortaleceu as ações de referência x contra-referência entre os serviços de saúde viabilizando uma melhora na qualidade da assistência.

CONTATOS: GERSON LUIZ BREDT JÚNIOR : gersoncardio@yahoo.com.br CARLA SAKUMA DE OLIVEIRA BREDT: csakuma21@yahoo.com.br JULIO EMPINOTTI: jcempinotti@brturbo.com.br BRANDINA APARECIDA MOURA: dinamoura_cvel@hotmail.com CLÁUDIO BARRADAS SEBASTIÃO: Claudio.Sebastiao@unioeste.br JULIANA GERHARDT: jgerhardt83@yahoo.com.br GIOVANE WOLF HNATUW: vano23@terra.com.br


A082