Page 50

( making of )

Lizandra de Almeida

c a r t a s . t e l a v i v a @ c o n v e r g e c o m . c o m . b r

N

a campanha do antigripal Naldecon, vendido em comprimidos diferentes para se tomar de dia e à noite, a gripe é uma ovelha branca que dá sono durante o dia e uma ovelha preta que à noite não deixa a pessoa dormir. As personagens já existem há algum tempo, mas a nova campanha que estreou em julho agora tem criação da Fisher&Friends e dois novos filmes. “Nunca houve uma identidade forte para as ovelhas, elas já foram feitas de todas as formas, com todas as técnicas, como fantoches, animação, bonecos. Agora resolvemos dar uma cara mais engraçada para elas”, explica o diretor de criação, Sthefan Ko. Nessa temporada, as ovelhas têm um ar mais blasé. A cabeça é mecatrônica, com as expressões de olhos e boca controladas por controle remoto, acoplada a uma fantasia. A produção ficou a cargo da Fantástica Filmes, de Curitiba, que já tinha produzido alguns filmes anteriores da marca. “Costumamos trabalhar no desenvolvimento de personagens, e especialmente em filmes bemhumorados”, afirma o diretor Marlon Klug. “Temos um desenhista que faz os desenhos dos personagens à mão, desenvolvendo todas as características, e vamos trabalhando isso com a agência. Nesse caso, decidimos fazer uma fantasia com uma cabeça movimentada por controle remoto”, continua. Para que a ovelha não ficasse muito alta, já que a cabeça era separada do resto do corpo, Marlon chamou o amigo Claudio, que é ator e anão,

FOTOs: divulgação

As ovelhas da gripe

Animais ganharam cabeças robóticas para aumentar o realismo. para vestir a fantasia. O projeto foi desenvolvido pela Miniarte, empresa especializada em projetos artísticos, que trabalhou com as medidas do ator. Cada filme apresenta duas situações, uma diurna e outra noturna. No primeiro, a ovelha usa um massageador de cabeça para deixar um homem sonolento durante o trabalho no escritório. Mas antes que ele pegue no sono, um piano cai sobre a ovelha. À noite, outro homem tenta dormir e a ovelha está prestes a tocar um trumpete para acordá-lo quando um dardo com tranquilizante acerta seu pescoço. No segundo filme, a ovelha diurna hipnotiza uma mulher durante uma reunião e sai de cena ao ser atingida pela voadora de um lutador de telecatch. À noite, ela está prestes a tocar pratos para acordar um casal mas é nocauteada por um tronco. “Os filmes tiveram como base a linguagem dos cartoons, esses desenhos animados em que alguém leva a pior das maneiras mais absurdas”, explica Marlon. Mas, no caso, tudo foi feito em estúdio, com alguns retoques em pósprodução e elementos específicos criados em 3D. É o caso, por exemplo, do piano, todo feito em computação gráfica com o 50

T e l a

V i v a

j u l 2 0 1 3

software Houdini, que tem uma função específica para destruição. O tronco, por sua vez, é real, ou quase. Na verdade, é um material mais leve revestido com uma casca de árvore, que realmente empurra a ovelha. “O efeito de cartoon também foi conseguido graças à trilha sonora. Sem os efeitos sonoros e a música, não fica a mesma coisa”, diz Marlon. ficha técnica Agência Fischer&Friends Cliente Naldecon Direção geral criativa Mario D’Andrea Diretor de criação Sthefan Ko e Beto Rogoski Direção de arte Thiago Lacorte Redação Rafael Moreno Produtora Fantástica Filmes e Post Diretor Marlon Klug Fotografia Alberto La Salvia Montador Marcos Cassel Pós-Produção Ivan Stephan, Michel Takahashi, Karlos Schirmer, Bruno Wotroba e Leonardo Sindlinger Finalizadora Fantástica Post Produtora de Áudio Lua Nova Produção 3D Zombie Studio

>>

Revista TelaViva - 239 - Julho de 2013  

Revista TelaViva - 239 - Julho de 2013

Advertisement