Page 32

( serviços)

especial vídeo online Daniele Frederico

d a n i e l e @ c o n v e r g e c o m . c o m . b r

Da produção à medição Popularização da banda larga e mudança nos hábitos de consumo levam ao crescimento das empresas que oferecem serviço de web TV de ponta a ponta.

C

om a melhoria da banda larga, computadores mais potentes e a popularização de portais de vídeo como o YouTube, o vídeo na Internet virou moda. E com essa moda, a demanda por serviços profissionais de web TV de ponta a ponta, que incluem desde a produção até a entrega de conteúdo e a medição dos resultados, cresceu exponencialmente. Para suprir essa demanda, pipocaram no mercado uma série de empresas, com históricos distintos e expertises de diferentes áreas, dispostas a fazer web TVs completas, transmissões avulsas e outros serviços de entrega de vídeo pela Internet. Algumas viram na web uma oportunidade de começar um negócio. Outras, viram uma chance de modernizar (e baratear) o seu serviço. É o caso da Sétima Arte, que há quase 19 anos produz conteúdo para TVs corporativas. Embora tenham começado a trabalhar com Internet em 99, foi em 2004 que as transmissões por este meio engrenaram, deixando para trás as caras transmissões via satélite, que chegavam a custar R$ 1 mil por uma hora. Essa transmissão via Internet, menos custosa, ajudou a popularizar o vídeo no ambiente corporativo. “Antes era difícil conseguir ter dois clientes. Hoje tenho cerca de dez empresas”, comemora o diretor comercial da Sétima Arte, Fernando Palermo, que

anos. “A empresa teve de se adaptar de uma simples produtora de conteúdo para um fornecedor de soluções de distribuição de conteúdo”, conta o diretor de novos negócios da Take 5, Alceu Costa Jr.

FOTOS: divulgação

tem entre seus clientes a Volkswagen. O que a maioria dessas empresas têm em comum é o uso de ferramentas próprias. Após a produção do vídeo, a entrega se dá por meio de plataformas exclusivas, customizadas ao gosto do cliente. Fernando Palermo conta que o desenvolvimento da primeira ferramenta de transmissão ao vivo levou um ano e três meses. Hoje, o mercado oferece diversas ferramentas para esse tipo de publicação. “Hoje temos uma ferramenta, a MyTV, com a qual montamos uma web TV em dias”, diz. Quem também utiliza ferramentas próprias e trabalha especialmente com o mercado de vídeo corporativo é a Take 5. A empresa chegou a trabalhar com treinamentos via VHS, o chamado “videomailing”, marca que registrou há 13

“Com a banda que existe hoje, o vídeo na Internet já vem crescendo. Com banda larga de verdade, não sei onde vai parar” Fernando Palermo, da Sétima Arte

32

T e l a

V i v a

j u n 2 0 1 0

Popularização Um dos pontos mais importantes para a popularização do serviço de web TV - e para a proliferação de empresas prestadoras desse serviço foi o crescimento da penetração e a melhoria da qualidade da banda larga no Brasil. Com mais capacidade, era possível não apenas transmitir, mas também ter certeza que o público-alvo receberia as mensagens. “Com a banda que existe hoje, o vídeo na Internet já vem crescendo. Com banda larga de verdade, não sei onde vai parar”, diz Palermo. Costa, da Take 5, lembra que desde que a produtora começou a fazer vídeo para a web, a maior mudança que aconteceu no mercado foi comportamental, e aconteceu por causa de uma melhoria na transmissão. “Os executivos perceberam que o vídeo é fato na web, e que é possível ter uma boa experiência. Sofremos muito no começo pelo fato do vídeo na web ser desacreditado, por acharem que não funcionava”, compartilha. Por mais que seu foco seja nos vídeos gerados pelos usuários, o YouTube teve papel importante nessa mudança de comportamento. “Graças ao YouTube, as pessoas perderam o medo do vídeo na Internet”, diz Cláudio Odri, sócio-diretor da CdClip, empresa especializada em comunicação digital e produção de

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010  

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010  

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010

Advertisement