Page 18

( capa )

Fernando Lauterjung

f e r n a n d o @ c o n v e r g e c o m . c o m . b r

Quinto elemento Com aposta em tecnologia, RedeTV! disputa audiência e verbas com as outras quatro grandes redes de televisão.

P

FOTO: Marcelo Kahn

residente da RedeTV!, Amilcare Dallevo Júnior é um entusiasta da tecnologia, que diz estar no DNA da emissora criada por ele. Em entrevista exclusiva, explica por que faz questão de produzir e transmitir toda a programação em alta definição e por que investiu no pioneirismo da transmissão de conteúdo em 3D. O executivo aponta ainda os planos da emissora na Internet, como vai diversificar a programação, reclama da medição de audiência e da divisão injusta do bolo publicitário e mostra como a emissora paulista vem comendo pelas beiradas na disputa com as outras quatro grandes redes pela audiência e por verbas.

Amilcare Dallevo Júnior, da RedeTV!

corporativa da empresa se manter na vanguarda tecnológica.

TELA VIVA - Por que a RedeTV! investe tanto no pioneirismo tecnológico? Foi a primeira emissora tapeless 100% HD e fez a primeira transmissão em 3D. Amilcare Dallevo Júnior - Ainda é a única emissora 100% HD, desde janeiro de 2008. São vários fatores. O principal é a tecnologia no DNA, nós viemos dessa área, eu já tinha empresa de software. A gente sempre teve a característica de tentar resolver qualquer problema através da tecnologia. Sempre tivemos essa familiaridade com a tecnologia. É claro que houve um investimento alto. Tivemos que trocar mais de 120 câmeras. Mas é um investimento que nossos concorrentes teriam condições de fazer. Acontece que está na cultura

Pretendem ser 100% 3D também? Nós já somos. Ainda dependendo de alguma conversão do conteúdo. Hoje todos os programas ao vivo são feitos com câmeras 3D, como o “Manhã Maior”, o “Pânico”, o “Superpop”. Todos os programas de estúdio estão com sinal 2D e 3D. A gente acha que está aprendendo muito com essa experiência, da mesma forma que aconteceu com o HD. No HD havia muitos mitos em relação à maquiagem e ao cenário, e realmente há algumas diferenças em relação ao SD. Embora alguns estivessem estudando o HD muito antes de a RedeTV! existir, o fato de estarmos há mais de dois anos 100% em HD nos deu uma experiência muito maior. O HD está na rotina da nossa produção. Não é mais algo especial. Agora é o momento de fazer o

18

T e l a

V i v a

j u n 2 0 1 0

mesmo no 3D. Estamos aprendendo o melhor enquadramento, quando mexer no ponto de convergência para levar o espectador mais para dentro do ambiente de gravação. Vamos buscar a experiência. Essa cultura de desbravamento tecnológico tem algum efeito nas receitas publicitárias? Eu acho que o retorno foi lento, mas existiu. Mesmo assim, até hoje não tivemos um único comercial em HD. Temos todos os players disponíveis para HD. Podemos receber o comercial em qualquer formato HD. Agora já temos inclusive players em 3D. Acredito que as agências podem abraçar o 3D antes do HD, por conta do modismo e do barulho em torno do “Avatar” e outros filmes.

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010  

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010  

Revista Tela Viva 205 - Junho 2010

Advertisement