Issuu on Google+


Os Pioneiros CAAdEx

FAZIAM PARTE DA PRIMEIRA OFICIALIDADE: (da esquerda para a direita) tenente Winter, capitão Souto Maior, coronel Rui, tenente-coronel Julio, tenente Filipe e tenente Schimidt.

m ano depois da criação oficial do CAAdEx, o coronel Rui Monarca da Silveira, seu comandante à época escreveu: Há um ano atrás, em 21 de agosto de 1996, o Exmo Sr Ministro do Exército, em Portaria Nr 525, criava o Comando de Operações Terrestres, alinhando-se aos países mais modernos do mundo na evolução da instrução militar. Tais estudos visavam, particularmente, dar um salto de qualidade no adestramento das forças terrestres. Nos últimos anos, os Exércitos mais poderosos criaram centros de adestramento nos moldes dos já existentes nos Estados Unidos da América. Utilizam modernos equipamentos e equipamentos eletrônicos e avançadas técnicas para dar maior realismo possível aos seus exercícios de dupla ação, conseguindo assim uma perfeita imitação do combate. Tais técnicas surgiram durante a Guerra do Vietnam quando, durante os bombardeios os Estados Unidos conseguiam a mesma “performance” nos combates aéreos até haver uma interrupção nesses bombardeios. A Marinha criou, então, uma escola de combate ar-ar que empregava uma “força aérea oponente” utilizando as mesmas técnicas

10 TECNOLOGIA & DEFESA

e táticas dos pilotos inimigos e, com auxilio da eletrônica, conseguiu simular com maior realismo o engajamento das aeronaves inimigas. Quando os bombardeios reiniciaram, um ano e meio depois, a Marinha tinha se tornado seis vezes mais eficiente do que a Força Aérea, graças à nova concepção de exercícios de dupla ação. No início da década de 80, o Exército dos EUA criou um centro de adestramento que empregava essa nova concepção em batalhas simuladas de blindados. O resultado foi uma grande melhora em seu adestramento. No início dos anos 90, outros centros foram criados nos EUA e em vários países do hemisfério norte. O EME, pensando no futuro da Força Terrestre, resolveu que também deveríamos marchar na direção da modernidade e propôs a criação do CAAdEX. No inicio desse ano, o comandante foi nomeado e foram classificados alguns oficiais e praças para iniciarem a criação efetiva do Centro. Estamos vivendo hoje e fazendo a história. Daqui a alguns anos, o Exército se lembrará desses poucos que hoje são pioneiros em uma atividade que, tenho certeza, melhorará muito a operacionalidade da Força Terrestre. Brasil Acima de Tudo!


Portaria Nr 525, de 21 Ago 96. Cria o Centro de Avaliação de Adestramento do Exército e dá outras providências. O Ministro de Estado do Exército, no uso da competência que lhe confere o Art 28, inciso VI, do Decreto Nr 93.188, de 29 Ago 96, e de acordo com o que propõe o Estado-Maior do Exército, ouvido o Comando de Operações Terrestres, resolve: Art 1°- Criar o Centro Avaliação de Adestramento do Exército (CAAdEx), com sede na cidade do Rio de Janeiro – RJ, vinculando-o ao Comando de Operações Terrestres para efeito de orientação e supervisão das atividades de avaliação de adestramento § 1º- Esse Centro, ao ser ativado, funcionará como Núcleo do Centro de Avaliação de Adestramento do Exército (NuCAAdEX), até 31 de dezembro de 1998, subordinado à 1ª Divisão de Exército (1ª DE) e vinculado administrativamente ao Comando da 1ª DE. § 2º- A subordinação e a competência administrativa do CAAdEx serão definidas na oportunidade em que deixe funcionar como núcleo ; Art 2º – Determinar que: I – O CAAdEx : a) seja ativado a partir de 1º de janeiro de 1997; b) ocupe, provisoriamente, as instalações da antiga 9ª Companhia de Comunicações (Escola); II - O Estado Maior do Exército baixe os atos complementares necessários à execução presente Portaria ; III – O Comando de Operações Terrestre, o Comando Militar do Leste, os departamentos e as secretarias adotem, em seus setores de competência, as medidas decorrentes. Art 3º Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação. Art 4º Revogar o inciso V do Art 2º da Portaria, Ministerial Nr 310, de 27 maio de 1996, renumerando-se os demais incisos.

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO CML – 1ªDE CENTRO DE AVALIAÇÃO DE ADESTRAMENTO DO EXÉRCITO HOMENAGEM DO CENTRO DE AVALIAÇÃO DE ADESTRAMENTO DO EXÉRCITO — CENTRO DE AVALIAÇÃO DE ADESTRAMENTO GENERAL ÁLVARO BRAGA/1996 AOS PRIMEIROS MILITARES QUE SE APRESENTARAM NESTA ORGANIZAÇÃO MILITAR, CRIADA POR MEIO DA PORTARIA MINISTERIAL Nº525, DE 21 DE AGOSTO DE 1996, CONTRIBUINDO COMO PIONEIROS NA AVALIAÇÃO DO ADESTRAMENTO DAS UNIDADES DO EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDANTE Cel Cav RUI MONARCA DA SILVEIRA SUBCOMANDANTE TC Cav JÚLIO DE AMO JÚNIOR OFICIAIS Maj Inf LUCIANO MENDES NOLASCO Cap Eng JORGE HENRIQUE COUTO SOUTO MAIOR 1º Ten Inf NELSON RICARDO FERNANDES DA SILVA 1º Ten Art MAREN CASTRO WINTER 1º Ten Inf FILIPE CARVALHO E SÁ 1º Ten Cav RICKMANN SCHMIDT PRAÇAS ST Inf MANOEL MARCELO PEREIRA FRAZÃO 2º Sgt MB WALLACE ALVES DA SILVA 2º Sgt Int JOSÉ GIOVANI SILVA SOUZA 2º Sgt Inf ARY ALEXANDRE DA SILVA 2º Sgt Com MARCELO DE PAIVA SPORTITSCH 3º Sgt MB HELENO AFONSO JÚNIOR

3º Sgt Inf LUIZ CARLOS MARQUES FERREIRA 3º Sgt Inf GLAUCO DOS SANTOS SILVA 3º Sgt Mnt Com NILTON CEZAR SOUZA LIMA 3º Sgt Inf SÉRGIO FERREIRA JUNIOR 3º Sgt Inf MORGANIR SILVA DOS SANTOS Cb ERLON RICARDO TOFFANELL VALENTE Cb ADRIANO ISAÍAS DA CRUZ Cb EMERSON ANDRADE SILVA Cb FÁBIO ANDRÉ SANTOS DA SILVA Cb JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA Cb CARLOS HENRIQUE PAULA OLIVEIRA Cb CLODOALDO MONTEIRO DOS SANTOS Cb ANDRÉ SILVA DE SOUZA Cb RODRIGO DA SILVA MIGUEZ Cb LINCOLN DOS SANTOS ROCHA

Sd PEDRO JOSÉ DA SILVA MACHADO Sd GILBERTO CAETANO JÚNIOR Sd MÁRIO SÉRGIO TORRES XAVIER Sd IRANILSON SOUZA ALVES Sd LUIZ TRIGUEIRO NETO Sd WENDEL RODRIGUES DA GAMA Sd ROGÉRIO DA SILVA ROMÃO Sd CLÁUDIO ROBERTO CAMPOS DE SOUZA Sd RODRIGO DA SILVA MIGUEZ Sd DOUGLAS DE ALMEIDA Sd JONAS CUPERTINO DE OLIVEIRA Sd GERALDO DE A. RENOVATO JÚNIOR Sd LUCIANO MARINHO JÚNIOR Sd MARCELO ANDRADE SILVA Sd JOSÉ GERALDO DE LIMA

“UM EXÉRCITO PODE PASSAR MAIS DE CEM ANOS SEM GUERREAR, MAS NÃO PODE PASSAR SEM O TREINAMENTO, SEM O ADESTRAMENTO, SEM UMA BOA FORMAÇÃO, UM MINUTO SEQUER.” (NAPOLEÃO BONAPARTE) QUARTEL NA VILA MILITAR, 21 DE AGOSTO DE 2010.

TECNOLOGIA & DEFESA 11


CAAdEx

4 TECNOLOGIA 14 TECNOLOGIA&&DEFESA DEFESA


O emprego da Simulação Viva no adestramento do Exército Brasileiro

TECNOLOGIA & DEFESA DEFESA 15 5


Simulador do AT-4 Wireless Target Systems - WTS (Receptor Laser para Viaturas)

Medical Training System - MTS (Sistema de Tratamento MĂŠdico)

Personal Detection Device - PDD (Colete e Tirante de Capacete e Receptores Laser)

Gamer (Acompanhamento do ExercĂ­cio em Tempo Real) 36 TECNOLOGIA & DEFESA 24


TECNOLOGIA & DEFESA 25 37

Quanto mais duro o treinamento... ...mais facilitado o combate


Tecnologia para o cumprimento da missão As três gerações de equipamentos utilizados Primeira: do início até 2003

Arma Controle

Dispositivo de Alinhamento do SAT 32 TECNOLOGIA & DEFESA 20

Small Arms Transmitter - SAT (transmissor laser)

Simulador de Canhão S/ Recuo Carl Gustav


Fotos: CAAdEx

Simulacro de Granada de Mão (emissora de feixe de laser)

Simulacro de Mina Claymore

Personal Detection Device - PDD ( Colete e Tirante de Capacete e Receptores Laser)

TECNOLOGIA & DEFESA 21 33


26 TECNOLOGIA 42 TECNOLOGIA&&DEFESA DEFESA


Roberto Caiafa

Missão Jogos Olímpicos Em um ano, o CAAdEx adestrou seis mil homens para a segurança do evento TECNOLOGIA & & DEFESA DEFESA 43 27


EXCELÊNCIA NO ADESTRAMENTO


Revista T&D Suplemento Especial nº 19