Issuu on Google+

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. DINIS

Sistemas Operativos de Grande Porte

Trabalho realizado por: Flávio Silva · Nº 5 12ºD


Índice INTRODUÇÃO .................................................................................................................. 2 SISTEMAS OPERATIVOS DE GRANDE PORTE ................................................................ 3 CARACTERÍSTICAS DOS SISTEMAS OPERATIVOS DE GRANDE PORTE ........................... 4 SISTEMA DE APLICAÇÃO 400 DA IBM – AS/400 ........................................................... 4 CARACTERÍSTICAS DO AS/400 ................................................................................. 5 ORGANIZAÇÃO DE OBJECTOS ................................................................................... 5 BIBLIOTECAS OU LIVRARIAS .................................................................................... 5 LISTAS DE BIBLIOTECAS .......................................................................................... 6 FICHEIROS FÍSICOS E LÓGICOS ................................................................................. 7 LINGUAGENS DO SISTEMA........................................................................................ 7 O SISTEMA VAX/VMS .................................................................................................... 7 EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS VAX ATÉ AO OPEN VMS .................................................. 7 TIPOS DE UTILIZAÇÃO ................................................................................................. 9 CONCLUSÃO ................................................................................................................. 10 ANEXOS ........................................................................................................................ 11

Sistemas Operativos de Grande Porte

BIBLIOGRAFIA E WEBGRAFIA ....................................................................................... 12

1


INTRODUÇÃO

No âmbito da disciplina de Tecnologias Informáticas foi pedido para realizar um

Sistemas Operativos de Grande Porte

trabalho sobre o Sistemas Operativos de grande porte.

2


SISTEMAS OPERATIVOS DE GRANDE PORTE

Sistemas de Grande Porte, são computadores que se distinguem dos outros pois têm uma grande capacidade de processamento, isto é, possuem vários processadores de armazenamento. Outra característica que os distingue é possuírem unidades de discos com imensa capacidade (acima de terabyte – ver anexo). Eles permitem a ligação de milhares de utilizadores através de milhares de terminais que podem estar ligados directamente aos servidores ou por meios de redes. Estes sistemas, estão bem preparados para trabalhar continuamente em meios de elevada exigência, onde existe uma total disponibilidade dos servidores. Este tipo de máquinas só se justifica em locais que vários utilizadores acedem

Sistemas Operativos de Grande Porte

simultaneamente a bases de dados complexas com enorme volume de informação.

3

Estes sistemas são utilizados por médias e grandes máquinas, quer em áreas comerciais quer em áreas de armazenamento e fabrico. Tendo em conta a sua utilização podemos dividir a utilização em dois grandes grupos: a utilização em estabelecimento educacionais e a utilização em empresas. Concluindo, um grande objectivo dos Sistemas de Grande Porte é dar resposta a grandes pedidos de utilizadores.


Características dos Sistemas Operativos de Grande Porte

Sistemas batch, tempo real e interactivo são algumas das características dos sistemas operativos de grande porte. Nos sistemas batch, os programas com as mesmas características são agrupados e executados numa sequência, sem qualquer intervenção do operador. O que distinguem sistemas de tempo real do tempo compartilhado ou interactivo é que os primeiros, são usados para, numa aplicação dedicada, controlar um dispositivo, enquanto os sistemas de tempo compartilhado ou interactivo, os periféricos, a memória e os discos são partilhados e possibilita que vários utilizadores remotos executem tarefas em simultâneo num computador.

SISTEMA DE APLICAÇÃO 400 DA IBM – AS/400 para sistemas de tamanho médio e foi criada em 20 de Junho de 1988. Um sistema multi-utilizador, agrupando as características de facilidade de operação do System/36, com arquitectura avançada e produtividade do System/38. Ao passar dos anos a IBM tem tornado o AS/400 num sistema “centrado em aplicações”.

Sistemas Operativos de Grande Porte

Utilizada pela IBM, o Sistema de Aplicação 400 da IBM – AS/400 é uma arquitectura

4


Características do AS/400

O AS/400 separa os utilizadores das características do hardware através de uma arquitectura de várias camadas (níveis):

 Nível 3 – Interface de Maquina (IM) – é suportada pela camada superior do código interno. É este nível que os utilizadores trabalham.  Nível 2 – Interface Interna de Micro programação (IIMP) - é suportada por uma segunda camada de código interno que interpreta as instruções IIMP.  Nível 0 - inclui o processador e armazenamento principal, dispositivos I/O e controladores, slots, cabos e conectores que compõem o sistema AS/400.

Organização de Objectos

O AS/400 é um sistema que tem por base, objectos. Um objecto é tudo que existe no sistema desde ficheiros até ao ecrã e o que pode ser guardado ou obtido.

Sistemas Operativos de Grande Porte

O nome do objecto e o tipo de objecto são utilizados para a sua identificação.

5

Bibliotecas ou Livrarias

As estruturas organizacionais principiais do AS/400 são as bibliotecas ou livrarias. As bibliotecas são objectos que contêm bases de dados, ficheiros de sources e programas compilados.


Uma biblioteca pode conter tudo o que é manipulável no sistema. É um grupo de objectos relacionados.

Existem as seguintes várias categorias de bibliotecas: 

Biblioteca de Sistema (SYS) - contém objectos do sistema, como o sistema

operativo, compiladores de linguagens do sistema, utilitários e descrições de outras bibliotecas. 

Bibliotecas de Utilizadores (USR) - guardam objectos definidos pelos

utilizadores, como bases de dados e programas. Uma biblioteca de utilizador pode ser criada pela IBM ou pelos utilizadores do sistema. 

Biblioteca de Produtos - contêm objectos que são alterados pelo sistema assim

que os utilizadores executam comandos ou utilizam menus. 

Biblioteca Corrente - é utilizada por defeito para a criação de objectos. A

biblioteca corrente pode ser uma das bibliotecas da lista de bibliotecas do utilizador ou poderá ser qualquer outra biblioteca para a qual o utilizador tenha autoridade.

Se um nome não qualificado for especificado, o sistema operativo irá pesquisar na library list (lista de bibliotecas) até encontrar a primeira ocorrência do objecto com aquele nome e daquele tipo, ou então até pesquisar todas as bibliotecas da lista de bibliotecas sem encontrar o objecto desejado.

Sistemas Operativos de Grande Porte

Listas de Bibliotecas

6


Ficheiros Físicos e Lógicos

 Ficheiros Físicos – contêm os dados reais, o registo do ficheiro físico tem um conjunto fixo dos campos onde cada campo pode ter comprimentos variáveis;

 Ficheiros Lógicos – permitem que um utilizador obtenha dados num formato diferente daquele com que foi armazenado num ou mais ficheiros físicos. O ficheiro lógico não contém nenhum registo de dados.

Linguagens do Sistema

O sistema AS/400 suporta várias linguagens standards, onde se destacam as seguintes: RPG/400; COBOL/400; C/400;

Sistemas Operativos de Grande Porte

SQL/400.

7

O SISTEMA VAX/VMS Evolução dos sistemas VAX até ao Open VMS No início dos anos 70, o aparecimento dos minicomputadores alterou o panorama da indústria de computadores. A Digital Equipament Corporation (DEC) e a Data General (DG) são duas das empresas originadas pelo aparecimento dos minicomputadores.


Nas figuras em baixo, pode-se ver á esquera umVax 11/780 e á direita um OpenVMS.

A (DEC) constitui uma história de sucesso no mercado de computadores, pois tornou-se numa das maiores fabricantes a nível mundial, graças a duas gerações de máquinas, o PDP-11 e o Vax.

O PDP-11

possuía uma capacidade de endereçamento de 16 bit, o que veio a tornar-

se uma limitação para determinados sectores do mercado. O Vax

pretendeu oferecer sobre um minicomputador com uma arquitectura

sofisticada um sistema operativo multiutilizador adaptado ao trabalho interactivo, mas

No fim da década de 70, a Digital lançou o seu primeiro computador baseado na nova arquitectura, o Vax-11/780, tendo como sistema operativo o VMS. O sistema operativo “nativo” do VAX é o VAX/VMS da DEC. A arquitectura VAX e o sistema operativo VMS foram desenvolvidos com o objectivo de que cada um tirasse a máxima vantagem do outro..

Sistemas Operativos de Grande Porte

também com possibilidade de utilização em aplicações em tempo real.

8


Tipos de Utilização

O OpenVMS é um sistema operativo multi-programável e multiutilizador. É um sistema muito eficiente em soluções de carácter comercial e científico, devido a suportar diferentes estilos de operação. Este sistema foi concebido com o objectivo de operar em plataformas VAX e Alpha AXp.

As principais características deste sistema são, a de implementar em ambientes clienteservidor, processar de modo batch, processar aplicações em tempo real e a compatibilidade de

Sistemas Operativos de Grande Porte

código-fonte inter-plataformas.

9


CONCLUSテグ Com este trabalho fiquei a saber um pouco mais sobre sistemas operativos de

Sistemas Operativos de Grande Porte

grande porte.

10


ANEXOS Byte (B) 

1 Byte = 8 bits (2³ bits).

Petabyte (PB)

Quilobyte (KB)  

1 024 Bytes 8 192 Bits Megabyte (MB)

  

1 024 KB 1 048 576 (220) Bytes 8 388 608 Bits Gigabyte (GB)

   

1 024 MB 1 048 576 KB 1 073 741 824 (230) Bytes 8 589 934 592 Bits

     

Exabyte (EB)       

Sistemas Operativos de Grande Porte

1 024 GB 1 048 576 MB 1 073 741 824 KB 1 099 511 627 776 (240) Bytes 8 796 093 022 208 Bits

       

1 024 EB 1 048 576 PB 1 073 741 824 TB 1 099 511 627 776 GB 1 125 899 906 842 624 MB 1 152 921 504 606 846 976 KB 1 180 591 620 717 411 303 424 (270) Bytes 9 444 732 965 739 290 427 392 Bits Yottabyte (YB)

        

11

1 024 PB 1 048 576 TB 1 073 741 824 GB 1 099 511 627 776 MB 1 125 899 906 842 624 KB 1 152 921 504 606 846 976 (260) Bytes 9 223 372 036 854 775 808 Bits Zettabyte (ZB)

Terabyte (TB)     

1 024 TB 1 048 576 GB 1 073 741 824 MB 1 099 511 627 776 KB 1 125 899 906 842 624 (250) Bytes 9 007 199 254 740 992 Bits

1 024 ZB 1 048 576 EB 1 073 741 824 PB 1 099 511 627 776 TB 1 125 899 906 842 624 GB 1 152 921 504 606 846 976 MB 1 180 591 620 717 411 303 424 KB 1 208 925 819 614 629 174 706 176 (280) Bytes 9 671 406 556 917 033 397 649 408 Bits


BIBLIOGRAFIA

E

WEBGRAFIA

Manual da disciplina

http://www.alunos.ipb.pt/~ei9422/sistema_operativo.html

http://www.slideshare.net/arturramisio/sistemas-operativos-de-grande-porte-1312496 http://pt.wikipedia.org/wiki/VAX/VMS http://pt.wikipedia.org/wiki/OpenVMS http://pt.wikipedia.org/wiki/Byte

Sistemas Operativos de Grande Porte

http://www.alunos.ipb.pt/~ei9422/sistema_operativo.html

12


Trabalho Tecnologias