__MAIN_TEXT__

Page 1

VALORES PRÓPRIOS

22

ENSINO/EDUCATION

Técnico no caminho da mudança Técnico on the path to change

MOOC TÉCNICO

WORKSHOP

Balanço de um ano de sucesso Appraisal of a successful year

Intercâmbio internacional de arquitetura International architecture exchange


DR

VALORES PRÓPRIOS

Direção Editorial / Editorial Direction: Arlindo Limede de Oliveira, Luís Caldas de Oliveira, Luís Miguel Silveira, Palmira Ferreira da Silva Editores / Editors: André Pires, Marta Pedro Direção de Arte / Art Direction: Tiago Machado Designers: Patrícia Guerreiro, Telma Baptista, Tiago Lopes Distribuição e Publicidade / Distribution and Advertising: GCRP gcrp@tecnico.ulisboa.pt Editora / Publisher: Instituto Superior Técnico Av. Rovisco Pais, 1 1049-001 Lisboa Tel: (+351) 218 417 000 Fax: (+351) 218 499 242 Impressão / Printing: Jorge Fernandes, Lda Rua Q.ta Conde de Mascarenhas N9 Vale Fetal 2825-259 Charneca da Caparica Tel.: 212 548 320 Fax: 212 548 329 Edição / Edition: 22/2018 Periodicidade / Periodicity: Bimestral/ Bimonthly Tiragem / Circulation: 5.000


EDITORIAL/EDITORIAL

garantir a qualidade, relevância e atratividade do ensino superior, envolvendo líderes institucionais, docentes, estudantes e parceiros externos. Este número da Valores Próprios destaca a inovação na aprendizagem e no ensino, descrevendo programas e atividades que foram desenvolvidos a nível institucional ou numa unidade curricular no Técnico, focando a importância das novas metodologias e tecnologias no ensino, assim como a digitalização e o papel das competências transversais . Espero que ilustre algumas das melhores práticas do Técnico e que contribua para aumentar a inovação na aprendizagem e no ensino do Técnico.

EN Over the past two decades, major reforms have been undertaken across Europe as part as the Bologna Process. As a result, student-centered learning, quality assurance (QA) and a learning outcomes approach have become key elements of higher education in Europe today. Nevertheless, the world is changing at a very fast pace, and knowledge is nowadays developed, transmitted and applied in a much faster way, with novel forms and creative ways of communication and access to the information. Enhancing the quality of learning and teaching and its relevance to learners and society is crucial for the leading European universities. Improved quality is strongly connected

RAQUEL AIRES BARROS PRESIDENTE DO CONSELHO PEDAGÓGICO/PRESIDENT OF THE PEDAGOGIC COUNCIL

to digitalization, internationalization, research and the capability of innovation in learning and teaching. Thus, enhancing the profile of teaching and innovative pedagogies, strengthening the link between education and research, promoting the use of new technologies and digitalization for teaching and learning, and reinforce the impact of higher education on society, are of extremely importance and are currently on the agenda of most of the universities in Europe. In order to support the enhancement of learning and teaching several European universities proposed 10 European Principles for the Enhancement of Learning and Teaching . The Principles aim to ensure the quality, relevance and attractiveness of higher education, involving the institutional leaders, staff, students and external stakeholders. This issue of Valores Próprios highlights innovation in learning and teaching at Técnico, describing programs and activities that have been developed at an institutional level or on curricular units, focusing on the importance of new methodologies and technologies on teaching and digitalization, as well as the role of transversal skills. I hope that this issue highlights some of the best practices at Técnico and contributes to innovation in learning and teaching in our School.

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

PT Ao longo das duas últimas décadas, foram feitas grandes reformas em toda a Europa como parte do Processo de Bolonha. Como resultado, a aprendizagem centrada no aluno, a garantia de qualidade e uma abordagem focada nos resultados de aprendizagem, tornaram-se elementos-chave do ensino superior na Europa. No entanto, o mundo mudou e o conhecimento é desenvolvido, transmitido e aplicado de uma forma muito mais rápida, baseado em novas formas e criativas de comunicação e num acesso universal à informação. Melhorar a qualidade da aprendizagem e do ensino, assim como a sua relevância para os alunos e a sociedade, é crucial para as principais universidades europeias, e hoje a qualidade está fortemente ligada à digitalização, à internacionalização, à investigação e à capacidade de inovação na aprendizagem e no ensino. Assim, melhorar o ensino e incluir pedagogias e metodologias inovadoras, fortalecer o vínculo entre educação e investigação, promover o uso de novas tecnologias e digitalização para o ensino e a aprendizagem, e fortalecer a ligação com a sociedade, são de extrema importância e estão atualmente na agenda da maioria das universidades da Europa. Com o objectivo de apoiar a melhoria da aprendizagem e do ensino, várias universidades europeias propuseram 10 Princípios Europeus para a Melhoria da Aprendizagem e Ensino. Os Princípios visam

P—3

Inovação na aprendizagem e no ensino no Técnico Innovation in learning and teaching at Técnico


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2018

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

NOMEAÇÃO/APPOINTMENT

PRÉMIO/PRIZE

P—4

Isabel Vaz e Bárbara Simões vencem a segunda edição do Prémio Maria de Lourdes Pintasilgo Isabel Vaz and Bárbara Simões win the second edition of the Maria de Lourdes Pintasilgo Prize

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT O júri, presidido pelo presidente do Técnico, o professor Arlindo Oliveira, foi unânime na escolha das vencedoras da segunda edição do prémio Maria de Lourdes Pintasilgo: Isabel Aníbal Vaz e Bárbara Fernandes Simões. Na categoria Role Model a vencedora foi a engenheira Isabel Aníbal Vaz “pelo seu percurso profissional e social, desde a sua graduação em Engenharia Química até à sua atual posição de presidente da comissão executiva do Grupo Luz Saúde” e, ainda, pela forma como “com o seu exemplo, tem demonstrado a diversidade das competências proporcionadas na sua formação no Técnico”. Já na categoria Young Alumni do concurso a escolhida foi Bárbara Fernandes Simões “ em reconhecimento do seu percurso académico exemplar, do envolvimento em atividades inseridas na comunidade do Técnico, bem como de atividades desportivas e de solidariedade social, e da sua notável progressão académica, que culminou na sua dissertação de mestrado em Matemática e Aplicações, onde desenvolveu um modelo com opções de switching e de abandono, no contexto da indústria petrolífera, com uma classificação final de dezanove valores”.

EN The jury, presided by the president of Técnico, professor Arlindo Oliveira, was unanimous in selecting the winners of the second edition of the Maria de Lourdes Pintassilgo Prize: Isabel Aníbal Vaz and Bárbara Fernandes Simões. In the Role Model category, the winner was the engineer Isabel Aníbal Vaz, as a consequence of her professional and social path, from her graduation in Chemical Engineering to her current position as president of the executive committee of the Luz Saúde Group. It was also a result of “how, with her example, she has demonstrated the diversity of skills provided in her training at Técnico. “ Regarding the Young Alumni category of the contest, Bárbara Fernandes Simões was chosen “in acknowledgement of her exemplary academic career, involvement in activities within the Técnico community, as well as sports activities and charity work, and her remarkable academic progression, which culminated in her master’s thesis on Mathematics and Applications, where she developed a model with switching and abandonment options, in the context of the oil industry, with a final classification of nineteen values.”

Professor Francisco Lima é o novo presidente do INE Professor Francisco Lima is the new president of the INE PT O docente do Técnico, o professor Francisco Lima, é oficialmente o novo presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE). Depois da nomeação feita pelo governo e da respetiva aprovação pela CRESAP - Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública, o professor do Técnico já assumiu as novas funções. “Uma honra e um desafio”, foi assim que o professor Francisco Lima comentou o facto de ter sido escolhido pelo Governo para ocupar o cargo. O docente associado do Departamento de Engenharia e Gestão do Instituto Superior Técnico, e também investigador do Centro de Estudos de Gestão da instituição, sucede a Alda Carvalho, que abandonou o INE no início deste ano ao atingir os 70 anos de idade, depois de 12 anos a assumir a liderança do organismo. O professor Francisco Lima já havia assumido as funções de consultor do INE entre 2005 e 2013 para a área do mercado de trabalho. EN Professor Francisco Lima, who teaches at Técnico, is officially the new president of the National Institute of Statistics (INE). Following his nomination by the government and respective approval by CRESAP - Recruitment and Selection Commitee for Public Administration, the professor has already taken on the new functions. “An honor and a challenge” was how Professor Francisco Lima described having been chosen by the Government to take this position. The associate teacher in the Engineering and Management Department of Instituto Superior Técnico, in addition to being an investigator at the Management Science Research Center at the institution, is the successor of Alda Carvalho, who left the INE earlier this year when she turned 70, after 12 years of leadership. Professor Francisco Lima had worked as a consultant for the INE between 2005 and 2013 in the job market field.


Investigadores do Técnico com mais um artigo na Physical Review Letters Técnico researchers have one more article in Physical Review Letters

Unbabel capta 23 milhões de dólares em nova ronda de financiamento Unbabel raises $23 million in new round of funding

EN An article by researchers from Técnico’s Department of Physics, which derives from a close collaboration with Centre for Mathematical Analysis, Geometry and Dynamical Systems (CAMGSD), is part of the most recent edition of the prestigious publication Physical Review Letters. Vítor Cardoso, a professor in the Department of Physics and one of the authors of the article, explains the exceptional outlines of this publication: “Physical Review Letters is the most reputable journal in the area, this is, I should point out, where the work that was awarded with the Nobel Prize in Physics, 2017, was published.”“Of the articles with the honor of being published there, only a small fraction (about 10%) of the works is chosen as “Editors’ Suggestion” and as Viewpoint (that is, a colleague is in charge of writing an article about our article) “, Explains the co-author. The paper analyzes the results of an in-depth study of black holes with electric charge showing that, in fact, a singularity appears in the Cauchy horizon, in most cases.

PT O ano de 2018 traduz-se, desde já, em boas notícias para a Unbabel, uma IST spin-off que através da sua plataforma alia inteligência artificial com pós-edição humana à tradução automática. A startup portuguesa fundada em 2013 por Vasco Pedro e João Graça, investigadores no Técnico, anunciou a captação de 23 milhões de dólares numa ronda de financiamento Série B, um montante que será investido na expansão internacional e desenvolvimento de produto. A série B de investimento contou com investidores como a Scale Venture Partners, a Notion, a Microsoft Ventures, a Salesforce Ventures, a Samsung Next, mas também a Caixa Capital e a Funders Club. Conceituadas empresas como a EasyJet, Booking.com, Evernote, BuzzFeed, Sound -Cloud, Trello, Vimeo ou Pinterest compõem o vasto leque de clientes que recorrem aos serviços da Unbabel, comunicando em dezenas de línguas diferentes, a baixo custo.

DR

PT Um artigo de investigadores do Departamento de Física do Técnico, que resulta de uma estreita colaboração com o centro de Análise Matemática Geometria e Sistemas Dinâmicos (CAMGSD), integra a mais recente edição da prestigiada publicação Physical Review Letters. O professor Vítor Cardoso, docente do Departamento de Física e um dos autores do artigo, explica da seguinte forma os excecionais contornos desta publicação: “A Physical Review Letters é a revista com mais prestígio na área, onde aliás foi publicado o trabalho que deu o Nobel da Física de 2017”. “Dos artigos com honra de serem publicados aí, apenas uma fração reduzida (cerca de 10%) dos trabalhos é escolhido como Editors’ Suggestion e como Viewpoint (isto é, um colega fica encarregue de escrever um artigo sobre o nosso artigo)”, expõe ainda o co-autor. O artigo debruça-se sobre os resultados de um estudo aprofundado dos buracos negros com carga elétrica que mostram que, de facto, uma singularidade aparece no horizonte de Cauchy na maioria dos casos.

EN Right now, the year of 2018 translates as good news for Unbabel, a IST spin-off which, through its platform, combines artificial intelligence and human post-editing with machine translation. The Portuguese startup founded in 2013 by Vasco Pedro and João Graça, researchers at Técnico, announced the raising of 23 million dollars in a round of Series B financing, an amount that will be invested in international expansion and product development. The investment Series B included investors such as Scale Venture Partners, Notion, Microsoft Ventures, Salesforce Ventures and Samsung Next, but also Caixa Capital and Funders Club. Highly regarded companies like EasyJet, Booking.com, Evernote, BuzzFeed, SoundCloud, Trello, Vimeo and Pinterest constitute the wide range of companies which use the services of Unbabel, communicating in dozens of different languages at a low cost.

P—5

SPIN-OFF

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

INVESTIGAÇÃO/RESEARCH


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2018

EVENTO/EVENT

DR

Uma sala cheia para ouvir o matemático Charles Fefferman A crowded room to listen to mathematician Charles Fefferman

ALUMNI

P—6

Plataforma inovadora de papers académicos criada por alumni do Técnico Innovative academic papers platform created by IST alumni

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT A ideia é simples, mas extremamente útil e promissora: uma plataforma que congrega papers académicos, de diversas áreas, e onde se pode fazer e consultar as anotações feitas aos artigos. Os criadores desta ideia? Antigos alunos do Técnico, claro! Inicialmente, a ideia da Fermat’s Library passava por partilhar artigos que os membros da equipa liam e discutiam entre eles, anotados com os próprios comentários: “o primeiro foi o paper original do Bitcoin, que ainda hoje é um dos mais lidos”, relembra o alumnus Luís Batalha. O site foi crescendo, e por isso decidiram expandi-lo, permitindo a qualquer pessoa fazer o upload dos seus próprios papers, anotá-los ou partilhá-los. Física, Economia, Matemática, Computer Science e Biologia são as áreas sobre as quais versam a maioria dos artigos. Por sua vez, se falarmos de números, e tendo em conta que é possível comentar todos os papers do arXiv através do Librarian, o número total ronda os 1,3 milhões. São estes números e diversidade que fazem com que cerca de 4 milhões de pessoas consultem mensalmente o conteúdo que a plataforma disponibiliza.

EN The idea is simple but extremely useful and promising: a platform that brings academic papers together, allowing users to post and view notes on articles from various fields. The creators of this idea? Former IST students, of course! At first, the idea behind Fermat’s Library was to share articles that team members could read and discuss among themselves, along with their own comments: “The first one was the original Bitcoin paper, which remais one of the most popular papers today,” says alumnus Luís Batalha. The website kept growing, so they decided to expand it — allowing anyone to upload their own papers, add notes or share them. Most articles focus on Physics, Economics, Mathematics, Computer Science, and Biology. As far as figures are concerned, and considering that it is possible to comment on all arXiv papers through Librarian, the total number amounts to 1.3 million. These figures and the diversity of the platform’s contents attract about 4 million users every month.

PT Foi numa fração de minutos que o anfiteatro Abreu Faro ficou repleto, na tarde do dia 30 de janeiro. Alunos, investigadores e professores de vários departamentos da Universidade de Lisboa compareceram para ouvir o orador convidado do Simpósio de Matemática, o professor Charles Fefferman, da Universidade de Princeton, vencedor de inúmeros prémios, nomeadamente aquele que muitos consideram ser o equivalente a um prémio Nobel na Matemática — a medalha Fields. O matemático começou por realçar “o prazer de estar em Lisboa pela primeira vez, e de poder partilhar este momento convosco”. Seguiram-se mais de uma centena de slides escritos à mão, projetados ao ritmo a que seriam escritos num velho quadro de ardósia. O professor da Universidade de Princeton cativou a audiência com os mais recentes resultados de generalização do clássico teorema de extensão de Whitney. EN It took just a few minutes for the Abreu Faro Auditorium to get packed on the afternoon of January 30th. Students, researchers and lecturers from various Universidade de Lisboa departments showed up to hear the speaker at the Mathematics Symposium, Princeton University’s Professor Charles Fefferman, winner of numerous awards, including one that many people consider to be the equivalent of a Nobel Prize in Mathematics – the Fields medal. The mathematician began by stressing “the pleasure of being in Lisbon for the first time, and of being able to share this moment with you”. This was followed by over one hundred hand-written slides, put up at the pace at which they might have been written on an old chalkboard. The Princeton University professor riveted the audience by sharing the latest results of a generalisation of Whitney’s classical extension theorem.


Prémio Jovem Investigador do Wake Forest Institute for Regenerative Medicine veio para o Técnico Young Investigator Award from the Wake Forest Institute for Regenerative Medicine goes to Técnico

O site e a aplicação que expõem as perturbações do Metro The website and app that report disturbances in subway schedules

EN A student of the FCT PhD program in Bioengineering - Cell Therapies and Regenerative Medicine, Tânia Baltazar, was presented with the Young Investigator Wake Forest Institute for Regenerative Medicine (WFIRM) award. The award was given at the TERMIS-AM conference, which was held in Charlotte, North Carolina, USA, and in addition to the certificate, the winner received a cash prize of $2500 The Técnico PhD student was extremely surprised when she received the news and overcome with “gratitude and happiness”. “It is a privilege having been selected as one of the winners and I hope to live up to the vote of confidence”, she says. “WFIRM wishes to contribute to the advancement of the career of young investigators, encouraging them to resolve issues in the area of Regenerative Medicine”, the Técnico student explains.

PT “O tempo de espera é superior ao normal” é uma frase que ninguém gosta de ouvir quando desce as escadas para o Metro de Lisboa, e uma “deixa comum” que atrasa várias vezes os utilizadores regulares. Gabriel Maia, estudante do Mestrado em Engenharia Informática e de Computadores (MEIC) no Técnico, e mais dois colegas criaram duas ferramentas que vão ajudá-lo a gerir o tempo em função dos atrasos do metro. O site perturbacoes.pt e a app UnderLx permitem ao utilizador saber se irá viajar sem problemas. A visão para o site é disponibilizar estatísticas e informação suplementar sobre a rede de metropolitano. Ambas as plataformas têm vindo a cativar seguidores e utilizadores, permitindo-lhes “ganhar tempo”, encontrando alternativas de transporte ou percurso que evitem os problemas que lhes são anunciados.

DR

PT A aluna do programa de doutoramento FCT em Bioengenharia – Terapias Celulares e Medicina Regenerativa, Tânia Baltazar, foi agraciada com o prémio Jovem Investigador Wake Forest Institute for Regenerative Medicine (WFIRM). O prémio foi atribuído na conferência TERMIS-AM que decorreu em Charlotte (Carolina do Norte, EUA), e além do devido certificado foi também concedido à vencedora um prémio monetário de $2,500. A aluna de doutoramento do Técnico recebeu a notícia com muita surpresa, a que rapidamente se sobrepôs “a gratidão e a felicidade”. “É um privilégio ter sido escolhida como uma das vencedoras e espero estar à altura do voto de confiança”, afirma. “A WFIRM quer contribuir para o avanço da carreira de jovens investigadores para os encorajar a encontrar soluções para problemas na área da Medicina Regenerativa”, explica ainda a aluna do Técnico.

EN ‘Waiting times are longer than usual’ is a phrase that nobody likes to hear when going down the stairs to the Lisbon subway, one that usually means delays for regular commuters. Gabriel Maia, an MSc student in Information Systems and Computer Engineering (MEIC) at Técnico, has created, with two of his colleagues, a pair of tools that will help you manage your time based on the delays in the subway system. Website perturbacoes.pt and app UnderLx let users know whether they will have a smooth ride or not. The purpose of the website is to provide statistics and complementary information on the subway network. Both platforms have been attracting many followers and users, allowing them to “buy some time” by finding alternative solutions or different routes so as to avoid the issues reported.

P—7

ALUNOS/STUDENTS

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

PRÉMIO/PRIZE


DESTAQUES/HIGHLIGHTS 2018

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

Primeira edição do Lab2Market @Técnico First edition of Lab2Market @Técnico

EVENTO/EVENT

P—8

Técnico foi palco de reunião anual da EURADOS Técnico hosted the EURADOS annual meeting

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT De 5 a 8 de fevereiro, o Técnico foi palco da reunião anual da maior associação de dosimetria da Europa: a EURADOS. São vários os membros e colaboradores do Campus Tecnológico e Nuclear (CTN) do Técnico que cooperam com esta associação, quer através de projetos coletivos, quer através de colaborações bilaterais, factos estes que explicam a seleção da escola como ponto de encontro. “Algumas reuniões específicas da EURADOS já tinham sido organizadas em Lisboa, mas nunca a reunião anual — mas era a continuação natural do trabalho que o CTN e o Técnico têm desenvolvido com esta associação”, declara o professor Pedro Teles, um dos responsáveis pela organização. O caráter multidisciplinar da EURADOS, congregando cientistas de áreas como a física, a química, a biologia, a ecologia, a medicina, tecnologias espaciais e de materiais, refletiu-se na própria organização deste encontro, visto que foi com base nesta divisão por áreas que se construíram os diferentes grupos de trabalho e se realizaram as várias atividades conjuntas, havendo, claro, momentos de partilha geral de conhecimento e debate de ideias.

EN Between February 5th and 8th, Técnico hosted the annual meeting of the largest dosimetry association in Europe: EURADOS. Several members and collaborators of IST’s Technological and Nuclear Campus (CTN) cooperate with this association, either through collective projects or bilateral collaborations, which explains the fact that the school was selected for the event. “Some specific EURADOS meetings had already been held in Lisbon, but never the annual meeting — yet it was the natural outcome of the work that the CTN and Técnico have been conducting with this association”, says Professor Pedro Teles, one of the people in charge of the organisation. The multidisciplinary nature of EURADOS, bringing together scientists from areas such as physics, chemistry, biology, ecology, medicine, space technologies and materials technologies, was reflected in the organisation of the meeting, as it was based on such disciplinary divisions that the different working groups were built and the various joint activities were carried out — with, of course, moments for generic debates and knowledge sharing.

PT Foram três dias intensivos de aprendizagem, reflexão, aperfeiçoamento de ideias e preparação de um produto para o mercado, proporcionados pelo Lab2Market@Técnico, um programa de aceleração de inovação organizado pelo Técnico, que contou com a parceria da Everis e da i-deals. Apesar de haver um histórico com experiências semelhantes, esta foi a primeira vez que o programa, assumiu estes contornos de envolvência, que se estenderão por mais 247 horas. À frente do leque de atividades, e a orientar os desafios propostos aos três projetos seleccionados- LiderA2SMT (LiderA to Sustainable Management of Tourism in Urban Area), Biklio (Bike with benefits) e o ECities (Smart Cities to developing countries) , esteve o professor Luís Caldas de Oliveira, vice-presidente do Técnico para o Empreendedorismo e as Ligações Empresariais. As caraterísticas do produto, a delimitação do mercado e os ganhos estratégicos iam sendo delimitados pelos grupos, depois das questões e do redirecionamento dos consultores da Everis e da i-deals que marcaram presença. EN Three intensive days to learn, think, improve ideas and prepare a product for the market were provided by Lab2Market@Técnico, an innovation acceleration program created by Técnico in partnership with Everis and i-deals. Even though there is a history of similar experiences, this was the first time the program organised by the IST, which will extend for another 247 hours. Professor Luís Caldas de Oliveira, Vicepresident of Técnico for Entrepreneurship and Corporate Relations, led the session and presented the three selected projects – LiderA2SMT (LiderA to Sustainable Management of Tourism in Urban Area), Biklio (Bike with benefits) and e o ECities (Smart Cities to developing countries). As for product features, market canvassing and strategic gains, they were outlined by the groups themselves, following questions and guidance from the Everis and ideals consultants at the event.


“Esta escola teve uma enorme influência na forma como eu vejo o mundo e os outros.” “This school had an enormous influence on how I see the world and others”

Docente do Técnico designado vicepresidente do IEEE Council on Electronic Design Automation Técnico teacher appointed vice president of the IEEE Council on Electronic Design Automation

EN This was one of António Guterres’ statements highlighting the importance of Técnico for his career during the ceremony where he was awarded an honorary doctorate degree by Universidade de Lisboa. On February 19th Aula Magna hosted a warm, carefully planned ceremony to honor the “homecoming” of one of the most relevant personalities in contemporary world politics, someone with an exemplary career to his name. After addressing some of the challenges facing present and future generations, António Guterres focused on Técnico once again, highlighting the role that the School will play in shaping those same future generations. “I have no doubt that, if anything good happened in my life, it was having been a student at Técnico,” he remarked with his usual conviction.

PT O vice-presidente para os Assuntos Internacionais do Técnico, o professor Luís Miguel Silveira, foi recentemente nomeado vice-presidente do IEEE Council on Electronic Design Automation (CEDA), uma das estruturas técnicas da maior organização técnica a nível mundial ligada ao avanço tecnológico. Membro do IEEE desde os tempos de estudante, o vice-presidente do Técnico envolveu-se em várias atividades do CEDA, tendo sido durante vários anos Associate Editor de uma das suas publicações. Além disso assume-se como um participante regular no comité de programa e como Committee Chair nas conferências mais prestigiantes organizadas pelo CEDA, fatores estes que deverão ter sido determinantes na escolha para ocupar este cargo.

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

PT Esta foi uma das várias frases usadas pelo engenheiro António Guterres para realçar a importância do Técnico na sua carreira de sucesso, na cerimónia onde lhe foi atribuído o grau de doutor honoris causa pela Universidade de Lisboa. A Aula Magna da reitoria acolheu, no dia 19 de fevereiro, um evento caloroso, e detalhadamente planeado, para homenagear o regresso “a casa” de uma das personalidades mais relevantes da atualidade e detentor de uma carreira exemplar. No seu discurso, depois de abordar alguns dos desafios que se impõem às presentes e futuras gerações, o engenheiro António Guterres voltou a colocar o foco no Técnico, destacando o papel que a Escola terá na formação dessas gerações. “Não tenho dúvidas de que, se alguma coisa de bom aconteceu na minha vida, foi ter sido aluno do Técnico”, concluiu com a convicção que lhe é característica.

EN The vice president of International Affairs at Técnico, teacher Luís Miguel Silveira, was recently appointed vice president of the IEEE Council on Electronic Design Automation (CEDA), one of various technical structures in the largest worldwide technical organization linked to technological advancement. A member of the IEEE since his student days, the vice president of Técnico has been involved in multiple CEDA activities, having been an Associate Editor for one of his publications, for several years. Furthermore, he presents himself as a regular participant in the program committee and as Committee Chair in the most prestigious conferences organized by the CEDA, which may have been decisive in choosing to hold this position.

P—9

NOMEAÇÃO/APPOINTMENT

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

EVENTO/EVENT


MOOC Técnico Lisboa Cursos abertos online Open online courses Os cursos MOOC do Técnico são desenhados para oferecer a melhor formação online, com conteúdos relevantes e atuais. São cursos gratuitos e certificados, com creditação no Técnico Lisboa. Qualquer pessoa se pode inscrever e participar, sob o lema aprender onde e quando se quiser.

Formação numa transversalidade de áreas científicas Education in a wide range of scientific areas

Anyone can register and participate, under the motto “learn wherever and whenever you want”

Em todos os dispositivos, em qualquer lado Anywhere, anytime and on any device

O Técnico já era grande. Agora ficou maior. Técnico was great. Now it is greater.

mooc.tecnico.ulisboa.pt

The MOOC courses of Técnico Lisboa are open online courses designed to offer the best online education with relevant and cutting-edge contents. They are free, granting certificates.

De curta duração e maioritariamente em língua portuguesa

Com conteúdos multimédia e práticas de aprendizagem colaborativa

Short courses mostly in Portuguese language

With multimedia contents and collaborative learning practices


PROFESSORES/PROFESSORS

Aprender a ensinar Learning how to teach Na era em que se exige a transformação do ensino, o Técnico aposta num programa que incentiva os docentes a desenvolver as suas competências académicas At a time when changes in education are demanded, Técnico invests in a program that encourages teachers to develop their academic skills

P — 12 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Há quem fale de uma escola do futuro, sem exames e sem professores, e há quem se recuse a conceber o ensino sem aquele que, em tempos, era visto como a personificação do conhecimento. Não conseguindo prever o futuro, pode dizer-se, com toda a certeza, que, num mundo onde a inteligência artificial, a biogenética, a realidade aumentada e os carros autónomos são já uma realidade, será cada vez mais difícil cativar uma geração que cresceu ao ritmo desta evolução. Perante isto, o que pode e deve fazer o professor para se adaptar aos novos desafios do ensino? Além de incentivar os docentes a colocar esta questão, o IST Shaping the Future pretende dar algumas respostas. A iniciativa é inédita em Portugal, inspirada nas versões de escolas internacionalmente reconhecidas, como o Massachusetts Institute of Technology – MIT, e alavancada pelos Conselhos Pedagógico (CP) e Científico (CC) do Técnico. No âmbito deste programa, e durante três dias, os docentes recém-contratados rumam a Caparide. Envolvidos no ambiente da escola, alertados para os desafios de conciliar a investigação e a docência, deixam-se inspirar pelas metas que a escola tem para eles e espera com eles poder cumprir. “Tentamos lançar as bases para que as pessoas reflitam sobre os requisitos que precisam desenvolver”, destaca o

presidente do CC, o professor Luís Oliveira e Silva. “Um dos dias desse programa está precisamente focado nas questões do ensino: os alunos, a interação com os alunos, a comunicação, a preparação das aulas, as técnicas que podem ser usadas para os motivar”, explica ainda. Incluindo workshops e palestras que abarcam a partilha de experiências de outros docentes do Técnico, o programa é minuciosamente planeado para que nenhuma vertente da carreira fique esquecida. “Com este programa, pretendemos mostrar-lhes que queremos que eles tenham sucesso e o que é que precisam fazer para isso. Além de ter independência científica, ser reconhecido internacionalmente, queremos também, e cada vez mais, que desenvolvam toda a componente pedagógica”, explica a presidente do CP, a professora Raquel Aires Barros. O professor Luís Oliveira e Silva vislumbra ainda outra mais-valia nesta iniciativa: a componente de socialização. “Colocamos estes professores de diferentes departamentos juntos, e a partilha de experiências e de boas práticas propicia-se. E também por isso o feedback que a organização tem recebido dos professores que participam é muito positivo” realça o presidente do CC. “Eles valorizam a experiência porque se sentem acolhidos pela escola, e isso é muito

importante”, salienta a professora Raquel Aires Barros. O programa não se esgota naqueles três dias e, depois de passada a mensagem, os docentes têm acesso a formação complementar, fornecida pelo Núcleo de Desenvolvimento Académico (NDA), sendo as suas aulas observadas por técnicos da ciência pedagógica. “Posso-lhe dizer que a maioria dos docentes que participam neste programa são já hoje professores excelentes”, vinca a coordenadora do NDA, Isabel Gonçalves. E é isso que se pretende, como bem lembra a professora Raquel Aires Barros: “os alunos do Técnico são excelentes, e, portanto, é nossa obrigação fazer tudo para corresponder a essa excelência, aprender e inovar em prol do seu sucesso.” •


VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 13

CLAÚDIA LEONARDO / TÉCNICO

EN At a time when changes in education are demanded, Técnico invests in a program that encourages teachers to develop their academic skills. Some imagine the future of teaching with no exams or teachers, while others refuse to conceive an education system that excludes those who were once seen as the embodiment of knowledge. Though unable to predict the future, one can certainly state that in a world where artificial intelligence, biogenetics, augmented reality and autonomous cars are already a reality, it will become increasingly difficult to captivate a generation that has grown alongside these advances. In view of this, what can and should teachers do in order to adapt to new teaching challenges? IST Shaping the Future not only encourages

teachers to ask themselves this question, but seeks to provide some answers as well. Leveraged by the IST Pedagogical and Scientific Board, this initiative is unprecedented in Portugal — although inspired by similar programs in internationally renowned schools such as the Massachusetts Institute of Technology (MIT). Under this program, recently hired teachers go to Caparide for three days. Immersed in the school’s atmosphere, and alerted to the challenges of reconciling research and teaching, they draw inspiration from the goals the school has set for them. “We are trying to lay the foundations for people to reflect on the skills they need to develop,” says Professor Luís Oliveira e Silva, President of the IST Scientific Council. “One of the days in this program focuses precisely on teaching matters: students, interaction with students, communication, preparing lectures, techniques that can be used to motivate students,” he explains. Comprising workshops or lectures that involve the sharing of experiences by other IST teachers, the program is carefully planned so that no aspect of the

career is overlooked. “The purpose of this program is to show that we want them to succeed and what they must do in order to achieve that. We want them to have scientific independence and obtain international recognition, but we also want them to develop the whole pedagogical component,” says the President of the Pedagogical Council, Professor Raquel Aires Barros. Professor Luís e Oliveira points out another advantage of this initiative: the socialisation aspect. “We bring together lecturers from different departments, which fosters the sharing of experiences and best practices. And that’s one of the reasons why the organisation has been receiving such positive feedback from these lecturers.” “They appreciate the experience because they feel welcomed by the school, and this is very important,” Professor Raquel Aires Barros adds. The program does not end after those three days, and once the message has been received, teachers have access to complementary training provided by the Academic Development Unit (NDA) and their classes are attended by pedagogical science experts. “I can tell you that most lecturers who were involved in this program are now excellent teachers,” says NDA coordinator Isabel Gonçalves. And that is the purpose of the program, as Professor Raquel Aires Barros rightly points out: “IST students are excellent, so it’s our duty to do everything we can to live up to their excellence, to learn and innovate in order to help them succeed.” •


ATIVIDADE/ACTIVITY

LEIC Bootcamp: pela integração, marchar, marchar Working for integration

Durante um fim de semana, os alunos da Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores são envolvidos num conjunto de atividades na Academia da Força Aérea For a whole weekend, Computer Science and Engineering Degree students go through several activities at the Air Force Academy

P — 14 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Primeiro estranham e depois integram-se. É esta dualidade de sensações que o LEIC Bootcamp provoca nos cerca de 80 alunos recém-chegados ao Técnico que acedem ao desafio lançado pelo Departamento de Engenharia Informática (DEI). Entre um e outro estado de espírito intercala-se um fim de semana repleto de transpiração, disciplina e muito trabalho de equipa na Academia da Força Aérea. “Há um patamar muito elevado nos alunos que entram no Técnico, e o que vai definir brutalmente o seu sucesso nos primeiros dois anos são questões comportamentais e relacionais”, ressalva o professor José Tribolet, o obreiro do LEIC Bootcamp. Foi consciente desta necessidade de ajudar os recém-chegados alunos a integrar-se que promoveu a ideia junto do departamento e conquistou o apoio do Núcleo de Desenvolvimento Académico (NDA). “Há alunos que vêm completamente desestruturados, que vão navegando na vida, e isso, no Técnico, é mortal”, frisa, de seguida, o docente do DEI.

A ideia foi-se cimentando como “um ritual de início de ano da LEIC”, e, a pouco e pouco, cada vez mais alunos aderem à aventura, provenientes dos dois campi do Técnico. À sua espera, têm um leque de atividades diverso, que coloca à prova a capacidade de liderança, orientação, e trabalho em equipa, despertando o sentido de disciplina, tão útil no estudo da engenharia. “O aluno que perceba a importância de ter disciplina, no Técnico vai ter sucesso”, vinca o professor José Tribolet. Sara Machado participou na mais recente edição do LEIC Bootcamp (2017), exatamente por descodificar a atividade como um possível atalho na integração do curso. “Na altura da minha entrada no curso não conhecia ninguém e achei que me ajudaria a conhecer mais pessoas e consequentemente a integrar-me com mais facilidade.” Não esconde que, no início, a ideia a assustou, preocupando-a “o tipo de atividades que poderiam vir a ser desenvolvidas”. Agora, percebe que as mesmas foram planeadas exatamente

para fomentar “a comunicação e a partilha”. “O espírito de equipa e entreajuda prevalecem, e o esforço físico é uma boa comparação com a exigência em termos de trabalho do Técnico”, sublinha a aluna da LEIC. O professor José Monteiro, vice-presidente para a Área de Graduação do DEI, e atualmente responsável pela atividade, vinca o impacto positivo do Bootcamp: “isto pode, num sentido lato, ser considerado um método de ensino, porque aprendermos a trabalhar em equipa é muito importante, quer na universidade, quer posteriormente, na vida profissional.” Este “choque térmico”, como lhe chama o professor José Tribolet, podia, na opinião do mesmo, ser alargado a todos os alunos do Técnico, em prol da “pedagogia” e do “sucesso”, ideais que estão na génese da criação do Técnico, como o mesmo invoca. “Acho que o fundador do Técnico, se estivesse a discutir isto, seria o primeiro a subscrever”, remata o docente. •


clear life goals, and at Técnico that may be lethal,” the DEI lecturer points out. The idea evolved as a “ritual for the beginning of the LEIC academic year,” and gradually more and more students, from both IST campuses, joined the adventure. A wide range of activities awaits them, activities that put their leadership, sense of direction, and teamwork to the test, awakening the sense of discipline, so instrumental if one is studying engineering. “Students who realize the importance of discipline will be successful at Técnico,” Professor José Tribolet says. Sara Machado has attended the most recent edition of the LEIC Bootcamp (2017) precisely because she understood the activity as a possible integration shortcut. “I didn’t know anyone when I first came here, and I thought that the BOOTCAMP would help me get to know more people and make my integration process easier.” She confesses that the idea scared her at first, because she worried about “the kind of activities that might take place.”She now

realizes that those activities have been designed precisely to foster “communication and sharing”. “Teamwork and cooperation prevail, and the physical strain is a good introduction to Técnico’s demands in terms of work,” the LEIC student concludes. Professor José Monteiro, DEI’s graduation area vice-president and currently in charge of the activity, highlights the Bootcamp’s positive impact: “We may see it as a teaching method, in the broad sense, because learning how to work as a team is very important, either at university or later on in their professional life.” Professor José Tribolet has no doubt whatsoever that this “thermal shock,” as he calls it, should be extended to all IST students on behalf of “pedagogy” and success — ideals that are at the very core of Técnico’s inception, as he recalls: “I think that if we were discussing this with Técnico’s founder, he would be the first to subscribe it.” •

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 15

WAVEBREAKMEDIA / SHUTTERSTOCK

EN For a whole weekend, LEIC (Computer Science and Engineering Degree) students go through several activities at the Air Force Academy. First they find it strange, then they fit in. These are the double feelings that the LEIC Bootcamp elicits in the 80 or so new IST students who accept the challenge set by the Department of Computer Science and Engineeirng (DEI). These two states of mind are separated by a weekend full of sweat, discipline and a lot of teamwork at the Air Force Academy. “Students admitted at Técnico have to meet very high standards, and their success in the first two years will be largely determined by behavioural and relational aspects,” emphasises Professor José Tribolet, the man behind LEIC Bootcamp. Well aware of the need to foster the integration of new students, Professor Tribolet decided to put the idea forward to the department and won the support of the Academic Development Unit (NDA). “Some students have no structure whatsoever, they have no


CURSOS/COURSES

O ensino com marca Técnico à distância de um clique Técnico teaching at a one-click distance

P — 16

Mais de um ano depois do lançamento, a plataforma MOOC Técnico tem vindo a crescer, a diversificar-se e a conquistar adeptos More than a year after its launching, Técnico’s MOOC platform has grown, diversifying and winning supporters

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Uma câmara, um canal de divulgação e uma ligação à Internet são requisitos suficientes para criar as salas de aula do futuro. Um professor ouvido por milhares de alunos, a qualquer hora e em qualquer parte do mundo, e um aluno cada vez mais exigente, que gere a sua aprendizagem ao seu belo prazer. Há quem diga que serão estas as caraterísticas do ensino do futuro. Para já são apenas a base dos chamados MOOC (massive open online courses), e onde o Técnico tem, no último ano, dado cartas. “O balanço é muito positivo e acho que temos instaurada uma boa dinâmica para continuar a crescer”, começa por frisar a professora Ana Moura Santos, coordenadora do projeto. Segundo os números da Class Central, uma plataforma que fornece várias estatísticas e listagens de MOOC, mais de 58 milhões de pessoas em todo o mundo já se terão inscrito em pelo menos um curso do género. Depois de comprovado o sucesso desta metodologia de ensino, e de uma discussão aprofundada acerca da matéria, o Técnico deixou-se inspirar por exemplos

de sucesso e a plataforma é oficialmente lançada, em outubro de 2016. O primeiro curso foi sobre Matrizes de Markov, lecionado pela própria professora Ana Moura Santos, e que registou desde logo um sucesso imediato, com mais de 423 participantes, que se mantêm, apesar de o curso ir já na sua terceira edição. Este êxito tem sido comum aos restantes cursos (nove no total), vários já reeditados. Francisco Malaca teve conhecimento do MOOC Matrizes de Markov através do irmão mais velho que estuda no Técnico. Decidiu inscrever-se e lançou-se à descoberta “de tópicos de que nunca tinha ouvido falar”. Acabou por “arrastar” o pai, Carlos Malaca, para o desafio, e juntos completaram o curso, desafiando-se e ajudando-se mutuamente: “Terminámos os dois o curso com o mesmo resultado, embora com percursos diferentes. O Francisco chegava à sexta-feira e fazia logo tudo e ficava o resto da semana a perguntar ‘Pai, já fizeste a tua parte?’”, partilha Carlos Malaca. Francisco gostou tanto que, depois deste, já completou mais quatro cursos da plataforma.


4100 Número de inscritos Number of subscribers

P — 17

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EN A camera, a distribution channel and an Internet connection are the sole requirements to create the classrooms of the future. A teacher heard by thousands of students, anytime and anywhere in the world, and increasingly demanding students who manage their learning goals as they see fit. Some say that is how teaching will look like in the near future. For now, this is just the basis of the so-called MOOCs (Massive Open Online Courses), a domain where Técnico has excelled over the last year. “The balance is quite positive, and I think we have established a good momentum that will allow us to grow further,” says Professor Ana Moura Santos, the project coordinator. According to the figures provided by Central Class, a platform that brings out several MOOC statistics and reports, more than 58 million people worldwide have enrolled in at least one such course. Once this teaching method was proven to be successful, and following an in-depth discussion on the subject, Técnico drew inspiration from successful examples and the platform was officially launched in October 2016. The first course was on Markov Matrices, taught by Professor Ana Moura Santos herself, and it was an instant success, with more than 423 participants — a participation level that remains stable in spite of the fact that the course is already in its third edition. This success has been replicated by the remaining nine courses, several of which with subsequent editions. Francisco Malaca found about the MOOC on Markov matrices through his older brother, who happens to be an IST student. He decided to sign up and set off to discover “topics I had never heard of.” He ended up “dragging” his father, Carlos Malaca, to this challenge and then they completed the course together, challenging and helping each other along the way: “We completed the course with the same score, although we took different paths to get there. Every Friday he would do the whole thing and then spend the rest of the week asking: Dad, have you done your part yet?,” Carlos Malaca recalls. Francisco liked it so much that he went on to complete four more


P — 18 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Ambos vêm vantagens neste tipo de aprendizagem: “Este tipo de ensino dá muita liberdade, disciplina, é de curta duração e acessível”, declara Carlos Malaca, realçando que os “MOOCs do Técnico, em particular, por serem em português, revelaram-se uma ótima oportunidade”. Mas desengane-se quem pensa que só de álgebra ou física experimental se fazem os cursos online do Técnico; o mais popular, por exemplo, explorava a Transformação Digital. O professor Miguel Mira da Silva, autor do mesmo, desvenda o porquê da escolha desta temática: “Além de estar muito na moda e de ser muito abrangente, era um tema dentro da minha área — a informática — e fácil de transmitir online, com histórias, com entrevistas, etc.”. Assim, e além dos habituais vídeos e infografias de elevada qualidade que acompanhavam o discurso do docente, esta formação congregou na fórmula do seu sucesso a participação de especialistas no assunto, com sete grandes entrevistas sobre os vários tópicos abordados. “Dos cerca de 1181 inscritos, 17% fizeram o curso com sucesso, tendo direito a certificado, uma taxa muito elevada para um MOOC”, como destaca o autor do mesmo. Pouco a pouco, o projeto tem vindo a cativar os professores do Técnico. “Neste momento, já há um envolvimento maior dos docentes e dos próprios departamentos”, partilha a coordenadora dos MOOC Técnico. No backoffice, os docentes têm todo o apoio para acompanhar o processo: “nós damos as nossas referências, e os docentes fazem um planeamento de acordo com aquilo que querem atingir”, sintetiza a professora Ana Moura Santos. Seguem-se várias semanas de preparação, de produção de conteúdos e de edição, até surgir o resultado final. “Dá muito mais trabalho do que aquilo que as pessoas imaginam”, descortina o professor Miguel Mira da Silva. Ainda assim, o docente é o primeiro a reiterar os benefícios que podem advir deste “investimento”: “nós podemos divertir-nos a fazer isto, há uma formação pessoal, e um reconhecimento que advém daí.” A professora Ana Moura Santos concorda: “estruturar um MOOC é uma experiência pedagógica, estamos a falar para uma ou duas câmaras e somos obrigados a não ter tantas hesitações, a ser muito mais sucintos, e isso é uma experiência diferente”. “Eu acho que estes MOOCs são fundamentais para o Técnico e para os nossos professores, porque é importante prepararmo-nos para o que aí vem e saber fazer bem feito”, vinca o professor Miguel Mira da Silva. E o que é que aí vem? O docente deixa escapar o seu prenúncio: “A transformação digital está a ser aplicada a tudo. As universidades até podem ir resistindo, mas os alunos vão ser cada vez menos e menos nas aulas, e vão querer apenas formações destas: fáceis, baratas, interessantes, úteis e acessíveis a partir de todo o lado.” •

“O balanço é muito positivo e acho que temos instaurada uma boa dinâmica para continuar a crescer” ~ “The balance is quite positive, and I think we have established a good momentum that will allow us to grow further”

EN courses on the platform. Both of them see advantages to this type of learning: “This kind of education offers a lot of freedom, discipline, and it’s short and accessible,” says Carlos Malaca, pointing out that “Técnico’s MOOC, in particular, proved to be a great opportunity because it’s in Portuguese.” But anyone who thinks that Técnico’s online courses offer nothing but algebra and experimental physics is fooling himself: the most popular course, for instance, explores Digital Transformation. Professor Miguel Mira da Silva, who created the course, explains the reasons for choosing this topic: “Besides being very fashionable and comprehensive, it was a topic within my area — computer science — and it was easy to teach online through stories, interviews, etc.” In addition to the usual high-quality videos and infographics supporting the lectures, this course’s success formula included the participation of several experts on


DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

Recomendação obtida nos questionários finais Recommendations obtained in the final questionnaires

93,7%

Participantes com filiação ao Técnico Participants affiliated with Técnico

Participantes que se encontram a trabalhar Participant workers

it.” Professor Ana Moura Santos agrees: “Structuring a MOOC is a pedagogical experience, we are talking to one or two cameras and we can’t hesitate as much as we usually do, we have to be more succinct, and that’s a different experience.” “I think these MOOCs are a crucial tool for Técnico and our lecturers, because it’s important to prepare ourselves for what comes next and know how to do it well,” Professor Miguel Mira da Silva points out. And what exactly comes next? Professor Mira da Silva shares his outlook: “Digital transformation is being applied to everything. Universities may try to resist it, but students will be an increasingly rare sight in classes. They will only want to attend courses like these: easy, cheap, interesting, useful, and accessible from everywhere.” •

41%

Taxa de sucesso dos cursos Course success rates

31,4%

*Fonte/Source— dados obtidos através dos questionários finais / Data obtained from final course questionnaires (2017/2018)

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

the subject, with seven in-depth interviews on the various topics covered. “Out of approximately 1181 students who enrolled, 17% completed the course successfully and were entitled to a certificate, a very high rate for a MOOC,” Mira da Silva points out. The project has been gradually captivating IST’s lecturers. “At this moment, there is greater involvement from the lecturers and the departments themselves,” IST’s MOOCs coordinator points out. The backoffice supports lecturers throughout the entire process: “We provide our references and the lecturers make a plan according to what they want to achieve,” says Professor Ana Moura Santos. This is followed by several weeks of preparation, content production and editing, until the final result is achieved. “It involves a lot more work than people imagine,” Professor Miguel Mira da Silva points out. Nevertheless, he is adamant in highlighting the potential benefits of this “investment”: “We can have fun doing this, there is personal growth, and there’s the recognition that comes from

P — 19

45.6%


APRENDIZAGEM ATIVA/ACTIVE LEARNING

Kahoot — um aliado no desafio da aprendizagem Kahoot — An ally in the learning challenge

P — 20

São vários os docentes do Técnico que já se deixaram conquistar pelos benefícios desta ferramenta que permite avaliar os conhecimentos dos alunos The benefits of this student evaluation tool have already convinced several IST teachers

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Nas aulas de Controlo de Sistemas, o caderno, o manual e o telemóvel tinham uma importância similar. Sim, leu bem: o telemóvel ou, se o aluno preferisse, o tablet. E quem assim o definiu foi a própria docente da cadeira, a professora Alexandra Moutinho. A explicação é simples: os dispositivos serviam de “comandos” para cada aluno dar as suas respostas ao Kahoot, através do qual, todas as aulas, a professora testava os conhecimentos adquiridos. “Os alunos ficam a perceber na altura onde é que têm de estudar mais, se estão a acompanhar a matéria, e eu tenho o meu feedback. Eles melhoram-se a eles próprios e eu melhoro-me a mim”, explica a professora Alexandra Moutinho, uma adepta assumida desta ferramenta. A empresa que gere a plataforma de aprendizagem soma mais de 70 milhões de utilizadores mensais nos países onde está disponível, Portugal incluído. No Técnico, são já alguns os docentes que, à semelhança da professora Alexandra Moutinho, se deixaram render. A incitar esta utilização está uma formação do Núcleo de Desenvolvimento Académico (NDA) acerca de metodologias de ensino ativas. Sofia Sá,

ex-formadora do NDA e investigadora na área de active learning, foi a responsável pela apresentação do Kahoot à professora Alexandra Moutinho. “Esta é uma ferramenta muito aplicada e que permite fazer uma quebra necessária na transmissão do docente”, esclarece. “No Técnico, já há muitos professores a usá-lo, mas o ideal seria que todos os docentes o usassem pelo menos uma vez numa aula teórica”, reitera ainda a investigadora. Quando o Kahoot entra em ação, o silêncio é geral. Cada resposta certa vale mil pontos. No final, vencem os que responderam a mais perguntas de forma correta e em menos tempo, com os respetivos usernames a aparecerem no placard das classificações. “É um jogo, e isso é que é viciante para os alunos, eles são extremamente competitivos”, declara a docente do Departamento de Engenharia Mecânica. Francisca Velasco foi uma das alunas da professora Alexandra Moutinho em Controlo de Sistemas, e também ela só consegue ver benefícios no uso da ferra-

menta: “este método confere um enorme dinamismo às aulas porque, ao não beneficiar nem prejudicar ninguém na classificação final da disciplina, incentiva os alunos a perder o medo de participar, e também a colocarem todas as dúvidas para conseguirem atingir um lugar no pódio”. “Confesso que a aplicação despertou em mim um certo espírito competitivo saudável, dando-me confiança e vontade de rever os tópicos em que me sentia menos à vontade para que na aula seguinte conseguisse ter uma melhor prestação”, destaca a aluna. Além do feedback positivo dos alunos, a professora salienta a melhoria no aproveitamento: “nós fizemos uma comparação de resultados e há uma melhoria notória”. Do outro lado da cadeia da aprendizagem, a aluna Francisca Velasco lança o desafio de ver a ferramenta aplicada a outras unidades curriculares: “considero que seria muito útil, essencialmente nas que são mais teóricas, como forma de motivar os alunos a não verem a cadeira como um conjunto infindável de conceitos, mas sim a compreenderem o significado de cada um”. •


velopment Unit) training initiative on active teaching methods. Sofia Sá, a former NDA teacher and an active learning researcher, was responsible for introducing Kahoot to Professor Alexandra Moutinho. “This is a very applied tool that allows for a necessary break in the teaching process,” Sofia Sá says. “Several IST teachers are already using it, but ideally all teachers should use it at least once in a theoretical class,” she reiterates. Silence takes over when Kahoot comes into action. Every right answer is worth a thousand points. In the end, the game is won by those who answered the most questions correctly in the shortest period of time, with the respective usernames appearing on the ranking board. “It’s a game, and that’s why students find it so addictive, they’re extremely competitive,” says the Mechanical Engineering teacher. Francisca Velasco was one of System Control students. According to her, using this tool has a lot of benefits: “This method brings a great deal of dynamism to classes, because by not benefiting or harming anyone in the final classification,

it encourages students to lose their fear of participating, and also to clarify all doubts in order to achieve a place on the podium.” “I must say that the application has awakened in me a certain healthy competitive spirit, giving me the self-confidence and drive to review the topics in which I didn’t feel that comfortable, in order to deliver a better performance in the next class,” the student says. In addition to the positive feedback from students, Professor Alexandra Moutinho points out the improvement in educational achievement results: “We have compared the results, and there is a noticeable improvement.” On the other side of the learning chain, Francisca Velasco launches the challenge of applying the tool to other curricular units: “I think it would be very useful, especially in more theoretical classes, as a way to encourage students not to see the subject as an endless series of concepts, but rather to make them understand the meaning of each concept.” •

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 21

CLAÚDIA OLGA1818 LEONARDO / SHUTTERSTOCK / TÉCNICO

EN The notebook, the manual and the mobile phone used to play a similarly important role in System Control classes. Yes, you read it well, the mobile phone or, if the student preferred it, a tablet — a statement from none other than Professor Alexandra Moutinho, who teaches that class. The explanation is quite simple: students used these devices as “control pads” to answer Kahoot, a tool used in every class by Professor Moutinho to test their knowledge. “Students find out what they have to study deeper, whether they are following the subject or not, and I get my feedback. They improve themselves and I improve myself,” explains Professora Alexandra Moutinho, who is a fan of this tool. The company that manages the learning platform has more than 70 million monthly users in the several countries where it is available, including Portugal. Just like Professor Alexandra Moutinho, other IST teachers have already adopted this platform. Such adoption is being promoted by an NDA (Academic De-


Serviços de Saúde Health Services

P — 22

A unidade de serviços de saúde do Técnico foi inicialmente criada com o objetivo de promover melhores condições de vida e de trabalho a todos os colaboradores da escola, proporcionando-lhes um ambiente adequado ao processo de aprendizagem e às atividades de ensino e investigação.

Técnico’s health services unit was created to promote better living and working conditions for all employees of the school, providing an adequate environment for the learning process and teaching and researching activities.

Vasto leque de especialidades médicas

Análises clínicas, audiologia, electrocardiografias e espirometria

Marcação de consultas de clinica geral e medicina do trabalho

Prestação de cuidados de saúde à comunidade e ao exterior

Vast range of medical specialties

Clinical analysis, audiology, electrocardiography and spirometry

Appointments for general practice and occupational medicine and employee health

Healthcare provided to the school’s community and exterior

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

saude.tecnico.ulisboa.pt


VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 23


APRENDIZAGEM ATIVA/ACTIVE LEARNING

“ Gamificação: o parceiro

ideal no jogo da aprendizagem “ Gamification: the ideal partner in the learning game Dois docentes do Departamento de Engenharia Informática foram pioneiros no uso da gamificação na unidade curricular que lecionam Two lecturers from the Computer Engineering Department were pioneers in the use of gamification in the curricular unit they teach P — 24 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Provavelmente nunca nos demos conta de que estamos a deixar levar-nos pela gamificação quando tentamos ganhar mais carimbos no cartão de gelados ou mais milhas numa companhia aérea para atingir o estatuto de cliente gold. Esta estratégia consiste, como o próprio nome desvenda, numa importação dos elementos dos jogos, de forma a atingir objetivos diversificados. Depois do marketing e da saúde, também o ensino se foi deixando render a esta estratégia, tentando usar a seu favor o interesse das novas gerações pelo mundo dos videojogos. Convictos destas potencialidades, os docentes do Departamento de Engenharia Informática, os professores Joaquim Jorge e Daniel Gonçalves revolucionaram a unidade curricular de Produção de Conteúdos Multimédia (PCM). A ideia pioneira em Portugal, que começou a ser implementada em 2011, tem causado reações diferenciadas nos alunos, mas tem essencialmente despoletado a criatividade. A semelhança com as outras unidades curriculares começa e termina no mini-teste semanal sobre a matéria dada. A restante avaliação não está temporalmente definida, e cada um pode ajustar o seu

“Uma das coisas que existem nos jogos e que nós quisemos manter é a possibilidade de voltar a tentar” ~ “One of the gaming elements we wanted to keep is the possibility of trying again”

EN We have probably never realised that we are being carried away by gamification when we try to earn more stamps for our ice cream card or more miles to achieve gold customer status on an airline. As the name itself reveals, this strategy consists in importing typical elements of game playing in order to achieve diversified goals. After marketing and health, teaching has also surrendered to this strategy, by trying to tap into the younger generations’ passion for the world of video games. Convinced of these possibilities, Professors Joaquim Jorge and Daniel Gonçalves — lecturers from the Computer Engineering Department — have revolutionised the Multimedia Content Production (MCP) course unit. This pioneering idea in Portugal, which took off in 2011, has been met with different reactions from students, but it has typically triggered creativity. Similarities with other curricular units start and end with the weekly mini-test on the study subjects. The rest of the evaluation process is not temporally set, and each student can adjust their work plan according to their preferences and availability. The competition aspect includes


VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 25

DR


P — 26 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT plano de trabalho mediante as suas preferências e disponibilidade. A competição prática inclui um conjunto de atividades, que permite trabalhar e evoluir tanto as hard como as soft skills dos alunos. A recompensa é proporcional ao nível de trabalho, ou seja, os desafios mais fáceis de executar dão menos pontos de experiência (XP) do que os desafios mais difíceis, tudo isto integrado numa árvore de dependências para que cada um crie as próprias estratégias de obtenção de XP. Fazer testes online, aceder e partilhar conteúdos, participar em fóruns interativos ou intervir ativamente na aula são apenas alguns dos exemplos de como somar pontos e subir de nível. “Uma das coisas que existem nos jogos e que nós quisemos manter é a possibilidade de voltar a tentar. Os alunos em muitas das coisas têm a liberdade para falhar sem consequências”, frisa o professor Daniel Gonçalves. “Nós damos-lhes a possibilidade de eles tomarem partido da criatividade, dando-lhes a liberdade de escolher o caminho que querem seguir”, acrescenta o professor Joaquim Jorge. E como encaram os alunos este desafio? Por exemplo, Tomás Alves, um dos alunos da última edição de PCM, ficou muito satisfeito. Nas unidades curriculares que tinha tido anteriormente, tem noção de que “o aluno não pode mostrar o trabalho que anda a fazer e temos de ser todos avaliados segundo o mesmo modelo, não enaltecendo as qualidades que cada um de nós tem”. Daniel Sil, outro dos alunos, concorda e acrescenta: “este método de gamificação acrescenta algum estímulo à disciplina, não só por ser diferente do normal, mas também por ser um jogo”. O formato mexe com a motivação individual, com o espírito competitivo, e estimula o trabalho coletivo. E se há “uma caraterística bem comum aos alunos do Técnico é o espírito competitivo”, relembra, e, portanto, na generalidade, o formato assenta-lhes como uma luva. “Nós identificamos quatro grupos de alunos: os desmotivados por apetência, uma pequena minoria; o grupo dos alunos que ‘vão a todas’, ou seja, se há uma medalha, eles estão lá; os minimalistas, que antes de tudo tentam perceber qual é que é o mínimo de trabalho que têm de fazer para passar; e depois há os alunos comuns, os que gerem o seu esforço para ter uma boa nota”, indica o professor Joaquim Jorge. Daniel Sil e Tomás Alves certamente estão no segundo grupo. “É sempre agradável haver um leaderboard e ver que o nosso nome figura entre os lugares cimeiros”, afirma Daniel Sil. “Todos nós devemos ter um espírito competitivo e isso ajuda a tornarmo-nos melhores pessoas porque nos queremos melhorar”, acrescenta Tomás Alves. “O nível que eles atingiram é o equivalente à nota que vai para a secretaria”, destaca o professor Joaquim Jorge. Portanto, o nível máximo, além de um 20, confere-lhes o título de “Deus da Ciência”.

E se para os alunos isto não podia ser mais aliciante, aos docentes exige um trabalho redobrado. “Isto implica algum esforço não negligenciável da nossa parte, mas que é, claramente, compensado face à melhoria da experiência de ensino”, confessa o professor Daniel Gonçalves. O outro docente da unidade curricular acrescenta: “o que nos motiva é o facto de sentirmos que os alunos sentem o esforço deles valorizado, uma vontade de evoluir enquanto professores, e ainda uma paixão louca por fazer coisas completamente insanas”. Tomás Pereira lança em jeito de conclusão: “Acho que basta olhar para as classificações finais dos alunos e QUCs (Sistema para a Garantia da Qualidade das Unidades Curriculares) da disciplina e rapidamente reparar que é uma cadeira com enorme sucesso”. Mas mais do que os resultados, o seu colega lembra-nos o mais importante: esta unidade curricular ajuda-nos a “aprender fazendo” e a “aprender errando”. •

“É sempre agradável haver um leaderboard e ver que o nosso nome figura entre os lugares cimeiros” ~ “It’s always nice to have a leaderboard and see that our name ranks high there”


dent in the previous MCP edition, was very satisfied. In all classes he had taken before, he had come away with the notion that “students cannot show the work they are doing and we must all be evaluated according to the same model, which does not reflect our individual qualities.” Daniel Sil, another student, agrees and adds: “This gamification method makes the course a bit more interesting, not only because it’s out of the ordinary, but also because it’s ‘a game’.” The format plays with individual motivation, with our competitive spirit, and stimulates collective work. And if there is “a common characteristic among IST students, that’s our competitive spirit,” which means that this format usually fits them like a glove. “We have identified four groups of students: those who are naturally unmotivated, a small minority; those who will do anything, that is, if there’s a medal they will be there; the minimalists,

P — 27

who just try to figure out the minimum amount of work they’ll have to do in order to complete the course; and the normal students, who manage their effort to get a good grade,” says Professor Joaquim Jorge. Daniel Sil and Tomás are definitely in the second group. “It’s always nice to have a leaderboard and see that our name ranks high there,” says Daniel Sil. “I think we should all have a competitive spirit, it helps us become better people because we want to improve ourselves,” Tomás Alves adds. “The level they have reached is equivalent to their official grade,” Professor Joaquim Jorge explains. Therefore, if they attain the highest level, they will not only get a 20 but also the title of “Science God”. And if for students this is as appealing as it gets, for teachers it means twice the work. “This implies considerable effort on our part, but the improvement in our teaching experience definitely pays off,” Professor Daniel Gonçalves points out. The other lecturer adds “the fact that students feel that their efforts are being recognised, a desire to evolve as teachers, and also a crazy passion for doing completely insane things”. By way of conclusion, Tomás Pereira remarks: “You just have to take a look at the students’ final grades and the course’s QUC (Course Unit Quality System) to realize this is a very successful course.” But according to his colleague, there is something more important than the results: this curricular unit helps us “learn by doing” and “learn by making mistakes.” •

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EN a number of activities that allow students to work and develop both their hard and soft skills. The reward is proportional to the level of work: easier challenges yield fewer experience points (XP) than harder challenges, and the whole process is embedded in a dependency tree that allows each student to create their own strategies for obtaining XP. Taking online quizzes, accessing and sharing content, participating in interactive forums or actively intervening in class are just a few examples of how to score points and level up. “One of the gaming elements we wanted to keep is the possibility of trying again. In many cases, students are free to fail without any consequences” Professor Daniel Gonçalves points out. “We let them make full use of their creativity, giving them the freedom to choose the path they deem fit,” Professor Joaquim Jorge says. And how do students face this challenge? For example, Tomás Alves, a stu-

“Acho que basta olhar para as classificações finais dos alunos e QUCs da disciplina e rapidamente reparar que é uma cadeira com enorme sucesso” ~ “You just have to take a look at the students’ final grades and the course’s CUQ to realize this is a very successful course”


WORKSHOP

Uma viagem relâmpago rumo ao conhecimento A quick journey towards knowledge

P — 28

O workshop Relâmpago de Intercâmbio Internacional distingue-se pela promoção da intercomunicação e a troca de experiências num ritmo de trabalho intensivo The International Exchange workshop is characterised by the promotion ofintercommunication and exchange of experiences in anintense work

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT Estudar uma cidade fora dos livros, tirar apontamentos com o olhar, trabalhar com desconhecidos que rapidamente se tornam amigos de aventura, descerrar desafios numa outra língua, evoluir nas mais variadas dimensões, e voltar para casa trazendo como recordação a aprendizagem — é de um pouco de tudo isto que se faz a maquete do workshop Relâmpago de Intercâmbio Internacional, organizado pelo Mestrado integrado em Arquitetura, e que levou, em 2016, os alunos do Técnico até Londres. A oportunidade surge através de um antigo aluno, atualmente professor na Universidade de Liverpool. Os docentes do Técnico, as professoras Teresa Heitor, Daniela Arnaut e o professor Francisco Bastos, como bons adeptos da prática, não a deixaram escapar. Em 2016, depois da visita dos alunos da Universidade de Liverpool ao Técnico, foi a vez de um grupo de cerca de 30 alunos do Técnico rumar à capital inglesa. “Foi uma semana em imersão total de trabalho e investigação”,

EN Studying a city outside the books, taking notes with one’s eyes, working with strangers who quickly become adventure companions, unlocking challenges in another language, evolving in several dimensions, and returning home bringing knowledge as a souvenir… it is what the model of the lightning workshop of international exchange is made of. Organised by the Masters in Architecture, in 2016, it took Instituto Superior Técnico students to London. The opportunity comes through a former student, currently a professor at the University of Liverpool. Técnico teachers Professor Teresa Heitor, Professor Daniela Arnaut and Professor Francisco Bastos, as good fans of this practice, did not miss this chance. In 2016, after the Liverpool University students’ visit to Instituto Superior Técnico, it was the turn of a group of about 30 IST students to head to the English capital. “It was a week of total immersion in work and research”, says Professor Francisco Bastos.


VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

P — 29

DR


P — 30 VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

PT descreve o professor Francisco Bastos. O desafio passava por uma reflexão sobre a cidade de Londres e os seus espaços arquitetónicos, olhando e aprendendo a ler a cidade, para depois criar a partir das perceções captadas. “Os alunos são tirados do dia-a-dia, o mundo pára, e há uma oportunidade de reflexão sobre um conjunto de conceitos”, partilha a professora Daniela Arnaut com um brilho nos olhos que lhe evidencia o fascínio por este projeto. “A metodologia deste workshop é centrada nesta ideia de aprender a pensar, a reagir”, acrescenta o professor Francisco Bastos. A professora Teresa Heitor vai mais longe, e frisa que aquilo que está na génese desta iniciativa é a “base que está no trabalho do arquiteto, que parte sempre de uma reflexão sobre o contexto onde está a atuar”. Organizados em grupos aleatórios, os alunos têm, desde o primeiro momento em que aterram, de preparar-se para trabalhar com pessoas que não conhecem. “Há nos grupos perfis diversos, que se complementam e que encaixam muito bem”, destaca o professor Francisco Bastos. Depois da concetualização, da definição da estratégia, é preciso criar um projeto, que terá necessariamente de ser comunicado. A evolução do mesmo vai, ao longo da semana, sendo sujeita ao comentário crítico dos colegas. Este desenvolvimento do pensamento crítico e da proatividade é um dos resultados fundamentais do workshop. “A maturidade do pensamento, a atitude, a forma como se relacionam uns com os outros e como expressam as suas ideias” são outras das diferenças, evidenciadas pelos três docentes nos alunos que participam no workshop, mas a lista é extensa. E como reagem os alunos quando se lhes diz que as praças de Londres serão os capítulos seguintes a estudar, e que o trabalho de casa será feito a partir de lá? “Adoram claro. Eles sabem as mais valias que daí advêm, porque estas experiências abrem-los para o mundo”, frisa, desde logo, a professora Daniela Arnaut. “É preciso salientar que, quando partimos para uma aventura destas, corremos o risco de insucesso”, indica o professor Francisco Bastos. É um risco assumido pelos professores e mentores do projeto, e simultaneamente motor das ideias que estimulam e motivam os alunos. A professora Teresa Heitor pega nesta ideia, para realçar que o sucesso destas novas metodologias depende e muito “desta capacidade de envolvimento do professor, de pôr em causa muitas das estratégias utilizadas na sua rotina”. E porque estes três docentes não podiam estar mais envolvidos, “o projeto é para continuar e evoluir”, assegura o professor Francisco Bastos. E tanto o é que, no próximo mês de abril, um novo grupo de alunos ruma a Liverpool, para mais uma semana relâmpago de aprendizagem. E caso ainda haja dúvidas da ótima sin-

cronia entre o nome e o conceito desta metodologia, a professora Daniela Arnaut esclarece: “é um acontecimento pontual, intenso, rápido, que produz resultados e festa, e que depois termina e volta tudo ao normal, o que não quer dizer que fique tudo igual.” •

“Eles sabem as mais valias que daí advêm, porque estas experiências abrem-los para o mundo” ~ “The know the added value that comes from it, because these experiences open them to the world”


Organised into random groups, students have, from the very first moment they land, to prepare to work with people they do not know. “Th groups comprise different characters, which complement each other and fit in very well”, says Professor Francisco Bastos. After conceptualisation and strategy definition, a project must be developed, necessarily to be communicated. Throughout the week, the project is subjected to critical comments from colleagues. Such development of critical thinking and pro-activity is one of the key outcomes of the workshop. “Maturity of thought, attitude, the way they relate to each other and express their ideas” are some of the differences evidenced by the three teachers regarding the students participating in the workshop, but the list is extensive.

P — 31

And how do students react when told that London squares will be the next syllabus and that homework will be done from there? “They definitely love it. They know the added value that comes from it, because these experiences open them to the world”, Professor Daniela Arnaut explains. “It is necessary to point out that when we set on an adventure like this we run the risk of failure,” says professor Francisco Bastos. A risk assumed by the teachers and mentors of the project, and simultaneously the engine for the ideas that stimulate and motivate students. Professor Teresa Heitor takes on this idea to emphasise that the success of these new methodologies depends a lot on “this capacity for teachers’ involvement, and the need to question many of the strategies used in their routine.” And because these three teachers could not be more involved, “the project is set to continue and evolve,” says professor Francisco Bastos. In addition, in April, a new group of students will head to Liverpool for another week of flash learning. And if there are still any doubts about the excellent synchronism between the name and the concept of this methodology, Professor Daniela Arnaut clarifies: “It is a punctual, intense and fast event, that produces results and partying, and then it ends and everything returns to normal, which does not mean that everything stays the same.” •

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

DR

EN The challenge was to reflect on the city of London and its architectural spaces, looking around and learning how to read the city, and then create based on the perceived impressions. “The students are taken away from their daily life, the world stops and there is an opportunity to reflect on a set of concepts”, shares Professor Daniela Arnaut, with a sparkle in her eyes that shows her the fascination for this project. “The methodology of this workshop is centred on this idea of learning how to think, how to react”, adds Professor Francisco Bastos. Professor Teresa Heitor goes further and stresses that at the genesis of this initiative lays the “foundations for the work of any architect, who always starts from a reflection on the context whereupon he is performing”.

“Os alunos são tirados do diaa-dia, o mundo pára, e há uma oportunidade de reflexão sobre um conjunto de conceitos” ~ “The students are taken away from their daily life, the world stops and there is an opportunity to reflect on a set of concepts”


O empreendedorismo também se pode aprender ~ Entrepreneurship can also be learned

A metodologia LLP que o professor Luís Caldas de Oliveira utiliza nas suas aulas de Empreendedorismo transmite aos alunos ferramentas essenciais para testarem e desenvolverem ideias de negócio The LLP method that Professor Luís Caldas de Oliveira uses in his Entrepreneurship classes provides students with vital tools to test and develop their business ideas

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

EMPREENDEDORISMO/ENTREPRENEURSHIP


lha porque o empreendedor fez aquilo tudo e nunca teve o cliente envolvido no processo”, frisa o docente. Mauro Peixe não podia estar mais de acordo: “conseguimos tirar, de tudo o que aprendemos, lições importantíssimas, que permitiram que esses problemas não se repetissem no começo da Heptasense e, consequentemente, esta experienciasse um crescimento mais rápido e com menos sobressaltos”. •

EN Three years ago, Mauro Peixe and Ricardo Santos were just two Electrical and Computer Engineering Master’s students, eager to explore and mature their entrepreneurial skills. For that very reason, they were excited to realise that Técnico offered them a course unit — titled Entrepreneurship, Innovation and Technology Transfer — where they could do just that. The program “was optional for our course, and we signed in precisely because it provided us with a closer look at what building a startup in real life actually means,” Mauro Peixe points out. The program he is talking about is called Lean LaunchPad (LLP), and it is used by Professor Luís Caldas de Oliveira to confront students with the challenges of discovering and implementing a new business opportunity. The founding partners of a promising Artificial Intelligence startup, Mauro Peixe and Ricardo Santos recall that they first

tested one of Heptasense’s success formulas during this program: “It was in those classes that we first realised we worked well as a team,” says Ricardo Santos. His partner thinks that the term “classes” does not do justice to everything he learned and had the chance to do. “What we had was actually a pre-acceleration program for business ideas,” Mauro Peixe points out. “We learned how to build a business model and everything we actually need to reach that” he says. In a nutshell, this is precisely what Professor Luís Caldas de Oliveira wants his students to learn over this ten-week course. Subject to constant challenge, students formulate business ideas which they are then invited to experience “in the real world.” Always practical, the classes are dedicated to discussing the evolution of business ideas and to playing games that help break down interpersonal barriers, while encouraging students to expand their mindset. There is always room to ponder and examine the information they collect, which then allows them to move on to the creation of their prototypes or business models. Experimentation, empathy, play, reflection, and creation are key elements in Professor Caldas de Oliveira’s approach — just as they are for Steve Blank, the creator of the LLP method, who decided that entrepreneurship should be taught. Students are challenged to go out and pitch their idea to prospective clients. “The information is not in the library, it’s out there with the people who have the problem,” Professor Caldas de Oliveira highlights. Students must conduct about 10 interviews every week, and important conclusions may stem from here — namely, that the idea is not adequate. “Most projects fail because the entrepreneur did everything by herself and never involved the client in the process,” he explains. Mauro Peixe could not agree more: “From everything we have learned, we were able to draw very important lessons that have allowed us not to repeat those mistakes when launching Heptasense, thus enabling the project to grow faster and in a smoother way.” •

VALORES PRÓPRIOS 22— 2018

“Aprendemos como construir um modelo de negócios” ~ “We learned how to build a business model”

P — 33

DÉBORA RODRIGUES / TÉCNICO

PT Há três anos, Mauro Peixe e Ricardo Santos eram apenas dois estudantes do mestrado de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, desejosos de explorar e amadurecer a sua veia empreendedora. Por isso mesmo, foi com entusiasmo que percecionaram que o Técnico lhes oferecia essa hipótese, através da unidade curricular de Empreendedorismo, Inovação e Transferência de Tecnologia. “O programa dirigido pelo professor era opcional para o nosso curso, e nós inscrevemo-nos exatamente por ser uma forma mais próxima daquilo que é começar uma startup na realidade”, relembra Mauro Peixe. O programa de que fala é a metodologia Lean LaunchPad (LLP), usada pelo professor Luís Caldas de Oliveira, que incita os alunos a experimentar os desafios da descoberta e execução de uma nova oportunidade de negócio. Sócios fundadores de uma promissora startup na área da Inteligência Artificial, Mauro Peixe e Ricardo Santos relembram que foi através da disciplina que testaram uma das principais fórmulas do sucesso da Heptasense. “Foi naquelas aulas que percebemos que conseguíamos trabalhar bem em equipa”, partilha Ricardo Santos. O seu sócio acha que o termo “aulas” é diminutivo para tudo o que aprendeu e teve oportunidade de fazer durante as mesmas. “O que tivemos foi na verdade um programa de pré-aceleração de ideias de negócio”, frisa Mauro Peixe. “Aprendemos como construir um modelo de negócios e tudo o que é verdadeiramente necessário para tal”, acrescenta o empreendedor. De forma muito resumida, é mesmo isto que, durante dez semanas, o professor Luís Caldas de Oliveira tenta que os alunos descubram e aprendam. Sujeitos ao desafio constante, os alunos formulam ideias de negócio, que são convidados a experimentar “no mundo real”. As aulas, sempre práticas, são dedicadas a debater os desenvolvimentos das ideias de negócio, a fazer jogos que ajudam, não só a quebrar barreiras nas relações interpessoais, mas que são também uma ferramenta fulcral para que o aluno desenvolva o espetro de reflexão. Há sempre lugar para ponderar e analisar a informação que recolhem, e que lhes permite depois avançar para a criação dos protótipos ou dos modelos de negócio. Experimentação, empatia, jogo, reflexão e criação são práticas seguidas à risca pelo professor Luís Caldas de Oliveira, tal como Steve Blank, autor da metodologia LLP, determinou que deveria ser ensinado o empreendedorismo. No âmbito do projeto que pretendem desenvolver, os alunos são desafiados a ir para a rua, apresentar a sua ideia aos potenciais clientes. “A informação não está na biblioteca, está na rua com as pessoas que têm o problema”, salienta o professor Luís Caldas de Oliveira. Das cerca de dez entrevistas semanais que os grupos de alunos têm de fazer, podem advir imensas conclusões, nomeadamente a de que a ideia não é apropriada. “A maior parte dos projetos fa-


PESSOAS/PEOPLE

Gabriel Barata

P — 34

Foi uma das mentes inovadoras envolvidas na implementação de uma nova metodologia de ensino no Técnico / Was one of the innovative minds involved in the implementation of a new teaching method at Técnico

VALORES PRÓPRIOS 22 — 2018

Necessidades/Needs

Revolucionar/Revolutionize

Futuro/Future

PT “Diferentes alunos têm diferentes necessidades: uns precisam de mais tempo, outras precisam de ver a teoria em prática o mais cedo possível, outros poderão preferir aprender ao próprio ritmo em casa. Obrigá-los a todos a seguir o mesmo formato resulta em frustração e numa eventual penalização da aprendizagem.”

PT “Estive envolvido na primeira instancia gamificada de PCM e a experiência foi muito bem-recebida pelos alunos e revelou um enorme potencial para revolucionar o ensino. Este tipo de inovação é extremamente importante para tornar o ensino mais acessível.”

PT “As novas tecnologias podem estar a demorar o seu tempo a chegar ao ensino, mas há muito que tomaram conta de outros aspetos das nossas vidas, tornando tudo imediato, interativo, acessível em qualquer lado, e utilizando formas de gratificação instantâneas. Os alunos do futuro não quererão aprender de outra forma.”

EN “Different students have different needs: some need more time, others need to see theory in practice as early as possible, others may prefer to learn at their own pace at home. Forcing them all to follow the same format produces frustration and possible learning penalties.”

EN “I was involved in the first instantiated gamified PCM; the experience was very well received by the students and proved to have huge potential as a revolutionizing teaching method. This kind of innovation is extremely important to make education more accessible.”

EN “New technologies may take some time to reach schools, but they have long taken over other aspects of our lives, making everything immediate, interactive, accessible anywhere, and providing instant gratification. The students of the future will not want to learn by any other means.”


VALORES PRÓPRIOS REVISTA DO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO MAGAZINE 2018

TAMBÉM NESTA EDIÇÃO ALSO IN THIS EDITION

Gamificação: o parceiro ideal no jogo da aprendizagem Gamification : the ideal partner in the learning game LEIC Bootcamp IST Shaping the future

CAMPUS ALAMEDA

Av. Rovisco Pais, 1 1049-001 Lisboa Tel: +351 218 417 000 Fax: +351 218 499 242

CAMPUS TAGUSPARK

Av. Prof. Doutor Cavaco Silva 2744-016 Porto Salvo Tel: +351 214 233 200 Fax: +351 214 233 268

CAMPUS TECNOLÓGICO E NUCLEAR

Estrada Nacional 10 (ao Km 139,7) 2695-066 Bobadela LRS Tel: +351 219 946 000 Fax: +351 219 946 016

tecnico.ulisboa.pt mail@tecnico.ulisboa.pt

Profile for Técnico Lisboa

Valores Próprios 2018-022  

Revista do Instituto Superior Técnico n.º 22 - 2018

Valores Próprios 2018-022  

Revista do Instituto Superior Técnico n.º 22 - 2018

Advertisement