Page 1

1


2


podemos estar mais orgulhosos, felicitando as equipas técnicas pelo trabalho desenvolvido. O teatro ganhou vitalidade e dinâmica. Para além da atividade cultural regular inerente à programação, o TMG abre as suas portas (e espaços) a dezenas de entidades, associações, empresas e coletividades que dinamizam os seus projetos e iniciativas no Teatro. A ligação à comunidade e ao território está, assim, patente na atividade quotidiana deste teatro.

EDITORIAL Assumimos que o setor cultural e criativo constitui uma alavanca fundamental da nossa coesão económica e social. As estruturas de fruição e criação de cultura, nas suas várias linguagens, são, por isso, uma aposta da nossa estratégia para afirmar a Guarda no panorama cultural regional, nacional e ibérico. O TMG é um desses equipamentos, ao qual atribuímos inegável importância ao longo deste mandato que agora termina. Depois de resolvido o problema dos trabalhadores da ex-Culturguarda, com a sua integração nos quadros do município - conferindo tranquilidade e estabilidade ao corpo técnico - o TMG abriu-se à cidade e à região, com renovada energia na sua programação global. Um teatro é feito da diversidade de propostas, a pensar na acessibilidade para todos os públicos. É essa missão que prosseguimos, com cada vez melhores resultados, sempre com renovada ambição de nunca estarmos satisfeitos. A adesão e consolidação de públicos é um processo gradual, que resulta da maior ou menor oferta de propostas ecléticas, plurais. É isso que temos vindo a propor. E os dados consolidam a estratégia a seguir. Não perdemos o rumo de uma aposta na qualidade, na abertura à sociedade, de modo a posicionar o teatro num patamar de reconhecimento e notoriedade cada vez maior. O TMG é um equipamento cultural âncora, versátil e multidisciplinar da região interior do país, no sentido de espaço de encontro e intercâmbio, partilha e descoberta de experiências, lugar central na vida da cidade e referência identitária da população. Não

A titulo de exemplo, importa destacar que durante o primeiro semestre de 2017, o TMG manteve uma intensa temporada com mais de 140 atividades e propostas de todas as áreas: música, teatro, dança, cinema, exposições e serviço educativo. Só o Grande Auditório recebeu 13 espetáculos, totalizando 6800 espetadores (um record na história do Teatro). Uma área muito importante de intervenção do TMG é a do Serviço Educativo que no primeiro trimestre deste ano recebeu mais de 1500 crianças e jovens de todos os níveis de ensino nas atividades do Plano Nacional de Cinema, oficinas pedagógicas, concertos comentados, visitas guiadas e espetáculos. E não esquecer o constante apoio desenvolvido às estruturas, associações, coletividades locais, regionais e o consequente envolvimento da comunidade nas práticas artísticas. Com estas propostas o TMG chegou ao público da região, do país e de Espanha, solidificando a vocação de serviço público deste equipamento, com o objetivo do desenvolvimento cultural e social da população através de uma oferta cultural que permite o acesso de todos à cultura, direito constitucionalmente reconhecido. Assim, nesta lógica de intervenção cultural, para o último quadrimestre de 2017, o Teatro Municipal da Guarda apresenta um conjunto de propostas que atrairão públicos de todos os quadrantes. É só folhear a presente agenda para se perceber que a aposta política neste equipamento prossegue, solidifica-se, no sentido de podermos oferecer a todos oportunidades de fruição cultural, tão importante para a qualidade de vida. Álvaro dos Santos Amaro Presidente da Câmara Municipal da Guarda

3


descontos

50%

JOVENS ATÉ AOS 25 ANOS E DESEMPREGADOS

[Jovens mediante apresentação de comprovativo de idade, se requerido] [Desempregados mediante apresentação de comprovativo de inscrição no Centro de Emprego ou outro comprovativo emitido pela Segurança Social. Com limite de bilhetes disponíveis]

30%

PORTADORES DE CARTÃO DE ESTUDANTE OU CARTÃO JOVEM MAIORES DE 65 ANOS

[Inclusivé. Mediante apresentação de comprovativo de idade, se requerido]

FAMÍLIAS

[Mínimo de 3 pessoas, pais e filhos]

GRUPOS

[Dez ou mais pessoas, com compra até 72h antes do espetáculo]

FUNCIONÁRIOS DA CÂMARA MUNICIPAL DA GUARDA DESCONTOS NÃO ACUMULÁVEIS

NOVIDADE NOVO SITE DO TEATRO MUNICIPAL DA GUARDA ACEDA AO NOVO E RENOVADO SITE DO TMG EM WWW.TMG.COM.PT COM NOVA BILHETEIRA ONLINE – AGORA É MAIS FÁCIL, RÁPIDO E CÓMODO COMPRAR OS SEUS BILHETES!

4


Cartão Amigo TMG Beneficie de 50% de desconto na compra dos seus ingressos, para além de outras vantagens que irão crescendo. Venha ao TMG. Faça da cultura um hábito. Temos muitos aplausos para si. Na compra de 30€ em ingressos da mesma programação, receberá o seu cartão Amigo TMG. Com ele, poderá adquirir bilhetes com 50% de desconto (até um plafond limitado de bilhetes disponíveis por espectáculo). Para além deste benefício, o Cartão Amigo TMG poderá ter outras vantagens associadas, permanentes ou pontuais, que irão sendo anunciadas nos diferentes canais do TMG aquando da sua implementação. (As vantagens do Cartão Amigo TMG são um benefício exclusivo para o seu portador)

AMIGO TMG AMIGO Nº XXX DATA DE INSCRIÇÃO XX/XX/2016 | VALIDADE XX/XX/2017 CARTÃO DE UTILIZAÇÃO PESSOAL E INTRANSMISSÍVEL

serviço de baby sitting MiróNoite Cultural Quantas vezes deixou de assistir a um espetáculo no Teatro Municipal da Guarda porque tem à guarda filhos pequenos? Agora já pode deixar os seus filh@s entregues a técnicos especializados em animação e educação nos espaços do teatro. Neste espaço, os seus filhos realizarão atividades lúdicas e criativas enquanto os pais assistem a um espetáculo no TMG. Para mais informações e marcações prévias contactar 925804452 ou por email mirobolantes@gmail.com 5


A

DE

R E S I D Ê N C I A A R T Í S T I C A D E S A R A VA Z

SALA DE ENSAIOS

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA /DANÇA O R G: T M G / C M G

MERCI a Antestreia é um espetáculo ao vivo. Merci, uma mistura entre a personagem da Autora e Sada, vai construir a história de amor com o Espetador, personagem variante de X, que aqui adquire um carácter material por estar presente. A Antestreia é a história que estaria antes de M#1, #2 e #3. O objetivo do espetáculo é escrever (e também ver) a história entre estas duas personagens; é então a construção do próprio espetáculo e também de um livro. No início de cada apresentação será oferecido um livro inacabado a cada espectador, completado só no final por imagens captadas e impressas nessa mesma apresentação. Cada apresentação produzirá então um livro diferente, um espetáculo diferente, uma história diferente, uma vez que o personagem do Espetador será composto por um grupo distinto de indivíduos e a relação que se estabelecerá entre as duas personagens sofrerá alterações. Direção Artística, Coreografia, Texto e Interpretação - Sara Vaz Sonoplastia e Música Original - BlackBambi (Miguel Bonneville) Cenografia e Edição do Livro- Marco Balesteros Design de Figurinos - Carlota Lagido Assistência de Direcção - Carolina Campos Consultor Técnico de Audiovisuais - Stephan Jurgens Produção Executiva - Ana Sofia Nunes

6


DE

T E AT R O D O C A L A F R I O A P R E S E N TA

TERRAÇO TMG

(3º P I S O)

CONTOS /MÚSICA O R G: C A L A F R I O - A S S O C I A Ç Ã O C U LT U R A L A P O I O: T M G/ C M G 2€ M/6

Porque não temos memória de galinha, saímos da casca e andamos por aí, a contar histórias antigas de galináceos: galos, galinhas, pintos…Convocamos galinhas e outras aves de capoeira (e até um canário e uma águia!), abrimos o bico para dizer adivinhas, anedotas, trava-línguas. E até rezamos para afastar trovoadas! Rezamos… com galos e galinhas, claro! Naturalmente, olhamos para trás! E, assim, chegamos ao ovo! Ou será à galinha? Com César Prata, Solange Monteiro e Américo Rodrigues

7


DE

A

DE

D E T E R E S A P E S TA N A

CAFÉ CONCERTO EXPOSIÇÃO O R G: T M G / C M G

E N T R A D A L I V R E M/6

Teresa Câmara Pestana, nasceu em 1962, em Setúbal, viveu em Moçambique e Alemanha, vive em Portugal. Autodidata. Passou pelo círculo de artes plásticas. Participa em exposições coletivas e individuais desde os inícios dos anos 80. Exposição que revela a visão da vida e do mundo da artista plástica Teresa Pestana.

8


EXTRA - PROGRAMAÇÃO

DE

C O M C O N C E R T O D A FA N FA R R A N E M FÁ N E M F U M

CAFÉ CONCERTO

CONFERÊNCIA O R G: G E O PA R K E S T R E L A PA R C E R I A: C M G ENTRADA LIVRE

Durante 9 meses, em 9 locais diferentes, foram discutidas as principais temáticas relacionadas com o Território do Aspiring Geopark Estrela. Esta é a nona e última Conferência, com a Guarda como palco. Na sessão, discutir-se-ão os Geoparques: novas estratégias do séc. XXI. A abertura e fecho da conferência terá a participação musical da Fanfarra Nem Fá Nem Fum. Este será, igualmente um momento para o Geopark Estrela apresentar a Declaração da Estrela, um documento que reúne as principais conclusões de nove meses de trabalho e de debate de um Território onde a beleza selvagem se funde com a história milenar. 9


DE

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G / C M G E N T R A D A L I V R E M/6

Vindo da Galiza, Talabarte é um novo conceito de formação musical, estritamente acústico e baseado na música tradicional. Neste projeto unem-se três músicos indispensáveis dentro da cena musical galega: o violino de Quim Farinha, o acordeão diatónico de Pedro Pascual e o contrabaixo de Kin García. Juntos propõem uma viagem através das músicas populares da Galiza e de outras latitudes. O repertório completa-se com as composições originais. Tudo isto conjugado com distintos enfoques estéticos que vão desde o jazz passando pelo tango até à tradição musical europeia. Violino - Quim Farinha Acordeão diatónico - Pedro Pascual Contrabaixo - Kin García

10


DE

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G / C M G E N T R A D A L I V R E M/6

10.000 Russos é um projeto português que pratica um industrial / pós-punk, frequentemente apelidado de psicadélica. Após o seu álbum de estreia “The Oscillation”, o trio português, oriundo da invicta, apresenta agora o seu segundo trabalho discográfico “Distress Distress”, editado em abril pela Fuzz Club Records. "Distress Distress" é ritual e industrial; o seu som habitual pós-punk: uma mistura de The Fall, NEU! e Spacemen 3. Um concerto rock de grande intensidade Guitarra elétrica - Pedro Pestana Baixo elétrico - André Couto Bateria e Voz - João Pimenta

11


DE

D E J O N N G U Y E N, R I C K B A R N E S E O L I V I A N E E R G A A R D- H O L M

PEQUENO AUDITÓRIO CINEMA O R G: T M G / C M G 3€ M/16 88 M

David Lynch leva-nos numa viagem íntima pelos seus anos de formação, desde a infância idílica numa pequena cidade dos Estados Unidos, até às ruas escuras de Filadélfia, identificando os momentos que moldaram um dos realizadores mais enigmáticos do cinema. David Lynch: The Art Life retrata a arte, a música e os primeiros filmes de Lynch, trazendo luz à escuridão do seu mundo único, dando aos espectadores um conhecimento mais aprofundado do homem e do artista. Como Lynch refere “Acho que sempre que se faz algo, como uma pintura ou qualquer coisa do género, vai-se com uma ideia e por vezes o passado pode invocar essas ideias e colori-las e, ainda que sejam novas ideias, o passado dá-lhes cor.” Somos convidados a entrar e é nos dado a conhecer o estúdio de Lynch nas montanhas acima de Hollywood, enquanto este nos conta histórias pessoais do seu passado que se desenrolam como cenas dos seus filmes. Origem: EUA Ano: 2016 12


DE

O S I M P R O VÁV E I S

GRANDE AUDITÓRIO T E AT R O O R G: T M G/ C M G 5€ M/16 75 M

Espetáculo 100% improvisado e que nasce a partir da inspiração de um fado escolhido aleatoriamente pelo público, no início de cada espetáculo. Sem estrutura, cenas, personagens ou textos pré-definidos, cada espetáculo IMPROFADO é criado em conjunto com o público e em tempo real, combinando, de forma poética e emocional, artes tão diferentes, e ao mesmo tempo tão complementares, como a música, a pintura e o teatro. Pouco a pouco, a narrativa ganha forma através das relações humanas que se geram e das ligações entre as diversas cenas. Se a princípio tudo parece desconexo, aos poucos a lógica instala-se assente na improvisação dos atores que se desdobram em múltiplas personagens e aproveitam positivamente todos os contributos dos presentes. Também em palco, músicos e cantora criam, em tempo real, os temas e melodias de suporte às diversas histórias, enquanto um pintor as vai ilustrando. Cada espetáculo é único, irrepetível e tem um fado próprio. Conceção Artística: OS IMPROVÁVEIS Interpretação: Marta Borges, Pedro Borges e Telmo Ramalho Músicos: Ruben Alves/ Miguel Tapadas, Ana Lúcia Magalhães (voz) e Jorge Miguel (guitarra) Pintura e Ilustração: Tiago Taron Produção: UAU | EGEAC

13


14


EXTRA - PROGRAMAÇÃO

E

DE E

DAS

ÀS

GRANDE AUDITÓRIO

CONGRESSO O R G: U L S G U A R D A, C E N T R O H O S P I TA L A R C O VA D A B E I R A, A C E S D A C O VA D A B E I R A E U L S D E C A S T E L O B R A N C O A P O I O: C M G/ T M G

Este congresso é uma iniciativa conjunta promovida pela Direção do Internato Médico da ULS Guarda, Centro Hospitalar Cova da Beira, ACES da Cova da Beira e ULS de Castelo Branco e a organização conta com o apoio científico da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior e o patrocínio científico da Ordem dos Médicos. O objetivo do congresso é o de promover o envolvimento de médicos e outros profissionais de saúde de várias especialidades hospitalares e dos Cuidados de Saúde Primários. Este evento de âmbito nacional reunirá, novamente na Guarda, um grande número de congressistas continuando a optar pela abordagem de temas transversais e de interesse prático na atualidade e que envolvem as várias especialidades como a Nefrologia, a Medicina Interna, a Patologia Clínica, a Pediatria, a Medicina Geral e Familiar, a Gastroenterologia, a Psiquiatria, a Pneumologia, a Ortopedia, a Cirurgia e a Medicina Intensiva. O congresso proporcionará igualmente Cursos Teóricos e Práticos de FCCS, SAV, ECG, Anticoagulação, Suturas, Feridas Crónicas, Dor, SPSS, Casos Práticos em Dermatologia, VNI, Abordagem de via aérea, Ortóteses e Radiologia Convencional. O congresso e os respetivos cursos têm lugar no Teatro Municipal da Guarda, na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico da Guarda e no Hospital Sousa Martins. 15


DE

F E S T I VA L I N T E R N A C I O N A L O N E M A N B A N D [ E S C Ó C I A] [ P O R T U G A L] [ F R A N Ç A / E U A]

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G E Z O N A B E N T R A D A L I V R E M/6

THEE RAG N BONE - Este one man band vem das entranhas da Escócia com o seu blues rock explosivo. Thee Rag N Bone Man lançou oseu primeiro EP, "One Man Band Brutal Trash Blues", no início de 2012, com grande sucesso, seguido de seu álbum de estreia, "Headbutts & Uppercuts", em 2013. Dois anos depois editou o álbum, "Possessed By An Idiot" e já em 2017 o álbum "Kill a Hipster For Rock N Roll". CASUAR - Tem-se revelado como um dos mais interessantes projetos da nova música portuguesa. Na pele de one man band, o multi-instrumentista recorre ao live looping para criar CASUAR, gravando vários instrumentos em tempo real, camada a camada, dando vida às suas músicas cantadas na nossa língua. Por trás deste projeto está o multi-instrumentista Rui Rodrigues que já fez parte de bandas como Dazkarieh, Donna Maria ou D.A.M.A. EDITH CRASH - É originária de Perpignan, França, perto da costa do Mediterrâneo. Ela passou algum tempo em Barcelona antes de se mudar para Los Angeles (EUA), onde está agora radicada. Em setembro de 2016 lançou o álbum “Partir” e mais recentemente foi incluída na lista de descobertas SXSW. A sua música é descrita como “intensa e negra”. 16


THEE RAG N BONE

CASUAR

EDITH CRASH 17


O GAJO

BELLY HOLE FREAK 18

DOLLAR BILL


DE

F E S T I VA L I N T E R N A C I O N A L O N E M A N B A N D [ I TÁ L I A] [ P O R T U G A L] [ I N G L AT E R R A]

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G E Z O N A B ENTRADA LIVRE

BELLY HOLE FREAK - Nascido dentro de um furacão de blues sujo e louco, a sonoridade de Belly Hole Freak é influenciada pelo Delta Blues, Dixieland, Bluegrass, Country, Boogie e rock'n'roll inspirado por nomes como Howlin ' Wolf, Captain Beefheart, Robert Johnson ou Tom Waits. Belly Hole Freak usa uma linguagem teatral muitas vezes surrealista. A sua música é definida como “Vaudeville Boogie Blues”. O GAJO - nasce em Lisboa na primavera de 2016 pelas mãos de João Morais com o intuito de ligar a veia criativa à sua terra de origem, Portugal. É assim que surge a relação com a Viola Campaniça, um instrumento de raiz tradicional que faz parte da história centenária e cultural do nosso país. As composições do GAJO podem soar a fado, mas não são fado, podem soar a música tradicional, mas não são música tradicional, são um híbrido disso tudo e muito mais. As suas influências estendem-se a Tom Waits, Nick Cave, Leonard Cohen, Patti Smith, Carlos Paredes e José Mário Branco. O GAJO toca música do mundo. Depois de 6 meses a tocar por todo o país, 2017 vê a edição do seu primeiro disco. DOLLAR BILL - Diz quem já o viu ao vivo, que é uma experiência incrível. O som que Dollar Bill consegue reproduzir ao vivo parece quase impossível para um músico apenas em palco, mas de facto é só ele a tocar bateria, guitarra, harmónica e a cantar. Rockin' Blues é a melhor forma de descrever a sonoridade de Dollar Bill. 19


DE

C I N E C L U B E D A G U A R D A A P R E S E N TA “ E M P O R T U G U Ê S”

DE JOÃO PEDRO RODRIGUES

PEQUENO AUDITÓRIO

CINEMA O R G: C I N E C L U B E D A G U A R D A A P O I O: T M G/ C M G/ I P D J 3€ (50% D E S C O N T O A S Ó C I O S D O C I N E C L U B E D A G U A R D A) 118 M M/16

Fernando (Paul Hamy) é um ornitólogo solitário que decide pegar no seu caiaque e descer um rio em busca das raras cegonhas pretas, conhecidas por apenas se encontrarem em regiões inóspitas, longe dos olhares humanos. Depois de algum tempo em viagem, distraído com a beleza da paisagem, é surpreendido pelos rápidos e quase morre afogado. Na luta pela sobrevivência, vai confrontar-se com alguns dos seus demónios mais íntimos e medos mais primitivos. Ao encarar-se desta maneira, vai sair de lá um homem irremediavelmente transformado… Depois de "O Fantasma" (2000) – que entrou no concurso oficial de Veneza -, "Odete" (2005) ou "Morrer como Um Homem" (2009) – ambos em competição em Cannes –, e de "A Última Vez Que Vi Macau" (2012) – que venceu o prémio de Melhor Documentário no Festival de Cinema de Turim (Itália) e uma menção especial do júri do Festival de Cinema de Locarno (Suíça) –, com este filme João Pedro Rodrigues arrecadou, já em 2016, o Leopardo de Melhor Realizador em Locarno. Origem: BRA/POR/FRA e Ano: 2016 20


21


DE

GRANDE AUDITÓRIO DANÇA O R G: T M G/ C M G 5€ M/6 60 M

IN-SHELL-SIDE é uma viagem. Uma passagem para outro estado psíquico, emocional e físico. É uma troca de tudo por tudo. É partilha, cumplicidade, confiança, força, direção, é LUZ. IN-SHELL-SIDE é o Alfa e o Ómega. É o micro e o macro de uma partícula. É um átomo em deriva constante. É energia que pulsa nos corpos e entre os corpos, é o que nos liga ao universo e o universo a nós. É ação que constrói e desconstrói padrões de movimento. É a vida natural e construída! Nélia Pinheiro Direção | Coreografia: Nélia Pinheiro Bailarinos e cocriadores: Gonçalo Andrade, Fábio Blanco, Nélia Pinheiro Banda Sonora e Montagem: Gonçalo Andrade Figurinos: José António Tenente Desenho de Luz: Nélia Pinheiro e Gonçalo Andrade Consultora Artística: Maria Palmeirim Fotografias de Cena: Telmo Rocha Montagem da Banda Sonora: Gonçalo Andrade Direção de Luz: Pedro Bilou Direção de som e Vídeo: Fernando Dias Direção de Produção: Rafael Leitão Produção: CDCE 2016 Apoio: Escola de Dança do Conservatório Nacional Espetáculo produzido pela CDCE. A CDCE é uma estrutura financiada pela República Portuguesa - Cultura | Direção Geral das Artes. A CDCE tem o apoio da Câmara Municipal de Évora.

22


EXTRA - PROGRAMAÇÃO

OLHARES EM MOVIMENTO – UMA VIAGEM PELA SERRA DA ESTRELA O R I E N TA D A P O R J O R G E P E L I C A N O E

DE E

DAS

ÀS

E DAS

ÀS

PEQUENO AUDITÓRIO

OFICINA O R G: G E O PA R K E S T R E L A 30€ D E S T I N ATÁ R I O S: E S T U D A N T E S D E T U R I S M O E C O M U N I C A Ç Ã O; I N T E R E S S A D O S N A Á R E A D O V Í D E O/ C I N E M A; P Ú B L I C O E M G E R A L

A promoção territorial é, na atualidade, trabalhada em palcos muito diversos, com recurso a métodos e estratégias distintas, cuja sua dimensão há muito que procura novos paradigmas e caminhos alternativos. A II Oficina de Vídeo, ministrada pelo realizador Jorge Pelicano e promovida pela Candidatura da Estrela a Geopark Mundial da UNESCO (Associação Geopark Estrela) constitui uma estratégia de, através do vídeo, reforçar o sentido de pertença e a promoção destas novas realidades em velhas geografias, como é a Serra da Estrela. Coordenada por Jorge Pelicano, premiado realizador, autor de documentários como “Ainda Há Pastores?”, “Pare, Escute, Olhe” e “Pára-me de Repente o Pensamento”, esta iniciativa pretende reforçar o papel do cinema e do documentário na atualidade, enquanto estratégia de comunicação e de intervenção cultural. Objetivos da formação: desenvolver competências teóricas e técnicas de vídeo; aprofundar técnicas de gravação de vídeo em ambientes distintos; construir narrativas através do vídeo; compreender a importância do vídeo na promoção turística dos territórios. Nota: para mais informações e inscrições em www.geoparkestrela.pt

23


DE

A

DE

DE ADRIANA MOLDER

GALERIA DE ARTE EXPOSIÇÃO O R G: T M G / C M G

E N T R A D A L I V R E I N A U G U R A Ç Ã O 7 D E O U T U B R O, S Á B A D O À S 17 H

Na exposição da Galeria do Teatro Municipal da Guarda, Adriana Molder vai apresentar desenhos de grandes dimensões nunca antes exibidos em Portugal. Estes desenhos a Tinta-da-China sobre papel esquisso, são na sua maioria, retratos da série “Winter Was Hard” de 2010 juntamente com duas paisagens de interior da série “Der Traumdeuter” de 2007 e de “We Have Faces!” de 2009. A estes retratos e interiores a preto e branco, que têm tanto de sombrio e fantasmagórico como de cinematográfico, aqui apresentados de maneira a criar uma nova narrativa, vai juntar-se uma nova série de pinturas de pequenas dimensões chamada Escura, criada especialmente para esta exposição. Adriana Molder nasceu em Lisboa a 18 de Novembro de 1975. Vive e trabalha em Berlim. Tem o curso de Realização Plástica do Espetáculo, Escola Superior de Teatro e Cinema 1997 e o curso de Desenho, Avançado de Arte Plásticas e Projeto Individual na AR.CO, 1998/2002. Ganhou os prémios CELPA/Vieira da Silva - Artes Plásticas - Revelação 2003 e Herbert Zapp - Prémio para Jovens Artistas, Berlim - 2007. Expôs em dezenas de exposições individuais e coletivas e tem obras suas em coleções privadas em Portugal, Espanha, Brasil, Alemanha, Inglaterra e E.U.A. 24


DE

[ S U É C I A]

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G/ D'O R F E U A S S O C I A Ç Ã O C U LT U R A L ENTRADA LIVRE

Música fresca e vibrante com influências escandinavas. O repertório deste projeto inclui canções tradicionais bem como material próprio que mistura tango, jazz e folk. Di Yiddishe Kapelye é composto por acordeão, violino, violão, contrabaixo, guitarra e piano. O grupo convida o público a explorar a sua música. Uma experiência vibrante, tanto musical como visualmente. Voz - Louisa Lyne Violino - Irina Binder Violoncelo - Anna Thorstensson Contrabaixo - Pernille Rømer Guitarra/ teclas - Robin Lyne Acordeão - Edin Bahtijaragic 25


DE

DE RAOUL PECK

PEQUENO AUDITÓRIO CINEMA O R G: T M G / C M G 3€ M/12 93 M

Em 1979, James Baldwin escreveu ao seu editor dizendo que o seu próximo projeto, Remember This House, seria um livro revolucionário sobre as vidas e os assassinatos de três dos seus amigos mais próximos: Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King, Jr. Quando morreu, em 1987, deixou apenas 30 páginas do manuscrito. Este documentário extraordinário dá voz às palavras de Baldwin e, usando preciosos materiais de arquivo, volta a trazer para a ribalta as questões raciais na América. Com Samuel L. Jackson [VOZ ] Origem França /EUA Ano 2016

26


DE

CAFÉ CONCERTO

S TA N D- U P C O M E D Y O R G: T M G / C M G

E N T R A D A L I V R E M/12 90 M

Três humoristas com estilos muito diferentes entre si: Eduardo Marques, João Freitas e Fábio Pascoal sobem ao palco do CC para apresentar uma noite de comédia inesquecível. Muitos são os temas debatidos nas noites “Delete”, desde acontecimentos bizarros do dia-a-dia a teorias hilariantes sobre a maneira como as pessoas pensam e agem em sociedade. Fica a promessa de uma noite original, criativa e hilariante que não vai querer perder. Com: Eduardo Marques, João Freitas e Fábio Pascoal

27


DE

W H I S K E Y – 20 A N O S

GRANDE AUDITÓRIO MÚSICA O R G: T M G / C M G

15€ ( C O M O S D E S C O N T O S H A B I T U A I S) M/6

Jay-Jay Johanson é um artista muito acarinhado pelo público português e ganhou notoriedade em 1996 quando editou o seu primeiro disco “Whiskey”. Para celebrar o 20º aniversário da edição desta pérola, Jay-Jay Johanson vai efetuar uma digressão europeia na qual tocará o disco na íntegra. A voz única e inconfundível deste artista Sueco promete um regresso ao passado onde o trip-hop dos Portishead imperava e na rádio escutávamos temas deste disco como “So Tell the Girls I’m back in Town”, “It Hurts Me So” e “I’m Older Now”. A história de "Whiskey" surge em 1994 quando Jay-Jay ouviu uma “promo” de "Dummy" dos Portishead que lhe chegara por correio à redação da revista de música POP, onde Johanson trabalhava à noite e aos fins-de-semana para ganhar algum dinheiro extra. Após ouvir exaustivamente aquele trabalho da banda de Beth Gibbons, o compositor sueco percebeu que era possível fazer algo com que sempre sonhara: “misturar um estilo de composição típico do jazz com batidas urbanas, herdadas do hip- hop, abrandadas de modo a que conseguisse cantar, como no jazz, por cima das mesmas”. Jay-Jay Johanson é uma espécie de “crooner” dos tempos modernos. 28


29


DE

CAFÉ CONCERTO MÚSICA O R G: T M G/ C M G

E N T R A D A L I V R E M/6

Depois de uma gestação feliz e sem contratempos, nem antes nem depois do tempo, os Trouble Trash” nasceram em 2013 na cidade mais alta de Portugal, na Guarda. Com a particularidade de ser um filho de 4 pais, colegas de profissão, amigos e cúmplices, o grupo resultou da inevitabilidade que os progenitores sentiram de dar corpo, alma e o que mais se verá a uma sintonia afetiva e estética que vinham sentindo e a que a música, linguagem comum dos quatro, vivida, experimentada e viajada espaços fora, fundiria num projeto comum que aconteceu com naturalidade. Mas não chegava. Era preciso partilhar com toda a gente e daí o passo seguinte das atuações ao vivo e depois a gravação de um disco. São os temas desse disco que aqui vêm mostrar. Frederico Trigueiros - Bateria João Feliz - Guitarra solo Luzia Bismarck - Baixo e voz Luis Bismarck - Guitarra e voz

30


DE

FA M Í L I A S A O T E AT R O

P E L O T E AT R O D A S B E I R A S

PEQUENO AUDITÓRIO T E AT R O O R G: T M G/ C M G 3€ M/6

Uma criação original do Teatro das Beiras que explora os afetos na solidão e a forma como os podemos relacionar entre si em diferentes momentos das nossas vidas. Por um lado relacionamos a solidão com a necessidade de contar, de falar e de relatar histórias. A solidão que gera sentimentos únicos, que acumula sabedoria e que tem necessidade de se expressar. Por outro lado a solidão como algo necessário para escapar ao ruído social, solidão que nos dá clareza e nos faz sentir plenos. A crescente distância entre gerações de idosos e jovens está a criar um enorme défice de afetos nas nossas vidas. Esta é a história de um inesperado encontro entre um jovem e dois idosos, que acabará por provocar uma série de acontecimentos inexplicáveis, que rapidamente transformará as suas vidas numa maravilhosa aventura. Encenação - Marco Ferreira Interpretação - Fernando Landeira, Sílvia Morais e João Morgado (músico) Produção - Teatro das Beiras 31


EXTRA - PROGRAMAÇÃO

DE

CAFÉ CONCERTO

TERTÚLIA O R G: A S S O C I A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E A P O I O, F O R M A Ç Ã O E I N V E S T I G A Ç Ã O E M D I S L E X I A A P O I O: T M G/ C M G ENTRADA LIVRE

Atualmente a dislexia é uma preocupação real que afeta entre 10 a 15 por cento da população mundial. Esta patologia é uma das causas principais de insucesso e abandono escolar, comprometendo o futuro dos jovens afetados por esta perturbação. Neste âmbito, a Associação Portuguesa de Apoio, Formação e Investigação em Dislexia, da Guarda presta serviços gratuitos de apoio e formação a todos os que, de forma direta ou indireta, lidam com esta problemática. Esta tertúlia surge com esse mesmo propósito.

32


DE

C I N E C L U B E D A G U A R D A A P R E S E N TA "O U T R A S PA R A G E N S"

D E A P I C H AT P O N G W E E R A S E T H A K U L

PEQUENO AUDITÓRIO

CINEMA O R G: C I N E C L U B E D A G U A R D A A P O I O: T M G/ C M G/ I P D J 3€ (50% D E S C O N T O A S Ó C I O S D O C I N E C L U B E D A G U A R D A) 122 M M/14

Numa pequena aldeia da Tailândia, vários soldados são vítimas de uma estranha doença do sono. Uma escola primária abandonada converte-se então numa espécie de enfermaria, onde recebem os cuidados necessários para se manterem vivos. Os médicos tentam encontrar forma de os despertar, incluindo a terapia de luz colorida, para aliviar os seus sonhos agitados. Jenjira, uma das voluntárias que ali trabalham, sente um especial carinho por Itt, um jovem soldado que nunca recebe visitas. Ela torna-se amiga de Keng, uma médium que usa os seus poderes para fazer de "ponte" entre os familiares desesperados e os espíritos dos soldados adormecidos. Um dia, Jenjira tem um estranho encontro com duas mulheres que lhe dizem que a escola está situada em cima de um cemitério de antigos reis que usam a força dos jovens nas suas guerras… Origem: Eua /Gb /Ale/Mal /Nor/Mex/Fra/Tai/Coreia Do Sul Ano: 2015 33


DE

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G E N T R A D A L I V R E M/6

Surgiram em 2013 no contexto de um evento insólito para o qual Ana Bento, espontânea incubadora de novas criações, pressionou saudavelmente Bruno Pinto para a composição de alguns temas "ao seu jeito", a coisa que culminou - com a ajuda de alguns amigos e um pedal de loop - em concerto numa varanda aberta à cidade. Algum tempo após esta extravagância, o projeto, repensado, persegue o objetivo de lançar o seu primeiro disco, o qual estreia em dezembro de 2015 pela mão do recente selo GiraDiscos. Eclética e original, a música de "Lodo" tem sido bem recebida nos concertos realizados desde a estreia, mercê também da energia libertada na interpretação dos temas ao vivo. Voz - Ana Bento e Catarina Almeida Guitarra, composição e letras - Bruno Pinto Teclados - Joaquim Rodrigues Baixo - Leonardo Outeiro Bateria - Marcos Cavaleiro 34


EXTRA - PROGRAMAÇÃO

DE DAS

ÀS

1º F Ó R U M D E E M P R E E N D E D O R I S M O E I N O VA Ç Ã O D A G U A R D A

CAFÉ CONCERTO

CONFERÊNCIA O R G: Q U I O S Q U E D O E M P R E S Á R I O E N T R A D A L I V R E [ S U J E I TA A R E G I S T O N O A C E S S O A O F O R Ú M] D E S T I N ATÁ R I O S: E M P R E S Á R I O S, E S T U D A N T E S, C O N S U LT O R E S E O R G A N I S M O S A S S O C I AT I V O S

Iniciativa inédita desenvolvida pelo Quiosque do Empresário e seus parceiros na cidade da Guarda que pretende que o empreendedorismo inovador se torne numa corrente de conhecimento ao serviço do empresário, demonstrando que o trabalho em rede é um importante motor de desenvolvimento da economia. O conhecimento é importante, mas quando partilhado, multiplica-se. O fórum vai contar com a presença de uma figura pública de referência nacional da área do empreendedorismo – Tim Vieira, que irá partilhar a sua experiência enquanto empresário, empreendedor e impulsionador de novas empresas. Estão ainda confirmadas as presenças de um representante de uma associação empresarial especialmente vocacionada para a internacionalização de empresas (AAPI) e ainda de um grupo de investigadores da Universidade de Coimbra. O Instituto Politécnico da Guarda também se associa a esta iniciativa através da apresentação de três projetos de negócio desenvolvidos por alunos daquela escola, que serão analisados e avaliados pelo painel de palestrantes. 35


DE

PEQUENO AUDITÓRIO MÚSICA O R G: T M G/ C M G ENTRADA LIVRE

Em Figueira de Castelo Rodrigo, no ano de 2010, quatro amigos partilham um gosto comum pela mais sublime de todas as artes: a música. Partilham um sonho de mover plateias, de imprimir o nome em camisolas e capas de CDs; não faziam ideia se iriam ter alguma sorte, mas sabiam que tinham de tentar. Seis anos decorridos, os Click dão o primeiro passo para a concretização do sonho com o lançamento do álbum de estreia, "À Moda Antiga". Disco que mostra a evolução de um grupo que veio revelar a sua versatilidade e vontade de experimentar novas sonoridades nos mais variados estilos musicais, que vão do rock ao funk passando pelo blues. Voz principal - Rafael Pereira Guitarra e voz - Pedro Maia Lopes Baixo, guitarra e voz - Rui Moço Bateria Percussão e voz - Marco Valente 36


DE

O HORIZONTE

GRANDE AUDITÓRIO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G 10€ ( D E S C O N T O S H A B I T U A I S)

É num cenário envolvente e íntimo que Teresa Salgueiro nos apresenta um breviário de canções representativas da melhor tradição musical portuguesa. Tendo como fio condutor o seu próprio repertório desde "O Mistério" ao recém-editado "O Horizonte", a autora interpreta também os mais conhecidos temas dos Madredeus, prestando ainda homenagem a Amália Rodrigues, José Afonso, Carlos Paredes, entre outros. Teresa Salgueiro transporta-nos assim para um universo que nos é próximo e simultaneamente surpreendente. A voz que há três décadas canta Portugal e encanta o mundo, eleva-nos com o seu estilo único e inconfundível, através da poesia e da música, num espetáculo que é uma reflexão sobre o que é ser humano e onde habilmente se entrelaça o presente, o passado e o futuro. Teresa Salgueiro - Voz Rui Lobato - Bateria, percussão e guitarra Óscar Torres - Contrabaixo Nuno Cintrão - Guitarra Nélson Almeida - Acordeão Jorge Barata - Técnico de Som Francisco Leston - Técnico de Iluminação Alexandra Ferreira - Assistente de Produção José Silva - Assistente de Produção Francisco Costa - Road Manager

37


38


DE RUI DUQUE DE

A

DE

CAFÉ CONCERTO

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA ENTRADA LIVRE

A partir de 2013, Rui Duque, tinha uma vida estável e confortável em Lisboa, partiu para o desconhecido Norte em busca de respostas. Ele sabia (interiormente) que na tranquilidade das serras graníticas, encontraria a paz interior e a harmonia que não tinha encontrado na cidade. Assim, acedeu ao convite para ser voluntário na marcação da Grande Rota do Côa. Em pouco tempo, estava estabelecido em Figueira de Castelo Rodrigo e vivia plenamente feliz. Um ano mais tarde começou a namorar com uma bonita rapariga, da vila de Trancoso. Tudo parecia estar a correr bem até ao ponto em que as razões que o fizeram sair da cidade estavam agora a re-aparecer, sobre a forma de preconceito, mentira e medo. A fuga e o luto desta relação foram o rastilho para ele ter realizado na totalidade e em autonomia a Grande Rota do Vale do Côa, uma rota pedestre de 222 kms, que percorrer vários locais pertencentes à Guarda. As fotos representam um misto de melancolia, libertação e amor incondicional. 39


© R I TA C A R M O

DE

CAFÉ CONCERTO MÚSICA O R G: T M G/ C M G ENTRADA LIVRE

É certo que já vão no quarto álbum de originais, mas a frescura com que se reinventam a cada disco faz dos Norton um dos melhores exemplos de como a Pop e a música Alternativa podem andar de mãos dadas e serem felizes. Entre as texturas doces, o cheirinho a sonhos, as cascatas sónicas e uma secção rítmica que puxa para a pista de dança sempre que pode o quarteto de Castelo Branco soma já quinze anos de carreira, quatro registos de originais, dois álbuns de remisturas, digressões por toda a Europa e Japão, edições no Japão e um documentário. Mas nestas coisas da música, a matemática nem sempre é o mais importante e, por isso, o impacto que mantêm ano após ano baseia-se largamente na relação que conseguiram conquistar com o público, sendo amplamente acarinhados de norte a sul do país. Pedro Afonso - Voz, Guitarra Manuel Simões - Guitarra, Voz Leonel Soares - Baixo Rodolfo Matos - Bateria 40


DE

A R T I S TA S U N I D O S A P R E S E N TA M

GRANDE AUDITÓRIO T E AT R O O R G: T M G/ C M G 5€

Os Artistas Unidos regressam às suas personagens “à flor da pele, às beira das lágrimas, sem história”, com esta nova encenação de Jorge Silva Melo. Esta peça do grande dramaturgo Tennessee Williams provocou uma verdadeira revolução no teatro da altura do lado de lá do Atlântico. Passa-se num momento de mudança, mudança no mundo privado das personagens mas também no mundo público, como se repercutisse esta dor privada. Tal como nos diz a personagem Tom: "Um casamento destruído pelo álcool, a ausência de filhos, mistérios e mentiras. Heranças, valores, filhos, sexo. E a doença, a morte. O que é a propriedade privada?". É um discurso que faz mais do que situar a peça, dá o contexto para o que, por contraste, deve parecer um drama menor. É um convite para ler os acontecimentos ironicamente e para ver no desejo de viver com ficções reconfortantes, em vez de enfrentar verdades brutais, uma estratégia condenada e, no limite, mortal. Pois, tal como Tom indica no mesmo discurso, quaisquer consolações ou distrações que existam - música swing, bebida, filmes, sexo, jardins zoológicos de cristal - inundam o mundo com arco-íris que ele caracteriza como "breves" e "ilusório". Autor: Tennessee Williams Tradução: José Miguel Silva Com: Isabel Munoz Cardoso, João Pedro Mamede, José Mata/Guilherme Gomes e Vânia Rodrigues Cenografia e Figurinos: Rita Lopes, Alves Luz, Pedro Domingos Coordenação Técnica: João Chicó Produção executiva: João Meireles Assistência de Encenação: António Simão Encenação: Jorge Silva Melo Produção: Artistas Unidos 41


42


ESTREIA

E

DE E

A Q U I L O T E AT R O A P R E S E N TA:

PEQUENO AUDITÓRIO

T E AT R O O R G: A Q U I L O T E AT R O A P O I O: T M G/ C M G 3€ M/12

Numa altura em que cada vez mais, falta a poesia, beleza, abstração e filosofia precisamos dos poetas! Esta produção teatral do Aquilo nasce como forma de manifesto e contraria o conceito que a poesia tem de ser inacessível, elitista e severa, pretendendo assim, humaniza-la na sua forma e conteúdo. Um espetáculo concebido de forma despretensiosa e com humor, onde um encontro (ou desencontro) entre poetas, irá revelar as humanidades, sentimentos, desejos e saudades do vivido e não vivido. Poetas & Etcetera é nada mais, nada menos que uma reflexão sobre a poesia e os poetas, desejando que todos os dias, criemos uma faísca que possa originar chamas libertadoras. Para que todo dia, tenha e seja poesia. QUE SERIA DE NÓS SEM OS POETAS? Texto e encenação de Antónia Terrinha Com: Anabela Chagas, Carla Morgado, Carlos Morgado, Elisabete Fernandes, Pedro Baia e Vítor Freitas Produção: Aquilo Teatro 43


DE

FA M Í L I A S A O T E AT R O

C A I X A D E PA L C O D O G R A N D E A U D I T Ó R I O T E AT R O O R G: T M G/ C M G 3€ M/4

Márcia e Nuno são exploradores, sempre prontos para uma próxima aventura. Atentos ao inesperado e amantes do desconhecido, desta vez deparam-se com um lugar cheio de caixas. Intrigados, questionam-se. O que fazem ali todas aquelas caixas? O que contém cada uma delas? O que se pode fazer com todas essas caixas? Por vezes a curiosidade leva-nos a superar os nossos limites. Quantas histórias já viveste, em que mesmo com medo, abriste portas, janelas, cofres, armários? Quantas vezes já foste levado pela necessidade de saber, de conhecer, de desvendar? Cada vez que abrimos uma caixa um mundo de possibilidades é criado. Cada gesto desencadeia uma onda de descoberta e de espanto. Até onde nos leva a nossa curiosidade? Criação e performance: Márcia Lança e Nuno Lucas Composição Sonora: Nuno Morão Apoio Figurinos: Benedetta Maxia Direção Técnica: Tasso Adamoupolus Difusão: Mónica Talina Residências: 30 da Mouraria, Espaço das Gaivotas/Teatro Praga, Teatro Municipal Maria Matos Coprodução: VAGAR e Teatro Municipal Maria Matos 44


DE

DE EMIR KUSTURICA

PEQUENO AUDITÓRIO CINEMA O R G: T M G/ C M G 3€ M/14 125 M

Primavera em tempos de Guerra. Todos os dias, o leiteiro atravessa a fronteira de burro, lançando balas para levar as suas preciosas mercadorias aos soldados. Abençoado pela sorte na sua missão, amado por uma bonita aldeã, um futuro tranquilo parece aguardá-lo... Até que a chegada de uma misteriosa mulher italiana vira a sua vida de pernas-para-o-ar. Esta é uma história de paixão e amor proibido, que os levará numa série de fantásticas e perigosas aventuras. Unidos pelo destino, nada nem ninguém parecem poder pará-los. Vencedor de duas Palmas de Ouro do Festival de Cannes, Emir Kusturica realiza e dirige esta história de amor e guerra, recheada de emoção, comédia e aventura. Com: Monica Bellucci, Emir Kusturica Origem: Sérvia /Reino Unido /EUA Ano: 2016

45


DE

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G / D'O R F E U – A S S O C I A Ç Ã O C U LT U R A L E N T R A D A L I V R E M/6

A melhor representante do folk ibérico e a percussão de vanguarda. Novo espetáculo de Odaiko acompanhados por Vanesa Muela, artista admirada na cena musical pelo seu trabalho de valorização da música tradicional ibérica. A sinergia musical de Odaiko e a intérprete e percussionista castelhana mostram que na música, quando o sentimento é comum, o resultado é excelente. Voz e percussão: Vanesa Muela Percussão: Antonio Ocampo, Félix Rodríguez, Fran Troncoso, Juan Collazo

46


DE

DE RAQUEL CASTRO

PEQUENO AUDITÓRIO

T E AT R O O R G: T M G/ C M G / R E D E 5 S E N T I D O S 5€ M/16

É o maior cruzeiro do mundo e está prestes a levantar âncora em direção ao infinito azul. Desenganem-se aqueles que pensam que se trata apenas de mais um navio de cruzeiro. As características do Olhar de Milhões conferem-lhe o estatuto de um mega resort flutuante - o maior da Europa - e o único capaz de proporcionar a derradeira experiência, ilimitada e total. Para além das aclamadas atrações Ultimate Abyss, Fetiche Arena, Wind Tunnel, Chemical Enhanced Racing, Mummy`s Milk Shot, Full Communication Zone, há novidades para todos os perfis, a não perder. Porque só se vive uma vez. Concebido e dirigido pela encenadora Raquel Castro, Olhar de Milhões enfrenta o tempo presente, operando sobre temas como o consumo, o vício, a alienação, o excesso de informação, o primado do imediato, o aborrecimento. É um dos espetáculos resultantes do programa de estímulo à criação artística nas áreas do teatro e da dança promovido pela Rede 5 Sentidos, de que o TMG é membro. Criação e Direcção Artística - Raquel Castro Texto - Joana Bértholo a partir de improvisações dos intérpretes Interpretação: Anaisa Lopes, David Marques, João Villas Boas, Marco da Silva Ferreira e Teresa Coutinho Assistência à criação - Filipa Matta Apoio Teórico - Ana Bigotte Vieira Desenho de Luz - Rui Monteiro Cenografia - José Capela Sonoplastia e Música Original - Miguel Mendes Produção - Barba Azul Produção Executiva -Vítor Alves Brotas 47


DE

DE LUIS FELIPE BLASCO VILCHES

PEQUENO AUDITÓRIO T E AT R O O R G: T M G/ C M G 5€

Realidade, humor, ironia e fantasia coexistem no mesmo espaço sempre em movimento, como deixou escrito Cervantes na carta dedicada a D. Pedro Fernandez de Andrade, Conde de Lemos, em “Los Trabajos de Persilles y Segismunda”, assinada dois dias antes de sua morte: «As nossas almas, como tu bem sabes e aqui nos ensinaram, estão sempre em movimento contínuo… Nesta vida os desejos são infinitos e uns encadeiam-se nos outros interligando-se e formando uma corrente que chega ao céu e depois se some no inferno.» Em setembro de 1597, 19 anos antes da sua morte, Cervantes é preso na Carcel Real de Sevilha na qual, segundo declara no prólogo, nasceria a ideia para a história de “Don Quijote de la Mancha”. Este momento de calma, de solidão, foi aquele que selecionámos para fazer esta dramaturgia. Como sombras e recordações, surgem situações, personagens, dilemas interiores; um percurso pela sua vida e pelos seus personagens. Uma aproximação à figura mais importante da literatura espanhola. Encenação - Pedro Álvarez-Ossorio Direção musical - Santi Martínez Interpretação - Sebastián Haro, Jasio Velasco (Viola), Carmen García Moreno (Violoncello) Cenografía - Vicente Palacios Figurinos - Margarita Ruesga Assistente de direção - Ana Álvarez-Ossorio Desenho de luz - Carmen Mori Criação de vídeo - Aquiles MediaTécnicos - José David Gil, David Romero de la Osa, Pablo GilProdução - Fundición Producciones Nota: Esta peça de teatro tem diálogos em espanhol 48


DE

PEQUENO AUDITÓRIO MÚSICA O R G: T M G / C M G 5€

Volvidos 17 anos desde a sua formação, os Campânula regressam à cidade que os viu nascer para apresentar o terceiro disco gravado no TMG. Fiéis à sua identidade - onde o ritmo, a energia e a improvisação têm lugar privilegiado -, este trabalho continua a ter como ponto de partida para a sua música as campainhas de bronze fabricadas de forma artesanal na localidade de Maçainhas, na Guarda. À semelhança dos outros trabalhos – Campanula Herminii, 2001 e Cumeada, 2011 - o grupo continua a ter presente a inspiração do pastor transumante, ainda que o resultado final seja uma música com traços de contemporaneidade, marcados pelas vivências de infância e memórias imaginárias dos elementos do grupo, respeitando as proveniências musicais de cada um. Percussão e campainhas - Marcos Cavaleiro Baixo - Pedro Lucas Teclados - Miguel Cordeiro Piano e melódica - Joaquim Rodrigues Guitarras - Luís Ribeiro 49


DE

COMEMORAÇÕES DO DIA DA CIDADE

GRANDE AUDITÓRIO

MÚSICA O R G: T M G / C M G 5€ M/12 120 M ( S E M I N T E R VA L O)

Para mim, um Disco é cada vez mais um Livro, uma narrativa contínua de histórias desencontradas que se reencontram na Música que escrevo, de personagens, por vezes atormentadas, outras felizes, de sentimentos de perda ou de conquista que acabam por ser comuns a muitos de nós. Falo de mim através das vozes de outros e transponho-me para os outros usando a minha própria voz. Ao longo de todo este tempo, diria quase desde que me conheço enquanto Músico, procurei melhorar a simplicidade daquilo que verdadeiramente me fascina: escrever Canções. O que aí vem é apenas isso. A minha Vida tornada palavra e harmonia. Se se encontrarem comigo neste trabalho, a minha tarefa estará cumprida e partirei para a estrada já com o próximo disco nas entranhas. Pedro Abrunhosa

50


51


DE

C I N E C L U B E D A G U A R D A A P R E S E N TA “ E M C A R TA Z”:

DE JIM JARMUSCH

PEQUENO AUDITÓRIO

CINEMA O R G: C I N E C L U B E D A G U A R D A A P O I O: T M G/ C M G/ I P D J 3€ (50% D E S C O N T O A S Ó C I O S D O C I N E C L U B E D A G U A R D A) M/12 118 M

Paterson trabalha como motorista de autocarro na cidade de Paterson, em Nova Jérsia (EUA). A sua rotina diária é sempre igual: acorda exatamente à mesma hora, vai trabalhar, regressa para os braços de Laura, a namorada, passeia Marvin, o cão, bebe uma única cerveja no bar de um amigo e escreve poesia, não necessariamente por esta ordem. A sua vida é tranquila e a sua existência discreta. Paterson está apaixonado por Laura e ela por ele. Ele apoia os sonhos e projetos mais arrojados da namorada; ela incentiva-o e inspira-o na escrita dos seus poemas. É assim todos os dias. Escrito e realizado por Jim Jarmusch – o aclamado realizador de "Noite na Terra", "Homem Morto", "Café e Cigarros", "Broken Flowers - Flores Partidas", "Os Limites do Controlo", "Só os Amantes Sobrevivem" ou "Gimme Danger" –, e com Adam Driver e Golshifteh Farahani como protagonistas, um filme melancólico sobre as incontáveis rotinas de um casal durante os sete dias de uma semana. 52

Origem: AL/EUA/FRA Ano: 2016


DE

G U A R D A, A C I D A D E N ATA L

GRANDE AUDITÓRIO

T E AT R O/ M Ú S I C A O R G: A S S O C I A Ç Ã O C U LT U R A L, S O C I A L E R E C R E AT I VA D A S E Q U E I R A 5€

Espetáculo que conta com a participação de várias associações do concelho da Guarda e que integra a iniciática “Guarda, a Cidade Natal”, do Município da Guarda. Este concerto pretende assinalar uma quadra de amor, solidariedade e paz. Trata-se de um projeto conjunto de dez coletividades do concelho, sendo o processo liderado pela Associação Cultural Social e Recreativa da Sequeira. Direção musical: César Prata Com: A mensagem, Associação Desportiva e Cultural de Alfarazes, Grupo de Cantares Camponeses de Aldeia do Bispo, Centro Cultural de Famalicão da Serra, Centro Cultural da Guarda, Grupo de Cavaquinhos do Centro Social da Póvoa do Mileu, Grupo de Cantares da Arrifana, Grupo de Cantares da Sequeira, Grupo Coral de Maçainhas e Ronda do Jarmelo. 53


DE

A

DE

GALERIA DE ARTE

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA O R G: C E N T R O D E E S T U D O S I B É R I C O S A P O I O: T M G/ C M G I N A U G U R A Ç Ã O: 2 D E D E Z E M B R O, S Á B A D O, G A L E R I A D E A R T E À S 18 H00 ENTRADA LIVRE

Imagens recolhidas no âmbito do concurso Transversalidades: Fotografia sem fronteiras Concurso de Fotografia – 2017 do Centro de Estudos Ibéricos. Fotografias que documentam a diversidade de territórios, sociedades e culturas de diferentes continentes, agrupadas pelos seguintes temas: 1. Património natural, paisagens e biodiversidade; 2. Espaços rurais, agricultura e povoamento; 3. Cidade e processos de urbanização e 4. Cultura e sociedade: diversidade cultural e inclusão social.

54


DE

10 A N O S D E FA R E W E L L

PEQUENO AUDITÓRIO MÚSICA O R G: T M G/ C M G 5€

Sean Riley & The Slowriders celebram em outubro 10 anos desde a edição do seu primeiro álbum, Farewell. Para além da reedição especial do disco, a banda de Leiria percorre agora o país numa série de espetáculos onde vão revisitar o disco na íntegra. A banda bebeu da melhor herança folk-rock anglo-saxónica, de Bob Dylan a Nick Drake, de Tim Buckley a Townes Van Zandt, e surpreendeu-nos com um disco imaculado e genuíno, quer ao nível da composição, quer ao nível dos arranjos, feitos de simplicidade e sobriedade, revelando uma maturidade invulgar numa estreia discográfica.” - Rui Ferreira (Lux Records) Voz e guitarra - Afonso Rodrigues Teclados - Filipe Costa Bateria - Filipe Rocha Baixo - Nuno Filipe Lopes

55


56


DE

CAFÉ CONCERTO

MÚSICA O R G: T M G/ C M G/ D´ O R F E U- A S S O C I A Ç Ã O C U LT U R A L E N T R A D A L I V R E M/16 75 M

“Tia Graça” é um espetáculo de autor, concebido e interpretado por Luís Fernandes, no papel mais maduro do seu percurso criativo, a par de um extraordinário trio de jovens instrumentistas da nova vaga. O inusitado naipe de sopros que acompanha, ao vivo, as canções originais (oboé, fagote e eufónio) traz ao espetáculo as reminiscências filarmónicas que ilustram o contexto familiar da vida da personagem central, a Tia Graça, mas com uma transversal e sofisticada linguagem musical para todas as idades. Depois de "Reportório Osório”, este novo espetáculo de Luís Fernandes aprofunda as ligações, gratas para o autor, entre tradição e contemporaneidade, passando uma forte mensagem com ternura e a necessária inteligência, num registo estimulante para o consumido espetador dos nossos dias. Em “Tia Graça”, reconhece-se a valorização tardia destes entes mais discretos, aqui trazidos à ribalta, retratando os temas da velhice e da solidão com muito humor. Uma lição de vida em palco. Voz e Interpretação: Luís Fernandes Oboé: Joana Soares | Telma Mota Fagote: Inês Moreira Coelho Eufónio: Inês Luzio | Trombone: Beatriz Mendes Músicas | Manuel Maio Letras | Luís Miguel Fernandes Cenografia | enVide neFelibata [Teatro e Marionetas de Mandrágora] 57


A

DE A

T E AT R O D O C A L A F R I O A P R E S E N TA

PEQUENO AUDITÓRIO

T E AT R O O R G: T E AT R O D O C A L A F R I O A P O I O: T M G/ C M G 4€

Um Macaco que é Macaco, ou um Macaco que é Poeta? Um Político que é Poeta, ou será que é Macaco? Das relações entre estas, e outras personagens, nasce o absurdo, o non sense, o jogo. Tendo por base a obra Fábulas Fantásticas, de Ambrose Bierce, esta versão teatral livre procura colocar o espectador no centro do palco, confrontando-o com a pena afiada do escritor norte-americano, que tanto escreveu sobre justiça, política, literatura, jogos de poder. Uma peça que procura resgatar do esquecimento uma das vozes mais acutilantes da literatura norte-americana. Autor: Ambrose Bierce Versão teatral livre: manuel a. Domingos Encenação: Américo Rodrigues Com: Luciano Amarelo, Daniel Rocha, Ana Couto, Solange Monteiro e Américo Rodrigues. 58


© LY N X T U N G U R

59


DE

C I N E C L U B E D A G U A R D A A P R E S E N TA: “O U T R A S PA R A G E N S”

D E PAT R I C I O G U Z M Á N

PEQUENO AUDITÓRIO

CINEMA O R G: C I N E C L U B E D A G U A R D A A P O I O: T M G/ C M G/ I P D J 3€ (50% D E S C O N T O A S Ó C I O S D O C I N E C L U B E D A G U A R D A) M/12 90 M

O deserto de Atacama localiza-se na região norte do Chile até à fronteira com o Peru. A 3000 metros de altitude e com cerca de 1000 quilómetros de extensão, é considerado o deserto mais alto e mais árido do Mundo, com níveis de precipitação próximos do zero. Por causa disso, o solo de Atacama é comparado a Marte. As temperaturas variam entre os 0º C à noite os 40º C durante o dia. Devido à sua altitude, nuvens quase inexistentes, ar seco e falta de poluição luminosa, este é um dos melhores lugares do Mundo para a observação astronómica e é lá que muitos cientistas procuram vida extraterrestre e tentam perceber os enigmas do Universo. Mas também é no deserto de Atacama que algumas mulheres procuram os restos mortais de familiares perdidos: exploradores, mineiros, índios ou prisioneiros políticos da ditadura de Pinochet… Origem: EUA/ALE/CHILE/ESP/FRA Ano: 2010 60


AT I V I D A D E S D O T M G E D O M U N I C Í P I O F O R A D E P O R TA S SET. - DEZ. 2017 SETEMBRO Data: 9 de setembro Dia: Sábado A CEIA DOS CARDEAIS – Encenação Religiosa Local: Pousade Organização: Grupo Cultural e Desportivo Pousadense Parcerias: Câmara Municipal da Guarda, União de Freguesias Pousade e Albardo e do Centro de Dia de Pousade. Data: 9 e 10 de setembro Dia: Sábado e Domingo VIAGEM ÀS RAÍZES Local: Arrifana Organização: Grupo de Cantares da Arrifana e junta de freguesia da Arrifana Parceria: Câmara Municipal da Guarda NOVEMBRO Data: 11 de novembro Dia: sábado SÃO MARTINHO CASTANHA E VINHO Local: Aldeia do Bispo Organização: Centro cultural e desportivo de Aldeia do Bispo Parceria: Junta de Freguesia de Aldeia do Bispo Data: 11 e 12 de novembro Dia: sábado e domingo FESTA DA CASTANHA E DA JEROPIGA Local: Famalicão da Serra Organização: Centro cultural de Famalicão da Serra Parceria: Câmara Municipal da Guarda, Junta de freguesia de Famalicão da Serra, jovem bombeiro DEZEMBRO Data: 3 de dezembro Dia: Segunda Feira Abertura da ALDEIA NATAL – Cariz Sócio Comunitário Local: Aldeia do Bispo Organização: Centro Cultural e Desportivo de Aldeia do Bispo Parcerias: Câmara Municipal da Guarda e junta de freguesia de Aldeia do Bispo Data: 26 de dezembro Dia: Terça Feira MAGUSTO DA VELHA Local: Aldeia Viçosa Organização: Junta de freguesia de Aldeia Viçosa Parceria: Câmara Municipal da Guarda

61


OFICENA / OFICINE

O S O M, A I M A G E M E O PA L C O

O R I E N TA Ç Ã O: É L I A F E R N A N D E S E A N A C O U T O

Destinatários: adultos e jovens a partir dos 15 anos Limite de participantes: 15

Oficina dirigida a jovens e adultos que pretendam explorar formas criativas de conjugar a música e o cinema. A partir da análise dos clássicos do cinema e de cinematografias de vanguarda, pretende-se criação coletiva de uma paisagem sonora com o uso do corpo, da voz, de instrumentos e objetos. - Inscrições até 20 de Outubro 2017 (5€) - Horário Pós-laboral - Decorre de novembro de 2017 a maio de 2018 com apresentação pública final.

PLANO NACIONAL DE CINEMA

O Plano Nacional de Cinema tem como objetivo principal fazer chegar a linguagem cinematográfica ao maior número possível de jovens de forma a criar a ponte entre a atualidade e a herança que o cinema criou ao longo da sua existência e que assume uma influência inegável no desenvolvimento de qualquer sociedade. Este plano propõe-se promover a literacia na leitura e interpretação de imagens em movimento, por oposição à infindável produção de conteúdos com que somos confrontados diariamente, nos produtos criados pelos media e publicidade. Em simultâneo propõe-se aprofundar, junto de alunos e professores, a capacidade de interpretação dos filmes mais emblemáticos da cultura ocidental e refletir sobre a sua contribuição para o nosso desenvolvimento cultural, social e pessoal. (@ Culturgest) Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque, Guarda. Ano lectivo 2016/2017. Marcação das Sessões de Cinema no ínicio do ano lectivo. ORG. CMG/TMG, CINECLUBE DA GUARDA, E AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE

62


V I A G E M SONORA

ORIENTADA POR ÉLIA FERNANDES Mediante inscrições prévias (início das inscrições com a abertura do ano letivo) Duração aproximada 90m Horário 10h00 às 11H30 terça a sexta Destinatários préescolar e 1ºciclo, grupos organizados de idosos e crianças com necessidades especiais. A atividade será sempre adaptada ao grupo.

“Viagem Sonora”, sendo um projeto na área da educação artística, irá promover nos grupos participantes a criatividade e diversas competências expressivas musicais. Trata-se de um projeto lúdico (decorre ao longo do ano) com três momentos diferentes que proporcionam experiências distintas na abordagem às qualidades do som. Para tal, serão utilizados três diferentes espaços do Teatro Municipal da Guarda, recorrendo a jogos expressivos e musicais, como orquestra de instrumentos, exploração de um instrumento e dança.

À DESCOBERTA DO TEATRO MUNICIPAL VISITA GUIADA AO TEATRO SOB UMA PERSPETIVA PEDAGÓGICA VISITA sujeita a inscrição prévia GRATUITA [GERAL@TMG.COM.PT] 90M / LIMITADA A 50 PARTICIPANTES / M/4 horário a definir na marcação

Que segredos esconde o TMG? Como são os camarins onde os artistas se preparam para os espetáculos? O que é uma “régie” técnica? Para que servem tantos projetores de luz? E o fosso de orquestra, o que é? Quem desenhou o Teatro? Quantos concertos, teatros e outros espetáculos já passaram no TMG ao longo de mais de dez anos? Esta visita visa responder a estas e outras perguntas.

63


Teatro Municipal da Guarda GRANDE AUDITÓRIO

Informações WWW.TMG.COM.PT GERAL@TMG.COM.PT TEL. +351 271 205 240

RUA BATALHA REIS • Nº 12 6300668 GUARDA • PORTUGAL GPS 40º 32’ 05.00’’ N • 7º 16’ 07.00’’ W

GRANDE AUDITÓRIO

O local privilegiado das grandes produções Teatro, Dança, Música, Ópera. 626 lugares.

PEQUENO AUDITÓRIO

Recebe o Cinema e espetáculos de Teatro e Música. 160 lugares.

GALERIA DE ARTE

Apresenta exposições de conceituados artistas nacionais e internacionais. TERÇA A QUINTA • 16H00 19H00 E 21H00 23H00 SEXTA E SÁBADO • 16H00 19H00 E 21H00 24H00

CAFÉ CONCERTO

“O Café” da cidade, com Teatro, Animação, Música, Conferências. Disponibiliza para leitura jornais, revistas e livros. Música selecionada. O local ideal para uma bebida e dois dedos de conversa, sem fumo. Acesso Wireless à Internet. Aberto de terça a sábado. TERÇA A QUINTA • 16H00 19H00 E 21H00 24H00 SEXTA E SÁBADO • 16H00 19H00 E 21H00 01H00

BILHETEIRA

Tel. 271 205 241 | bilheteira@tmg.com.pt DE TERÇAFEIRA A SÁBADO, DAS 17H ÀS 20H EM DIAS DE ESPETÁCULO, DAS 17H ÀS 21H30 [ENCERRA NOS FERIADOS] O bilhete deverá ser conservado até ao final do espetáculo. A programação poderá sofrer alterações por motivos imprevistos, sendo esta situação, quando possível, objeto de aviso antecipado.

RESERVAS

As reservas podem ser efetuadas por telefone, fax, ou por email, ou diretamente na bilheteira. Garantidas até 72 horas antes do espetáculo.

BILHETEIRA ONLINE www.tmg.com.pt

ESTACIONAMENTO

175 lugares num parque de estacionamento público, no centro da cidade. Avenças mensais.

CONDIÇÕES DE ACESSO

PEQUENO AUDITÓRIO

Segundo o disposto no DL n.º 315/95, de 28 de Novembro, Artigo 34.º : Nas sessões de cinema, teatro, bailado, concertos, óperas ou quaisquer outros espectáculos que se realizem nas salas a estes destinados, os espectadores são obrigados a manter-se nos seus lugares durante as representações e execuções, de modo a não perturbarem os artistas e o público. Se o espectador, depois de advertido quanto ao seu comportamento, persistir na sua atitude ou se desde logo esta perturbar a realização do espectáculo, será obrigado a sair do recinto, sem direito a qualquer reembolso e sem prejuízo da coima aplicável. Nos recintos referidos no n.º 1 é proibido aos espectadores levar para o seu lugar: Animais; Quaisquer objectos que possam deteriorar ou sujar o recinto ou incomodar os demais espectadores. É proibido fumar dentro dos recintos fechados onde se realizem espectáculos, a não ser nos locais para esse fim indicados nas vistorias. Nos espectáculos de declamação, de ópera ou de bailado e nos concertos de música clássica é proibida a entrada, durante a actuação, para quaisquer lugares que não sejam frisas ou camarotes, devendo conservar-se fechadas as portas de acesso a tais lugares. Durante os espectáculos, apenas os arrumadores, os elementos da força policial ou do piquete dos bombeiros e os funcionários da fiscalização da DGESP, quando em exercício de funções, podem permanecer de pé nas coxias.

O Teatro Municipal da Guarda é um espaço que cuidou do acesso de pessoas com deficiências. Existem rampas de acesso e elevadores, o Grande Auditório e o Pequeno Auditório contam com espaços para cadeiras de rodas. Pagamento Multibanco disponível na Bilheteira e no Café Concerto Ao abrigo na Lei Nr. 37/2007, de 14 de Agosto, é proibido fumar nas Salas, Auditórios, Foyers, na Galeria de Arte, no Café Concerto e no Parque de Estacionamento. É permitido fumar exclusivamente no Terraço do TMG, no 3º piso.


organização

parcerias / colaboração

entidades associadas

apoios

apoios à divulgação


Coordenador e Programador – Victor Afonso Assistente de Programação – Carla Morgado Secretariado e Produção – Raquel Pinto Coordenador Técnico – António Freixo Técnico de Som – Eduardo Martins Técnico de Luz – Tiago Lopes Técnicos de Palco – Alcides Fernandes e Bruno Coutinho Técnico de Palco e Eletricista – Ricardo Pereira Relações Públicas e Frente de Casa – Carlos Antunes Designer – Tiago Rodrigues Comunicação e Design – Sérgio Currais Comunicação e Imprensa – Susana Adaixo Serviço Educativo – Élia Fernandes, Salete Pinto e Ana Couto (Cineclube da Guarda) Manutenção – Ricardo Amaral Assistente de Produção – Paula Cristina Cunha Projetos de Envolvimento Comunitário – Cláudia Soares Bilheteira e Aprovisionamento – Cristóvão Antunes Café Concerto e Catering – Pedro Aguiar Assistentes de Bar – Raquel Gata Costa Receção e Atendimento – Maria Amélia Pires Vigilantes – Aires Neves, Daniel Rodrigues, Filipe Maio e João Pires (POC) Assistente Operacional – Eduardo Paulo Estagiários de Animação Sociocultural e Comunicação – Solanja Santos Estagiária de Programação – Ana Castro Auxiliares de Limpeza – Maria da Luz Branquinho, Conceição Ribeiro e Amélia Moura Assistentes de Sala – André Grácio, Cláudia Saraiva, Hugo Cruz, João Rodrigues, Luciana Monteiro e Sandra Amaro Assistente de Galeria de Arte – Mónica Almeida

AGENDA TMG produção Susana Adaixo, Carla Morgado, Victor Afonso Design Gráfico Tiago Rodrigues impressão Sersilito tiragem 6 000 exemplares ISSN 16471512

Agenda tmg Set-Dez 2017  
Advertisement