Page 1

SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL

O I R Á N I D R Ò R T X FOTOGRAFIA CARLOS PINTO

TE ATRO PR AG A

10 A 18 M A IO 2019


Hilda Clark (1872-1932) Jenny Larrue Atriz e modelo norte-americana, primeiro rosto da publicidade da Coca-Cola, de 1893 a 1903.

Lista de personagens e distribuição por ordem de entrada em cena

1ª PARTE

Émile Henry (1872-1894) Diogo Bento Anarquista francês autor de dois atentados bombistas nos anos 90 do século XIX.

Visconde São Luiz de Braga (1850-1918) José Raposo Também conhecido como Luís Braga Júnior, nascido no Brasil, foi um influente empresário teatral no meio lisboeta e um dos fundadores do Teatro Municipal São Luiz, presidente da sociedade para a edificação do teatro.

Kate Sheppard (1848-1934) Joana Manuel Sufragista neozelandesa, responsável pelo facto da Nova-Zelândia ser o primeiro país onde as mulheres puderam exercer o seu direito de voto (em 1893).

António Ferreira Ramos (1850-1921) André e. Teodósio Empresário de sucesso no Brasil e em Portugal, fundará, em 1894, uma empresa dedicada ao teatro e ao espetáculo. Genro de Ramalho Ortigão, é um dos membros da sociedade para a edificação do Teatro Municipal São Luiz e manter-se-á, com o Visconde São Luiz de Braga, na direção do teatro, já depois de os restantes membros a terem abandonado.

Leopoldo Fregoli (1867-1936) João Duarte Costa Artista de variedades, transformista e female impersonator italiano, cuja fama o levou a atuar um pouco por todo o mundo, inclusivamente no Teatro Dona Amélia, em 1895. Rainha Dona Amélia de Orleães (1865-1951) Joana Barrios Amélia de Orleães, princesa francesa, casou com rei D. Carlos I e veio a ser a última rainha consorte portuguesa. O Teatro Municipal São Luiz foi inaugurado pelo Rei D. Carlos I e a Rainha D. Amélia, de quem recebe o nome até 1910, ano da implantação da República.

Bertha Benz (1849-1944) Joana Barrios Foi uma das pioneiras do automóvel e primeira pessoa, na história, a conduzir um automóvel numa viagem de longa distância: 106km de Mannheim a Pforzheim, na Alemanha, em 1888. Irmãos Lumière Tiago Lila e João Caçador Auguste e Louis Lumière, inventores do cinematógrafo e frequentemente referidos como os pais do cinema. Conta-se que um dos seus primeiros filmes, Chegada de um Comboio à Estação da Ciotat, impressionava os espectadores a ponto de estes temerem ser atingidos pelo comboio.

Dom Luís Filipe Maria (1887-1908) Diogo Bento Príncipe herdeiro, filho de D. Carlos I e D. Amélia, assassinado no regicídio de 1908. Dom Manuel Maria (1889-1932) João Duarte Costa Segundo filho de D. Carlos I e D. Amélia, futuro Rei D. Manuel II de Portugal.

2

A Filha do Tambor-Mor Joana Manuel Personagem da opereta homónima de Offenbach, apresentada pela companhia italiana Gargano, por ocasião da inauguração do Teatro Dona Amélia, em 1894.

Princesa Uranu Jenny Larrue Personagem da peça A Transviada de Henri Bernstein, apresentada em 1906, no Teatro Dona Amélia. La Argentinita Guilherme Leal Encarnación López Júlvez (1898-1945), bailarina de flamenco, coreógrafa e cantora (tonadillera), que passou pelo Teatro São Luiz em 1925.

Eleonora Duse (1858-1924) Cláudia Jardim Atriz italiana de grande sucesso que passou pelo Teatro Dona Amélia em 1898, com a peça A Mulher de Cláudio, de Alexandre Dumas filho, A Dama das Camélias, também de Dumas filho, e Hedda Gabler, de Henrik Ibsen. No dia da última récita, o Teatro Dona Amélia organizou uma sessão em que foi descerrada uma lápide comemorativa da passagem de Eleonora Duse por Lisboa.

República Joana Manuel Mana Cínica Cláudia Jardim Joane, o parvo João Duarte Costa Personagem do Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente, peça apresentada, em 1911, no Teatro da República, na adaptação de Afonso Lopes Vieira. A peça era praticamente desconhecida do público português e obteve um enorme sucesso.

Sarah Bernhardt (1844-1923) Joana Manuel Atriz francesa de grande sucesso que passou pelo Teatro Dona Amélia em 1899. Antes da récita de despedida, reuniram-se no Teatro várias individualidades, entre artistas, críticos, pintores e jornalistas, para homenagear a atriz. Na ocasião, foi descerrada uma lápide comemorativa.

O Diabo Joana Barrios Personagem do Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente.

Fado Bicha Tiago Lila e João Caçador

José de Almada Negreiros (1893-1970) Diogo Bento Artista português que se dedicou às artes plásticas e à escrita e um dos representantes do movimento futurista em Portugal. Na tarde do dia 14 de abril de 1917, o Teatro da República acolhe a “Conferência Futurista” organizada por Almada Negreiros e Guilherme de Santa-Rita.

Mana do Antigamente Tiago Lila Loïe Fuller (1862-1928) Ana Moreno Atriz e dançarina norte-americana, pioneira das técnicas de dança moderna e inventora da “serpentine dance”. Apresenta, em 1912, no Teatro da República, várias récitas com a sua trupe de “bailados clássicos, artísticos, fantásticos, etc.”, “com uma instalação especial eléctrica, da invenção da grande artista”.

3


Coisinho João Duarte Costa

Visconde São Luiz de Braga José Raposo

António Ferro (1895-1956) José Raposo Jornalista, escritor e diretor do Secretariado de Propaganda Nacional, responsável pela política cultural do regime de Salazar.

Jorge Salavisa André e. Teodósio Bailarino e diretor artístico do São Luiz Teatro Municipal de 2002 a 2010.

Fifis Adriano Vicente, André e. Teodósio, Guilherme Leal e Joana Manuel Revolta dos Fifis, ou Golpe dos Fifis, foi uma tentativa de golpe militar, que ocorreu a 12 de agosto de 1927, liderada por Filomeno da Câmara de Melo Cabral e Fidelino de Sousa Figueiredo, ambos próximos de António Ferro.

Dona Relestina Cláudia Jardim António Silva (1886-1971) José Raposo Ator português conhecido pelos filmes em que entrou durante a “era de ouro” do cinema português. O filme A Canção de Lisboa, em que António Silva tinha um papel de destaque, estreou em 1933 no Teatro São Luiz.

Fado Bicha Tiago Lila e João Caçador

Beatriz Costa (1907-1996) João Duarte Costa Pseudónimo de Beatriz da Conceição, famosa atriz do teatro e cinema portugueses do século XX. O filme A Canção de Lisboa, em que Beatriz Costa tinha um papel de destaque, estreou em 1933 no Teatro São Luiz.

Jornalista Diogo Bento Maria Barroso (1925-2015) Joana Barrios Atriz, professora, deputada e ativista política, organizou um recital de poesia em 1966 no Teatro São Luiz, proibido pelo SNI, mas que ainda assim se realizou. PIDEs Adriano Vicente, André e. Teodósio, Guilherme Leal e Joana Manuel

Aida Tavares Joana Manuel Diretora artística do São Luiz Teatro Municipal de 2015 até à data de estreia de Xtròrdinário. Demonarca Diogo Bento Bailarino da Tanztheater Wuppertal Adriano Vicente Em 2005, o Teatro Municipal São Luiz apresenta os espetáculos Céu e Terra e Cravos da Companhia Tanztheater Wuppertal, de Pina Bausch. Pina Bausch (1940-2009) Ana Moreno Influente bailarina e coreógrafa alemã, ficou conhecida por cunhar o termo Tanztheater para descrever os seus espetáculos. No São Luiz, a companhia de Pina Bausch, apresentou em 2008 Café Müller, espetáculo icónico, em que a própria Pina Bausch era uma das intérpretes, última vez que a bailarina dançou em público. José de Almada Negreiros Diogo Bento Fernanda, a preta Jenny Larrue

4

5

Xtròrdinário (2019) Uma encomenda São Luiz Teatro Municipal em coprodução com Teatro Praga

Santa-Rita Pintor (1889-1918) João Caçador Guilherme de Santa-Rita, figura mítica da primeira geração de pintores modernistas portugueses, organizou, com Almada Negreiros, a “Conferência Futurista” no Teatro da República.

Dona Relestina Cláudia Jardim

Revolucionários Adriano Vicente, Ana Moreno, André e. Teodósio, Diogo Bento, Guilherme Leal, Jenny Larrue, Joana Barrios, Joana Manuel, João Caçador e Tiago Lila

De 2008 a 2018, o Teatro Praga apresentou seis espetáculos no Teatro Municipal São Luiz, quatro deles em coprodução, outros dois em reposição. Xtròrdinário é o sétimo da lista. Aproveitamos a ocasião e a efeméride para agradecer à Aida Tavares e ao Jorge Salavisa, que nos abriram as portas do teatro, e a quem nesta sala nos ajudou a concretizar os espetáculos, bem como aos colaboradores que connosco os construíram e, claro, a quem nos veio ver. Obrigado, São Luiz! De Braga!

2ª PARTE

TEATRO PRAGA

Andresa do Nascimento (1859-1927) Jenny Larrue Também conhecida por Fernanda a Preta, cortesã e figura com forte presença na sociedade lisboeta do final de século XIX e início do século XX. Terá assistido à “Conferência Futurista” em 1917, no Teatro da República.


6 7

Terceira Idade (2013) Espetáculo apresentado em 2016 no São Luiz Teatro Municipal. Coprodução Teatro Praga e Teatro Viriato © Susana Pomba

Jângal (2018) Coprodução Teatro Praga, São Luiz Teatro Municipal, Théâtre de la Ville, Teatro Municipal do Porto – Rivoli/Campo Alegre © Estelle Valente


8 9

Tropa-Fandanga (2014) Apresentado em 2015 no São Luiz Teatro Municipal. Coprodução Teatro Praga, Teatro Nacional D. Maria II e Maison de la Culture de Bobigny – MC93 © Filipe Ferreira

Zululuzu (2016) Coprodução Teatro Praga, São Luiz Teatro Municipal, Théâtre de la Ville, ÍKSV – Ístanbul Tiyatro Festivali, Teatro Municipal do Porto – Rivoli, Casa Fernando Pessoa, Institut Français au Portugal © Alípio Padilha


10 11

Turbo-Folk (2008) Coprodução Teatro Praga e São Luiz Teatro Municipal © Jose Frade

Demo (2009) Coprodução Teatro Praga e São Luiz Teatro Municipal ©Tatiana Macedo


© Alípio Padilha

10 a 18 maio teatro estreia

XTRÒRDINÁRIO TEATRO PRAGA

Terça a sábado, 21h; domingo, 17h30; m/14 €12 a €15 com descontos CONVERSA COM OS ARTISTAS

12 maio, domingo

Criação: Teatro Praga (André e. Teodósio, Cláudia Jardim, José Maria Vieira Mendes e Pedro Penim); Atores: André e. Teodósio, Cláudia Jardim, Diogo Bento, Jenny Larrue, Joana Barrios, Joana Manuel, João Duarte Costa, José Raposo, João Caçador e Tiago Lila; Bailarinos: Adriano Vicente, Ana Moreno, Guilherme Leal e Jenny Larrue; Participação musical: Fado Bicha; Direção musical: João Paulo Soares; Músicos: António Santos (Trombone/Bombardino), Filipe Coelho (Trompete/ Fliscorne), Francisco Cardoso (Bateria/ Percussão), João Paulo Soares (Piano), Nuno Fernandes (Baixo/Contrabaixo), Paulo Bernardino (Clarinete/ Saxofone); Coreografia: Luiz Antunes; Cenografia: João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira; Assistência de cenografia: Joana Sousa; Vídeo (conceção e edição): André Godinho; Figurinos: Inês Ariana e Nuno Braz de Oliveira; Mestre costureira: Rosário Balbi; Desenho de som e sonoplastia: Miguel Lucas Mendes;

SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL

Desenho de luz: Daniel Worm d’Assumpção; Assistente de encenação: Óscar Silva; Ponto: Lídia Muñoz; Direção de produção: Andreia Carneiro; Produção: Alexandra Baião; Registo de vídeo: Jorge Jácome; Apoio à criação: Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Estúdios Victor Córdon/Residências Artísticas; Apoio: Griffehairstyle, Guerlain e Museu Berardo Agradecimentos: Arfeist, Bruno Bogarim, Câmara Municipal de Lisboa – Divisão de Ação Cultural, Carlos Pinto, Família Teodósio, Francisco Benevides, Ion Rotaru Flori, Isabel Alves, Maryne Lanaro, Mariana Sá Nogueira, Marcha de Alfama, Mário Rocha, Museu Berardo e ao Comendador José Berardo, Nuno Ferreira e Sérgio Godinho Uma encomenda São Luiz Teatro Municipal em coprodução com Teatro Praga

Canções: “O Rei do Zum Zum” e “Só Neste País”, de Sérgio Godinho (originalmente estreadas no Teatro São Luiz no musical Portugal Uma Comédia Musical), apresentadas neste espetáculo com letras do Teatro Praga, gentilmente autorizadas pelo autor.

Imagem Barco: João Pedro Vale Barco Negro, 2004 Barco de madeira, ferro, objetos de plástico, cera, fitas de cetim, corda, borracha, moedas, redes, pneus, roupas e sapatos; 200 x 200 x 600 cm; EDP. CR.0097; Coleção de Arte Fundação EDP / COL. Cabrita Reis; Crédito fotográfico: Bruno Lopes / Cortesia: Fundação EDP

Neon: João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira Coragem Portugueses, Só Vos Falta Ser Grandes, 2010 Ferro, lâmpadas e instalação elétrica; 566 x 100 x 20 cm; Cortesia: Museu Berardo

Direção Artística Aida Tavares Direção Executiva Ana Rita Osório Assistente da Direção Artística Tiza Gonçalves Programação Mais Novos Susana Duarte Adjunta Direção Executiva Margarida Pacheco Secretária de Direção Soraia Amarelinho Direção de Produção Mafalda Santos (Diretora), Andreia Luís, Catarina Ferreira, Mónica Talina, Tiago Antunes Direção Técnica Hernâni Saúde (Diretor), João Nunes (Adjunto), Margarida Sousa Dias (produção), Iluminação Carlos Tiago, Tiago Pedro, Ricardo Campos, Sérgio Joaquim Maquinistas António Palma, Paulo Lopes, Paulo Mira, Vasco Ferreira Som João Caldeira, Gonçalo Sousa, Nuno Saias, Ricardo Fernandes, Rui Lopes Vídeo João Van Zelst Manutenção e Segurança Ricardo Joaquim Direção de Cena Marta Pedroso (Coordenadora), Maria Tavora, Sara Garrinhas, Ana Cristina Lucas (Assistente), Rita Talina (Camareira) Direção de Comunicação Elsa Barão (Diretora), Ana Ferreira, Gabriela Lourenço, Nuno Santos Bilheteira Cristina Santos, Diana Bento, Renato Botão.

TEATROSAOLUIZ.PT

Profile for Teatro São Luiz

XTRÒRDINÁRIO 2019  

XTRÒRDINÁRIO 2019  

Advertisement