Page 1

1


2


SUMÁRIO INTRODUÇÃO

5

A HISTÓRIA DA BAUHAUS

6

OS CONCEITOS

12

OBJETOS EXPOSTOS

17

3


4


INTRODUÇÃO

Catálogo O Legado da Bauhaus

Este catálogo pertence a exposição interativa O LEGADO DA BAUHAUS, realizada no Centro Cultural dos Correios, localizado na rua Viconde de Itaboraí n° 20, no centro do Rio De Janeiro, de 20 de junho a 08 de agosto. O objetivo desta exposição é promover uma aproximação do público com a Bauhaus, mostrando não só sua história mas como seus produtos e conceitos, de uma maneira interativa única, esta exposição é para todos interessados na história da escola, não apenas designers. Neste catálogo estão todas as informações sobre a exposição, textos que contam sua história e também a história dos grandes mestres da escola, assim como os produtos exibidos, com todas as suas informações e detalhes. Gostariamos de agradeçer a todos os professores e amigos que nos apoiaram e ajudaram, sem eles não seria possível realizar esta exposição. Obrigado pela sua presença.

5


o legado da bauhaus Quando se trata do campo da arquitetura e do design, a escola alemã Bauhaus foi, sem dúvida, uma das maiores inuências do século XX. O desejo de buscar uma estética única para época levou o até então arquiteto alemão Walter Gropius a fundá-la em 1919. Ele queria criar uma escola que integrasse diversos campos das artes tornando-as componentes de um só conceito que defendia a funcionalidade. “A forma segue a função”.

de interação dos visitantes com replicas perfeitas dos objetos expostos afim de trazer a aproximação entre a herança incrível da Bauhaus e as pessoas interessadas. Conta também com uma sala sobre a história da Bauhaus, falando desde o seu começo com Gropius até a sua marcante presença no design de produtos atuais, destacando seus principais acontecimentos na história. E uma ultima sala na qual destacam-se seus mais importantes mestres, assim como seus conceitos e ensinamentos e que também busca mostrar suas influências diretas nos maiores e mais populares conceitos de design e arte utilizados e encontrados em famosas arquiteturas e produtos modernos. Essa exposição é uma experimentação tanto de sua história como do seu legado. A ideia original, coordenação de conteúdos, direção de arte e expografia, redação e produção de conteúdos e a curadoria desta exposição foram realizadas por Tamyris Kortschinski, Michelle Muller e Maria Fernanda Martins.

Durante seus anos de funcionamento, diversas mentes brilhantes passaram por lá, tanto em seu corpo docente quanto como seus estudantes, cada uma destas pessoas contribuiu na construção de seu legado. Os objetos projetados e criados na Bauhaus são o exemplo mais puro do Design simples e funcional. Esta exposição busca mostrar nove peças originais criadas por mestres da Bauhaus, explicando seus conceitos, e pela primeira vez proporciona a experiência direta

6


Catálogo O Legado da Bauhaus

HISTÓRIA DA BAUHAUS

A HISTÓRIA DA BAUHAUS Fundada em 1919, pelo até então arquiteto alemão Walter gropius, a Bauhaus foi o resultado da junção de duas escolas, a de Artes Aplicadas e a Academia de Belas-Artes da Saxônia. A intenção inicial era fazer uma escola que reunisse diversos tipo de arte, como pintura, arquitetura, escultura, etc. A Bauhaus significava a efervesente busca de uma estética para o séc XX. No entanto não era restrita à arte em si, também atuava no campo da cultura material e do ensino.

O tipo de ensino da Bauhaus ainda repercurte no terreno da arte e da educação.A Bauhaus como instituição foi a primeira e única no sentido de realizar a “educação nova” no ensino superior. Durante seus anos de funcionamento a escola teve 3 diretores ao total, o primeiro sendo seu fundador Walter Gropius, quando Gropius decidiu dedicar-se novamente a arquitetura passou o cargo para Hannes Meyer e quando o mesmo foi demitido, entra Mis Van Der Rohe.

7


Catálogo O Legado da Bauhaus

HISTÓRIA DA BAUHAUS

AS três FASES EXPRESSIONISTA

FUNCIONALISTA

Em sua primeira fase, que ficou conhecida como fase expresionista, eles buscavam promover a união entre arte-técnica, era individualista e valorizava a expressão pessoal e sentimental do artista na hora de criar um produto. O conceito desta primeira fase se associa com o movimento Art&Krafts de William Morris, pois não se procupava com a produção em série e negava o capitalismo. Um ponto de destaque desta fase eram as peças de teatro.

Sua segunda fase, a fase funcionalista, apresentou uma mudança radical, nesta fase o conceito do Funcionalismo ganha extrema importância. Nesta fase não era mais o sentimental que era buscado, mas sim o racional (utilização das formas complementares e das cores primárias), agora havia a indústria e com a produção em massa, os produtos deveriam ter um design simples para serem facilmente reproduzidos.

8


Catálogo O Legado da Bauhaus

HISTÓRIA DA BAUHAUS

DESESTRUTURAÇÃO Em sua terceira fase, que foi a de desestruturação, em 1933, após diversos problemas, tanto financeiros quanto políticos, a escola é dissolvida pelo partido nazista, por não ser considerada apropriada já que muitos membros do corpo docente tinham contato com ideais socialistas e comunistas.

9


Catálogo O Legado da Bauhaus

HISTÓRIA DA BAUHAUS

A escola teve 3 sedes, a primeira sendo em Weimar, a segunda em Dessau, esta foi concebida pelo próprio Gropius, e a última em Berlim. Embora tenha durado pouco, apenas 14 anos, sua influência é enorme, de lá saíram diversas mentes brilhantes e esta escola ficou marcada na história como umas das melhores e maiores escolas de design de todos os tempos, tanto que seus conceitos, ideias e produtos são encontrados até nos dias de hoje.

10


Catรกlogo O Legado da Bauhaus

HISTร“RIA DA BAUHAUS

Desenhos da Planta solida da Bauhaus em Weimar Maria Fernanda Martins

11


os conceitos O ornamento não tinha mais lugar quando comparado à funcionalidade do objeto. O uso de novos materiais pré-fabricados e móveis em aço, sempre funcionais foi uma marca da Bauhaus, que marcava seus projetos com simplificação de volumes, geometrização das formas e predomínio de linhas retas. Fundou a “Era Funcionalista”, propondo durante 14 anos uma nova cultura ao homem e seu ambiente e partilhava com a República Alemã um desejo de renovação.

Quando um jovem que sente em si a chama do criador começa, como outrora, a aprender um ofício, deixa de ser um artista produtivo condenado a praticar de modo imperfeito a sua arte, o ofício, no qual pode distinguir-se, fornece-lhe as condições para praticar seus dons, arquitetos, escultores, pintores, devemos todos retomar o ofício. Vamos todos juntos conceber e realizar o novo edifício do futuro, onde a pintura, a esculturae a arquitetura serão a mesma coisa, futuro que, pelas mãos de milhares de operários, se erquerá um dia para o céu, símbolo de cristal de uma nova fé. Weimer, trecho do manifesto inaugural.

12


ME NOS É MAIS 13


Catálogo O Legado da Bauhaus

CONCEITO

OS MESTRES O FUNDADOR WALTER GROPIUS

O FUNCIONALISTA HANNES MEYER

Walter Gropius era um dos grandes nomes do século XX. Antes de ser diretor da Bauhaus, Gropius era arquiteto. Seu objetivo com a fundação da Bauhaus era o de unir diversas técnicas artísticas em uma só. Seu período de direção ficou conhecido como “anárquico expressionista” pois sua proposta desafiava diversas tradições. Ficou no comando de 1919 até 1928., quando anunciou sua demissão do cargo de diretor, o que causou espanto tanto em estudantes quanto em professores, Gropius acreditava que Bauhaus já estava bem estruturada e queria se dedicar novamente a arquitetura. Entregou o cargo para Hannes Meyer. Dentre seus projetos mais conhecidos estão: A bauhaus de Dessasu, o pavilhão da Pensilvânia para a Exposição Universal de Nova York e a A fábrica Fagus, em Alfeld an der Leine, na Alemanha, esta última sendo considerada patrimônio mundial da UNESCO.

Hannes Meyer era um arquiteto suíço. Meyer acreditava que, na hora de constriur algo, devia-se levar em conta as necessidades humanas (biológicas, intelectuais, espirituais e físicas.) Por isso o funcionalismo passou a ter extrema importância. Embora fosse arquiteto, durante seu comando, curiosamente, o design industrial ganhou evidência. Foi apontado para ser diretor pelo próprio Gropius em 1928, no entanto ficou até 1930 apenas, quando foi demitido por ter ligações com o partido comunista. O cargo então passou para Mis van der Rohe. Seus principais projetos foram: Petersschule, em Basel, Suíça (1926), e a sede da Liga das Nações, em Genebra, Suíça (1926-1927), no entanto ambos não saíram do papel.

14


Catálogo O Legado da Bauhaus

CONCEITO

O SIMPLISTA VAN DER ROHE

OS PROFESSORES PAUL KLEE

Ludwig Mies Van Der Rohe era uma arquiteto alemão naturalizado americano. Juntamente com Gropius foi um dos maiores nomes do século XX. Sua missão era a de criar uma arquitetura própria para a época, tal como a arquitetura gótica na idade média. Rohe acreditava que esta arquitetura deveria partir de um processo criativo que tivesse bases racionais. No entanto, isto não chegaria a ser tornar verdade, pois em 1933, por pressão do partido nazista, a escola fecha suas portas. Dentre seus principais projetos estão: Pavilhão alemão para a Exposição Internacional de Barcelona (1929), Cadeira barcelona e Seagram Building, em Nova York (1956-1959).

Paul Klee era um pintor e poeta suiço naturalizado alemão. Klee começou no corpo docente da Bauhaus lecionando na Oficina de tipografia. Depois, assumiu a direção da Oficina de vidro. Ele era um professor bastante dedicado e preparava suas aulas meticulosamente, até nos mínimos detalhes, nenhum outro professor era assim. Klee ressaltava constantemente que a sua maneira de abordar as questões não era a única possível, não era dogmático. As teorias que Klee desenvolveu durante os anos em que trabalhou na Bauhaus eram, via de regra, claramente visíveis na sua obra. Ele tinha um conceito de forma muito dinâmico e criava constantemente modelos que ele próprio acabava utilizando nas suas composições quadradas. Por problemas financeiros na Bauhaus, Gropius tentou reduzir seu salário, Klee não aceitou e um tempo depois abandonou a Bauhaus.

15


Catálogo O Legado da Bauhaus

CONCEITO

OS PROFESSORES KANDINSKY Wassily kandinski foi um artista plástico russo e professor da Bauhaus. Foi o primeiro artista a entrar em contato com o abstracionismo. Em 1921, Kandinski recebeu um convite para ser um professor na Bauhaus em Weimer, o qual ele aceita. Em 1922, ele era o chefe do workshop de pintura da escola.

Em seu curso de formação Kandinsky realiza uma abordagem radicalmente nova para ensinar sobre a cor, com base na análise de elementos individuais - um ponto, uma linha, um plano e analisa as suas relações. Sempre em contato com as vanguardas artísticas. Kandinsky leciona na Bauhaus até 1933, quando a escola é fechada pelo governo nazista.

Kandinsky lecionava alguns cursos, tais como desenho analítico, onde o objetivo principal é ensinar os alunos a penetrar na essência das coisas e entender abstração; Os princípios do design artístico que são, de fato, a teoria do design; e o mais famoso de seu curso “Cor”. Neste curso, Kandinsky ensina teoria da cor na história do desenvolvimento de vários sistemas de cores para a psicologia moderna da percepção da cor.

16


OBJETOS EXPOSTOS

JOGO DE XADREZ BAUHAUS

BERÇO BAUHAUS

CADEIRA PRESIDENTE BAUHAUS

Criado em 1922 por Josef Hartwig, nesse jogo de xadrez o design de cada uma das peças indica o movimento que elas fazem no jogo.

O berço da Bauhaus surgiu nos primeiros dias da escola de design alemã, imitando aa forma simples de um porta-revistas, tanto no formato quanto nas cores usadas.

Criada por Marcel Breuer, a cadeira presidente é uma mistura de aço e couro, usando nenhum material a mais do que o necessário, enquanto que provê conforto máximo.

17


Catálogo O Legado da Bauhaus

OBJETOS EXPOSTOS

objetos expostos

MESAS ANINHADAS

ABAJUR BAUHAUS

CHALEIRA BAUHAUS

Nada pode ser tão genial quanto cinco mesas separadas que se aninham umas nas outras. E o uso de cores em cada mesa é algo que seria revisitado por Ray e Charles Eames décadas mais tarde.

Provavelmente a peça de luz mais icônica saída da Bauhaus, o abajur de William Wagenfeld, construído de metal e vidro precisamente cortado, está entre os objetos que emergiram durante o regime focado em tecnologia da Bauhaus.

Criado em 1924 por Marianne Brandt, o infusor de chá da Bauhaus tem um filtro embutido, bico que não goteja e asa resistente a calor feita de ébano, abraçando os princípios da escola de combinar funcionalidade com estética.

18


Catálogo O Legado da Bauhaus

OBJETOS EXPOSTOS

objetos expostos

CADEIRA BARCELONA

MAÇANETA BAUHAUS

CADEIRA MR10

Criada em 1929 pelo futuro líder da Bauhaus Ludwig Mies van der Rohe em parceria com Lily Reich, as gentis linhas da cadeira Barcelona serviram como precursoras do que seria o movimento de mobília moderna da metade do século.

Desenhada por Walter Gropius, as formas geométricas e industriais, como os seus parafusos expostos, das maçanetas Bauhaus, floresceram e deram o tom sobre o que a estética da Bauhaus era.

Uma das cadeiras populares de Lufwig Mies Van der Rohe criada em uma peça única de ferro e coberta em palha trançada.

19


20

Catalogo, O Legado da Bauhaus.  

Projeto final editorial de exposição fictícia sobre a Bauhaus. Alunas: Tamyris Kortschinski, Maria Fernanda e Michelle Muller.