Issuu on Google+

Prof. M.Sc. Maiko Galdino Arantes

Empreendedorismo Mini-currículo Titulação  Mestre pela Universidade Federal do Paraná - UTFPR  Pós-graduado em Marketing pela FGV/RJ  Graduado pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo / UNESP Experiência Profissional  Pró-Reitor de Pós-Graduação  Professor Convidado Univ Estadual Paulista - UNESP  Coordenador de Cursos de Pós-graduação e Nível Superior nas áreas de Gestão Empresarial, Tecnologia e Marketing  Palestrante e Consultor Empresarial  Auditor Prêmio Nacional de Qualidade em SaneamentoBrasil  Membro do Conselho de Tecnologia de São Paulo  Prof. Convidado FGV/Management

UNOESTE - 2013


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

2º “ Empreendedor é aquele que cria um equilíbrio, encontrando uma posição clara e positiva em um ambiente de caos e turbulência, ou seja, identifica oportunidades na ordem presente.” Kirzner (1973)


Empreendedorismo Identificando oportunidades 2º

definição

Comércio nos congestionamentos

Comércio na queda do Fokker 100 em Birigui/SP Voltar


Tabela 1.1 Produto

PIB Interno Bruto 2012

(em trilhĂľes)

Brasil $ 2,42 EUA $ 15,6

SatĂŠlite Living Earth - em 2004-03-19, 1:21:27h


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

3º “ Trata-se simplesmente daquele que localiza e aproveita uma oportunidade de mercado, criando à partir daí um novo negócio.” Amar Bhide/ Harvard Business School


Empreendedorismo

Pesquisa GEM 2012 – World Economic Forum


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

4º “ Empreender é exercer a capacidade de imaginar, planejar e pôr em prática seus sonhos e projetos. Em resumo é fazer acontecer seus próprios planos.” Programa de Geração de Renda/ Sebrae-PR


Empreendedorismo

Pesquisa GEM 2012 – World Economic Forum


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

5º “ O empreendedor transfere recursos econômicos de um setor de produtividade mais baixa para um setor de produtividade mais elevada e de maior rendimento.” John B. Say


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

6º “ A criatividade não depende de inspirações, mas de estudo árduo; um ato de vontade. Assim como a pesquisa sistemático pode resultar na “invenção” também pode haver-precisa saber- uma busca premeditada de oportunidades para inovar. Quem souber onde e como encontrá-las será o que se chama de empreendedorismo.” Peter F. Drucker


Motivação – Brasil 2010

2009 1,6 x 1

2012 2,33 x 1


Tabela 1.1

Empreendedorismo Definições

1º “ O empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização ou pela exploração de novos recursos e matérias.” Joseph A. Schumpeter (1949)

Texto: Processo de destruição criativa (livro O Empreendedor Ronald Jean Dejen)


Tabela 1.1

O que é inovação? A inovação é a introdução de algo novo em qualquer atividade humana. É vetor de desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida. Em uma empresa, inovar significa introduzir algo novo ou modificar substancialmente algo existente. Apenas recentemente surgiram políticas de inovação como um amálgama de políticas de ciência e tecnologia e política industrial. Seu surgimento sinaliza um crescente reconhecimento de que o conhecimento, em todas as suas formas, desempenha um papel crucial no progresso econômico, que a inovação está no âmago dessa “economia baseada no conhecimento”, que a inovação é um fenômeno muito mais complexo e sistêmico do que se imaginava anteriormente. Manual de Oslo - Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica-(http://pt.wikipedia.org/wiki/Manual_de_Oslo)


Tabela 1.1

O que é inovação?

Ler texto Tipos de Inovação Produto Processo Marketing Organizacional


Tabela 1.1

O que é inovação?

Tipos de Inovação

Produto Processo Marketing Organizacional


O que é inovação? Produto


O que é inovação? Produto


O que é inovação? Produto


O que é inovação? Produto


O que é inovação? Produto


Tabela 1.1

O que é inovação?

Tipos de Inovação Produto

Processo Marketing Organizacional


Nike ID.


Tabela 1.1

O que é inovação?

Tipos de Inovação Produto Processo

Marketing Organizacional


Tabela 1.1

O que é inovação?

Tipos de Inovação Produto Processo Marketing

Organizacional


Inovação -

Organizacional 2ª. Edição Ranking – 1º. Lugar WHIRLPOOL O processo de aprovação da idéia até a estréia no mercado consome, em média, 18 meses.

Os projetos são submetidos ao crivo de viabilidade técnica, receita potencial e relevância para a marca.

Ciclo de vida em inovação


Inovação -

Organizacional 2ª. Edição Ranking – 1º. Lugar WHIRLPOOL

1o. Lugar WHIRLPOOL Eleita a empresa mais inovadora do Brasil 2010


Inovação -

Organizacional 2ª. Edição Ranking – 1º. Lugar WHIRLPOOL Faturamento médio vindo de produtos com menos de 3 anos (%)

49% (média do faturamento)

10 Empresas

A empresa na velocidade do pensamento – Bill Gates

Fonte: Análise do material Época Negócios – As inovadoras 2010


Inovação -

Organizacional

VELOCIDADE de absorção e inserção da inovação

1950 e 2000, o poder de processamento dos computadores cresceu inimagináveis 10 bilhões de vezes

Em 1990, a internet nem sequer existia em termos sociais. Hoje, conecta mais de 2 bilhões de pessoas no mundo

Internet deve interligar a metade da população mundial em dez anos.

o preço de uma transação feita pela rede de computadores já atingiu 0,01 centavo de dólar. Numa agência bancária, custaria 1,07 dólar

a velocidade dos avanços tecnológicos tende a dobrar a cada dez anos

as tecnologias podem apresentar um progresso mil vezes maior no século XXI do que mostraram no século

engenheiro e inventor americano Ray Kurzweil

Foram necessários 14 anos para chegar à seqüência do HIV. Já no caso do vírus da sars (síndrome respiratória aguda grave), a seqüência foi feita em somente 31 dias

XX engenheiro e inventor americano Ray Kurzweil

1998 nascia o Google em 2001 já era o maior do mundo com 1 bilhão de sites (1 tri páginas / 1 bi

dia [2010]) Bill Gates - A empresa na velocidade doporpensamento


Inovação -

Organizacional

VELOCIDADE de absorção e inserção da inovação 112

Tempo, em anos, para passar da investigação científica à produção industrial foram necessários

56

J. J. Servan-Shreiber, Le Défi Américain, Denoel, 1967

35 15

12

6

5

3

anos para a anos para o anos para a anos para o anos para a anos para a para o anos para o fotografia telefone rádio (1867- radar (1925- televisão bomba transístor circuito (1727-1839) (1820-1876) 1902) 1940) (1922-1934) atómica (1948-1953) integrado (1939-1945) (1958-1961)


Slide 1-1

Inovação -

Organizacional VELOCIDADE


Organizacional

VELOCIDADE de absorção e inserção da inovação

Inovação -

Brasil


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Características do comportamento empreendedor Busca de oportunidades e iniciativa

Correr riscos calculados

Exigência de qualidade e eficiência

Persistência

Comprometimento

Busca de informações

Estabelecimento de metas

Planejamento e monitoramento sistemático

Persuasão e rede de contatos

Independência e autoconfiança


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Busca de oportunidades e iniciativa Faz as coisas antes de solicitado ou antes de forçado pelas circunstâncias; Age para expandir o negócio a novas áreas; produtos ou serviços;

Aproveita oportunidades fora do comum para começar um negócio, obter financiamentos, equipamentos, terrenos, local de trabalho ou assistência;


Empreendedorismo

CaracterĂ­sticas do comportamento empreendedor

Correr riscos calculados Avalia alternativas e calcula riscos deliberadamente;

Age para reduzir os riscos ou controlar os resultados;

Coloca-se em situaçþes que implicam desafios ou riscos moderados;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Exigência de qualidade e eficiência Encontra maneiras de fazer as coisas melhor, mais rápido ou mais barato; Age de maneira a fazer coisas que satisfaçam ou excedam padrões de excelência; Desenvolve ou utiliza procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo ou que atenda a padrões de qualidade previamente combinados;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Persistência Age diante de um obstáculo significativo;

Age repetidamente ou muda de estratégia a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstáculo; Faz um sacrifício pessoal ou dependem de um esforço extraordinário para completar uma tarefa;


Empreendedorismo

CaracterĂ­sticas do comportamento empreendedor

Comprometimento Atribui a si mesmo e a seu comportamento as causas de seus sucessos e fracassos e assume a responsabilidade pessoal pelos resultados obtidos; Colabora com os empregados ou coloca-se no lugar deles, se necessårio, para terminar uma tarefa; Esforça-se para manter os clientes satisfeitos e coloca a boa vontade a longo prazo acima do lucro a curto prazo;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Busca de informações Dedica-se pessoalmente a obter informações de clientes, fornecedores ou concorrentes; Investiga pessoalmente como fabricar um produto ou proporcionar um serviço; Consulta especialistas para obter assessoria técnica ou comercial;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Estabelecimento de metas Estabelece metas e objetivos que são desafiantes e que têm significado pessoal; Tem visão de longo prazo, clara e específica;

Estabelece objetivos de curto prazo, mensauráveis;


Empreendedorismo

CaracterĂ­sticas do comportamento empreendedor

Planejamento e monitoramento Planeja dividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos; Constantemente revisa seus planos levando em conta os resultados obtidos e mudanças circunstanciais; MantÊm registros financeiros e utiliza-os para tomar decisþes;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Persuasão e rede de contatos Utiliza estratégias deliberadas para influenciar ou persuadir os outros; Utiliza pessoas-chave como agentes para atingir seus próprios objetivos; Age para desenvolver e manter relações comerciais;


Empreendedorismo

Características do comportamento empreendedor

Independência e autoconfiança Busca autonomia em relação a normas e controles de outros;

Mantém seu ponto de vista, mesmo diante da oposição ou de resultados inicialmente desanimadores; Expressa confiança na sua própria capacidade de completar uma tarefa difícil ou de enfrentar um desafio;


Empreendedorismo Fatores problemรกticos

Fatores que afetam o empreendedorismo


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

9

Mitos sobre Empreendedorismo


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

1

x9

Estados Unidos ĂŠ o PaĂ­s do Empreendedorismo


2010

Taxa de Empreendedorismo 2010 – TEA - BRIC

(*) 2008


2010

Taxa de Empreendedorismo Brasil 2002 - 2010 - TEA

17,5 da população ativa de 18 a 64 anos – próximo 21 milhões de brasileiros desenvolvem alguma atividade empreendedora no Brasil em 2010


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

2

x9

A Maioria dos Novos Negócios é Iniciada em Setores de Alta Tecnologia e Rápido Crescimento

3

x9

Um Novo Negócio Típico É Inovador E Com Crescimento Rápido


Empreendedores iniciais segundo tipo de atividade – Brasil – 2002:2010

25%

8% 8% 4% 4% 6% 13%

10%

7% 15%

Em amarelo 2010


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

4

x9

O TĂ­pico Empreendedor ĂŠ Como Bill Gates da Microsoft ou Steve Jobs da Apple


Empreendedorismo

Pesquisa GEM 2012 – World Economic Forum - TEA


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

5

x9

Os Empreendedores Precisam de Muito Dinheiro Para Come莽ar Seus Neg贸cios E Os Que Conseguem Recebem Apoio Financeiro de Investidores

6

x9

Empreendedores Ganham Muito Dinheiro


Perfil do empreendimento inicial – Brasil - 2010


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

7

x9

Hรก Tantas Receitas Para o Sucesso dos Empreendedores Quanto Hรก Autores E Livros Sobre o Tema


Empreendedorismo Tabela 1.1

Negócios e Empresas

No Brasil, as micro e pequenas empresas (MPEs) respondem por 99% das empresas, 67% das ocupações e 20% do PIB. Sebrae-03/06


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

8

x9

As Mulheres TĂŞm As Mesmas Probabilidades de Ser Empreendedoras Que os Homens


Empreendedorismo

Pesquisa GEM 2012 – World Economic Forum - TEA

Empreendedorismo – Brasil – por gênero – 2001 - 2010


Empreendedorismo 9 mitos sobre empreendedorismo

9

x9

Empreendedores Reduzem A Pobreza, Trazem Inovações, Criam Empregos, Reduzem o Desemprego, Tornam Os Mercados Mais Competitivos E Promovem o Crescimento Econômico


Geração de pelo menos 6 empregos pelos empreendedores iniciais segundo tipo de atividade – Brasil – 2010


Abrir um negócio qualquer não somente é prérequisito para se tornar empreendedor, isso deve estar alinhado com o desejo de se preparar, se profissionalizar.


Análise do ambiente competitivo

Tabela 1.1

Negócios e Empresas

No Brasil, as micro e pequenas empresas (MPEs) respondem por 99% das empresas, 67% das ocupações e 20% do PIB. Sebrae-03/06


Análise do ambiente competitivo

Tabela 1.1

Negócios e Empresas

Segundo a pesquisa, 56% das empresas fecham antes de completar o 5º ano de atividade. Sebrae-03/06

Fatores que influenciam a sobrevivência em %


Análise do ambiente competitivo Profissionalização


Análise do ambiente competitivo

Tabela 1.1

Profissionalização

Segundo a Revista Exame (julho de 2008), apenas 114, das 500 maiores empresas brasileiras continuam em atividade desde a primeira edição do Ranking, a 35 anos. Problemas estão relacionados , principalmente com: 1 – Gestão dos Negócios; 77% 2 – Movimentos de Fusões e Taxa de mortalidade aquisições, e; 3 – Falta de visão e incapacidade de lidar com as mudanças.

Estratégias + de 100 anos relacionadas com: 1 – Crescimento constante; 2 – Inovação; 3 – Sucessão bem planejada; 4 – Capacidade de lidar com mudanças;


Análise do ambiente competitivo

Nem sempre a grande empresa é garantia de sucesso

Os produtos do Google que não deram certo http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI274230-16382,00-OS+PRODUTOS+DO+GOOGLE+QUE+NAO+DERAM+CERTO.html

Desde 1998, a gigante de tecnologia lançou deram certo 14 grandes sucessos do Google Search (motor de busca) Adwords Adsense Google+ Gmail Youtube Google Docs Google Maps Android Chrome Google Earth Analytics Google Code

251 produtos,

90 deles não

8 maiores fracassos do Google Google Answers Orkut Dodgeball Lively Wave Buzz Nexus One Google TV Fonte: Blog The Next Web


Análise do ambiente competitivo Profissionalização


Profissionalização

Análise do ambiente competitivo


Inovação

Capacidade de inovação Qualidade das instituições de pesquisa científica Despesas das empresas com P&D Colaboração entre Universidade-Empresa em P&D Aquisição de produtos avançados de tecnologia pelo governo

Disponibilidade de cientistas e engenheiros

Inovação 2010-2011 B.R.I.C. + EUA


Análise do ambiente competitivo Profissionalização


Profissionalização

Análise do ambiente competitivo


Pesquisa Época Negócios 2010


Inovação 2ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

1o. Lugar WHIRLPOOL Eleita a empresa mais inovadora do Brasil 2010


Inovação AS EMPRESAS MAIS INOVADORAS DO BRASIL Inovaçõe % do faturamento Faturamento vindo Ranking s totais destinado ao P&D Funcionários de produtos com REPUTATION realizadas (%) menos de 3 anos (%) INDEX 2010 no ano

#

Empresa

Faturamento (R$ milhões)

3

Embraco

6.675 (1)

3

9.033

75

100

ND

13

Kimberly-Clark

2.300

ND

3.015

ND

14

ND

1.645 (2) 6.674,6 1.080 1.359,7 2.829 2.771 1.004 4.130 1.168 49.812 400 1.250 138.000 ND

2 ND 12 15 (5) 7 0 (6) ND 4 1 4 5 2,5 a 3 3 6 (8)

8.300 14.500 4.587 479 4.285 7.300 2.601 2.300 1.027 60.036 891 1.700 3.000 ND

64 ND 28 60 4 70 ND 84 15 ND 64 ND ND >25

80 ND 4 6 484 25 5 10 30 7.000 ND 400 ND 200

ND 14 70 17 ND ND ND 82 ND 10 ND 22 48 69

19 WEG 1 Whirlpool 12 Totvs 2 Basf 11 White Martins 4 GVT 7 Rhodia 8 Dow Brasil 9 Even 6 Vale 10 Brasilata 5 O Boticário 14 Procter & Gamble 15 IBM 16

Tecnisa

737

1

1.631

ND (10)

3

97

17 20 18

Eletronorte Ticket Serviços Telefônica

4.179 8.700 23.156

2 ND 8 (8)

4.354 700 6.128

ND ND ND

75 5 10

ND 32 72

Fonte: Revista Época Negócios 16/09/2010


Como são vistas as empresas? Reputation Index 2010 - 100 empresas mais bem avaliadas pelo público brasileiro

Reputação = avaliação social, define seu status e a receptividade que ela tem diante dos diversos públicos; Share

AVALIA a credibilidade e imagem of heart (intangíveis) – dentre elas: • Marcas. • Relacionamento com clientes, consumidores e demais públicos. • Sustentabilidade. • Governança corporativa e sistema de gestão. • Inovação. • Tecnologia e internet. (tangíveis) performance competitiva, resultados financeiros e valor econômico . Realizado pela DOM Strategy Partners em parceria com o Grupo Padrão, do qual participaram mil empresas que atuam no Brasil no período de setembro de 2009 a agosto de 2010.


Como são vistas as empresas? Reputation Index 2010 - 100 empresas mais bem avaliadas pelo público The Global Reputation Pulse 2010,, Mede as empresas com melhor reputação no planeta. O relatório considera indicadores-chave disso itens como inovação, liderança, desempenho, produtos e serviços, direção e governança, ambiente de trabalho e responsabilidade corporativa. Todos são importantes, mas fica evidente que a capacidade de inovar

–tecnologicamente– sobressai sobre os demais aos olhos do público. Reputation Institute


Como são vistas as empresas? Reputation Index 2010 – Critérios de escolha

Indicadores no Brasil:

Indicadores no mundo:

• Marcas. • Relacionamento com clientes, consumidores e demais públicos. • Sustentabilidade. • Governança corporativa e sistema de gestão. • Inovação. • Tecnologia e internet; • performance competitiva; • resultados financeiros; • e valor econômico

• inovação; • liderança; • desempenho; • produtos e serviços; • direção e governança • ambiente de trabalho; • e responsabilidade corporativa.


Como sĂŁo vistas as empresas? Reputation Index 2010 - 100 empresas mais bem avaliadas pelo pĂşblico mundial e brasileiro


Tabela 1.1

Negócios e Empresas

Principais causas: - comportamento empreendedor pouco desenvolvido; - falta de planejamento prévio; - gestão deficiente do negócio; - insuficiência de políticas de apoio; - conjuntura econômica deprimida; - problemas pessoais dos proprietários.

Leitura do texto - Com o vento contra (como Alpargatas – 64*, Grendene, Braskem – 21* e Marcopolo enfrentaram o câmbio sobrevalorizado – e venceram * ranking Reputation Index 2010)


1 – Identifique qual o Problema 2 – Se posicione qual poderia ser o resultado do problema 3 – Identifique qual foi a INOVAÇÃO implantada 4 – Opine sobre a INOVAÇÃO 5 – Qual outro ação poderia ser adotada pela empresa?


2011


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho 1.

2.

3.

4. 5.

A estratégia de inovação é desenvolvida e implementada pela alta gestão? A cultura de inovação está firmemente inserida dentro da organização como um fator chave na competência de inovação? Um rigoroso processo de gestão do ciclo de vida da inovação aumenta as margens de lucro provenientes da inovação? A empresa alavanca fatores que permitem implementar com sucesso as inovações? A inovação é continua e é implementada com sucesso?


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho Estratégia Descrição Fator A ser respondido Avalia se a estratégia de 28% A estratégia de inovação inovação é desenvolvida e é desenvolvida e implementada pela alta implementada pela alta gestão e se está vinculada à gestão? da companhia. E se há metas quantitativas e qualitativas a alcançar por meio da inovação


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho Processos Descrição Fator A ser respondido Como a empresa se estrutura 27% Um rigoroso processo para gerar idéias e implementáde gestão do ciclo de las. Verifica se ela usa métricas vida da inovação para tornar o processo eficiente aumenta as margens e se leva em conta fontes de lucro provenientes externas, como universidades e da inovação? fornecedores, para captar idéias


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho Organização e Cultura Descrição Fator A ser respondido Examina se a cultura de 25% A cultura de inovação inovação está disseminada na está firmemente organização como um fatorinserida dentro da chave em suas competências e organização como como pretende implementá-las. um fator chave na E se a empresa está estruturada competência de para atingir as metas. inovação?


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho Estrutura e Suporte Descrição Fator A ser respondido Como a empresa monitora o 20% A empresa alavanca sucesso da inovação e quais as fatores que permitem ferramentas de gestão implementar com utilizadas, como sistemas de TI sucesso as e treinamento, reconhecimento inovações? e premiação


Inovação 11ª. Edição do ranking Empresas Inovadoras

5 categorias para avaliação de desempenho Resultado da Inovação Descrição Fator A ser respondido Basicamente, a participação de novos produtos e serviços ma receita. Embora faça parte da premiação, fica fora da pontuação para não prejudicar companhias que, pela natureza do negócio, não têm como inovar em produtos.

0% Quais produtos, serviços ou processos inovadores estão efetivamente implementados? Qual o valor gerado por eles?


Revista Forbes Posição

Companhia

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

Basf Whirlpool IBM Dow Siemens Embraco White Martins Vale Dupont Tecnisa Procter&Gamble GVT Chemtech Syngenta Grupo Fleury Kimberly-Clark Even Brasilata Eletronorte WEG

Posição em 2010 2 1 15 8 3 11 6 16 14 4 13 9 10 17 19

Mudança

-

-

-

Inovação Mundo (100) 24 79 -

Global 2000 730 33 140 45 53 35 430 343 1822

$ Bi Mercado 6,3 198,1 43 110,2 162,5 172,2 29,3 26,1 7,5

2011

Valores calculados em Abril de 2011


1 - investimentos em pesquisa e desenvolvimento – algo como 7,2% de sua receita anual (estimada pelo mercado em R$ 630 milhões).

2 - Apple aporta 2,7% de sua receita em pesquisa. A finlandesa Nokia, 13,8%. Só que a Apple adivinha melhor os anseios de seu consumidor 3 - 84% da receita da divisão de tintas imobiliárias tem origem em produtos lançados nos últimos cinco anos. Ano passado, quando conquistou o segundo lugar na premiação, esse indicador não passava de 66% 4 - Innovation Day, evento de relacionamento feito com pintores, balconistas e arquitetos 5 - Prêmio Suvinil de Inovação, um concurso que premia as melhores propostas de aplicação de seus produtos. No ano passado, o prêmio recebeu 800 inscrições e 150 projetos 6 - “Antes de sistematizar a inovação, o consumidor aprovava 40% das ideias apresentadas. Hoje, gosta de 80% delas”. “Erre cedo para errar barato”. 7 - equipe de seis pessoas


Inovação como aliada na mudança As grandes idéias – Com o propósito de buscar a simplificação do entendimento de como as melhores empresas usam a inovação para vencer, Schrage enumerou cinco grandes idéias: 1. Modelar mercados 2. Valor impulsionado pelo uso 3. Capital interativo 4. Explorar uma nova economia de experimento 5. Introspecção: tática e estratégia Michael Schrage, um dos mais respeitados especialistas do mundo em Ciência da Inovação


Novas tendências – Inovação e Sustentabilidade  Atualmente a inovação e a sustentabilidade são consideradas tendências iminentes para as empresas que pretendem continuar competitivas no mercado globalizado.

 Além da preocupação com os aspectos de sustentabilidade, a inovação deve ser vista como um direcionador para a estratégia competitiva das empresas. Ela pode estar relacionada com inovação em produtos, processos (produtivos, organizacionais ou outros), marketing e na organização.  A inovação em produtos relaciona-se diretamente com a gestão do ciclo de vida de produtos (PLM), que por sua vez se relaciona com os outros tipos de inovação.  No contexto da inovação e da sustentabilidade, a gestão do ciclo de vida de produtos deve considerar a limitação dos recursos naturais, devendo a inovação, origem maior da geração de valor, ser pautada pelos desafios impostos pelo conceito do desenvolvimento sustentável. Ou seja, associar aos ganhos econômicos, atitudes e ações que considerem a preservação ambiental e a responsabilidade social.


abrange planejamento estratégico, definição da tecnologia, produtos, serviços, gestão de idéias, entre outros e a integração com outros processos importantes com marketing, vigilância tecnológica, inteligência de mercado); desenvolvimento de tecnologias; e o desenvolvimento de produtos/serviços

A melhoria continua do processo de PLM deveria se tornar uma competência chave dentro das organizações, e para tanto as organizações deveriam adotar uma abordagem de gestão dos processos de negócios, conhecida pelo seu termo em inglês de Business Process Management (BPM), cuja abordagem é composta por projetos de melhoria dos principais processos da organização (Jeston, 2008). Dessa forma, os projetos de melhoria do PLM deveriam ser considerados dentro desta abordagem. Ademais, o BPM é uma das principais melhores práticas gerenciais que corroboram para o aumento e sustento da vantagem competitiva das organizações (Hung, 2006) por propiciar o alinhamento dos negócios operacionais com as prioridades estratégicas organizacionais.


Ciclo de vida dos produtos Definição de produto

 Produto é algo que pode ser oferecido para satisfazer a uma necessidade ou desejo. Desejo

Necessidade

FOME


Ciclo de vida dos produtos Definição de produto

 Gerência do ciclo de vida de produto (PLM) é o processo de controlar o ciclo de vida inteiro do produto desde sua concepção, com o projeto e a manufatura, ao serviço e à eliminação.  A importância dos produtos físicos, não reside apenas em sua posse, mas também nos serviços oferecidos pelo mesmo.  Os produtos são compostos não só por bens físicos, mas intelectuais e serviços (pessoas - comediante, lugares Hotel, atividades - exercício físico, organizações - associarnos a um clube e idéias - filosofia de vida). Frequentemente os fabricantes prestam mais atenção ao produto físico do que aos serviços que ele presta.


Ciclo de vida dos produtos Maturidade: período de redução no crescimento de vendas, o produto já foi aceito pela maioria dos compradores potenciais; o lucro estabilíza-se ou entra Período Declínio: em declínio em função do aumento deas vendas onde despesas de mkt para defender o forte queda mostram produto da concorrência e as vendas Crescimento: Período de rápida desaparecem aceitação de mercado Vendas eLucros maior lucro Introdução: Período

Um produto só existe como uma solução de atender a uma necessidade. de crescimento lento; lucro inexistente; altas despesas de lançamento

Introdução

Crescimento

Maturidade

Declínio


Ciclo de vida dos produtos Razão do ciclo

Quando um novo produto é lançado, a empresa tem que estimular a conscientização, interesse, experimentação e a compra. Isto demanda tempo e no estágio de introdução, apenas algumas pessoas (inovadores) comprarão o produto.


Ciclo de vida dos produtos Análise das varíaveis - INTRODUÇÃO

Começa quando um novo produto é lançado Problemas técnicos de produção Pequeno número de compradores Lucro negativo ou baixo Altas despesas de distribuição e divulgação Baixo grau de convencimento dos distribuidores Os preços tendem a ser mais altos Treinamento inadequado da equipe de vendas


Ciclo de vida dos produtos

INTRODUÇÃO - Estratégias de marketing para o estágio

Promoção Preço

Alta

Baixa

Alto

Estratégia de desnatamento rápido (a)

Estratégia de desnatamento lento (b)

Baixo

Estratégia de penetração rápida (c)

Estratégia de penetração lenta (d)

 (a): Gasta muito com promoção para convencer o mercado sobre os méritos do produto; só faz sentido quando: grande parte do mercado potencial não conhecimento do produto; aqueles que toam conhecimento do produto estão ansiosos em adquirí-lo e pagam mais caro por isso; a empresa enfrenta concorrência potencial e deseja desenvolver a preferência pela sua marca.


Ciclo de vida dos produtos

INTRODUÇÃO - Estratégias de marketing para o estágio Promoção Preço

Alta

Baixa

Alto

Estratégia de desnatamento rápido (a)

Estratégia de desnatamento lento (b)

Baixo

Estratégia de penetração rápida (c)

Estratégia de penetração lenta (d)

 (b): faz sentido quando: o mercado é limitado em termos de tamanho; a maioria dos consumidores está consciente do produto; os compradores em potencial estão dispostos a pagar um preço alto e a concorrência não é iminente.  (c): faz sentido quando: mercado amplo que não tem conhecimento do produto; consumidores sensíveis a preço; há forte concorrência em potencial e o custo unitário cai em função de escala.


Ciclo de vida dos produtos

INTRODUÇÃO - Estratégias de marketing para o estágio

Promoção Preço

Alta

Baixa

Alto

Estratégia de desnatamento rápido (a)

Estratégia de desnatamento lento (b)

Baixo

Estratégia de penetração rápida (c)

Estratégia de penetração lenta (d)

 (d): faz sentido quando: o mercado é amplo; altamente consciente da existência do produto; o mercado é sensível a preço e há alguma concorrência em potencial.


Ciclo de vida dos produtos Razão do ciclo

Se o produto for bom, maior número de compradores o comprará. A entrada de concorrentes no mercado acelera o processo de adoção pelo aumento de conscientização do mercado e redução dos preços. Mais compradores surgirão (adotantes nãoimediatos) à medida que o produto for legitimado.


Ciclo de vida dos produtos Análise das varíaveis - CRESCIMENTO

 Rápida expansão de vendas  Os adotantes iniciais gostam do produto e divulgam  Novos concorrêntes entram no mercado atraídos pela oportunidade, introduzem novas características nos produtos e novos canais de distribuição  Preços caindo lentamente devido ao aumento da demanda  Gastos promocionais aumentam lentamente na medida em que novos concorrentes aparecem  Lucros aumentam a medida que os custos promocionais se diluem no volume de vendas  Muita atenção com possíveis quedas de crescimento


Ciclo de vida dos produtos

CRESCIMENTO - Estratégias de marketing para o estágio

Para menter o crescimento rápido do produto utilizamos várias estratégias: Melhorar a qualidade do produto, acrescentar novas características e estilos Entrar em novos segmentos de mercado Novos canais de distribuição Mudar o apelo de propaganda, de conscientização para preferência do produto Abaixar os preços para atrair a faixa de compradores sensíveis aos preços.


Ciclo de vida dos produtos Raz達o do ciclo

Eventualmente, as vendas diminuem com o surgimento de novas classes, novas formas e marcas de produtos, desviando o interesse do comprador.


Ciclo de vida dos produtos Análise das varíaveis - MATURIDADE

Estabilidade nas vendas Representa maior desafio para a gerência de mkt A maioria dos compradores em potencial já experimentou o produto e as vendas futuras giram em torno do aumento da população Possíveis mudanças dos consumidores para produtos substitutos Guerras de redução de preços com concorrentes Aumento da propaganda Pequenos concorrentes saem do mercado


Ciclo de vida dos produtos

MATURIDADE - Estratégias de marketing para o estágio

 Algumas empresas abandonam seus produtos mais fracos para centrar forças nos "carros chefe". A visualização de alguns pontos como modificação de mercado, modificação do produto e modificação do composto de marketing devem ser consideradas.  Modificação do mercado: expandir o mercado trabalhando com os dois fatores que compõem o volume de vendas: (volume = número de usuários da marca X taxa de uso por usuário) Pode-se expandir o número de usuários de 3 maneiras: - converter não usuários em usuários - entrar em novos segmentos de mercado - conquistar os consumidores dos concorrentes


Ciclo de vida dos produtos

MATURIDADE - Estratégias de marketing para o estágio

 Modificação do mercado (continuação): Pode-se expandir a taxa de uso de 3 maneiras: - uso mais frequente - maior uso por ocasião - usos novos e mais variádos (Ex.: receitas de alimentos)  Modificação do produto: Consiste em modificar a característica do produto. Isto pode ser feito de diversas formas: - melhoria da qualidade (aumenta o desempenho funcional do produto) - melhoria da característica (acréscimo de algo novo - a empresa se torna, perante o público, inovadora) - melhoria de estilo (aumentar o apelo estético)


Ciclo de vida dos produtos

MATURIDADE - Estratégias de marketing para o estágio

 Modificação do composto de marketing: Consiste em modificar um ou mais elementos do composto de marketing (preço, distribuição, propaganda, promoção de vendas, venda pessoal, serviços) - Preço: Pergunte-se: uma redução no preço atrairia novos experimentadores ou usuários? resposta positiva, então é uma boa estratégia - agregar vantagens como descontos, pagamento de frete. Resposta negativa, não seria melhor aumentar o preço como sinal de melhor qualidade? - Distribuição: usar novos tipos de canais de distribuição; aumentar o volume de vendas nos canais usuais, obter maior apoio de exposição nos pontos de vendas.


Ciclo de vida dos produtos

MATURIDADE - Estratégias de marketing para o estágio

 Modificação do composto de marketing (continuação): - Propaganda: aumentar os gastos com propagandas?; a mensagem ou texto da propaganda devem ser modificados? A mídia está correta?; a ocasição, frequencia e duração estão de acordo? - Promoção de vendas: condições especiais de pagamento, descontos, redução de preços, garantias, prêmios e concursos? - Venda pessoal: numero ou qualidade dos vendedores devem ser aumentados?os terristórios de vendas devem ser revistos? incentivos a força de vendas devem ser modificados? O planejamento de visitas deve ser remodelado?


Ciclo de vida dos produtos

MATURIDADE - Estratégias de marketing para o estágio

 Modificação do composto de marketing (continuação): - Serviços: a empresa pode acelerar a entrega? pode ampliar a assistência técnica? Pode estender o prazo de financiamento?

 Um grande problema relacionado às modificações do composto de marketing é que elas são facilmente imitáveis pelos concorrentes.


Ciclo de vida dos produtos Razão do ciclo

Com o surgimento de novos produtos semelhantes e de tecnologia melhor adaptada com novas funções e usos, o produto pode se tornar obsoleto chegando a ser “extinto”. No caso de um produto de MODA devemos observar a tendência do modelo e podemos mater a inovação.


Ciclo de vida dos produtos Análise das varíaveis - DECLÍNIO

Vendas em queda Vendas podem cair a zero ou estagnar em nível baixo Acontece por algumas razões: avanços tecnológicos, mudanças nos gostos dos consumidores; aumento da concorrencia; e outras Algumas empresas se retiram do mercado Retirada de alguns segmentos Abandono de alguns canais de distribuição Produtos são antigos ou ultrapassados Abatimento dos funcionários e chefias


Ciclo de vida dos produtos

DECLÍNIO - Estratégias de marketing para o estágio

 As empresas enfrentam algumas decisões ao lidar com produtos antigos:  Identificação dos produtos fracos: organização de um comitê para realizar a identificação. Analisar: tamanho do mercado, participação, preços, custos e lucros. Podendo chegar a abandonar o referido produto.  Determinação das estratégias de marketing: aumentar, manter ou desacelerar o investimento, aproveitar ao máximo o momento.  Decisão de abandonar: nesse caso deveremos analisar alguns fatores: vender para uma empresa menor. Decidir o nível de estoque para os usuários. Assitência técnica futura.


Planejamento e avaliação do negócio Plano de negócios

Criar Planejar Quem é nosso cliente? Onde está o cliente? Como chegamos ao cliente? Quais os custos de produção? Planejamento de vendas? Produção?

É viável?


Planejamento e avaliação do negócio Potencial de mercado e projeção de vendas


Planejamento e avaliação do negócio Análise do concorrente e custo com mão-de-obra


Planejamento e avaliação do negócio Custo mensal Discriminação Mão-de-Obra+ Encargos Retirada dos Sócios (Prólabore) Água Luz Telefone Contador Despesas com Veículos Material de Expediente e Consumo Aluguel Seguros Propaganda e Publicidade Depreciação Manutenção Condomínio Despesas de Viagem Serviços de Terceiros Ônibus, Táxis e Selos Outros TOTAL

Valor $ 29.565,42 5.000,00 100,00 3.000,00 2.000,00 510,00 5.000,00 1.000,00 5.000,00 2.500,00 10.000,00 5.833,33 1.000,00 0,00 4.000,00 0,00 1.000,00 0,00 75.508,76


Planejamento e avaliação do negócio Impostos e sazonalidade

Mês jan-10 fev-10 mar-10 abr-10 mai-10 jun-10 jul-10 ago-10 set-10 out-10 nov-10

dez-10

índices Acumulado -20% -20% 10% -10% 30% 20% 10% 30% 30% 60% -10% 50% -10% 40% 0% 40% 0% 40% 10% 50% 0% 50%

20%

70%


Planejamento e avaliação do negócio Resultado anual - previsão


Planejamento e avaliação do negócio Ponto de equilíbrio


Planejamento e avaliação do negócio Análise de sensibilidade INDICADORES ATUAIS

Faturamento Custo (CMV ou CMA) Outros Custos Variáveis Lucro Bruto Custos Fixos Lucro Líquido Ponto de Equilíbrio

Rentabilidade Retorno do Investimento

Valores 742.089,50 330.000,00 207.785,06 204.304,44 75.508,76 128.795,68 274.268,42

18,40% a.m. 5meses

% 100,00 44,47 28,00 27,53 10,18 17,36 36,96


Planejamento e avalia莽茫o do neg贸cio Plano de neg贸cios

Planejamento


??? O que houve com esse garoto? Objetivo

+ Planejamento

+ Execução

=

Organização

Requisitos

Resultado

Local


Reengenharia Objetivo

+ Planejamento

+ Execução

=

Resultado


Plano de Negócios É um documento pelo qual o empreendedor formalizará os estudos a respeito de suas idéias, transformando-as num NEGÓCIO.

Mudanças no cenário econômico

Mudanças em tecnologia

Caráter dinâmico Mudança nas ações dos competidores

Mudanças no mercado


Plano de Negócios Para que serve?

1

• Antecipar dificuldades que só seriam vistas na “prática”;

2

• Diminuir riscos e aumentar as possibilidades de sucesso;

3

• Permitir maior conhecimento do negócio;

4

• Reunir e ordenar as idéias e providências sobre o negócio;

5

• Permitir várias simulações sem prejuízos financeiros;

6

• Demonstrar organização, perseverança e seriedade no negócio;

7

• Atrair possíveis sócios, fornecedores, parcerias e ajuda na negociação de recursos financeiros.


Plano de Negócios

Que perguntas serão respondidas?

1 2 3

4 5 6

• Quanto tenho que investir ? • Quanto terei de lucro ? • Que recursos serão necessários ?

• Quem serão meus consumidores, fornecedores e concorrentes ? • Quais serão os impostos ? • Vale a pena?


Plano de Neg贸cios

Tabela 1.1

Foco no neg贸cio!

Neg贸cio


Plano de Neg贸cios

Tabela 1.1

Foco no neg贸cio!

O que a Kawasaki vende?


Plano de Neg贸cios

Tabela 1.1

Foco no neg贸cio!

O que a Sensodine vende?


Tabela 1.1

Plano de Negócios Foco

O objetivo de um negócio é produzir e vender com lucro produtos/serviços que satisfaçam necessidades e desejos da sociedade.

Satisfazer necessidades e desejos dos clientes


Plano de Negócios Informação

Importância das informações para as empresas: Informação  Sem informações, as conhecida empresas não conseguem tomar decisões adequadamente, nem interagir apropriadamente no ambiente em que se encontram, prejudicando, Informação desta forma, o seu DESconhecida desempenho.


Plano de Negócios É um documento pelo qual o empreendedor formalizará os estudos a respeito de suas idéias, transformando-as num NEGÓCIO.

Mudanças no cenário econômico

Mudanças em tecnologia

Caráter dinâmico Mudança nas ações dos competidores

Mudanças no mercado


Fases de um Plano de Negócios 1ª. Seleção do que projetar

2ª. Preparação de pré-estudos e anteprojetos preliminares

3ª. Preparação do projeto final, caso os resultados prévios o recomendem;

4ª. Concretização física do empreendimento

Qual é o problema?

É viável?

Detalhamento da 2ª.

Fase da construção Fase do funcionamento provisório Fase do funcionamento normal Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN Os PN serão compostos pelos seguintes aspectos:

• Aspectos jurídicos • Aspectos administrativos

• Aspectos contábeis • Aspectos mercadológicos • Aspectos técnicos • Aspectos econômico-financeiros Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN 1 – Pessoa jurídica responsável pelo projeto: 1.1 – Contrato social; 1.2 – Estatutos; 1.3 – Objetivo social, sede, foro, etc.

• Aspectos jurídicos • Aspectos administrativos • Aspectos contábeis • Aspectos mercadológicos • Aspectos técnicos • Aspectos econômico-financeiros

2 – Autorização para funcionamento, caso haja lei específica incidente sobre a respectiva atividade; 3 – Contratos já existentes a serem efetivados; 4 – Bens e haveres compromissados; 5 – Garantias reais a serem oferecidas a financiadores no caso de solicitação de empréstimos; 6 – Vinculações jurídicas com outras organizações. ...entre outras...

Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN 1 – Estrutura geral de administração da empresa: 1.1 – Níveis hierárquicos; 1.2 – Atribuições dos níveis; 1.3 – Organograma funcional;

• Aspectos jurídicos

• Aspectos administrativos • Aspectos contábeis • Aspectos mercadológicos • Aspectos técnicos • Aspectos econômico-financeiros

2 – Composição e atribuições da Alta Administração: 2.1 – da Diretoria; 2.2 – dos Conselhos; 2.3 – de outros; 3 – Auditores internos e externos; 4 – Curriculum Vitae dos principais administradores da empresa; 5 – Referências sobre a atuação da empresa. ...entre outras...

Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN • Aspectos jurídicos 1 – Composição e evolução do • Aspectos administrativos capital social; • Aspectos contábeis 2 – Balanços gerais e contas de • Aspectos mercadológicos Lucro e perdas; • Aspectos técnicos 3 – Análise financeira das atividades • Aspectos econômico-financeiros da empresa: 3.1 – Situação e evolução da liquidez; 3.2 – Situação e evolução do capital de giro; 3.3 – Situação e evolução dos índices de atividade da empresa (rotação de estoques, rotação de contas a pagar e receber, etc); 4 – Análise econômica das atividades da Empresa: 4.1 – Coeficientes de rentabilidade do capital próprio (Lucros/Capital); 4.2 - Coeficientes de rentabilidade dos valores aplicados (lucros/ativo fixo, lucro/Ativo de giro, etc); 5 – Análise Patrimonial: 5.1 - Composição e evolução dos ítens do ativo e passivo; 5.2 - Relação e avaliação dos Bens da Empresa (tangíveis e intangíveis); ...entre outras... Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN • Aspectos jurídicos 1 – Caracterização e utilização do • Aspectos administrativos produto ou serviço a que se refere o • Aspectos contábeis projeto; • Aspectos mercadológicos 2 – O mercado de produto: • Aspectos técnicos 2.1 – Delimitação da área a • Aspectos econômico-financeiros ser estudada; 2.2 – Evolução da demanda: 2.2.1 – Evolução da produção; 2.2.2 – Evolução das importações e exportações; 2.3 – Produtores atuais: 2.3.1 – Relação e capacidades de produtores; 2.4 – Comercialização do produto: 2.4.1 – Hábitos de mercado; 2.5 – Projeção da demanda: 2.5.1 – Demandas futuras 3 – O projeto e seu enquadramento no mercado; 4 – Escoamento físico da produção do projeto. ...entre outras... Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN • Aspectos jurídicos 1 – Descrição do sistema atual (se • Aspectos administrativos existe); • Aspectos contábeis 1.1 – Localização • Aspectos mercadológicos 1.2 – Descrição das • Aspectos técnicos instalações; • Aspectos econômico-financeiros 1.3 – Descrição dos processos de fabricação ou de prestação de serviços; 1.4 – Insumos e suas fontes de abastecimentos; 1.5 – outros 2 – Descrição técnica do projeto: 2.1 – Caracterização geral do empreendimento; 2.2 – O processo de produção a ser utilizado – descrição de fontes de abastecimento, escoamento da produção 2.3 – Construções, instalações e equipamentos de projeto 2.4 – Serviços a serem providenciados para o projeto 2.5 – Cronogrma físico do projeto 3 – Descrição dos impactos ambientais. ...entre outras... Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN • Aspectos jurídicos Econômicos • Aspectos administrativos 1 – Custos de produção e de • Aspectos contábeis vendas; • Aspectos mercadológicos 2 – Receitas a serem obtidas; • Aspectos técnicos 3 – Lucros brutos e líquidos; • Aspectos econômico-financeiros 4 – Rentabilidade a ser obtida; Financeiros 5 – Investimentos a serem realizados em ativo fixo e capital de giro; 6 – Cronograma das aplicações dos recursos; 7 – Fontes de recursos (próprios, empréstimos, outros) 8 – Projeções de fluxo de caixa. ...entre outras...

Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN Permitirão avaliar a sanidade do empreendimento através da ótica da:

Ambiental Econ./Financeira Técnicos

Rentabilidade e,

Mercado Adm/Contab

Jurídicos

Cobrirão o investimento inicial?

Recursos captados e gerados são suficientes?

Lucro pensador?

ou seja

Liquidez

Elementos Objetivos do empreendimento Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Elementos de um PN Devem ser analisados em conjunto

Fatores de ordem Ambiental Econ./Financeira Técnicos Mercado Adm/Contab

Jurídicos

- Um bom plano dá ênfase à interligação dos diversos aspectos na realização do empreendimento. - Um enfoque parcial ou incompleto tem sido a causa dos fracassos. Elaboração e Análise de Projetos, Profs. Mario Henrique Simonsen e Henrique Flanzer, 1974, Edito: Sugestões Literárias S/A


Projeto Cemitério VáKomDeus


Análise de mercado Cemitérios na cidade

• Apenas 1 – municipal

Sepultamento/mês

•4

Taxa de mortalidade/ano

• 66

Expectativa de vida

��� 75 anos

Área total da cidade

• 50 km2

Número de Habitantes Pesquisa de mercado Público Alvo

• 5.300 • Detectou a falta de um cemitério particular

• Classes A (2%), B (8%) e C (38%)


Análise Ambiental  Contratação de um geólogo;  Aprovação da população;  Licença ambiental;        

Preencher formulário; Solicitação; Certidão da prefeitura municipal – Solo; Órgão ambiental; Propriedade do terreno; Pagamento licença; Planta e Responsabilidade Técnica; Roteiro de acesso ao local;


Análise Jurídica  Legislação de cemitérios;  Legislação da prefeitura;  Elaboração do contrato social, inscrição estadual, CNPJ;  Alvará da prefeitura;


Análise Técnica  Ambiente;  Lápide;  Profundidade dos túmulos;  Quantidade dos túmulos;  Área total do cemitério;


Análise Administrativa/Contábil  Código de ética;  Arquivo;  Tributos;  Gastos;  Serviço de apoio ao sepultamento;  Sepultamento;  Gestão de pessoas;


Análise Econômico/Financeira Previsão da demanda

Aspectos Aspectos relacionados a serem Aspectos Aspecto com analisados a análise relacionados relacionado em dos aarelação pesquisa de a dados visão análise gerados do mercado ao de pelas mercado e análise que desenvolvimento diversas procedimentos o empreendedor entradas do e do de ambiente internos simulações plano possui de a negócios respeito execução de futuro. doexterno negócio. - Tomada Análise Econômico/ de Decisão Financeira

Preço de venda

Tributos e Comissões

Análise da concorrência

Sazonalidade

Política de Compra e Venda

Previsão Anual

Investimentos iniciais

Necessidade de capital de giro

Mão-de-obra

Ponto de equilíbrio

Custos Fixos

Análise de Sensibilidade


Análise Econômico/Financeira Previsão da demanda


Análise Econômico/Financeira Preço de venda Vendas mensais

Eu defino o valor


Análise Econômico/Financeira Análise da concorrência

(Preço de venda ) – (CMV – Impostos – Comissões)


Análise Econômico/Financeira Política de Compra e Venda


Análise Econômico/Financeira Investimentos iniciais

Terreno é da família


Análise Econômico/Financeira Mão-de-obra


An谩lise Econ么mico/Financeira Custos Fixos


Análise Econômico/Financeira Tributos e Comissões


An谩lise Econ么mico/Financeira Sazonalidade

(4)

(7)


Análise Econômico/Financeira Previsão Anual


Análise Econômico/Financeira Previsão Anual


Análise Econômico/Financeira Necessidade de capital de giro

(Aplicação de recursos – Fontes de recursos)

(((Lucro líquido) / (Investimento total) * 100) (((Lucro líquido) / (Receita total)) * 100) (Investimento total) / (Lucro líquido)

(investimento inicial + Investimento pré-operacional + capital de giro)


Análise Econômico/Financeira Ponto de equilíbrio

(Custo Fixo Total) / (% da Margem de Contribuição) (Custo fixo) / (faturamento)

(Custo fixo total) / (Margem de contribuição Unitária) (Preço de venda unitário) – (custo variável unitário)


Análise Econômico/Financeira Ponto de equilíbrio


Análise Econômico/Financeira Análise de Sensibilidade


Análise Econômico/Financeira Análise de Sensibilidade


Slides Empreendedorismo