Page 1

Agência Chronos Apresenta

“ Projeto Musicorporal” Você no ritmo certo!

Trabalho Conclusão de Curso


Agência Chronos A Agência Chronos, é uma agência com foco na Comunicação Integrada, composta por profissionais com habilidades nas mais diversas áreas da publicidade e propaganda, em sua maioria já no mercado de trabalho. O nome Chronos, faz referência ao Deus do Tempo, na Mitologia Grega. A cor amarela, remete ao Sol, por sua grandiosidade, poder e controle sobre o tempo. Toda essa abordagem ao tempo, se refere ao comportamento da sociedade nos dias atuais, onde tempo passa a ser cada vez mais importante e também escasso. Portanto, a Agência Chronos trabalha em cima da otimização e melhor aproveitamento do tempo do cliente, aliando a isso a qualidade dos nossos serviços, pois sabemos que qualidade não se trata mais de um diferencial e sim de obrigatoriedade a ser oferecida. Profissionais que compõem a Equipe da Agência Chronos: Celso Filho – Departamento de Criação Tel.: (34) 3319.8847 – (34) 8864.6035 Lívia Leite – Atendimento e Planejamento Tel.: (34) 3316.9954 – (34) 8852.4734 Felipe Ramos – Departamento de Criação Tel.: (34)9668-6174 – (34) 3312-2867 Rafael Miranda – Redação e Criação Tel.: (34) 9206.7270 Rander Ariel – Planejamento, Marketing e Mídia *COORDENADOR Tel.: (34) 8822.5498 – (34) 9915.4691 – (34) 3313.7602 Sérgio Borges – Departamento de Criação Tel.: (34) 3315.3168 – (34) 9663.1233 Walesca Cunha– Departamento de Criação Tel.: (34) 8828.9973 – (34) 3336.022 E-mail de contato da Agência Chronos: agenciachronos@hotmail.com ragsantos@hotmail.com Coordenador : Rander Ariel Gonçalves dos Santos

2


3


Resumo Este projeto consiste em um estudo das necessidades da comunidade uberabense juntamente com a análise da Sound Center, focando o processo de implementação da responsabilidade social na empresa buscando a melhoria da comunidade, mostrando a perspectiva para melhoria de vida de seus funcionários e consumidores além de parceiros. Com a análise das necessidades da comunidade e o nível de interesse da empresa e seu setor de atuação, adotamos o tema saúde e bem estar voltado para os músicos, pois, existe um número muito elevado de músicos com problemas relacionados à má postura e aos esforços repetitivos. O projeto visa incorporar a filosofia da prática de uma postura correta além da consciência dos exercícios de prevenção do problema. Teremos dois pontos principais no projeto para impactar a comunidade com maior abrangência, o primeiro é a própria empresa, o segundo é a maior escola de música de Uberaba – o Conservatório de Uberaba.

4


Abstract The project involves a study of community needs uberabense together with the analysis of the Sound Center, focusing on the process of implementation of social responsibility in the company aiming to improve the community, showing the prospect for improving the lives of their employees and consumers as well as partners. With the analysis of community needs and the level of interest of the company and its sector, we adopted the theme of health and wellnessoriented musicians, because there are a large number of musicians with problems related to poor posture and repetitive strain. The project aims to incorporate the philosophy of the practice of a posture beyond awareness exercises to prevent the problem. We will have two main points in the project to impact the community with greater reach, the first is the company itself, the second is the largest music school of Uberaba - Uberaba the Conservat贸rio.

5


Resumen El proyecto consiste en un estudio de las necesidades de la comunidad Uberabense junto con el análisis del Centro, centrándose en el proceso de aplicación de la responsabilidad social en la empresa con el objetivo de mejorar la comunidad, mostrando la perspectiva de mejorar las vidas de sus empleados y consumidores, así como los socios . Con el análisis de las necesidades de la comunidad y el nivel de interés de la empresa y su sector, hemos adoptado el tema de la salud y bienestar orientados a los músicos, porque hay un gran número de músicos con los problemas relacionados con las malas posturas y por movimientos repetitivos . El proyecto pretende incorporar la filosofía de la práctica de una postura más allá de los ejercicios de sensibilización para prevenir el problema. Tendremos dos puntos principales en el proyecto de impacto a la comunidad con mayor alcance, la primera es la propia empresa, la segunda es la mayor escuela de música de Uberaba - Uberaba el conservatorio.

6


SUMÁRIO

Introdução.........................................................................................................08 1-Empresa........................................................................................................09 2-Briefing..........................................................................................................10 3-Planejamento Estratégico...........................................................................23 Pesquisa de mercado..............................................................................49 4-Planejamento tático.......................................................................................65 5- Implementação e Comunicação...................................................................81 Cronograma do projeto..........................................................................88 Peças/Criação........................................................................................89 6 - Avaliação e Indicadores Sociais ...............................................................115 Anexo – Papelaria do projeto..........................................................................118 Anexo II – Defesa das peças..........................................................................122 Conclusão......................................................................................................125 Referencias Bibliográficas...............................................................................126

7


Introdução O músico é um atleta emocional de alta competição. Com inspiração nesta frase, o Projeto Musicorporal nasceu da preocupação da Sound Center em proporcionar saúde e bem-estar aos seus alunos. A prática de instrumentos musicais requer um cuidado todo especial por parte de quem ensina, e de quem recebe os ensinamentos. O intuito do projeto é informar à comunidade dos músicos sobre os problemas que a má postura e os esforços repetitivos podem causar. E, a partir da informação, reeducar esses e os futuros “atletas emocionais” tornando-os menos propícios a desenvolverem tais problemas. O Projeto Musicorporal acredita que essa iniciativa fará dos músicos, grandes atletas com possibilidades de brilharem nos lugares mais altos dos pódios da vida. Constatamos que em Uberaba existe um grande número de músicos sejam hobbistas, profissionais ou professores, e que muitas vezes tem o problema e não sabe o que de fato causa. O objetivo do projeto é inserir no hábito do músico a postura correta e adequada além dos exercícios de prevenção, trazer esta cultura à comunidade dos músicos, mudando comportamento sem perder a essência da música e estilo musical.

8


1- EMPRESA -Razão Social: Sound Center Comércio de Instrumentos Musicais LTDA.

-Nome fantasia: Sound Center.

Parceiros: Conservatório Estadual Música Renato Frateschi Sexta Roll – Universidade de Uberaba

9


2 - BRIEFING 1 - Análise Situacional e dados da empresa

-Razão Social: Sound Center Comércio de Instrumentos musicais LTDA.

-Nome fantasia: Sound Center.

-CNPJ: 26.331.215/0001-89

-Inscrição Estadual: 701.662.270-0002

-Endereço: Vigário Silva, 454. São Benedito. Uberaba – MG.

-Telefone: (34) 3312-0225

-E-mail: soundcenter@terra.com.br

-Descrição em nível corporativo: A empresa é formada por apenas uma loja.

10


-Regiões e setores da economia que a empresa atua: Uberaba e região, setor de instrumentos musicais e aulas de música, portanto, entretenimento.

-Possui filiais, escritórios regionais? Não.

-Porte: Faturamento: Empresa optante pelo simples. O faturamento mensal da loja fica entre R$ 12.000,00 bruto e R$ 5.000,00 líquido.

-Número de empregados: Possui apenas um funcionário na loja e conta com dois professores para as aulas de música.

-Instalações físicas: Possui apenas uma loja na cidade de Uberaba de porte pequeno.

-Organograma e principais executivos:

O proprietário Marcelo encontra-se no topo da pirâmide como o proprietário e gerente da loja, logo abaixo dele, temos o funcionário Marco, que é responsável pelo atendimento ao público na venda dos instrumentos e acessórios musicais. E, por fim, o estabelecimento conta com dois professores de música, já que as aulas são ministradas logo ali no andar superior do prédio.

-Breve histórico:

A esposa do empresário Marcelo ministrava aulas de música na cidade de Uberlândia. Os alunos que faziam aula com ela tinham a necessidade de comprar os instrumentos. Partiu daí então, da necessidade dos próprios alunos, a oportunidade de Marcelo começar a vender instrumentos musicais e logo então, oficializar o negócio com a abertura da Sound Center, que está no 11


mercado desde 1989 no setor de entretenimento musical, já que a loja vende tais instrumentos e acessórios, ministra aulas de música, conta com o serviço de aparelhagem para eventos e ainda oferece o conserto e manutenção dos instrumentos.

-Desde quando anuncia e com quais agencias já trabalhou:

A loja anuncia desde sua criação e 1989. Já trabalhou com TV, rádio, outdoors e, viu no rádio a mídia de maior rentabilidade para o negócio. O proprietário mencionou o nome do profissional com o qual já realizou alguns desses anúncios, Diogo La Paiva.

1.1 - O mercado e o ambiente externo -Principais competidores (globais, nacionais, locais):

Seus principais concorrentes na cidade de Uberaba são: Top Som e Jô Musical. Em nível nacional podemos destacar outras lojas de instrumentos musicais das grandes cidades como São Paulo, por exemplo. *Instrumentos: -Ubersom, Top Som, Jô Musical, Eve-ton Instrumentos Musicais

*Aulas: -Athos Bartonelli

*Equipamentos de Som -Base, Audi Company, J Edu Som, Impacto Som e Luz

-Participação de mercado:

12


Não conseguimos obter a participação de mercado da Sound Center em números reais ou em porcentagem, que fosse. O que obtivemos como informação é que a loja é a terceira maior da cidade, atrás é claro, das suas duas maiores concorrentes citadas mais acima, Top Som e Jô Musical.

-Potencial de mercado: Prospectamos um potencial de mercado grande, pois a música está inserida nos indivíduos da sociedade brasileira, sobretudo a uberabense, onde existem diversas bandas, duplas, cantores. Como a empresa é a terceira no segmento existe então uma grande fatia de mercado a ser conquistada.

1.2 - Análise do Microambiente:

A empresa se encontra no estagio de Maturidade, a loja tem uma boa localização, entretanto, a estrutura física é pequena e a fachada precisa e deve ser readaptada.

1.3 - Análise do Macroambiente: Analisando uma pesquisa feita pelo Instituto data folha, no qual os resultados são: • nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, 13% dos entrevistados tocam atualmente algum instrumento e aproximadamente 18% têm intenção de tocar nos próximos 12 meses; • o perfil dos que tocam ou já tocaram algum instrumento é masculino, jovem e privilegiado que o da população em geral;

13


• o que move as pessoas a tocar é a procura de prazer, por hobby, passatempo. Mas vale notar que 30% da amostra exerce atividade relacionada à música, especialmente ligadas à igreja; • o violão é o instrumento mais tocado atualmente e o que representa, junto com a guitarra, menores índices de desistência; • a compra de instrumentos musicais para uso próprio ou para outra pessoa foi de 17% nos últimos 12 meses; e para os próximos 12 meses esta taxa pode ser superada em mais que o dobro, declararam os entrevistados. A interpretação deste estudo permitirá compreender as mudanças, identificar ameaças e oportunidades para o crescimento do mercado de instrumentos musicais, assim como, facilitará a elaboração de um planejamento estratégico capaz de impulsionar o setor. (http://www.abemusica.com.br/informativos/informativo.asp?id=4791) 1.3.1 Análise dos pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades:

Oportunidades:

- Perfil comportamental e social da população de Uberaba; - Cultura local; - Queda do dólar;

Ameaças:

- Crise Econômica - Pressão da sociedade, sobretudo nos jovens, em trabalhar e/ou sustentar famílias, o que os impede de tratarem a música como algo primário ou necessário, assim descartando-a; - Posicionamento das outras lojas na cidade de Uberaba; - Vendas pela internet; - Instrumentos reciclados;

14


Pontos Fortes:

- Mix de produtos e serviços da loja. - Posicionamento na Matriz BCG; - Posicionamento da marca; - Logística. Pontos Fracos:

- Fachada da loja; - Falta de comunicação visual e identidade visual em saídas de produtos.

1.3.2 - Regulamentação:

Referente ao Comércio:

LEI Nº 8.934 DE 18/11/1994 Dispõe sobre o Registro Público de Empresas Mercantis e Atividades Afins e dá outras providências.

-Organização do setor:

A empresa é filiada à CDL e ACIU. No que diz respeito às aulas que são ministradas no estabelecimento, os professores são vinculados a um órgão chamado “Ordem dos Músicos”, uma espécie de sindicato dos profissionais dessa área.

-Grau de turbulência econômica e tecnológica:

A crise atrapalhou bastante, principalmente no âmbito das aulas, visto que ele contava com um quadro de oito professores e atualmente está com apenas dois. Na venda dos instrumentos, o que afetou foi novamente a crise

15


global pela qual passamos até o primeiro semestre de 2009, podendo assim dizer. A questão tecnológica para os instrumentos em si não é tão significativa visto que as empresas estão optando cada vez mais por relançar modelos das últimas décadas, podemos considerar então que é uma área em que os mais antigos são de melhor desempenho e qualidade. Somente os acessórios, estes sim, que estão fortemente ligados à alta tecnologia como as caixas de som, amplificadores e produtos afins.

1.4 - Os produtos -Mix de produtos, conceitos, ciclo de vida:

A Sound Center comercializa instrumentos musicais, bem como acessórios para os mesmos, oferece o serviço de aulas musicais além do serviço de manutenção de instrumentos musicais. A loja já se encontra no mercado há 20 anos. Encontra-se no estágio de Maturidade.

-Posição no portfólio (por exemplo, matriz BCG):

A loja se encontra no estágio de Maturidade, por estar posicionada aos consumidores alvo, e por se encontrar no mercado há 20 anos. Na matriz BCG é encontrada no estágio “Vaca Leiteira” onde o objetivo é lembrar sobre as características principais da loja.

-Embalagem, empacotamento (packaging):

Não existe material de embalagem, geralmente são entregues na própria embalagem do fabricante.

-Diferenciação e preço:

O diferencial fica por conta do seu mix de produtos e serviços, pois além

16


da venda de instrumentos e das aulas oferecidas, a loja também presta manutenção aos aparelhos, bem como locação de som para eventos. O preço é adequado ao mercado, com produtos de maior qualidade saindo mais caro e com produtos de menor valor agregado saindo a preços menores e melhores condições de pagamentos. Por se tratar de um público seleto de comportamentos e perfis socioeconômicos diferenciados, o preço condiz com o público, uma vez que a estratégia adotada é preço premium - produto de qualidade vendido a preço alto - pois exige um valor agregado. A diferenciação se encontra nas características intrínsecas do produto que é o status e alta qualidade.

-Capacidade de produção:

A loja é de pequeno porte, conta com apenas dois professores, caso a demanda de aluno aumente, será necessário um aumento no quadro de professores ou uma estratégia voltada para isso.

1.5 - Os clientes -Segmentação de mercado:

Não é possível segmentar seu público com o fator idade como principal, porém, podemos dizer que o público alvo da loja são os pais das crianças e adolescentes que se interessam em aprender a tocar um instrumento e os próprios músicos da cidade, caracterizados como profissionais liberais.

-Perfil demográfico, socioeconômico, cultural:

--Demográfico: Estimativa da População em 2007 - 287.760 (IBGE)

17


*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - sem instrução e menos de um 1 de estudo - municípios vigentes em 2001: 12.842 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - até um salário mínimo - municípios vigentes em 2001: 29.984 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 1 a 2 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 39.542 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 2 a 3 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 20.021 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 3 a 5 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 20.843 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 5 a 10 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 18.983 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 10 a 20 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 7.603 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - mais de 20 salários mínimos - municípios vigentes em 2001: 4.275 habitantes.

*Pessoas residentes - 10 anos ou mais de idade - rendimento nominal mensal - sem rendimento - municípios vigentes em 2001: 71.533 habitantes.

18


Pessoas residentes - 5 e 6 anos - municípios vigentes em 2001, 7892 habitantes Pessoas residentes - 7 a 9 anos - municípios vigentes em 2001, 12687 habitantes Pessoas residentes - 10 a 14 anos - municípios vigentes em 2001, 22430 habitantes Pessoas residentes - 15 a 17 anos - municípios vigentes em 2001, 14280 habitantes Pessoas residentes - 18 a 19 anos - municípios vigentes em 2001, 10629 habitantes Pessoas residentes - 20 a 24 anos - municípios vigentes em 2001, 23722 habitantes Pessoas residentes - 25 a 29 anos - municípios vigentes em 2001, 20051 habitantes Pessoas residentes - 30 a 39 anos - municípios vigentes em 2001, 40334 habitantes Pessoas residentes - 40 a 49 anos - municípios vigentes em 2001, 33628 habitantes Pessoas residentes - 50 a 59 anos - municípios vigentes em 2001, 21806 habitantes Pessoas residentes - 60 a 64 anos - municípios vigentes em 2001, 8353 habitantes Pessoas residentes - 65 a 69 anos - municípios vigentes em 2001, 6614 habitantes Pessoas residentes - 70 a 74 anos - municípios vigentes em 2001, 4753

19


habitantes Pessoas residentes - 75 a 79 anos - municípios vigentes em 2001, 2962 habitantes Pessoas residentes - 80 anos e mais - municípios vigentes em 2001, 3222 habitantes IBGE 2009-

Como o mercado da música atrai, sobretudo os jovens, nosso público alvo a princípio é: jovens de 10 a 30 anos de classe A, B e C.

--Socioeconômico: O perfil socioeconômico do público é distinto, pois, o que influencia de fato na compra de instrumentos musicais são seus grupos de referência, já o mercado educativo de música, como na cidade existe escolas públicas de música com alto nível educacional e existem também vários professores que dão aula particular, acaba ficando reservado o mercado educativo de música as classes mais altas da população.

--Cultural: Cultura é o complexo de valores e comportamentos aprendidos que são compartilhados por uma sociedade. As pessoas expressam sua cultura ao afirmar que valorizam as coisas. A cultura é um dos fatores que mais influenciam no comportamento de uma pessoa. É o comportamento, os valores e preferências adquiridas no convívio familiar, escolar e grupos de referencia.

O comportamento de compra de determinados produtos ou o

interesse em determinados produtos pode ser explicado pelas classes sociais, no qual são divisões homogêneas e duradouras de uma sociedade, que são influenciadas pelos valores passados, ocupação, nível educacional e até mesmo área geográfica. (Kotler 2001) Como a loja vende diversos produtos musicais, ela consegue atingir vários subgrupos sociais, e grupos de associação, como roqueiros que consequentemente preferem instrumentos como guitarra, bateria, baixo, os 20


mais regionalistas que preferem uma viola, violão, os que se encaixam e aderem ao pagode: cavaquinho, influência da cultura negra, tambor, tamborim e assim sucessivamente, são grupos de referência e aprendizado ou influência familiar que levam a escolha de determinado instrumento. Ou seja, o mercado é amplo, pois, música é algo abstrato e grandioso que sem dúvida desperta interesse na sociedade. A música é uma forma de mostrar seu gosto, seu comportamento, seu grupo de referência, seu estilo comportamental, além de ser também uma forma de terapia de saúde e bem estar. Infinitas variações de um mercado formado por um público eternamente jovem, ou seja, o jovem de ontem que continua sendo o consumidor de hoje e passa para os filhos a paixão pela música. Segundo alguns pesquisadores no assunto, a música afeta o caráter e a sociedade, pois cada pessoa é capaz de trazer para dentro de si a música que acaba influenciando nos pensamentos, nas emoções, na saúde, nos movimentos do corpo, etc. Portanto, diziam eles, cabe aos compositores serem morais e construtivos e não imorais e destrutivos em suas músicas. A influência da música é tão grande, que ela atua constantemente sobre nós - acelerando ou retardando, regulando ou desregulando as batidas do coração, relaxando ou irritando os nervos, influindo na pressão sangüínea e no ritmo da respiração. É comprovado o seu efeito sobre as emoções e desejos do homem. Enfim, a música exerce um poder muito grande sobre nós, podendo ser positiva ou negativa. (Ronaldo Bezerra)

-Comportamento de compra / comportamento de consumo: Instiga uma reflexão ímpar. O ser humano é uno, isto é, composto de matéria e psique (alma), e também social, traz consigo reflexos do tempo que vive, e está inserido num grupo maior, a sociedade a qual “pertence”.

21


A reflexão sobre o comportamento do consumidor de instrumento musical nos permite compreender em maior grau, a complexidade e o comportamento dos seres humanos deste segmento da arte. A música faz parte da cultura e do tempo em que o ser humano esta inserido. Rafael Lima, musicoterapeuta formado pela Universidade Paulista de Arte e músico profissional, relatou que durante aulas de música e atendimentos realizados, a representação simbólica dos instrumentos e a escolha por um instrumento musical específico refletem padrões psicológicos da própria pessoa. A guitarra considerada num contexto relacional, isto é, músico e instrumento (sujeito/objeto), refletem o desejo de expressar energia, poder, agilidade e individualismo,

“marca”

registrada deste produto,

que foi

sedimentado em grandes épocas do Rock and Roll.

“Quando as pessoas “perdem a cabeça”, repentinamente em meio a uma palestra, algo muito profundo e significativo foi tocado”, conforme afirma Albeto Montalvão no Livro Psicologia em 10 lições da editora Jacomo. O mesmo ocorre com o músico durante uma apresentação, na qual se sente “perdido”, ou esquece parte da música. Pode-se afirmar então, que o comportamento do consumidor de instrumentos musicais é marcado pelo ciclo de vida do indivíduo (estados físico e psicológicos) e do produto. “O estado psicológico e a fase da vida na qual o indivíduo está, poderá influenciar na escolha por determinado instrumento musical” (RAFAEL LIMA, 2009)

Esta reflexão tem por objetivo demonstrar a dificuldade de compreensão do ser humano, neste caso do consumidor de instrumentos musicais, além de fornecer pistas para os vendedores destes tipos de produtos, que oferecerão produtos (instrumentos) mais adequados ao que buscam os consumidores. Com base na pesquisa podemos afirmar que o que influencia de fato inicialmente são as influências sociais, como grupo de referência, família, e comportamento da sociedade regional, em segundo plano vem o fator financeiro. 22


3 - PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A) Temas Emergentes: nesta primeira fase, pesquisamos cerca de quarenta temas emergentes, que podem ser considerados como problemas que uma sociedade tem a enfrentar. Primeiramente a pesquisa foi em âmbito global, seguindo para nacional até afunilar-se para as questões regionais e municipais. Entre os temas pesquisados, os mesmo estavam inseridos em ecologia e meio ambiente, saúde e bem-estar, diversidade e direitos humanos e comunidades.

B) Capitalização de Oportunidades.

Gatilhos de Ação: entre as quatro temáticas, nosso tema está inserido em saúde e bem-estar.

-Saúde e Bem – estar: -O Stress dos deficientes auditivos

Para alguns pode parecer impossível, mas os surdos são capazes de sentir vibrações musicais e de perceber a intensidade do som. Isso graças à musicoterapia - tratamento auxiliar tido como uma das principais formas de ensinar o deficiente auditivo a lidar com as questões sonoras. ”A fonoterapia é fundamental, mas a musicoterapia é uma excelente opção coadjuvante. Ela melhora o desenvolvimento da linguagem e o ritmo da voz. E é uma ótima forma

de

aumentar

a

auto-estima

do

surdo”,

diz

Paulo

Porto,

23


otorrinolaringologista e coordenador do serviço de implantes cocleares do HC da Unicamp.

Apesar dos efeitos positivos na reabilitação auditiva, a musicoterapia para surdos ainda está “engatinhando” no país porque há poucos profissionais capacitados. O Instituto Nacional de Educação de Surdos, por exemplo, vinculado ao Ministério da Educação, suspendeu o programa de musicoterapia porque os professores especializados se aposentaram. “Ainda há um certo receio das pessoas em trabalhar a surdez por meio da música. A idéia da musicoterapia é ensinar o surdo a se expressar por meio do som”, disse o músico profissional Armando Fernandes Bugalho Filho. Bugalho acompanhou os efeitos da música em pacientes surdos que foram monitorados por eletrodos e eletroencefalograma. “Tocamos os instrumentos sem que os pacientes vissem os aparelhos. O cérebro registrou o estímulo sonoro de acordo com a intensidade do som, assim como ocorre com pessoas que ouvem normalmente”, explicou. Para Bugalho, a confirmação da atividade cerebral nos surdos foi fundamental para o desenvolvimento de novas estratégias de atuação entre o musicoterapeuta e o surdo. “Além de ser eficiente, a música eleva a autoestima e faz com que o deficiente auditivo perca o medo de se expressar. ”A musicoterapeuta Cristiane Amorosino, professora da FMU e especialista em surdez, diz que a música também faz com que os surdos aprendam a perceber o próprio corpo. “Eles aprendem a identificar o som do batimento cardíaco, por exemplo.” Além disso, o deficiente auditivo aprende a distinguir a intensidade, a freqüência e os timbres.

Cristiane exemplifica: “Como tem dificuldade para se expressar, o surdo chega a ter episódios de grito por causa da falta de controle e percepção. A musicoterapia ensina o surdo a entender as intensidades. Com isso, é possível melhorar a comunicação”. http://www.jornaldeuberaba.com.br/?MENU=CadernoB&SUBMENU=Saude&C ODIGO=953

24


-Doenças da Alma

Que uma música pode melhorar o nosso humor, nos deixar alegres, mesmo quando sofremos uma perda, ou mesmo nos tornar mais melosos e carentes, ninguém parece duvidar. Mas, por que certas músicas tocam dessa forma a algumas pessoas e a outras não? Por que o som de um instrumento musical soa bem, ou mal, ao ouvido de alguém? São perguntas que muitos devem se fazer cantarolando no banho ou mesmo quando dirigem para o trabalho. Algo que talvez poucos saibam é que a música pode ser eficaz no tratamento das chamadas: doenças da alma. Pássaros cantando, o som do cair da chuva no telhado ou do vento na janela, podem atuar em lembranças e sensações, sendo excelente aliados no processo de alívio de angústias, vícios, raivas, e tantos outros sentimentos que desequilibram o psíquico de milhares de pessoas por todo o mundo. E apesar desse tratamento, conhecido como musicoterapia, ser uma técnica da época do filósofo grego Sócrates, somente agora tem ganho evidência. Para a psicoterapeuta e psicóloga Maria Regina Basílio, a técnica utiliza-se da música ou de seus elementos que a constituem, como ritmo, melodia e harmonia. “A musicoterapia é uma ciência paramédica, que estuda a relação do homem com o som, não apenas com a música cantada ou tocada”, explica. “É recomendável a pessoas que possuem dificuldades motoras ou de aprendizado, autistas, pacientes com alguma deficiência mental, paralisia, distúrbios emocionais e psiquiátricos, gestantes e até idosos”, diz. Maria Regina afirma que “ao observarmos como a pessoa constrói os sons no processo psicoterápico, o que ela escolhe, o comportamento que o som provoca, a emoção, as alterações que provoca, tudo é considerado como sinais”.

25


Determinados sons levam as pessoas a um comportamento específico ou levam a uma elaboração interna diferenciada. Por isso, passam a vislumbrar soluções e possibilidades, dependendo do som que ouvem. “Isso acontece porque o som nos dá sustentação, ele nos apoia, ele faz emergir potencialidades em nós”. Para Maria Regina, ele desperta o entendimento, a visão e a percepção de possibilidades que em outros momentos, não seriam identificadas. Além disso, os sons nos acompanham nos momentos de tristeza e de alegria, lembra a especialista. “Foi o que observamos no velório do Michael Jackson. Aquele era um momento de luto mundial e a música estava presente ali. E porque ela trata? Naquele momento o que a música traz é um consolo, um conforto, ela auxilia com a visão de que a vida continua”.

-Gaveta pessoal.

“Toda pessoa tem um histórico sonoro-musical, tanto é que cada um de nós tem um ritmo de vida”, explica a psicóloga, sobre a reação que podemos ter a um som, individualmente. Para Maria Regina, esse histórico é adquirido ainda no ventre da mãe. “Porque o batimento cardíaco de nossa mãe é um som, uma pulsação”. Mas, ela lembra que ao mesmo tempo que existe o som, há também o silêncio, que tem tanto significado quanto uma melodia. “Entretanto, existem tipos. O silêncio de indignação, de alegria, em que apenas sentimos que não há nada a dizer, pois não cabem palavras”. Segundo a psicoterapeuta, é ao descobrir essa gaveta de sensações, que se pode utilizar o som como ferramenta para estabelecer um vínculo terapêutico. “A formação desse histórico sonoro começa na formação e vem se construindo até a nossa escolha musical atual, a escolha dos estilos musicais que preferimos. O que compõe seu estilo, seu ritmo e sua maneira de ser. E a partir da utilização dessas informações é que estimulamos em nós mesmos, a cura e a sensibilidade necessária”, conclui. http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,12664

26


-Problemas causados pela má postura dos músicos

Este acontecimento surge no segmento da iniciativa pioneira em Portugal do Departamento de Comunicação e Arte em lecionar a disciplina de Música e Medicina, integrada no Mestrado de Música, onde são abordados os diversos problemas médicos dos músicos e respectivas estratégias preventivas e de terapêutica, e da recente criação da APMAE.

É assim o resultado de um conjunto de sinergias que se foram estabelecendo ao longo deste ano para criar e fortificar em Portugal o que já existe em outros países da Europa (como Inglaterra e Alemanha), e também no que já existe paralelamente noutras áreas como o Desporto: uma preocupação em zelar pelo bem-estar físico e psicológico nas artes performativas e em contribuir para a otimização da performance artística, neste caso particular, na música. De fato, o músico é um “atleta emocional de alta competição” no processamento e execução de informação contida na partitura, não só do ponto de vista técnico da prática do instrumento (dedicando horas de estudo ao aperfeiçoamento esperado), mas também dos pontos de vista interpretativo e musical (correspondendo aos ideais do compositor e às expectativas da massa crítica), emocional (conquistando um público cada vez mais exigente) e criativo (desenvolvendo a sua marca pessoal que o distinguirá de outros intérpretes e o tornará único no panorama musical). Neste contexto, é fácil compreender que as pressões quer físicas quer mentais a que um músico está constantemente

27


sujeito, possam interferir com a sua saúde e bem-estar e, consequentemente, com a qualidade da sua performance.

http://www.cienciahoje.pt/index.php

-Obesidade e Sedentarismo

No mundo globalizado vemos o quanto à saúde é de fundamental importância para se viver bem e ter uma vida plena. Um tema de grande preocupação nesta área é a obesidade e sedentarismo, que vem crescendo desde a infância até a velhice. O crescente avanço da violência faz as pessoas deixarem as ruas e partirem para diversão doméstica. Quem mais sofre nesse ponto são as crianças que desde pequenas são incentivadas por seus pais a não saírem às ruas. No trabalho, as jornadas maçantes no escritório só, contribuem para o aumento do sedentarismo. O descarte correto dos produtos químicos é algo que não parece preocupar as empresas, que ao jogar no esgoto seus resíduos deveriam antes deixá-los inertes e livres de risco de contaminar a natureza e voltar na água de nossas torneiras. A saúde pública, precária de atendimento já não é nenhuma novidade para o povo e se mostra em situação cada vez mais alarmante. As causas são muitas: falta de verba para leitos, funcionários, médicos, medicamentos, equipamentos. Quem está na fila esperando em situação grave pode até morrer e ficar por isso mesmo.

28


-Depressão

A depressão além de provocar graves sofrimentos aos doentes e à família, também causa danos econômicos (consultas médicas e compra de medicamentos) e sociais (perda de produtividade) Em todo o mundo os deprimidos são milhões, as estatísticas indicam que 5% da população sofrem de depressão, com prevalência nas mulheres com 4,9 a 9,3% em comparação com os homens de 2,3 a 3,2%. Aproximadamente dois em cada 10 casos de depressão prolongam-se no tempo tornando-se crônicos. Nas mulheres a depressão crônica é quatro vezes maior que nos homens. Existem vários fatores que podem contribuir para a depressão tais como: Fatores ocupacionais como sobrecarga de trabalho, pouco descanso, não conseguir os objetivos, problemas com superiores e com a carreira, dificuldades econômicas e financeiras, despedimento e reforma. Fatores familiares como famílias disfuncionais, luto e estar longe de casa. Fatores ligados com a saúde, tais como doenças crônicas ou, lesões graves e também fármacos para tratar outras enfermidades. Fatores ligados com acidentes, como acidentes rodoviários, domésticos e todo o tipo de acidentes com que as pessoas se possam sentir culpadas. Fatores ligados com violência, como violência física e psicológica e toda a violência praticada em tempo de guerra, incluindo o rapto e o assalto.

29


-Stress

O stress é uma reação natural do organismo diante de um estímulo ou situação especial de tensão ou de intensa emoção, que pode ocorrer em qualquer pessoa, independentemente da idade, raça, sexo e situação socioeconômica. Reconhecer o que é o stress, sintomas do stress: Dores de cabeça, esquecimentos, batimentos cardíacos acelerados, mau humor, choros sem motivo, recolhimento, músculos doloridos ou mãos frias e húmidas podem ser alguns sintomas. Sintoma de stress inclui manifestações mentais, físicas e sociais, perda ou aumento de apetite, exaustão, tristeza, insônia e sonolência, diminuição da capacidade de concentração e atenção. Cada pessoa reage de forma diferente a possíveis fatores da vida. Não existe, pois fatores absolutos, mas algumas causas comuns do stress são, por exemplo: •

O estilo de vida levado;

Situações traumatizantes;

Divórcio;

Conflitos no trabalho ou em casa;

Sensação de insegurança;

Perda da estabilidade econômica, como ser despedido;

Morte de pessoas próximas e outras mais causas.

Podemos compreender o stress tendo duas origens: Interna: os agentes stressores originam-se na própria pessoa, pensamentos, modo de ver o mundo, nível de assertividade, ansiedade e a reação à vida. Externa: os agentes stressores originam-se no ambiente promotor de traumas, acontecimentos como morte, divórcio, entre outros.

30


-Saúde e segurança

Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do trabalhador. A Segurança do Trabalho estuda diversas disciplinas como Introdução à Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho, Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações, Psicologia na Engenharia de Segurança, Comunicação e Treinamento, Administração aplicada à Engenharia de Segurança, O Ambiente e as Doenças do Trabalho, Higiene do Trabalho, Metodologia de Pesquisa, Legislação, Normas Técnicas, Responsabilidade Civil e Criminal, Perícias, Proteção do Meio Ambiente, Ergonomia e Iluminação, Proteção contra Incêndios e Explosões e Gerência de Riscos.

-Acidente no trabalho

Acidente de trabalho é aquele que acontece no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional podendo causar morte, perda ou redução permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. Equiparam-se aos acidentes de trabalho: O acidente que acontece quando você está prestando serviços por ordem da empresa fora do local de trabalho. O acidente que acontece quando você estiver em viagem a serviço da empresa. O acidente que ocorre no trajeto entre a casa e o trabalho ou do trabalho para casa. Doença profissional (as doenças provocadas pelo tipo de trabalho). Doença do trabalho (as doenças causadas pelas condiçoes do trabalho). O acidente de trabalho deve-se principalmente a duas causas: 31


Ato Inseguro: O acidente leva os encargos com advogados, perdas de tempo e materiais e na produção. Sabem-se casos de empresas que tiveram que fechar suas portas devido à indenização por acidentes de trabalho. Com certeza seria muito mais simples investir em prevenção e em regularização da segurança nesta empresa, evitando futuras complicações legais. É o ato praticado pelo homem, em geral consciente do que está fazendo, que está contra as normas de segurança. São exemplos de atos inseguros: subir em telhado sem cinto de segurança contra quedas, ligarem tomadas de aparelhos elétricos com as mãos molhadas e dirigir em alta velocidade.

32


-Comunidade: -Estatuto do Idoso: A BUSCA DE UMA VERDADEIRA CIDADANIA AO IDOSO Sinala-se que a idade não é critério de discriminação, muito menos condição para atuação dos atos da vida, pois não torna um ser humano menos cidadão que o outro. Contudo, apesar de ser dos menos precisos, o critério cronológico é um dos mais utilizados para estabelecer o que é ser idoso, até para delimitar a população de um determinado estudo, ou para análise epidemiológica, ou com propósitos administrativos e legais voltados para desenho de políticas públicas e para o planejamento ou oferta de serviços. A experiência galgada pela vivência não se aprende e sim, se conquista. Desta forma, assegurar a dignidade aos idosos é fundamental para que seja alcançado o fim social almejado, qual seja, um verdadeiro Estado Democrático de Direito.

CONCLUSÃO Ao longo do tempo observa-se o reconhecimento da importância sobre o tópico da terceira idade uma vez que o percentual aumenta paulatinamente comparado com o número da população. Trata-se de um contingente populacional que possui experiência de vida, qualificação e potencialidade a oferecer à sociedade. A vida do idoso não se resume ao tempo de sua vivência e juventude, mas sim, perdura através do tempo. Desta forma, não são lembranças que caracterizam a

33


vida do idoso e sim, a sua vivência que se transporta através do tempo cruzando com a vida de outras pessoas, independente da idade. Neste sentido, envelhecer não significa seguir um caminho já traçado mas, pelo contrário, constitui a construção dele permanentemente. A análise profunda do exposto no presente artigo leva a uma síntese conclusiva de que envelhecer é fato da natureza e do tempo. A medicina, o progresso e a ciência encontram maneiras de prolongar a vida mas, a dignidade é algo que supera conceitos e, deste modo, envelhecer com dignidade se torna um prêmio a ser conquistado, em particular pela parceria da população quando submetida às durezas da idade provecta. A preocupação com a dignidade da pessoa humana encontra ressonância na consagração no texto constitucional e normativo, assumindo uma forma estruturante de todo o ordenamento jurídico, sendo condição de fundamento do Estado Democrático de Direito. Com o crescimento do número de pessoas idosas se tornam necessárias diversas mudanças, em especial, no aspecto social, pois numa sociedade que desvaloriza o idoso, viver sob esse estigma se torna um problema. É importante conscientizar a sociedade de que o envelhecimento compõe a dimensão física do ciclo de vida, fazendo parte integrante da vida de todos. Todos devem reconhecer que começamos a envelhecer no momento em que nascemos. O idoso, enquanto ser humano, possui diversas qualidades que podem ser tão importantes, quanto outras que vão se perdendo com o tempo. Ressalta-se que sempre se deve evitar o envelhecimento psicológico, com o apoio da família e da sociedade, a fim de auxiliar uma velhice saudável. O Estado contribui com este processo na maneira com que impõe certas normas de conduta da sociedade para com as pessoas de mais idade. Cabe à família, ao Estado e à sociedade amparar e proteger as pessoas idosas, assegurando o seu bem-estar, a sua participação na comunidade, defendendo a sua dignidade e preservando o seu direito à vida. Assim, o estatuto só transformará a realidade vivida pelo idoso quando houver a participação de todos os seguimentos da sociedade e não apenas do governo. 34


Deve-se (re)valorizar e repensar a importância, bem como o aproveitamento do idoso na sociedade com o intuito de desenvolvimento social e de lhes garantir o pleno exercício da cidadania, rompendo antigos paradigmas que menosprezam a velhice. Site: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=7723.

-A vulnerabilidade da criança e do adolescente no mundo contemporâneo

No mundo contemporâneo em que vivemos, é elementar dizer que a realidade nos mostra que por mais zelosos e cuidadosos que sejam os pais, seus filhos estão à mercê dos seres vis, que desprovidos de quaisquer sentimento de amor, ferem sem compaixão a integridade física, moral e psicológica da criança e do adolescente. Ressalte-se que a pobreza, um dos fatores que, também contribui para que muitos percorram o mundo do crime e das drogas, necessita ser tratada com certa cautela e com carinho, pois os que tem o dever de cuidado não tem se mostrado interessados com a questão. As pessoas com índole voltada para o crime, constantemente aproximam-se das crianças e dos adolescentes com o animus nocendi, o animus de corrompê-las, manipulando-as para alcançar os fins mais cruéis, que são o ingresso no mundo criminoso, das drogas e até mesmo usando-as como longa manus dos mais diversos crimes. É inquestionável que o trabalho de educar as crianças e os adolescentes, não deveria ser só obrigação da família, mas de toda a sociedade. Os pais estão sempre sem tempo, na roda viva do dia-a-dia, demonstrando total falta de interesse por aqueles que são nada mais, nada menos que a sua continuação aqui na terra. Da mesma forma, os professores nas escolas públicas, inconformados com os baixos salários, não se importam, não se preocupam, demonstrando falta de zelo ao ensinar e acabam por fazer um trabalho que na maioria das vezes deixa a desejar. O que deve ser melhorado, é o trabalho de conscientização, de interesse pelos problemas que surgem diariamente. Note-se que a sociedade também tem sua parcela de culpa, pois na maioria das vezes, as pessoas discriminam as crianças e os adolescentes que já estão envolvidos de alguma forma no mundo das drogas. É certo que a

35


discriminação começa em casa quando os pais marginalizam seus filhos, quando saem denunciando no seio da sociedade que os seus filhos estão sob o domínio das drogas, que são uns vagabundos, uns vândalos. Ao tomar conhecimento da situação, a sociedade ratifica e dá continuidade à diferenciação, agindo com preconceito, desprezando-os. Outro importante personagem é o Ministério Público, que tem o papel fundamental de defender os interesses da criança e do adolescente, atuando como sempre fez, a fim de garantir-lhes a efetivação dos direitos fundamentais, dentre eles à profissionalização. Tem, portanto, função primordial, atuando na área da Infância e Juventude, atendendo desta feita, aos preceitos constitucionais e aos preceitos contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente. A questão da criança, deve ser tratada como prioridade absoluta. É dever não só da família, mas do Estado protegê-las, mantendo-as em total segurança. Dispõe o art. 7º, XXXIII, da Carta Magna que: "proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito anos e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos". Observe-se que com a EC n. 20, de 15/12/1998, a idade mínima para o trabalho do menor saltou dos quatorze para os dezesseis anos de idade. “É dever de todos prevenir a ocorrência de ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente”. Está claro como água cristalina, que não deve sofrer maus-tratos ou qualquer tipo de violência doméstica. Não deve ser submetida ao trabalho, senão nos casos permitios na Legislação Brasileira, à vista das regras existentes em relação ao trabalho do menor. Não devem ser submetifos a abusos sexuais, nem ao trabalho escravo. Não devem sofrer abusos pelos chamados pedófilos, nem serem exploradas de nenhuma maneira. Se alguma dessas situações ocorrer e alguém tomar conhecimento, deve comunicar imediatamente as autoridades e, ao Ministério Público para que este possa defender os interesses dos menores. MAGNA R. A. PEREIRA Bacharel em Direito.

Site:

http://pt.shvoong.com/books/410838-vulnerbilidade-da-crian%C3%A7a-

adolescente-mundo/

36


C) Preparação de argumentos sólidos

-Problemas causados pela má postura dos músicos Este acontecimento surge no segmento da iniciativa pioneira em Portugal do Departamento de Comunicação e Arte em lecionar a disciplina de Música e Medicina, integrada no Mestrado de Música, onde são abordados os diversos problemas médicos dos músicos e respectivas estratégias preventivas e de terapêutica, e da recente criação da APMAE. É assim o resultado de um conjunto de sinergias que se foram estabelecendo ao longo deste ano para criar e fortificar em Portugal o que já existe em outros países da Europa (como na Inglaterra e na Alemanha), e também no que já existe paralelamente noutras áreas como o Desporto: uma preocupação em zelar pelo bem-estar físico e psicológico nas artes performativas e em contribuir para a otimização da performance artística, neste caso particular, na música.

De fato, o músico é um “atleta emocional de alta competição” no processamento e execução de informação contida na partitura, não só do ponto de vista técnico da prática do instrumento (dedicando horas de estudo ao aperfeiçoamento esperado), mas também dos pontos de vista interpretativo e musical (correspondendo aos ideais do compositor e às expectativas da massa crítica), emocional (conquistando um público cada vez mais exigente) e criativo (desenvolvendo a sua marca pessoal que o distinguirá de outros intérpretes e o tornará único no panorama musical). Neste contexto, é fácil compreender que

37


as pressões quer físicas quer mentais a que um músico está constantemente sujeito, possam interferir com a sua saúde e bem-estar, e, consequentemente, com a qualidade da sua performance. Os problemas podem ser de tendinites até a Ler, ou problemas na postura.

http://www.cienciahoje.pt/index.php

Projeto:

Embasados em uma frase construída na sociedade, sobretudo pra música “Sem dor não há sucesso!”. Embora muitos achem esta frase normal, e que a habilidade e a dedicação compensam o fato de certas limitações em função da dor ocorrerem, este pode ser o momento em que o músico mais se prejudica. Vimos que o problema além de tudo é motivacional. Na maior parte dos casos, as lesões advêm de uma ação instrumental fundamentada na repetição inconsciente. Em tais situações, houve, portanto, uma prática pedagógica que necessita ser reavaliada, tanto por parte dos instrumentistas quanto dos profissionais que os orientam. Independentemente das causas associativas, não há como ignorar o fato de que as LER precisam ser prevenidas, visto que o número de músicos, em especial pianistas, com problemas de tendinite no Brasil, é significativo. Surge, portanto, a necessidade de que instrumentistas (re)adaptem as estruturas anatômicas mais utilizadas na execução instrumental, através de práticas que fortaleçam e habilitem a musculatura para tal trabalho. Dessa forma, será possível obter uma conseqüente otimização dos resultados durante a ação instrumental e prevenir o surgimento de lesões. Este trabalho propõe que músicos adquiram ou ampliem sua consciência corporal a fim de que possam identificar o início de possíveis lesões. Para tanto, apresentaremos de forma simples e direta o funcionamento anatômico-mecânico de articulações e musculaturas mais utilizadas no manuseio de instrumentos musicais, e serão propostos exercícios físicos simples para prevenção das lesões mais comuns.

38


A idéia seria, reeducar os músicos sobre a postura enquanto usa seus instrumentos, além de educar sobre os descansos necessários para um boa performance. No Brasil, o número de instrumentistas que sofrem com lesões por esforços repetitivos (LER) é significativo. Foi o crescente interesse em se tentar minimizar a freqüência com que algumas lesões se manifestam em instrumentistas que originou esta pesquisa. Em uma linguagem simples, são apresentadas as estruturas anatômicas básicas envolvidas na ação instrumental, e as lesões mais comuns que acometem essas estruturas. Também são apresentadas propostas para prevenir essas lesões, a partir de atividades complementares e exercícios físicos que visam explicitar a inter-relação e reunião das estruturas anatômicas envolvidas na execução instrumental. Essas atividades complementares e exercícios fundamentam-se em movimentos expressivos, oferecendo aos instrumentistas um momento para aprimorar ou adquirir uma consciência corporal. Esta idéia situa-se numa perspectiva de reeducação na postura diferente da mera visão estética e redutora de conservação dos estilos musicais, contempla de forma articulada o desenvolvimento econômico a longo prazo e a preocupação com a saúde e bem estar dos músicos. Ou seja, nossa proposta é a melhoria na qualidade de vida dos músicos, impulsionar o mercado não deixando que os clientes de longo prazo contraiam os problemas e deixem de freqüentar a loja e a escola, reeducar e conscientizar sobre os problemas que podem aparecer. A etapa inicial seria motivar e conscientizar os professores que trabalham na empresa, sobre a importância do Projeto, mostrando o valor que eles têm pra empresa, e mostrar que a empresa se preocupa com eles e com os apaixonados pela música (os que atuam na música, por esporte ou profissão). Incentivar os Professores a participarem de fato do projeto mostrando a importância e a abrangência. A Música é algo apaixonante e está presente na vida de todos, os professores da Sound Center, sentirão honrados e motivados pelo foco do projeto.

39


Estimular a auto-observação é muito importante. Saber sentir e analisar o próprio corpo não é tarefa fácil. Porém, pode ser alcançada mediante dedicação e treino. Quando realmente há interesse em aprimorar a consciência corporal, torna-se possível estabelecer relações entre os movimentos e a estrutura física de cada indivíduo. O Projeto Contará com Parceiros como professores de Educação Física, Ortopedistas e Fisioterapeutas, onde não haverá custos, pois, serão parceiros na reeducação de postura, e conscientização. São inúmeros os benefícios de um projeto assim, como a melhoria de vida dos músicos em questão de bem estar, melhoria na saúde física, e consequentemente na saúde mental. A Principio os investimentos não seriam grandes, pois, não se trata de criação de novos produtos ou coisas materiais, e sim em uma reeducação. O Projeto é a longo prazo, primeiramente começaríamos na própria empresa, com os clientes e alunos, passando para as escolas de músicas, orquestras públicas e fanfarras de escolas municipais e públicas, banda da policia militar, tiro de guerra e bombeiro. Existem alguns riscos, referente à reeducação da postura, como a perda da identidade cultural da música, alterando a postura seu jeito de tocar e de se expressar, pode acabar limitando o músico de soltar suas expressões, o risco maior é a perda da identidade cultural do grupo, ou do estilo musical. O impacto na sociedade local, com um tipo de projeto assim é grande, pois, a reeducação, a educação e a conscientização, pode ser apreendida por qualquer um e repassada por qualquer um para as outras pessoas, os músicos apreenderam as formas corretas de tocar, e o modo correto de tocar, pra não causar nenhuma lesão, fortalece os grupos de referencia (Músicos ) na sociedade. Os líderes de referencias primeiramente serão os professores, eles deverão formar opinião, e propagar o aprendizado, passando assim para os lideres de opinião, depois para os alunos. Por se tratar de um problema de fato vivido por muitos na cidade, e no país concluímos que sem dúvida, é um projeto que tem a cara da empresa, existe a necessidade na cidade, e está ao alcance da empresa. Entretanto, o Numero de funcionário é bem reduzido, consiste em 1 funcionário e 2 professores de Música, é interessante para a empresa e para os professores 40


educar os alunos e reeducar sobre a importância de uma postura adequada na música, aumentando a longevidade da pratica do instrumento.

Em

Uberaba não existe nenhum projeto semelhante a este, este estudo começou em Portugal e Hoje é um tema emergente de gestão. - Projeto Inovador; - Existe de fato o problema e a necessidade de se fazer algo; - Quem é músico é apaixonado pelo que faz, e se preocupa com sua saúde; No cenário atual, o maior desafio das organizações enquanto projetos de responsabilidade social consiste em transformar as pessoas no “segredo do sucesso”, ou seja, é preciso desenvolvê-las e estimulá-las a fim de que sejam capazes de assegurar os resultados organizacionais do Projeto. Além de atrair e desenvolver, é preciso reter os talentos, investindo em treinamentos, cursos, incentivando-os a ser criativos, sem perder a identidade cultural do músico, usando corretamente o que foi aprendido com os profissionais da saúde, além disso, é imprescindível proporcionar desafios aos indivíduos, uma vez que os mesmos, muitas vezes, são estimulados através destes; grande parte deles só permanece nas organizações que lhes propiciam desafios. Diante dessas constatações, pode-se afirmar que o desenvolvimento de talentos já não é mais uma diferenciação e sim uma questão de sobrevivência organizacional em Responsabilidade Social. Cabe, portanto, nós e a empresa, o planejamento do caminho a seguir para obter o sucesso e, aos indivíduos, tornarem-se atrativos aos olhos daquelas. Como o projeto é a longo prazo, o aumento dos lucros da empresa fica evidente, pois, o que poderia ser uma ameaça, acaba neutralizando este problema, pois, se chegasse a haver o problema nas pessoas, certamente, deixaria de lado a música. A população de Uberaba é conhecida por muitos pela hospitalidade e gentilezas além de ser uma cidade destacada também pelo voluntariado, ou seja, certamente terá um apoio local dos profissionais da saúde, sendo que muitos também estão inclusos neste segmento da música. Pontos Importantes - A principio não terá custos; - Longo Prazo;

41


- Risco de perda de identidade; -Contará com Profissionais da saúde (Fisioterapeutas, Ortopedistas etc...); - Existe a necessidade; - Existe o Problema na Região; - Não existem projetos com o mesmo foco; - Uberaba é uma cidade forte na música; - Haverá a Possibilidade de incluir estratégias voltadas somente ao bem Estar, como a musicoterapia; - Haverá também a possibilidade de trabalhar paralelamente a musicoterapia aos surdos, uma vez que também é uma carência na cidade de Uberaba, e existe de fato a necessidade. Benefícios para a Cultura, sociedade e indivíduos: São Inúmeros os benefícios de tal projeto, a reeducação evitará problemas a longo prazo, problemas musculares, desvios de coluna entre outros. Com isso os grupos culturais podem ter melhores desempenhos, maior longevidade na pratica da musica.

A partir da pesquisa realizada no núcleo de fisioterapia da Universidade de Uberaba, campus centro, existe casos confirmados de LER. A maior dificuldade de encontrar dados concretos vem do preconceito que o musico tem de sua profissão colocando está função de musico em segundo plano, e preenchendo a ficha médica com outras funções que desempenha no dia a dia. Muito dos profissionais não se dão conta da gravidade que os esforços repetitivos podem causar para a saúde física. Um dos casos confirmados foi o de Diego César Viera de Souza, que desenvolveu a doença em sua mão esquerda onde segura seu instrumento musical o “baixo” em seu prontuário colocou a profissão que exerce atualmente de vidraceiro e não sua outra profissão de músico. O mesmo teve que realizar sessões de fisioterapia por dois anos para voltar os movimentos de sua mão.

42


Entrevista sobre um caso de LER causado pelos instrumentos musicais.

Antônio Salvador Lubianchi, 68 anos – músico e professor de violão. ‘’Começou a tocar violão logo na infância, quando se apaixonou pelo instrumento ao ver seus tios tocarem em reuniões familiares. Interessou-se em aprender a tocar e passou boa parte de sua infância e adolescência aperfeiçoando suas habilidades e técnicas. Cada nova musica era um desafio diferente, e sempre queria saber mais e mais. Seus amigos sempre o convidavam para animar as festas nas datas comemorativas. Começou então a tocar em bares nos fins de semana quando tinha folgas do serviço de entregador numa mercearia. Ao longo do tempo ele pegou domínio do instrumento e começou a gostar de ser procurado pelo seu talento.Deixou seu trabalho na mercearia e se propôs a dedicar aos shows noturnos. Achava tudo aquilo maravilhoso e não tinha a mínima preocupação com algum tipo de lesão que poderia acontecer. Com o passar dos anos e a pratica constante de tocar o violão, começou a sentir dores na mão e movimentos involuntários. Mesmo assim, continuou tocando, mas com intervalos maiores entre as suas apresentações. Procurou um medico e constatou que ele sofria de tendinite, que é uma inflamação nos tendões. O medico o aconselhou a parar de tocar, para que a lesão não evoluísse para uma dor crônica. Sua carreira terminou a cerca de 20 anos, mais não ficou por aí. Hoje ele ministra aulas de violão em sua residência, toca por diversão e sempre tem um cuidado especial para que ele não sinta dores, faz alongamentos antes e depois de tocar e quando necessário coloca bolsas de gelo sobre a mão para que possa aliviar ou prevenir dores.’’

43


A BUSCA DE UMA VERDADEIRA CIDADANIA AO IDOSO

Sinala-se que a idade não é critério de discriminação, muito menos condição para atuação dos atos da vida, pois não torna um ser humano menos cidadão que o outro. Contudo, apesar de ser dos menos precisos, o critério cronológico é um dos mais utilizados para estabelecer o que é ser idoso, até para delimitar a população de um determinado estudo, ou para análise epidemiológica, ou com propósitos administrativos e legais voltados para desenho de políticas públicas e para o planejamento ou oferta de serviços. A experiência galgada pela vivência não se aprende e sim, se conquista. Desta forma, assegurar a dignidade aos idosos é fundamental para que seja alcançado o fim social almejado, qual seja, um verdadeiro Estado Democrático de Direito. Os idosos sofrem maus tratos que fere o direito humano e o estatuto do idoso. CONCLUSÃO Ao longo do tempo observa-se o reconhecimento da importância sobre o tópico da terceira idade uma vez que o percentual aumenta paulatinamente comparado com o número da população. Trata-se de um contingente populacional que possui experiência de vida, qualificação e potencialidade à oferecer à sociedade. A vida do idoso não se resume ao tempo de sua vivência e juventude mas, sim, perdura através do tempo. Desta forma, não são lembranças que caracterizam a vida do idoso e sim, a sua vivência que se transporta através do tempo cruzando com a vida de outras pessoas, independente da idade. Neste sentido, envelhecer

44


não significa seguir um caminho já traçado mas, pelo contrário, constitui a construção dele permanentemente. A análise profunda do exposto no presente artigo leva a uma síntese conclusiva de que envelhecer é fato da natureza e do tempo. A medicina, o progresso e a ciência encontram maneiras de prolongar a vida mas, a dignidade é algo que supera conceitos e, deste modo, envelhecer com dignidade se torna um prêmio a ser conquistado, em particular pela parceria da população quando submetida às durezas da idade provecta. A preocupação com a dignidade da pessoa humana encontra ressonância na consagração no texto constitucional e normativo, assumindo uma forma estruturante de todo o ordenamento jurídico, sendo condição de fundamento do Estado Democrático de Direito. Com o crescimento do número de pessoas idosas se tornam necessárias diversas mudanças, em especial, no aspecto social, pois numa sociedade que desvaloriza o idoso, viver sob esse estigma se torna um problema. É importante conscientizar a sociedade de que o envelhecimento compõe a dimensão física do ciclo de vida, fazendo parte integrante da vida de todos. Todos devem reconhecer que começamos a envelhecer no momento em que nascemos. O idoso, enquanto ser humano, possui diversas qualidades que podem ser tão importantes, quanto outras que vão se perdendo com o tempo. Ressalta-se que sempre se deve evitar o envelhecimento psicológico, com o apoio da família e da sociedade, a fim de auxiliar uma velhice saudável. O Estado contribui com este processo na maneira com que impõe certas normas de conduta da sociedade para com as pessoas de mais idade. Cabe à família, ao Estado e à sociedade amparar e proteger as pessoas idosas, assegurando o seu bem-estar, a sua participação na comunidade, defendendo a sua dignidade e preservando o seu direito à vida. Assim, o estatuto só transformará a realidade vivida pelo idoso quando houver a participação de todos os seguimentos da sociedade e não apenas do governo. Deve-se (re)valorizar e repensar a importância, bem como o aproveitamento do idoso na sociedade com o intuito de desenvolvimento social e de lhes garantir o 45


pleno exercício da cidadania, rompendo antigos paradigmas que menosprezam a velhice. Site: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=7723.

Projeto:

A

Sociedade

Cada

vez

mais,

busca

formas

de

retardar

o

envelhecimento. Muitas vezes elas tentam impedir o envelhecimento, buscam formas de rejuvenescer e quando chegam a terceira idade são discriminados pela sociedade, muitos acreditam que idosos só servem para gerar gastos e despesas a sociedade, outros acreditam que seja a melhor fase da vida, é fato que existe a discriminação

os abusos com os idosos, e muitos friamente

silenciados pelos agressores ou pessoas que as excluem, este é o panorama geral, na cidade de Uberaba, os idosos recebem atenção merecida, existem grupos de apoio aos idosos, existem grupos que recebem os idosos e os inserem na Sociedade, na música, na arte, na vida, o Maior exemplo na cidade de Uberaba e o UAI. Hoje temos o estatuto do Idoso que os protege, a Cidade de Uberaba é uma cidade tradicionalista que mantém em sua grande maioria o fator cultural, que passa de geração em geração, que é o respeito aos idosos, as pessoas em geral. A princípio a idéia seria o resgate cultural, e a motivação na vida aos idosos, pois, muitos acreditam que esta etapa da vida, seja inútil, ou não tenha importância, nosso projeto seria trazer de volta a alegria aos idosos, através da cultura, da música e da arte. Contaria com os músicos, alunos e professores da escola, com algumas escolas de artes, e familiares dispostos a participar da interação, que saibam algum tipo de arte, tecer, costurar, bordar, cozinhar etc... Os gastos serão bem reduzidos, haverá gastos apenas com os materiais gastos, tela de pintura, linhas, agulhas, instrumentos, em contrapartida estas

46


criações artísticas, seriam vendidas assim, dando continuidade ao projeto, o projeto é a longo prazo. Uberaba tem uma grande população de idosos, segundo o IBGE Uberaba tem aproximadamente 32 mil habitantes acima de 60 anos. Porem, por se tratar de um projeto que não depende apenas do esforço da empresa, e sim de vários parceiros, talvez possa inviabilizar o processo ou atrasar etapas, ou não dando continuidade ao projeto em si, outro fator é que a cidade de Uberaba pelo fator cultural, social e legislativo trata os idosos e atende as necessidades de forma ética e responsável. Ou seja, existe e muito a necessidade de ter um olhar na sociedade mais carente de Uberaba, sobretudo os jovens, mas foge a principio do perfil e das forças da empresa, pois haveria um esforço maior do que a empresa estaria disposta a ter, ou que conseguiria ter.

-A VULNERBILIDADE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

No mundo contemporâneo em que vivemos, é elementar dizer que a realidade nos mostra que por mais zelosos e cuidadosos que sejam os pais, seus filhos estão à mercê dos seres vis, que desprovidos de quaisquer sentimento de amor, ferem sem compaixão a integridade física, moral e psicológica da criança e do adolescente. Ressalte-se que a pobreza, um dos fatores que, também contribui para que muitos percorram o mundo do crime e das drogas, necessita ser tratada com certa cautela e com carinho, pois os que tem o dever de cuidado não tem se mostrado interessados com a questão. As pessoas com índole voltada para o crime, constantemente aproximam-se das crianças e dos adolescentes com o animus nocendi, o animus de corrompê-las, manipulando-as para alcançar os fins mais cruéis, que são o ingresso no mundo criminoso, das drogas e até mesmo usando-as como longa manus dos mais diversos crimes. É inquestionável que o trabalho de educar as crianças e os adolescentes, não deveria ser só obrigação da família, mas de toda a sociedade. Os pais estão sempre sem tempo, na roda viva do dia-a-dia, demonstrando total falta de interesse por aqueles que são nada mais, nada

47


menos que a sua continuação aqui na terra. Da mesma forma, os professores nas escolas públicas, inconformados com os baixos salários, não se importam, não se preocupam, demonstrando falta de zelo ao ensinar e acabam por fazer um trabalho que na maioria das vezes deixa a desejar. O que deve ser melhorado, é o trabalho de conscientização, de interesse pelos problemas que surgem diariamente. Note-se que a sociedade também tem sua parcela de culpa, pois na maioria das vezes, as pessoas discriminam as crianças e os adolescentes que já estão envolvidos de alguma forma no mundo das drogas. É certo que a discriminação começa em casa quando os pais marginalizam seus filhos, quando saem denunciando no seio da sociedade que os seus filhos estão sob o domínio das drogas, que são uns vagabundos, uns vândalos. Ao tomar conhecimento da situação, a sociedade ratifica e dá continuidade à diferenciação, agindo com preconceito, desprezando-os.

Projeto:

A questão dos jovens na sociedade cada vez mais se torna um problema, que

agrava

e

preocupa a todos,

sobretudo, as

gestões

governamentais do Estado, do País e das cidades, e muitas vezes é dada pelos fatores econômicos e de oportunidade, levando em conta o preconceito que ainda existe. Muitas vezes o caminho dos jovens são as drogas, a prostituição ou até mesmo a violência. Nossa idéia era incluir os jovens e crianças na sociedade através da música, espelhados em vários projetos de sucesso, como o Olodum. O Poder da música na sociedade é fantástico, incluiríamos as crianças e jovens, criando grupos musicais, orquestras, bandas, duplas, com o intuito de inseri-los na sociedade, mas com uma ressalva, eles teriam oportunidades de aprender, caso estejam na escola, assim, além de se tornarem cidadãos, seriam mantidos na escola. A princípio, os gastos seriam pequenos, local para ensinar os jovens, e instrumentos para serem usados pelos jovens e crianças. Identificaríamos lideres nos jovens assim, buscando formar opinião pela

48


importância de estudar. O projeto teria uma abrangência menor, com crianças e jovens situadas no Bairro Ozanã, pois, o índice de pobreza é grande, e de marginalidade também, assim podendo expandir para outras regiões tornando o projeto em toda cidade de Uberaba. Os riscos ficam por conta, da aceitação das crianças e jovens, muitos são obrigados a trabalhar, ou preferem a vida fácil no caminho das drogas, as famílias podem impedir a ida uma vez que o adolescente pode ser o individuo que sustenta a casa, ou seja, o problema é de maior amplitude, além de cultural e social, leva muito em conta o problema econômico, o fator que pesa mais na balança. Em Uberaba existem aproximadamente 15000 crianças e adolescentes na linha da pobreza, com rendimento por família menor que um salário mínimo. O projeto contaria com o apoio dos professores, formando os alunos tendo em vista que alguns alunos formados dêem continuidade ao projeto. É um projeto a longo prazo.

D) Capitalização de oportunidades

Universo Músicos da cidade de Uberaba a partir de 15 anos de ambos os sexos.

Amostragem 38 Músicos entre hobbistas, alunos, professores e amadores.

Resultados Específicos 38 Músicos.

26,3% (10 entrevistados ) são mulheres *Faixa Etária: Sendo que 50% das entrevistadas estão na Faixa Etária de 15 a 25 anos

49


*Aceitação e Interesse no Projeto: 100% das entrevistadas Aprovam e Interessam pelo projeto.

*Classe: 50% das entrevistadas são Hobbistas, 40% Alunas e 10% toca em bares e eventos. (Existem poucas professoras de música) Classe

10%

50% 40%

Hobbistas

Alunas

Tocam em bares e eventos

*Instrumentos: 40% tocam instrumentos de cordas, 30% tocam instrumentos de teclas 20% percussão e 10% apenas cantam.

10% 20%

40%

30%

Cordas

Teclas

Percurssão

Voz

50


*Atenção a boa postura ao tocar o instrumento: 60% das Mulheres não prestam atenção na postura ao praticar a música

* Conhecimento sobre os riscos causados em relação à má postura e esforço repetitivo: 60% das mulheres não têm conhecimento de que a má postura possa causar problemas. Apenas 40% das entrevistadas têm conhecimento de que a má postura possa causar problemas.

40%

60%

Mulheres que não tem conhecimento de que a má postura possa causar problemas Entrevistadas que tem conhecimento de que a má postura possa causar problemas.

* Dores e desconforto ao praticar o instrumento: 70% das Mulheres sentem dores enquanto toca o Instrumento

* Atitude para que a dor passe: -57% das mulheres que sentem dores e não tomam nenhuma atitude para que a dor passe. -43% das mulheres que sentem dores e tomam atitudes para que a dor passe.

51


Atitude para que a dor passe (M ulheres)

43%

57%

Mulheres que sentem dores e não tomam nenhuma atitude para que a dor passe das mulheres que sentem dores e tomam atitudes para que a dor passe

Apenas 33% Procuram especialistas para que o problema se resolva, 67% Deixam de tocar por algum tempo. Atitude para que a dor passe (M ulheres)

33%

67%

Procuram especialistas para que o problema se resolva

Deixam de tocar por algum tempo

73,7% (28 entrevistados) são homens *Faixa Etária: Sendo que 50% dos entrevistados estão na Faixa Etária de 15 a 25 anos * Aceitação e Interesse no projeto: 85% dos entrevistados Aprovam e Interessam pelo projeto. *Classe:

52


57% são alunos e Hobbistas, 17,8% são professores e 25,2% tocam em bares e eventos. Classe (Homens)

25%

57% 18%

Alunos e Hobbistas

Professores

Tocam em Bares e eventos

*Instrumentos: 71% Toca Instrumentos de cordas, 10% toca somente Percussão e 19% tocam mais de 1 Instrumento. Instrumentos (Homens)

19%

10%

71%

Cordas

Percussão

Mais de um instrumento

*Atenção a boa Postura ao tocar o instrumento: 35% dos Homens não prestam atenção na postura ao praticar a música. (Os homens são mais atentos do que as mulheres em relação à postura ao tocar instrumento).

53


* Conhecimento sobre os riscos causados em relação a Má Postura e esforço repetitivo: 92% têm conhecimento de que a má postura possa causar problemas Apenas 8% dos entrevistados desconhecem os riscos (Diferentemente das Mulheres, os Homens em sua maioria conhecem e reconhecem que a Má postura possa causar problemas. Essa diferença entre homens e mulheres está em torno de 50% a mais de conhecimento aos homens sobre o assunto).

Conhecimento sobre os riscos causados em relação a Má Postura e esforço repetitivo (Homens)

8%

92%

Tem conhecimento de que a má postura possa causar problemas

Desconhecem os riscos

* Dores e Desconforto ao Praticar o Instrumento: 89% dos homens sentem dores enquanto toca o Instrumento (Assim Como as Mulheres, os homens também em sua maioria sentem algum tipo de dor ou desconforto enquanto toca instrumentos). O local da dor depende muito do instrumento. A maioria dos músicos que tocam instrumentos de percussão, sentem dores nos braços e nas mãos, os de corda a maioria musculares, mãos e costas.

* Atitude para que a dor passe: -36% dos homens que sentem dores e não tomam nenhuma atitude para que a dor passe.

54


(Os Homens ao contrário das mulheres, em sua maioria procuram algum tipo de tratamento).

-64% dos homens que sentem dores e tomam atitudes para que a dor passe.

Atitude para que a dor passe (Homens)

36%

64%

homens que sentem dores e não tomam nenhuma atitude para que a dor passe homens que sentem dores e tomam atitudes para que a dor passe

Apenas 6% procuram especialistas para que o problema se resolva, 6% deixam de tocar por algum tempo, 18% tomam remédio para que a dor passe, e 70% faz algum tipo de exercício. (Diferente das mulheres, os homens praticam algum tipo de exercícios, como o alongamento para tratar o problema, as mulheres em sua maioria param de tocar por algum tempo, até que a dor amenize).

6%

6% 18%

70%

Procuram especialistas para que o problema se resolva Deixam de tocar por algum tempo Tomam remédio para que a dor passe Fazem algum tipo de exercício

55


Resultado geral sem descrição de Sexo 38 Entrevistados. 26,3% (10 entrevistados) são mulheres. 73,7% (28 entrevistados) são homens. Resultado geral

26%

74%

Mulheres

Homens

*Faixa Etária: Sendo que 63% dos entrevistados estão na Faixa Etária de 15 a 25 anos.

*Aceitação e Interesse no Projeto: 89,9% das entrevistadas aprovam e se interessam pelo projeto. 1- Em qual dessas classes de musica você está inserido?

(14%) professor. (51,1%) hobbista. (11,6%) aluno.

56


(23,3%) toca em bares e eventos.

Em qual dessas classes de musica você está inserido?

14%

23%

12% 51%

Professor

Hobbista

Aluno

Toca em bares e eventos

2- Qual ou quais instrumentos você toca?

(65%) Cordas. (18,1%) Percussão. (16%) Teclas. (0,9%) Sopro. Qual ou quais instrumentos você toca?

1%

16%

18% 65%

Cordas

Percussão

Teclas

Sopro

57


3- Você presta atenção em sua postura e nos movimentos que faz enquanto toca o instrumento?

(55%) Sim. (45% )Não. Você presta atenção em sua postura e nos movimentos que faz enquanto toca o instrumento?

45%

55%

Sim

Não

3.1 Já parou para pensar que uma postura incorreta e movimentos mal realizados e repetitivos podem causar pode causar dores no corpo, tendinite e L.E.R. ?

(76,4%) Sim. (23,6%) Não.

58


Já parou para pensar que uma postura incorreta e movimentos mal realizados e repetitivos podem causar pode causar dores no corpo, tendinite e L.E.R. ?

24%

76%

Sim

Não

4- Você já sentiu algum tipo de desconforto enquanto toca o instrumento?

(84,3%) Sim. (15,7%) Não.

Você já sentiu algum tipo de desconforto enquanto toca o instrumento?

16%

84%

Sim

Não

4.1 Se sim, quais ou qual? (26%) dor nas costas. (20%) dor nas mãos. 59


(18%) dor nos braços. (5%) dor de cabeça. (11%) dor no pescoço. (9%) dores musculares. (9%) dor nas pernas. Outros: Pulso, Ombros (2%) Se sim, quais ou qual?

9%

2% 26%

9%

11% 5%

20% 18%

Dor nas costas

Dor nas mãos

Dor nos braços

Dor de cabeça

Dor no pescoço

Dores musculares

Dor nas pernas

Outros: pulso e ombro

Toma alguma atitude para que essas dores passem? (59,5%) Sim. (40,5%) Não.

60


Toma alguma atitude para que essas dores passem?

41%

59%

Sim

Não

5.1 Se sim, qual?

(15,7) Toma remédio. (15,7%) Deixa de tocar. (10,5%) Procura um medico. (47,6%) Faz algum exercício. (10,5%) Outros... Se sim, qual?

11%

15%

16%

47%

Toma remédio

11%

Deixa de tocar

Procura um médico

Faz algum exercício

Outros

61


5- Você se interessaria por algum projeto que tivesse como proposta ações que promovessem a saúde e o bem estar dos músicos?

(89,9%) Sim. (9,1%) Não.

Você se interessaria por algum projeto que tivesse como proposta ações que promovessem a saúde e o bem estar dos músicos?

9%

91%

Sim

Não

A aceitação do Projeto foi grandiosa, mais de 90%. Podemos perceber que por um fator cultural as mulheres preferem instrumentos de teclas, ao contrário dos homens que preferem percussão ou cordas. As mulheres são menos atentas aos problemas que a má postura possa causar e se policiam menos ao praticar alguns instrumentos, e quando sentem dores pelo esforço, a maioria não procura ou toma alguma atitude para que possa melhorar o desconforto. Já os homens se atentam mais a sua postura e conhecem mais sobre os problemas causados pelo esforço repetitivo e a má postura, e 70% dos que tomam alguma atitude, praticam exercícios para que a dor diminua. Ou seja, a mulher desconhece os problemas que possam aparecer pela prática do instrumento e má postura, e quando sentem desconforto não tomam providências necessárias para amenizar o problema, justamente pela falta de conhecimento.

62


E) Impactos sociais Os impactos que a empresa exerce na cidade de Uberaba são relativamente pequenos, não tem grande força na economia e comunidade local.

Âmbito operacional:

No âmbito empresarial está diretamente relacionado com os princípios e valores que são genuinamente cultivados na conjuntura organizacional no qual são consideradas suas ações na área educacional. A empresa forma pouquíssimos professores de música, onde esses que se formam na empresa levam a música como profissão secundária e raramente algum leva como fonte de renda primaria, já alguns alunos de música ou canto e os clientes que compram instrumentos, seguem a carreira profissional, mas também raramente leva como fonte de renda primária. Assim criando um sistema de negócio, gerando renda e entretenimento. Os instrumentos comercializados lá, não têm impacto direto no desenvolvimento tecnológico

por

ele

apenas

revender

estes

produtos.

Os

produtos

comercializados na Sound Center, são produtos padrões vendidos em qualquer região do Brasil, as marcas mais conhecidas de instrumentos musicais, ou seja, os produtos são atribuídos ao valor da marca e tem um amparo em caso de algum defeito, pois, a própria loja fornece o serviço de manutenção. A empresa é filiada a uma associação de estudantes de minas a AME ‘Associação Mineira de Estudantes’ onde todo aluno de música recebe sua carteirinha da associação tendo direito a descontos em lojas filiadas.

Investimento social

A empresa pratica ações de filantropia e assistencialismo para algumas instituições, seu maior esforço é com a Creche Nª Senhora do Desterro, onde além da doação em dinheiro, ele doa esporadicamente e dependendo da

63


necessidade da instituição, aparelhos eletrônicos, brinquedos, utensílios domésticos, além de promover ações voltadas para datas comemorativas, como dia das crianças, natal. Ajuda também, porém com menor freqüência instituições como a APAE e Instituto dos Cegos, além de praticar ajudas a hospitais que a procuram.

Políticas públicas:

A Sound Center não designa certo tipo de orientação para a tomada de decisões em assuntos públicos, políticos ou coletivos, esta orientação é quase nula. O conjunto de ações coletivas voltadas para a garantia dos direitos sociais, configurando um compromisso público que visa dar conta de determinada demanda, este conjunto de ação é tomado pela preocupação do empresario na saúde dos músicos, pois, quando ele detecta uma possivel pré disposição do aluno em relação a LER, ele usa alguns equipamentos de segurança que aumenta a proteção contra o problema, já com os alunos de canto, eles passam por avaliação de um fonaudiologo, para ser avaliação com o intuito de aprovar ou reprovar as condições do aluno a cantar ou não, evitando problemas nas cordas vocais. Como o Marcelo, proprietario da empresa, está no mercado a mais de 20 anos, e se tornou uma pessoa influente no meio musical de Uberaba, ele pode exercer uma influencia na secretaria de cultura e lazer da cidade, ou até mesmo, fazendo parte da secretaria. Mas no momento atua, não exerce nenhuma influencia em setores governamentais especificos.

64


4 - PLANEJAMENTO TÁTICO O inicio do projeto é dia 11 (segunda feira) em janeiro de 2010

O tema ‘Projeto Musicorporal’ foi escolhido, pois, com base nos dados científicos pesquisados com o tipo de serviço, é um nome apropriado e de fácil absorção do público alvo e que vai ao encontro do problema. Nosso intuito é disseminar primeiramente com os clientes da loja, sobretudo os alunos, e expandir para alguns eventos musicais, além de envolver os stakeholders divulgando estrategicamente o projeto e seus benefícios. Disseminar também entre os líderes de opinião como professores, líderes de bandas etc. Mostrar a importância da consciência corporal, ao bom desempenho dos músicos e sua longevidade na prática do instrumento. A Responsabilidade Social começa na própria empresa, na busca contínua do bem-estar de seus funcionários e professores, aplicando as ações de saúde e bem estar em primeiro momento internamente, pois, eles estão propícios ao problema. A empresa está inserida na sociedade, e de certa forma propiciando a origem do problema, por vender instrumentos e dar aulas, isso resulta na existência de uma relação de cuidados com a sociedade e a classe dos músicos. O projeto será acíclico e a médio prazo, onde o foco é impactar a comunidade de músicos, porém, ter um cuidado especial sobretudo com os professores de música, pois, eles irão implantar a consciência nos alunos nas suas aulas, ou seja, o projeto visa a melhoria de vida voltada para saúde e bem estar para os músicos, mas, com foco nos professores. O projeto em si é a médio prazo, em sua execução até a fase da avaliação, mas ele é acíclico e sustentável sendo que a conscientização e reeducação serão constantes na escola e nos parceiros. Todas as aulas nas escolas do conservatório e na da Sound Center terão um intervalo de 5 minutos para a prática dos exercícios criando e gerando hábito dos alongamentos e da postura correta para evitar o problema.

65


-Metodologia Início do projeto será em 11 de janeiro de 2010 – Segunda feira, e a fase de avaliação do projeto é entre Agosto e Setembro. O projeto utiliza metodologia participativa como estratégia para conscientização e educação dos problemas e exercícios preventivos de modo a sistematizar a interação entre os atores sociais para a definição das resoluções dos problemas sociais. Em todas as aulas da loja e do Conservatório o aluno terá 5 minutos para fazer os exercícios de alongamento e relaxamento mediante o auxílio do professor. A participação e a organização dos agentes da comunidade e empresarial é condição necessária. É necessário criar condições de gestão social compartilhada (fóruns, conselhos etc) para ter um feedback além da mensuração dos resultados. A Plataforma Tecnológica de divulgação e de mensuração do projeto será feita através de um blog e uma comunidade no orkut (site de relacionamento). Os envolvidos no projeto, comunidade, alunos e professores poderão utilizar as funcionalidades instaladas no blog e na comunidade tais como fórum, enquetes, perguntas etc.

Objetivos Específicos do projeto:

De modo mais específico, o projeto se propõe a ensinar e reeducar os músicos sobre os problemas causados pela má postura e esforço repetitivo:

• Informar, conscientizar e educar os professores da Sound Center perante o problema;

66


• Informar, conscientizar e educar os alunos da Sound Center perante o problema;

• Informar, conscientizar e educar os professores do conservatório perante o problema;

• Informar, conscientizar e educar os alunos do conservatório perante o problema;

• Informar, conscientizar e educar os músicos do evento Sexta’n’Roll na universidade de Uberaba;

• Informar, conscientizar e educar o público do evento Sexta’n’Roll na universidade de Uberaba;

O projeto terá duas fases práticas, e uma fase de avaliação.

*A primeira fase é de informação; Mostrar os problemas causados pela má postura e pelo esforço repetitivo para a classe dos músicos e para a comunidade, afim, de gerar consciência e auto avaliação.

*A segunda fase é de ensinamentos e reeducação; Reeducar os músicos sobre sua postura na prática do instrumento e ensinar os exercícios básicos de prevenção dos problemas.

* A fase de avaliação Cadastraremos no início, os músicos que farão parte do projeto, para avaliar suas condições e saber se já sofreram com algum tipo de problema, e assim que implantar os procedimento faremos uma pesquisa de avaliação dos resultados práticos, para saber se houve melhoria e diminuição nos desconfortos e dores causados pela má postura e esforço repetitivo.

67


Portanto, no primeiro momento geramos consciência de que o problema existe, e no segundo momento mostramos como deve ser feito para a prevenção e melhoria da postura. E, na avaliação, é a busca do feedback e retorno social do projeto.

-Desenvolvimento dos Integrantes e envolvidos. Devemos ter a preocupação em estimular e motivar a equipe, os voluntários e os parceiros para que o projeto tenha eficiência na melhoria de vida dos músicos.

Motivação é um conceito que se invoca com freqüência para explicar as variações de determinados comportamentos e, sem dúvida, apresenta uma grande importância para a compreensão do comportamento humano, um estado

interno

resultante

de

uma

necessidade

que

desperta

certo

comportamento. Os usos que uma pessoa der às suas capacidades humanas dependem da sua motivação, seus desejos, suas carências, ambições, apetites, amores, ódios e medos. As diferentes motivações e cognições de uma pessoa explicam a diferença de cada um.

Ou seja, é importante mostrar para os envolvidos do projeto, sobretudo os parceiros, a idéia e a preocupação da empresa com a comunidade. E para os voluntários, mostrar os problemas que podem ocorrer pela falta de conhecimento e atitude em relação aos problemas. De fato, o músico é um “atleta emocional de alta competição” no processamento e execução de informação contida na partitura, não só do ponto de vista técnico da prática do instrumento (dedicando horas de estudo ao aperfeiçoamento esperado), mas também dos pontos de vista interpretativo e musical (correspondendo aos ideais do compositor e às expectativas da massa crítica), emocional (conquistando um público cada vez mais exigente) e criativo (desenvolvendo a sua marca pessoal que o distinguirá de outros interpretes e o tornará único no panorama musical). Neste contexto, é fácil compreender que a pressão quer física quer mentais a que um músico está constantemente sujeitos possam

68


interferir com a sua saúde e bem-estar, e, consequentemente, com a qualidade do seu desempenho.

1- Envolver a opinião pública voltada aos músicos, de que existem os problemas causados pela má postura, e pelo esforço repetitivo na prática do instrumento;

2- Ampliar o reconhecimento social do problema e das causas;

3- Estimular a conscientização e a auto avaliação dos músicos em relação a má postura;

4- Estabelecer acordo entre escolas e grupos musicais visando à expansão e melhoria da qualidade de vida dos músicos;

5- Consolidar recursos mediante ampla parceria entre músicos, o setor empresarial e a comunidade, com eventos.

6- Fortalecer os líderes de opinião na música em relação aos problemas causados pela má postura.

69


A) Definição do comitê executivo de Responsabilidade Social Empresarial. Coordenador Geral do Projeto: Marcelo. Proprietário da Sound Center. Responsável pela implantação e coordenação do projeto, com foco em sua empresa. Monitoramento sistemático do projeto Profissional da Saúde: Fábio Sisconeto. Responsável pelo apoio, ensinamento e reeducação do projeto. Voluntário da Agência Chronos: Rander Ariel Implantação do projeto. Voluntário da Agência Chronos: Sérgio Roberto. Acompanhamento e produção em mídias eletrônicas. Voluntário da Agência Chronos: Lívia Leite. Monitoramento sistemático do projeto. Voluntário da empresa: Marco, funcionário da Sound Center. Auxiliar e propagador do projeto, além de ser um formador de opinião. Stakeholders como voluntário: Diretoria do conservatório de Música de Uberaba. O Comitê, formado com o objetivo de auxiliar o Marcelo, proprietário da empresa, na aplicabilidade do projeto e no desenvolvimento das ações e na gerência do projeto. O Comitê do projeto é formado por representantes da agência, lideranças sociais na música, funcionário da empresa e profissional da saúde.

70


a) Comprometimento e ação: Na empresa, o proprietário sabendo da predisposição do músico perante o problema, ele toma algumas medidas preventivas e de proteção, ou seja, a empresa tem o cuidado com o aluno quando ele sabe dessa predisposição.

*Stakeholders; É necessário capacitar e treinar os parceiros do projeto, para que possam interagir e entender o funcionamento do mesmo. Havendo reuniões mensais para discutir as políticas do projeto, o envolvimento da classe dos músicos, os retornos, o grau de interação, e os benefícios.

1º - Expor o problema e o projeto aos parceiros. 2º - Capacitá-los com as medidas preventivas. 3º - Reuniões mensais.

*A primeira fase é de informação; 1º Ação: Informação sobre os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos voltada para os professores da Sound Center. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado.

2º Ação: Informação sobre os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos voltada para os professores do Conservatório de Uberaba. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado.

3º Ação: Informação sobre os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos voltada para os integrantes do evento Sexta’n’Roll da

71


Universidade de Uberaba. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado.

4º Ação: Já mobilizados os professores da Sound Center agora é hora de mostrar os problemas causados pela má postura e esforços repetitivos aos alunos. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado. Todo aluno que entrar na escola após o período de informação o professor deverá informálo sobre o projeto.

5º Ação: Já mobilizados os professores do conservatório agora é hora de mostrar o problema aos alunos causados pela má postura e pelos esforços repetitivos. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado. Todo aluno que entrar na escola após o período de informação o professor deverá informá-lo sobre o projeto.

6º Ação: Informação sobre os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos voltada para o público do evento Sexta’n’Roll da Universidade de Uberaba. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado. (Apoiado pelos integrantes do Show.)

*A segunda fase é de ensinamentos e reeducação; 1º Ação: Cientes do problema, agora é hora de reeducar e ensinar os professores para que eles disseminem e propaguem o projeto, nesta etapa haverá um esforço maior por parte do profissional de fisioterapia. Os professores serão instruídos sobre a postura correta na prática dos instrumentos além dos exercícios que previnem os problemas.

72


2º Ação: O Conservatório é uma grande fonte de apoio do projeto, pois, o número de integrantes é bem maior e com isso ficarão cientes do problema, agora é hora de reeducar e ensinar os professores para que eles disseminem e propaguem o projeto, nesta etapa haverá um esforço maior por parte do profissional de fisioterapia. Os professores serão instruídos sobre a postura correta na prática dos instrumentos além dos exercícios que previnem os problemas.

3º Ação: Conhecendo o problema é hora de reeducar e ensinar os integrantes da Sexta’n’Roll para que eles propaguem o projeto, pois, eles são de fato formadores de opinião, sobretudo do público jovem na Universidade de Uberaba, eles professores serão instruídos sobre a postura correta na prática dos instrumentos além dos exercícios que previnem os problemas.

4º Ação: Nesta ação o foco é colocar em prática os ensinamentos que o profissional de fisioterapia passou para os professores da Sound Center, eles irão educar, reeducar e policiar os alunos, em relação a postura e ensina-los os exercícios de relaxamento muscular que evitam os problemas. Todas as aulas terão um intervalo de 5 minutos para a prática dos exercícios criando e gerando hábito dos alongamentos e da postura correta para evitar o problema.

5º Ação: Nesta ação o foco é colocar em prática os ensinamentos que o profissional de fisioterapia passou para os professores do conservatório, eles irão educar, reeducar e policiar os alunos, em relação a postura e ensina-los os exercícios de relaxamento muscular que evitam os problemas. Todas as aulas terão um intervalo de 5 minutos para a prática dos exercícios criando e gerando hábito dos alongamentos e da postura correta para evitar o problema.

6º Ação: É hora de usar o evento Sexta’n’Roll para propagar ao público os exercícios e a postura que evitam os problemas, ou seja, os próprios integrantes do grupo juntamente com um integrante do projeto passará as medidas de prevenção ao público.

73


Todas as aulas nas escolas do conservatório e na da Sound Center terão um intervalo de 5 minutos para a prática dos exercícios criando e gerando hábito dos alongamentos e da postura correta para evitar o problema.

Resumo das Ações voltadas para a loja Sound Center e para o conservatório:

1º - Etapa “Informação” A) Informação sobre os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos voltada para os professores. Uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado.

B) Já mobilizados os professores agora é hora de mostrar os problemas causados pela má postura e pelos esforços repetitivos aos alunos. Apenas uma introdução dos problemas que possam ocorrer, ou seja, gerar a consciência de que o problema existe e pode ser evitado. Todo aluno que entrar na escola após o período de informação o professor deverá informá-lo sobre o projeto. Portanto, cabe aos professores passar as informações do projeto às turmas e aos novatos.

2º - Etapa “reeducação e ensinamentos” A) Cientes do problema, agora é hora de reeducar e ensinar os professores para que eles disseminem e propaguem o projeto, nesta etapa haverá um esforço maior por parte do profissional de fisioterapia. Os professores serão instruídos sobre a postura correta na pratica dos instrumentos além dos exercícios que previnem os problemas.

74


B) Nesta ação o foco é colocar em prática os ensinamentos que o profissional de fisioterapia passou para os professores, eles irão educar, reeducar e policiar os alunos, em relação a postura e ensina-los os exercícios de relaxamento muscular que evitam os problemas. Todas as aulas terão um intervalo de 5 minutos para a prática dos exercícios criando e gerando hábito dos alongamentos e da postura correta para evitar o problema.

C) Sistema de acompanhamento e avaliação pela coordenação do projeto.

Todos os alunos serão previamente cadastrados pelas escolas.

Evento Sexta’n’Roll Todas as Sextas-feiras na Universidade de Uberaba.

-Rock Nacional

O evento já existe, iremos usá-lo como ponte de apoio ao projeto para impactar o público universitário, além dos líderes de opinião, com duas fases distintas, a fase de informação acontecerá 1 vez ao mês. A princípio a informação será passada aos músicos do evento, depois passada ao público do evento. A segunda fase é da reeducação, será 1 vez ao mês, sendo que esta etapa acontecerá uma semana após a fase da informação. Durante o evento, iremos cadastrar o público, a fim de criar parâmetros de avaliação dos resultados posteriormente no sexto mês, além de um mailing list para propagar varias informações do projeto.

Fevereiro 3º Semana – Fase da informação 4º Semana – fase da reeducação

75


Março 1º Semana – Fase da informação 2º Semana – fase da reeducação

Abril 1º Semana – Fase da informação 2º Semana – fase da reeducação

Maio 1º Semana – Fase da informação 2º Semana – fase da reeducação

Junho 1º Semana – Fase da informação 2º Semana – fase da reeducação

Julho Avaliação dos resultados

Agosto e Setembro Balanço Social, e medidas corretivas do projeto.

76


EVENTO VIVA MÚSICA Semestral com dois gêneros musicais, em praças distintas. -Rock e Pop -Sertanejo, Forró e Pagode O evento reunirá varias bandas musicais das escolas Sound Center e Conservatório, podendo se inscrever também a comunidade através do blog ou de uma ficha cadastral na Sound Center com o intuito de promover a cultura, exercer a prática da música como treinamento para os alunos, e o objetivo maior que é divulgar o projeto, baseando na informação do problema e na educação e reeducação de postura e exercícios básicos de prevenção. O evento acontecerá em praça pública, sendo que a cada apresentação de banda, será passado instruções do projeto, os benefícios, os ensinamentos, os exercícios. Acontecerá aos sábados a partir das 12:00 pois, o fluxo de pessoas nesse horário é maior pelo fato das pessoas trabalharem em sua maioria até as 12:00, as praças serão estrategicamente selecionadas, para atingir o maior número de pessoas. Sugerimos a Praça da Abadia, e a Praça da Concha Acústica, sendo que a Praça da Abadia será palco dos eventos sertanejos, forró e pagode, e a Concha Acústica será palco das bandas de rock e pop, pelo fator cultural da região. Dependendo da aceitação da comunidade após a avaliação, o evento poderá abranger mais estilos musicais e poderão acontecer mais vezes em menos tempo, mas a princípio será semestral a ponto de avaliar os impactos e os retornos além da aceitação. Durante o evento, iremos cadastrar o público, a fim de criar parâmetros de avaliação dos resultados posteriormente no sexto mês, além de um mailing list para propagar varias informações do projeto.

77


Março VIVA MÚSICA – Rock e Pop Março – 2º Sábado – Praça Concha Acústica a partir das 12:00.

Março VIVA MÚSICA – Sertanejo Março – 2º Sábado – Praça da Abadia a partir das 12:00.

Julho VIVA MÚSICA – Rock e Pop Agosto – 1º Sábado – Praça Concha Acústica a partir das 12:00.

Julho VIVA MÚSICA – Sertanejo Agosto – 1º Sábado – Praça da Abadia a partir das 12:00.

Agosto e Setembro Avaliação dos resultados, Balanço Social, e medidas corretivas do projeto.

78


B) Envolva os Stakeholders: Haverá um treinamento com todos os parceiros do projeto no início de fevereiro, mostrando todos os problemas que podem acontecer e as medidas de prevenção, além de valorizar a ética e a transparência na interação com seus stakeholders, a empresa reconhece os problemas e sabe da importância em se fazer algo, para impulsionar mudanças e estimular práticas sustentáveis nas regiões onde atua. Mostrar que a empresa envolve a ética desde as práticas utilizadas na venda de produtos ao mercado a fim de alcançar seus objetivos, até o relacionamento com a comunidade. Haverá reuniões mensalmente para manter o interesse dos envolvidos, discutir sobre as políticas do projeto e ouvir sugestões. Os funcionários e os professores são vistos como agentes transformadores do seu espaço e elos entre a empresa e a comunidade. Os stakeholders e a comunidade serão estimulados a participar do projeto, sendo que as escolas e os eventos servirão como ponto focal do projeto. É imprescindível gerar o conhecimento do problema e mostrar o quanto a empresa preocupa com a comunidade dos músicos, e os benefícios que aconteceram com os envolvidos, pois, se trata de um problema real científico e que pode gerar a até a perda total dos movimentos, impedindo de tocar o instrumento. A relação da empresa com o ambiente interno está baseada nos princípios da organização e em valores que fazem parte da cultura da empresa: respeito por qualquer indivíduo, atendimento ao cliente. Portanto, os envolvidos deverão ser reflexos do comprometimento da empresa com o projeto, criando um elo com a comunidade e os parceiros. Principal canal de divulgação do projeto e de avaliação:

Blog – com postagens do projeto e vídeos institucionais, enquetes e informações, além de fórum de comentários e dúvidas. Além da divulgação do balanço social e avaliação do projeto.

79


Canais secundários de divulgação do projeto e de avaliação: Orkut – perfil do projeto com intuito de unir os músicos de Uberaba criando um mailing list específico e divulgando informações do projeto.

Comunidade

do

Projeto

no

orkut

descrição

do

projeto,

cadastramento do público, além de enquetes e fóruns de discussão. Ao contrário do blog, a comunidade é mais dinâmica, porém, é aberta a todo mundo, e não somente ao público. Email do projeto - para o envio de malas diretas, informações, newsletter, com o intuito também de responder perguntas de pessoas que não querem se expor no blog ou no orkut. Criando um rápido fluxo de informações da empresa para os stakeholders e vice-versa

Ficha Cadastral para parâmetros de avaliação - haverá uma ficha cadastral nos pontos do projeto para criar parâmetros de avaliação e desenvolver o mailing list do público. As fichas serão colocadas onde o projeto for implantado na escola Sound Center e no conservatório, seguido do Sexta’n’roll e do Evento Viva Musica. Parceiros: Sexta’n’Roll, Universidade de Uberaba, Professores da Sound Center, Professores do conservatório e alunos do conservatório, Agência Chronos, Fisioterapeuta. Haverá um email somente dos parceiros, com o intuito de passar as informações com mais clareza e não deixar a parte administrativa visível a todos.

80


5- IMPLEMENTAÇÃO E COMUNICAÇÃO

A) Objetivos de comunicação das políticas estabelecidas. Objetivo da Etapa de informação - Professores: Deve-se criar consciência nos professores que são formadores de opinião e educadores sobre os problemas causados pela má postura e os esforços repetitivos.

Objetivo da Etapa de informação - público: Deve-se criar consciência nos público sobre os problemas causados pela má postura e os esforços repetitivos.

Objetivo da Etapa de reeducação - Professores: Deve-se criar consciência nos professores sobre a importância dos exercícios e da postura correta como longevidade da prática do instrumento e de sua saúde física.

Objetivo da Etapa de reeducação - público: Deve-se criar consciência no público sobre a importância dos exercícios e da postura correta como longevidade da prática do instrumento e de sua saúde física.

81


B) Estratégias e Táticas de comunicação: Reuniões: 1º Reuniões mensais entre os professores para acompanhamento e melhoria da didática dos exercícios e avaliação de satisfação dos alunos.

* Criação de um email para cada núcleo do projeto. Nesta etapa um email para troca de informações entre os professores do conservatório comandado por um professor responsável. E um email para os professores da Sound Center comandado pelo coordenador do projeto.

2º Reuniões trimestrais entre todos os membros do projeto para o acompanhamento dos benefícios e resultados do projeto além de forma de interação entre os dois pontos de atuação do projeto.

Um email do coordenador do projeto para a troca de informação e para marcar as reuniões trimestrais. Além de visitas bimestrais dos voluntários da agência para captar os resultados.

3º Reuniões semestrais entre todos os membros do projeto para o acompanhamento dos benefícios e resultados do projeto além de forma de interação entre os dois pontos de atuação do projeto, além de feedback dos eventos e sugestões de ações.

Email do coordenador do projeto.

4º Reunião anual entre todos os membros do projeto para o acompanhamento e o feedback final do projeto e avaliação do projeto e as ações corretivas. Além da divulgação do balanço social.

82


C) Público alvo, Tema, Conceito USP, approach criativo. 1º - Público Alvo

Estudantes de música, músicos, hobbistas e professores de música do Conservatório de Uberaba e da Sound Center, público potencial a músicos dos eventos Sexta’n’roll e Viva música. Marcadamente os que ingressem em uma dessas escolas de música.

2º - Tema

Saúde Musicorporal, pois, com base nos dados científicos pesquisados e com o tipo de serviço, é um nome apropriado e de fácil absorção do público alvo e que vai ao encontro do problema.

3º - Conceito USP

“O Projeto Musicorporal proporciona a saúde corporal para a alta performance física na prática da música. Embasados na frase: o músico é um atleta emocional de alta competição.

4º - Promessa

“Proporcionar longevidade musical para os alunos, músicos, professores e hobbistas”.

83


D) Mídia. Mídia base do projeto: blog sem distinção do público, tanto para a comunidade quanto os envolvidos e o público.

Perfil no orkut: para a classe de músicos e envolvidos no projeto.

Comunidade no orkut:

para a classe de músicos e envolvidos no

projeto.

Email: será usado como um canal de comunicação entre os coordenadores e os envolvidos.

Banner: para divulgação dos eventos e do projeto em escolas e locais estratégicos.

Mala Direta: para divulgação dos eventos e do projeto em escolas e locais estratégicos.

Rádios: divulgação do projeto e dos eventos para a comunidade (Sendo um parceiro do projeto).

Jornal: divulgação do projeto e dos eventos para a comunidade e institucionais. (Sendo um parceiro do projeto).

Revista: divulgação do projeto e dos eventos para a comunidade e institucionais. (Sendo um parceiro do projeto).

TV: institucional do projeto.

84


VT do projeto: contendo passo a passo do que se trata o projeto e o que pode acontecer com músicos que não se atentam para o problema da má postura e esforços repetitivos. (Colocado no Blog).

Canal Youtube: com vídeos contendo passo a passo do que se trata o projeto e quais os exercícios para evitar os problemas. Além de vídeos dos envolvidos no projeto, testemunhos.

Twitter: com novidades do projeto.

Cartilha: contendo passo a passo do que se trata o projeto e quais os exercícios para evitar os problemas, entregue na loja Sound Center e disponibilizado virtualmente para todos cadastrados no projeto. Banner Projeto: fixado no conservatório e na Soud Center.

Mala Direta / Email Marketing: institucional do projeto, informações como os eventos, escolas afiliadas etc...

Flyer Digital: para ser usado no orkut e mandado também por email e disponibilizado no blog contendo a problematização.

Selo do Projeto: para serem colocados nos instrumentos, e outro para colocar na loja como uma empresa socialmente responsável.

Cartaz do evento: cartaz de divulgação do evento sertanejo e do rock (Praça da Abadia e Concha Acústica respectivamente) citando o projeto.

Banner do Evento: divulgação do evento sertanejo e do rock (Praça da Abadia e Concha Acústica respectivamente) e chamando o pessoal a se cadastrarem no projeto.

85


Flyer do evento: disponibilizado por email, orkut e blog. Com informaçþes do evento.

Email mkt do Evento: chamada para o evento.

86


Cliente: Sound Center Comércio de Instrumentos Musicais LTDA. Projeto: Musicorporal Agência: Chronos Comunicação Inicio do Projeto: 11 de janeiro de 2010 – Segunda feira Primeiro Período de Avaliação: Agosto e Setembro Verba : R$800,00

S/N

Mídias

S Internet

Veículos

Período

- Blog - Email Marketing - Flyer Digital - Orkut - Comunidade orkut - Canal Youtube - Twitter - Mala direta

A mídia estará presente no projeto em todas as etapas.

- Veiculação do Vt institucional 1 min Tv Universitária

Dias 1,3,5,7,9 de março de 2010

S Tv Aberta

Valor/mês Grátis

Apoio da Tv universitária

Dias 2,4,6,8,10,12 De abril de 2010

S Rádio

- 5 Spot dias de 30 Segundos nas rádios 7 Colinas, Zebu e Supersom

Dias 15,17,19,21,23,25 De fevereiro de 2010

Apoio das Rádios

Dias 2,4,6,8,10 de março de 2010 Dias 5,7,9,11,13,15 De abril de 2010 Dias 15,17,19,21,23,25 De Maio de 2010 Dias 2,4,6,8,10 de Junho de 2010

S

¼ de página nos jornais de Uberaba e da manhã

Dias 1,3 e 4 De Fevereiro de 2010

Apoio dos Jornais

Jornal

1 Pagina da JM magazine contendo o texto institucional

Mês de Julho

Apoio da Revista

Revista

- Banner’s, Cartilha, Selo do projeto

Presente em todos os meses

Apoio da Cp silk

Impressa

S

S

87


Cronograma do Projeto Inicio dia 11 de janeiro de 2010 Informação Público

Treinamento

Professores Sound Center

Dia 11 de Janeiro 2010

Dia 18 de Janeiro 2010

Professores Conservatórios

Dia 12,13,14,15 de Janeiro 2010

Dia 19,20,21,22 de Janeiro 2010

Início dia 19 de Fevereiro e toda primeira sexta feira do mês. Até 5 de Junho

Inicio dia 26 de Fevereiro e toda segunda sexta feira do mês. Até 12 de junho.

Sextan’n’Roll

Alunos Sound Center

A partir do dia 12 de Janeiro.

A partir do dia 19 de Janeiro.

A partir do dia 18 de Janeiro.

A partir do dia 25 de Janeiro.

Início dia 19 de Fevereiro e toda primeira sexta feira do mês.

Inicio dia 26 de Fevereiro e toda segunda sexta feira do mês

Dia 14 de março e 5 de julho .

Dia 14 de março e 5 de julho.

Alunos Conservatórios

Público Sexta’n’Roll

Viva Música

Avaliação Avaliação Mensal Bimestral, semestral

Avaliação Mensal Bimestral, semestral

Avaliação Mensal Bimestral, semestral.

Avaliação Mensal Bimestral, semestral

Avaliação Mensal Bimestral, semestral

Agosto e Setembro Além das avaliações mensais e bimestrais

Agosto e Setembro

Haverá avaliações mensais, Bimestrais, e semestrais.

88


Peças e Produções Projeto Blog

89


90


91


92


93


94


95


96


Produção Evento Viva Música Banner

97


Banner

98


Banner

99


banner

100


Cartaz

101


cartaz

102


cartaz

103


cartaz

104


105


106


107


108


109


110


111


112


113


114


6- Avaliação e Indicadores Sociais Como a empresa é de pequeno porte e o projeto será implantado agora, o indicador viável é o de nível 1.

Indicadores Trabalhistas:

- Perfil força do trabalho: O projeto é motivador aos funcionários e, além disso, aumenta o desempenho físico e mental dos professores. Evitando problemas causados pela má postura e esforço repetitivo, além de educar e ensinar exercícios e posturas corretas, ou seja, a empresa se preocupa também com o estado físico dos professores, maximizando sua força de trabalho motivacional.

- Número de faltas dos funcionários: Como os funcionários serão envolvidos diretamente com o projeto, ele terá além do fator motivacional a responsabilidade de conduzir os ensinamentos aos alunos, diminuindo o número de faltas do funcionário, pois além deles conduzirem o projeto eles serão também ensinados sobre o projeto, que é de interesse de todos os professores, pois, estão suscetíveis aos problemas.

- Descumprimento de normas de saúde e segurança: Com o projeto a empresa demonstra a preocupação com a comunidade dos músicos e funcionários, preocupação com a saúde e bem estar. Os funcionários terão a percepção de que a empresa de fato faz algo para a melhoria de vida.

- Números de queixas: O projeto irá minimizar as queixas dos funcionários e professores sobre os problemas físicos e mentais, pois, o foco principal é o treinamento, educação e reeducação além da prática dos exercícios de prevenção do

115


problema, mostrando que a empresa de fato se preocupa com a situação física de seus colaboradores.

Indicadores de mercado:

- Reclamação dos consumidores sobre o serviço: Haverá uma diminuição das reclamações dos alunos sobre a empresa, pois, o projeto também focará a melhoria física, treinamento, educação e reeducação além da pratica dos exercícios de prevenção do problema. Minimizando assim os problemas causados pela própria prática da música.

- Reclamação Publicitária: Toda e qualquer comunicação do projeto é embasada em estudos científicos

comprovados

além

de

pesquisas

técnicas

e

pesquisas

comportamentais.

Indicadores de mercado:

- Valor em dinheiro da contribuição com a comunidade em porcentagem do lucro bruto: Lucro bruto R$12.000,00, valor do investimento R$ 800,00. Percentual de 6,7%.

- Valor total estimado em tempo cedido por funcionários da empresa: Como o projeto fará parte da grade curricular das aulas, não constará nada extra em questão de valor, mas, haverá 5 minutos diários das aulas para a prática dos exercícios.

A avaliação de impacto é um passo importante dado por instituições que buscam resultados significativos em seus projetos de responsabilidade social (Independent Evaluation Group World Bank 2007; Silva & Brandão 2003). A avaliação deve ser vista como uma oportunidade de aprimoramento destes projetos, através da busca de eficiência e eficácia. Ambas as avaliações 116


permitirão identificar resultados alcançados e aspectos a ser aprimorados nos projetos desenvolvidos. A realização da avaliação dos projetos, além da avaliação de impacto, será essencial para identificar as causas dos sucessos e desafios observados. Um próximo passo para a melhoria desse processo é a realização de avaliações

participativas,

nas

quais

representantes

da

empresa,

da

comunidade e os executores do projeto/programa participem do desenho e da coleta de dados da avaliação e das análises. Desta forma o processo de avaliação será também uma atividade promotora de aprendizado, uma vez que propiciará a reflexão das comunidades sobre sua própria realidade e para a empresa e como aumentar o impacto de suas ações.

117


Anexo – Papelaria do projeto

118


119


120


121


Anexo II Defesa das peças

Peças: As peças do Projeto Musicorporal foram desenvolvidas em variações de tons de verde, é uma cor leve e fria que remete confiança, saúde e tranquildade. Dizem que é a cor mais descansada para o olho humano e que tem poder de cura ( será por isso que o uniforme dos cirurgiões são verdes?). Foram usados elementos vetoriais como linhas paralelas, espirais, notas musicais e silhuetas de músicos. Estes elementos deu uma atmosfera musical para as peças. Todos os anúncios do projeto contemplam as informações principais, deixando em destaque a logo do projeto e a chamada para o blog, o que fortifica a interação do publico com o projeto, já que a intenção é que as pessoas busquem mais informações a respeito do evento no próprio blog, e o tenham como referencia do projeto.

Logo: A cor em destaque da logo é o verde limão, por se tratar de uma cor viva ela mostra a nossa preocupação do projeto, que é a saúde e o bem-estar do músico. A logo do projeto surgiu através da pesquisa feita em nosso público. A maioria do universo pesquisado eram praticantes de instrumentos de cordas, por isso a logo tem a forma de um violão. Seu braço é feito pelo nome “corporal” e a parte do “headstock” do violão é simbolizado por uma mão, que é a principal parte de um músico. Usamos uma tipologia condensada e forte para retratar a seriedade do projeto.

Logotipo do evento: Foi desenvolvida uma logo especifica para o evento, que o identifique realmente como um evento do segmento musical. Como o evento envolve gêneros e estilos diversos, a marca não tem por objetivo fazer uma referencia especifica, mas sim geral do tema “música”. Por isso a escolha de uma tipologia e 122


de elementos que façam alusão a musicalidade e não a um determinado ritmo. A tipologia transmite um aspecto artesanal, levemente rebuscado, que se estabelece confortavelmente ao tema musical. O elemento central (um instrumento de cordas) brinca com a própria construção tipográfica, sem prejudicar a legibilidade da marca, e refere-se, propositalmente, aos instrumentos que apresentam mais incidência dos problemas abordados no projeto (instrumentos de corda). As cores estabelecem uma ligação sutil com o logotipo do próprio projeto, mesmo que em tonalidades diferentes. Por fim, as cordas que compõem o fundo do logotipo. São linhas que fazem referencia tanto as linhas do próprio instrumento, quanto as linhas de uma partitura, onduladas para transmitir movimento e dinamismo, conduzindo o olhar e transmitindo suavidade a quem observa.

Peças do evento: O evento Viva Música é uma iniciativa do projeto e pede uma atenção especial. Sabendo-se que será um evento que tem por objetivo promover o projeto perante seu principal público e ao mesmo tempo perante a sociedade. Dessa forma Foram elaboradas peças exclusivas para esse evento, que mantém a atmosfera geral da campanha do projeto, mas com modificações significativas que evitam a saturação da mesma, por isso foram elaboradas modificações sutis, mas perceptíveis, que deixam clara a ligação do evento com o projeto Musicorporal e ao mesmo tempo dão ao evento uma atmosfera particular e colorida. Essa é inclusive uma das características das peças voltadas para o evento: mais cores, mais movimento, mais vida. Por isso o uso de cores quentes (diferente do verde suave que envolve o projeto) e estampas de fundo mais dinâmicas (espirais) que induzem o olhar ao movimento. Foram eleitas figuras que ilustrem as duas principais vertentes do projeto: Rock e Sertanejo, onde cada qual irá contemplar outros gêneros além dos citados, mas terá esses como referencias principais. A tipologia suave e sóbria transita bem entre a festividade do evento, e a seriedade do projeto, (é reta e sem traços que destoam do conjunto, e ao mesmo tempo possui arestas arredondadas, o que trás uma certa leveza e descontração), todos os anúncios do evento contemplam as informações principais, deixando em destaque a chamada para o blog, o que fortifica a interação do publico com o projeto, já que a intenção é

123


que as pessoas busquem mais informações a respeito do evento no próprio blog, e o tenham como referencia do projeto.

Texto Institucional O texto foi desenvolvido a partir da rede semântica do esporte, visto que a frase chave do projeto compara o músico a um atleta de alta competição. É em sua maioria, escrito na linguagem denotativa, ou seja, no sentido real das palavras. Ao final do texto conseguimos perceber a presença de uma figura de linguagem que é a metáfora, quando cita que os alunos poderão brilhar nos palcos da vida, fazendo a comparação da vida a um show, espetáculo enfim, entenderá quem tem um conhecimento de mundo a respeito do universo musical. Portanto, somente na parte da metáfora o texto passa a conter a linguagem conotativa, que quer dizer que o significado deverá ser interpretado de acordo com todo um contexto próprio. Não há a presença de características reais ou subjetivas por se tratar de um texto institucional onde explicamos o objetivo do projeto.

124


Considerações Finais O projeto irá cumprir um papel importante na qualidade de vida dos músicos de Uberaba-MG e no aumento da vida útil na prática dos instrumentos, com informações e treinamentos constantes com os músicos envolvidos. É sempre útil lembrar que a cidade de Uberaba tem bastantes músicos profissionais ou não, dados pelo fator cultural da região. Há disponibilidades de escolas de música na cidade que incentivem as pessoas a praticarem a música, mas não há o amparo do bem estar dos músicos, no sentido físico. É necessário um reforço da base e impacto dos líderes e formadores de opinião e aperfeiçoamento da didática das aulas com a introdução dos ensinamentos do projeto. Independente do estilo musical, o aluno e integrante do projeto não perderá a sua essência ou identidade do estilo, mas se adequará a uma postura correta e à prática de exercícios de prevenção. E com uma vantagem a mais, o aumento do desempenho e longevidade do músico, que sempre representou uma grande fonte de entretenimento para a sociedade, além de movimentar o setor da economia e fortalecer a cultura e identidade de um grupo social.

125


Referências Bibliográficas Independent Evaluation Group World Bank. 2007. Sourcebook for Evaluating Global and Regional Partnership Programs. http://www.worldbank.org/oed/ OECD/DAC. 2002. Glossary of Key Terms in Evaluation and Results Based Management. http://www1.ethos.org.br/EthosWeb/Default.aspx http://www.akatu.org.br/ http://www.jornaldeuberaba.com.br/?MENU=CadernoB&SUBMENU=Saude&C ODIGO=953 http://www.cienciahoje.pt/index.php http://pt.shvoong.com/books/410838-vulnerbilidade-da-crian%C3%A7aadolescente-mundo/ http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=7723.

126

Projeto de Responsabilidade Agencia Chronos  

Documento do Projeto de Responsabilidade Social da Agência Experimental Chronos, como parte da conclusão do Curso de Comunicação Social - Pu...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you