Page 1

VOL. 02 / n° 035 ISSN 2019-035 CDD 720

TAYARA MACHADO DE BARROS ARAUJO

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PARK E SAÚDE PARA IDOSOS


Revista Núcleo

TFG

-

Arquitetura

Docente

e

Estruturante

Urbanismo de

[recurso

Arquitetura

eletrônico] e

/

Urbanismo.

Universidade de Marília. - Vol. 2, n° 035 (nov./dez 2019). - Marília: UNIMAR, 2019. v.:il., 30cm

Trimestral Endereço eletrônico: http://www.unimar.br/cursos/graduação/arquitetura/ ISSN 2019-035 versão eletrônica

1. Acessibilidade 2. Condomínio 3. Idoso 4. Independência l. Universidade de Marília. Arquitetura e Urbanismo

CDD - 720


REVISTA TFG - ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE DE MARÍLIA - UNIMAR ARQUITETURA E URBANISMO

ISSN 2019-035 REVISTA TFG

CDD 720 VOL.02

NOV 2019


UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

Reitor MÁRCIO MESQUITA SERVA

Vice-Reitora REGINA LÚCIA OTTAIANO LOSASSO SERVA

Pró-Reitora de Pós Graduação FERNANDA MESQUITA SERVA

Pró-Reitor de Administração MARCO ANTONIO TEIXEIRA

Pró-Reitor de Graduação JOSÉ ROBERTO MARQUES DE CASTRO

Pró-Reitora de Ação Comunitária FERNANDA MESQUITA SERVA

Curso de Arquitetura e Urbanismo FERNANDO NETTO


UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

NDE - NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE M s . F E R N A N D O N E T T O - Coordenador / Arquiteto e Urbanista D r . I R A J Á G O U V E I A - Docente / Arquiteto e Urbanista M s . W A L N Y C E S C A L I S E - Docente / Arquiteto e Urbanista M s . S Ô N I A C . B O C A R D I D E M O R A E S - Docente / Arquiteto e Urbanista M s . W I L T O N F . C A M O L E S E A U G U S T O - Docente / Arquiteto e Urbanista

NÚCLEO INTEGRADO DE PESQUISA E EXTENSÃO - NIPEX Dra. WALKIRIA MARTINEZ HEINRICH FERRER - Coordenação

CPA - COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Dra. ANDRÉIA C. F. BARALDI LABEGALINI

- Pesquisadora Institucional

COMISSÃO EDITORIAL - REVISTA TFG Ms. FERNANDO NETTO - Coordenador / Arquiteto e Urbanista Ms. WILTON F. CAMOLESE AUGUSTO - Docente / Arquiteto e Urbanista Ms. SÔNIA C. BOCARDI DE MORAES - Docente / Arquiteto e Urbanista Dra. WALKIRIA MARTINEZ HEINRICH FERRER FERNANDO MARTINS

- Jornalista / MTB 76.753

COORDENAÇÃO - ARQUITETURA E URBANISMO Ms. FERNANDO NETTO - Arquiteto e Urbanista


DEDICATÓRIA Dedico este trabalho em primeiro lugar a Deus, pela saúde, força e coragem que me deste durante esta longa caminhada, aos meus pais e meu noivo que, com muito carinho e apoio, não mediram esforços para que eu chegasse até aqui.


AGRADECIMENTOS Agradeço imensamente à Deus, por ter me concedido saúde, força e disposição para fazer a faculdade e o trabalho final de graduação. A fé que tenho nele, com certeza, me fez chegar até o fim. A todos os professores, por todos os conhecimentos e ajuda ao longo desses estudos, especialmente a minha professora e orientadora Sonia Bocardi de Moraes, pelo incentivo e empenho que foram fundamentais para eu realizar meu trabalho de pesquisa. Sou grato a essa universidade, por ter me recebido de braços aberto e por me oferecer um ambiente amigável para os estudos, motivador e com muitas oportunidades, fazendo com que eu alcançasse a minha formação no curso superior. Agradeço aos meus familiares, especialmente aos meus pais, Helena e José Cláudio, que me proporcionaram a tranquilidade e o conforto que precisava para vencer essa etapa. A minhas amigas Esteffani, Pamela e Suyani, por esses cinco anos de faculdade em que passamos juntas, e nas horas de estudos uma ajudando a outra nos momentos de dificuldade, mas sempre persistindo a nunca desistir. Agradeço a todos as pessoas que contribuíram para a realização da minha pesquisa e que torceram por mim durante toda essa trajetória acadêmica. Por fim, quero agradecer, de maneira muito especial, ao meu noivo, Carlos Augusto, que jamais me negou apoio, carinho e incentivo. Obrigada por me aguentar nos momentos de estresse e lamentações, e por entender a minha ausência em diferentes momentos. Sem você ao meu lado esse trabalho não seria possível.


“Se o tempo envelhecer o seu corpo, mas não envelhecer a sua emoção, você será sempre feliz.” (Augusto Cury)

Foto Ilustrativa

RESUMO Este trabalho apresenta o Condomínio Residencial Park e Saúde para Idosos, no município de Vera Cruz, São Paulo, que é destinado a idosos com idade entre 60 a 80 anos. Os conteúdos presentes a seguir, para a elaboração desse trabalho, foram feitos a partir de levantamentos de dados e pesquisas relacionadas ao tema e leis que regem aos idosos. Com o crescente número dessa população em um ritmo cada vez mais acelerado, o estudo proposto busca proporcionar um condomínio especialmente projetado aos grupos da terceira idade, onde são capazes de terem suas necessidades atendidas o que favorecerá uma velhice ativa. Com a correria na rotina dos familiares, muitos acabam não tendo tempo disponível para dar a atenção aos seus idosos. Por isso, foi pensado um novo conceito de condomínio que é totalmente térreo e irá proporcionar uma vida com mais independência a eles, já que no momento somente os asilos oferecem acolhimento e atendem às suas necessidades. No entanto, deixam a desejar em muitos aspectos que tornam o dia a dia deles entediante. A principal característica do projeto proposto é possibilitar a acessibilidade, aliada ao conforto, segurança e lazer, em um ambiente aconchegante com novas tecnologias para que possam viver a melhor fase de suas vidas. Sua arquitetura é pensada em um estilo contemporâneo com o uso de traços retos e de novos materiais no mercado. É projetado em um terreno de 18.708,53 m² e de pouco desnível, que serão vencidos com o uso de rampas. Seu programa de necessidades conta com 9 setores, sendo: administrativo, alimentação, áreas técnicas, áreas verdes, bem-estar, convívio comum/social, saúde, serviço, unidades habitacionais. Vários profissionais estão presentes nesse condomínio para o cuidado e garantia da saúde dos idosos, como enfermeiros, médicos, dentistas, fisioterapeutas, farmacêuticos e nutricionistas. O condomínio também tem como propósito atrair idosos de outras cidades, além de Vera Cruz. O principal objetivo do partido arquitetônico é possibilitar a interação e sociabilidade entre eles, onde os próprios idosos passarão a escolher o condomínio por incluir atividades de vivência e bem-estar de um lar e, com isso, passam a mudar o modo de visão da sociedade sobre eles. Palavras-chave: Acessibilidade. Condomínio. Idoso. Independência.


SUMÁRIO 11

INTRODUÇÃO

13

CONCEITUAÇÃO IDOSO CASA DE REPOUSO PARA IDOSOS CONDOMÍNIO ACESSIBILIDADE E ERGONOMIA PARA IDOSOS

33

ANÁLISE DE CASOS Casa da Vovó Maria de Nazaré

37

VIABILIDADE TÉCNICA ESTUDO DE IMPLANTAÇÃO Características de Vera Cruz Terreno Topografia da Área para Implantação

41

ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO IDOSOS NO BRASIL ENVELHECIMENTO ATIVO

19 20 21

EVOLUÇÃO HISTÓRICA CONTEXTO NACIONAL PANORAMA ATUAL

LEGISLAÇÃO LEITURA DE PROJETOS CORRELATOS RESIDÊNCIA PARA IDOSOS CASA PARA A TERCEIRA IDADE LAR DE IDOSOS DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA

MATERIAIS E MÉTODOS PROGRAMA DE NECESSIDADES E PRÉ-DIMENSIONAMENTO Organograma ORGANOGRAMA E FLUXOGRAMA Fluxograma PARTIDO ARQUITETÔNICO

46 47

CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS


11

INTRODUÇÃO

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2050 terá 2 bilhões de idosos com idade acima de 60 anos e, em 2016, o Brasil foi classificado como sendo o quinto país a ter a maior população de idosos no mundo. Em 2030, essa população vai exceder o de jovens de até 14 anos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número médio de anos vividos aumentará de 75 para 81 anos. Apesar dos grandes problemas enfrentados pelo Brasil na área da saúde, a população de classe média/classe média alta se caracteriza por pessoas que estão se preocupando cada vez mais com a saúde, tentam estar sempre em dia com consultas médicas visando ter uma condição de vida melhor e consequentemente mais longa. Porém, com a idade avançada, muitos acabam residindo junto de seus familiares. Muitas vezes eles não têm as suas necessidades totalmente atendidas como físicas, informativas e sociais e, por isso, preferem morar em instituições específicas que atendam suas principais dificuldades. Com essa ideia em mente, o trabalho apresentado é um condomínio horizontal residencial onde o principal objetivo é oferecer aos idosos a máxima independência possível para executar suas tarefas, com ambientes projetados conforme normas para essa faixa etária considerando acessibilidades. No programa de necessidades são oferecidos serviços de saúde e lazer, com muitas áreas verdes, tendo a academia ao ar livre, pista de caminhada, horta, redário e orquidário. Portanto, o Condomínio Residencial Park e Saúde para idosos, é desenvolvido a fim de oferecer uma moradia exclusiva para a faixa etária de 60 a 80 anos, onde possam encontrar um verdadeiro lar para curtir a melhor idade de suas vidas de forma ativa.


12 Através de pesquisas feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sabe-se que no futuro o Brasil terá maior número de pessoas idosas que crianças. A população de idosos está crescendo cada vez mais e com um ritmo muito acelerado, isso devido melhora na qualidade de vida, tornando-se o quinto país com maior quantidade de pessoas acima de 65 anos. Hoje em dia, a correria da rotina de trabalhos dos familiares acaba não proporcionando aos idosos momentos mais agradáveis. O que podemos observar é uma população acima dos 60 anos com muito vigor de viver, independente e disposta a morar sozinha com qualidade de vida. Por isso, a ideia de propor um local de morada para essa faixa da população que ofereça possibilidade de vida mais ativa com atividades físicas e perto da natureza. Na atualidade observa-se lugares específicos de morada para idosos precários em atividades e recursos, como os asilos. A Casa da Vovó Maria de Nazaré, existente no município de Vera Cruz, é objeto de estudo de casos neste trabalho. Apesar de não ser exemplo da proposta em questão, é o que se tem de mais próximo dessa realidade na região. Visitas e coletas de dados nesse local auxilia na construção do programa de necessidades básico de uma instituição desse caráter e entendimento das dimensões necessárias nos ambientes que são propostos. A ideia principal deste trabalho é propor projeto de condomínio destinado ao grupo da terceira idade e tem por objetivo oferecer bemestar e vida com mais independência, acessibilidade e segurança.

O terreno foi escolhido por estar próximo à rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, que é a rodovia que vai de Vera Cruz para Marília, principal polo de saúde da região. O condomínio nesta localização facilita o acesso à rodovia com rápido acesso aos hospitais. Ele também está a poucos metros de distância do centro da cidade, onde se encontram bancos, mercados, lojas, farmácias e padarias. Propõe-se, no trabalho, condomínio para idosos ativos, capazes de executar próprias tarefas cotidianas e que atenda o máximo das suas necessidades como indivíduos. A instituição irá atender as normas do estatuto do idoso, proporcionando qualidade de vida aliada a independência, para que tenham uma velhice ativa. O condomínio é projetado com unidades residenciais individuais, para oferecer maior privacidade aos idosos, e também algumas unidades coletivas, que serão em duplas, para os que queiram companhia para morar. As residências são térreas para facilidade de locomoção e será destinado ao público masculino e feminino. O propósito é fazer um condomínio que seja atraente aos idosos. Nele escolherão morar por encontrar pessoas da mesma faixa etária e ambientes adaptados para melhor atendê-los que proporcionem saúde, lazer e vastas áreas verdes.


13 IDOSO Conforme a política nacional do idoso (PNI) e o estatuto do Idoso são considerados pessoas idosas, os que têm idade acima de 60 anos. Porém, para a Organização Mundial da Saúde (OMS, 2002), em países desenvolvidos, o idoso é aquele com mais de 65 anos e em países em desenvolvimento é aquele com idade maior de 60 anos. O envelhecimento pode ser associado aos conceitos cronológico, fisiológico e funcional. A idade cronológica é determinada através do tempo real que uma pessoa viveu, a quantidade de anos dos idosos é dividida em três categorias: idoso jovem (65 a 74 anos), idoso mediano (75 a 84 anos) e idoso idoso (85 anos ou mais). Este conceito é também usado para definir as possibilidades de exercer determinadas atividades, como dirigir, trabalhar e se aposentar (REICHMANN, 2005).

CONCEITUAÇÃO

A idade fisiológica está relacionada à idade conforme as funções corporais e a idade funcional é quando a pessoa tem de beneficiar outras pessoas e a si mesmo e colaborar com a sociedade (REICHMANN, 2005). O envelhecimento é diferente para cada pessoa. Para algumas ele se torna mais lento e para outras ele é mais rápido. Essas modificações ocorrem devido ao estilo de vida, condições socioeconômicas e doenças crônicas (ATWAL; MCINTYRE, 2007) .

CASA DE REPOUSO PARA IDOSOS Conforme a legislação brasileira, a atenção com os idosos não dependentes deve ser responsabilidade da família. No entanto, isso está se tornando mais limitado, devido a grande atuação da mulher no trabalho – já que é vista como a cuidadora. Diante desse problema, a instituição de longa permanência para idosos (ILPIs), é uma das escolhas para que possam atender as suas necessidades sem o auxílio da família (CAMARANO; KANSO, 2010). A origem da ILPIs está relacionada aos asilos, que antes eram destinados as pessoas órfãos e carentes. As principais razões para a procura dessas instituições são as necessidades financeiras e a ausência de abrigos (CAMARANO; KANSO, 2010).

Foto Ilustrativa


14

Devido ao aumento do envelhecimento da população com a diminuição da habilidade física, cognitiva e mental estão solicitando que as instituições constituam a rede de contribuição à saúde, que concedem muito mais que um simples abrigo (CAMARANO; KANSO, 2010). Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), elas são fundações que dependem ou não do governo, com a função de abrigar diversas pessoas que tenham a mesma idade ou acima de 60 anos, oferecendo uma vida digna a esses idosos. As pessoas geralmente vinculam as ILPIs com casas de saúde, porém, elas não são feitas para proporcionar a mesma função de clínicas geriátricas. Elas têm a responsabilidade de promover diversas tarefas de diversão no dia a dia desses idosos, para que não tenham dias repetitivos e entediantes, possibilitando a união e comportamento entre esses residentes, apesar disso elas têm a obrigação de oferecer serviços de saúde (CAMARANO; KANSO, 2010).

CONDOMÍNIO Condomínios referem-se à existência de várias casas em que ao seu redor são cercadas por muros e vegetações. Esse geralmente tem a guarita para controlar a entrada e saída de pessoas (TRAMONTANO,1999 apud BERNARDES; JÚNIOR, 2005). Classificam-se também como propriedade individual, com vários lotes para edificação. Antigamente era destinado somente a população mais nobre. Contudo, hoje em dia, ele passou a ser frequentado por várias pessoas de diferentes classes sociais, buscando não somente o conforto, mas também a segurança aliada ao status que passam à sociedade (D´OTTAVIANO, 2008).

Geralmente as pessoas residentes do condomínio têm o seu acesso de carro separado do acesso de visitantes. Normalmente esses condomínios são destinados para residências, ainda que, muitos acabam utilizando para outras funções como comerciais e serviço (ALMEIDA, 2004 apud BERNARDES; JÚNIOR, 2005). Condomínios horizontais são conjuntos de casas não verticalizadas, construídas como unidades térreas uma ao lado da outra, podendo ser geminadas ou não (ALMEIDA, 2004 apud BERNARDES; JÚNIOR, 2005). Condomínios verticais são edifícios de apartamentos um sobre o outro em formato de torres. Esse tipo de condomínio é mais atrativo que o condomínio horizontal, por serem utilizados grandes números de unidades habitacionais e não precisar de terreno maior como o condomínio de casas térreas, já que este ocupa um grande espaço no lote (AMARAL; SOARES, 1997).

ACESSIBILIDADE E ERGONOMIA PARA IDOSOS O condomínio proposto é uma instituição para atender idosos de classe média a classe média alta, idosos ativos de 60 a 80 anos, condomínio horizontal com características residenciais, área de lazer, atendimento à saúde, visando o conforto e segurança dessa faixa etária. Com o número de pessoas idosas crescendo cada vez mais, há uma grande responsabilidade para os arquitetos que elaboram este tipo de projeto. Sabe-se que de forma individual, cada pessoa tem um tipo de necessidade especifica. Além dessas necessidades especificas, trata-se da questão da acessibilidade básica do idoso que garante o estar confortável para o seu dia a dia com segurança e independência (BINS ELY; DORNELES, 2006). Devido ao envelhecimento, passam a surgir algumas dificuldades especiais, que podem ser diminuídas através de projetos bem elaborados de forma que atendam às suas restrições e competências. Essas necessidades podem ser divididas como: físicas, informativas e sociais (HUNT, 1991 apud BINS ELY DORNELES, 2006).


15

a) Físicas: logo que se faz um projeto para idosos, deve-se levar em avaliação as necessidades físicas, pois estão ligadas à saúde, conforto, acessibilidade e segurança desses idosos dentro do próprio espaço. Suas casas devem proporcionar ambientes onde possam executar as suas atividades de forma segura evitando que se acidentam com tanta frequência. Os usos de rampas em áreas com desníveis ajudam os idosos com dificuldades de locomoção; os bancos devem ser projetados com encostos, apoios de braços e assentos com altura de no mínimo 45 cm, já que muitos sentem dificuldades ao sentar e levantar (BINS ELY; DORNELES, 2006). b) Informativas: é a maneira de como se adquiri informações do espaço. Os ambientes para essas pessoas devem ser projetados de forma que atendem os seus estímulos sensoriais. Por meio da percepção, quando houver limitação em algum desses espaços, o idoso entende as impressões sensoriais, concedendo a sua interpretação ao lugar. É essencial empregar odores e texturas de formas diversificadas nos projetos de idosos que não enxergam, pois isso serve como guia para se orientarem no ambiente. Espaços projetados de forma padronizados, com a utilização constante das mesmas cores, ajudam os idosos que tem dificuldades de recordar as informações adquiridas (HUNT, 1991 apud BINS ELY; DORNELES, 2006). c) Sociais: estão relativamente ligadas com a comunicação social. O local no qual residem os idosos deve ser feito de forma que possam promover uma conexão com as outras pessoas (HUNT, 1991 apud BINS ELY; DORNELES, 2006). Quando são feitas casas com sacadas, elas possibilitam um maior contato entre o idoso e a vizinhança (BINS ELY; DORNELES, 2006). Projetar de forma eficiente faz com que se atenda às necessidades dessas pessoas e que sejam capazes de realizar tarefas com total independência e acima de tudo oferecer a segurança e o lazer necessários (BINS ELY; DORNELES, 2006).


16 ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO No registro “Estatístico do Século XX”, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), informou que em 1910 a expectativa de vida para homens era de 33,4 anos e em 1990 era de 62,3 anos. Em 2017 a taxa chegou a 72,7 anos para homens e 79,8 anos para mulheres. Esses registros tendem a continuar aumentando e em 2060 estima-se 77,9 anos para homens e 84,2 anos para mulheres. Segundo o IBGE, esse crescimento no número de anos vividos pela população é devido à melhoria na área da saúde, os avanços da escolaridade, melhoras das redes de saneamento básico e a também a diminuição da taxa de mortalidade, o que resultará para o dia de amanhã maior número de habitantes idosos. Com o crescimento da população idosa, o número de médicos especialistas em geriatria tende aumentar cada vez mais. Conforme o IBGE, como mostrado no gráfico 01, ele é um comparativo da pirâmide etária brasileira de 2000 com uma projeção da pirâmide de 2040. Considerando os dados de 2000, a estrutura populacional se assimila a uma pirâmide: base relativamente larga devido ao grande número de natalidade; corpo largo por termos como característica população predominantemente jovem e adulta; e topo mais fino devido a taxa de mortalidade ser considerável no Brasil. Porém, se comparadas com as taxas de 1980, já pode ser observado uma diminuição. De acordo com a projeção de 2040, a imagem apresenta processo de envelhecimento da população, menores taxas de natalidade e população continua predominantemente adulta. É visível tanto o alargamento do topo (mais idosos) quanto o estreitamento da base (menor natalidade). Gráfico 01: Pirâmide de distribuição etária da população

Fonte: IBGE, 2010.


17 IDOSOS NO BRASIL Gráfico 02: Projeção para população brasileira

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que em 2060, a taxa de pessoas com mais de 65 anos ultrapassará de 9,2% para 25,5%, onde 1 em cada 4 brasileiros será idoso. O estudo aponta que os idosos com essa idade serão de 15% em 2034 e 20% em 2016, sendo que em 2010 a porcentagem desses idosos era de 7,3%, conforme mostrado no gráfico 02. Em 2039, o número de pessoas com mais de 65 anos irá ultrapassar o número de crianças com até 14 anos, que se refere a 21,3% de brasileiros e em 2060 essa taxa diminuirá para 14,7%. As idades entre 15 e 64 anos, que é de 69,4% será de 59,8% em 2060 de acordo com o IBGE, conforme o gráfico 02. Segundo o IBGE, hoje em dia, 43,2% são jovens com até 14 anos, para cada grupo de 100 idosos de 65 anos ou acima dessa idade. Em 2022, aumentará para 51%, passando os 100% em 2039.

Fonte: IBGE, 2018.


18 ENVELHECIMENTO ATIVO O envelhecimento deve ser vivido de maneira saudável e independente. Para isso, é essencial manter a vida social, econômica, cultural, espiritual e civil das pessoas idosas, favorecendo o envelhecimento ativo (AZEVEDO, 2015). Projetos sociais e de saúde que proporcionam a liberdade e autonomia são tão importantes quanto a busca do bem-estar. Eles são os principais objetivos tanto do governo quanto de todos os setores da comunidade, proporcionando assim a qualidade de vida dos idosos (COSTA, FERREIRA, et al., 2008). A autonomia refere-se à autodeterminação para conduzir e executar tarefas de rotina, ligadas à independência e que são capazes de serem feitas sem outras pessoas para ajudar, necessitando de habilidades motoras e cognitivas para a prática dessas atividades. Porém, os conceitos de autonomia e independência não são dependentes. A pessoa pode ser independente e não ser autônoma, como tendo como exemplo as demências. Ou, ser autônomo e não ser independente, como em indivíduos com resultado de um acidente vascular cerebral, onde é autônomo para suas próprias decisões, contudo é fisicamente dependente (COSTA, FERREIRA, et al., 2008).

Foto Ilustrativa

Dessa forma, a execução de atividades instrumentais básicas da vida diária para o idoso, é fundamental para a sua sobrevivência, conservando-o interativo com a sua saúde e na execução das atividades (COSTA, FERREIRA, et al., 2008).

Assim, a ideia do projeto é a criação de condomínio com a intenção de proporcionar o envelhecimento ativo e saudável dos idosos, consequentemente, melhor qualidade de vida. As dificuldades recorrentes à acessibilidade no meio urbano é assunto contemporâneo por tentar melhorar o conforto dessa parcela da população que está aumentando. O munícipio de Vera Cruz está sendo afetado cada vez mais pelo aumento da população de idosos e, com isso, a necessidade de se adaptar. Com essa ideia em mente, propõe-se um condomínio destinado à população idosa ativa, que busca independência e autonomia. Não necessariamente será resolvido o problema da cidade inteira, porém, pode ser o inicio de uma adaptação geral urbana da cidade.


19

EVOLUÇÃO HISTÓRICA

CONTEXTO NACIONAL Os asilos são as instituições mais antigas para abrigar os idosos, proporcionam conforto, segurança e tentam suprir a carência afetiva pela falta de atenção dos familiares. Segundo Araújo, Mancussi, Souza (2010) o cristianismo foi a religião que mais se preocupou com a saúde e abrigo dos idosos. Há documentos que mostram que o Papa Pelágio II (520-590), fez de sua residência uma casa de saúde para idosos. Para Conde de Resende, os soldados velhos tinham direito de viver a velhice de forma digna. Realizou-se então em 1794 no Rio de Janeiro, a Casa dos Inválidos, como forma de oferecer uma vida mais serena aos que fizeram parte da pátria (ARAÚJO; MANCUSSI; SOUZA, 2010). Antigamente os hospitais acolhiam os idosos pobres e que não tinham família, sendo comparados com os asilos de velhos que também faziam essa função. Em 1980 foi inaugurado o asilo São Luiz também no Rio de Janeiro sendo a primeira fundação com 253 idosos (ARAÚJO; MANCUSSI; SOUZA, 2010). Ainda, quando não se tinham casas de repouso para idosos, eles eram acolhidos em instituições que se encarregavam de cuidar de indivíduos carentes e abandonados, doentes mentais e que não tinham condições de se manter. No fim do século XIX, devido ao grande número de idosos abrigados pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ela ficou conhecida como instituição gerontológica em 1964 (ARAÚJO; MANCUSSI; SOUZA, 2010).

PANORAMA ATUAL Segundo a pesquisa do Estudo Longitudinal de Saúde dos Idosos (ELSI), deve-se verificar as causas determinantes que acontecem no futuro em relação as condições de saúde das pessoas idosas. Ações e programas relacionados à saúde dos idosos não são suficientes o bastante para melhorar a qualidade de vida dele. Contudo, são essenciais práticas de serviços médicos que ajudam a prevenir o desenvolvimento de doenças que surgem com a idade (BRAGA, 2018). De acordo com pesquisadores, é de extrema importância saber os motivos que estão relacionados ao aumento dos anos de vida para algumas pessoas e não para outras, além das condições biológicas individuais. A diferença regional com as questões básicas ligadas à melhora na oferta de saúde são um dos itens associados aos anos adicionais do idoso. Através de pesquisas feitas, sabe-se que a felicidade dos idosos está associada a muitos fatores de saúde. Idosos casados, que trabalham, participam de programas de lazer, tem alimentação saudável, peso ideal, residência própria (espaço para chamar de seu) e dormem bem, são os mais felizes. Antes, as instituições de idosos eram vistas como asilos destinados às pessoas carentes de recursos financeiros, baixa renda e necessitados sem moradia fixa. Mas, hoje elas são muitas vezes escolhidas pelo próprio idoso, onde buscam uma velhice digna, independente e sem preocupação; já que para muitos idosos, a casa em que residem pode ser um local comprometedor à sua saúde e bem-estar.


20 É de extrema importância que uma casa projetada para idosos necessitem de acessibilidade, para que assim ofereça independência e autonomia a eles. Com isso, o condomínio proposto segue as normas da Associação Brasileira de Normas técnicas (ABNT) NBR 9050 de 2015. Ela padroniza as medidas que devem ser seguidas aos projetos realizados, buscando a acessibilidade dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos.

LEGISLAÇÃO

O Estatuto do Idoso (2009) determina os direitos fundamentais das pessoas idosas com 65 anos ou mais e estabelece penas para quem as descumpri-las. Ele foi criado para defender os direitos das pessoas idosas com sessenta anos ou mais. Nele encontram-se todos os direitos essenciais que favorecem a sua saúde física e mental, e que proporcionem a liberdade e dignidade necessárias. A lei garante a proteção aos idosos contra qualquer violência. A família do idoso e o poder público tem o dever de garantir aos idosos a saúde aliada a educação e independência. Afirma o direito de envelhecer de todas as pessoas, proporcionando a proteção a vida e a saúde, o que possibilita uma velhice em condições de dignidade. Ele garante às pessoas acima de sessenta anos os direitos civis, políticos, individuais e sociais. O Sistema Único de Saúde (SUS) assegura a saúde desse idosos, com consultas, exames, internações e remédios. Aos que tiverem no hospital internados, tem-se o direito de acompanhante (exceto em UTI) e devem proporcionar as condições adequadas para a sua permanência. As instituições de saúde devem propor treinamento aos seus profissionais, de modo que atendam a melhor forma o idoso (ESTATUTO DO IDOSO, 2009). Conforme o Estatuto do Idoso (2009) é direito de o idoso ter acesso aos programas que favorecem a eles diversões e lazer conforme a sua idade. O poder público proporcionará que o idoso tenha acesso a educação, adequando os materiais didáticos específicos para eles. Eles têm o direito de exercer trabalhos profissionais, desde que respeitam as suas condições de estado. As pessoas devem ser informadas através de programas de televisão e rádio de como acontece o envelhecimento. O idoso tem direito à moradia digna, tanto em entidades específicas ou quando moram com a família. Se quiser morar sozinho ele tem esse direito. Em moradia de abrigo de idoso, devem proporcionar o contato com a família, atendimentos especiais a eles, sua participação em atividades comunitárias que proporcionem saúde e bem-estar, favorecer os seus direitos e proporcionar uma morada de respeito e dignidade (ESTATUTO DO IDOSO, 2009). Em relação ao projeto arquitetônico, tem como base de diretrizes projetuais o Código de Obras de Vera Cruz.

Foto Ilustrativa


21 RESIDÊNCIA PARA IDOSOS

LEITURA DE PROJETOS CORRELATOS

Criado em 2016 na cidade de Valladolid, Espanha e projetado pelo arquiteto Óscar Miguel Ares Álvarez, a Residência pra idosos Aldeamayor de San Martín está localizada entre área limite de região pantanosa (Salgüeros de Aldeamayor). A arquitetura da explanada agrícola castelhana tem forma horizontal que resplandece em relação ao local que está inserido. Em seu entorno, é possível observar pequenos bosques de vegetação. A intenção do projeto foi fazer com que a arquitetura promovesse o contato com a natureza, através da observação do entorno pelas varandas propostas com vista para paisagens rurais espanholas. A arquitetura da construção parte de dois blocos principais revestidos de concreto branco. Tem estética minimalista que explora linhas horizontais e os materiais utilizados são pensados de forma que interajam com o exterior sem roubar a cena. A iluminação vinda de dentro para fora, pela luz artificial, ressalta as linhas verticais e encanta quem observa a arquitetura externamente, conforme pode se identificar nas figuras 01 e 02. Figura 01 Residência para Idosos – Vista externa

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Figura 02– Residência para Idosos – Vista interna

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Diferente do exterior, o interior proporciona um ambiente quente e amável pelo uso do revestimento de madeira, o que contrasta com o revestimento frio da fachada. As linhas orgânicas do balcão trazem para o ambiente leveza e dinamismo. A iluminação intimista torna o ambiente aconchegante com luz indireta, como mostrado nas figuras 03 e 04. O revestimento de madeira proporcionou um ambiente aconchegante, distanciando de um espaço frio e sombrio. Essa área interna foi revestida com piso liso fosco laminado de madeira, o que garante maior segurança aos idosos evitando acidentes. A utilização do tijolo aparente proporcionou ao espaço um estilo mais rústico, mas ao menos tempo moderno. O pé direito alto e o uso dos vidros possibilita maior incidência de luz solar e garante um ambiente mais claro e arejado, de acordo com as figuras 03 e 04.


22 Diferente do exterior, o interior proporciona um ambiente quente e amável pelo uso do revestimento de madeira, o que contrasta com o revestimento frio da fachada. As linhas orgânicas do balcão trazem para o ambiente leveza e dinamismo. A iluminação intimista torna o ambiente aconchegante com luz indireta, como mostrado nas figuras 03 e 04. O revestimento de madeira proporcionou um ambiente aconchegante, distanciando de um espaço frio e sombrio. Essa área interna foi revestida com piso liso fosco laminado de madeira, o que garante maior segurança aos idosos evitando acidentes.

A utilização do tijolo aparente proporcionou ao espaço um estilo mais rústico, mas ao menos tempo moderno. O pé direito alto e o uso dos vidros possibilita maior incidência de luz solar e garante um ambiente mais claro e arejado, de acordo com as figuras 03 e 04. Figura 03– Residência para Idosos – Vista interna A

Figura 05– Residência para Idosos – Planta baixa

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Figura 04– Residência para Idosos – Vista interna B

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Como é possível ver na figura 05, as casas são distribuídas de forma orgânica em torno do pátio, criando aberturas que permitem o contato visual interior/exterior. O corredor se torna um espaço rico com a presença de cores. As portas, que fazem conexão com o pátio, permitem aos moradores conversarem com a vizinhança mantendo relação mais próxima com os vizinhos, o que torna o projeto mais acolhedor e confortável. Essas caracteristicas fazem com que o projeto se torne mais próximo de um lar. A planta mostra uma ótima distribuição dos cômodos, apresenta jardins nos pátios que permitem ventilação e iluminação nas unidades habitacionais dos idosos. Os ambiente comuns são maiores, pensados para atender os idosos ao mesmo tempo, o que proporciona encontro entre eles e momentos lúdicos e de lazer, conforme mostrado na figura 05.


23 Figura 06– Residência para Idosos – Cortes

De acordo com a figura 06, observamos a existência do pátio interno, que é o principal responsável pela integração dos ambientes no projetos, proporcionando volumetria interessante

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.

Figura 07– Residência para Idosos – Fachadas

A fachada tem estética contemporânea, simplista que de certa forma transmite certa frieza, como verificado na figura 07. Contudo, em seu interior pode-se observar aconchego transmitido pela escolha correta dos materiais de revestimentos. Concui-se, através desta análise, a existência de pontos positivos que foram inspirações utilizadas no projeto proposto neste trabalho. O principal ponto observado é o uso de materiais simples, de baixo custo e sem ostentação, a intenção da proposta é buscar ambientes cálidos e acolhedores aos idosos.

Fonte: <https://bit.ly/2D7xHdr>. Publicado em: 16/03/2017.


24 CASA PARA A TERCEIRA IDADE

Inaugurada em 2008, a Casa para a Terceira Idade foi projetada pelo escritório Baena Casamor Arquitectes em Barcelona, na Espanha com 1144 m². A forma como foi utilizado o revestimento de madeira para dar um toque de aconchego, junto com o vidro e a cerâmica na fachada deixou o edifício com um ar mais contemporâneo, como se pode verificar nas figuras 08 e 09. Para dar destaque a volumetria, foi usado em uma das paredes o revestimento de pequenos tijolos de cerâmica em cor natural que proporcionou à casa cores suaves e aconchegantes. A pintura, em tom escuro junto com a madeira em tom claro, conferiu um contraste à fachada, na qual foram usadas várias cores para facilitar os residentes a se direcionar, conforme as figuras 08 e 09. A Casa para a Terceira Idade foi projetada de forma que tivesse uma relação com o parque, onde tem uma porta de acesso entre a rua e ele. Dessa maneira, o parque favorece uma visão privilegiada para os residentes da casa, o que será levado em conta para o Condomínio Residencial Park e Saúde para idosos. Uma das praças do parque foi pavimentada com madeira e futuramente terá um novo acesso para o edifício, de acordo com a figura 09.

Figura 08– Casa para a Terceira Idade – Vista externa

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.

Figura 09– Casa para a Terceira Idade – Vista externa junto com o parque

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.


25 As ripas de madeira sobre o vidro proporcionaram um espaço elegante e leve, o que valorizou a fachada. Esse tipo de madeira natural oferece aos idosos residentes uma sensação de ambiente acolhedor, deixando-o mais aquecido. Nesse ambiente, foram utilizadas vigas de aço. Os bancos foram feitos com braços e encosto para proporcionar um maior conforto para quando o idoso sentar e levantar. Pelo espaço ser aberto, favoreceu a entrada de luz solar tendo uma ótima iluminação e se tornou um ambiente de multiuso. O uso do piso antiderrapante garante maior segurança aos idosos, como é possível ver na figura 10. Conforme pode ser identificado na figura 11, o interior, apesar de ser totalmente claro não transfere um ambiente frio, devido a utilização do vidro que reflete a luz solar para o interior e a madeira externa que dá um toque cálido ao ambiente. O vidro e o pé direito alto, faz com que o espaço se torne mais amplo e favorece a ventilação. Figura 10– Casa para a Terceira Idade – Vista da área de descanso

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.

Figura 11– Casa para a Terceira Idade – Vista interna

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.

Figura 12– Casa para a Terceira Idade – Planta baixa nível 0

De acordo com a figura 12, a planta apresenta o pavimento térreo que tem acesso à cozinha e a área de lazer. Também contam com os banheiros para facilitar ao idoso e não ter que subir ao pavimento superior quando precisar.

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.


26 Figura 13– Casa para a Terceira Idade – Planta baixa nível +1

Como é possível ver na figura 13, a planta mostra a distribuição dos banheiros adapatados para deficientes fisícos seguindo as normas da NBR 9050 e foi colocado um elevador para facilitar os idosos cadeirantes, que não podem subir escadas.

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.

Figura 14– Casa para a Terceira Idade – Planta baixa nível +1

Verificado na figura 14, os quartos também contam com as normas de acessibilidade, o que é visivel quando se notam as portas que abrem para fora. Nesse pavimento também constam com banheiros adapatados. O projeto apresenta pouca divisões, com espaços mais amplos que permitem explorar o ambiente proposto pela arquitetura.

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.


27 Figura 15– Casa para a Terceira Idade – Cortes

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.

No corte, nota-se a dimensão vertical dos cômodos, o que proporciona uma visualização das alturas internas da edificação, como é possível ver na figura 15. Conforme a figura 16, a fachada apresenta uma bela volumetria, o que tornou o edifício mais atraente. A partir das características encontradas neste projeto como áreas verdes e contribuição da natureza no entorno, que proporcionam mais qualidade de vida e bem-estar aos idosos, é intenção que as apliquemos na nossa proposta. O uso da madeira e o vidro, que proporcionará ambiente mais aconchegante, também será levado em consideração no projeto. Figura 16– Casa para a Terceira Idade – Fachada

Fonte: <https://bit.ly/2Gc5hke>. Publicado em: 14/06/2013.


28 LAR DE IDOSOS DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA

Inaugurado em 2018 na Avenida Manuel Pires Filipe (Avenida Marginal), Ponte de Sor, Portugal. Com o início da sua construção em 2015 e projetado pelo arquiteto Nuno Piedade Alexandre, o Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia é uma edificação residencial destinado a idosos. Com 10 quartos duplos e 4 quartos individuais, totalizando 24 camas e em todos os quartos há instalações sanitárias próprias. A volumetria se caracteriza pela construção dos quartos de maneira que ultrapasse o limite da construção, o que proporciona uma fachada distorcida, dinâmica e diferenciada. O maior objetivo do projeto é trazer uma atmosfera lúdica para o ambiente e para dentro de cada quarto a natureza existente do lado de fora, como é possível ver nas figuras 17 e 18. De acordo com a figura 18, o projeto foi pensado de forma que aproveitasse ao máximo a área do lote onde houvesse a ligação com o edifício existente. Em seu entorno há uma grande área verde junto com um rio, o que proporciona conforto, paz e qualidade de vida para os idosos residentes. Figura 17– Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Vista externa

Figura 18– Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Vista externa Figura 09– Residência para Idosos – Cortes

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.


29 Os quartos apresentam cores claras e calmas, o que é bem nítido que o ambiente proporciona paz e tranquilidade com uso da cor branca e azul como o tom predominante no projeto. As janelas, com o uso dos vidros, fazem com que o idoso tenha uma visão privilegiada do lado de fora, que quando se abrem tem o contato com a natureza. O quarto se torna bem iluminado devido à utilização da transparência explorada em todo pé direito, o que favorece a maior entrada de luz solar, verificado na figura 19. As diferentes formas geométricas presentes no edifício fazem com que ele se torne um projeto marcante em Portugal, tendo uma importante relação com a cidade. A utilização da cor fria (preto) na fachada proporciona um contraste com a cor quente (amarelo) das luzes acessas do local na caída da noite, como mostrado na figura 20. Figura 19 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Vista interna 1

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Figura 20 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Vista externa 2

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Figura 21 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Planta primeiro pavimento

De acordo com planta da figura 21, a planta mostra toda a distribuição dos cômodos do pavimento térreo com a existência de pátio interno para integração.

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.


30 Figura 22 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Planta segundo pavimento

Foi colocado o uso do elevador para facilitar a locomoção e acessibilidade dos idosos, conforme apresentado na figura 22.

Figura 24 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Planta de cobertura

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Figura 23 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Planta terceiro pavimento

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

A planta conta com banheiros adapatados seguem as normas da NBR 9050, de acordo com a figura 23.

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.


31

Figura 25 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Corte C

Figura 25 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Corte H

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019. Figura 25 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Corte E

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

No corte observamos que os desníveis entre ambientes são vencidos por rampas para facilitar o trânsito dos idosos pelas áreas comuns. Nota-se que o pé direito apresenta uma amplitude maior na fachada para captar a maior incidência da luz solar, conforme pode se identificar na figura 25 cortes C, E e H.


32

Como mostrado na figura 26, a fachada apresenta volumetria com recortes de diferentes geometrias, inovação no conceito do tipo de arquitetura para construção deste fim, que torna o edifício integrante para quem observa do lado de fora.

Figura 26 – Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia – Fachadas

Fonte: <https://bit.ly/2IpHqz1>. Publicado em: 31/01/2019.

Deste projeto, as inspirações principais foram a arquitetura de geometria diferenciada, as cores claras usadas nos quartos com vista para o verde da natureza e o uso do vidro para proporcionar melhor iluminação ao ambiente.


33 Casa da Vovó Maria de Nazaré Essa instituição atende e abriga os idosos necessitados ou os que não têm auxílio da família. Localiza-se na Rua Paulo Guerreiro Franco, 1580, Vera Cruz.

ANÁLISE DE CASOS

É destinada apenas ao sexo feminino e atualmente atende 13 mulheres, mas comporta 21. As idosas moradoras desse local contribuem financeiramente para uma melhor qualidade de vida na compra de produtos. Ela possibilita atividades de lazer no dia a dia das idosas, como forma de deixar o lar mais alegre. Todas as refeições são servidas diariamente. A instituição conta com muitas áreas verdes e a entrada possui bancos para as idosas passarem a tarde conversando, de acordo com a figura 27. O dormitório é amplo e atende ao máximo às necessidades da moradora. Ele oferece conforto e segurança para essa população. Atende às normas de acessibilidade e apresenta uma circulação adequada aos cadeirantes. O ideal seria a instalação de corrimão para facilitar a idosa no levantar, como mostrado na figura 28.

Figura 27– Fachada

Figura 28 – Dormitório

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.


34

Figura 29 – Banheiro

Como é possível ver na figura 29, o banheiro tem as barras de segurança colocadas ao lado da bacia, o que deixa acessível para ser usado por um cadeirante. O piso é antiderrapante para que não tenha perigo de a idosa escorregar. É destinada apenas ao sexo feminino e atualmente atende 13 mulheres, mas comporta 21. As idosas moradoras desse local contribuem financeiramente para uma melhor qualidade de vida na compra de produtos. A sala é bem ampla e tem uma boa iluminação, o que proporciona conforto e aconchego às idosas, conforme a figura 30. Figura 30 – Sala

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.


35

De acordo com a figura 31, o refeitório apresenta tamanho adequado para proporcionar conforto às idosas e a janela favorece a entrada de luz e ventilação. Já a sala de fisioterapia tem um tamanho um pouco apertado o que não facilita a circulação da passagem das idosas, como mostrado na figura 32. Figura 31 – Refeitório

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.

Figura 32 – Fisioterapia

Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.


36

Figura 33 – Jardim externo

O jardim externo proporciona às senhoras um ambiente mais agradável e próximo da natureza, conforme pode se ver na figura 33. Os bancos do ambiente ao lado fazem com que eles tenham um lugar para sentar e passar a tarde para conversar com a vista para o jardim. Apesar de não ter a estrutura que é proposta no ante projeto deste trabalho, notou-se pontos que forão utilizados para o Condomínio Residencial Park e Saúde para Idosos. Alguns deles são: o uso de jardins externos, sala comum ampla que porporcione integração entre os idosos, sala de informática para constante atualização de conhecimentos e espaços destinados a fisioterapia. Fonte: Casa da Vovó Maria de Nazaré, 2019.


37 ESTUDO DE IMPLANTAÇÃO O condomínio para idosos será implantado na cidade de Vera Cruz, no interior do Estado de São Paulo. Para a escolha do terreno mais adequado, foram levados em consideração alguns pontos. O terreno apresenta uma topografia com pouco desnível, a proposta será trabalhada na área mais plana para facilitar a locomoção dos idosos, tendo em vista a acessibilidade. A cidade não possui lei de uso e ocupação do solo e não se opõe à instalação de atividades neste local, desde que resíduos produzidos sejam destinados para seus devidos fins e que não poluam a cidade.

VIABILIDADE TÉCNICA

Características de Vera Cruz O município de Vera Cruz está localizado no estado de São Paulo e tem 10.769 mil habitantes de acordo com o último censo, sendo em torno de 4 mil pessoas idosas, segundo dados da assistência social da cidade. Os municípios vizinhos de Vera Cruz são: Marília, Lupércio e Garça e está situado a 13 km a Sul-Leste de Marília, a maior cidade nos arredores. Figura 34 – Mapa com a localização de Vera Cruz-SP

Fonte: <https://bit.ly/2EZgowf>.


38

Terreno O terreno escolhido para o condomínio residencial está situado na Avenida Mário Devito esquina com a Avenida Manoel Tomás da Silva e de fácil acesso à Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros. Sua área é de 18.708,53 e possui vasta massa verde que será utilizada de maneira positiva no empreendimento. Não há grande fluxo de trânsitos interno de carros da cidade, sendo assim classificado como um bom lugar residencial e possui tamanho adequado para a implantação do empreendimento. O lote está localizado em área nobre da cidade, próximo ao centro e a igreja japonesa Tenrikyo, com ponto de ônibus em frente e área de lazer com food trucks em equipamento urbano - praça. O terreno tem fácil acesso à rodovia que leva aos principais hospitais da região, como na cidade de Marília, que é a principal polo de saúde local, conforme pode ser identificado nas figuras 35, 36, 37, 38, 39 e 40. Figura 35 – Estudo de Implantação –Terreno

Figura 36 – Estudo de Implantação –Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019.

Fonte: Acervo do autor, 2019.

Figura 37 – Estudo de Implantação –Terreno

Figura 38 – Estudo de Implantação –Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019.

Fonte: Acervo do autor, 2019.


39

Figura 39 – Estudo de Implantação –Terreno

Fonte: Google Earth Pro, 2018. Figura 40 – Estudo de Implantação –Terreno

Fonte: Google Earth Pro, 2018.

Como mostrado na figura 40, por estar localizado à beira da rodovia, serão tratados os altos níveis de ruídos com implantação de massas de vegetação que servirão de “barreira acústica” (barreira ao ruído).


40

Topográfia da Área para Implantação

Figura 41 – Topografia do Terreno

Fonte: Google Earth Pro, 2018.

Figura 42 – Maquete Topográfica do Terreno

Fonte: Google Earth Pro, 2018.


41 PROGRAMA DE NECESSIDADES E PRÉ-DIMENSIONAMENTO

MATERIAIS E MÉTODOS

Quadro 01 – Programa de Necessidades e Quadro de Áreas

Fonte: Acervo do autor, 2019.


42 Figura 43 – Zoneamento

Fonte: Acervo do autor, 2019

1- UNIDADES HABITACIONAIS 2- SERVIÇO 3- ÁREA TÉCNICA 4- ADMINISTRAÇÃO 5- SAÚDE 6- ALIMENTAÇÃO 7- BEM-ESTAR 8- CONVÍVIO COMUM/SOCIAL 9- ÁREAS VERDES

Figura 44 – Zoneamento

Fonte: Acervo do autor, 2019


ORGANOGRAMA E FLUXOGRAMA

43

Organograma

Figura 45 â&#x20AC;&#x201C; Organograma

Fonte: Acervo do autor, 2019


44

Fluxograma Figura 46 â&#x20AC;&#x201C; Fluxograma

Fonte: Acervo do autor, 2019


45 O projeto do Condomínio Residencial Park e Saúde para Idosos, destinado exclusivamente à terceira idade, têm como principal objetivo oferecer a independência desses idosos de forma a possibilitar a interação e sociabilidade, o que inclui atividades de vivência e bem-estar que teriam em um lar. O projeto é totalmente térreo e a acessibilidade dos ambientes está presente, o que é essencial para que os idosos possam aproveitar esse espaço da melhor maneira durante a sua velhice.

PARTIDO ARQUITETÔNICO

Esse condomínio é executado no município de Vera Cruz, no interior do Estado de São Paulo em um terreno com área considerável proporcional a necessidade do condomínio e com pouco desnível. O estilo escolhido é contemporâneo com traços retos, uso de materiais novos no mercado, que garantem o visual do estilo presando pela segurança dos idosos. Os vidros são muito empregados nos ambientes, principalmente em áreas de convívio comum, lazer piscina e unidades habitacionais. Seu uso valoriza a visão interna em relação ao entorno e áreas comuns, o que favorece a entrada de luz solar e proporciona maior beleza e aconchego junto com o uso da madeira. Na fachada das unidades habitacionais, são utilizados os brises de estrutura metálica, para garantir o conforto térmico, já que reduz a incidência de luz do sol, amenizando o calor recebido no ambiente de acordo com a posição geográfica do projeto. Foto Ilustrativa

As cores escolhidas para esse projeto são de tons mais claros e neutros, de forma que proporcionem um espaço clean e leve para o idoso e tem o uso da madeira que deixa o ambiente mais acolhedor e aconchegante. As paredes são construídas de tijolos cerâmicos e na cobertura tem o uso da platibanda que esconde as telhas metálicas sanduíche de controle térmico e acústico. As casas tem a instalação de placas solares para a economia de energia, pensando na sustentabilidade do condomínio juntamente com o uso de cisternas para reaproveitamento de água da chuva. Nos ambientes internos das residências, tem o uso do piso antiderrapante e todas as portas possuem vãos de 90 para acesso aos portadores de necessidades especiais e a instalação de barras e rampas para facilitar a sua locomoção. Nos acessos são instaladas luzes de emergência que garantem a segurança dos idosos.

Foto Ilustrativa

Foto Ilustrativa


CONSIDERAÇÕES FINAIS

46

Foto Ilustrativa

Foto Ilustrativa

Foto Ilustrativa

Com o aumento da expectativa de vida, houve um grande crescimento de pessoas idosas, o que gerou na sociedade maiores preocupações com essa faixa da população em relação às suas moradias. Para a arquitetura, isso se torna um desafio e faz pensar em construções mais adequadas, já que no momento somente os asilos oferecem acolhimento. Apesar de muitos idosos possuírem limitações físicas, é possível proporcionar a eles um envelhecimento ativo e saudável. Dessa maneira, o condomínio busca oferecer ambientes seguros e acessíveis, com espaços elaborados de forma correta e que visam à integração desses com a vizinhança. O Condomínio Residencial Park e Saúde para Idosos atende os idosos dos municípios vizinhos e de Vera Cruz, e tem como objetivo mudar o modo de visão da sociedade sobre eles, e fazer com que os idosos vão morar ao condomínio pelas atividades de bem-estar e uma vida com mais independência, acessibilidade e segurança. No Residencial Seniors, está presente profissionais capacitados para atender os idosos, com o propósito de oferecer um ambiente aconchegante para viver a melhor fase de suas vidas.


47

ALVARENGA, Darlan; BRITO, Carlos. 1 em cada 4 brasileiros terá mais de 65 anos em 2060, aponta ibge. GLOBO. 25 de jul 2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/07/25/1-em-cada-4-brasileiros-teramais-de-65-anos-em-2060-aponta-ibge.ghtml>. Acesso em: 11/03/2019 e 08/04/2019. ARAÚJO, Claudia L. O.; SOUZA, Luciana A.; FARO, Ana M. C.. “TRAJETÓRIA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS NO BRASIL” Disponível em: <http://www.here.abennacional.org.br/here/n2vol1ano1_artigo3.pdf>. Acesso em: 11/03/2019.

REFERÊNCIAS

ATWAL, Anne; MCINTYRE, Anita. “TERAPIA OCUPACIONAL E A TERCEIRA IDADE.” 1ª ed .trad. São Paulo: Santos, 2007. AZEVEDO, Marta S. A.. “O ENVELHECIMENTO ATIVO E A QUALIDADE DE VIDA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA” Disponível em: <https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/10776/1/marta%2020%20de%20abril% 20-%20tese%20final%20-%20pdf.pdf>. Acesso em: 02/04/2019. BERNARDES, Genilda D.; JÚNIOR, Ademar A. S.. “CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS FECHADOS: REFLEXÃO SOBRE A CONFIGURAÇÃO DO ESPAÇO INTRAMETROPOLITANO DE GOIÂNIA” Disponível em: < https://www.redalyc.org/html/703/70310207/>. Acesso em: 10/03/2019. Brasil. “ESTATUTO DO IDOSO.”. 4. Ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2009. 162 p. – (Série Legislação; n. 31). BÔAS, Bruno V. “UM QUARTO DOS BRASILEIROS SERÁ IDOSO EM 2060, DIZ IBGE”. 25 jul 2018. Disponível em: <https://www.valor.com.br/brasil/5686149/umquarto-dos-brasileiros-sera-idoso-em-2060-diz-ibge>. Acesso em: 27/02/2019. CAMARANO, Ana A.; KANSO, Solange. “AS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS NO BRASIL” Rev. bras. estud. popul. vol.27 no.1 São Paulo Jan./Jun 2010. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010230982010000100014&script=sci_arttext&tlng=pt> Acesso em: 10/03/2019. Cidade-Brasil. “MUNICIPIO DE VERA CRUZ.“ maio de 2019. Disponível em: <https://www.cidade-brasil.com.br/municipio-vera-cruz-sp.html.> Acesso em: 29/04/2019. “CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÃO DO MUNICIPIO DE VERA <https://www.veracruz.sp.gov.br/arquivos/27_l206892_codigo_de_obras.pdf>. Acesso em: 04/04/2019.

CRUZ”

Disponível

em:

D´OTTAVIANO, Maria C. L. “CONDIMÍNIOS FECHADOS NA REGIÃO METROPOLITANA EM SÃO PAULO: FIM DO MODELOCENTRO RICO VERSUS PERIFERIA POBRE?” São Paulo, 2008. 290 p. ELY, Vera H. M. B.; DORNELES, Vanessa G.. “ACESSIBILIDADE ESPACIAL DO IDOSO NO ESPAÇO LIVRE URBANO.” Disponível em: <http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/51/51_ACESSIBILIDADE_ESPACIAL_DO_IDOSO_NO_ESPAYO_LIVRE_URBANO.pdf> Acesso em: 13/03/2019.


48 FELTEN, Beverly S. “GERIATRIA E GERONTOLOGIA” Volume 1 Ed. Reichmann e Autores. 2005

FERREIRA, Olívia G. L.; MACIEL, Silvana C.; COSTA, Sonia M. G.; SILVA Antonia O.; MOREIRA, Maria A.. “ENVELHECIMENTO ATIVO E SUA RELAÇÃO COM A INDEPENDÊNCIA FUNCIONAL” Florianópolis, 21 Jul 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/tce/v21n3/v21n3a04>. Acesso em: 02/04/2019. G1 Portal “População brasileira deve atingir pico em 2030, diz Ipea”. GLOBO. Outubro, 2010. Disponível em: <http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/10/populacaobrasileira-deve-atingir-picoem-2030-diz-ipea.html>. Acesso em: 08/04/2019. HELM, Joanna. “CASA PARA A TERCEIRA IDADE / BCQ ARQUITECTES” Março 2017. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/01-120183/casa-paraaterceira-idade-slash-bcq-arquitectes>. Acesso em: 26/03/2019. IBGE. “Cidades: Vera Cruz“ Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/vera-cruz/panorama>. Acesso em: 02/05/2019. “NORMA BRASILEIRA – ABNT NBR 9050”. Disponível em: <https://www.ufpb.br/cia/contents/manuais/abnt-nbr9050-edicao-2015.pdf>. Acesso em: 04/04/2019. NUNO, Alexandre P.. “LAR DE IDOSOS DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA” Janeiro 2019. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/910492/lar-deidososda-santa-casa-da-misericordia-nuno-piedade-alexandre>. Acesso em: 27/03/2019. RACHID, Ítalo. “CONDIÇÕES DE VIDA DO IDOSO NO BRASIL”. Abril 2018. Disponível em: <https://www.aterceiraidade.net/condicoes-de-vida-do-idoso-nobrasil/>. Acesso em: 08/04/2019. SOARES, Paulo R. R.; AMARAL, Stella M. R.. “REESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A PRODUÇÃO CAPITALISTA DE MORADIAS EM RIO GRANDE/RS (OS CONDOMÍNIOS VERTICAIS)” Março, 1997. Associação Brasileira de Geógrafos, Seção Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil. Disponível em: < https://seer.ufrgs.br/bgg/article/viewFile/38364/25643>. Acesso em: 10/03/2019. UNIVALI, Fisioterapia. “CONCEITO DE IDOSO”. Disponível em: < https://gerontounivali.wordpress.com/conceito-de-idoso/>. Acesso em: 01/03/2019. Redação Jornal da USP. “Em 2030, Brasil Terá A Quinta População Mais Idosa Do Mundo”. USP. Editoriais: Atualidades, Rádio USP . 07 jun de 2018. Disponível em: < https://jornal.usp.br/atualidades/em-2030-brasil-tera-a-quinta-populacao-mais-idosado-mundo/>. Acesso em: 04/03/2019. Redação Veja. “Envelhecer No Século XXI”. VEJA. São Paulo 18 março 2016. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/brasil/envelhecer-no-seculo-xxi/>. Acesso em: 27/02/2019. SBEGHEN, Camilla. “RESIDÊNCIA PARA IDOSOS/ ÓSCAR MIGUEL ARES ÁLVAREZ” março 2017. ArchDaily. Disponível em: Mualvarez>. Acesso em: 26/03/2019. SOARES, Paulo R. R.; AMARAL, Stella M. R.. “REESTRUTURAÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A PRODUÇÃO CAPITALISTA DE MORADIAS EM RIO GRANDE/RS (OS CONDOMÍNIOS VERTICAIS)” março, 1997. Associação Brasileira de Geógrafos, Seção Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brasil. Wikipedia. “VERA CRUZ (SÃO PAULO)“ Disponível: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Vera_Cruz_(S%C3%A3o_Paulo)> . Acesso em: 02/05/2019.


CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PARK E SAÚDE PARA IDOSOS


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: APRESENTAÇÃO ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes DO TEMA COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto FOLHA: 01/07

O aumento da expectativa de vida, trouxe um grande crescimento de pessoas idosas, o que promoveu na sociedade uma série de preocupações com eles em relação às suas moradias. Isso se torna um desafio para a arquitetura, em ter que projetar construções adequadas buscando a qualidade do envelhecimento. Ainda que muitos idosos possuam algumas restrições físicas, é possível promover a eles um envelhecimento ativo e saudável. Assim, o condomínio é projetado especialmente para os grupos da terceira idade e proporciona ambientes seguros e espaços elaborados de forma correta com acessibilidade que visam a aproximação desses com a vizinhança. O condomínio é totalmente térreo e conta com setores administrativo, alimentação, áreas técnicas, áreas verdes, bem-estar, convívio comum/social, saúde e serviço.


N


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: TÉCNICAS ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes FOLHA: 02/07 COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto


LOCALIZAÇÃO

N

TELHA METÁLICA SANDUÍCHE I= 15% PLACA SOLAR

COBERTURA DE VIDRO COM ESTRUTURA METÁLICA I= 2%


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: COBERTURA ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes FOLHA: 03/07 COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto

O condomínio apresenta uma taxa de ocupação de 24,44% e oferece a independência dos idosos de forma a possibilitar a interação e sociabilidade, com as atividades de vivência e bem-estar.

Está presente a acessibilidade, aliada ao conforto, segurança e lazer, o que é essencial para um espaço aconchegante. Ele possui 15 casas ``tipo´´ para moradia individual e 6 casas ``tipo´´ para moradia em dupla, o que abriga em torno de 27 idosos. Nas áreas de convívio comum, bem estar e nas unidades habitacionais, os vidros são empregados para possibilitar a entrada de luz solar e deixar o ambiente mais claro, oferecendo beleza e conforto junto com o uso da madeira. O ambiente da sala de estar das unidades habitacionais e o setor da área da piscina, apresentam pédireito alto, o que deixa o espaço mais amplo e beneficia a ventilação. Isso pode-se conferir pelos cortes apresentados. As paredes são construídas de tijolos cerâmicos e nas coberturas foram utilizadas platibandas de alvenaria que escondem as telhas metálicas sanduíche de controle térmico e acústico. Os blocos receberam a instalação de placas solares para a economia de energia, pensando na sustentabilidade do condomínio juntamente com o uso de cisternas para reaproveitamento de água da chuva. Na parte mais alta do lote, foi colocado uma torre de caixa d´ água.


N

SALÃO PARA BAILES E LAZER PISCINA


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: PLANTAS ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes SETORIZADAS E IMAGENS COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto FOLHA: 04/07

Para esse projeto, são usadas cores em tons mais claros e neutros, de forma que proporcionem um espaço clean e leve ao idoso. A presença da madeira garante um lugar acolhedor e aconchegante. O estilo adotado é contemporâneo de traços retos, com o uso de novos materiais no mercado.

PISCINA

REDÁRIO E HORTA


N


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: IMPLANTAÇÃO, ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes CORTES E IMAGENS COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto FOLHA: 05/07

Na fachada das unidades habitacionais, são utilizadas brises de estrutura metálica para garantir o conforto térmico. Para os ambientes internos das residências, é usado o piso antiderrapante e portas com vãos de 90 para acesso aos portadores de necessidades especiais. A instalação de barras e rampas são utilizadas para facilitar o dia a dia do idoso.

JARDIM E ACADEMIA AO AR LIVRE

JARDIM E SALÃO PARA BAILES


ÁREA GOURMET

BANHEIRO

ESTAR

CASA ``TIPO´´ 1 e ORQUIDÁRIO


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: TÉCNICAS ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes E IMAGENS COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto FOLHA: 06/07

DORMITÓRIO

JARDIM ESTAR

CASA ``TIPO´´ 2 e ESPELHO D´ÁGUA


GUARITA PRINCIPAL

ORQUIDÁRIO

O Residencial Seniors tem como propósito mudar o modo de visão da sociedade sobre os idosos e os atrair de vários lugares. O partido arquitetônico visa promover a interação entre eles, onde os próprios idosos passarão a escolher o condomínio por conta própria, por incluir atividades de bem-estar e uma vida com mais independência, acessibilidade e segurança para viver a melhor fase de suas vidas de forma ativa.

ESPELHO D´ÁGUA

ACADEMIA AO AR LIVRE


TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: Tayara Machado de Barros Araujo ASSUNTO: IMAGENS ORIENTADOR: Profª Ms. Sônia Cristina Bocardi de Moraes FOLHA: 07/07 COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: Profº Ms. Fernando Netto

GUARITA SERVIÇO

ENTRADA SERVIÇO

PERSPECTIVA ENTRADA SERVIÇO


Profile for Tayara Barros

TFG UNIMAR 2019 - CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PARK E SAÚDE PARA IDOSOS  

Condomínio Residencial Park e Saúde destinado ao grupo da terceira idade, proporcionando uma velhice ativa com as atividades de bem-estar pa...

TFG UNIMAR 2019 - CONDOMÍNIO RESIDENCIAL PARK E SAÚDE PARA IDOSOS  

Condomínio Residencial Park e Saúde destinado ao grupo da terceira idade, proporcionando uma velhice ativa com as atividades de bem-estar pa...

Advertisement