Page 234

não conhece a Imelda Marcos, né? E a Barbara Bush, então? Tenho certeza de que ela é muito legal, mas não é uma das amigas mais chegadas da mamãe.” Ela continuava calada. “Grandmère”, gritei pela porta. “Olha só, eu estou mesmo surpresa com você. Pensei que ensinasse sempre que uma princesa tem que ser forte. Pensei que tivesse dito que uma princesa, diante de qualquer tipo de adversidade, precisa fazer cara de forte e não se esconder atrás de sua riqueza nem de seus privilégios. Bom, não é exatamente isso o que está fazendo agora? Não devia estar lá embaixo agora, fingindo que foi exatamente assim que planejava que tudo acontecesse, e fazendo um brinde ao feliz casal ausente?” Pulei para trás quando a maçaneta do quarto da minha avó começou a girar lentamente. Um segundo depois, Grandmère saiu, uma visão trajada de veludo roxo e uma tiara de diamantes. Depois disse, com uma tremenda dignidade: “É claro que pretendia voltar para a festa. Só subi para retocar o batom.” Meu pai e eu nos entreolhamos. “Claro, Grandmère”, disse eu. “Se é o que diz.”

233 “Uma princesa”, disse Grandmère, fechando a porta da suíte atrás de si, “nunca deixa os convidados se virarem sozinhos.” “Falou”, disse eu.

2 o diário da princesa 2 - a princesa sob os refletores  
2 o diário da princesa 2 - a princesa sob os refletores  
Advertisement