Page 41

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioanalítica (INCTBio) Comitê gestor Lauro Tatsuo Kubota (Coordenador) Yoshitaka Gushikem (Vice-Coordenador) Marília de Oliveira Fonseca Goulart Marina Franco Maggi Tavares Reinaldo Calixto de Campos Principais pesquisadores Alviclér Magalhães, Ana Valéria C. Simionato, Auro Atsushi Tanaka, Carla Beatriz G. Bottoli, César Ricardo Teixeira Tarley, Claudimir Lúcio do Lago, Dosil Pereira de Jesus, Eduardo C. da Rocha, Emanuel Carrilho, Érico Marlon de Moraes Flores, Fabio Augusto, Fábio Cesar Gozzo, Flávio Santos Damos, Jez Willian Batista Braga, José A. Fracassi da Silva, Lauro T. Kubota, Marcelo Martins de Sena, Marcello Garcia Trevisan, Marco Aurélio Zezzi Arruda, Marco Flores Ferrão, Marília de Oliveira F. Goulart, Marina Franco Maggi Tavares, Orlando Fatibello Filho, Pablo Alejandro Fiorito, Pedro de Magalhães Padilha, Reinaldo Calixto de Campos, Ricardo E. Santelli, Ronei Jesus Poppi, Rose Mary Z. G. Naal, Susana Ines C. de Torresi, Wendel Andrade Alves, Wendell K. Tomazelli Coltro, Yoshitaka Gushikem, Zeki Naal Principais linhas de pesquisa Síntese e caracterização de materiais nanoestruturados e/ou poliméricos, assim como nas suas respectivas funcionalizações com enzimas e compostos biomiméticos na superfície do eletrodo, para determinação de vários analitos de interesse clínico, ambiental e farmacológico. Emprego de espectrofluorimetria e métodos quimiométricos de segundaordem na determinação direta de fármacos em matrizes biológicas. Análise de fármacos por espectroscopia de imagem. Métodos analíticos para aplicação em estudos proteômicos e/ou metalômicos em organismos vivos e para separação, pré-concentração e especiação de íons metálicos potencialmente tóxicos em amostras ambientais. A integração de diferentes técnicas analíticas com técnicas de separação permitirá a elucidação de aspectos fisiológicos e funcionais das metaloproteínas em organismos vivos, como também, irá contribuir significativamente nas análises de especiação em amostras ambientais e farmacológicas.

40

Resumo dos resultados e perspectivas Diversos materiais vêm sendo empregados com sucesso pelos pesquisadores do INCTBio, como plataforma para construção dos sensores e biossensores amperométricos, condutométricos e ópticos, podendo ser citados os nanotubos de carbono, nanotubos de carbono revestidos com polímeros, nanotubos de peptídeos, nanotubos de titanatos, filmes nanocristalinos de TiO2, nanopartículas metálicas, filmes finos de hidróxido de níquel, filmes mesoporosos de diferentes materiais, sílicas modificadas, materiais cerâmicos, dentre outras. Como perspectiva futura, um dos grandes desafios para o instituto de bioanalítica é o desenvolvimento de sensores eletroquímicos estáveis e com alto grau de seletividade. Outra área de interesse busca o desenvolvimento de sensores para aplicações in vivo, os mais estáveis possíveis. Foram desenvolvidos dois métodos para as determinações diretas do

antioxidante trans-resveratrol em plasma sanguíneo e dos enantiômeros do ibuprofeno em plasma e urina. A perspectiva desse tópico de pesquisa é o desenvolvimento de novos estudos visando à análise de drogas proibidas no esporte. O emprego da espectroscopia de 1H RMN e análise quimiométrica na diferenciação de indivíduos saudáveis de pacientes bipolares, bem como, de pacientes bipolares sob diferentes tratamentos, utilizando o lítio ou não; Identificação de proteínas com diferentes expressões em amostras de soja transgênica e não-transgênica; Fracionamento de proteínas de amostras de tecido muscular, hepático e de plasma sanguíneo da espécie de peixe tilápia do Nilo. Como perspectiva futura, os pesquisadores buscam a identificação de biomarcadores de transtorno afetivo bipolar em humanos, alterações genéticas, de toxicidade de espécies metálicas e, de minerais promotores de crescimento em diferentes organismos vivos (animais e vegetais). Principais publicações 1. J. L. Costa, F. G. Tonin, L. A. Zanolli Filho, A. A. M. Chasin, M. F. M. Tavares, Electrophoresis, 30, 2238, (2009). 2. G. R. M. Duarte, C. W. Price, J. L. Littlewood, D. M. Haverstick, J. P. Ferrance, E. Carrilho, J. P. Landers, Analyst, 135, 531, (2010). 3. P. Valderrama, R. J. Poppi, Chemom. Intell. Lab. Syst., in press, doi: 10.1016/j.chemolab.2010.05.012. 4. C. D. Bernardes, R. J. Poppi, Marcelo M. Sena, Talanta, in press, doi:10.1016/j.talanta.2010.05.024 . 5. A. H. Iglesias, L. F. A. Santos, F. C. Gozzo. Anal. Chem. 82, 909, (2010). 6. A. Sussulini, A. Prado, D.A. Maretto, R.J. Poppi, L. Tasic., C.E.M Banzato, M.A.Z. Arruda. Anal. Chem. 81, 9755, (2009). Contatos Instituto de Química, Departamento de Química Analítica Cidade Universitária Zeferino Vaz s/n CEP: 13083-970 Caixa Postal: 6154 Campinas, SP Tel: (19) 3521-3127 E-mail: inctbio@iqm.unicamp.br / kubota@iqm.unicamp.br http://www.inctbio.iqm.unicamp.br

Imagens de microscopia Raman para verificar distribuição dos constituintes e espessura das camadas de pellet de diclofenaco

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

Advertisement