Page 189

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Translacional em Medicina (INCT-TM) Comitê gestor Flávio Kapczinski (Coordenador) José Alexandre Crippa (Vice-coordenador) Jaime Hallak Antonio Egídio Nardi João Quevedo Emílio Streck Nadja Schröder Rafael Roesler Principais pesquisadores Clarissa Severino Gama, Keila Maria Mendes Ceresér, Márcia KauerSant’Anna, Lunardi Brunetto, Ana Lucia Abujamra, Fábio Klamt, Gilberto Schwartsmann, Ricardo Machado Xavier, Ana Chrystina de Souza Crippa, Antonio Waldo Zuardi, Regina Helena Costa Queiroz, Márcio Versiani, Alexandra Ioppi Zugno, Maria Inês da Rosa, Carla Denise Bonan, Elke Bromberg, Mauricio Reis Bogo, Mônica Ryff Moreira Roca Vianna, Rodrigo Grassi de Oliveira Principais linhas de pesquisa - Investigação do uso clínico da tianeptina como tratamento para a depressão bipolar. - Desenvolvimento do uso terapêutico do Canabidiol em transtornos de ansiedade social. - Prospecção do uso de derivados da ayahuaska em modelo animal de ansiedade. - Prospecção do uso terapêutico de agonistas e antagonistas de receptores de neuropeptídeos, com foco no Gastrin releasing peptide receptor (GRPR), como fármacos anti-tumorais (Câncer de cólon). - Prospecção do uso clínico do BDNF como: a) marcador de atividade; b) marcador de estadiamento; c) marcador e resposta terapêutica nos transtornos psiquiátricos maiores (esquizofrenia e transtorno bipolar). - Prospecção do uso clínico de marcadores de estresse oxidativo como: a) marcador de atividade; b) marcador de estadiamento; c) marcador e resposta terapêutica nos transtornos psiquiátricos maiores (esquizofrenia e transtorno bipolar). - Prospecção do uso terapêutico de agentes que afetam mecanismos epigenéticos, promovendo o relaxamento da cromatina (por exemplo, inibidores de desacetilase de histonas) como potenciais medicamentos anti-tumorais (câncer de cólon).

188

Resumo dos resultados e perspectivas Biomarcadores – Publicamos artigos relacionando estresse oxidativo, neurotrofinas e citocinas como mediadores do prejuízo cognitivo e para a saúde, de um modo geral, que ocorre em episódios de humor recorrentes em pacientes bipolares. Verificamos também, preliminarmente, que os níveis séricos de BDNF diminuem consideravelmente em pacientes bipolares medicados e não-medicados em relação a controles, não havendo diferença significativa entre estes níveis entre medicados e não-medicados quando comparados. Além disso, desenvolvemos um

índice de toxicidade sistêmica, para avaliação das mudanças periféricas nos episódios de humor.Atualmente estamos com cerca de 150 pacientes envolvidos em ensaios clínicos, onde poderemos avaliar mudanças nos níveis de BDNF como preditoras de resposta ao tratamento para depressão bipolar, assim como sua relação com a função cognitiva. - Modelo animal de mania induzido por Ouabaína – A administração intracerebroventricular (ICV) de Ouabaína em ratos é bem sugerida para mimetizar alguns sintomas de mania bipolar em humanos. Avaliamos os efeitos comportamentais e bioquímicos induzidos pela administração ICV de Ouabaína em ratos, imediatamente após e 7 dias após uma única administração ICV sobre a atividade locomotora, através do teste de campo-aberto, e sobre os parâmetros de estresse oxidativo. Os resultados sugerem que a Ouabaína induz sintomas maníacos e pode ser usada como um modelo animal de mania para testar a hipótese do envolvimento do estresse oxidativo no Transtorno Bipolar. - Efeitos do canabidiol sobre a geração de estresse oxidativo induzido por anfetamina em um modelo animal de mania – Canabidiol (CBD) é um constituinte da Cannabis sativa que pode apresentar perfil farmacológico similar aos estabilizadores de humor, inclusive propriedades antioxidantes e de neuroproteção. Estudamos os efeitos do CBD em um modelo animal de mania induzido por D-anfetamina (D-AMPH). Nossos resultados sugerem que CBD não tem efeitos sobre a hiperlocomoção induzida pela D-AMPH, mas apresenta efeito protetor sobre o dano oxidativo em proteínas e aumento dos níveis de BDNF no modelo de reversão. - Evidências terapêuticas do uso da ayahuasca e seus derivados (harmina e harmalina) em transtornos psiquiátricos, particularmente na depressão - Avaliamos os efeitos comportamentais e fisiológicos da administração de harmina em ratos submetidos a agentes estressores e esta pode ser uma nova ferramenta farmacológica para o tratamento da depressão. Principais publicações - Kapczinski F, Dal-Pizzol F, Teixeira AL, Magalhaes PV, Kauer-Sant’anna M, Klamt F, de Bittencourt Pasquali MA, Quevedo J, Gama CS, Post R.A systemic toxicity index developed to assess peripheral changes in mood episodes. Molecular Psychiatry 2010 [Epub ahead of print]. - Fortunato JJ Réus GZ, Kirsch TR, Stringari RB, Fries GR, Kapczinski F, Hallak JE, Zuardi AW, Crippa JA, Quevedo J. Effects of beta-carboline harmine on behavioral and physiological parameters observed in the chronic mild stress model: Further evidence of antidepressant properties. Brain Res Bull. 2010 16;81(4-5):491-6. - Abujamra AL, Dos Santos MP, Roesler R, Schwartsmann G, Brunetto AL. Histone deacetylase inhibitors: A new perspective for the treatment of leukemia. Leuk Res. Leuk Res. 2010 34(6):687-95 Contatos Página: http://www.ufrgs.br/inct_tm/ Flavio Kapczinski: kapcz@terra.com.br José Alexandre Crippa: jcrippa@fmrp.usp.br Jaime Hallak: jhallak@fmrp.usp.br

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

Advertisement