Page 155

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Neurociência Translacional (INNT)

154

Comitê gestor Esper Abrão Cavalheiro (Coordenador) Vilma Regina Martins (Vice-coordenadora) Fernando Garcia de Mello Ivan Izquierdo Roberto Lent Sérgio T. Ferreira Vivaldo Moura Neto

células serão uma ferramenta importante no estudo de drogas que atuem no controle do crescimento e invasão destes tumores. Também nesse grupo situam-se os estudos que têm possibilitado compreender os mecanismos relacionados à epileptogênese e à antiepileptogênese através da utilização de modelo experimental pioneiro desenvolvido pelo grupo e sua aplicação em animais de laboratório nãoconvencionais, permitindo verificar que estruturas cerebrais contribuem numa ou noutra direção.

Principais linhas de pesquisa Desenvolvimento e plasticidade do sistema nervoso Neurofarmacologia e neurofisiologia da memória Doenças neurodegenerativas (Alzheimer, Parkinson, Prion e degeneração da retina) Plasticidade de células progenitoras neurais e seu uso terapêutico Investigação e tratamento das epilepsias A fisiologia das células da glia e os tumores gliais

Principais publicações Arantes C, Nomizo R, Lopes MH, Hajj GN, Lima FR, Martins VR (2009) Prion protein and its ligand stress inducible protein 1 regulate astrocyte development. Glia, 57, 1439-49. Arida RM, Scorza FA, Scorza CA, Cavalheiro EA (2009) Is physical activity beneficial for recovery in temporal lobe epilepsy? Evidences from animal studies. Neurosci Biobehav Rev, 33, 422-431. Azevedo FA, Carvalho LR, Grinberg LT, Farfel JM, Ferretti RE, Leite RE, Jacob FW, Lent R, Herculano-Houzel S (2009) Equal numbers of neuronal and nonneuronal cells make the human brain an isometrically scaled-up primate brain. J Comp Neurol, 513, 532-541. Bandeira F, Lent R, Herculano-Houzel S (2009) Changing numbers of neuronal and non-neuronal cells underlie postnatal brain growth in the rat. Proc Natl Acad Sci U S A, 106, 14108-14113. Clarke JR, Cammarota M, Gruart A, Izquierdo I, Delgado-García JM (2010) Plastic modifications induced by object recognition memory processing. Proc Natl Acad Sci U S A, 107, 2652-7. da Silva RT, Hokoc JN, de Mello FG, Gardino PF (2009) Differential immunodetection of L-DOPA decarboxylase and tyrosine hydroxylase in the vertebrate retina. Int J Dev Neurosci, 27, 469-476.

Resumo dos resultados e perspectivas Os resultados obtidos nesse primeiro ano de funcionamento do INNT podem ser divididos em dois grandes grupos: (a) aqueles destinados a entender a morfofisiologia do sistema nervoso normal sobre o qual se desenvolvem as principais doenças neurológicas e (b) aqueles que buscam compreender os processos fisiopatológicos subjacentes ao estabelecimento dessas patologias. No primeiro grupo, podemos destacar os estudos do desenvolvimento e da plasticidade do Sistema Nervoso normal, bem como sobre a participação das diferentes populações celulares e seu papel nesses processos. Foi possível verificar que o desenvolvimento do cérebro dos mamíferos, baseado no número de neurônios e de células gliais, segue uma linearidade crescente a partir daqueles com menor desenvolvimento cerebral até chegar aos primatas e os seres humanos. Ainda nesse primeiro grupo, encontram os estudos sobre a memória que tem feito contribuições seminais para a compreensão dos mecanismos relacionados à consolidação e daqueles fundamentais para a recuperação das informações estocadas ou o seu esquecimento. No segundo grupo, destacam-se os estudos que permitem entender os mecanismos ligados à morte neuronal presente em distúrbios neurológicos importantes, muitos deles de origem neurodegenerativa (doença de Parkinson, doença de Alzheimer, epilepsias). Esses estudos têm como corolário a busca de estratégias que visam mitigar os efeitos dessa perda neuronal ou mesmo de impedir sua morte através de processos neuroprotetores. O desenvolvimento de ferramentas para o estudo de tumores derivados da célula da glia é uma estratégia muito importante. Estes tumores são os mais freqüentes do sistema nervoso central, sendo os glioblastomas os mais agressivos e levando a morte dos pacientes em média 6 meses após o diagnóstico. O grupo isolou células de glioblastoma a partir de tumores humanos que quando injetadas em animais reproduzem o fenótipo tumoral, particulamente, a de invasão do tecido cerebral. Estas

Contatos Universidade Federal de São Paulo Rua Botucatu, 862 - 04023-900 São Paulo, SP Tel.: (11) 55492064; Fax: (11) 55739304 e-mails: esper@pq.cnpq.br;esper.nexp@epm.br

Célula glial de retina produtora de dopamina com uso potencial no tratamento da doença de Parkinson.

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

livroinct2010  

Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho Presidente do CNPq 1

Advertisement