Page 1

tábuanotícias N.º 06 . 03 de Setembro de 2009 . Semanário . Directora: Margarida Matos Pereira .

G

T RA

TO UI . Às

Quintas, só nas bancas

PSD visitou o concelho Os candidatos sociais-democratas à Assembleia da República pelo círculo de Coimbra estiveram em visita ao concelho de Tábua, acompanhados pelos elementos da coligação “Por Tábua, Juntos Conseguimos”. Incluídas na visita estiveram deslocações a unidades industriais e a instituições de solidariedade social. Um dia inteiro para que os candidatos do PSD se apercebessem das necessidades do concelho.

P03

JANTAR DO PS: P12 | VEIGAS APRESENTOU MAIS CANDIDATOS: P13 | 1ª RAMPA PEDRA DA SÉ: P18 | OPINIÃO: P16-P17 | AVANTE 2009: P13


Segunda

tábua/arganilnotícias

P02

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

editorial

A equipa do TAn

Quando um título se habitua a estar sozinho num mercado pequeno é normal que, ao aparecer concorrência, aqueles que se auguram como seus responsáveis (porque ocupam lugares de destaque, ou não, em colectividades) tenham a mania que só eles podem escrever, e só as suas opiniões e relatos são válidos, pelo que a concorrência é um alvo a abater ou a silenciar. Os métodos são muitos para isto acontecer, mas aquilo que um elemento da direcção da associação juvenil “Tábua XXI” fez junto de um nosso colaborador é inqualificável. Não admitimos que alguém se dirija a representantes deste jornal acusando-os de quererem destruir qualquer colectividade, ainda por cima num acontecimento que nada tinha a ver com a associação em questão. Nunca falhámos os eventos de interesse cultural, que consideramos importantes, sejam organizados por entidades com quem temos relacionamento amigável, ou não. O nosso dever é informar, com rigor e verdade, o que acontece. No entanto, a presença deste título em acções levadas a cabo pela associação juvenil “Tábua XXI” passará a limitar-se a acompanhar aquilo para que formos convidados. Se não formos convidados não falaremos e perde-se a oportunidade de informação plural e verdadeira, passando as notícias a estar controladas apenas por um dirigente, que também é redactor de um jornal local. Se é esta a ideia de democracia que têm, temos muita pena, e lamentamos o facto de não saberem ouvir a opinião e os relatos de outros, tão embrenhados que estão no seu próprio casulo de fantasia.

Farmácias de Serviço Arganil Quinta 10 Set Farmácia Moderna Sexta 11 Set Farmácia Moderna Sábado 12 Set Farmácia Moderna Domingo 13 Set Farmácia Moderna Segunda 14 Set Farmácia Moderna Terça 15 Set Farmácia Galvão Quarta 16 Set Farmácia Galvão

Tábua Quinta 10 Set Farmácia Quaresma Sexta 11 Set Farmácia Quaresma Sábado 12 Set Farmácia Simões Ferreira Domingo 13 Set Farmácia Simões Ferreira Segunda 14 Set Farmácia Simões Ferreira Terça 15 Set Farmácia Carvalho Quarta 16 Set Farmácia Carvalho

www.netemprego.gov.pt

Oferta 587631203 587634438 587635665 587646043 587646719 587649681 587650054 587650231 587650924 587651651 587650552 587644521 587645395 587649573 587650577 587650708 587651007 587648798 587642519 587649241 587650072

Profissão Concelho Outra profissão ARGANIL ESTETICISTA (VISAGISTA) ARGANIL SERRALHEIRO CIVIL ARGANIL CARPINTEIRO DE LIMPOS ARGANIL MOTORISTA DE VEÍCULOS PESADOS - MERCADORIAS ARGANIL SERVENTE-CONSTRUÇÃO CIVIL E OBRAS PÚBLICAS ARGANIL VIGILANTE (GUARDA, RONDISTA) ARGANIL Outra profissão ARGANIL FIEL DE ARMAZÉM ARGANIL SERVENTE-CONSTRUÇÃO CIVIL E OBRAS PÚBLICAS GÓIS DISTRIBUIDOR GÓIS Outra profissão LOUSÃ FIEL DE ARMAZÉM LOUSÃ SOLDADOR A METAL OU SOLDA FORTE LOUSÃ MOTORISTA DE VEÍCULOS PESADOS - MERCADORIAS LOUSÃ AJUDANTE FAMILIAR OLIVEIRA DO HOSPITAL OPERADOR DE FABRICO - QUEIJO (QUEIJEIRO) OLIVEIRA DO HOSPITAL PROGRAMADOR - INFORMÁTICA TÁBUA Outra profissão TÁBUA EMPREGADO DE MESA TÁBUA RECEPCIONISTA,EM GERAL TÁBUA recorte a agenda e guarde-a consigo / cut off this agenda and take it with you

Agenda

Cinema

10 a 16 Setembro - 2009

KAPINGBDI (BARRAS-TÁBUA) Qua/Wed 16, 22.h Jam Session

BIBLIOTECA MUNICIPAL MIGUEL TORGA (ARGANIL) “Sentidos” Pintura e Fotografia/Painting and Photo de/by: Fábio Marques Seg. a Sex./Mon-Fri: 9.00h > 18.30h Sáb/Sat: 9.30h > 13.00h Sala Guilherme Filipe

LOUSÃ Sex/Fri 11 - 16.30h, 21.30h

Harry Potter e o Príncipe Misterioso (m/6) Cine-Teatro

MORTÁGUA Sáb/Sat 12 - 21.30h Dom/Sun 13 - 17.00h

Hannah Montana (m/6) Centro de Animação Cultural

Habilitações 9 ANOS 9 ANOS N/D 6 ANOS N/D N/D 9 ANOS 6 ANOS 12 ANOS 4 ANOS 9 ANOS 12 ANOS 12 ANOS 6 ANOS N/D 6 ANOS N/D LIC. N/D N/D 9 ANOS


Destaque

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

Deputados do PSD em Tábua

Paulo Mota Pinto acredita na mudança

Paulo Mota Pinto é o cabeça de lista do PSD pelo Círculo Eleitoral de Coimbra Texto | foto: Instituição, quanto às as- o “Tábua/Arganil notíPaulo Mattos Afonso pirações que pretendem cias”, afirmou que «as colocar em funciona- impressões que levo do A pouco mais de duas mento. Ainda naquele concelho de Tábua são, semanas das eleições local, Paulo Mota Pinto em termos de receptiviLegislativas, seis dos ouviu criticas por parte dade à nossa mensagem, quinze candidatos do daquele dirigente em re- muito boas. É um concePSD à Assembleia da lação ao presidente da lho em que o PSD sempre República (AR), pelo CMTábua, que chegou teve forte implantação, é círculo eleitoral de mesmo a admitir que en- um concelho em que Coimbra, passaram o dia quanto Ivo Portela estiver sente a força das instituide terça-feira no à frente dos destinos do ções de Solidariedade Soconcelho. Gostaram do concelho, «a evolução cial e, eu estou certo que que viram, mas deixaram será pouca ou nenhuma». os tabuenses, com certeza recados. Já na Santa Casa da Mi- (até porque são pessoas sericórdia de Tábua, a co- com iniciativa) não deixaA visita ao concelho mitiva foi recebida pelo rão, no dia 27 de Setemficou, desde logo, condi- provedor que explanou, bro, pela receptividade cionado pelo tempo. sucintamente, quer o que tive, de entender que Paulo Mota Pinto, cabeça nascimento, quer a é preciso mudar (tanto de lista do PSD pelo cír- “obra” no seu todo. Fer- por razões políticas, quer culo de Coimbra às elei- reira Marques guiou de- de ética), pelo que vou ções deste mês para a AR, pois a comitiva pelo Lar daqui muito animado». desdobrou-se em entre- de São José, Creche e Por isso, e em relação vistas telefónicas durante Hospital, onde Paulo aos candidatos pelo disuma boa parte da manhã Mota Pinto teve oportu- trito, o cabeça de lista remas, mesmo assim, teve nidade de ver o «hospital velou que «esta lista oportunidade de se intei- pioneiro de Cuidados distingue-se das outras, rar do bom funciona- Continuados», mere- porque é constituída só mento da única cerâmica cendo-lhe o comentário por deputados oriundos do concelho (Empresa de «excelente obra, exce- do distrito de Coimbra, Cerâmica de Candosa), lente trabalho». não temos ninguém de que aposta na moderniApós o almoço, e em dia fora» e quanto a comprozação e qualificação da de Santa Eufêmia, a comi- missos, Paulo Mota Pinto mão-de-obra, numa vi- tiva foi até à Serra da Moita garante que «assumimos sita que durou pouco (Mouronho) onde os espe- um compromisso de promais de trinta minutos. rava o presidente da Junta, ximidade com os eleitoDali, Paulo Mota Pinto, Manuel Gâmboa, reali- res, que se traduz na sempre em movimento, zando-se ali, no meio de da garantia de que estará um ainda pode constatar o multidão, a primeira deputado, um dia por andamento das obras das grande acção de campanha mês em cada concelho, novas vias de comunica- conjunta do PSD (Legisla- para atender, neste caso, ção, numa viagem rápida tivas/Autárquicas), onde os tabuenses; criámos já até à Casa do Povo de Es- os candidatos interagiram, um endereço electrónico pariz onde ouviu, atenta- com o povo. (deputadospsdcoimmente, as explicações do No final, e jeito de ba- bra@gmail.com) para secretário da Junta de lanço do dia, Paulo Mota sermos contactados; e Freguesia e dirigente da Pinto, em exclusivo para potenciar a proximidade

com os eleitores com a publicação periódica». Em relação a Tábua, o candidato defendeu que «o PSD tem sido o partido que desde sempre tem lutado pela eliminação das desigualdades entre o interior e o litoral, por exemplo, de facilitar as ligações entre os concelhos e a capital do distrito» daí, considerar que «aquilo que por vezes ouvimos por aí andar a dizer de que “o PSD é contra as acessibilidades” não é bem assim: nós somos contra, isso sim, com a terceira autoestrada Lisboa/Porto (ligação Coimbra/Oliveira de Azeméis), mas não com estas ligações». Para o candidato à Câmara Municipal, Jorge Veigas, o dia foi, também, positivo, até porque, confessou, existiu «uma grande receptividade das pessoas para a difusão da nossa mensagem, uma grande recepção nas instituições que visitámos e, por isso, foi um dia grande, e isso viu-se na receptividade que tivemos aqui nesta feira, onde o povo de manifestou favoravelmente à nossa mensagem» e daí, concluir: «cada passo positivo dá mais alento, e cada vez verificamos mais que, a hora de mudança (quer para o Governo, quer para a Câmara) é uma realidade cada vez mais, evidente».

P03


Localarganil

tĂĄbua/arganilnotĂ­cias

P04

N.Âş 07 . 10 de Setembro de 2009

breves...

olho de pintassilgo

O GRUPO 7 DE SETEMBRO VOLTOU AO CONVĂ?VIO

Jå lå vão mais de 20 anos que o saudoso Ramiro Castanheira Jorge, mais alguns arganilenses, resolveram marcar o dia do meio da Feira do Mont’Alto, reunindo-se num jantar em plena Feira. A ideia tomou forma e daí para a frente, jå com novos aderentes, agora tambÊm com mulheres, o grupo continua mantendo a tradição. Este ano, ou seja na passada segunda-feira, o Salão Paroquial voltou a ser palco desse convívio. Desfeita a mesa e o ambiente gastronómico, a animação passeou para pela Feira, tocando e cantando, proporcionando que a alegria se mantivesse tanto no grupo como nos que apreciavam os actores em campo.

“ARGANILIAâ€? N.Âş 23 APRESENTADO AMANHĂƒ

EstĂĄ marcada para a prĂłxima sexta-feira, dia 11, a apresentação do n.Âş 23 da Revista “Arganiliaâ€?. O palco da apresentação serĂĄ o SalĂŁo Nobre da Câmara Municipal, com inĂ­cio Ă s 21.30 horas. O director da revista, Prof. JoĂŁo Alves das Neves, farĂĄ uma breve alocução, enquanto o Prof. Doutor Nelson Correia Borges apresentarĂĄ a referida revista. IntervĂŞm ainda a Prof.ÂŞ Doutora Regina Anacleto e o Presidente da Câmara Municipal, Eng. Ricardo Pereira Alves. A culminar a cerimĂłnia actuarĂĄ o Coro “Vox Aethereaâ€?.

FOTOGRAFIA DA SEMANA

O “Tocadorâ€?, que vai teclando conforme a aprendizagem, tem agora em mĂŁos outras teclas e‌ outra mĂşsica, cujos sons expectantes vĂŁo durar atĂŠ ao princĂ­pio de Outubro.

Loja das MĂĄquinas de Costura

Candidatura do PS Ă JFArganil

Abel Fernandes apresentou companheiros Conforme se escreveu nesta rubrica o anĂşncio pĂşblico da candidatura de Abel Ventura Fernandes, como lĂ­der da Junta de Freguesia de Arganil, apoiado pelo Partido Socialista, na altura o candidato nĂŁo divulgou a equipa que o acompanharia na jornada autĂĄrquica, somente o fazendo posteriormente em local emblemĂĄtico da vila. VĂĄrios locais foram postos na mesa. O que prevaleceu foi o Largo do CampanĂĄrio, um dos espaços mais emblemĂĄticos da urbe e por isso foi cenĂĄrio que enriqueceu a apresentação dos candidatos, ocorrida na passada quarta-feira, Ă noite. Com mĂşsica popular transmitida por um jovem do Rochel, a chamada dos possĂ­veis eleitos foi feita por NatĂĄlia Novais, tendo ao mesmo tempo lido o currĂ­culo do candidato, considerando que o Abel Fernandes â€œĂŠ um arganilense dedicado Ă  sua terra, atravĂŠs do associativismo, alĂŠm de ser um sĂŠrio e honesto empresĂĄrio e um bom chefe de famĂ­liaâ€?. TambĂŠm o candidato Ă  Assembleia Municipal, JoĂŁo Pedro Pimentel, teceu os maiores encĂłmios ao candidato Ă  Freguesia, vendo nele um arganilense que “todos vĂŁo apoiar nas eleiçþes que se aproximamâ€?, jĂĄ que, em relação Ă s suas qualidades de cidadĂŁo, â€œĂŠ um empresĂĄrio digno, um voluntarioso amigo da sua terraâ€?, sendo por isso “difĂ­cil encontrar um homem com estas caracterĂ­sticasâ€?. Por tudo isto, “Obrigado Abel pelo que deu e pelo que pode dar ainda a Arganil e aos arganilensesâ€?.

O candidato Ă Câmara Municipal, Miguel Ventura, referiu-se, com ĂŞnfase, Ă  candidatura de Abel Fernandes, salientando que “a Junta ficarĂĄ bem entregue a um homem que tem dado provas na vida comunitĂĄria localâ€?, elevando assim o nome de Arganil, dada a sua vasta experiĂŞncia em termos de trabalho e comunicação com as pessoas e associaçþes. Por tudo isto “sentimo-nos orgulhosos de sermos “pintassilgosâ€?, pois Arganil e os arganilenses merecem-noâ€?. Abel Fernandes, agradecendo aos amigos que quiseram estar presentes numa noite fria, participando em mais um jornada a favor “da nossa terra, da nossa Freguesiaâ€?, lembrou que convidou os elementos presentes com paixĂŁo, porque sabe que poderĂŁo “servir Arganil comigo a partir do dia 11 de Outubroâ€?. NĂŁo deixando de aludir ao local emblemĂĄtico e bonito escolhido para esta apresentação, como “podia ter sido es-

colhida a Quelha do Alexandre do Fornoâ€?, recordou que a sua força sentimental pela terra â€œĂŠ sincera, ĂŠ verdadeiraâ€?, estando “nesta luta por amor, paixĂŁo, nĂŁo descurando a experiĂŞncia, a competĂŞncia, a disponibilidadeâ€?. Abordando alguns dos aspectos de ordem mobilizadora e progressista e alĂŠm de frisar a sua vontade em recriar o Dia da Freguesia e descentralizar as reuniĂľes da autarquia para as aldeias, deixou tambĂŠm a vontade de levantar o problema da conclusĂŁo da escadaria em direcção ao Mont’Alto, assunto que em tempos foi falado, mas que nĂŁo passou disso. Como agora as pessoas andam muito a pĂŠ, seria uma boa altura falar-se do assunto e dar seguimento no terreno. Embora sabendo que a Junta nĂŁo terĂĄ grandes meios para o efeito, ajudarĂĄ a implementar esta vontade, que certamente serĂĄ a de todos os arganilenses. A beneficiação da estrada das Levegadas foi outro assunto que nĂŁo es-

)%6 FBS

ElectrodomĂŠsticos

Agente das Marcas: Pontos de venda autorizados

queceu de mencionar, pois serĂĄ outra das prioridades da Junta. AlĂŠm de outras intençþes jĂĄ anteriormente aludidas, pediu para que se deixem de “querelas polĂ­ticasâ€?, pois a “nossa terra, a nossa Freguesia estĂŁo primeiroâ€? e por isso, como acentuou e terminando, “vamos todos trabalhar por Arganilâ€?. Os elementos apresentados: Maria NatĂĄlia BrandĂŁo Franco Vitorino, Maria EmĂ­lia Delgado Tiago, Adelino Mateus da Costa, AntĂłnio JosĂŠ dos Santos BrandĂŁo, Abel Ventura Fernandes, Maria PatrocĂ­nia Marques Costa Rodrigues, Anabela Soares Vinagres Costa, AntĂłnio da Conceição Gomes, Leonel da Conceição Costa, Rui Miguel da Costa Cunha, Isabel Martins Quaresma Ramos, Alfredo Gama, AntĂłnio JosĂŠ Mota Trindade, Maria do CĂŠu Coelho Paulino, Irene Maria Pereira Branco, Manuel JosĂŠ Martins de Almeida, Fernando Dias Ferreira JĂşnior e AntĂłnio Duarte Baptista.

ernando F)HUQDQGR%UDQGmR er nando BrandĂŁo6pUJLR SĂŠrgio

1&151564#$#.*15'/     

e outras

Reparaçþes em electrodomÊsticos e måquinas de costura Grande variedade de artigos para o Lar

R. Com. António Lopes da Costa – 3300-028 ARGANIL Telef./Fax 235208880 – Telem. 919094853 – Oficina 235205737

4#&'#/'0615X2146Ă›'5X8'&#DĂ›'5X2.#6+$#0&#5X%1$'4674#5

Ricardo JosĂŠ de Brito Mendes Tel. 235 205 195

R. Oliveira Matos, 54/56 3300-062 ARGANIL

4D#/ '0615)4É6+5

1)Ă›'564#&+%+10#+5#.'0*#214/'&+&#



Tel. Fax Tlm. E-mail IHUQDQGREUDQGDRVHUJLR#JPDLOFRP



% $5526$$UJDQLO

)XW XUDVLQVWDODo}HVQD=RQ D,QGXVW ULDOGD5HOYLQKD6DU]HGR


Localarganil

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

União e força ditam o presente

Alqueve ainda pulula Texto | Fotos: José Travassos de Vasconcelos Alqueve, uma aldeia da freguesia de Folques, sobranceira à Quinta do Mosteiro, apesar da sua população ter diminuído substancialmente, tal qual tem acontecido com outras comunidades da Beira Serra, continua a marcar a sua união e força de fazer. Para além da criação da Liga Regional Alquevense, em 28-91927, que viria a proporcionar a alavanca empreendedora da aldeia, pode dizer-se que a obra de maior envergadura que nos últimos tempos ali se executou foi a requalificação dos arruamentos e Largo da Fonte, bem como a ampliação de um largo onde qualquer veículo pudesse fazer a inversão de marcha. Foi em Maio deste ano que o acontecimento se verificou. Foi uma festa rija, com merenda a não desprestigiar a boa maneira de tratar e receber dos alquevenses. Foi um melhoramento levado a efeito a três dimensões: Liga, Junta de Freguesia de Folques e Câmara Municipal de Arganil. Com esta realização Alqueve melhorou bastante a sua fisionomia, pois agora as pessoas podem visitar o interior da aldeia sem percalços. Passados que foram quatro meses, a Liga, ao celebrar os 82 anos de existência, reuniu sob a sua bandeira, no passado dia 28 de Agosto, os sócios e não sócios, bem como amigos de longa data. Serviu de palco a bonita casa que marca uma era no viver da povoação, que actualmente funciona como sede da colectividade, com espaços bastantes abrangen-

P05

breves...

arganil

Casal de S. José FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA

Conforme o programa anunciado os naturais e amigos do Casal de S. José (Arganil) estiveram em festa no passado fim-de-semana (5, 6 e 7), louvando a Sagrada Família.

tes e alindados, quer no exterior, quer no interior. E foi neste espaço que cerca de 200 pessoas se reuniram à volta da mesma mesa, para saborear uma bela e bem confeccionada ceia, executada pelas mulheres e jovens do Alqueve, tendo dado uma boa ajuda alguns carolas masculinos. Neste andamento tenho que referenciar o Jorge Gomes. Apesar de nunca ter aderido a altos cargos de comando da Liga, este alquevense sente o pulsar da sua terra natal. Mesmo quando esteve fora durante muitos anos, pois a vida laboral o chamou para centros mais promissores, o seu lema foi sempre o elevar do emblema da sua Liga, da sua terra. É um trabalhador exímio. Quando a Liga anuncia qualquer evento, lá está o Jorge Gomes em primeiro plano a dar a sua orientação e colaboração. Foi o que se viu no dia 28 de Agosto… esteve em todas, tendo também, é justo dizê-lo, bons e boas colaboradoras. Antes do repasto, como o presidente da direcção não estivera presente, seria o vice-presidente da Liga Regional Alquevense, José Miguel Campos, a saudar todos os participantes na festa de

convívio, regozijando-se por ver a sala tão bem composta. Depois, coube a vez ao presidente da Junta de Freguesia de Folques, Manuel Ribeiro, a dizer que lhe dava prazer estar presente em mais um acto festivo dos alquevenses, recordando a grande festa que todos viveram no mês de Maio, na inauguração da requalificação dos arruamentos e largos respectivos, que considerou ser uma das obras mais relevantes que se levaram a efeito no Alqueve, graças ao esforço

quer da Liga, quer da Junta ou da Câmara. E seria precisamente o presidente da edilidade, eng. Ricardo Pereira Alves, a relevar o papel da Liga dentro da comuni-

outras, servirão para futuramente serem canalizadas para ajudar a satisfazer outra carência que a comunidade tenha em linha de concretização. Sistema de alta tecnologia de recuperação da fibra capilar

Tels. 235208370 / 963786696 (escritório) INTERMARCHÉ (Lojas 4 e 5) B.º do Prazo – 3300-017 ARGANIL

Assim, no sábado, dia 5, realizou-se o já habitual jogo de futebol de 5 no Complexo Desportivo da Santa Casa da Misericórdia, pelas 10 horas; às15 horas, teve início o torneio de tiro ao alvo, em simultânio com os Jogos de Verão (TGC - Todos Gostam do Casal), numa organização da CUME; à noite, houve um baile com o Duo Musical TECLADO 2000. Nos Jogos de Verão a classificação foi a seguinte: No Name, 24 pontos; Lambões, 22; O2, 20; Arquitontos, 18; e Trambolhos, 14. No domingo, dia 6, e continuando o programa, pelas 9-30 horas, chegou a Filarmónica Arganilense; pelas 10 horas, foi a abertura da quermesse, às 12-15, Eucaristia Solene, sermão e procissão; a partir das 16 horas realizou-se o leilão das fogaças; e às 21-30, realizou-se o baile com o Agrupamento «Santos e Santos Simões», de Casal de S. João, Na segunda-feira, terminaram os festejos. Apesar de coincidir com a Ficabeira, as festas foram bem participadas, notando-se principalmente boa afluência de casalenses e amigos na Eucaristia e Procissão, aliás como já vem sendo hábito.

Pisão (Côja) ESCOLA DE MÚSICA DO DO ALVA E AÇOR

Contabilidade e Serviços

l ue ues n a riq r M en 5 5 o H t 3 Ví im 61 6 or 5 Am 9 6

dade; não só proporcionando o convívio, como “demonstrando capacidade de trabalho”, não deixando de colaborar com a autarquia para ver realizados os seus anseios. Vendo ali muita alegria, saudou todos de forma amiga, concluindo dizendo que estava satisfeito por ver tanta alegria. Seguiu-se o jantar e depois, já com os estômagos satisfeitos, viria a terreiro o leilão das diversas ofertas trazidas por amigos, que depois de arrematadas somaram boa quantia, soma que, a juntar a

Rua Principal 3305-143 COJA

Telem. 969084906 Telef. 235729604

GRUPO DE CANTARES

Desde o passado dia 16 de Setembro que passou a funcionar, nas instalações da antiga escola do 1º ciclo do ensino básico do Pisão (Côja), a escola de música do Grupo de Cantares do Alva e Açor (G.C.A.A.). Aqui é ministrado, gratuitamente, o ensino de cordofones - viola e bandolim, aerofones - flauta de bisel e acordeão- e ainda aulas de canto e escrita e leitura musical. Com esta iniciativa, só tornada possível graças ao apoio e facilidades concedidas pela Comissão de Melhoramentos e Beneficência do Pisão, o G.C.A.A. abre assim mais uma página do seu projecto iniciado em Novembro de 2007.

Figu e g r . Jo A. A i u de R

eired

o

L. José Dias Ferreira, n.º 3 (frente aos Correios) Telef. 235 208 038 Telem. 961 693 409

3300-037 ARGANIL


Saúdeprevenção Gripe A

tábua/arganilnotícias

P06

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

Gripe A (H1N1)

Informação e recomendações para estabelecimentos de ensino As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia de gripe, pela possibilidade de contágio e rápida propagação da doença entre os seus alunos e profissionais. As escolas deverão, assim, estar preparadas para a adopção de medidas adequadas de prevenção e contenção desta doença, em estreita articulação com os pais ou encarregados de educação e as Autoridades de Saúde locais. Conhecer as manifestações da doença, bem como as suas formas de transmissão, constitui a melhor forma de, sem alarmismos, adoptar as medidas de prevenção mais adequadas. Essas medidas, se não existirem casos de doença na escola, suspeitos ou confirmados, consistem num conjunto de regras gerais de higiene pessoal e do ambiente escolar, que mais adiante se relembram. Não há indicação para o encerramento da escola. Em face de uma suspeita ou de um caso confirmado de doença, num aluno ou num profissional, devem adoptar-se medidas de isolamento a decidir caso a caso, tendo por base a identificação do risco, em estreita articulação com a Autoridade de Saúde local.

O que é a Gripe A(H1N1)?

A gripe A é uma doença infecto-contagiosa que afecta o nariz, a garganta e a árvore respiratória, provocada por um novo vírus da Gripe, o designado vírus da gripe A(H1N1). Os primeiros casos confirmados desta doença surgiram, inicialmente, em Abril de 2009, primeiramente no México, surgindo depois casos nos Estados Unidos da América e noutros países, em vários continentes.

O que é o vírus da Gripe A(H1N1)?

O vírus da Gripe A(H1N1) é um novo subtipo de vírus que afecta os

seres humanos. Este novo subtipo, contém genes das variantes humana, aviária e suína do vírus da Gripe, numa combinação genética nunca antes observada em todo o Mundo. Há evidência de que este novo subtipo é transmissível entre os seres humanos.

Como se transmite?

A Gripe A transmite-se de pessoa a pessoa, através do contacto com indivíduos doentes, desde os primeiros sintomas até cerca de 7 dias após o seu início, ou do contacto com objectos ou superfícies contaminados pelo vírus. O vírus encontra-se presente nas gotículas de saliva ou secreções nasais das pessoas doentes, podendo ser transmitido através do ar, em particular em espaços fechados e pouco ventilados, quando as pessoas doentes tossem ou espirram no interior desses espaços. O vírus pode, também, ser transmitido através do contacto das mãos com superfícies, roupas ou objectos contaminados por gotículas de saliva ou secreções nasais de uma pessoa doente, se posteriormente as mãos contaminadas entrarem em contacto com a boca, o nariz ou os olhos. O vírus pode permanecer activo em superfícies ou objectos contaminados entre 2 a 8 horas. A lavagem frequente das mãos com água e sabão ou com soluções de base alcoólica e a limpeza de superfícies e objectos com líquidos de limpeza doméstica, permitem a destruição do vírus.

Quais os principais sintomas da Gripe A?

A Gripe A apresenta, na maioria dos casos, uma evolução de baixa gravidade. No entanto, têm sido registadas algumas situações de maior gravidade que conduziram à morte. Na gripe sazonal, regra geral, as crianças, as mulheres grávidas, os doentes crónicos e debilitados e as pessoas idosas apresentam uma maior vulne-

rabilidade à doença. Contudo, a Gripe A, na Europa, tem atingido predominantemente os adultos jovens, de ambos os sexos. Os principais sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: − Febre − Tosse − Dores de garganta − Dores musculares − Dores de cabeça − Arrepios de frio − Cansaço − Diarreia ou vómitos; embora não sendo típicos da Gripe sazonal, têm sido verificados em alguns dos casos recentes de infecção pelo novo vírus da Gripe A(H1N1).

MEDIDAS GERAIS DE PREVENÇÃO A ADOPTAR PELAS ESCOLAS

Ainda não existe uma vacina contra o Vírus A (H1N1), embora possa vir a existir no futuro. As medidas gerais de higiene, pessoais e do ambiente escolar, constituem as medidas mais importantes para evitar a propagação da doença. Os professores devem ensinar os alunos quanto a essas regras gerais de higiene, válidas para a prevenção não só da Gripe A, mas também de muitas outras doenças transmissíveis. Medidas gerais de higiene pessoal: 1 – Cobrir a boca e o nariz quando se tosse ou espirra cobrir a boca e o nariz com lenço de papel, nunca com a mão. Colocar o lenço de papel no caixote do lixo. No caso de não se poder usar lenço de papel, tapar a boca com o antebraço. A seguir, lavar as mãos. A escola deve facilitar o acesso a lenços de papel. 2 - Lavar frequentemente as mãos Lavar frequentemente as mãos, com água e sabão, ou com uma solução de base alcoólica, em especial, após ter tossido, espirrado ou assoado o nariz, ou após se terem utilizado transportes públicos ou frequentado locais com grande afluência de público. Como regra geral de higiene, devem lavar-se as mãos, igualmente, antes

de comer, antes e depois de preparar refeições, sempre que se utilize a casa de banho, mexa em lixo, terra, detritos ou dejectos de animais. Sempre que se tenha de servir comida, mudar fraldas ou mexer em brinquedos de utilização partilhada. Fazer o mesmo, sempre que se cuide de pessoas doentes. As crianças devem ser ensinadas a lavar as mãos, usando, de preferência sabonete líquido, durante pelo menos 20 segundos. Na escola devem ser usadas toalhas de papel ou secadores de ar quente para secar as mãos. As crianças devem, também, ser ensinadas a não tocar com as mãos sujas na boca, olhos ou nariz. 3 – Evitar o contacto com outras pessoas quando se têm sintomas de Gripe Sempre que profissionais ou alunos apresentem febre e sintomas de Gripe, não devem frequentar a escola, até a situação ser esclarecida por um profissional de saúde, através da Linha Saúde 24 – 808 24 24 24. Quando se têm sintomas de Gripe, deve guardar-se uma distância mínima de 1 metro, quando se fala com outras pessoas. O cumprimento com beijos ou abraços deve ser evitado. Para obter informação sobre as medidas a adoptar, aconselha-se o contacto com a Linha Saúde 24 – 808 24 24 24 ou a consulta do microsite da Gripe em www.dgs.pt 4 – Evitar o contacto com pessoas que apresentem sintomas de Gripe Deve evitar-se, sempre que possível, o contacto próximo com pessoas que apresentem sintomas de Gripe. Medidas gerais de higiene nos estabelecimentos escolares 1 – Manter as superfícies, os objectos de trabalho e os brinquedos limpos Limpar frequentemente as superfícies das mesas de trabalho, brinquedos e outros objectos

com um desinfectante ou detergente doméstico comum, passando a seguir por água limpa todos os objectos ou brinquedos que possam ser levados à boca, para evitar a ingestão do produto de limpeza. Este aspecto é particularmente importante em creches e infantários onde as crianças partilham os mesmos brinquedos. Proceder da mesma forma para as superfícies e objectos que entrem em contacto com as mãos (ex: puxadores das portas). 2 - Promover o arejamento dos espaços Deve promover-se o arejamento dos espaços fechados da escola – salas de aula, gabinetes e casas de banho, mantendo as janelas abertas, sempre que seja possível.

MEDIDAS A ADOPTAR, NO CASO DE EXISTIR UMA SUSPEITA DE INFECÇÃO

Sempre que um aluno apresente febre durante a permanência na escola, deve promover-se o seu afastamento das restantes crianças e contactados os pais, no sentido de se promover a observação da criança por um profissional de saúde. Em caso de dúvida, é aconselhável ligar para a Linha Saúde 24 – 808 24 24 24. Sempre que o Conselho Directivo ou os responsáveis da Escola identifiquem uma situação suspeita de doença, de acordo com os sintomas atrás descritos, entre funcionários ou alunos, designadamente a existência de sintomas de gripe após viagens ou contactos próximos com pessoas que viajaram para zonas afectadas, devem telefonar para a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) e seguir as instruções que lhes forem transmitidas. Deverá ser promovido o isolamento em casa de profissionais da escola ou alunos, que manifestem febre superior a 38.º C e outros sintomas de gripe, até que a situação seja devidamente esclarecida pelos serviços de saúde.

A pessoa afectada (profissional da escola ou aluno) que manifeste febre superior a 38.º C, ou sintomas de gripe não deve frequentar a escola, até que a situação fique completamente esclarecida, devendo, para o efeito, telefonar para a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) e seguir as indicações que lhe forem transmitidas. MEDIDAS A ADOPTAR, NO CASO DE SE CONFIRMAR A DOENÇA POR VÍRUS DA GRIPE A (H1N1) NUM FUNCIONÁRIO OU NUM ALUNO No caso de se confirmar a doença num profissional da escola ou num aluno, estes não devem frequentar a escola por um período mínimo de sete dias, ou até que lhes seja dada alta clínica. Devem permanecer em casa, sempre que possível, a fim de evitar contagiar outras pessoas. Sempre que tiverem de se deslocar fora da residência, ou contactar com outras pessoas, devem utilizar uma máscara protectora da boca e nariz e lavar frequentemente as mãos. As pessoas que tratem do doente, em casa, devem seguir as regras de higiene acima enumeradas. Devem lavar frequentemente as mãos após contacto com o doente, ou com objectos ou roupas potencialmente contaminados por saliva ou secreções nasais. O encerramento da escola poderá estar indicado, se existir o risco de propagação da doença, devido à existência de diagnósticos confirmados entre funcionários ou alunos. Esta decisão, no entanto, só deverá ser tomada após uma adequada avaliação epidemiológica, por parte dos serviços de saúde locais, do risco de transmissão da doença à comunidade educativa. Em caso de dúvida ligue para Linha Saúde 24: 808 24 24 24


Localtábua

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

P07

ACRDM de São Simão

Finalmente com Direcção Para já, o “saneamento” financeiro da colectividade é o imperativo da Direcção, para além da assinatura do protocolo que será celebrado com a Câmara Municipal de Tábua, e que visa a cedência da Escola Primária de São Simão por tempo determinado, e que será, numa primeira fase, a sede social da Associação. Entretanto, e após as limpezas necessárias no espaço envolvente, a Direcção tem previstas diversas iniciativas para a véspera da secular Feira de São Simão, entre as quais, um concerto musical pelo Grupo de Concertinas de Casal de

texto: Paulo Mattos Afonso Foto: Arquivo Após vários anos em gestão, a Associação de São Simão viu “luz ao fundo do tunel” no passado domingo, 30 de Agosto, através da eleição de Corpos Sociais. A liderar uma lista jovem mas determinada, o recém eleito presidente da Direcção, Gonçalo Ramos, apenas prometeu «trabalho e tudo fazer para o desenvolvimento da colectividade e da povoação», propósitos comungados pelos restantes elementos dos corpos sociais.

Abade, para além do espaço de convívio onde não faltará a carne de porco e vinho regional. Outra das obras já previstas é a recuperação da vedação existente no espaço do “baldio” para onde está projectada a construção da sede definitiva da colectividade. Durante os próximos dois anos, Gonçalo Ramos terá a acompanhá-lo na Direcção, Américo Sousa (secretário), José Manuel Couto (tesoureiro), Manuel Joaquim Fernandes Costa e Adelino Brito Gameiro (vogais) para além de uma lista de apoio à Direcção.

Vila Nova de Oliveirinha

Incêndio em residência provocou ferido grave Texto: Manuela Ventura (DC)

Tem queimaduras de segundo e terceiro grau em 30 por cento do corpo e o prognóstico médico é reservado. Falamos de um indivíduo de 64 anos, José Marques, mais conhecido pela alcunha de “Zé Pito”, que foi transportado por via aérea do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital para a Unidade de Queimados dos Hospitais da Universidade de Coimbra, na noite de domingo. O ferido estava em casa quando esta começou a arder. Não se sabe qual a origem do fogo, que deflagrou na modesta habitação, onde José Marques residia sozinho, na localidade de Loureiro, freguesia de Covas, concelho de Tábua. O alerta para os Bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha foi feito pouco antes das 20h00 e, de acordo com o comandante da corporação, apontava para um fogo urbano. Todavia, quando chegaram ao local, os

bombeiros depararam-se com uma «habitação tomada pelas chamas, com uma pessoa encurralada lá dentro». A intervenção dos bombeiros permitiu retirar “Zé Pito” do interior da modesta habitação. «Já estava praticamente inanimado», disse o comandante dos bombeiros, adiantando que, pouco depois, o ferido entrou em paragem cardio-respiratória, obrigado a que de imediato fossem efectuadas as necessárias manobras de reanimação. O ferido foi depois, de acordo com o comandante Paulo Rodrigues, transportado ao Centro de Saúde de Oliveira do Hospital de onde, dada a delicadeza do seu estado de saúde, foi transferido, por via aérea, para a Unidade de Queimados dos Hospitais da Universidade de Coimbra. De acordo com informação daquela unidade de saúde, José Marques

apresenta queimaduras de «segundo e terceiro grau» em «30 por cento da superfície corporal» e também «queimaduras do foro respiratório», estando ligado ao ventilador. «O prognóstico é reservado», adianta ainda o relatório clínico dos HUC, divulgado ontem ao final da tarde.

Fogo terá eclodido na cozinha

Muito embora as causas do incêndio ainda não estejam esclarecidas, é muito provável, de acordo com o comandante dos Bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha, que as chamas tenham eclodido na cozinha, uma vez que, adianta, «era a zona da casa mais atingida pelo fogo». A juntar a esta constatação, Paulo Rodrigues refere, também, o facto de “Zé Pito” frequentar o Centro de Dia de Covas, que lhe fornece as refeições, e, tendo em

conta a hora do incêndio, será provável «que ele estivesse a aquecer o jantar». José Marques poderá ter ligado o fogão e recolhido ao quarto, onde se encontrava quando foi retirado pelos bombeiros. Eventualmente terá adormecido e não se apercebeu que o jantar que aquecia

pegou fogo e as chamas alastraram. Certo é, no entender do comandante da corporação, que orientou as operações no terreno, que, para além dos estragos significativos registados na cozinha da modesta habitação, também o colchão onde dormia estava intacto, não tendo sido atingido pelas chamas. Um dado que, eventualmente, “deita por terra” a hipótese de as chamas terem sido provocadas por um cigarro. De acordo com o comandante dos Bombeiros de Vila Nova de Oliveiri-

nha, o ferido teria o hábito de se deitar e fumar um cigarro. Recentemente acabou por apanhar um susto, uma vez que a “beata” pegou fogo à cama e provocou um incêndio. Valeu a José Marques a atenção de uma vizinha que, apercebendo-se do fumo, deu o alerta a tempo. Desta vez o pior quase aconteceu. No combate às chamas estiveram envolvidos 15 bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha, apoiados por três viaturas. A GNR tomou conta da ocorrência.


Localtábua

tábua/arganilnotícias

P08

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

o errante

pela beira-serra

FINALMENTE A PONTE DE CARTAMIL

6.º Convívio de Pesca do GDTabuense

Morte anunciada

A parte norte do Concelho de Pampilhosa da Serra vai beneficiar grandemente com a requalificação da Ponte de Cartamil, situada sobre o Rio Ceira, na fronteira entre os concelhos de Arganil, nas freguesias de Teixeira e Fajão. É uma obra que ao longo de dezenas de anos as populações locais reivindicavam; e foi graças ao entendimento entre os Presidentes de Câmara (Eng. Ricardo Pereira Alves e José Alberto Brito Pacheco Dias), que essa reivindicação foi concretizada, obra que muito irá fortalecer os dois concelhos em todos os domínios. A marcar o importante melhoramento, no próximo domingo, dia 13, pelas 12.30 horas, será efectuada a respectiva inauguração, na presença dos dois autarcas, juntando-se-lhe o Presidente da Junta de Freguesia de Fajão, Augusto Fernandes de Almeida, sem dúvida a figura marcante deste evento, pois graças ao seu empenho foi também possível concretizar este sonho em realidade.

GRUPO DE CANTARES DO ALVA EM CANTANHEDE

Segundo notícias que chegaram ao conhecimento deste “Errante”, o Grupo de Cantares do Alva e Açor vai estar presente no próximo domingo, dia 13, no III Festival de Folclore do Zambujal, no concelho de Cantanhede, a convite da Associação Cultural e Recreativa daquela povoação pertencente à Freguesia de Cadima. Com o apoio das duas autarquias concelhia e local, o Festival conta ainda com a participação do Grupo Etnográfico da Associação e Recreativa do Zambujal, Rancho Folclórico de Cervães (Vila Verde – Braga) e Grupo Folclórico da Associação Cultural Rio Távora (Moimenta da Beira).

FEIRA DE GADO DO MONT’ALTO

Como é apanágio, em todas as edições da Feira do Mont’Alto, teve lugar no Feriado Municipal, mais uma edição do certame, que juntou no espaço habitual, várias juntas de bois, destinadas ao concurso. Como era de esperar a Famíla Dias, de Vale de Nogueira, voltou a levar para casa os cobiçados galardões e prémios, graças ao bom trato e dedicação que aos animais, cujo gosto já passou para os mais novos, prefazendo um total de três gerações, que trabalham afincadamente para conseguir as almejadas vitórias. O juri foi constituído por Constantino Gonçalves Dias, Fernando Silva Gonçalves e Filipe Francisco Simões. Divididos por três classes, de salientar a Melhor Junta para o criador Constantino Gonçalves Dias e Melhor Animal Individual para o produtor Daniel Filipe Gonçalves Dias.

Vencedores por equipas, a Pizzaria Papo Seco Texto |foto: Tudo isto «faz com que, possivelmente, seja o úlPaulo Mattos Afonso timo convívio» anunciou Aníbal Jorge Pais, resPoderá ter sido o último ponsável pela Secção de convívio de Pesca

Desportiva organizado pelo clube de futebol. A “crise” actual pode estar na base da decisão da secção de Pesca do Grupo. Cerca de sessenta participantes responderam ao convite da Secção de Pesca do Grupo Desportivo Tabuense para o 6.º Convívio de Pesca de Rio, que teve lugar no domingo, dia 6, na Albufeira da Barragem da Aguieira, na margem norte do rio Mondego. A falta de peixe – que para muitos se deve ao uso de redes – condicionou o concurso, originando «desmotivação», disseram alguns pescadores para quem, «sem peixe é difícil manter este tipo de “concursos”» e a prova está, desde o início da iniciática (200 participantes), para os 62 inscritos para a prova de domingo.

CLASSIFICAÇÃO (APENAS OS TRÊS PRIMEIROS) Equipas: 1.º) Pizzaria Papo Seco 2.º) Clube de Caça e Pesca de Vila Nova de Poiares 3.º) Clube de Caça e Pesca de Oliveira do Hospital Sector A: 1.º) António Sousa (Nelas) 2.º) António Brito (Tábua) 3.º) Jorge Luís (Poiares) Sector B: 1.º) Fernando Besteiros (Vila Gosendo) 2.º) José Carlos (Poiares) 3.º) José Pereira (Póvoa de Midões) Sector C: 1.º) Nuno Santos (Oliveira do Hospital) 2.º) António Queirós (Poiares) 3.º) Humberto Costa (Nelas) Sector D: 1.º) Nélson Rodrigues (Ázere) 2.º) Sérgio Santos (Sever do Vouga) 3.º) José Gomes (Ázere) Júniores: 1.º) Francisco Silva (Vila Nova de Oliveirinha) 2.º) Samuel Fonseca (Póvoa de Midões) 3.º) Bruno Jorge (Póvoa de Midões)

Trespassa-se ou aluga-se

Snack-Bar

em

Pesca do Tabuense, para quem a falta de apoios, “ajuda” à decisão. Mesmo ressalvando os apoios da Junta de Freguesia de

O TELHEIRO

Arganil

235 205 613 917 201 732 939 607 075

Tábua e da Câmara Municipal, Aníbal Jorge considera difícil manter o certame. Na ocasião, também o presidente do clube, Carlos Ferreira aproveitou para considerar que é «extremamente difícil manter o concurso», agradecendo, contudo, todo o apoio dispensado quer pela Junta e Câmara de Tábua e, também, na edição deste ano, à Junta de Freguesia de Vila Nova de Oliveirinha, representada pelo presidente Vítor Marques. Apesar de tudo, e porque parecia que “os peixes tinham ido a uma reunião de sindicato” [o vencedor absoluto apenas pescou 480 gramas], valeu o convívio que culminou com o almoço e entrega de prémios nas oficinas da Câmara Municipal de Tábua. Durante a entrega de prémios, Carlos Ferreira agradeceu ainda aos funcionários da autarquia (Toninho, Gameiro e Alfredo Andrade) toda a disponibilidade para a confecção do almoço.

SimperMóveis

de PEDRO JORGE ANTUNES SIMÃO Fábrica de Móveis, Carpintaria, Comércio, Retalho e Electrodomésticos

Cozinhas por Medida

Telef./Fax 235 711 413 Telem. 965 535 307 / 969 828 682 E-mail: simpermoveis@portugalmail.com Q.ta da Raposeira COVELO 3420-083 Tábua


reportagem

especial Parque Verde Urbano, adjudicação da reabilitação da antiga Cerâmica Arganilense e inauguração do Centro Escolar de Côja deixam marcas de desenvolvimento social e económico do concelho

A FICABEIRA – Feira Industrial, Comercial e Agrícola da Beira Serra vai já na sua 28.ª edição. Conjuntamente com a secular Feira do Mont’Alto tornou-se uma mais valia para o concelho, para o distrito de Coimbra, quiçá para o país, pois se até aqui a Feira do Mont’Alto era já uma matriz importante a nível regional, passou a sê-lo com mais agressividade desde que passou a ter no seu seio o espaço onde os industriais e comerciantes do concelho (e não só) pudessem expor os seus produtos e a partir daí pudessem abrir portas para o mercado externo.

TEXTO DE JOSÉ TRAVASSOS DE VASCONCELOS | FOTOGRAFIAS DE PAULO MATTOS AFONSO E TIAGO CARDOSO PINTO


Especial

tábua/arganilnotícias

P10

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

Com o rodar dos anos as Feiras passaram a ter outra dinâmica, mais moderna, mesmo quando os dois certames conheceram outros locais, passando do Paço Grande para o SubPaço, que lhe deu um cariz mais moderno, mais funcional, mais central. É certo que nem todas as opiniões são unânimes nesta mudança, mas o certo é que a maioria apoia a decisão que este executivo camarário tomou há três anos, tanto mais que “a requalificação do SubPaço e a sua reconversão no Parque Verde Urbano, que Arganil há muito precisava, abriu caminho para que aquele espaço possa ser utilizado todo o ano e não apenas durante as Festas do concelho”, como disse o presidente da edilidade, Ricardo Pereira Alves, no acto solene de abertura dos certames, ocorrido na passada sextafeira, dia 4, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. Para além deste facto ter mudado o aspecto urbanístico da urbe, outro há que vai mudar o aspecto social e económico do concelho, que é a Reabilitação da Antiga Cerâmica Arganilense, boa-nova anunciada pelo edil na sessão, “após aprovação em Reunião de Câmara realizada na manhã daquele dia”, como referiu, acrescen-

tando que “lutámos sempre com determinação e persistência, apesar da

ser concretizada no âmbito da Reforma de Reorganização das Forças de

quia, presentes entre a assistência. Considerando ser a “Feira Diamante de

A FICABEIRA e Feira do Mont’Alto continuam a relevar-se na Beira Serra complexidade de todo o processo, para cumprirmos o compromisso que assumimos com os Arganilenses”. Ao dar-se hoje o passo final para concretizar obra estratégica para Arganil e para toda a Região, consolidando uma posição de referência no contexto da Beira Serra, Ricardo Pereira Alves, com convicção, afirmou: “Vamos ter, finalmente, as Piscinas Municipais aquecidas, a Casa das Artes e as outras valências que farão da antiga Cerâmica Arganilense um espaço Cultural, Desportivo e de Lazer de referência, gerando atractividade e modernidade”. No mesmo andamento, e embora o Ministro da Administração Interna, Dr. Rui Pereira, não tenha chegado a tempo para participar nesta sessão, pois viria somente a assistir à abertura das Feiras, o autarca referiu a criação em Arganil do Destacamento Territorial da Guarda Nacional Republicana, “que veio a

Segurança”. A concluir, o presidente da Câmara considerou que “a XXVIII FICABEIRA e a Feira do Mont’Alto, hoje o maior certame da nossa Região, são a expressão da vitalidade e da dinâmica de todos os Arganilenses”. Mas a abrir a sessão, com a sala repleta, seria o representante da Assembleia Municipal, Prof. António Carvalhais da Costa, a não se esquecer daqueles que, há 28 anos, com dinâmica e esforço, deram a cara na criação da Ficabeira e permitisse que os seus seguidores lhe dessem continuação e hoje atinja já parâmetros de grande relevância em todo o espaço territorial de Portugal e fora dele. Carvalhais Costa, depois de citar a “odisseia de há 28 anos”, recordou e bem os que estiveram no cerne dessa criação, não se imiscuindo de referir os nomes do Prof. Dias Coimbra e Luís da Silva Moreira Gomes, na altura presidente e vice-presidente da autar-

Arganil”, que passando por um estado bruto, esse diamante foi lapidado “pelo jovem e activo presidente”, que se vendo já a brilhar, teve também uma equipa de jovens técnicos que se associaram na concretização dessa regalia de lazer, onde se vê “uma juventude com valor, com massa crítica”. Referia-se o orador, concretamente, ao Sub-Paço, que passou a ser a “sala de visitas”, em que “vamos ter vaidade em dar a conhecer aos amigos”. Abre-se aqui um parêntesis para referir que será também de justiça recordar a realização da Feira Lusófona, nos finais de 80, da responsabilidade da ACIBEIRA, uma Associação Empresarial que muito fez e poderia ter feito mais em favor da classe, tendo como seu responsável o também dinâmico Eng. Rui Cruz. Foi uma jornada que marcou também os dois certames de uma forma que muito elevou o nome de Arganil.


Especial Após alguns minutos de espera, chegaria o Ministro da Administração Interna, Dr. Rui Pereira. As palavras simples que proferiu assim que pisou chão arganilense, foram de alegria por ser convidado a participar nestes eventos, que muita fama tem proporcionado a Arganil, pois deles sempre ouviu falar e daí associar a importância de Arganil no contexto da região. Confessando-se que era a primeira vez que visitava a nossa vila, contudo, deixou suspensa a ideia de que não seria a última. A comitiva visitou e deixou saudações e cumprimentos em todos os stands, em número de 106. No final da visita, que durou largo tempo, foi servido pelo “Pão Quente” um suculento e apetitoso beberete. A noite prosseguiu com grande entusiasmo e alegria. Em palco esteve o artista Angélico e no dia seguinte, sábado, Deolinda e o seu conjunto. Na tarde de sábado realizouse o jogo amigável de futebol entre a Associação Atlética de Arganil e o Nogueirense, de Nogueira do Cravo, que estes venceram por 3-1; e à noite teve lugar o espectáculo pirotécnico, fogo de artifício por sinal de belo efeito. No domingo, esteve em palco o cantor Toy, en-

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

quanto de manhã e à tarde decorreu no Campo Dr. Eduardo Ralha o Torneio de Iniciados, tendo como actores as equipas da Associação Atlética de Arganil, Académico de Gândaras (Lousã), Nogueirense e Académica de Coimbra, tendo esta equipa vencido o referido torneio. Refira-se ainda a

zam feiras com mais corpo em terras com menos relevância, Arganil, que foi referência total neste capítulo, encontra-se praticamente apagada. Houve prémios atribuídos pela Câmara Municipal, os quais foram absorvidos pelos bonitos animais da família Dias, do Vale da No-

P11

mental nas escadarias do edifício dos Paços do Município, com o Grupo Cancioneiro de Coimbra, de que faz parte o nosso conterrâneo Vítor Nunes, homenageado no passado sábado pela Junta de Côja e Câmara Municipal. Por isso, a assistência numerosa que cobriu por completo o chão da Praça

As Feiras por dentro, já com o ministro realização do Cicloturismo do Mont’Alto, organizado pela Associação Juvenil CUME, com o apoio da autarquia. Segunda-feira, Feriado Municipal, por conseguinte Dia do Município, decorreu a final do III Torneio de Ténis, no Campo do Parque de Campismo do Sarzedo, com entrega de prémios ao fim da tarde, enquanto que no Paço Grande decorria o Concurso de Gado Bovino de Trabalho. Podemos dizer que esta feira, ao tempo a marca importante no chamado “Dia do Meio”, passou quase à sua mediania, porque estiveram presentes pouco mais de uma dezena de juntas, juntando-se-lhe alguns cavalares e… pouco mais. Pode dizer-se que enquanto na região se reali-

gueira (Arganil). Se os artistas convidados arrastaram consigo milhares de pessoas, pode dizer-se que a Rita Guerra bateu o recorde, porque não havia espaço para a ver nem de perto, nem de longe. No exterior da feira houve uma certa efervescência musical, causada pela boa intenção dos filarmónicos mais novos da banda local, proporcionando, ao vivo, umas horas de bom convívio musical, dando assim um óptimo ambiente não só a quem utilizava o bar da instituição, como a quem passava. O último dia da Feira teve como aliciante a participação do Gomape Music, e a encerrar a FICABEIRA / Feira do Mont’Alto 2009, a tradicional Serenata Monu-

Simões Dias tributou-lhe estrondosa salva de palmas, como prova da admiração e consideração que o “Vítor da Esculca” tem no conceito dos arganilenses, dos seus inúmeros amigos. Ainda houve tempo para o habitual convívio entre a Câmara Municipal e os expositores, sendo a cada um entregue certificado de presença. Durante as festas estiveram patentes ao público exposições: no átrio do edifício da Câmara Municipal, Exposição Colectiva de Pintura, com o título “Dois Pintores – J. Eliseu (Filho) e Sérgio Eliseu; na Sala Guilherme Filipe, Exposição do jovem arganilense Fábio Marques, os “Sentidos”; e no átrio da Biblioteca Miguel Torga, “Retrospectiva”, de Gomes Paiva, de Folques.

Para Ricardo Pereira Alves

A melhor feira de sempre Texto: Paulo Mattos Afonso À semelhança da edição anterior, voltamos a falar com Ricardo Pereira Alves para nos fazer um balanço da FICABEIRA e Feira do Mont’Alto, edição 2009, que, para surpresa de muitos, apresentou-se num espaço inteiramente requalificado. Para o autarca «a FICABEIRA e a Feira do Mont’Alto, edição 2009, foram, seguramente, as melhores feiras de sempre, porque tiveram um maior número de expositores, tiveram uma maior afluência de público (isso foi visível em todos os dias de feira) e por isso estamos muito satisfeitos com os resultados». Contudo admite que «natural-

mente há coisas a melhorar, até porque o espaço começa a ser exíguo para acolher tantos expositores e tantos visitantes (estamos a pensar já nisso) e, nomeadamente ponderamos o alargamento para a outra margem (aliás já está previsto no projecto inicial) e, por isso, foram, de facto, uma mostra importante do que é a dinâmica empresarial, social, cultural e desportiva do nosso concelho e da região». Recuando no tempo, Pereira Alves admite que «a feira, em 2005, apresentavase num projecto de decadência, de declínio, que parecia quase inevitável continuar. Com a mudança do espaço físico (para o Sub-Paço) e com a mudança de alguns aspectos organizativos, revoluciona-

ram esta tendência e potenciaram a criação de um novo ciclo de crescimento que, para nós, nos apraz registar, uma vez que desde 2006 que a feira tem vindo, sempre, sempre, a crescer». Mas que para isso aconteça, o presidente da Câmara arganilense salienta que «temos que contar com a participação activa dos empresários, das instituições (culturais, desportivas, recreativas) e isso dá-nos uma satisfação plena sobre os resultados mas, naturalmente, queremos mais, queremos que a feira continue a crescer» e, sem falsas modéstias garante: «pode, hoje, dizer-se com toda a clareza, que é o maior certame da região da Beira-Serra». Relativamente ao ano que vem, Ri-

cardo Pereira Alves entende que a feira «deve continuar esta linha de crescimento, razão pela qual vamos trabalhar no sentido de criar todas as condições para que possa crescer de uma forma sustentável, agradando não só aos expositores mas também aos visitantes». Ainda sobre o projecto do novo Espaço Verde Urbano, o autarca garantiu em exclusivo ao “Tábua/Arganil notícias” que «logo que estejam resolvidos os “problemas” com os proprietários dos terrenos» confinantes com a ribeira, serão retomadas as obras, pelo que, tudo indicia que, para a edição de 2010, a FICABEIRA e a Feira do Mont’Alto, terão, à semelhança do que aconteceu este ano, mais um novíssimo espaço.


Especial

tábua/arganilnotícias

P12

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

No feriado municipal

Inauguração do novo centro escolar de Côja Se o Feriado Municipal, instituído a 9 de Outubro de 1969, por ser considerado o 7 de Setembro uma das datas mais festivas do concelho, pois “é dia do meio da feira do Mont’Alto o mais importante e o mais concorrido”, continua a ser um dia marcante para os arganilenses, quiçá para o concelho. Porém, passados que são 40 anos, a regra mantém-se. Por isso, nesse dia, tem havido há uns a esta parte motivos que realçam a data, particularmente no âmbito da educação. Este ano há que realçar a inauguração do Centro Escolar de Côja, com a presença do Secretário de Estado Adjunto da Educação, Dr. Jorge Pedreira. Na sessão solene que antecedeu o acto, ocorrida no Salão Nobre dos Paços do Concelho, seria o representante da Presidente da Assembleia Municipal, Prof. Carvalhais Costa a recordar precisamente as obras que foram inauguradas e outras postas em execução em Feriados Municipais, particularizando o que irá funcionar em Côja no novo ano lectivo; e sobre o campo empresarial particularizaria o papel que os empresários têm desempenhado no concelho, homens que têm sabido colocar e expandir o nome de Arganil. O Presidente da Câmara, realçando a importância do Dia do Município, da Ficabeira e da Feira do Mont’Alto, “espaços de afirmação da dinâmica das pessoas, das instituições e das empresas do nosso conce-

lho”, deu ênfase a que “Arganil está, também por isso, no bom caminho, consolidando a sua posição estratégica em toda a região e reforçando a sua competitividade face aos outros concelhos”. Por isso, como afirmou, “neste dia reforçamos o orgulho de sermos Arganilenses, que têm dado provas do seu envolvimento e da sua participação nas grandes causas, que nos mobilizam a todos”. Falando de estratégias do Executivo, a área da Educação corresponde a “uma vontade inequívoca de preparar o futuro, assegurando que as nossas crianças e jovens tenham as melhores condições para se tornarem cidadãos de excelência”. E referindo-se ao Feriado Municipal, o Eng. Ricardo Alves frisou que sendo um dia especial, ele “é importante na afirmação das gentes do nosso concelho, que são, estou certo, a grande

força empreendedora e mobilizadora para o futuro”. Todos os funcionários camarários foram também alvo de reconhecimento, pois eles “têm, no cumprimento das suas funções, sido inexcedíveis, contribuindo decisivamente para a execução, com sucesso, da nossa estratégia de desenvolvimento”. O Secretário de Estado disse ser o Feriado Municipal aproveitado para se fazer o balanço do que tem sido feito entre o Governo e as Autarquias. Como sendo as pessoas o bem mais precioso (reconheceu as palavras do edil arganilense), destacou como meta a atingir a qualificação e educação. Para isso é necessário haver escolas em condições para se atingir o sucesso e continuar com o processo das Novas Oportunidades, que atingem aqueles que não tiveram oportunidade de se elevarem no enriquecimento social para entrarem na sociedade. Felicitou as gentes de Arganil por estarem “a viver este estado de desenvolvimento e prosperidade visando o futuro”. Antes da comitiva se dirigir a Côja, ainda houve tempo para todos ouvirem um bonito concerto de música clássica, tocada ao piano pelo jovem

Carlos Miguel Gaspar Neves, natural de Arganil, aluno do Conservatório Regional de Coimbra. Com a presença também da vice-presidente da Direcção Regional de Educação, as entidades foram recebidas pela Filarmónica Pátria Nova e muitos populares. Descerrada placa, consumada a bênção pelo Padre Dr. António Dinis e feitas as visitas ao interior do edifício, onde vão funcionar as valências de Creche, Pré-Escolar e 1.º Ciclo, seria a presidente do Agrupamento de Escolas de Côja, Susana Fonseca, a referenciar a importância de tão importante melhoramento, que vai dar garantias no futuro em termos de ensino de qualidade e com grande sucesso. Sendo um dia ambicionado por todos e vendo o futuro risonho em termos de sucesso, seria de seguida o Padre António Dinis a relevar o dia como sendo mais uma marca marcante na história de Côja, tornando em realidade um sonho tripartido Centro Social, Junta de Freguesia e Câmara Municipal. O Eng. João Oliveira, Presidente da Junta de Freguesia, teceria algumas considerações sobre o esforço desenvolvido para que Côja não per-

desse o bem que há 50 anos havia adquirido, que era a Creche, na altura conseguida a expensas do Comendador Eduardo Filipe e Fundação Bissaya Barreto. Por isso, e depois de se referir às diligências desenvolvidas para que tal bem não fosse extinto, teceria fortes críticas à atitude praticada por aquela Fundação, atitude que foi contrária ao espírito do seu fundador. Como as carências são do passado, “fica agora o sucesso de quem trabalha, desde o porteiro aos professores e directores”, concluiu. O representante da Assembleia Municipal, Prof. Carvalhais Costa, salientou que o pilar de desenvolvimento de qualquer comunidade é a Educação e por isso deixou vincado o esforço vivido pelo Centro Social, Junta e Câmara. E devido a esse esforço, disse que “quem sabe se desta escola não sairá um futuro governante, como aconteceu no passado”. Para o Presidente da Câmara a inauguração do Centro Escolar corresponde a um velho sonho dos cojenses, que abre um novo ciclo de modernidade e qualificação dos equipamentos educativos, proporcionando melhores condições para o ensino e aprendizagem,

“essenciais para terem sucesso”. Ao elogiar a forma como o Centro Social, Junta e Câmara desenvolveram mecanismos para cobrir a falta da Creche, não esperaram pelo funcionamento do Centro Escolar para criar esta valência, que em solução provisória não teve o apoio do Estado, o qual “foi demasiado escasso para suportar os custos de funcionamento”. Sendo assim, como referiu, foi a Câmara Municipal “que assumiu uma parcela muito significativa desses custos, investindo mais de 100.000 euros, quando essa era uma função dos serviços da Segurança Social”. Sendo um dos mais modernos equipamentos educativos do país, Ricardo Pereira Alves salientando que estão a ser concretizadas as metas inscritas na Carta Educativa do Concelho, que depois dos Centros Educativos de S. Martinho da Cortiça e Côja, avançará a requalificação da Escola EB1 de Arganil, “não deixaremos de continuar atentos a todas outras vertentes, passando pela melhoria contínua do sistema de transportes, que foi alvo de uma verdadeira revolução”, diminuindo assim o tempo de espera das crianças na escola. Actividades de enriquecimento curricular, o programa de generalização de refeições no 1.º Ciclo ou a Componente de Apoio à Família, serão formas e métodos a pensar num futuro mais risonho para todos. O Dr. Jorge Pedreira, ao dar os parabéns à comunidade cojense pela inauguração desta obra, não deixou de dizer que foi o Governo que traçou estas directrizes, tendo como aliadas as autarquias locais na concretização dos seus propósitos ou seja no enriquecimento do ensino em todas as vertentes, particularmente na construção de novos centros escolares.


Cultura

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

P13

Avante 2009

Não há mesmo festa como esta Texto | Fotos: Rita Costa Nos dias 4, 5 e 6 de Setembro realizou-se a trigésima terceira Festa do Avante, na Quinta da Atalaia, Seixal. De facto, festa é a palavra ideal para caracterizar todo este evento, que teve milhares de visitantes, e para caracterizar também todo o ambiente que se fazia sentir na cidade. Após a habitual confusão para nos instalarmos no parque de campismo, que na noite de sextafeira albergava já mais de 6000 pessoas, a animação era uma constante não só nas camadas mais jovens, mas também em todas as faixas etárias. É de notar que um evento desta magnitude só é possível com o trabalho de centenas de voluntários (7500 pessoas), e graças a isso pudemos assistir a uma festa bem organizada, num espaço agradável, e com todas as condições. Nestes três dias de festa, auxiliados também pelas boas condições meteorológicas, assistimos a concertos musicais dos mais variados géneros, desde Vitorino, a Blind Zero e Ciganos de Ouro. Enganam-se todos aqueles que pensam que a festa do Avante é so musica. Além dos pavilhões distritais, com comidas e

bebidas regionais (era frequente ouvir-se expressões como “Vamos comer aos Açores ou a Leiria?”), destaco também a Festa do Livro/Disco, a Cidade da Juventude e o Pavilhão Internacional. Sentia-se no ar um ambiente de Festival de Verão, com música alta e muitos jovens. Mas também um ambiente de festa de aldeia ou festa de bairro, como entende-

mobiliário e carpintarias

Ramiro Amorim (gerente)

Tel./Fax: 235 712 140 | Telem. 963 350 474 / 965 477 840 www.forma-perfeita.pt E. N. 17 – MOITA DA SERRA

3420-034 Carapinha

ntos a S l Isabe a n Hele

Shopping Intermarché – Loja 11

Vestuário e calçado de criança

Telem. 961 303 474

3300-017 ARGANIL

rem. Facilmente se viam pessoas de todos os extractos sociais e de todas a idades. Famílias inteiras, com três gerações a passearem, a comer e até sentados na arena no Palco 25 de Abril a verem os espectáculos e a ouvirem os comícios. A Festa do Avante é mesmo para todos. E feita por todos.

Note-se que embora seja a grande festa comunista, não é necessário ser-se comunista para se divertir e aproveitar para conhecer melhor o nosso país e ate outras culturas do mundo. No final, sai-se da Festa do Avante com pena de ter acabado. Para o ano há mais!


Política

tábua/arganilnotícias

P14

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

Pré-campanha do PS

Ana Jorge visitou Arganil e Côja

A candidatura do PS à CMArganil acompanhou a visita da ministra da Saúde, Ana Jorge, durante a sua deslocação ao concelho de Arganil, onde esteve presente na FICABEIRA, estabelecendo um contacto directo com as populações. Recebidos na sede de candidatura de Miguel Ventura, Ana Jorge e os restantes candidatos às Legislativas que a acompanharam foram agraciados com as palavras de João Pedro Pimentel, que salientou as capacidades humanas e profissionais da actual ministra e candidata a deputada, vendo nesta visita da governante a Arganil um estímulo para a própria candidatura autárquica do PS. Também Miguel Ventura fez ouvir a sua voz. Referindo o facto de o concelho estar em festa, principalmente a vila de Arganil, o candidato aproveitou para deixar uma mensagem de esperança e confiança, bem como a garantia que os socialistas deste concelho irão trabalhar para garantir a vitória do partido nas legislativas que se aproximam. Nas palavras do candidato, os socialistas de Arganil são “pessoas que sabem reconhecer o trabalho que o governo PS fez no nosso concelho, onde tem muita obra para mostrar, ao contrário do PSD que tem discriminado esta região quando se encontra no Poder.” Ana Jorge assegurou aos presentes que apenas o Partido Socialista está em condições de implementar as medidas que o país necessita neste momento de crise. Apelou ainda à mobilização de todos os apoiantes do partido em torno do projecto político para as próximas eleições de 27 de Setembro. Ao longo da visita à FICABEIRA, que se seguiu a esta recepção, a comitiva foi contactando com as inúmeras pessoas que se encontravam na Feira de Mont'Alto e na mostra económica. A cabeça de lista do PS pelo distrito de Coimbra dirigiu-se ainda a Côja, onde falou com vários habitantes da vila, tomando conhecimento dos seus desejos no próximo governo da República.

Jantar-comício do PS

“Modernizar a câmara e aproximá-la dos munícipes” texto: Tiago Cardoso Pinto foto: Candidatura PS-Tábua

O passado sábado, 5 de Setembro, foi o dia escolhido pela candidatura do PS-Tábua para apresentar, oficialmente, os seus candidatos aos vários órgãos autárquicos. No final ficou a ideia de trabalho bem feito, que deve continuar. A noite avizinhava-se morna durante o jantar que juntou, segundo a organização, cerca de mil e quinhentas pessoas, à volta do “projecto que nos une”. Depois do jogo da Selecção Nacional de futebol e da comida, estava dado o mote para que Ricardo Cruz, número quatro na lista à CMTábua e presidente da Comissão Política Concelhia do partido, começasse a concentrar as atenções dos comensais para o palco, onde iria decorrer toda a acção da noite. Já o mandatário da Candidatura, Alfredo Areias, referiu que esta é uma candidatura com um “significado especial, aliás à vista de todos”, referindo ainda as obras de grande empreendimento no concelho, tornadas possível pela acção dos executivos liderados por Ivo Portela. Sendo o Palácio da Justiça e o Centro de Saúde, duas das mais importantes. Depois da apresentação dos mandatários da ju-

ventude, foi a vez de Ana Paula Neves subir ao púlpito e proferir algumas palavras. Mas antes que o pudesse fazer ouviu-se uma ovação geral por todo o recinto do Pavilhão Multiusos. Embora aparentemente algo nervosa, Ana Paula Neves falou do seu percurso na CMTábua durante os últimos 23 anos, explicando o seu trabalho em prol do concelho nas áreas da Cultura e Educação, não se esquecendo do cargo que lhe deu mais projecção mediática: Directora da Biblioteca Municipal João Brandão. Seguindo um alinhamento prédefinido, a noite continuou, com um dos discursos mais esperados: Mário Loureiro começou por agradecer e cumprimentar os presentes. O candidato decidiu, pela primeira vez, falar dos vários comentários polémicos que têm sido feitos à volta da sua decisão de correr pelo PS: “Têm sido feitas afirmações que nunca proferi. Decidi não dar resposta. Conheço bem o concelho e os tabuenses. Estou de consciência tranquila.” Mas Loureiro deixou no ar as linhas mestras do próximo mandato socialista, caso a lista que integra vença as eleições de 11 de Outubro. Cultura e Novas Tecnologias, Turismo e Ambiente, serão pedras de toque defendidas em prol do concelho

de Tábua, nas palavras de Mário Loureiro. No final da sua intervenção exclamou: “Viva o projecto que nos une!”. Antes da entrada de Ivo Portela nas luzes da ribalta, enquanto se fazia sentir o calor humano dentro do Pavilhão Multiusos de Tábua, houve ainda tempo para apresentar os restantes candidatos, pelo menos os cabeças de lista. Sidónio Costa foi o primeiro a discursar, garantindo que “os melhores estão aqui” e pediu “a maior vitória de sempre” do PS em Tábua, asseverando no entanto que “não há vitórias antecipadas.” Seguiu-se a apresentação dos candidatos às juntas de freguesia do concelho, momento marcado pela entrada “em grande” do candidato a Sinde, Fernando Gameiro, que dobrou a façanha da inauguração da sede de campanha, aparecendo em palco empunhando não uma, mas duas bandeiras do partido. Mas a noite de Ivo Portela ainda teria de esperar mais um pouco para acontecer. O líder distrital do Partido Socialista, Vitor Baptista, antecedeu o decano presidente. “Dá muito trabalho ser presidente da câmara” assegurou Vitor Baptista, apelando no seu discurso para que Ivo Portela “ouça os presidentes de junta”. “É a maior con-

centração em volta de um candidato desde 1995”, garantiu Vitor Baptista, que disse ainda que “a Câmara tem tido sensibilidade de apoiar as empresas e os investidores”. O líder distrital referiu ainda o esforço do governo nos investimentos a decorrer em Tábua, e que Portela é “um homem que merece o apoio do povo.” Ivo Portela era, claro, portador do discurso mais esperado da noite. Dando as boas vindas a “todos, sejam do partido ou não”, referiu a presença de cerca de mil e quinhentas pessoas no espaço do Multiusos. Como tem sido seu apanágio nos últimos discursos, Portela voltou a referir os investimentos feitos nos últimos meses no concelho de Tábua, principalmente as novas vias rodoviárias. “Vencemos situações adversas”, disse o edil e candidato. Agradecendo aos empresários, Ivo Portela prometeu mais empreendimento, emprego e qualidade de vida. Quanto ao Saneamento Básico, uma das mais ferozes críticas dos seus opositores, Ivo Portela referiu os novos concursos públicos que vão “desenvolver a nossa terra”. Para o final, a frasechave do seu discurso, com um objectivo para o futuro próximo: Aproximar a Câmara dos munícipes e modernizá-la.


Política

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

P15

PSD apresentou mais candidatos às freguesias

Veigas quer “onda de mudança” Espariz “Devolver à Freguesia o lugar de destaque que merece”. No passado dia 5 de Setembro, a Coligação “Por Tábua, Juntos Conseguimos” PPD/PSD – CDS/PP apresentou os seus candidatos à Assembleia de Freguesia de Espariz. Serafim Martins deu inicio à Apresentação, fazendo uma breve análise à “difícil situação em que se encontra todo o Concelho, claramente atrasado em relação a todos os Concelhos vizinhos”. Seguidamente fez uma breve declaração acerca das qualidades do candidato à Presidência de Junta de Freguesia de Espariz, chamando-o ao púlpito para “dar um abraço a um jovem corajoso e cheio de atributos que irão estar ao dispor de todos os esparizenses a partir do dia 11 de Outubro”. Carlos João Pereira agradeceu as palavras elogiosas e dirigiu-se a todos os presentes, dando a conhecer os propósitos da sua candidatura. Assumiu-se como “um independente, socialista por convicção, mas farto de vinte anos em que os tabuenses têm sido constantemente pressionados para favorecer um grupo de pessoas que se tem aproveitado da posição que ocupam para melhorar as suas vidas”. “Já chega, Espariz e Tábua precisam de gente nova, de formas novas de fazer politica e de gerir a Freguesia e o Concelho”, disse o candidato apresentado

pela Coligação para a presidência da Junta de Espariz. De seguida, Carlos Gomes, candidato na lista à Câmara Municipal, natural de Espariz, dirigiu algumas palavras a todos os presentes. Falou da sua “condição de esparizense mas também como empresário, porque tenho lutado muito para ajudar a desenvolver o concelho de Tábua, cumprindo sempre as minhas obrigações com todos e, na verdade, o que vejo é a Câmara a apoiar só os amigos do PS, esquecendo todos os outros empresários desta terra”. Antes de terminar, Carlos Gomes alertou os esparizenses para “a triste realidade, a vergonha, que é, numa altura de crise, gastar-se tanto dinheiro em festarolas que só servem para tentar ganhar votos”. A terminar a sessão, o candidato da Coligação PSD – CDS, Jorge Veigas, lançou o repto aos cidadãos de Espariz para que “apoiem este jovem candidato, que é um homem cheio de qualidades, pronto para vos servir como poucos o podem fazer, que nunca se amedrontou com todas as pressões de que foi alvo”. “É de gente assim que Espariz precisa e vocês têm aqui um homem com H grande, rematou Jorge Veigas. Antes de terminar, Jorge Veigas apelou à mobilização de todos os social-democratas para “dar uma grande vitória ao PSD nas próximas legislativas, porque depois ninguém nos pára e a

mudança será uma realidade”.

mesmo

Candosa “Resolver os graves problemas que têm sido criados pela Câmara” Foi na tarde do passado dia 6 de Setembro que a Coligação “Por Tábua, Juntos Conseguimos” PPD/PSD – CDS/PP apresentou os seus candidatos à Assembleia de Freguesia de Candosa. Desta feita, a Direcção de Candidatura decidiu dividir a Apresentação Oficial em duas sessões, em Candosa e em Várzea de Candosa, mostrando assim “entender a realidade da Freguesia e das suas gentes”. O candidato à presidência da Junta de Freguesia de Candosa, Cândido Lourenço, mostrando-se confiante na sua equipa, afirmou a todos os candosenses que conhece bem “todos os problemas que têm sido criados por esta Câmara na nossa Freguesia, desde os problemas com o Saneamento Básico até à falta de preocupação com zonas como a Quinta da Moenda, por exemplo”. “Estou aqui de coração aberto, para vos ajudar a resolver estes problemas, como sempre fiz e como bem sabem”, afirmandose disponível para trabalhar “com todos e para todos”. Em Várzea de Candosa, foi dada a palavra a um varzeense, apoiante da Coligação. Jorge Ferreira, jovem natural de Várzea de Candosa, afirmou o seu apoio às listas da Coligação, dizendo a todos os

presentes que apoia a Coligação “por duas pessoas que muito respeito, o Cândido e o Dr. Jorge Veigas, porque sei que são capazes de dar à nossa freguesia e ao nosso concelho aquilo de que todos precisamos, verdadeiro desenvolvimento, sem pressões e sem guerrilhas partidárias”. O candidato à Presidência da Câmara de Tábua, Jorge Veigas, afirmou-se “muito feliz por estar numa terra de gente boa, de gente que vai saber dar a volta ao estado a que chegou o nosso Concelho”. Lançando fortes criticas à inoperância do actual executivo, Jorge Veigas afirmou que “as fossas que estão ao fundo de Candosa foram feitas no tempo do Eng.º Portugal, quando não havia dinheiro para nada, mas são uma vergonha para o século XXI, que é o século da qualidade de vida”. “Sabemos bem que as finanças da Câmara não estão de boa saúde, porque estes senhores têm esbanjado dinheiro, sabe-se lá em quê, por isso definimos bem as nossas prioridades e resolver o problema do Saneamento Básico é uma delas”, rematou Jorge Veigas, finalizando o seu discurso com apelos à mobilização de todos para “dar a volta ao Concelho e ao País, começando já nas Legislativas”.

Pinheiro de Coja “Com juventude e inovação, recuperar a democracia” A Apresentação Oficial

do Candidato à Presidência da Junta de Freguesia de Pinheiro de Coja foi realizada no passado dia 6 de Setembro, a partir da 21:30. Na Sede da Associação Cultural Verde Pinho, Marco Figueira foi apresentado como o homem que a Coligação “Por Tábua, Juntos Conseguimos” PPD/PSD – CDS/PP acredita ser o ideal para mudar o rumo da Freguesia. Marco Figueira, jovem com 25 anos, começou o seu discurso agradecendo “a confiança que o Dr. Jorge Veigas e o Sr. Serafim Martins depositaram em mim, mesmo sabendo que sou muito jovem”. “Só com gente assim, que acredita mesmo nos jovens, é que a nossa Freguesia e o nosso Concelho podem mudar para melhor”, afiançou Marco Figueira. De seguida, Marco Figueira dirigiu-se ao seu adversário, acusando-o de “tudo ter feito para que a nossa lista não fosse em diante, mas a primeira derrota do PS já aconteceu porque hoje a lista da Coligação para Pinheiro de Coja está a ser apresentada com a sala cheia de pinheirenses”. “A ditadura já acabou à muito tempo em Portugal e aqui ninguém tem medo de dar a cara pela mudança”, disse o jovem candidato à presidência da Junta de Pinheiro de Coja, afirmado também que “esta equipa mistura juventude com experiência e tem muitas ideias para o futuro da Freguesia, como a construção da um Centro de

Dia, por exemplo”. Aceitando o repto, Jorge Veigas afirmou que “os pinheirenses podem contar connosco para tudo e a construção do Centro de Dia será uma realidade se acreditarem neste jovem fantástico que é o Marco Figueira”. O candidato à presidência da Câmara de Tábua, Jorge Veigas, mostrou-se revoltado com “as pressões que foram feitas para que não houvesse lista da Coligação em Pinheiro de Coja”. “Em democracia não é aceitável que se ameace alguém que tem familiares com deficiências motoras, dizendolhes que se aceitarem entrar na lista da oposição passarão a levá-los para a Escola de mota porque a carrinha da Junta deixará de estar disponível”, disse, visivelmente revoltado, o candidato que quer protagonizar a mudança politica no concelho de Tábua. Antes de terminar, Jorge Veigas disse aos muitos pinheirenses presentes que “o Marco é um diamante que vocês aqui têm, o filho que todos gostariam de ter, devem acarinhá-lo e aproveitar o que ele tem para vos dar”.


Caixa de Correio

tábua/arganilnotícias

P16

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

dixit...

in tabuaonline.com

artigo: “Uma vila como há poucas... sem nada” comentário: Será que não andamos a cometer uma grande gaffe, chamando Engenheiro ao 1º ministro?. Continuo na dúvida se ele é ou não engenheiro. Não é por se ter um "canudo" que se é melhor do queos outros.E nós temos bons exemplos na administração do nosso concelho. Pessoas sem estudos opuseram-se contra o desperdício de cerca de 40.000 contos de bombas para o abastecimento de água à Povoa de Midões e hoje passamos ali e vemos toda a maquinaria que nem uma hora funcionou, apodrecer no meio do mato e silvas. O inteligente que teve a ideia e gastou o nosso dinheiro naquela obra não deveria ser responsabilizado? Assim temos um concelho cheio de obras inacabadas. Começan-se obras só para dizer que se faz muita obra e depois é o que se vê. A estrada Covas- Candosa é um exemplo. A estação de tratamento em Vila Chã é outro exemplo.Não funciona, aliáz nunca funcionou.A maioria dos esgotos deste concelho não funcionam. Meteram-se os tubos as pessoas ligaram os esgotos e as estações de tratamento não existem. É uma vergonha. Mas mais vergonha é andar-se a propagandear para os Tabuenses que tudo está bem. Quem não conhece o concelho e quem não percorre as aldeias, poderá acreditar.Mas tudo não passa de propaganda barata. A própria Vila de Tábua, é uma localidade sem qual atractivo. As pessoas que aqui passam, olham e vêem uma construção desordenada, parte dos passeios em cimento ondulado, outros em terra e outros enexistentes. O unico Jardim, parte dele destuído, completamente abandonado. A rotunda da entrada da Vila a Sul, mais parece uma mata. A entrada a Norte com o bom cheirinho que brinda as pessoas que ali passam e que ficam com uma bela imagem de Tábua. A area envolvente das piscinas é a mais bonita desta Vila. Só o verde da relva faz as pessoas parar e apreciar o panorama. Que beleza Sr. Presidente!... Arganil,Oliveira,Góis,Santa Comba Dão, constroem zonas verdes e nós...tambem!.. Lindo!..quem vem a Tábua vai deslumbrado com tanta beleza.Porque não manda cimentar o piso do Estádio municipal?.. A Praceta do Palácio da Justica é um regalo admirar todas aqueles flores e plantas maravilhosas. Lindo!..Tenho inveja a quem ali mora, por poderem admirar diariamente toda aquele beleza de jardinagem.O Senhor presidente não é sensivel a nada disto.Como tem bons jardins em Coimbra para á noite ir passear, não se lembra de quem em Tábua,nada tem.Nem um banco em condições no unico jardim para se poderem sentar.Mas nem todos podem ter uma casa em Coimbra e uma viatura com motorista para nos levar e trazer diariamente sem termos de gastar um cêntimo da algibeira.Deve ser caso único no Distrito e no País. António Pinto

Penalizar os políticos que se parecem com o Pinóquio Texto: Alberto Pedrosa Tive o prazer de ler com muita atenção no jornal de 27 de Agosto passado, algumas das entrevistas dadas pelos candidatos às eleições autárquicas do concelho de Tábua, onde quero salientar, e não deixar de dar os meus parabéns ao candidato à Junta de Freguesia de Tábua, pela coligação PPD/PSD CDS-PP, Joaquim Eliseu, pessoa que bem conheço há mais de uma vintena de anos, pelo arrojo e coragem de denunciar publicamente, e através deste jornal, as barbaridades e políticas nefastas que se têm vindo a praticar no concelho de Tábua há mais de uma década. Políticas nefastas, que têm o cunho e como primeiro protagonista, o actual presidente da câmara e candidato a novo mandato pelo PS. Nunca será demais relembrar os Tabuenses de uma caricata situação de baixa política que o candidato Ivo Portela pôs em prática acerca de treze anos quando da mudança de camisola, onde fez alguns convites a autarcas eleitos nas listas do PSD para a dita mudança de camisola. Coerentes com o trabalho autárquico que estavam a desempenhar e fiéis ao seu eleitorado, aqueles que não compactuaram com o convite que lhe tinha sido proposto, foram postos de lado e nunca mais obtiveram do então executivo camarário as verbas a que tinham direito para as suas freguesias. Não satisfeitos com a situação de descriminação a que foram votados pelo executivo camarário, resolveram os autarcas do PSD dar uma conferência de imprensa no Hotel de Tábua, a fim de denunciar publicamente a descriminação de que estavam a ser alvo. A fim de fazer abortar essa conferência de imprensa, Ivo Portela re-

correu a mais um golpe de baixa política, convidando sete dos presidentes de junta para um almoço junto ao rio Alva, onde os reteve até às cinco horas da tarde, para que os mesmos não pudessem estar presentes e dar o seu testemunho na referida conferência. Face a estes factos em que não se olha a meios para atingir os fins, é altura do eleitorado Tabuense mostrar nestas eleições autárquicas um cartão vermelho a Ivo Portela, para que este sinta o sabor amargo da derrota, e que mais tarde não se venha vangloriar que fez um bom trabalho em Tábua e que saiu pela porta principal. Na minha opinião e na de muitos tabuenses, em que a maioria deles receia denunciar publicamente factos de que são conhecedores, por temerem algumas retaliações ou serem alvos de perseguição, Ivo Portela foi a maior fraude política que passou por Tábua nos últimos anos. Mais um golpe de baixa política levada a cabo por Ivo Portela na campanha eleitoral, é a promessa de emprego a alguns tabuenses, empregos que não passam de pura especulação ou falsas promessas, basta analisar com atenção a lista dos candidatos à Câmara Municipal pelo PS, e relembrar um pouco do que se passou na campanha eleitoral há quatro anos atrás. Será que o objectivo desses candidatos é na realidade proporcionar um bom futuro para Tábua e dar aos Tabuenses outro conceito de vida? Ou será pura e simplesmente para assegurar o “TACHO” à conta dos mais desfavorecidos e menos esclarecidos. É tempo de dizer basta a falsas promessas, e penalizar nas urnas os políticos que mais se parecem com o Pinóquio, só com a diferença que a estes não lhes cresce o nariz

quando estão a mentir. Por todas estas tramóias políticas que se têm vivido em Tábua nos últimos anos, não quero deixar de desejar publicamente ao amigo Eliseu, boa sorte e que não se coíba de denunciar o que mau e nefasto se tem feito no concelho de Tábua. Quanto ao presidente da comissão política do PSD de Tábua, e número quatro à Câmara, também quero deixar aqui o meu reparo ao lugar que ele ocupa na lista, e não quero deixar passar em claro esta oportunidade de lhe dizer publicamente, que o grande culpado destas tramóias políticas e mudanças de camisola a ele se deve, porque tem muita culpa nesta matéria, que também pactuou neste fandango político e o melhor que ele podia fazer era desistir de ser o número quatro na lista e dedicar-se de corpo e alma à reestruturação da Comissão Política Concelhia do PSD de Tábua e procurar, a nível do concelho, os homens mais capazes e mais competentes para num futuro muito próximo devolver ao PSD de Tábua toda a credibilidade a que este tem direito, e que foi perdendo ao longo destes anos pela infantilidade de liderança política que alguns exerceram. Por todos estes factos relembro que a política é uma porca com poucas tetas para alguns mamões, embora haja lugar para gente séria e honesta na política que se dedica às causas mais nobres das suas terras. Por isso Tabuenses está na hora da mudança, e não vos esqueçais de uma celebre frase publicada à treze anos num jornal em Tábua, Ivo Portela faz dos Tabuense uma “Chiclete”, mastiga e deita fora pelo que, num português correcto, quer dizer que utiliza os tabuenses e depois de estar no poleiro esquece-os totalmente. Ázere, 05 de Setembro de 2009

7

Fabricante de:

PME líder

• Kit’s de Alumínio • Caixas Basculantes • Carroçarias • Caixas Isotérmicas • Caixas de Transporte Animais • Gruas • Plataformas Elevatórias

Telem. 969 033 497 – Telef. 235 712 300 – Fax 235 712 675 • geral@cunfil.com MOITA DA SERRA (E. N. 17)

3420-034 Carapinha (Tábua)


Opinião

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

P17

Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir. Texto: António Nunes O recentemente inaugurado Pavilhão Multiusos de Tábua tem mostrado ser um espaço polivalente, justificando assim o nome e propósito para que foi construído. É sem dúvida uma obra importante, embora de gosto e localização discutíveis, cujo principal desafio ainda está para ser vencido, que é, em minha opinião, a sua dinamização com a realização de eventos em número e qualidade suficientes que justifiquem o investimento e os seus custos de funcionamento. De outra forma, transformar-se-á em mais um “elefante branco” sorvedouro de recursos como tantos outros que existem pelo n/ país. Vai ser precisa muita criatividade e fazer muito mais do que os previsíveis 3/4 eventos por ano, refiro-me à mostra anual das empresas e organizações do concelho, a um eventual festival de folclore, ao festival de Verão da Juventude e, de 4 em 4 anos, a uns jantares de campanha política. Até porque estas são, na sua maioria, iniciativas municipais e como tal o custo é suportado na íntegra pelo próprio Município. Saliento a inovação no panorama dos festivais de Verão realizados por todo o país, este realizou-se, em pleno Agosto, num espaço coberto. No que se refere ao jantar do passado

Sábado da candidatura do actual Presidente, era importante os Tabuenses saberem, entre outras coisas, quanto cobrou a Câmara Municipal pelo aluguer do pavilhão? E se esse valor, uma vez que não é admissível a cedência gratuita, é justo face aos custos incorridos com a realização de tal evento (electricidade, água, ar condicionado, limpeza, uso das instalações, técnicos, funcionários, etc). A organização do jantar divulgou pelos media que estiveram presentes 1.500 pessoas mas, por esquecimento certamente, não esclareceu se o jantar foi grátis, o que ajudaria a compreender muita coisa. Apesar do número redondamente elevado, o ainda Presidente sabe que os números podem iludir, e tem razões de sobra para ficar seriamente preocupado. A organização pode ter-se enganado a contar as pessoas. Nem todos os presentes votam. Ir a um jantar de campanha é um acto público e votar é um acto privado, há muitos beneficiários do caciquismo instalado e por isso convém ir e ser visto, mesmo que não se fique para a sobremesa. E, a sua maior inquietação, já percebeu que certos elementos, que tanto esforço lhe terão custado a trazer para a sua lista, não só não trazem votos como lhe fazem perder muitos. Esta última pode ajudar a explicar a azia que se apoderou a dado momento de muitos dos comensais presentes.

No seu discurso, o ainda Presidente congratulou-se por haver Câmaras Municipais que ainda não têm aprovado o seu Plano Director Municipal (PDM) enquanto o de Tábua deve ficar concluído no início do próximo ano. Faz lembrar um mau aluno que chega a casa e diz aos pais, depois de estes muito insistirem, que teve uma negativa muito baixa no teste de Matemática, mas numa tentativa desesperada de confortar os progenitores, logo acrescenta que não foi o único. O PDM é um instrumento fundamental para a gestão do território que estabelece as regras e orientações para a ocupação e uso do solo de todo o concelho. Não precisamos de ir muito longe, possivelmente basta ir à nossa janela, para compreendermos a importância deste documento. Um pouco por todo o concelho encontramos exemplos grosseiros de uma má política de planeamento do território e de subaproveitamento das suas potencialidades. O que o Senhor Presidente não diz mas devia dizer, e fazer, era valorizar a identidade de Tábua, Midões, e outras, enquanto vilas beirãs, requalificar espaços públicos (onde estão? Jardins? Parques infantis? Praia fluvial passível de bandeira azul?), privilegiar a reconstrução e reabilitação em detrimento da construção nova, entre outros. Infelizmente a acção do Senhor Presidente tem espelhado bem aquele que

tem sido o seu discurso ao longo destes já longos anos. Vago, vazio de ideias e conteúdo, que se resumem a um conjunto de banalidades, das quais são exemplos “o Turismo é uma aposta forte da Autarquia” ou, como proferiu no dito jantar, “transformar Tábua num pólo dinamizador da região”. Pelo menos nisso estamos todos de acordo, Tábua precisa urgentemente de uma grande transformação. O Senhor Presidente devia também comparar Tábua com outros municípios em outras áreas, mas compreende-se que não o faça. Vou dar apenas um exemplo numa área que também tem sido “aposta”, a das “tecnologias da inovação” (?) como é referido no sítio da CMT. Regra geral, este meio tem sido utilizado pelos Municípios na disponibilização de informação relevante aos Munícipes e na prestação de serviços via internet. Pois sugiro que façam uma pequena visita ao sítio da CMT, e confirmem, nem informação relevante, como seria a discussão do PDM, nem serviços on-line. O Senhor Presidente devia seguir os bons exemplos. Tábua precisa urgentemente de uma liderança forte, alguém com visão, ambição, rasgo, estratégia. Efectivamente Séneca sabia do que falava, não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe aonde ir.

O “culto do chefe” Texto: Pedro Dinis Mao Tsé-Tung, Adolfo Hitler, Mussolini e, o nosso mais familiar António Oliveira Salazar, entre muitos outros foram ditadores. Lideres que pelos seus regimes opressores e autoritários marcaram uma época no tempo. Nunca pela forma mais positiva, oprimiam, dominavam, semeavam o medo pelo povo; criavam autenticas maquinas de produção de imagem: o famoso culto do chefe, o endeusamento de uma personagem, o salvador da naçao. Tudo não passava de campanha propagandística. Quem nao se lembra de ver documentários, ou mesmo filmes de época sobre estes regimes, onde os mesmos expunham o seu

material bélico para que todos pudessem ver o seu poderio. Os discursos, feitos para milhares no topo das usas obras marcantes, como em Portugal quando da inauguração do Estádio Nacional, ou das grandes obras dos anos 60, eram estuidados para fazer vibrar as multidões, contribuindo, ainda mais, para a quase divinização do líder. O culto do chefe ainda hoje se vê bem vivo nas hostes politicas. Não é mais que um espelho da debilidade das nossas instituições, sejam elas partidarias ou não. É nossa “portugalidade”. Um sinal claro da nossa mediocridade social: a bajulação. Os grandes ditadores podem estar quase extintos. Pelo menos em Portugal assim o parece. Os grandes claro, porque

os pequenos continuam por ai à frente de autarquias. O que têm de pequenos é apenas a quantidade de povo que governam e os pequenos espaços territoriais, nada comparáveis a países ou impérios. Mas nao deixam de ser igualmente preocupantes, pois a escola esta toda lá. O "culto do chefe" pratica-se, e nao é pouco. Vemos estes pequenos ditadores a discursarem do alto das suas medíocres obras na altura da época das inaugurações, ou seja, época de eleições. Até a “Mocidade Portuguesa” (pequenas associações juvenis que para nada mais servem do que preparar futuros colaboradoes da "máquina" ou futuros dirigentes da mesma) pode ser encontrar por aí, em qualquer autarquia onde exista um

destes pequenos ditadores. Isto e muito mais podemos também comparar ao tempo da Europa feudal. Também neste aspecto em escala reduzida, mas o princípio de manutenção de poder é o mesmo, visto existir sempre um senhor que serve outro senhor, e assim consecutivamente, mas chamamos-lhe o mundo dos favores em cadeia. Este é o mundo que lhes garante, durante anos e anos, a “chefia” das autarquias... Enfim, uma podridão que só está ao alcance de um país como o nosso...Se olharem bem, encontram bem perto de vos situações como estas que vos descrevi. O 25 de Abril chegou a Lisboa à cerca de 35 anos, quantos anos mais vai demorar a chegar ao resto do pais?

FAÇA CHEGAR O SEU ARTIGO DE OPINIÃO AO NOSSO JORNAL. ENVIE OS SEUS TEXTOS PARA: OPINIAO@TABUAONLINE.COM, COM UM TAMANHO MÁXIMO DE 4000 CARÁCTERES. PARTICIPE E FAÇA OUVIR A SUA VOZ.

Rádio Clube de Arganil A Voz da Beira Serra

5 . 88M F


Desporto

tábua/arganilnotícias

P18

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

1ª Rampa Pedra da Sé

CLASSIFICAÇÃO GERAL

As máquinas subiram a galope

Cl. 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º 21º 22º 23º 24º 25º 26º 27º 28º 29º 30º

Foi um fim de semana em cheio para os amantes dos desportos motorizados. Com organização dos Bombeiros Voluntários de Tábua e Vila Nova de Oliveirinha, contando com o apoio imprescindível da associação de desportos MK-Makinas, a

primeira edição da “Rampa Pedra da Sé” trouxe até à pista trinta viaturas, que competiram pelo tempo mais rápido em três subidas. Na classificação Geral, a dupla Ricardo Soares/Armando Carvalho em BMW 325ix, do-

minou as três subidas, acabando com menos 10 segundos que José Almeida/Vasco Rodrigues, que terminaram com um tempo total de 4 minutos e 4 segundos. A competição foi dividida em quatro categorias.

Tempo 0:03:54 0:04:04 0:04:10 0:04:14 0:04:14 0:04:15 0:04:16 0:04:17 0:04:18 0:04:18 0:04:19 0:04:20 0:04:20 0:04:22 0:04:23 0:04:25 0:04:26 0:04:28 0:04:36 0:04:37 0:04:42 0:04:45 0:04:50 0:04:51 0:04:51 0:04:59 0:05:07 0:05:25 0:05:37 0:08:34

Núm 24 21 18 2 9 8 6 7 27 4 28 14 26 25 16 17 19 13 15 1 3 10 20 22 11 30 29 12 5 23

Piloto / Co-Piloto RICARDO SOARES / AMANDO CARVALHO JOSE ALMEIDA / VASCO RODRIGUES ANTONIO CRAVEIRO / TIAGO CARVALHO ADERITO PEREIRA / NUNO GARCES NUNO NUNES / JOAO LUIS ANTONIO ELISEU / IVO ELISEU ARNALDO CARVALHO / PEDRO BATISTA JOSE NEVES / JOAO COSTA JOAO MARTINS RENATO CORREIA / NUNO CRUZ NUNO DUARTE / HELENA SILVA VITOR GOMES / ROSA SOARES RUI MENDES LUIS COUCEIRO / LUIS SILVA JOSE OLIVEIRA / RICARDO PINTO JOAO CUNHA JOSE RODRIGUES COELHO CARLOS SOARES PEDRO CASTANHEIRA / DAVID FONSECA RUI CRUZ / SANCHO CRUZ CARLOS COSTA / JOSE ALVES PEDRO CRISTOVAO / LUIS CRISTOVAO CARLOS ROCHA / LUIS RIBEIRO LUIS LOPES / SERGIO REIS JOSE ALEGRIA / RICARDO ALEGRIA JOSE HENRIQUES / PEDRO MOURA CARLOS NUNES / ADRIANA NUNES DAVID DOMINGOS / RUI ANDRADE ANTONIO SANTOS / FLAVIO SANTOS BRUNO DINHO DA SILVA

Classe A A B A A D B C B B C B B C C B B B D A B B C C B B B C A B

A. A. Arganil, 1-A. D. Nogueirense, 3

Bastaram 5 minutos para a vitória dos forasteiros No jogo de apresentação no Campo Dr. Eduardo Ralha, a Associação Atlética de Arganil recebeu a A. D. Nogueirense, de Nogueira do Cravo (Oliveira do Hospital), no passado dia 5 (sábado)., pelas 17 horas. Com arbitragem de Elísio, coadjuvado por Adrião e Filipe Quaresma, as equipas alinharam: A.A. ARGANIL – Mário Santos; João Sérgio, André, Pistolas e Dani; Fábio, David, Beijinho e Ricardo; Galego e Pena. Jogaram ainda: Tiago Ferreira, Paulo Travas-

sos, Covas, Tiago Martins, Paletas, Luís, Baptista e Cachucho. Treinador: Salvado. A.D. NOGUEIRENSE – Gonçalo; Neves, Quim Teixeira, João Guilherme e JP; Pedro André, Nuno Ribeiro, Xano e Toni; Diogo Gonçalves e Nogueira. Jogaram ainda: Quim Santos, Ivan, Carlos Santos, Amaral, Diogo Melo, Luís Paiva e Carlos Almeida. Treinador: Pedro Ilharco. Jogo com início equilibrado, nos primeiros cinco minutos.

A partir daqui maior poder da equipa adversária, notando-se um pouco a diferença de escalão. Vamos descrever alguns lances mais significativos da partida.- Aos 15 m.,Toni remata forte mas ao lado. - 18 m., Nogueira remata forte mas à figura de Mário Santos. - 22 m., Xano remata forte mas o guarda-redes arganilense defende bem. - 28 m., canto directo a favor dos forasteiros sem perigo. A partir dos 30 minutos a AAA dá um ar da sua graça para ter alguns lan-

ces de perigo: - 35 m., boa jogada de David, mas um seu companheiro chega atrasado; - 36 m., livre perto da área sobre o lado esquerdo, com David a atirar à figura de Gonçalo; - 42 m., bom lançamento de Beijinho para Galego, mas este deixa-se antecipar; - 44 m., Galego lançado em profundidade isola-se sobre a esquerda passa o guarda-redes e atira a contar fazendo o resultado com q ue termina a primeira parte: 1-0. No recomeço da par-

tida entra outra vez melhor a equipa forasteira e logo aos 5 minutos, há um cruzamento-remate com a bola a bater na quina da barra (lado direito) da baliza à guarda de Mário. Com o avançar do tempo de jogo notava-se maior domínio dos visitantes e, como dizemos em epígrafe, bastaram 5 minutos para o desfecho do resultado. Assim: - 29 m., depois de boa combinação o n.º 20, Diogo Gonçalves entra na área e remata forte, fazendo o 1-1; - 31 m., Ivan remata à entrada da área e faz o segundo golos do Nogueirense; - 33 m., grande penalidade e Quim Santos fecha

a contagem (1-3). Ainda os arganilenses reagiram e podiam ter marcado: - 40 m., Baptista remata forte, às malhas laterais, dando a sensação de golo; - 45 m., outra boa oportunidade de Baptista que remata ao lado; - A seguir e no último lance do encontro bom remate de Fábio ao lado. Resumindo, notou-se alguma diferença das equipas, até porque vão participar em diferentes Campeonatos, mas como já provou neste início de preparação a Associação Atlética de Arganil tem «matéria-prima» para fazer um bom Campeonato, como ainda agora o provou no torneio que venceu na Tocha.


Termómetro

tábua/arganilnotícias N.º 07 . 10 de Setembro de 2009

P19

Ficha Técnica Propriedade: Conversómetro, Lda. Registo DGCS: em atribuição Depósito Legal: 296898/09

Tábua: Telefone: 235 208 370 E-mail: tabua@tabuaonline.com

Arganil: Morada: InterMarché, Ljs 4 e 5 3300-017 Arganil Telefone: 235 208 370 E-mail: arganil@arganilonline.com

MAXI-LOMBAS OU MINI-PASSADEIRAS? Em Quintela, além do cheiro nauseabundo que por quem lá passa tem de suportar, agora existe mais um motivo para se pensar que esta é uma nova terra de “fenómenos”. Foram contruídas 3 mini-passadeiras, ou maxi-lombas (ainda não conseguimos descobrir), que em nada ajudam ao fluxo de trânsito, já que uma delas se situa a meio da subida, e a sua altura desmesurada impede a passagem de veículos mais pesados, sem que antes parem, mudem de mudança e depois sigam, desvirtuando, assim, a função de dissuasor de velocidade que uma lomba deve ter. Instaladas na sexta-feira passada, estas enigmáticas construções no alcatrão já fizeram vítimas alguns faróis e farolins, de automóveis de condutores mais incautos que, devido à altura das maxi-lombas (ou mini-passadeiras) já ali bateram depois de uma travagem mais brusca. Não esquecer também os veículos que têm uma altura ao solo mais curta. Podemos assegurar que já alguns lá rasparam o chassis. Aos responsáveis por esta obra um pedido: Por favor tirem aquelas aberrações da estrada!

Periodicidade: Semanário Director: Margarida Matos Pereira (prov.) Chefe de Redacção: Paulo Mattos Afonso

SINAIS CAÍDOS

Redacção: Paulo Mattos Afonso, Tiago Cardoso Pinto

Arganil acordou nos últimos dias com novas decorações urbanas: Sinais de trânsito tombados, partidos e torcidos, fazem parte da paisagem urbana arganilense. Imperiosa a sua recuparação, já que alguns são mesmo essenciais à manutenção da ordem de trânsito na vila.

Colaboradores: Antonino Teixeira, Filipe Quaresma, André Rui Graça, Antonio Olinski, Miguel Alves, Filipe Gonçalves, Rebeca Moore, Rita Gomes Costa. Opinião: Pedro Dinis, Carlos Ferreira, António Nunes.

eira rta-f a u à q erra c n E

Design: Conversómetro, Lda Tiragem: 1000 exemplares Publicidade: Conversómetro, Lda. Websites: www.tabuaonline.com www.arganilonline.com Impressão: FIG-Indústrias Gráficas, S.A.

BAR – ESPLANADA SOBRE O RIO ALVA Serviço de Casamentos e Baptizados

Especialidades da Casa:

DIÁRIAS A 6 EUROS!!!

PEIXES • Peixe do Rio • Grelhados Mistos de Peixe na Pedra • Bacalhau à Sombrinha CARNES • Grelhados Mistos de carne na pedra • Bife à Sombrinha • Grelhados na Telha • Lombinhos de Porco c/ queijo e ananás Tels. 235 202 141 / 964 672 621

PONTE DAS SECARIAS – 3300-450 Arganil

Auto-Reparadora e Pneus do Alva, L.da Reparações mecânicas, chapa, pintura, pneus, baterias, alinhamento de direcções, máquina para testes de motores a gasolina – Estação de serviço

Telef. 235721541 – Fax 235728936 – Telem. 966036811

Zona Industrial de Coja, Lote 8 – 3305-093 COJA


arganilnotícias ITO

N.º 07 . 10 de Setembro de 2009 . Semanário . Directora: Margarida Matos Pereira . RATU . Às Quintas, só nas bancas G

FICABEIRA: P09 A P12 | HOMENAGEM A MANUEL NUNES: P16 | ANA JORGE EM CAMPANHA POR ARGANIL: P08 | ATLÉTICA PERDE 3-1: P18

Côja tem escola nova O Dia do Município de Arganil comemorou o concelho, mas trouxe um desejo antigo das gentes de Côja. O novo Centro Escolar está pronto para receber alunos para o novo ano lectivo 2009/2010 e foi inaugurado com a presença de muitos populares que ali se deslocaram.

P12

Tábua/Arganil Notícias #07  
Tábua/Arganil Notícias #07  
Advertisement