Issuu on Google+

Guia de Arquitectura Espaços e Edifícios Reabilitados Architectural Guide | Rehabilitated Buildings and Spaces


Guia de Arquitectura Espaços e Edifícios Reabilitados Architectural Guide | Rehabilitated Buildings and Spaces


Ficha técnica Título

Guia de Arquitectura – Espaços e Edifícios Reabilitados 1ª Edição – Outubro de 2012

Autoria, Documentação e Organização de Conteúdos Traço Alternativo - Arquitectos Associados Nuno Campos e Patrícia Matos

Texto de Introdução Nuno Campos

Espaços e edifícios reabilitados – o que é o património e para que serve? Victor Mestre

Entrevistas

Álvaro Siza Vieira / João Mendes Ribeiro

Textos

A autoria dos textos das obras é por regra dos autores das mesmas, referenciada pelas iniciais do(s) autor(es) ou do gabinete. Os textos escritos pela Traço Alternativo estão referenciados por TA.

Tradução

Frederico Lima

Design Gráfico

Traço Alternativo - Arquitectos Associados Frederico Lima Design

Consultoria de Gestão

Value Added Partners, Consultoria Estratégica e Financeira

Produção

Traço Alternativo – Arquitectos Associados

Edição

Traço Alternativo – Arquitectos Associados eVida (marca registada da Vida Económica, Editorial, SA)

Impressão

Penagrafica – Artes Gráficas, Lda

Distribuição

Grupo Editorial Vida Económica Traço Alternativo – Arquitectos Associados

Depósito Legal n.º 350306/12

ISBN

978-972-788-624-1 Esta publicação não adoptou o novo acordo ortográfico.


Guia de Arquitectura Espaços e Edifícios Reabilitados Architectural Guide | Rehabilitated Buildings and Spaces

1974 - 2012 Aveiro Beja Braga Bragança Castelo Branco Coimbra Évora Faro Guarda Leiria Lisboa Portalegre Porto Santarém Setúbal Viana do Castelo Vila Real Viseu Açores - Região Autónoma dos Açores Madeira - Região Autónoma da Madeira

Traço Alternativo - Arquitectos Associados


Guia de Arquitectura Espaços e Edifícios Reabilitados Architectural Guide | Rehabilitated Buildings and Spaces

índice index

Introdução Introduction

6

Espaços e edifícios reabilitados – o que é o património e para que serve? Rehabilitated buildings and spaces - what is heritage and what is it for?

9

Entrevistas Interviews

10

Aveiro

12

Beja

20

Braga

26

Bragança

40

Castelo Branco

48

Coimbra

56

Évora

68

Faro

80

Guarda

92

Leiria

98

Lisboa

106

Portalegre

140

Porto

150

Santarém

186

Setúbal

192

Viana do Castelo

200

Vila Real

206

Viseu

214

Açores - Região Autónoma dos Açores

222

Madeira - Região Autónoma da Madeira

238

índice | obras index | works

244

índice | obras e autores index | works and authors

246

créditos fotográficos photo credits

250

contactos fotógrafos photographer contacts

253


Introdução

Esta publicação reúne cerca de 150 obras de edifícios reabilitados em Portugal. É possível afirmar que cada obra constitui um caso único, singular, com todas as suas especificidades, as suas vicissitudes e os seus momentos de plenitude. Mesmo existindo práticas tipificadas, metodologias e modelos teóricos semelhantes, um edifício antigo está sempre carregado de histórias, vivências e de fantasmas, de surpresas provocadas pelos vestígios encontrados. Da conjugação dos factores exógenos, às vezes de complicada gestão, com os endógenos são feitas escolhas, tomam-se opções, sendo o resultado sempre uma incógnita.

consideração de que cada caso é um caso, pois cada edifício tem a sua própria especificidade, isto sempre sem negligenciar uma importante componente, o seu passado. E, se a reutilização de um edifício pressupõe a incorporação de novos elementos, estes arquitectos procuram perceber de forma cuidada o modo das novas estruturas se conjugarem com as antigas. Por regra, a introdução dos novos elementos arquitectónicos assume o contraste linguístico/formal entre o velho e o novo, distanciando-se assim das posturas miméticas que tantas vezes desvirtuaram e falsificaram o legado histórico das gerações que nos antecederam.

Interessaram-nos sobretudo as intervenções de reabilitação mais complexas, aquelas que implicaram a reconversão ou adição de usos como meio de intervir no património construído, afastando-o do conceito objecto de mera contemplação parado no tempo, possibilitando assim a reutilização de antigas estruturas edificadas na sociedade actual.

Os defensores desta metodologia defendem intervir como sinónimo de (re)projectar, o que exige um questionamento crítico acompanhado de um rigoroso conhecimento histórico e arqueológico do edifício a transformar. Obriga a uma análise crítica para descobrir as qualidades a preservar e assim definir a estratégia de intervenção, que pode até passar pela não intervenção.

Intervir na arquitectura do passado sempre constituiu um tema apaixonante e de forte debate. Se até ao Renascimento as intervenções se sucederam sem grandes complexos, sem qualquer sensibilidade pelas preexistências, eram por regra resultantes da simples necessidade de actualização funcional, com o Renascimento aparece uma outra atitude de intervenção. É o primeiro período da história a fazer um esforço por estabelecer um cuidadoso diálogo entre a nova arquitectura e a arquitectura preexistente. Desde então sucederam-se várias correntes de pensamento, por vezes antagónicas. Formalizaram-se as Cartas do Restauro que estabeleceram bases doutrinárias, constituindo a “Carta de Veneza” (de 1964) um importante referencial ainda hoje válido em muitos dos seus princípios. Nas últimas décadas, pelas aceleradas e contínuas alterações do contexto económico e cultural, das necessidades de conforto e dos hábitos e estilos de vida, dos recursos técnicos e tecnológicos, as intervenções de reabilitação tornaram-se mais frequentes, até pelo estado de abandono a que esteve sujeito o nosso património. O trabalho dos arquitectos tem vindo a afunilar-se nessa direcção. E quando os projectos têm por base o património classificado, os defensores da mínima intervenção e aqueles que advogam o “restauro crítico”, apesar de no passado o debate ter sido mais crispado e fundamentalista, ainda conseguem gerar interessantes polémicas. A maioria das obras apresentadas nesta publicação pertencem aos arquitectos que defendem que o confronto com a necessidade de intervir terá de partir da

6 GUIASDEARQUITECTURA.COM

Algumas das obras seleccionadas são referências nacionais, algumas são mesmo reconhecidas internacionalmente no campo da intervenção no património pela inovação da sua abordagem. Por se tratar de arquitectura, uma paixão sempre presente, e desta implicar a vivência dos espaços que define, decidimos realizar uma visita a cada obra seleccionada (1) no início do projecto (mais de duzentas), para assim melhor compreender o impacto e as relações estabelecidas entre o novo e o antigo, entre o edifício e a sua envolvente(2). Por fim, apelamos para a importância da reabilitação do património como instrumento para assegurar a manutenção da memória colectiva que importa transpor para as gerações futuras, implicando este desígnio um esforço consciente e responsável de todos os agentes, privados e públicos. Boas viagens! 1. As obras seleccionadas são essencialmente obras de equipamentos públicos por dois motivos: por um lado, pelo seu carácter de excepção e, por outro, por serem facilmente visitáveis pelo exterior e pelo interior. Foram também incluídas algumas obras privadas, cujo programa é sobretudo habitação, onde a possibilidade de serem visitadas exteriormente foi determinante e que resultaram da reutilização de edificações que possuíam antes outras funções. 2. As visitas implicaram um grande esforço, e consumiram inúmeros recursos que conjugados com os custos de edição tornam este projecto um enorme risco, até pelo facto de não haver qualquer tipo de apoio de entidades públicas ou privadas. Com a intenção de minimizar esse risco e de tornar esta edição uma realidade, fomos obrigados à inserção de alguns espaços publicitários de forma criteriosa.


Introduction

This publication brings together about 150 works of rehabilitated buildings in Portugal. One can say that each work is an unique case, singular, with all its specificities, its vicissitudes and its moments of plenitude. Although there are typified practices, methodologies and similar theoretical models, an old building is always full of stories, experiences and ghosts, of surprises caused by the traces found. From the combination of exogenous factors, sometimes complicated to manage, with the endogenous, choices are made, options are taken, the result being always unknown. What especially interested us were the most complex rehabilitation interventions, those that involved the reconversion or addition of uses as a mean to intervene in the built heritage, away from the concept of object of mere contemplation stuck in time, thus enabling the reuse of old built structures in today’s society. Intervening in the architecture of the past has always been a fascinating and strong debate matter. If until the Renaissance the interventions have succeeded without major complexes, without any sensibility by the pre-existence, were as a rule result of the simple need for functional updating, with the Renaissance appears a different intervention attitude. It is the first time in history to make an effort to establish a careful dialogue between the new architecture and the pre-existing architecture. Since then several lines of thought succeeded, sometimes conflicting. The Letters of the Restoration that established doctrinal bases were formalized, constituting the “Charter of Venice” (of 1964) an important reference still valid today in many of its principles. In recent decades, by the accelerated and continuous changes in the economic and cultural context, in the comfort needs and habits and lifestyles, in the technical and technological resources, the rehabilitation interventions became more frequent, even by the state of abandonment that our heritage was subjected. The works of the architects have been funnelling in that direction. And when the projects are based on the classified heritage, proponents of minimum intervention and those who advocate the “critical restoration”, although in the past the debate has been more crisped and fundamentalist, still manage to generate interesting controversies.

requires incorporating new elements, these architects seek to understand carefully how the new structures fit in with the old. By rule, the introduction of new architectural elements assumes the linguistic/formal contrast between old and new, thus moving away from mimetic postures that so often distorted and falsified the historical legacy of the generations that preceded us. The advocates of this approach argue to intervene as a synonym for (re) design, which requires a critical questioning together with a rigorous archaeological and historical knowledge of the building to transform. Requires a critical analysis to discover the qualities to preserve and thereby define the intervention strategy, which can even pass by the non-intervention. Some of the selected works are national references, some are even internationally recognized in the field of heritage intervention by the innovation of its approach. Because it is architecture, a passion ever present, and this involves the experience of the spaces that it defines, we decided to pay a visit to each selected work (1) at the beginning of the project (over two hundred), so as to better understand the impact and relationships established between the new and the old, between the building and its surrounding (2). Finally, we appeal to the importance of heritage rehabilitation as an instrument to ensure the maintenance of the collective memory that is important to transpose for the future generations, implying this intention a conscious and responsible effort of all agents, private and public. Happy travels! 1. The selected works are essentially works of public facilities for two reasons: on one hand, for their character of exception, on the other because they can be easily visited both from the exterior and the interior. Some private works were also included, whose program is mainly residential, where the possibility of being visited from the outside was determinant and that resulted from reuse of buildings that had other functions before. 2. The visits involved a great effort, and consumed countless resources that coupled with the costs of editing make this project a huge risk, given the fact that there was no support of any kind from public or private entities. Aiming to minimize this risk and make this issue a reality, we had to insert some advertising space judiciously.

Most of the works presented in this publication are of those architects who argue that the confrontation with the need to intervene must begin by considering that each case is unique, because each building has its own specificity, without ever neglecting an important component, its past. And if the reuse of a building

GUIASDEARQUITECTURA.COM 7


8 GUIASDEARQUITECTURA.COM


Espaços e edifícios reabilitados – o que é o património e para que serve?

Rehabilitated buildings and spaces - what is heritage and what is it for?

O tempo é seguramente uma abstracção constante que nos envolve como um fluido mágico. É por isso um auspicioso e inquieto caleidoscópio, onde se espreitam, potenciam e revelam oportunidades, onde nos posicionamos no espaço por este regulado.

The time is certainly a constant abstraction that involves us like a magic fluid. It is therefore an auspicious and restless kaleidoscope, where one lurks, enhance and reveal opportunities, where we position ourselves in the space governed by it.

O tempo da nossa existência não deve ficar como que suspenso por imposição de um qualquer decretolei ou pelo conformismo de uma visão mesquinha, político-económica de um momento de crise, mergulhando-nos num estado ilusório e depressivo pois observamos a sua silenciosa e inexorável passagem sobre o património construído tal como o sentimos sobre todos os seres vivos.

The time of our existence should not be like suspended by imposition of any law decree or by the conformism of a petty vision, political and economic of a moment of crisis, plunging us into an illusory and depressive state because we observe its quiet and inexorable passage over the built heritage such as we feel about all the living beings.

O património enquanto coisa física dinâmica, tem efetivamente no tempo um dos mais delicados fatores de perturbação e/ou de “salvação”. Esta circunstância só se percepciona por via do interesse do homem em se constituir no seu verdadeiro centro geográfico, enquanto agente de validação e regeneração, conjugando os factores culturais e tecnológicos que levam à sua permanência qualificada. Só o homem, sábio, dispõe de uma ética de intervenção também ela em movimento sobre o património e só ele o poderá reger, como uma partitura através de um conjunto alargado de intérpretes cujo desempenho confere sentido técnico e elevação estética a um ideal de beleza e bem-estar que transmitem. Cada unidade de tempo que nos alcança revela-nos o nosso posicionamento num determinado contexto ético e estético. Em consequência e face à elevada acumulação nos últimos dois séculos de tantos bens patrimoniais, quer em grandes unidades urbanas, edifícios notáveis como também em espaços públicos de sociabilização, que destino temos para eles na actualidade? Farão sentido ainda na nossa vida actual? Todos têm lugar? Temos critérios objectivos e subjectivos válidos para suportar uma escolha para a actualidade e para o futuro? Actualmente para sermos modernos temos de incorporar parte ou o todo antigo herdado? E com que critérios e expressões? O património humaniza a sociedade? Mas então o que é o património e que importância tem efectivamente nas nossas actuais vidas? Existe um ideal de património, só porque existe património? O património é a alma nostálgica do homem perante si próprio?

The heritage while a dynamic physical thing, has effectively in the time one of the most sensitive factors of disturbance and/or “salvation.” This circumstance is only perceived through man’s interest in being constituted in its true geographical centre, while validation and regeneration agent, combining the technological and cultural factors that lead to its qualified stay. Only man, wise, has an intervention ethic, also in motion over the heritage and only he can govern, as a score through a wide range of performers whose performance gives technical sense and aesthetic elevation to an ideal of beauty and welfare they express. Each time unit that reaches us reveals our position in a certain ethical and aesthetic context. As a result and given the high accumulation in the last two centuries of so many heritage assets, either in large urban units, notable buildings as well as socialization public spaces, what destination we have for them nowadays? Still make sense in our current life? Every one have a place? Have we valid objective and subjective criteria to support a choice for the present and for the future? Currently to be modern do we have to incorporate a part or the entire old legacy? And with what criteria and expressions? The heritage humanizes society? But then what is the heritage and what importance has effectively in our current lives? There is an ideal of heritage, just because there is heritage? Heritage is the nostalgic soul of the man before himself? Victor Mestre, architect

Victor Mestre, arquiteto

GUIASDEARQUITECTURA.COM 9


Entrevista a: Álvaro Siza Vieira João Mendes Ribeiro 1. O Arquitecto Lúcio Costa escreveu em 1972, num texto para ser apresentado numa conferência aos estudantes de arquitectura, que: “(…) arquitectura é coisa para ser sentida em termos de espaço e volume; arquitectura é coisa para ser vivida. (…)”. Visitar arquitectura acompanha o percurso do arquitecto, tanto como estudante como profissional. Continua a viajar para visitar arquitectura? Como prepara as suas viagens? ASV – Continuo a viajar ou a desejar viajar. Organizo-as de acordo com novos estímulos ou com antigos desejos a cumprir. JMR – Sim, viajo para visitar arquitectura. Preciso apenas de um pequeno caderno de desenho (igual ao caderno de desenhos do Le Corbusier), uma caneta “bic” e de uma fita métrica. 2. A necessidade de intervir no edificado tem acompanhado o arquitecto ao longo dos tempos. Processual e metodologicamente como é que aborda este tema? ASV – Procurando o equilíbrio justo em cada caso entre consolidação e inovação. JMR – As intervenções que temos realizado sobre o edificado, quase sempre em contextos com uma carga histórica forte, revelam uma complexidade que se afasta progressivamente do simples confronto entre o passado e o presente, expressando materialidades distintas, uma histórica e outra contemporânea. Os projectos que temos desenvolvido no Património construído baseiam-se, quase sempre, no princípio da mínima intervenção, utilizando a preexistência como matéria de projecto, explorando e potenciando as qualidades específicas de cada lugar. Tal como Miguel Ângelo dizia que a estátua está na pedra e o que o escultor faz é extrair algo que já lá está, nos edifícios que reabilitamos procuramos trabalhar a partir das preexistências (como se fosse trabalhar numa maqueta a tamanho real), fazendo “novo” e estabelecendo a síntese possível entre tradição e inovação. As características particulares reveladas no decorrer das obras são muitas vezes pretexto para uma inflexão no projecto, que as integra, de modo activo, no desenho do espaço. Nesse sentido, os projectos de reabilitação suscitam um desenho que deve estar disponível para o inesperado.

10 GUIASDEARQUITECTURA.COM

A partir da leitura histórica dos edifícios, que atravessam o tempo, adoptamos procedimentos retroactivos que, de algum modo, anulam a separação entre as fases da concepção/construção. A arquitectura torna-se, assim, claramente processo. De forma paradoxal, reabilitar significa transformar. Nesse sentido, propomos uma intervenção intensiva em significado e conteúdo, sobrepondo ao existente valores actuais, de acordo com as novas necessidades. Contrariamente aos pressupostos que consideram que a arquitectura histórica é irrelevante como referência para os nossos padrões e necessidades actuais, utilizamos a preexistência como o ponto de partida para o desenvolvimento do projecto, valorizando a leitura do edifício no seu todo, incluindo a nova intervenção e clarificando a sua evolução histórica. 3. Inserido nesta temática, qual foi o maior desafio que teve que enfrentar ao longo da sua carreira? Qual o projecto mais complexo que desenvolveu? ASV – Provavelmente o(s) projecto(s) da Avenida da Ponte no Porto. JMR – O projecto mais complexo de intervenção no Património foi o projecto de remodelação do Laboratório Chimico (2001-2006), em Coimbra, onde optámos por demolir estruturas do séc. XIX, para responder melhor às novas necessidades e, simultaneamente, equilibrar os registos/marcas de diferentes épocas. No decorrer da obra, o projecto inicial foi profundamente reformulado, por forma a integrar os consecutivos achados arqueológicos e assim evidenciar a complexidade espacial do edifício. Os estudos arqueológicos testemunharam a ocupação dos Jesuítas que, no séc. XVI, faziam daquele espaço o refeitório, comprovando que o Laboratório Chimico não era uma construção de raiz com origem no séc. XVIII. De facto, a ala nascente ergueu-se a partir de estruturas do antigo refeitório do Colégio de Jesus, do qual se descobriram o púlpito e uma janela, que foram recuperados e reinterpretados no novo projecto. Nesse sentido, a demolição das estruturas do séc. XIX, recuperando a escala do espaço interno do séc. XVIII, permitiu integrar os elementos descobertos do séc. XVI, reforçando, assim, a coexistência de tempos históricos, com a preservação das respectivas marcas.


Interview with: Álvaro Siza Vieira João Mendes Ribeiro 1. In 1972 the Architect Lúcio Costa wrote, in a text to be presented at a conference for architecture students, that: “(...) architecture is something to be felt in terms of space and volume; architecture is something to be lived. (...) “. To visit architecture follows the path of the architect, both as a student as a professional. Do you continue to travel to visit architecture? How do you prepare your travels? ASV – I still travel or wish to travel. I organize them according to new stimulus or old desires to fulfil. JMR – Yes, I travel to visit architecture. I just need a small sketchbook (equal to the sketchbook of Le Corbusier), a “bic” pen and a tape measure. 2. The need to intervene in the built has followed the architect throughout the ages. How do you address this issue procedurally and methodologically? ASV – Seeking the right balance in each case between consolidation and innovation. JMR – The interventions that we have been doing over the built, mostly in contexts with a strong historical burden, reveals a complexity that gradually moves away from the simple confrontation between past and present, expressing distinct materialities, one historical and the other contemporary. The projects that we have developed in the built Heritage are based, almost always, on the principle of minimal intervention, using the pre-existence as a project substance, exploring and enhancing the specific qualities of each place. As Michelangelo said that the statue is in the stone and what the sculptor does is to extract something that is already there, in the buildings that we rehabilitate we seek to work from the pre-existing (as if working on a full size maquette), making “new “and establishing the possible synthesis between tradition and innovation. The particular characteristics revealed in the course of the works are often a pretext for an inflection in the project, which integrates them, actively, in the space design. In that sense, the rehabilitation projects suggest a design that should be available for the unexpected. From the historical building readings that cross time, we adopt retroactive procedures that, somehow, nullify the separation between the phases of the design/

construction. The architecture becomes thus clearly a process. Paradoxically, rehabilitate means transforming. In this sense, we propose an intensive intervention in meaning and content, superimposing to the existent actual values, according to the new needs. Unlikely to the assumptions that consider the historical architecture irrelevant as reference for our standards and current needs, we use the pre-existence as the starting point for the development of the project, highlighting the building reading in its whole, including the new intervention and clarifying its historical evolution. 3. Inserted in this theme, what was the biggest challenge faced throughout your career? What was the most complex project you developed? ASV – Probably the project(s) of the Avenida da Ponte in Porto. JMR – The most complex project of intervention in Heritage was the remodelling project of the Laboratório Chimico (2001-2006), in Coimbra, where we have chosen to demolish structures from the XIX century, to better respond to the new needs, while simultaneously balancing the registers/marks from different eras. During the work, the initial project was profoundly reformulated in order to integrate the consecutive archaeological findings and thus evidencing the spatial complexity of the building. Archaeological studies witnessed the occupation of the Jesuits that, in the XVI century, used that space as refectory, proving that the Laboratório Chimico was not built from scratch in the XVIII century. In fact, the east wing rose from structures of the Jesus College ancient refectory, of which were discovered the pulpit and a window, which were recovered and reinterpreted in the new project. In this sense, the demolition of the XIX century structures, recovering the XVIII century internal space scale, allowed to integrate the elements discovered from the XVI century, thus reinforcing the coexistence of historical times, with the preservation of their marks.

GUIASDEARQUITECTURA.COM 11


AVEIRO Centro Educativo dos Combatentes 2008 - 2012 | Ovar

Arquitectura | Architecture

Fátima Fernandes e Michele Cannatà - Cannatà & Fernandes

Localização | Location GPS. 40° 51.522’N | 8° 37.205’W

Largo dos Combatentes da Grande Guerra, Ovar

Visita | Visit

Interior Condicionado | Exterior Inside Conditioned | Outside

AVR01

O projecto, mantendo as relações do Edifício preexistente com a rua, acrescenta uma nova volumetria formalmente caracterizada por uma implantação geométrica de tipo curvilíneo capaz de construir as condições para o desenvolvimento do programa escolar e ao mesmo tempo reequilibra todas as linhas e ângulos do terreno. As diferentes funções articulamse em dois volumes (existente e novo) e caracterizam-se pelos diferentes objectivos arquitectónicos e pelas exigências do programa escolar para crianças dos três aos dez anos. No edifício antigo o pátio interior é recuperado assim como todos os elementos que caracterizam as fachadas. O volume novo caracteriza-se: a Sudoeste por uma fachada constituída por um sistema de lâminas que vão produzir uma variação no edifício associada ao jogo, à criatividade e ao rigor; a Nordeste por uma fachada curvilínea realizada em betão e sucessivamente isolada e revestida com azulejos. O uso de azulejos além de se constituir como um revestimento de carácter impermeável, pretende estabelecer uma relação de continuidade com uma técnica antiga bem dominada pela cultura construtiva de Ovar. FF/MC The project while maintaining the relations of the pre-existing building with the street, adds a new volumetry formally characterized for its curvilinear geometry able to build conditions for the development of the school program while rebalancing all the lines and angles of the terrain. The different functions are articulated in two volumes (old and new) and are characterized by different architectural objectives and school program requirements for children from the ages of three to ten years old. On the old building, the interior courtyard is recovered as well as all the elements that characterize the four façades. The new volume is characterized by: the Southwest by a façade comprising a blade system which will produce a variation in the building associated with games, creativity and rigor; the Northeast by a curvilinear façade built in concrete and insulated and covered with tiles. The use of tiles in addition to constitute a waterproof coating, seeks to establish a relation of continuity with an ancient technique well dominated by the constructive culture of Ovar.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

12 GUIASDEARQUITECTURA.COM


BEJA Modernização da Escola D. Manuel I 2007 - 2009 | Beja

GPS. 38° 0.510’N | 7° 51.918’W

Arquitectura | Architecture

Francisco Amaral Pólvora, Bernardo Campos Pereira e José Amaral Pólvora - BFJ Arquitectos

Localização | Location

Rua de S. João de Deus, Beja

Visita | Visit

Interior Condicionado | Exterior Inside Conditioned | Outside

BER01

A Modernização da Escola Secundária D.Manuel I faz parte do programa de modernização das escolas do ensino secundário promovido pela Parque Escolar, EPE, e pode ser sintetizado nas seguintes operações: Remodelação dos edifícios existentes de forma a valorizar as suas qualidades espaciais e construtivas, garantindo a satisfação das actuais exigências de conforto, segurança e acessibilidade; Novo edifício laboratorial, implantado no terreno de forma a interligar o edifício principal existente com as antigas oficinas; Reformulação do antigo recreio coberto. Pela sua localização funciona como charneira entre os vários edifícios existentes criando um espaço coberto de carácter polivalente. Com uma luz natural difusa e variável consoante a inclinação dos diferentes módulos da cobertura em shed; Nova Biblioteca/Centro de Recursos. Junto ao recreio coberto, esta zona, pela quantidade de fluxos gerados e interligados pelo espaço central, vai funcionar como uma das zonas mais dinâmicas da escola. Novo campo de jogos coberto, incluindo instalações desportivas de apoio. A sua configuração procura proteger a zona desportiva dos ventos laterais e da exposição solar directa. BFJ The Modernization of the D.Manuel I Secondary School is part of the secondary schools modernization program promoted by Parque Escolar, EPE, and can be synthesized in the following operations: Refurbishment of the existing buildings in order to enhance their spatial and constructive qualities, ensuring that current demands of comfort, security and accessibility are met; New laboratory building, deployed on the terrain in order to link the existent main building with the old workshops; Recasting of the old covered playground. Due to its location serves as a hinge between the various existing buildings creating a multifaceted covered space. With a diffuse and variable natural light depending on the shed roof different modules slope; New Library / Resource Centre. Next to the covered playground, this area, by the amount of generated and interconnected flows by the central space, will work as one of the most dynamic areas of the school. New covered playfield, including support sports facilities. Its configuration seeks to protect the sports area from cross winds and direct sunlight.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction N Construção Nova | New Construction

20 GUIASDEARQUITECTURA.COM

N


BRAGA Reconversão do Convento de Santa Maria do Bouro em Pousada

Arquitectura | Architecture

1989 - 1997 | Terras do Bouro

Amares, Terras do Bouro

GPS. 41° 39.570’N | 8° 16.257’W

Eduardo Souto Moura com Humberto Vieira

Localização | Location Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

BRR01

O projecto tenta adaptar, ou melhor, servir-se das pedras disponíveis para construir um novo edifício. Trata-se de uma nova construção, onde intervêm vários depoimentos (uns já registados, outros a construir) e não da reconstrução do edifício na sua forma original. Para o projecto as ruínas são mais importantes que o “Convento”, já que são material disponível, aberto, manipulável, tal como o edifício o foi durante a história. Não pretendemos com essa atitude construir uma excepção, procurando a originalidade do manifesto, mas sim cumprir uma regra de arquitectura, quase sempre constante ao longo do tempo. Durante o projecto o “desenho” tentou encontrar a lucidez entre forma e programa. Perante duas hipóteses, optámos por recusar a consolidação pura e simples da ruína para uso contemplativo, apostando por injectar materiais, usos, formas e funções “entre les choses” como dizia Corbusier. O “pitoresco” é uma fatalidade que acontece e não a vontade de um programa. ESM The project tries to adapt, or rather to make use of the available stones to make a new building. This is a new construction, in which several reports were involved (some already registered, others to build) and not the reconstruction of the building to its original form. For the project the ruins are more important than the “Convent” as they are available material, open, manipulable, as the building has been throughout history. We do not intend to build an exception with this attitude, looking for the manifesto originality, but rather to fulfill an architectural rule, almost constant throughout time. During the project the “drawing” tried to find the lucidity between form and program. Given two hypotheses, we chose to refuse outright consolidation of the ruin for contemplative use, betting on the injection of materials, uses, forms and functions “between les choses” as Corbusier said. The “picturesque” is a fatality that happens and not the will of the program.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

26 GUIASDEARQUITECTURA.COM


BRAGANÇA Centro de Arte Contemporânea Graça Morais 2002 - 2008 | Bragança

Arquitectura | Architecture Eduardo Souto Moura

Localização | Location

Rua Conselheiro Abílio Beça nº 105, Bragança GPS. 41° 48.360’N | 6° 45.376’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

BGR01

O Museu de Arte Contemporânea de Bragança consiste em: 1 – Construção de um edifício novo com uma nave de exposições temporárias, de 240,00m2 e uma altura de 8,30m, capaz de receber qualquer exposição com as condicionantes da legislação internacional. 2 – Recuperação do edifício, Solar Veiga Cabral, antigo Banco de Portugal, que receberá a exposição permanente no Piso 1. No r/c funcionará uma livraria, recepção e restaurante, bem como outros serviços adjacentes. 3 – Os dois volumes serão ligados por um novo corpo que responde ao programa proposto: a) Circulação entre exposições temporárias e permanentes; b) Programa complementar à actividade museológica. 4 – Após a reestruturação destes três volumes, restam espaços intersticiais que serão preenchidos do seguinte modo: - Rampa de acesso a camiões; - Pequeno pátio para estacionamento de carros; - Rampa pedonal, directa desde a Rua Emídio Navarro à esplanada do restaurante. 5 – Esta operação obriga ao arranjo conforme os materiais designados no projecto da Rua Emídio Navarro. Sem esta operação, o Museu não ficará integrado numa operação de requalificação urbana e será mais um objecto insólito. ESM The Bragança Museum of Contemporary Art consists of: 1 - Construction of a new building with a temporary exhibitions nave, of 240,00m2 and an height of 8,30m, able to receive any exhibition with the international legislation constraints. 2 - Recovery of the Solar Veiga Cabral building, former Banco de Portugal, which will receive the permanent exhibition on Floor 1. On the ground floor will work a bookstore, the reception desk and a restaurant, as well as other adjacent services. 3 – A new body that responds to the proposed program will links the two volumes: a) Circulation between permanent and temporary exhibitions; b) Supplementary program to the museological activity. 4 - After restructuring these three volumes, the remaining interstitial spaces will be filled as follows: Trucks access ramp; - Small courtyard for car parking; - Pedestrian ramp, directly from Emídio Navarro Street to the restaurant terrace. 5 - This operation requires the arrangement according to the materials designated in the project of the Emídio Navarro Street. Without this operation, the Museum will not be integrated into an urban renewal operation and will be another unusual object.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

40 GUIASDEARQUITECTURA.COM


CASTELO BRANCO Museu de Francisco Tavares Proença Júnior 1994 - 1996 | Castelo Branco

Arquitectura | Architecture PROMONTORIO

Localização | Location

Largo Dr. José Lopes Dias, Castelo Branco GPS. 39° 49.717’N | 7° 29.674’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

O Museu Nacional Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco, possui a mais importante colecção de bordados em Portugal. Ao longo dos anos, o antigo Paço Episcopal do século XVIII foi sujeito a diversos projectos de remodelação por diferentes equipas. O PROMONTORIO esteve envolvido na transformação das salas e na concepção de caixas expositivas especiais com sistemas de protecção à luz, para acomodar os antigos tecidos de seda bordados, para além de intervenções específicas na fachada. P

CBR02

The National Museum Tavares Proença Junior, in Castelo Branco, holds the most important collection of embroidery in Portugal. Over the years, this former 18th-century bishop’s palace was subject to refurbishment projects of different designers. PROMONTORIO was involved in the transformation of the rooms and the design of special displays to accommodate the light-sensible fabrics of ancient silk embroideries, in addition to specific façade interventions.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Novo | New

50 GUIASDEARQUITECTURA.COM


CASTELO BRANCO Arquitectura | Architecture

Ricardo Bak Gordon - Bak Gordon Arquitectos

Museu de Francisco Tavares Proença Júnior - Núcleo de Arqueologia

Largo Dr. José Lopes Dias, Castelo Branco

2002 - 2004 | Castelo Branco

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 39° 49.717’N | 7° 29.674’W

Localização | Location Visita | Visit

CBR03

A aproximação ao projecto passou sempre pela valorização do espaço destinado à exposição (existente) e a introdução de uma nova ocupação, distinta no tempo e reveladora de grande autonomia. As três salas do MFTPJ destinadas ao núcleo expositivo de arqueologia, que se encontram sobre a galilé do edifício do Paço Episcopal, são uma excepção no complexo, revelando colunas de pedra e tectos abobadados que não mais se encontram em todo o edifício. Desde logo, se revelou a vontade de valorizar este espaço, hoje menos perceptível mercê das sobreposições nada insignificantes que são as diferentes camadas de instalações exteriores justapostas, ou mesmo dos materiais de revestimento em paredes, pavimentos e tectos. Temos então a essência do conceito do projecto. Por um lado valorizar o espaço existente, revelando-o (depois de intervir sobre o pavimento, paredes e tectos, bem como redefinir as instalações eléctricas e de segurança), e por outro, povoá-lo de forma intencional com expositores apoiados no chão, capazes de receber as diferentes peças arqueológicas com as suas distintas escalas. RBG The approach to the project was always by enhancing the (existing) exhibition space and the introduction of a new occupation, of a different time, showing great autonomy. The three MFTPJ rooms for the archaeology exhibition centre, which lie over the Episcopal Palace porch, are an exception in the complex, revealing stone columns and vaulted ceilings that will no longer be found in the whole building. Immediately came the will to value this area, less noticeable due to the significant overlaps that are the different layers of juxtaposed outdoor installations, or even the coating materials in the walls, floors and ceilings. We have then the essence of the design concept. On one hand enhance the existing space, revealing it (after intervening on the floor, walls and ceilings, as well as reset the electrical and safety installations), and on the other intentionally cover it with floor displays, able to receive different archaeological items with their various scales.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Novo | New

GUIASDEARQUITECTURA.COM 51


COIMBRA Museu da Água 2001 - 2007 | Coimbra

GPS. 40° 12.290’N | 8° 25.667’W

Arquitectura | Architecture Alberto Lage e Paola Monzio

Localização | Location

Parque Dr. Manuel Braga (Edifício da Antiga Estação Elevatória), Coimbra

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

COR02

Entre o Centro Histórico de Coimbra e o Rio Mondego existe o Parque Manuel da Braga onde se localiza o Museu da Água de Coimbra. Instalado num antigo edifício - Estação Elevatória de Água (primeiro ponto de captação de água de Coimbra) - para o qual se propôs uma intervenção de recuperação e ampliação. A ideia base, segundo a qual a intervenção não deveria interferir com o jardim levou-nos para uma escala intimista. Propôs-se uma ocupação do espaço que acolhe e convida o espectador a aproximar-se – cúmplice – a fim de desvendar através de um volume transparente (o vazio) os pequenos detalhes e as diferenças entre o novo/antigo. No volume preexistente localiza-se o espaço do Museu da Água de Coimbra, no novo volume localiza-se o espaço das actividades pedagógicas, as instalações sanitárias e no piso superior está instalada a Provedoria do Ambiente. O pequeno Bar é a rótula com o exterior, servindo de apoio aos utentes do jardim e da plataforma localizada na margem do rio Mondego. AL/PM Between the Coimbra Historical Centre and the Mondego River there is the Manuel da Braga Park where the Coimbra Water Museum is located. Set in an old building whose function is already outdated – a Water Pumping Station (first water captation spot in Coimbra) - for which an intervention of recovery and expansion was planed. The basic idea, according to which the intervention should not interfere with the garden, took us to an intimate scale. It was suggested a space occupancy that welcomes and invites the viewer to approach – as an accomplice - in order to unravel through a transparent volume (the void) the little details and the differences between the new and the old. In the pre-existing volume is located the Coimbra Water Museum area, in the new volume is located the area of the educational activities and toilets, upstairs is installed the Environment Purveyor’s Office. The small bar is the bearing to the outside, serving as support to users of the garden and deck located on the bank of the Mondego river.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

58 GUIASDEARQUITECTURA.COM


COIMBRA Arquitectura | Architecture

Cristina Guedes e João Mendes Ribeiro

Localização | Location

Reconversão e Ampliação da Casa das Caldeiras 1999 - 2009 | Coimbra

Rua Padre António Vieira, Polo I, Coimbra

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 40° 12.578’N | 8° 25.304’W

COR03

O projecto inclui a remodelação da antiga Central Térmica do Hospital da Universidade de Coimbra e a construção de um novo edifício, desenvolvido para acolher o Centro de Estudos de Fotografia (e actualmente o curso de Estudos Artísticos). Permitiu requalificar o edifício existente, valorizando-o no contexto histórico da arqueologia industrial e clarificar a sua integração no tecido urbano. As suas características formais e posição privilegiada, enquanto elemento de ligação entre a cota baixa da cidade e a Alta Universitária, determinaram as intervenções exteriores ao edifício. A remodelação visa uma intervenção destinada a clarificar formal e funcionalmente o espaço e anular as ambiguidades resultantes das sucessivas intervenções. A intervenção consistiu no restauro, preservação da maquinaria das caldeiras e na criação de condições técnicas adequadas ao novo programa: cafetaria e livraria. O novo edifício foi concebido segundo uma linguagem neutra de modo a destacar o volume principal das Caldeiras. Construído em betão aparente, desenvolve-se verticalmente em três espaços de secção quadrada de altura variável, tendo por base a configuração e a volumetria da antiga sala do carvão. CG/JMR The project includes the renovation of the old Coimbra University Hospital Power Plant and the construction of a new building, designed to house the Centre for Photographic Studies (and currently the Artistic Studies course). It enabled to requalify the existing building, valuing it in the historical context of industrial archaeology and to clarify its integration into the urban fabric. Its formal characteristics and privileged position, while liaison between the city lower levels and the Alta Universitária, determined the interventions outside the building. The remodelling aims an intervention to formal and functionally clarify the area and cancel the ambiguities resulting from successive interventions. The intervention consisted in the restoration, preservation of the boilers machinery and in the creation of proper technical conditions to the new program: cafeteria and bookstore. The new building was designed according to a neutral language in order to highlight the boilers main volume. Built in exposed concrete, it develops vertically into three squared section spaces of variable height, based on the configuration and volumetry of the former coal room.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 59


ÉVORA Remodelação do Colégio dos Moços da Sé de Évora para Museu de Arte Sacra de Évora

Arquitectura | Architecture

2005 - 2009 | Évora

Largo Marquês de Marialva, Sé de Évora, Évora

GPS. 38° 34.297’N | 7° 54.416’W

João Luís Carrilho da Graça

Localização | Location Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

EVR01

Construído no final do séc. XVII, o Colégio dos Moços de Coro da Sé de Évora terá sido inaugurado no início do séc. XVIII. Integrado num contexto de importação cultural promovida por D. João V, é seguido pela extinção da Universidade de Évora, iniciando um percurso de decadência que culmina no encerramento do Colégio, em 1835. No século XX, funcionou como colégio privado. A requalificação do Colégio dos Moços visou a sua adaptação a espaço museológico, através da recuperação do edifício, tratamento de patologias e atribuição de condições de habitabilidade e funcionalidade, adequando-o à função de Museu de Arte Sacra e mantendo a relação histórica com a Sé de Évora. Pretendeu-se integrar obras de Arte Sacra que, tanto pela sua proximidade física como histórica, poderão continuar integradas no percurso de visita à Sé, enquanto os edifícios mantêm a sua autonomia. O edifício desenvolve-se em três pisos, com planta em “L”, dispondo de entradas através do piso térreo e do pátio, no primeiro piso. JLCG Built in the late XVII century, the Colégio dos Moços do Coro da Sé de Évora has been inaugurated in the early XVIII century. Integrated within a context of cultural import promoted by D. João V, is followed by the extinction of the Évora University, starting a path of decline that culminates by the closure of the College in 1835. In the XX century, worked as a private school. The requalification of the Colégio dos Moços aimed its adaptation to museum, by restoring the building, by the treatment of pathologies and allocation of housing and functionality conditions, adapting it to the function of Museum of Sacred Art and maintaining the historical relation with the Sé of Évora. It was intended to integrate works of sacred art that, due to their physical and historical proximity, may still be integrated into the Cathedral visit path, while the buildings keep their autonomy. The building is developed in three floors, with an “L” shape plan, featuring entries through the ground floor and the courtyard on the first floor.

Construção Existente Recuperada

Recovered Existing Construction

68 GUIASDEARQUITECTURA.COM


FARO Fortaleza de Sagres 1987 - 1997 | Vila do Bispo

Arquitectura | Architecture João Carreira

Localização | Location

Rua da Fortaleza, Sagres, Vila do Bispo GPS. 37° 0.086’N | 8° 56.868’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

FAR01

(...) Em Sagres contou-se o conto sem acrescentar um ponto. Isto é, a palavras gastas porque vazias, nada se acrescentou, traindo-se a oportunidade de, com justiça, se afirmarem convicções. (...) A “Rua” não era um monumento, porque os monumentos não se projectam. É o tempo que outorga o direito de o serem. Simbolicamente virada para o Brasil, era um percurso alternativo aos existentes no promontório e constituía o elemento lúdico do conjunto. Ladeada por muros em betão e pedra, estendia-se desde a “praça” provocada pela demolição parcial da Correnteza em finais dos anos cinquenta, pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, até quase à falésia. Dessas pedras surgiriam, como que por magia, as histórias das figuras que fizeram a nossa História. Cenograficamente iluminadas. Uma “câmara” quadrada, com uma ponte sobre um espelho de água, servia de acesso a este percurso. No espelho de água desenhámos duas fontes que simbolizavam valores que nos definiram noutros tempos (…). Democraticamente e por larga maioria, instruída por todo o lado com escuros poderes, decidiu-se pela não construção. (…) JC (…) In Sagres a story was told without gains. That is, to words worn because of their emptiness, nothing was added, betraying the opportunity to, justly, assert convictions. (…) The “Street” was not a monument, because monuments can’t be projected. It is time that grants their right to be. Symbolically facing Brazil, was an alternative route to the existing in the foreland and was the playful element of the set. Flanked by concrete and stonewalls, extended from the “square” caused by the partial demolition of the Correnteza in the late fifties, by the General Directorate for National Buildings and Monuments, until almost the cliff. Of these stones arised, as if by magic, the stories of figures that have made our history. Scenographically illuminated. A square “camera”, with a bridge over a water mirror, served as access to this route. In the water mirror we designed two fountains that symbolized values that have defined us in other times (...). Democratically and by a large majority, instructed everywhere with dark powers, it was decided the non-construction. (…)

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

80 GUIASDEARQUITECTURA.COM


FARO Arquitectura | Architecture

Nuno Leónidas e Vasco Leónidas - NLA

Localização | Location

Edifício Habitacional em Lagos 2006 - 2010 | Lagos

Estrada da Meia Praia, Lagos

Visita | Visit Exterior Outside

GPS. 37° 6.713’N | 8° 40.361’W

FAR02

A concepção deste conjunto habitacional passou pela reabilitação de uma antiga Fábrica de tijolo que, com a respectiva chaminé, constituía uma memória de um passado recente da cidade de Lagos. Procurou reflectir uma forte unidade e identidade associada a uma imagem de contemporaneidade e elevada qualidade arquitectónica em consonância com o edificado já existente na Marina adjacente. Conciliando as características arquitectónicas da estrutura preexistente com as dos edifícios propostos de raiz, que adoptaram uma linguagem contemporânea e arrojada, buscou-se uma unidade e identidade através da utilização de materiais aplicados nos três blocos, nomeadamente o uso de elementos de cerâmica. A reabilitação da Fábrica foi efectuada através da manutenção das características essenciais do edifício, nomeadamente as suas reminiscências industriais, mantendo e recuperando, exteriormente, três das fachadas do edifício, e conservando a chaminé como elemento icónico do conjunto. No interior, o restauro parcial do antigo forno define e caracteriza as zonas de uso comum. Na reformulação da fachada principal pretendeu-se uma certa desmaterialização proporcionada pelo recuo do plano de fachada. NLA The concept of this housing project started by the rehabilitation of an old brick factory that, with its chimney, was a memory of a recent past of the city of Lagos. It sought to reflect a strong unity and identity associated with a contemporary and high architectural quality image in line with the existing buildings on the neighbouring Marina. Combining the architectural features of the pre-existing structure with the new proposed buildings, which adopted a bold and contemporary image, we sought a unity and identity through the use of materials applied in the three blocks, namely the use of ceramic elements. The rehabilitation of the factory was made through the maintenance of the essential characteristics of the building, including its industrial reminiscences, maintaining and recovering three of the building façades, and maintaining the chimney as an iconic element of the set. Inside, the partial restoration of the old furnace defines and characterizes the common use areas. In the reformulation of the main façade was intended a certain dematerialization provided by the retreat of the façade plan.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 81


GUARDA Consolidação e Valorização do Castelo de Trancoso 2005 - 2010 | Trancoso

Arquitectura | Architecture Gonçalo Byrne

Localização | Location

Castelo de Trancoso, Trancoso GPS. 40° 46.750’N | 7° 20.873’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

Esta intervenção tem como objectivo valorizar o Castelo de Trancoso, uma estrutura criada por volta de 960 A.C. e classificada pelo Governo como Monumento Nacional em 1921. O Castelo localiza-se no interior de Portugal, coroando a vila de Trancoso. Originalmente concebido como uma única torre de defesa, esta foi complementada por um perímetro fortificado, tornando-se uma estrutura geradora de tecido urbano. A proposta visa a criação de novas acessibilidades e a transformação da área interna do Castelo num espaço dinâmico e multifuncional. Para o efeito, foram introduzidos oito elementos arquitectónicos, com relação entre eles, formando em conjunto uma instalação subtil no espaço interior e no perímetro muralhado do Castelo. Cada um destes elementos terá um papel particular como parte de um todo que, no seu conjunto, age com autonomia formal e espacial, estimulando um diálogo silencioso entre a velha e a nova estrutura. GB

GUR01

This intervention aims to value the castle of Trancoso, a structure created around 960 BC and classified by the Government as a National Monument in 1921. The Castle is located in the interior of Portugal, crowning the village of Trancoso. Originally conceived as a single defence tower, this was complemented by a fortified perimeter, becoming a structure generator of urban fabric. The proposed project aims to create new accessibilities and the transformation of the castle inner area in a dynamic, multifunctional area. To this end, eight architectural elements were introduced, related between them, together forming a subtle installation in the interior area and in the walled perimeter of the Castle. Each of these elements will have a particular role as part of a whole which, together, acts with formal and spatial autonomy, encouraging a silent dialogue between the old and the new structure.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

92 GUIASDEARQUITECTURA.COM


LEIRIA Escola Domingos Sequeira 2008 - 2010 | Leiria

Arquitectura | Architecture

Francisco Amaral Pólvora, Bernardo Campos Pereira e José Amaral Pólvora - BFJ Arquitectos

Localização | Location GPS. 39° 44.804’N | 8° 48.751’W

Largo Dr. Serafim Lopes Pereira, Leiria

Visita | Visit

Interior Condicionado | Exterior Inside Conditioned | Outside De uma forma resumida podemos descrever os princípios de intervenção em quatro operações a propor que vão orientar a proposta: Remodelação dos edifícios existentes de forma a valorizar e potenciar as suas qualidades a nível espacial e construtivo, garantido a satisfação das actuais exigências de conforto, segurança e acessibilidade. Construção de um novo edifício que vai funcionar como nova entrada na escola e que pela sua localização e configuração funcione como rótula e interligação dos edifícios existentes. Este novo edifício vai integrar os espaços de utilização diária que permitam uma maior integração e interacção entre os diferentes utilizadores da escola, criando uma nova centralidade na escola. Para além dos espaços administrativos e de direcção vai integrar a nova biblioteca e centro de recursos da escola em conjunto com espaços com vocação mais lúdica: cafetaria, associação de estudantes. Construção de um novo campo de jogos coberto com instalações desportivas de apoio. Remodelação dos espaços exteriores da escola e separação entre zonas de acesso pedonal e zonas de acesso automóvel e estacionamento. BFJ

LER02

Briefly we can describe the principles of the intervention in four proposed operations that will guide the project: Refurbishment of the existing buildings in order to valorize and enhance their spatial and constructive qualities, guaranteed to meet the current demands of comfort, safety and accessibility. Construction of a new building that will serve as the new school entrance and by its location and configuration functions as hinge and connection between the existing buildings. This new building will include spaces for daily use enabling greater integration and interaction between the different users of the school, creating a new centrality in the school. In addition to the management and administrative spaces, will integrate the new library and the school resources centre together with spaces with more playful character: café, student association. Construction of a new covered play field with support sports facilities. Refurbishment of the school outdoor spaces and separation between the pedestrian areas and the car access and parking areas.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

100 GUIASDEARQUITECTURA.COM


LEIRIA Arquitectura | Architecture Inês Lobo Arquitectos

Localização | Location

Escola Secundária Francisco Rodrigues Lobo 2008 - 2010 | Leiria

Rua Afonso Lopes Vieira, Leiria

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 39° 44.401’N | 8° 48.785’W

Toda a operação proposta para este conjunto deriva fundamentalmente de uma primeira operação de projecto que propõe a redefinição do ponto de entrada na escola. A nova entrada na escola passa a ser feita pela frente nascente do terreno, entre os dois braços longilíneos que delimitam o terreno a Norte e a Sul. Trata-se no fundo de recentrar a escola, não só na sua distribuição programática “horizontal”, mas também altimétrica passando o acesso principal a ser feito a uma cota intermédia entre os pontos mais altos e mais baixos do conjunto edificado. Desta operação deriva aquele que será o ponto principal de acção do projecto, que passa sobretudo pelo desenho e qualificação desta faixa central do terreno, delimitada a Norte e a Sul pelos edifícios existentes, e onde se implanta todo o conjunto de novos espaços a construir – espaços encerrados que albergam o novo programa, mas também uma sequência de espaços abertos diferenciados que recentram a actividade e os fluxos de utentes da escola nesta faixa central. ILA

LER03

All the operations proposed for this ensemble are fundamentally descended from a first project operation proposing the redefinition of the point of entry in the school. The new access to the school will be made from the eastern front of the lot, between two thin arms delimitating the lot both North and South sides. In the end this is about re-centering the school, not only in its programmed “horizontal” distribution, but also in its altimetry, with the main access being done at an intermediate level between the highest and lowest points of the complex of buildings. The main action point of this project is an operation, that mostly involves designing and qualifying this central part of the terrain, delimitated North and South by the existing buildings, where all the complex of new spaces to be built is situated – closed spaces that host the new program but also a sequence of differentiated open spaces that will re-center the activity and the flux of school users in this central ribbon.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 101


LISBOA Núcleo Sede do Museu Municipal de Vila Franca de Xira 1998 - 2002 | Vila Franca de Xira

Arquitectura | Architecture Cândido Chuva Gomes

Localização | Location

Rua Serpa Pinto, Vila Franca de Xira GPS. 38º 57.230’N | 8º 59.254’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

Dadas as características espaciais das edificações preexistentes, que impunham um universo variado de restrições à intervenção, considerou-se fundamental, face ao objectivo desta obra - a criação de um museu - propor profundas e radicais alterações à construção original e recorrer à adição de um novo volume em estrutura modular metálica, leve e transparente, a tardoz. A articulação entre estes dois elementos é feita por um espaço de transição, correspondente ao vazio entre eles configurado e tratado como se fosse um espaço público. A passagem para os restantes espaços do museu é feita através de um “biombo”, elemento este, que permite a configuração dos espaços, filtrando a luz, controlando os percursos e propiciando um novo significado ao antigo espaço de culto. CCG

LIR01

Given the spatial characteristics of the pre-existing buildings, which imposed a number of diverse restrictions on the intervention, it was considered essential towards the aim of this work - the creation of a museum - to propose deep and radical changes to the original construction and resort to the addition of a new volume in metallic modular structure, light and transparent, in the back of the set. The joint between these two elements is made by a transition space, corresponding to the void between them, set and treated like a public space. The passage for the remaining areas of the museum is made through a “folding screen”, element that allows the configuration of the spaces, filtering the light, controlling the paths and providing a new meaning to the old worship space.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

106 GUIASDEARQUITECTURA.COM


LISBOA Arquitectura | Architecture Inês Lobo Arquitectos

Reutilização da antiga Escola apostólica da Ordem de S. João de Deus

Estrada do Telhal, Meleças, Sintra

2003 - 2009 | Sintra

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 38º 48.422’N | 9º 18.441’W

Localização | Location Visita | Visit

A envolvente directa do edifício é composta, a norte por uma rua de acesso; a nascente por um jardim com uma área arborizada a preservar; a sul, por um terreiro limitado por um conjunto de edificações (antigos viveiros); e a poente, pela igreja principal. Retiram-se as construções anexas que não faziam parte da estrutura original da escola, limpam-se no interior as paredes divisórias obtendo um conjunto de grandes naves que se conectam, subtrai-se o piso superior do claustro. Adiciona-se uma varanda em madeira sobre o lado norte do claustro, 14 celas, uma capela, duas matérias, o branco que reveste todo o edifício, a madeira com a qual se constrói todo o sistema expositivo e mobiliário que configura os novos espaços dentro das novas naves. Construir este museu e residência implica a [re]utilização de um lugar que hoje não está preparado para este uso, o tempo retirou-lhe clareza. [Re]utilizar implica principalmente subtrair para encontrar uma estrutura clara que facilmente albergue estes novos usos. ILA

LIR02

The immediate surroundings of the building is made up of, to the north by an access road; to the east by a garden with a wooded area to be preserved; to the south, a yard bound by an ensemble of buildings (old vivariums); and to the west, by the main church. The annexes that were not part of the original construction were removed, the dividing walls were removed to obtain a set of large naves that are connected to each other, the upper floor of the cloister is removed. A wooden veranda is added to the north side of the cloister, 14 cells, a chapel, two materials, the white that covers the entire building, the wood with which the whole exhibition system and furniture is made which configures the new spaces within the new naves. Building this museum and residence implies the [re]utilization of a place that today is not prepared for that use, time has removed that clarity. [Re]utilizing mainly implies subtracting to find a clear structure that easily houses these new uses.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 107


LISBOA Pousada da Cidadela de Cascais 2009 - 2012 | Cascais

Arquitectura | Architecture

Gonçalo Byrne, David Sinclair e João Alexandre Góis

Localização | Location

Fortaleza da Cidadela, Avenida Dom Carlos I, Cascais GPS. 38° 41.679’N | 9° 25.200’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

A Cidadela de Cascais, elemento fundamental na estratégia militar de defesa da barra do rio Tejo na proximidade de Lisboa, constitui um conjunto fortificado, cujas dimensões, conteúdo e morfologia interior determinam um embrião de malha urbana e a aproximam de um troço de Cidade de desenvolvimento introvertido. Estruturada com todos os elementos de caracterização urbana definidores de cidade, a Cidadela de Cascais reveste-se, assim, de uma oportunidade única de renovação/requalificação do património histórico edificado, criando as condições fundamentais para uma regeneração urbana desejada. A operação de reconversão de usos e reabilitação arquitectónica procura essa regeneração mediante uma atenta intervenção de reciclagem, que altera o seu primitivo uso militar e adapta o suporte arquitectónico e espacial a um uso civil, turístico-urbano que sublinha o papel de Cascais enquanto destino turístico. A intervenção desenvolve-se, assim, numa intenção de acréscimo de valor patrimonial e com dois níveis de actuação: a valorização do edificado histórico significativo existente e na construção de edificado novo propondo novas tipologias. GB

LIR05

The Cascais Citadel, a key element in the defence military strategy of the Tagus River bar nearby Lisbon, is a fortified set, whose dimensions, content and interior morphology determine an embryo of urban fabric and approach it to a portion of introverted development City. Structured with all elements of urban characterization that define a city, the Cascais Citadel covers, thus, an unique opportunity of renovation / rehabilitation of the built historical heritage, creating the basic conditions for a desired urban renewal. The uses reconversion operation and architectural rehabilitation seeks this renewal through a careful recycling intervention, amending its original military use and adapts the spatial and architectural support to an urban tourism civilian use, that highlights the role of Cascais as a tourist destination. The intervention evolves, thus, in an intention to add heritage value and with two levels of action: enhancement of existing significant historic buildings and the construction of new buildings offering new typologies.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

110 GUIASDEARQUITECTURA.COM


PORTALEGRE Intervenção na Igreja do Convento de S. Francisco 2007 - 2009 | Portalegre

Arquitectura | Architecture Cândido Chuva Gomes

Localização | Location

Praça da República, Portalegre GPS. 39° 17.308’N | 7° 25.685’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

A obra estabelece um conjunto de princípios caracterizadores de intervenção, recuperando a estrutura da Igreja de São Francisco, fazendo o restauro de elementos de revestimento e escultóricos (azulejo, pedra, talha, estuques, pintura mural), através do qual é possível criar um discurso interpretativo da igreja, permitindo-lhe contar a sua própria história. A ampliação da Igreja é feita através da construção de um pequeno volume, para instalação do acervo da Arte Sacra da Fundação Robinson. Do ponto de vista formal, o novo volume apresentase “dissimulado” por uma parede composta por elementos sobrepostos de pedra, manifestando o desejo de perpetuação do limite da antiga cerca do Convento. CCG

PRR02

The project establishes a set of principles that characterize the intervention, recovering the structure of the Church of São Francisco, making the restoration of coating and sculptural elements (tile, stone, carvings, plasterwork, wall painting), through which it is possible to create an interpretive speech of the church, allowing it to tell its own story. The extension of the church is made through the construction of a small volume, for the installation of the Robinson Foundation Sacred Art collection. From the formal point of view, the new volume presents itself “masked” by a wall composed of stone overlapping elements, expressing a desire of perpetuation of the old Convent fence limit.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

142 GUIASDEARQUITECTURA.COM


PORTALEGRE Arquitectura | Architecture Cândido Chuva Gomes

Localização | Location

Castelo de Portalegre, Rua Luís Barahona (antiga Rua do Castelo), Portalegre

Visita | Visit

Intervenção no Castelo de Portalegre 2002 - 2006 | Portalegre

GPS. 39° 17.458’N | 7° 25.828’W

Interior | Exterior Inside | Outside O Castelo é um dos edifícios do tecido urbano da cidade de Portalegre com maior carga simbólica, histórica e arquitectónica, constituindo elemento agregador e factor de identificação da comunidade local, que marca a paisagem e a silhueta da cidade. Este consiste num espaço amuralhado, de onde se destacam três torres de menagem. O recinto interior forma uma praça ovalada, de pavimento rochoso, atravessada por uma rua, que secciona o conjunto e liberta uma das torres. A proposta preserva integralmente as estruturas amuralhadas, procedendo-se à introdução de um novo volume edificado, em forma de ponte, que repõe a articulação funcional entre os três torreões, criando uma única entidade formal. O núcleo central acolhe grande parte dos espaços habitados, enquanto galerias avançam para o pátio, de modo a configurar um espaço propício à realização de eventos culturais. Estas novas estruturas são compostas por elementos em lamelado de madeira, contrastando formalmente com as estruturas de alvenaria de pedra preexistentes. Para além de um núcleo interpretativo, o conjunto engloba uma cafetaria, espaço para reuniões, exposições, loja e sanitários. CCG

PRR03

The Castle is one of the most symbolic, historically and architecturally buildings of the Portalegre city urban fabric, forming an aggregator element and identifying factor of the local community, which marks the landscape and the skyline of the city. This consists of a walled space, where three donjons stand out. The enclosed space inside forms an oval square, of rocky pavement, crossed by a street that divides the set and releases one of the donjons. The proposal fully preserves the walled structures, introducing a new built volume, bridge shaped, which restores the functional articulation between the three towers, creating a single formal entity. The central core hosts most of the living spaces, while galleries advance to the courtyard, in order to set up a space favourable to the fulfilment of cultural events. These new structures are made of laminated wood elements, in contrast with the stone masonry structures pre-existing. In addition to an interpretive nucleus, the set includes a cafeteria, meetings room, exhibitions, shop and toilets.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 143


PORTO Centro de Memória, Arquivo, Museu Municipal e Jardim de São Sebastião

Arquitectura | Architecture

2002 - 2008 | Vila do Conde

Rua 5 de Outubro, Vila do Conde

GPS. 41° 21.415’N | 8° 44.526’W

Manuel Maia Gomes

Localização | Location Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

O Centro de Memória está instalado na antiga Casa de S. Sebastião, a qual foi ampliada para receber as valências principais que compõem este equipamento: Arquivo, Museu Municipal e Jardim público. A área primitiva foi duplicada, passando a sua superfície total de 2.700m2 para 5.400m2. O edifício existente dedica-se à instalação do museu da Cidade. No novo corpo de betão armado foram instalados os depósitos de arquivo e as galerias de arte contemporânea. A distribuição e articulação entre os espaços antigos e os novos confere-se através do pátio, agora coberto com uma estrutura triangulada. O jardim foi configurado dentro do quintal do Solar, tendo-se procedido ao derrube do muro existente a poente, agora substituído por uma grade, em ordem a conferir transparência e proporcionar acessos alternativos à zona do Aqueduto de Santa Clara. Monumento que estrutura toda a zona Nascente da Cidade até ao limite Norte da área urbana. MMG

PTR01

The Memory Centre is housed in the former Casa de S. Sebastião that was expanded to receive the main valences that make this equipment: Archive, Municipal Museum and Public Garden. The primitive area was doubled, becoming the total area of 2.700m2 to 5.400m2. The existing building is dedicated to the installation of the City Museum. In the new reinforced concrete body were installed the archive deposits and the contemporary art galleries. The distribution and linkage between the old and new spaces is made across the courtyard, now covered with a triangulated structure. The garden was set inside the Manor backyard, having proceeded to the demolition of the west existing wall, now replaced by a railing, in order to bring transparency and provide alternative access to the area of the Santa Clara Aqueduct. It’s a Monument that structures the whole east area of the City until the northern limit of the urban area.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

150 GUIASDEARQUITECTURA.COM


PORTO Arquitectura | Architecture Manuel Maia Gomes

Localização | Location

Galeria Solar S. Roque 2008 - 2011 | Vila do Conde

Rua do Lidador, Vila do Conde

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 41° 21.130’N | 8° 44.551’W

O edifício existente estava abandonado há décadas. Cresciam no seu interior árvores de grandes dimensões, algumas enraizadas no topo das paredes de alvenaria de granito. Os materiais derivados da ruína, derrocada dos elementos construtivos, sobretudo as madeiras serviam de adubo à vegetação que cobria totalmente o lote. Os desígnios do projecto procuravam configurar na sua formulação a assunção da beleza da ruína, enquanto veículo identitário do projecto de recuperação. O programa funcional previsto para rés-do-chão foi facilmente ajustável para os pressupostos do projecto, orientado no sentido de integrar na recuperação, a imagem quase romântica da ruína tomada pela vegetação. O edifício comunica com a cidade através de janelas estrategicamente colocadas para enquadrar determinados pontos de vista dos monumentos do século XVI. A presença do vidro colorido ajuda a fazer a transição entre o antigo solar construído em granito e a escada de betão pigmentado. Ambos os materiais têm tratamentos inacabados, evidenciando a imperfeição da humanidade. O espaço com o vidro colorido ilumina a passagem que incorpora um espaço de exibição de arte. MMG

PTR02

The existing building was abandoned for decades. Growing inside large trees some rooted on top of granite masonry walls. The materials derived from the ruin, collapsed of its building elements, mainly the wood, served as fertilizer to the vegetation that covered the plot completely. The aim of the project sought to set in its formulation the assumption of the ruin beauty, while identity vehicle of the restoration project. The functional program planned for the ground floor was easily adjusted to the assumptions of the project, oriented towards incorporating in the rehabilitation, the almost romantic image of the ruin taken by the vegetation. The building communicates with the city through windows strategically placed to frame certain views of the XVI century monuments. The presence of coloured glass helps to make the transition between the old manor, built in granite and the pigmented concrete stairs. Both materials have unfinished treatments, evidencing the imperfection of humanity. The space with the coloured glass illuminates the passage that incorporates an art exhibition space.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 151


PORTO Alfândega de Leixões 1995 - 2001 | Matosinhos

Arquitectura | Architecture

Álvaro Siza Vieira com Miguel Nery

Localização | Location

Avenida da Liberdade, Leça da Palmeira, Matosinhos GPS. 41° 11.248’N | 8° 42.167’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

A Alfândega de Leixões mudou as suas instalações para o edifício da recolha dos transportes automóveis da APDL, situado em Leça da Palmeira. Este edifício faz parte de um projecto unitário de evidente interesse arquitectónico. Pretendeu-se refazer integralmente o desenho exterior do edifício, pois tinha sido alterado para adaptação a garagem. O facto de se conservarem nos arquivos da APDL os desenhos do projecto inicial tornou possível uma recuperação rigorosa. Esse objectivo e as exigências de adaptação ao novo programa levou à interrupção das lajes do segundo piso junto aos vãos de iluminação, tornando possível manter a respectiva altura dupla, e ao ajustamento das divisórias à estrutura existente e a conservar, subdividindo mas mantendo íntegro o espaço interior. Construíram-se caixas de escadas interligando cada um dos núcleos de dois pisos. Reabilitou-se a cobertura (madeira e telha de Marselha) e respectivo isolamento térmico. Construíram-se lanternins com estrutura em madeira e revestimento exterior em zinco. Restauraram-se as cantarias existentes e repuseram-se as cantarias segundo desenhos do projecto inicial. ASV

PTR11

Leixões Customs moved its facilities to the APDL automobile transport garage building, located in Leça da Palmeira. This building is part of a project unit of evident architectural interest. It was intended to completely remake the exterior design of the building, because it had been altered to serve as a garage. The fact that the initial project drawings were preserved in the APDL archives made possible an accurate recovery. This objective and the adaptation requirements to the new program led to the interruption of the second floor slabs next to the lighting spans, making it possible to maintain its double-height, and the adjustment of the dividers to the existing structure to keep, subdividing but keeping integrate the interior space. Were constructed staircases connecting each of the two floors cores. The roof (wood and Marseille tile) and its thermal insulation were rehabilitated. Skylights were built with wooden structure and zinc exterior coating. The existing masonry was restored and the masonry was replaced according to the initial project drawings.

Construção Existente Recuperada

Recovered Existing Construction

160 GUIASDEARQUITECTURA.COM


SANTARÉM Casa dos Cubos, CMIA (Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental)

Arquitectura | Architecture

2003 - 2007 | Tomar

Praceta Alves Redol, Tomar

GPS. 39° 36.157’N | 8° 24.698’W

EMBAIXADA Arquitectura

Localização | Location Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

O projecto previa a reconversão de uma infra-estrutura fabril desactivada, de particular relevância social no tecido urbano da cidade de Tomar, no entanto sem grande relevância do ponto de vista arquitectónico. O programa preliminar previa a implantação de um Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental e constituía-se por duas partes distintas, uma de carácter pública composta por um espaço expositivo lúdico-pedagógico e outra de carácter mais reservado composta por salas de formação e por uma área destinada a residências artísticas. No confronto com regulamentos, a proposta mantém a sequência formal e material anterior aproveitando a construção existente na totalidade do seu perímetro exterior (classificado), sendo o interior inteiramente despojado de todo o seu “miolo”. Assim e perante a condição programática a nova construção estabelece-se como estrutura anatómica da preexistência. Os espaços que necessitavam de recolhimento são definidos volumetricamente surgindo claramente reconhecíveis e optimizados na sua habitabilidade, cada um com a sua atmosfera, identidade, forma, dimensão e uso. As restantes actividades inserem-se no vazio espacial do edifício existente e são caracterizadas através dos acontecimentos programáticos definidos pelos espaços encerrados. EA

SAR02

The project provided for the conversion of a disabled manufacturing infrastructure, of particular social relevance in the urban fabric of the city of Tomar, although without much relevance in an architectural perspective. The preliminary program envisaged the establishment of a Centre for Environmental Monitoring and Interpretation and was constituted by two distinct parts, one with a public character composed of a recreational and educational exhibition area and other of more reserved character comprising training rooms and an area intended for artistic residencies. In confrontation with the regulations, the project maintains the previous formal and material sequence making use of the existing building in the whole of its (classified) outer perimeter, being the interior completely stripped of its entire “core.” Thus and towards the programmatic condition the new construction establishes itself as the anatomical structure of the existing elements. The spaces that needed solitude are volumetrically defined emerging clearly recognizable and optimized in its habitability, each one with its atmosphere, identity, shape, size and use. The remaining activities fit into the empty space of the existing building and are characterized by the programmatic events defined by the enclosed areas.

Construção Nova Construção Nova | New Construction

188 GUIASDEARQUITECTURA.COM


SETÚBAL Museu da Cidade de Almada 1999 - 2002 | Almada

Arquitectura | Architecture

Victor Mestre e Sofia Aleixo - VMSA arquitectos

Localização | Location

Praça João Raimundo, Almada GPS. 38° 40.055’N | 9° 9.649’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

Esta intervenção de reabilitação e ampliação procura, no seu conjunto, estabelecer uma nova identidade cultural, refundando um novo lugar na cidade de Almada. A antiga quinta rural é, hoje, uma identidade acumulativa de diversas épocas, confirmadas através dos achados arqueológicos postos a descoberto e reintegrados durante a fase de obra de reabilitação. A sua reconfiguração tipológica recuperou as paredes estruturantes, libertando-as de intervenções descaracterizadoras executadas na segunda metade do século XX. Esta opção não só confirmou o período de maior pujança, que corresponderá à segunda metade do século XVIII, como permitiu uma maior clarificação espacial para os novos usos expositivos que aqui se pretendiam implementar. O novo edifício da ampliação é fundamentalmente um “espaço escultural”, é como que uma sucessão de percursos suprimidos de um volume denso e abstracto. A luz é o elemento gerador dos espaços expositivos que se organizam a partir do grande lanternim longitudinal. Pavimentos, escadas esculturais e mobiliário em madeira dão continuidade a uma ideia de austeridade harmoniosa. VM/SA

SER03

This rehabilitation and expansion intervention seeks, in its whole, to establish a new cultural identity, refounding a new place in the city of Almada. The old rural farm is now a cumulative identity of different times, confirmed by the archaeological findings uncovered and reintegrated during the rehabilitation works. Its typological reconfiguration recovered the structural walls, liberating them from mischaracterizing interventions performed in the second half of the XX century. This option not only confirmed the period of greatest strength, which corresponds to the second half of the XVIII century, as allowed for further spatial clarification to the new exhibition uses that are intended to be implemented here. The new building of the expansion is fundamentally a “sculptural space”, is like a succession of suppressed paths of a dense and abstract volume. The light is the generating element of the exhibition spaces that are organized from the large longitudinal skylight. Floors, sculptural stairs and wooden furniture give continuity to an idea of harmonious austerity.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

194 GUIASDEARQUITECTURA.COM


SETÚBAL Arquitectura | Architecture José Baganha

Localização | Location

Casa do Médico de São Rafael 2005 - 2006 | Sines

Loteamento da Quinta de S. Rafael, Sines

Visita | Visit

Interior Condicionado | Exterior Inside Conditioned | Outside

GPS. 37° 57.214’N | 8° 51.834’W

Nesta obra, a Ordem dos Médicos pretendeu desenvolver um projecto social que consiste na criação de um equipamento para servir médicos em idade de reforma e com necessidade de apoio, num espaço que contém igualmente outras valências – como a organização de eventos (na área da medicina e da saúde em geral), restaurante, biblioteca e outros – e ainda, a possibilidade de prestar serviços de residência assistida aos associados que venham a residir na proximidade. A obra inclui dois edifícios – um reconstruído e um outro novo - ligados por uma passagem superior fechada: • No edifício que se reconstruiu situam-se as zonas sociais, os gabinetes de apoio médico, as áreas administrativas, o restaurante e respectivas áreas de apoio e os espaços destinados ao pessoal. Este edifício desenvolve-se em dois pisos acima do solo, cave e sótão e inclui ainda áreas exteriores; • O outro edifício é totalmente novo. Neste, situam-se os 20 quartos, de dimensões variadas para possibilitar os vários tipos de utilização (mais permanente ou ocasional) incluindo todas as instalações sanitárias e arrumos. JB

SER04

In this work, the Medical Order sought to develop a social project that involves the creation of an equipment to serve physicians in retirement age and in need of support, in an area that also contains other facilities - such as the organization of events (in the medicine area and health in general), restaurant, library and others - and still, the possibility of providing assisted residence services to its members that may live in proximity. The work includes two buildings - a reconstructed and a new one connected by a covered elevated passage: - In the building that was rebuilt lie the social areas, medical support offices, administrative areas, the restaurant and respective support areas and the staff areas. This building is developed in two floors above ground, basement and attic and also includes outdoor areas; - The other building is brand new. In this, are located the 20 rooms of various dimensions to allow various kinds of use (occasional or permanent) including all toilet facilities and storeroom.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

GUIASDEARQUITECTURA.COM 195


VIANA DO CASTELO Clubhouse do Golf de Ponte de Lima

Arquitectura | Architecture

1993 - 1995 | Ponte de Lima

Jean Pierre Porcher, Margarida Oliveira e Albino Freitas Topos Atelier de Arquitectura

GPS. 41° 45.088’N | 8° 34.424’W

Campo de Golfe de Ponte de Lima, Quinta de Pias, Fornelos, Ponte de Lima

Localização | Location Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside No terreno, uma parede de xisto fortemente desaprumada, uma escada e uns anexos em ruína invadidos pela vegetação... O programa impõe: restaurante, bar, salões, loja, escritórios para a administração, balneários e garagem para “Buggies”. ... Ultrapassar a imagem estereotipada do “Clubhouse” convencendo com imagens de obras do F. L. Wright, de R. Neutra e de C. Scarpa... Tirar proveito do material disponível “in situ”, o xisto, para erguer novos planos em alvenaria de pedra... Juntar os planos dispersos desenhando as articulações com o betão e o ferro... Mobilar “les bons coins” com pormenores preciosos no desenho... Diluir o contacto com o horizonte pela dinâmica das coberturas... Regular diafragmas, transparências, para enquadrar um sobreiro e uma oliveira e do interior deixar espreguiçar-se o horizonte... T

VCR01

On the terrain, a strongly decayed schist wall, a stair and some ruined outbuildings overrun by the vegetation ... The program imposes: restaurant, bar, lounges, shops, offices for administration, bathhouses and a garage for “Buggies”. ... Overcoming the stereotypical image of the “Clubhouse” convincing with images of F.L. Wright, R. Neutra and C. Scarpa works ... Taking advantage of the available material “in situ”, the schist, to erect new plans of stone masonry ... Join the dispersed plans by designing the joints with concrete and iron ... Furnish “les bons coins” with precious details in the design ... Dilute the contact with the horizon through the dynamic of the covers ... Adjust diaphragms, transparencies, to frame a cork oak and an olive tree and from the interior let the horizon to stretch out ...

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

200 GUIASDEARQUITECTURA.COM


VILA REAL Parque Natural de Vidago Complexo Hotel Palace, SPA e Club House - Vidago

Arquitectura | Architecture

2002 - 2010 | Chaves

Parque de Vidago, Vidago, Chaves

GPS. 41° 37.970’N | 7° 34.420’W

Álvaro Siza Vieira

Localização | Location Visita | Visit

Interior Condicionado | Exterior Inside Conditioned | Outside

O Hotel Palace foi projectado pelo Arquitecto Ventura Terra e construído em 1908, fazendo parte do Complexo Termal de Vidago. A intervenção proposta teve como principal objectivo o de devolver ao hotel a qualidade que o caracterizou, mantendo o volume e a estrutura espacial de origem e eliminando algumas construções que o desqualificavam estética e funcionalmente. A reforma e modernização requeridas induíam a construção de novas áreas de serviços e de um SPA. A renovação do hotel teve como objectivo uma classificação de 5 estrelas e a capacidade correspondente a 73 quartos e 9 suites. O programa distribui-se pelos 6 pisos existentes, anexando-se ainda 2 corpos (a sul e a poente) destinados respectivamente a serviços (2 pisos) e SPA (2 pisos). O complexo do Hotel Palace conta ainda com o Club House localizado num edifício de 1886, próximo do edifício do hotel, onde se procedia ao engarrafamento da Água Mineral Vidago. ASV

VRR05

The Palace Hotel was designed by the architect Ventura Terra and built in 1908, as part of the Vidago Thermal Complex. The proposed intervention had as its main purpose to give back to the hotel the quality that characterized it, keeping the original volume and spatial structure and eliminating some constructions that disqualified it aesthetically and functionally. The required reform and modernization included the construction of new service areas and a SPA. The hotel renovation aimed a 5 stars rating and the capacity corresponding to 73 rooms and 9 suites. The program is distributed by the existing 6 floors, also attaching 2 bodies (south and west) respectively destined for the services (2 floors) and SPA (2 floors). The complex of the Palace Hotel also features the Club House located in a building from 1886, near the hotel building, where the Vidago mineral water was bottled.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

210 GUIASDEARQUITECTURA.COM


VISEU Remodelação do Museu Grão Vasco 1993 - 2004 | Viseu

Arquitectura | Architecture Eduardo Souto Moura

Localização | Location

Paço dos Três Escalões, Viseu GPS. 40° 39.608’N | 7° 54.683’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

Sendo o Museu Grão Vasco um edifício singular e emblemático da Cidade de Viseu, pretendemos manter o mais possível a sua identidade exterior, mas acontece que alguns elementos têm de ser rectificados. O redesenho da caixilharia em latão oxidado, para receber vidro duplo, permitirá melhorar as condições térmicas. A actual caixilharia de madeira, além do seu mau estado de funcionamento, é contranatura na sua modulação. Para que o efeito de “buraco” dos vãos, não afectasse a escala maciça do edifício, propomos sombreamento por telas no interior. A cobertura, em lajes de betão revestidas a telha pintada, será demolida e substituída por uma estrutura metálica com “roofmate”, isolamento térmico e recoberta a cobre castanho (com fósforo). Há um mistério no edifício: não há escada. A construção de uma escada nova que permita um acesso claro desde a entrada aos restantes pisos, está incluída num corpo novo, que o pátio vai receber. Os materiais usados, são idênticos aos existentes, havendo apenas uma diminuição de escala. ESM

VSR01

Being the Grão Vasco Museum an unique and emblematic building of the Viseu City, we intend to maintain as much as possible its outside identity, but it turns out that some elements have to be rectified. The redesign of the oxidized brass frames to receive double-glazing, will improve the thermal conditions. The existing wooden frames, in addition to its malfunctioning is unnatural in its modulation. So that the “hole” effect of the spans, did not affect the massive scale of the building, we propose shading screens inside. The coverage, in concrete slabs covered with painted tile, will be demolished and replaced by a metal structure with “roofmate”, thermal insulation and covered with brown copper (with phosphorus). There is a mystery in the building: there is no stairs. The construction of a new staircase that allows a clear access from the entrance to the remaining floors is included in a new body that the courtyard will receive. The materials used are the same as those existent, there is only a scale reduction.

Construção Existente Recuperada

Recovered Existing Construction

214 GUIASDEARQUITECTURA.COM


AÇORES Museu do Vinho 1997 - 1999 | Pico

Arquitectura | Architecture Paulo Gouveia

Localização | Location

Rua do Carmo, Toledos, Madalena, Pico GPS. 38° 32.164’N | 28° 30.981’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

O Museu do Vinho, instalado na vila da Madalena, na Casa Conventual dos Carmelitas, construção dos séculos XVII e XVIII, é constituído por dois edifícios. O primeiro, de dois pisos, alberga habitação (no superior) e a adega (no inferior), o segundo contém o alambique. Existe ainda uma mata de dragoeiros e um miradouro de onde é possível observar as vinhas. Foi inaugurado em 1999. A sua colecção é essencialmente etnográfica, representativa dos vários momentos do ciclo de produção do vinho. É uma extensão do Museu do Pico, representando um dos elementos mais importantes da história e da economia da ilha. Organiza visitas às vinhas e provas de vinho, e durante os meses de Setembro/Outubro possibilita a participação dos visitantes nas vindimas. A ilha do Pico é um marco natural incontornável. O vulcão ainda activo, de vertentes íngremes, com 2351 m de altura, é o ponto mais alto de Portugal. Subir a esta montanha é uma experiência única pela aventura e pela incrível paisagem. TA

AZR02

The Wine Museum, housed in the Madalena village, at the Carmelite Convent House, construction of the XVII and XVIII centuries, comprises two buildings. The first, with two floors, lodges an habitation (in the upper floor) and the cellar (in the lower floor), the second houses the alembic. There is also a dragon trees forest and a belvedere from where one can observe the vineyards. It was inaugurated in 1999. Its collection is essentially ethnographic, representative of the various phases of the wine production cycle. It is an extension of the Pico Museum, representing one of the most important elements of the history and economy of the island. Organizes visits to the vineyards and wine tastings, and during the September/October months allows the participation of visitors in the grapes gathering. The island of Pico is an unavoidable natural landmark. The still active volcano, of steep slopes, with 2351m high, is the highest point in Portugal. Climbing this mountain is an unique experience for the adventure and the amazing landscape.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

224 GUIASDEARQUITECTURA.COM


AÇORES Arquitectura | Architecture

Inês Vieira da Silva e Miguel Vieira - SAMI-Arquitectos

Localização | Location

Centro Interpretativo da Paisagem da Vinha 2003 - 2009 | Pico

Núcleo do Lajido, Stª. Luzia, Pico

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

GPS. 38° 32.871’N | 28° 24.001’W

Situada numa paisagem classificada de Património da Humanidade pela UNESCO, na Ilha do Pico, Açores, a edificação rural solarenga existente, ligada ao cultivo da vinha, remonta ao séc. XVIII. Na sua adaptação a Centro Interpretativo da Paisagem da Vinha afigurou-se-nos importante manter o ambiente de Casa Solarenga e explorar a alternância entre este e o ambiente dos novos espaços ganhos à estrutura existente que, sem a desvirtuar, pudessem complementá-la. No piso térreo conseguiu-se ganhar um relevante espaço expositivo revestido pelo exterior com vidro escurecido, solução que permite o prolongamento da imagem maciça do próprio edifício. O seu reforço estrutural foi feito com recurso a argamassas à base de cal, especificamente produzidas para este, e a varões de aço pontualmente aplicados junto aos elementos preexistentes de madeira. Enquanto nos espaços antigos os elementos construtivos são fundamentais para a sua caracterização, os novos espaços apresentam um revestimento uniforme nas paredes e tectos que tornam mais clara a leitura do objecto preexistente sem quebrar a sua lógica definidora essencial. SA

AZR03

Set in a landscape classified as World Heritage by UNESCO, on the Pico island, Azores, the existent rural manor, linked to the vine plantation, dates back to the XVIII century. In its adaptation to Vineyard Landscape Interpretation Centre it seemed important to maintain the manor house atmosphere and explore the alternation between this and the atmosphere of the new spaces added to the existing structure that, without misrepresenting, could complement it. On the ground floor we were able to gain a significant exhibition area, coating the exterior with dark glass, solution that allows the extension of the massive image of the building itself. Its structural reinforcement was made using lime-based mortars, produced specifically for this, and steel rods punctually applied together with the existing wood elements. While on the old spaces the constructive elements are key elements for its identification, the new spaces present an uniform coating on the walls and ceilings that make the reading of the pre-existing object clearer without breaking its essential defining logic.

GUIASDEARQUITECTURA.COM 225


MADEIRA Forte do Funchal 2006 - 2007 | Madeira

Arquitectura | Architecture

Carlos Guimarães e Luís Soares Carneiro

Localização | Location

Ilhéu de Nossa Senhora da Conceição, Funchal GPS. 32° 38.462’N | 16° 54.965’W

Visita | Visit

Interior | Exterior Inside | Outside

O Forte de Nossa Senhora da Conceição viveu sempre sob os signos da permanência e da mudança. Primeiro foi rochedo no mar, depois base de fortim, cresceu para fortaleza, tornou-se pretexto de cais, foi perfurado por um túnel, teve usos militares, marítimos e portuários, foi restaurante e discoteca… E quis ser agora lounge, espaço de encontro e de actividades culturais. Novos volumes, claramente contemporâneos, respeitando a Carta de Veneza, integram uma complexa estrutura em aço, simplesmente assente na esplanada do forte, forrada a madeira e viroc. Independentemente dos desejos de uma perenidade que sabemos afinal ser sempre provisória, importa que saibamos, em cada época ou momento, interpretar o legado histórico no qual intervimos, no sentido de, com ele, conferirmos substância e credibilidade formal ao gesto programático de um novo tempo. Sujeito à nova intervenção, o Forte continua o mesmo. Altivo e destacado como o primitivo rochedo. A resistir ao tempo, a incorporar tranquilamente os impactos e as mudanças, já não das vagas mas dos tempos. Como sempre. Mudando e permanecendo. CG/LSC

MAR01

The Fort of Nossa Senhora da Conceição has always lived under the signs of permanence and change. First it was a rock in the sea, then base of a small fort, grew to fortress, became pretext for a pier, was drilled by a tunnel, had military, maritime and harbour uses, it was restaurant and nightclub ... And now meant to be a lounge, meeting place and for cultural activities. New volumes, clearly contemporary, respecting the Charter of Venice, integrate a complex steel structure, simply resting on the esplanade of the fort, lined with wood and viroc. Regardless of the wishes of a perpetuity that we know after all to be always temporary, matters that we know, in every era or moment, to interpret the historical legacy in which we work, in order to, with it, give substance and formal credibility to the programmatic gesture of a new era. Subject to the new intervention, the Fort remains the same. Proud and highlighted as the primitive rock. Resisting the time, incorporating smoothly the impacts and changes, no longer of the waves but of time. As always. Changing and staying.

Construção Existente Recuperada | Recovered Existing Construction Construção Nova | New Construction

238 GUIASDEARQUITECTURA.COM



Guia de Arquitectura - Espaços e Edifícios Reabilitados (excerto)