Issuu on Google+

O C O R P O programa de aulas com finalidade de desenvolver e

D A

agregar ferramentas que potencializem percepções úteis e necessárias para cada corpo no desenvolvimento de sua própria dança.

Ç A

N


Este programa de aulas é o resultado de um compilado

Minha primeira síntese a cerca deste campo de estudo deu

O corpo que vejo nessa coletânea de

de interesses armazenados ao longo de alguns anos.

origem ao vídeo intitulado Corpos (2012) .Nesse

memórias videográficas é um corpo vivo,

São interesses que permeiam minhas reflexões sobre

experimento videográfico registro de forma espontânea o

espontâneo, livre e intensamente poderoso.

dança e corpo a partir da idéia de beleza encontrada na

meu ambiente familiar nos anos 90, e com ele situações e

As linhas que se seguem no decorrer deste

espontaneidade do corpo banal, (des)engajado e

manifestações corpóreas do coletivo a minha volta. São

programa, são trilhos que se desenvolvem

(des)preparado.

contextos por onde meu corpo se desenvolveu e esteve

neste sentido, são instruções e ferramentas

imerso durante toda a minha infância.

que verificam essa potência natural dos

i

n

t r o

corpos e ao mesmo tempo pensa estratégias técnicas de ensino e materialização destes desejos.


j

A idéia de democratizar a dança para além dos limites da virtuosidade física ou dos padrões estéticos vigentes, tem

move

t

u

s

i

f

A construção de estratégias que

forte influencia na capacitação e

organizem corpos e os fortaleça contra

instrumentalização de todo e qualquer

estas tendências é o condutor-guia deste

corpo que queira ter a experiência do

pensamento artístico-pedagógico aqui

movimento. Ao tratarmos do pensamento sobre a dança na sua

proposto. Na minha perspectiva, faz-se pertinente fortalecermos

atualização contemporânea, podemos entender que outros aspectos

posturas, matérias sensíveis e instrumentos porosos, estimulando

como composição, conceito, idéia e desenvolvimento da linguagem,

corpos que sejam capazes de desenvolver o seu próprio discurso.

são pontos hoje mais pertinentes dos questionamentos da arte

Possibilitando corpos conectados com seus contextos sociais,

contemporânea do que a simples exaltação de um corpo indestrutível

econômicos e políticos, capazes de digerir o seu entorno e criar modos

ou inalcançável.

particulares de existência.


corpo interno-corpo externo sustentação e eixo

o desenho do espaço os olhos corpo alinhado a força do chão

o

corpo como passagem da energia

Este programa tem como objetivo central apresentar um conjunto de ferramentas que orientam a auto-organização física de um corpo no espaçotempo. Reunindo ferramentas técnico-expressivas de origens diversas, o programa tem como foco o aprimoramento de potenciais naturais de cada

b

O programa está dividido em sete módulos que juntos formam uma prática, um percurso a ser aplicado e

corpo, tornando possível uma dança singular, espontânea, movida na estética

repetido a cada aula. Estes módulos são linhas de ação a

própria de cana indivíduo. A fim de fortalecer a inteligência global dos corpos

serem percorridos repetidamente como forma de

e atuar em suas camadas mais sensíveis.

j

habitar um pouco mais estes universos a cada dia.


m e

Estes módulos constroem o percurso a ser trilhado durante cada aula ministrada, como uma cadeia progressiva de ações que se repetem sempre na mesma ordem no decorrer de todas as aulas, e que percorre os mesmos universos a cada encontro. É a construção de uma prática com a intenção de que a repetição e rotina torne estes conteúdos cada vez mais celulares e amadurecidos.

t o d o

m ó d u l o

1

corpo interno / corpo externo Neste primeiro módulo aguçaremos a percepção do corpo, levando atenção para as estruturas internas como órgãos, músculos, ossos, fluidos e a respiração. Afim de construirmos imageticamente este universo

- respiração; - percepção da anatomia através de materiais

interno, e consequentemente, ser capaz de perceber

teóricos e exercícios de toque nas estruturas

sua influência no movimento motor do corpo. É o caminho para a consciência dos movimentos do corpo em sua totalidade, desvendar o mundo interno, suas fronteiras, e perceber de dentro para fora a estrutura que se constrói até o espaço externo. Para tanto, realizaremos práticas que envolvem:

físicas;

- meditação - afim de estreitar a capacidade de foco e atenção necessárias na construção de um corpo inteligente;

- aprimorar os sentidos (órgãos) - desenvolver a percepção do ar entre as coisas, os vazios do corpo, o corpo no espaço arquitetônico, entre outras;


m ó d u l o

2

corpo alinhado / O corpo desalinhado interrompe o fluxo de energia centralizando tensões em locais e instabilidades em outros. Neste módulo trabalharemos exercícios físicos de fortalecimento da estrutura muscular e óssea de forma a reorganizar e alinhar o corpo. Este performance física e na agilidade, colaborando na locomoção, transferências,

A coluna é uma das estruturas mais importantes do corpo, ela é

força e sustentação. O alinhamento permite

responsável pela mobilidade e radiação do movimento central até

que o corpo encontre caminhos mais fáceis e

as periferias. É uma estrutura única e prolongada que conecta

prazerosos para transitar, e também, ser

pontos distantes, como cabeça-cóccix , céu e terra. A percepção

capaz de perceber os seus limites e

deste eixo de sustentação do corpo permite maior mobilidade,

ultrapassa-los. Serão realizados:

controle, equilíbrio, coordenação e precisão dos movimentos.

- alongamentos da cadeia muscular posterior, da coluna, das grandes articulações e pescoço.

- fortalecimento das musculaturas abdominais, braços e coluna.

- exercícios de abertura articular ganhando espaço entre as ossaturas.

sustentação e eixo /

alinhamento permite um aumento na

Trabalharemos:

m ó d u l o

3

- fortalecimento e alongamento das musculaturas ao redor da coluna. - mobilidade das vértebras, e iniciação de movimentos a partir desta estrutura.

- a relação cabeça-cóccix; recolhimento e expansão; e a força do centro. - relação centro-extremidades; - improvisação através de iniciações e sequenciamento através das extremidades cóccix e cabeça.


m ó d u l o

4

a força do chão / É importante compreender que nosso corpo a todo tempo está agindo sobre forças físicas. Podemos dançar com, a favor, ou contra estas forças. É preciso deixar a força do chão se conectar com o céu. Este módulo trabalha formas de percepção da energia de sustentação e força que provém do chão. Trabalharemos exercícios que envolvem:

- pressionar o chão, empurrar, soltar e deslizar o corpo. - oscilar sobre as estruturas anteriores nos níveis do espaço ( alto, médio e baixo);

- conscientização das estruturas do pé e da base do corpo; - grandes apoios e pequenos apoios do corpo;

o corpo como passagem da energia / A energia que entra pelo chão percorre o corpo criando milhares de caminhos. O corpo torna-se então um território imenso a percorrer. Estes percursos formam a dança de cada indivíduo. O corpo está conectado do chão ao céu. Ao dançar com esta energia projetamos o corpo para além dos seus limites físicos, o corpo se torna o

m ó d u l o

5

espaço. Serão trabalhados:

- exercícios de improvisação conduzida que explorem a sensação da fiscalidade do sequenciamento e fluxo contínuo.

- exercícios de pressão de partes do corpo no chão. - exercícios de modulação de tônus a partir da sensação de pressão.


m ó d u l o

6

o desenho do espaço /

os olhos /

O espaço habitado pelo corpo que dança é um universo que não deve ser desconsiderado na prática e ensino de estudos do corpo. O espaço

Os olhos permitem a percepção do corpo no espaço

físico é a continuação do próprio corpo que se extende e materializa em

através da construção da sua imagem no espaço-

formas e matérias diferentes da estrutura corpórea. Incluir o espaço na

tempo. São estruturas físicas que se conectam

sua dança é ampliar as suas capacidades de extensão energética, é

diretamente com a mobilidade da cabeça e pescoço, são responsáveis por comunicar, ajustar e apontar os movimentos através do seu direcionamento no espaço.Os olhos são canais por onde o sujeito e sua subjetividade escorrem. Trabalharemos :

- exercícios de condução do movimento a partir dos olhos; - inibição do sentido da visão a fim de apurar os outros sentidos do corpo ( audição, olfato, paladar e tato);

- exercícios que estimulem o olhar para o espaço a fim de construir habilidades composicionais na tensão entre corpo e espaço arquitetural;

m ó d u l o

7

compreender os limites do corpo e desmembrá-los. Para tanto exercitaremos:

- a capacidade de abstração e imaginação como forma de deslocar o corpo físico para outros universos imateriais.

- ser capaz de ver no espaço seus desenhos, seus movimentos visuais, suas linhas e compor com esta arquitetura.

- perceber a matéria do espaço e perceber a matéria do corpo; - improvisar tocando o espaço de forma imagética pelo ar e pela densidade que as separam;


contato.talitaflorencio@gmail.com

http://contatotalitaflore.wixsite.com/talitaflorencio


c o r p o d a n ça