Issuu on Google+

Ano X - Nº 220 - setembro/2010

Dia C 2010 Mais de 180 cooperativas participam do Dia de Cooperar em Minas Págs. 6 a 9

Projeto Queijo Minas inova com cursos de cooperativismo Pág. 3

Cooperativas brasileiras comemoram aumento de exportações Pág. 10


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

expediente

editorial Tempo de refletir e celebrar

Rua Ceará, 771, Funcionários - BH - MG Telefone: (31) 3025-7100/www.ocemg.coop.br Presidente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG Ronaldo Ernesto Scucato Vice-presidente da Ocemg Luiz Gonzaga Viana Lage Conselho Diretor da Ocemg Almyr Vargas de Paula Carlos Alberto Paulino da Costa Flávio Lúcio Moreira Bicalho Geraldo Magela da Silva Henrique Souza Saldanha Jamil José Saliba João Batista Bartoli Noronha José Augusto Ferreira José Edgard Pinto Paiva José Nilton Gomes Barbosa Matusalém Dias Sampaio Renato Nunes dos Santos Roberto Cleber Cunha Carvalho Conselho Fiscal da Ocemg Cristiano Felix dos Santos Silva Evaldo Moreira de Matos Tatiana Campos Salles Silva Conselho de Ética da Ocemg Irone Martins de Sampaio José Acácio Carneiro Luiz Otávio Fernandes de Andrade Superintendente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG William Bicalho da Cruz Conselho Adm. do Sescoop/MG Jorge Nobuhico Kiryu Adalberto de Souza Lima Raimundo Sérgio Campos Francisco Miranda Figueiredo Filho Conselho Fiscal do Sescoop/MG Elton Evangelista Corrêa Lima Urias Geraldo de Sousa José Ailton Junqueira de Carvalho Produção/Projeto Gráfico Visual Eficaz Comunicação & Marketing Reportagem, Redação, Edição Jornalistas Responsáveis: Valéria Rodrigues MTB: 3516 Vera Lima MG 04523JP Telefax: (31) 3047-6122/e-mail: eficaz@uaivip.com.br www.eficazcomunicacao.com Fotografia: Arquivos Sistema Ocemg/SescoopMG, Wilson Avelar, Capul, Credivass, Cooxupé. Impressão: Lastro Tiragem: 3 mil exemplares O conteúdo desta publicação pode ser fonte de produção de outros conteúdos, desde que devidamente referenciados.

2

Vivenciamos um tempo de celebração e colheita daquilo que semeamos. O cooperativismo mineiro está bem posicionado e no que se refere ao segmento em âmbito nacional, os resultados também são muito bons. Tudo isso é fruto de muita dedicação e trabalho ao longo dos anos. Porém, este também deve ser um tempo de reflexão e de atenção voltada, especialmente, ao cenário político. Não podemos retroceder. Para o bem do cooperativismo brasileiro é preciso votarmos de maneira consciente e em candidatos honestos, que tenham no currículo reconhecidos trabalhos em prol do desenvolvimento de nosso segmento. Devemos exercer a cidadania do voto e ter a certeza do dever cumprido. Por isso, mais uma vez chamamos a atenção para a importância de avaliar as propostas dos candidatos, bem como suas trajetórias. Escolher homens e mulheres que possam nos representar com sabedoria e honradez se faz necessário para o alcance da tão esperada transformação social, consolidada a partir da dignidade humana e alicerçada no desenvolvimento sustentável. Num outro prisma, gostaria de celebrar com você momentos históricos de nosso cooperativismo e que só foram possíveis graças à nossa união em busca de objetivos comuns. Neste mês, comemoramos os 40 anos da Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg). São quatro décadas de atuação inconteste em defesa do cooperativismo mineiro. Falar da Ocemg, de sua história nos contextos social e empresarial é relatar experiências de esperança, luta e superação. Criada em 1970, a nossa entidade vem ostentando, com altivez e persistência, a bandeira do cooperativismo. Ao celebrarmos essa data marcante, colocamos em evidência o trabalho abne-

Ronaldo Scucato Presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop-MG)

gado daqueles que, de forma determinante, deram a sua contribuição para solidificar a nossa organização e o setor. O foco de nosso trabalho sempre foi o retorno ao cooperado, responsável por impulsionar o desenvolvimento do segmento, promovendo a melhoria da qualidade de vida de milhares de pessoas, por meio do equilíbrio econômico. Uma mostra do quanto tem sido feito pelo cooperativismo em Minas pode ser comprovada ao longo das quase 200 páginas da edição 2010 do Anuário do Cooperativismo Mineiro, que lançaremos ainda em setembro. As cooperativas mineiras são responsáveis pela movimentação de R$18,5 bilhões/ano, o equivalente a 6,4% do PIB estadual. Por isso, abrimos um parêntese novamente para invocar sua atenção para as eleições do próximo dia 3 de outubro. Temos o compromisso e o dever de continuar consolidando, por meio da filosofia cooperativista, o desenvolvimento socioeconômico indistintamente para todos os brasileiros, e que venham sempre mais motivos de celebração.


cooperação

curso Programa Queijo Minas Artesanal

Em seu quinto ano de edição, o Programa de Apoio à Produção do Queijo Minas Artesanal – Padrão e Identidade comemora os bons resultados e inova, proporcionando aos produtores um curso de noções básicas sobre cooperativismo. A ideia contempla uma demanda dos próprios produtores, que solicitaram mais informações sobre o cooperativismo a fim de se organizar melhor, reduzir custos, eliminar os atravessadores e alcançar melhor posição diante do mercado. O Sistema Ocemg/Sescoop-MG é o responsável pela realização do curso direcionado ao Programa, que já aconteceu nas cidades de Medeiros, São Roque de Minas, Araxá, Sabinópolis, Serra do Salitre e Rio Paranaíba. A iniciativa tem como objetivo apresentar o cooperativismo aos produtores, incentivando-os a conhecerem as práticas cooperativistas e, assim, alcançar o retorno esperado. O Programa Queijo Minas Artesanal, como é conhecido, tem como foco a melhoria da qualidade do queijo minas fabricado no Estado, por meio de ações de capacitação dos produtores, estímulo às boas práticas agropecuárias e de fabricação para o cadastramento no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Vale lembrar que o cadastramento no IMA significa que o produto está apto a ser comercializado. Este ano, foram confirmados 50 produtores no Programa, que também continua oferecendo cursos voltados às boas práticas de produção, exames de tuberculose e brucelose dos rebanhos e análises físico-químicas e microbiológicas da água e do queijo. A instrutora das atividades no Programa é a médica veterinária Heloísa Magalhães, cooperada da Cooperativa de Trabalho dos Consultores e Instrutores de Formação Profissional, Promoção Social e Econômica (Coopifor). A gerência técnica do Sistema Ocemg/Sescoop-MG acompanha o projeto, além de profissionais da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

agenda

Sescoop-MG - Outubro

DIA

EVENTO

CIDADE

01 e 02

Curso - Gestão Financeira para Cooperativas

04 e 05

Curso - Qualidade no Atendimento ao Cliente Turma 4

06 06, 07 e 08

Teatro

Varginha Belo Horizonte São Lourenço

Encontro Estadual de OQS das Cooperativas Agropecuárias de MG

08

Curso - Retenção de Tributos e Contribuições na Prestação dos Serviços

13

Ouro Preto Belo Horizonte

Palestra - Orientações Básicas sobre Cooperativismo

Belo Horizonte

13 e 14

Formacoop - mód. 3 - Gestão de Pessoas

Gov. Valadares

14 e 15

Formacoop - mód. 5 - Planejamento Estratégico O Caminho para Excelência

15 15 e 16

Curso - Patrimônio - Contabilidade, Controle e Organização Formacoop - mód. 3 - Gestão de Pessoas

Unaí Belo Horizonte Ouro Preto

16

Parques - Cooperativismo e Arte nos Parques de BH (Parque Lagoa do Nado)

Belo Horizonte

18 e 19

Formacoop - mód. 8 - Habilidades e Técnicas de Negociação - Turma 1

Belo Horizonte

21 e 22

Formacoop - mód. 8  - Habilidades e Técnicas de Negociação - Turma 2

Belo Horizonte

21 e 22

Formacoop - mód. 7 - Gestão Financeira - Turma 3

Belo Horizonte

21 e 22

Formacoop - mód. 5 - Planejamento Estratégico O Caminho para Excelência

Montes Claros

21 e 22

Curso - Orientações para Atuação do Conselho Fiscal

Gov. Valadares

23 e 24

Curso - Técnicas de Vendas para Cooperativas (Ramo Crédito)

25 e 26

Formacoop - mód. 3 - Gestão de Pessoas

25 e 26

Curso - Marketing Pessoal

25 e 26

Curso - Como ser um Líder na sua Cooperativa

Belo Horizonte

27

Palestra - Orientações Básicas sobre Cooperativismo

Belo Horizonte

29

Teatro

Belo Horizonte

carta

Uberlândia Patos de Minas Prata

Belo Horizonte, 23 de agosto de 2010

Agradecemos a visita realizada pela equipe de consultores da Ocemg e sua respectiva coordenadora. Certificamos que as contribuições serão de grande valia para o aperfeiçoamento dos processos que estão sendo realizados. Manifestamos nossa apreciação pelo excelente trabalho que executa a equipe de consultores da Ocemg e pelo pioneirismo no estreitamento de relação entre as singulares. Nosso muito obrigado pela atenção. Atenciosamente, Ataul Roberto de Castro Diretor-Presidente Ligue Táxi-BH

3


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

fórum

Candidatos participam de debates com entidades empresariais de Minas

O Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg) foi o anfitrião do primeiro encontro do ciclo de debates com os principais candidatos ao governo do Estado, no dia 27 de agosto, no Teatro do Centro de Cultura Nansen Araújo, em Belo Horizonte. A iniciativa integra o Fórum de Entidades Empresariais de Minas Gerais, que conta com a participação, além da Ocemg, da Federação da Agricultura de Minas Gerais (Faemg), Associação Comercial de Minas Gerais (AC Minas), Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Centro Industrial e Empresarial de Minas Gerais (Ciemg), Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), Federação do Comércio de Bens e Serviços de Minas Gerais (Fecomércio) e Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). O candidato ao governo do Estado An-

legislação

Scucato ressaltou a importância desse momento que antecede as eleições, lembrando que a sociedade deve se manter atenta às propostas de cada candidato. “Essa é uma responsabilidade cívica e que definirá os rumos do nosso país. Precisamos de pessoas comprometidas com a justiça e a eficiência das atividades públicas. Daí a relevância desses debates que estão sendo organizados pelas entidades de classe”, avaliou. No dia 01 de setembro foi a vez do candidato Hélio Costa, cuja anfitriã foi a Faemg, apresentar seu plano de governo e integrar o ciclo de debates. Ele respondeu às perguntas dos presidentes de entidades de classe e explicou as diretrizes do trabalho que pretende colocar em prática caso seja eleito.

Eleições 2010 - Debate com candidatos

Lula sanciona Fundo de Catástrofe

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou, no último dia 26 de agosto, a lei que autoriza a criação do Fundo de Catástrofe. Os recursos, constituídos em parceria público-privada, irão garantir às empresas seguradoras e resseguradoras cobertura suplementar dos riscos de seguro rural em casos de catástrofes climáticas, como secas, geadas intensas ou excesso de chuva. O governo federal vai aplicar até R$ 4 bilhões por meio de títulos públicos, e a metade desse valor será destinada no primeiro ano de execução. O Fundo permitirá ainda que, nos próximos dez anos, o valor segurado das lavouras seja elevado de R$ 9,6 bilhões para R$ 50 bilhões. Serão beneficiados pelo Fundo de

4

tonio Anastasia, da Coligação Somos Minas Gerais, foi o primeiro a participar do debate. Ele respondeu a diversos questionamentos feitos durante o encontro, prestigiado por mais de 200 representantes da sociedade civil organizada e membros de entidades que compõem o Fórum. Na ocasião, foi entregue uma pauta específica das entidades, e no tocante ao cooperativismo mineiro o presidente do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, Ronaldo Scucato, levantou duas importantes questões: a educação cooperativista nos currículos escolares e o recebimento de proventos e recursos via cooperativas de crédito. De acordo com o candidato Anastasia, o governo de Minas é totalmente a favor do cooperativismo e acredita nessa área como o caminho para a promoção da solidariedade. “Ensinar ao jovem cooperativismo é, sem dúvida, dar a ele um valor mais significativo para a vida e seu futuro. No que se refere ao cooperativismo de crédito, vamos lutar para conquistar mais recursos e impulsionar o setor, um dos grandes destaques em nosso país”, afirmou.

Catástrofe cerca de 300 mil produtores. Os recursos vão garantir a cobertura de aproximadamente 35 milhões de hectares, o que representa 56% da área cultivada de grãos, frutas, cana-de-açúcar, florestas e hortaliças no país. Atualmente, apenas 10% da área plantada têm cobertura do seguro rural. Além da União, cooperativas, seguradoras, resseguradoras e agroindústrias serão cotistas do referido Fundo. Reivindicação A iniciativa atende a uma antiga reivindicação dos setores agropecuário e securitário para proteger as operações de seguro rural, caso as lavouras seguradas sejam afetadas por eventos climáticos considerados catastróficos.

Com a instituição do Fundo, as empresas securitárias vão contratar as operações cientes de que suas responsabilidades terão limite determinado para sinistro, a partir do qual terá cobertura suplementar. Funcionamento O Fundo de Catástrofe, que substitui o Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR), será privado e administrado por pessoa jurídica, criada especificamente para esse fim. Pela nova legislação, o Fundo terá um conselho diretor formado por representantes do governo e, pelo menos, um representante de cada segmento envolvido (seguradoras, resseguradoras, cooperativas e empresas agroindustriais).


cooperação

informação Sistema promove atualização para profissionais de TI das cooperativas mineiras Atualizar e capacitar os profissionais da área, com vistas ao melhor desempenho do setor. Esse foi o objetivo do V Encontro dos Profissionais de Tecnologia de Informação das Cooperativas Mineiras, que aconteceu no dia 24 de agosto, na sede do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, em Belo Horizonte. Entre os assuntos discutidos destacam-se Governança de Tecnologia de Informação (TI) na Prática; Alinhando TI com Negócios; Liderança em Equipes de TI; e Gestão da Infraestrutura e Custos em TI. Na abertura oficial, o presidente do Sistema, Ronaldo Scucato, lembrou as dificuldades da área tecnológica no passado e destacou que hoje vivemos a era da tecnologia de informação e do conhecimento. “Toda essa nova realidade é dotada de emoção, criatividade e informação. A TI não veio para nos transformar em prisioneiros de máquinas e sim para facilitar nosso dia a dia”, afirmou. Alexandra Hutner, mestre em Engenharia e Tecnologia, com certificação internacional em negócios Autodesk e ITIL, falou sobre transparência. Hutner iniciou sua palestra afirmando que a TI não possui o costume de prover a transparência por ser um núcleo reativo dentro da empresa. Segundo ela, essa reatividade exige do profissional estar a todo momento solucionando. E garantiu: “nesse modelo não há como estabelecer uma transparência clara nas organizações, pois não existe tempo de planejar. Há a necessidade de pensar, criar os dados, ou seja, executar a informação de forma estratégica, transparente e concisa para a tomada de decisões”. Ao final, apontou a principal novidade e desafio do setor. “Sem dúvida é transpor a TI de uma área reativa para um setor proativo e, consequentemente, estratégico para o negócio.” Já o especialista em Marketing Wilson Caldeira da Silva apresentou o tema “Alinhando TI com Negócios”. Ao relatar sua

experiência no mercado, lembrou que hoje a TI passou do estágio de uma área que suportava operações para um setor que está intimamente ligado à estratégia das execuções. “Uma atual evolução do setor é o papel que o profissional de TI passou a ter no momento em que passou a visualizar o negócio de forma mais estratégica”, enfatizou. Denise Leitoguinho Rossi, mestre em Administração e pós-graduada em Gestão Estratégica de Marketing e de Recursos Humanos, abordou o tema: Liderança em Equipes de TI. “Alcançamos o objetivo que era levantar essa necessidade atual de desenvolver as competências nos profissionais, de renovação de pessoal, de melhoria da qualidade de vida das pessoas no trabalho e, fundamentalmente, de investimento no capital intelectual”, garantiu. Por sua vez, Paulo Francisco Gonçalves do Nascimento, especialista em Economia e Finanças e em Redes de Telecomunicações, ao falar sobre Gestão de Infraestrutura e Custos em TI, lembrou que hoje a pauta das empresas refere-se à redução e manutenção. “Com a infraestrutura de TI é relativamente fácil diminuirmos esses custos. Hoje temos uma série de mecanismos, como a virtualização, que nos possibilita reduzir o custo geral da empresa”, explicou. Para o gerente de TI da Federação Nacional das Cooperativas Médicas, Erik

Paixão Amarante, que participou nas cinco edições do Encontro, a atualização proposta possibilita alinhar técnica à visão estratégica das organizações. “Este evento foi de grande importância para os profissionais de TI, pois tivemos a oportunidade de conhecer estratégias e questões relacionadas à gestão de negócios, o que avalio como fundamental”, afirma. Já o Analista de Sistemas do setor de TI da Cocimec (Cooperativa de Compras da Indústria Metalúrgica de Cláudio), Carlos Humberto Aragão, revelou que mudar a mentalidade das pessoas no que diz respeito à tecnologia com uma visão macro nos processos é tarefa árdua e demanda muito trabalho. “Esses encontros cumprem a finalidade do cooperativismo também ao reunir profissionais de TI de diversos ramos do segmento mineiro. Hoje temos uma grande dificuldade, que é a necessidade de convergir e estimular as pessoas a trabalharem em conjunto com a tecnologia para alcançar os objetivos propostos.” O evento reuniu cerca de 70 profissionais de diversos ramos do cooperativismo. Os participantes aprovaram a iniciativa e afirmaram, na oportunidade, que a atualização e reciclagem de informações são fundamentais em todas as áreas, em especial na Tecnologia de Informação, que revela, constantemente, inovações e novidades.

Tecnologia de Informação em foco

5


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

Dia C - 2010 Pelo segundo ano consecutivo, o Sistema Ocemg/Sescoop-MG realizou, em parceria com as cooperativas mineiras, o Dia de Cooperar (Dia C). A iniciativa aconteceu em todo o Estado em 28 de agosto e comprovou o exemplo de cidadania e solidariedade do segmento. No total, foram 189 cooperativas participantes, de 89 municípios, que promoveram uma verdadeira maratona voluntária em benefício do próximo. As atividades desenvolvidas no Dia C contemplaram desde doação de sangue, composição de cadastro de doadores de medula óssea, arrecadação de alimentos, roupas e materiais de limpeza, ruas de lazer, prestação de serviço à comunidade (corte de cabelo, expedição de documentos), até reforma e assistência a entidades filantrópicas. Em Belo Horizonte, a ação do Sistema Ocemg/Sescoop-MG beneficiou a Casa Lar Dona Eva, localizada no bairro Tupi, que atende a 38 pessoas de todas as idades. Os voluntários do Sistema promoveram uma rua de lazer em frente à instituição,

6

Cooperativas mineiras com oficinas de desenho e pintura, teatro, distribuição de brindes e recreação infantil. Desde julho, entretanto, o Sistema já vinha acompanhando de perto a entidade, com o levantamento das principais necessidades do local. A partir da mobilização dos voluntários, foram encaminhados ao Lar Dona Eva fraldas geriátricas, uma TV, roupas, material de limpeza e alimentos. Além disso, o Sistema cuidou das instalações elétricas e já está refazendo o telhado da área externa do Lar. A proposta, segundo o presidente do Sistema, Ronaldo Scucato, tem por objetivo mudar a vida das pessoas, repassando lições de cidadania e valores de cooperação. “A missão cooperativista visa ajudar as pessoas a transformarem suas vidas, consolidando práticas de responsabilidade social”, afirmou. E foi exatamente isso que se viu durante as ações do Dia C no espaço Casa Lar Dona Eva. A anfitriã, Eva Leopordina Alves de Lima, estampou sorrisos e expressou sua felicidade. “O Dia C é um exemplo de bondade, pois sem essa ajuda não seria possível levar essa ideia adiante”, disse. A

simpática senhora, de cabelos grisalhos e sorriso fácil, não recebe nenhum tipo de ajuda de órgãos públicos. No entanto, desde 1976, se dedica diuturnamente a ajudar o próximo e faz da sua casa uma extensão de amor. Segundo ela, em virtude das dificuldades encontradas, não poderia acolher tantas pessoas, mas o amor e o carinho pelos “filhos” – como ela costuma chamar os abrigados – são maiores que todas as barreiras, tornando então possível essa missão. “Algumas pessoas que chegaram aqui não tinham nada, mal sabiam andar e hoje já estão trabalhando, encaminhados e felizes. Isso me basta. É maravilhoso saber que mesmo sem muito apoio, consegui formar homens e mulheres de bem. Abri minha casa para espalhar o amor ao próximo”, completou. Apenas em Belo Horizonte, foram 36 cooperativas integrantes do Dia C que realizaram outras diversas atividades sociais, proporcionando um dia inesquecível para muitas pessoas.


cooperação

dão exemplo de cidadania Movimento contagiante também no interior O resultado dessa rede de cooperação promoveu a integração de ações voluntárias num grande movimento da solidariedade cooperativista por todas as regiões de Minas. No Sul, a Unimed Poços de Caldas realizou, no Dia C, uma grande campanha de doação de sangue no Hemocentro da cidade. A participação superou as expectativas, com mais de 100 pessoas, entre funcionários da cooperativa, empresas prestadoras de serviços e seus familiares. Quem compareceu ao Hemocentro e não pôde doar, agendou a doação e também se cadastrou como doador de medula óssea. No caso da Unimed Varginha, os colaboradores abraçaram a causa e realizaram a ação na Fuvae – a Apae da cidade, com muita diversão, brincadeiras e música. A cooperativa ainda aproveitou a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla (21 a 28 de agosto) para evidenciar o importante papel que as pessoas com deficiência têm na ocupação de espaços individuais, coletivos, políticos e estratégicos, na busca da igualdade de oportunidade. Em São Lourenço, a Unimed realizou pela segunda vez uma Ação Global de Solidariedade, envolvendo mais de 70 empresas e organizações parceiras da cidade. No ano passado, o bairro beneficiado foi o Alto Santo Cruzeiro e este ano o local escolhido foi o N. Senhora de Lourdes, um dos bairros mais populosos e carentes da cidade. Mais de mil moradores

participaram das atividades propostas nas oficinas sociais, de saúde, esportes e lazer. A Cooperativa Agropecuária Ltda. de Uberlândia (Calu), após um mês de campanha para arrecadar alimentos não perecíveis, roupas, material de higiene pessoal e sapatos, entregou, no Dia de Cooperar, as doações à organização não governamental Ceami Resgate. A entidade acolhe moradores de rua em Uberlândia. No local, o grupo foi recepcionado pela equipe que coordena o albergue e os voluntários ajudaram a distribuir o material. “Essa iniciativa da Calu veio em boa hora. Nós atendemos a cerca de 40 pessoas diariamente que chegam somente com a

roupa do corpo. Quando recebemos essas pessoas, tentamos suprir a parte material que lhes falta, o básico para sobreviverem, e dar apoio para que esses atendidos resgatem a dignidade, organizem os papéis, procurem emprego e sejam recolocados na sociedade. Contamos com doações para atender a todos”, destacou Patrícia Sales, assistente social da Ceami Resgate. Em breve todas as iniciativas realizadas pelas cooperativas serão compiladas em uma publicação que será editada pelo Sistema Ocemg/Sescoop-MG. Para isso, as cooperativas devem enviar o relatório final das atividades até o dia 20 de setembro. O objetivo é dar visibilidade às

7


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

Dia C - 2010 atividades de responsabilidade social do cooperativismo mineiro nesse evento que já entrou para o calendário oficial do setor. Vale destacar que o material será lançado durante o IV Seminário de Responsabilidade Social das Cooperativas de Minas Gerais, que acontecerá em novembro, na capital mineira. Na ocasião, as cooperativas presentes, que tiverem participado do Dia C, concorrerão a uma viagem internacional. Edição 2011 O superintendente do Sistema, William Bicalho, se diz confiante no sucesso, cada vez maior, da iniciativa lançada em 2009. “O Dia C veio para ficar e hoje já integra nosso calendário de ações. Estamos conseguindo sensibilizar as pessoas a serem voluntárias. Ninguém vive sozinho. Temos que estender a mão a quem precisa. Esperamos, por meio do cooperativismo, alcançar Minas Gerais inteira, em prol de uma sociedade melhor”, reforçou. O Dia C é uma corrente do bem e uma oportunidade singular para que o mundo coloque em prática os princípios do cooperativismo. Foram quase 90 municípios unidos em torno de um mesmo objetivo. Para o superintendente do Sistema, por meio da solidariedade, um dos mais relevantes valores do cooperativismo, é possível construir um mundo justo e digno para todos.

Ações de destaque Carlos Roberto da Silva, voluntário do Dia C, doou sua mão-de-obra para realizar a obra de cobertura na área de serviço do Casa Lar Dona Eva. “O sentimento de poder ajudar é maravilhoso. Precisamos de mais parcerias e voluntários para essas causas. Todo mundo pode contribuir e assim construiremos um mundo melhor de se viver para todas as pessoas”, afirmou. Silva participa de atividades voluntárias como o Dia C há muitos anos e revela o quanto é feliz por ter a oportunidade de servir. Afirma que a atitude de ajudar ao próximo muda o sentido da vida. “É triste ver uma pessoa sofrendo, com fome, sem abrigo, excluída, quando, na verdade, tudo que precisa é de uma palavra de conforto, um abraço, uma ajuda, por mais simples que seja.”

8

Maurício Canguçu, ator do espetáculo “Acredite, um espírito baixou em mim”, viaja por todo o Estado levando arte em parceria com o Sistema Ocemg/Sescoop-MG. Ele foi um dos voluntários do Dia C e também deixou seu recado em prol da iniciativa. “Ações como essas ressaltam a importância vital de sobrevivência do ser humano, ou seja, o que será de nós se não cooperarmos uns para com os outros? E penso isso em todos os níveis, seja na relação pessoal, seja na profissional”, explicou. Ilvio Amaral, também ator do espetáculo, ao prestigiar o evento, ressaltou o sentimento que tem em relação ao cooperativismo. “É uma iniciativa maravilhosa. Se todo mundo fizesse um pouco, com certeza estaríamos num mundo melhor, com

pessoas mais felizes. Sentimo-nos parte da família Ocemg/Sescoop-MG. O Dia C está de parabéns!” Rosely Borges, filha de Dona Eva, levou sua pequena Eva Borges, de apenas dois anos, e deixou uma mensagem a todos os voluntários do Dia de Cooperar: “Há três anos recebi o presente de conhecer alguns dos funcionários do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, que não mediram esforços para nos ajudar. Cresci aqui e estou muito feliz em ver as pessoas se sensibilizando com a nossa causa. Que mais ações como essas aconteçam em todos os lugares”. Matheus Silva, de 10 anos, comemorou: “Todos os meus amigos da escola estão aqui, desenhando, brincando. Esses momentos tinham que acontecer com maior frequência aqui no bairro”.


cooperação

Cooperar faz bem O propósito de transformar a vida das pessoas faz do Dia de Cooperar (Dia C) um movimento exemplar. A iniciativa convida a população mineira a se envolver e a se dedicar. O projeto vai além de ações como gincanas, arrecadações de alimentos e eventos culturais, pois promove a humanização e a busca por alternativas para a melhoria da qualidade de vida da sociedade. O sucesso do Dia C em 2010, com um número maior de cooperativas inscritas do que em seu primeiro ano de realização, é reflexo da organização e da necessidade de eventos desse porte. A garantia de que inúmeras comunidades serão beneficiadas pelos serviços do voluntariado é o que leva as cooperativas a participarem ativamente do processo para contribuir com a causa social. É o caso da Coopentec (Cooperativa de Ensino Técnico), que participou pela segunda vez do projeto e realizou uma gincana solidária na qual o ato de doar sangue foi o que teve maior pontuação. Ideias assim estimulam a criatividade e engrandecem o Dia de Cooperar. Realizações como essa mostram a solidariedade do povo mineiro e criam uma tendência. O desejo é de que a data se firme nos próximos anos, tenha maior divulgação, consiga apoio de outras instituições e entre definitivamente para o calendário não só do Sistema Ocemg/Sescoop-MG, mas de muitas organizações do Estado.

conta com o apoio e a participação efetiva das cooperativas mineiras. O objetivo é promover e estimular a integração das ações voluntárias de todas as cooperativas, cooperados, colaboradores e familiares em um grande movimento de solidariedade cooperativista. “Ser voluntário é saber compartilhar o que temos de mais precioso: amor, felicidade, sabedoria, conhecimento, tempo e humildade”, afirma o presidente do Sistema, Ronaldo Scucato. Voluntário O voluntário é o indivíduo que realiza, por escolha própria, de modo espontâneo, atividades ou trabalho com o objetivo de promover uma causa, ajudar solidariamente a alguém fora de seu círculo familiar ou de seu relacionamento imediato. Em sua atividade voluntária o indivíduo produz bens ou realiza serviços dotados de valor, mas não é remunerado por isso. Por exemplo, tocar um instrumento musical em uma reunião

de amigos não é um trabalho voluntário, mas tocá-lo em uma escola para incentivar os alunos a desenvolver o gosto musical é trabalho voluntário. Dizemos, então, que o voluntário se mobiliza por propósitos e envolve escolhas sociais, disposição, vontade, e não imposição. O que é o voluntariado cooperativo? Os princípios do cooperativismo se constituem em um acervo de valores a partir do qual a solidariedade desponta como uma atitude de responsabilidade social. Assim, o setor permite nortear um conjunto de ações e esforços para atuar na melhoria da qualidade de vida das comunidades onde estão instaladas as cooperativas. Quando esses valores que emanam do cooperativismo passam a motivar o trabalho voluntário, podemos falar em voluntariado cooperativo, ou no conjunto de ações voluntárias e de indivíduos mobilizados por iniciativas cooperativas.

O que é o Dia C O Dia de Cooperar (Dia C) é uma iniciativa do Sistema Ocemg/Sescoop-MG que

participe

9


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

seminário Encontro de Contabilidade discute demandas do setor

Cerca de 80 profissionais participaram da sétima edição do Encontro Estadual dos Profissionais de Contabilidade de Cooperativas de Minas Gerais, ocorrido na Casa do Cooperativismo Mineiro. Os participantes consideraram esta edição como uma das melhores e mais completas já realizadas. O Encontro aconteceu nos dias 12 e 13 de agosto, quando profissionais de contabilidade do segmento cooperativista mineiro puderam se atualizar com palestras de alto nível. O conselheiro do Sistema Ocemg/ Sescoop-MG e representante nacional do Ramo Trabalho, Geraldo Magela, fez a abertura do evento. Na ocasião, saudou os participantes e ressaltou a importância da atualização ante os assuntos e demandas da contabilidade. “Temos, hoje, novas normas, técnicas e estratégias que fazem da contabilidade uma área ainda mais séria e correta no cooperativismo. Este encontro tem a finalidade de discutir e esclarecer tais questões pertinentes aos setores contábil e tributário, sendo esta última uma das grandes novidades para o mercado.”

A programação do primeiro dia de trabalho ficou por conta do palestrante Dorly Dickel - contador, administrador, pós-graduado em cooperativismo, professor universitário e membro do Comitê Contábil Tributário da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Ele iniciou sua fala alertando que o contador deve pensar mais na contabilidade como um todo e deixar de executar os processos de forma mecânica. “Temos que evoluir com os processos de mudança. A contabilidade tributária é o grande e atual exemplo dessa afirmação”, garantiu. Dickel chamou atenção para as empresas que ainda preferem não investir em sistemas e que, com isso, perdem por não estarem conectadas ao novo padrão contábil, que exige maior capacidade de julgar e pensar criticamente a contabilidade. Ao falar sobre o SPED Contábil, explicou tratar-se da substituição da escritura em papel pela Escrituração Contábil Digital (ECD). “No caso do cooperativismo, o SPED está preparado e vai receber normalmente as escriturações contábeis digitais das coo-

perativas, adotando assim o fluxo normal de procedimentos”, destacou. O evento contou também com a participação da advogada Sofia Kaczurowski, que é Consultora Especializada em Direito Trabalhista e Previdenciário. “Aspectos Previdenciários das Sociedades Cooperativas de Acordo com IN 971/2009 e suas Alterações” foi o tema central de sua palestra. Kaczurowski esclareceu diversas dúvidas pertinentes ao assunto e explicou como acontece a filiação previdenciária dos cooperados e como são as contribuições destes, analisando bases de cálculo e alíquotas.

O evento despertou grande interesse do público

canal contábil Portaria MTE nº1.987/2010 Comunica que o prazo para o início da utilização obrigatória do Registrador Eletrônico de Ponto - REP, nos termos da Portaria nº 1.510/09, para as empresas que utilizam o controle eletrônico de jornada de trabalho, foi prorrogado para o dia 1° de março de 2011.

Portaria MPS/MF nº408/2010 Comunica que a nova tabela de contribuição do INSS dos segurados empregados, estabelecida na Portaria nº 333/2010, deve ser aplicada a partir do dia 16 de junho de 2010 e não mais retroativamente à 1° de janeiro de 2010 como constou na Portaria original.

mercado Exportações de cooperativas brasileiras crescem 14% As cooperativas brasileiras mostraram, no primeiro semestre de 2010, uma retomada de mercados e registraram aumento de 14% nos valores exportados, com um total de US$ 1,99 bilhão, ante US$ 1,74 bilhão em 2009. Os indicadores fazem parte de um estudo realizado pela Gerência de Mercados (Gemerc) da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O gerente de Mercados da OCB, Evandro Ninaut, explica que a recuperação dos preços está diretamente relacionada aos países emergentes. “Esse processo é uma consequência da expansão dos principais países emergentes favorecidos pela sua demanda interna e da ‘blindagem’ do seu sistema financeiro – fator primordial para estabilizar os efeitos dos ajustes externos ocasionados pela

10

crise financeira internacional. Podemos citar ainda a depreciação do dólar, que também tem contribuído para preços mais elevados das commodities, já que alimenta a demanda, especialmente nos mercados emergentes, por bens primários.” Produtos exportados No ranking dos produtos exportados pelas cooperativas brasileiras no primeiro semestre deste ano, o setor sucroalcooleiro figura na ponta, somando US$ 749 milhões. O processo decorre, principalmente, da quebra da safra indiana no ano anterior. O produto respondeu por 37% das exportações totais das cooperativas brasileiras, superando os 27% observados no mesmo período do ano anterior. Principais Estados exportadores Ainda segundo os dados, o Paraná

lidera as exportações das cooperativas brasileiras, com um valor absoluto de US$ 840 milhões, respondendo por 42% do total das vendas. As cooperativas do Estado de São Paulo ocupam a segunda posição no ranking de exportações do primeiro semestre de 2010, ampliando a sua participação, com um total de US$ 676 milhões, ou seja, 34% do total. Em seguida, na terceira posição, estão as cooperativas de Minas Gerais com um volume de US$ 148 milhões, representando 7% do total. Os produtos que tiveram mais destaque foram: café em grãos (US$ 130 milhões), leite integral em pó (US$ 8 milhões), creme de leite concentrado (US$ 2,4 milhões) e álcool etílico (US$ 2,1 milhões). A previsão do Sistema Cooperativista Brasileiro é retomar os US$ 4 bilhões registrados em 2009, com previsão de 10% de crescimento no fechamento do ano em vigor.


cooperação

coopercurtas Credivass homenageia Ronaldo Scucato No dia 06 de agosto último, a Cooperativa de Crédito do Vale do Sapucaí (Sicoob Credivass), inaugurou a sede de seu Centro Administrativo, localizada à Rua Dr. Fernando Lemos, nº 57, Centro, em São Gonçalo do Sapucaí/MG. A solenidade foi bastante prestigiada, contando com a presença dos presidentes do Sistema Ocemg/ Sescoop-MG, Ronaldo Scucato, da Crediminas, Alberto Ferreira, além do diretorfinanceiro da Faemg, João Roberto Puliti, e também do prefeito de São Gonçalo do Sapucaí, Benedito Álbaro Cunha. Destaque ainda para os colaboradores e associados que acompanham e apoiam o desenvolvimento econômico do Sicoob Credivass desde sua fundação, em 1996. Homenagem Na ocasião, o presidente do Sistema, Ronaldo Scucato, foi homenageado com a inauguração da “Biblioteca Presidente Ro-

naldo Scucato” reafirmando sua atuação exitosa frente ao cooperativismo. O espaço contará com publicações referentes à Administração e Cooperativismo de Crédito, para que os colaboradores do Sicoob Credivass tenham a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos e, consequentemente, contribuir para o crescimento e fortalecimento do setor.

Lideranças do cooperativismo presentes à inauguração do Centro Administrativo

Jornal da Cooxupé completa 40 anos

Ao completar quatro décadas de existência, a Folha Rural (Jornal da Cooxupé) comemora uma trajetória de sucesso e o surpreendente fato de não ter registro de outro jornal no meio cooperativista que circule há tanto tempo.

O ano era 1970, e, com a criação do periódico, buscava-se levar aos associados informações e orientações de proveito para as suas atividades. O fundador do jornal, José Geraldo Rodrigues de Oliveira, lembra que naquela época o único meio de comunicação existente entre a cooperativa e seus cooperados era as assembleias, daí a ideia de criar um relato mensal com informações técnicas e de mercado, endereçada aos cooperados. Hoje, 40 anos depois, a Folha Rural circula com mais páginas e passa a estampar novo projeto gráfico, mais moderno. A finalidade é única: facilitar a visualização das informações, com imagens de qualidade e linguagem simples para seu leitor, ou seja, seu cooperado.

Projeto Alô Saúde Unimed-BH Você já pensou em utilizar um serviço gratuito de orientação médica por telefone? A novidade é o Projeto Alô Saúde Unimed-BH, que vem rendendo bons frutos. Por meio dele, o paciente recebe orientações sobre o que fazer, falando diretamente com um médico, e também pode tirar dúvidas sobre a saúde, bem como receber aconselhamento sobre sintomas, doenças, interações entre remédios e seus efeitos, sempre seguindo a melhor conduta recomendada, inclusive para urgência e emergência. O Projeto Alô Saúde Unimed-BH funciona 24 horas por dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Para executar o serviço, é necessário apenas um telefone (fixo ou móvel) e a carteira da Unimed-BH. No momento da ligação, são feitas perguntas sobre os dados cadastrais do paciente e, a partir daí, o próximo passo é redirecioná-lo ao médico que fará o atendimento. Para a Cooperativa, o maior ganho esperado é a organização do acesso e do percurso assistencial do cliente em sua rede. Isso porque, quando não conseguir falar com seu médico de referência, o cliente poderá receber, por telefone, orientação de profissionais capacitados, evitando a busca desnecessária por unidades de Pronto-Atendimento (PA). O Alô Saúde é oferecido aos clientes Unimed-BH, além de seus colaboradores e de outras 102 empresas. O telefone é o 4002-3100 e o cliente paga apenas o custo de uma ligação para telefone fixo.

Capul comemora 46 anos Localizada em Unaí, a Cooperativa Agropecuária de Unaí (Capul) comemora seu 46º aniversário em 2010. Desde sua inauguração, a Capul tem passado por inúmeras mudanças. Hoje, a cooperativa conta com mais de 3.800 associados e 480 profissionais atuantes em diversas áreas da empresa. Na década de 90, a Cooperativa se constituiu como uma das maiores e mais sólidas empresas do município. Já em 2009, com o objetivo de atingir novos mercados e também atender às necessidades de seus cooperados, a Capul inaugurou seu parque industrial para a produção de rações e suplementos minerais. A entidade possui uma das indústrias mais modernas do Brasil com a produção automatizada. Como parte das comemorações dos 46

anos da Capul, o Encontro dos Jovens Cooperativistas promovido pela Cooperativa foi um sucesso. Entre os assuntos propostos estavam Educação Ambiental, Gestão da Empresa Rural em Regime de Economia Familiar e Relações Interpessoais. Para o jovem Jozy Ramos, a experiência foi única e enriquecedora. “Foi a primeira vez que participei e não tinha noção da riqueza dos conteúdos propostos. Eu gostaria, inclusive, de dizer a todos os jovens que participem destes encontros. O conhecimento que adquirimos não tem preço.” O Sistema Ocemg/Sescoop-MG parabeniza a Capul pela sua atuação na cidade de Unaí e região, bem como em todo o país, contribuindo para o desenvolvimento econômico e cooperativo do Brasil.

Participação efetiva dos jovens cooperativistas

Errata: Na edição de agosto/2010, na matéria “Coopsportes tem participação inédita da equipe do Sistema”, página 04 -2° parágrafo, leia-se Destaque para a Cooperbh-Taxi, que levou 43 atletas para as diversas modalidades, e não Coopertaxi-BH como havia sido informado.

11


Informativo do Sistema Ocemg/Sescoop-MG - Ano X - Nº 226 - setembro 2010

PRESIDENTE OCEMG/SESCOOP-MG Ronaldo Scucato - (31) 3025-7118 VICE-PRESIDENTE OCEMG/SESCOOP-MG Luiz Gonzaga Viana Lage - (31) 3025-7118 SUPERINTENDENTE OCEMG/SESCOOP-MG William Bicalho - (31) 3025-7118 SECRETARIA DA PRESIDÊNCIA E DIRETORIA E-mail: ocemg@ocemg.coop.br Lígia Prudente - (31) 3025-7118 Rita de Cássia - (31) 3025-7119 RECEPÇÃO Daiane Cerqueira Ribeiro - (31) 3025-7100

GERÊNCIA ADMINISTRATIVA E-mail: administrativa@ocemg.coop.br

GERÊNCIA DE INFORMÁTICA E-mail: informatica@ocemg.coop.br

Gerente Robert Santos - (31)3025-7057

Gerente Alexandre Gatti - (31) 3025-7066

Equipe Técnica Milene Dias - (31) 3025-7060 Enéias Costa - (31) 3025-7059 João Bráulio - (31) 3025-7058 Felipe Lima - (31) 3025-7061

Equipe Técnica José Alexandre - (31) 3025-7067 Samuel Fabiano - (31) 3025-7068

Apoio Administrativo Herbert Rodrigues - (31) 3025-7063 Marcos Vinícius - (31) 3025-7056 Maria da Glória - (31) 3025-7085 Reginaldo Silva - (31) 3025-7052 Thiago Souza - (31) 3025-7085 Otávio Augusto - (31) 3025-7052 GERÊNCIA GERAL TÉCNICA/CAPACITAÇÃO E-mail - capacitacao@ocemg.coop.br Gerente Fabíola Toscano - (31) 3025-7108 Equipe Técnica Thaís Leite - (31) 3025-7109 Fabiana Pereira - (31) 3025-7104 Cláudia Mello - (31) 3025-7110 Thiago Martins - (31) 3025-7111 Kátia Castro - (31) 3025-7112 Maresa Durães (31) 3025-7097 GERÊNCIA GERAL ADMINISTRATIVA/CONTROLADORIA E-mail: controladoria@ocemg.coop.br Gerente Francisco Gonçalves - (31) 3025-7078 Equipe Técnica Elson Márcio - (31) 3025-7080 Gabriele Souza - (31) 3025-7082 Raquel Luciana - (31) 3025-7081 Anderson Barbosa - (31) 3025-7079 Andrea Carla - (31) 3025-7083 Gilmar de Souza - (31) 3025-7071 Nilde Russo - (31) 3025-7073 Daniel Papini - (31)3025-7075

12

GERÊNCIA JURÍDICA E-mail: juridico@ocemg.coop.br Gerente Luiz Gustavo Saraiva - (31) 3025-7092 Equipe Técnica Alexandre Simões - (31) 3025-7093 Isabela Chenna - (31) 3025-7103 Gabriela Cabral - (31) 3025-7094 Bruno Nunes - (31) 3025-7095 GERÊNCIA TÉCNICA E-mail: tecnica@ocemg.coop.br Gerente Marco Túlio - (31) 3025-7087 Equipe Técnica Leonardo Santana - (31) 3025-7088 Raissa Nunes - (31) 3025-7089 GERÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DE COOPERATIVAS E-mail: cooperativa@ocemg.coop.br Gerente Vitória Drumond - (31) 3025-7072 Equipe Técnica Cleber Henrique - (31) 3025-7055 Evaldo Barbosa - (31) 3025-7055 Rodrigo Locádio - (31) 3025-7055 Wellington Basílio - (31) 3025-7055 COMUNICAÇÃO E-mail: comunicacao@ocemg.coop.br Juliana Gomes - (31) 3025-7122 Jacqueline Gonçalves - (31) 3025-7123


Jornal Cooperação - Setembro - 2010