Page 1


Figr. 1: Fotografia da Inauguração da Praça Sérgio Pacheco, década de 1970. Fonte: Arquivo Público de Uberlândia, 1970.

Figr. 2: Vista Aérea da Praça Sérgio Pacheco no momento de sua reformulação. Fonte: Arquivo Público Uberlândia, 1970.

Figr. 3: Fotografia da Praça Sérgio Pacheco atualmente. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

A Praça Sérgio Pacheco, assim chamada em homenagem ao filho do político Rondon Pacheco, morto em um acidente de carro, foi entregue à população em 1976. Seu projeto foi feito pelo renomado paisagista Burle Marx, durante o mandato do prefeito Renato de Freitas, porém seu antecessor e também sucessor Virgílio Galassi modificou totalmente o projeto, deixando-a parecida com o que é hoje. O projeto inicial contava com morros gigantes, um teatro de arena, um ringue de patinação e um orquidário.


Figr. 5: Praça da República, Uberlândia, em 1998. Fonte: Imagem doada por uma moradora do bairro Custódio Pereira.

Figr. 4: Praça da República atualmente. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 6: Praça da República, destacando a igreja. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

A Praça da República, mais conhecida pela massa que a frequenta como “Praça da Igreja”, surgiu em função da própria igraja que nela se situa. A igreja Nossa Senhora da Abadia foi inaugurada entre os anos 1999 e 2000, apesar de ter sido frequentada desde antes de tal data. A praça era um terreno baldio que foi doado para a igreja pela prefeitura e, em 2003, foi instituída para cercar a igreja. Observa-se que é uma praça recente, construída na última década.


Figr. 7: "Forró na Praça", espaço da praça onde são realizadas apresentações. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 8: Imagem mostra a quadra disponibilizada na praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr.9: Imagem do parque de areia destinado a crianças. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

A praça serve como área de lazer para a população, com fins culturais, como, por exemplo, as feiras de artesanato e gastronomia aos domingos, a programação no Natal, o “Forró na Praça”, entre outros. É também utilizada para fins esportivos, como caminhadas, skate, patins, academia, havendo duas quadras de esportes e um parquinho de areia para crianças. A praça serve ainda como acesso ao Terminal Central de Transporte Coletivo.


Figr. 10: Vista da Praça da República. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 11: Vista da igreja que se situa na praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 12: Praça sendo utilizada como passagem. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

A praça fica em frente à Igreja de Nossa Senhora Abadia, sendo usada principalmente pelas pessoas que frequentam a Igreja depois das celebrações. Em Agosto, há as quermesses em comemoração a padroeira da igreja – Nossa Senhora da Abadia. Além disso, é utilizada pelas crianças para soltar pipa, jogar bola e para moradores dos arredores para cortar caminho ou pela passarela que se situa entre a praça e a igreja Nossa Senhora da Abadia, ou em qualquer outra parte da praça.


Figr. 13: Prédio comercial - no fundo da imagem - que se localiza aos arredores da praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 14: Bar que situa-se aos arredores da praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 15: Imagem do Terminal Central de Ônibus Coletivo vista da praça, mostrado ao fundo da imagem. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Aos arredores da Praça Sérgio Pacheco, por esta estar localizada no centro da cidade, há uma abrangência em pontos comerciais, como lojas de diversas áreas, bares, um posto de gasolina e uma feira de roupas, chamada “Feira da Lua”. É cortada por uma importante avenida, que é utilizada principalmente no trânsito de ônibus coletivos, posto que o Terminal Central de Transporte Coletivo localiza-se aos arredores da praça. Em um piso subsequente ao terminal, encontra-se um centro comercial chamado Pratic Shopping.


Figr. 15: Bar que se situa aos arredores da praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 16: Caixas d'água do DMAE. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 17: Casas de moradores que habitam os arredores da praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Há a Igreja que se localiza em frente à praça, que já foi citada várias vezes anteriormente, há também ao redor algumas casas simples de moradores, dois bares – um em cada esquina da praça - e duas caixas d’água do DMAE (Departamento Municipal de Água e Esgoto), também logo a frente da praça. No quarteirão ao lado da praça há um Núcleo de Assistência e, no outro quarteirão ao outro lado da praça há uma Unidade Básica de Saúde.


Figr. 18: Posto policial localizado na praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 19: Vista da praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 20: Vista da Praça. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Os entrevistados foram 6, destes 3 estavam fazendo caminhada e reinvidicaram a implantação de mais bancos pelo fato de que o número de frequentadores está aumentando e disseram ter uma certa preocupação com os moradores de rua. Outro entrevistado estava utilizando a praça apenas para transitar para o Terminal Central e diz não se preocupar com os mendigos e marginais, por sua passagem ser objetiva. Um casal com a filha contradiz o entrevistado anterior, dizendo que se sentem inseguros em deixar a filha no parque frente a mendigos e preocupam-se também com o trânsito conturbado nas proximidadesda praça.


Figr. 21: Vista dos arredores da Praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 22: Vista da igreja. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 23: Vista da praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Foram entrevistados 8 moradores e frequentadores da praça, todos alegaram que a melhoria parcial da praça foi proporcionada pela presença da Igreja, sendo antes apenas um terreno sem gramado. Seis desses entrevistados disseram que deveriam ser colocados bancos, árvores e um parquinho para as crianças. Os outros dois preferem a construção de casas no terreno. “É muito bom ter a dignidade de dizer que tem um lar”, diz D. Conceição moradora do bairro há 20 anos.


Figr. 24: Parque de areia. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 25: Garagem de ônibus. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

Figr. 26: Banheiro público. Fonte: Imagem tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 24/03/2012.

A praça é dividia em duas partes cortadas por uma importante avenida: na primeira há quadras de esportes, uma via para caminhada, a “casa do Papai Noel”, um posto policial, banheiros públicos, um parquinho de areia, mesas com tabuleiros de xadrez, uma academia pública, bancos e árvores; há na outra parte, que compreende uma arena onde ocorre a Arte na Praça e aonde os jovens utilizam suas bicicletas, patins e skates, a garagem dos ônibus coletivos e privados, além da vasta arborização.


Figr. 27: Cruz azul. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 28: Vista frontal da praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 29: Placa de identificação da praça. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

A praça apresenta uma arquitetura extremamente simples, aparentando ser apenas um terreno. Esta não é nem sequer pavimentada, sendo coberta apenas por um gramado. Não possui nenhum artifício que a “decore”, torne-a paisagística ou turística, possui apenas uma cruz azul, simbolizando a presença da Igreja, sendo utilizada apenas nas festas e quermesses desta. Não possui sequer bancos para os frequentadores, além dos grandes riscos de segurança.


Figr. 11: Destaque para a passarela asfaltada. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 23/04/2012.

Figr. 310: Destaque para a passarela sem calçamento. Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 23/04/2012.

Figr. 12: Destaque para a passarela em frente ao "Forró na Praça". Fonte: Fotografia tirada por Isabela Martins e Tiago Carrijo, 23/04/2012.

A Praça Sérgio Pacheco possui algumas rampas para cadeirantes na calçada de entrada, porém o trânsito nesta é penoso, visto que no calçamento encontram-se precárias condições, apresentando diversos desníveis, partes quebradas e várias rampas muito íngremes. Além disso, não há a calçada específica para deficientes visuais, fundamental em uma praça central. Apesar disso, é a praça que apresenta a maior acessibilidade da cidade.


Figr. 13: Destaque para a passarela. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

Figr. 34: Destaque para a falta de acessibilidade, devido ao espaço da praça ser um gramado. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012

Figr. 14: Destaque para a falta de acessibilidade e arborização. Fonte: Fotografia tirada por Olívian Machado e Caio César, 24/03/2012.

A acessibilidade da praça é minima, como não é pavimentada, não há como portadores de necessidades especiais transitarem por ela. Caso eles precisem atravessá-la, têm a opção de passar por uma passarela que passa entre a praça e a Igreja, sendo também utilizada para carros cortarem caminho, ou seja, não garante seguridade a nenhum transitante. Não há nenhum outro artifício que facilite a acessibilidade há qualquer parcela da sociedade.


Se as praças falassem...  

Albúm de figurinhas com aspectos das praças Sérgio Pacheco e República, em Uberlândia. Sendo a primeira a praça central e a segunda uma praç...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you