Page 1

PORTFOLIO DE ARQUITETURA

Ta i a n e S o u z a

2015 | 2018


TAIANE SOUZA

Endereço R. Heitor Penteado, 1759 | São Paulo-SP R. Milton Martins, 92 | S. J. dos Campos-SP

Contato (12) 997899523 taianeas@hotmail.com

Sobre mim Estudante de Arquitetura e Urbanismo com interesse em atuação na área de projetos arquitetônicos e design. Forte apelo pelas artes manuais e digitais, desde ilustrações e diagramação editorial a marcenaria, cerâmica e joalheria, e como as descobertas nesses campos podem se expandir à escala aquitetônica.

Hobbies

leitura

Fotografia

desenho digital e a mão


Experiências Acadêmicas

Experiências Prévias

Graduação Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo FAUUSP | [2015-]

Estágio Temporário Bevilacqua Arquitetura e Engenharia

Monitoria Voluntária Monitora na disciplina: AUP0446_ Design de objeto FAUUSP | [2017/2] Produção Acadêmica Texto publicado no livro "Situando Jane Jacobs" FAUUSP | [2017/2]

São José dos Campos | [2017/1]

Competências Comunicação Trabalho em equipe Organização Criatividade Compromisso

Softwares

SketchUp, Vray, Photoshop, Indesign. [2018/1]

Pacote Adobe Photoshop Indesign Illustrator

Edifícios Fundamentais da Arquitetura Brasileira

Google Sketch Up V-Ray

Cursos Curso CURA de representação

Curso organizado pelo MuBE, com Gabriel Kogan. [2018/1]

Linguas

Autodesk Autocad

Ingles | intermediário

Pacote Office


ARQUITETURA Equipamento Cultural Casa de Cultura | Jaraguá Habitação Habitação Multifamiliar | Nestor Pestana

DESIGN De Objeto Invólucro | Monobloco Ponte | Estrutura Biapoiada

FOTOGRAFIAS


CASA DE CULTURA

JARAGUA A Casa de Cultura é um equipamento público que pretende ser um espaço de apropriação para os agentes culturais nas diversas subprefeituras de São Paulo. O edifício tenta se aproveitar de espaços de transição pública para promover o encontro através das passarelas avarandadas que permitem fácil acesso a todas as áreas do projeto e conectam os blocos de circulação, apoio e dos salões. Os acessos estão localizados nos pontos principais entre-blocos, descendo até o subsolo descoberto que também é uma praça de acolhimento. O conjunto estrutural - de empenas cegas e vigas metálicas - e de texturas se articulam com outros elementos criando as fachadas do edifício. O bloco de apoio, afastado das empenas, mas próximo as passarelas, é como um aquário fechado apenas com grandes esquadrias de vidro translúcido, também usado na circulação para vedar a escada metálica em aço corten, deixando um efeito desfocado e colorido para quem vê o projeto por fora.


Viga metalica engastada em empena estrutural

PISO g|terraço ‹› sala de apoio| cota 837.5

PISO ef|salão de leitura ‹› salão de oficinas| cota 837.5

PISO d|administração e coordenadoria| cota 834.5

PISO c|serviços ‹› salão de exposições| cota 831.5

PISO b|conveniências ‹› arquibancadas| cota 828.5

PISO A|saguão ‹› salão do corpo| cota 825.5

FACHADA E Corte Construtivo| detalhe do aquário escala 1:100


V

V


825.80

826.50

825.50

825.50 825.50

825.49

826.80

~

IMPLANTAcao|subsolo escala 1:400

PAssarelas|conexão em aço corten

BLoco b|salões programa principal

BLoco a|serviços e circulação programa secundário

empenas cegas estruturais pilares metálicos 0,20x0,20m malha 3,4x3,4m vigas metálicas de altura estrutural 0,30m bloco de circulação em concreto estrutural

O piso da administração e coordenadorias se mostrou ser o mais prejudicado do ponto de vista da ventilação e do desempenho termico, por conta das muitas divisórias necessárias para as salas de trabalho e reunião. Para resolver esse problema, janelas longitudinais foram projetadas e posicionadas em paredes laterais e opostas de cada um dos ambientes, para tentar garantir a ocorrência de ventilação cruzada dentro de todo o andar.

O pé direito duplo dos salões permite que atividades que necessitam de mais espaço possam ocorrer sem problemas. O projeto tentou se aproveitar da iluminação natural em vários espaços, como nos salões principais, no aquário -onde a dupla de vigas e o deslocamento das esquadrias do limite da fachada criam quase uma iluminação zenital- e na escada de circulação fechada com grandes caixilhos de vidro mais opaco que só deixam claro a cor terrosa do corten.


HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR

NESTOR PESTANA Uma habitação coletiva pensada para esse centro antigo paulistano que tem ganhado mais destaque na última década, modernizando-se e sendo ocupado cada vez mais por grupos jovens interessados no valor cultural e artístico da região. O lote, numa esquina, faz frente à praça Roosevelt e ao teatro Cultura Artística e, por conta dessas características, o projeto tenta se adequar às possíveis necessidades dos moradores, produtores culturais e pessoas dinâmicas. Alguns pontos de como esses aspectos foram incorporados são variedade de tipologias -3 duplex e 2 kitnets-, um espaço para oficinas artísticas no segundo terreo e uma biblioteca de dois níveis procuram atender as demandas e proporcionar um ambiente próximo a de um FabLab, laboratórios públicos de aprendizagem e inovação. Além disso, o muro interno entre-quadra pode ser aproveitado como mural de arte urbana e graffiti. Os acessos se dão pela ampla praça externa criada dentro do lote, com uma entrada privada para os moradores e outra pública para acessar as oficinas, a loja e a sobreloja e a lavanderia comunitária. Uma rampa na lateral leste do lote permite a conexão entre a Nestor Pestana e a Martins Fontes, separada da praça interna do edifício através de cobogós, que também aparecem junto a tijolinhos expostos, concreto e brises móveis, que não só protegem da incidência solar direta como criam uma fachada mais dinâmica e interessante. O terraço é ocupável e com cobertura verde.


1

2

0.00

corte aA -0.50

corte aA

3

-0.50

4 -1.20

9

10

Implantação|térreo

Corte Construtivo AA|térreo e sobreloja escala 1:100

5 janela permanentemente ventilada

6

7


9. Mural de grafitte 1. Praça de acolhimento 2. Loja 3. Portaria 4. Biblioteca 5. Lavanderia comunitária 6.|7.|8. Espaço para oficinas 9. Mural de grafitte 10. Interligação | Nestor Pestana - Martins Fontes

4. Biblioteca|area de estudos

8


DUPLEX TIPO 1 2 dorms, 2 banheiros 90m² escala 1:200

Kitnet tipo 1 45m² escala 1:200

Kitnet tipo 2 48m² escala 1:200

2

1

3

4

5

6

corte cc

corte cc

corte bb

corte bb

7

8

pavimento tipo|10 andar 








DUPLEX TIPO 2 3 dorms, 3 banheiros 120m² escala 1:200

DUPLEX TIPO 3 3 dorms, 3 banheiros 128m² escala 1:200

2

1

3

4

corte dd

6

7

8

corte dd pavimento tipo|20 andar 







5


Piso Flutuante Contrapiso Tratamento acustico CAPA DE CONCRETO aRMADO

lAJE aLVEOLAR VIGOTAS AUXILIARES

Esquema estrutural da laje Escala 1:100

VIGAS T INVERTIDAS


Corte Construtivo BB|terraรงo escala 1:75

CORTE|CC 01

5

15

DETALHE Construtivo|cobertura verde e escoamento de รกguas pluviais escala 1:10

CORTE|DD 01

5

15


Feito em papel duplex, somente com vincos e cortes, a proposta do invólucro era criar um objeto de design que envolvesse um garrafa de vidro de, no mínimo 750ml, formando um monobloco estrutural e interessante, que de alguma maneira se relacionasse com a forma da garrafa ou com seu conteúdo. A partir da observação das formas acinturadas e da concavidade inferior do recipiente foi possível chegar nesse formato que afunila e expande em diversos momentos, criando dinamismo. A extremidade inferior foi pensada para não ceder à gravidade e proteger a garrafa, enquanto a abertura superior é uma sobreposição de triangulos dobrados e encaixados que se fecham e abrem como um botão de rosa.

DESIGN DE OBJETO ´

INVOLUCRO


vista superior

vista inferior

^

influencias


DESIGN DE OBJETO

ESTRUTURA BIAPOIADA


Isometrica do modelo do gabarito de arcos

~

amarracoes

Partindo da premissa da descoberta das tensões e do limite máximo dos materias envolvidos -varetas de bambu e linha- o exercício em dupla propunha a criação de uma estrutura moldada pela repetição de módulos e que vencesse o vão mínimo de 1,80m. Os estudos preliminares determinaram uma forma próxima a um prisma de base triangular não equilátera com arcos por cima. O módulo final ficou sendo a dupla dos anteriores com os arcos posicionados na maior extensão da base, representada pela linha. Existiria ainda, um outro par de arcos posicionados na bissetriz do outro -como é possivel ver na foto à direita- porém estes poluiam a forma final da "ponte", sendo assim foram retirados, chegando no acabamento final da foto à esquerda. Para garantir uma maior precisão na forma dos arcos e assim, uma maior eficiencia no desempenho da estrutura, foi criado um gabarito com chapa de madeira e pregos.

modulo preliminar


FOTOGRAFIAS

Vila mariana| São Paulo


sesc pompeia| SĂŁo Paulo


~

MUSEU DO AMANHA| Rio de Janeiro


Nas ruas| Bogotรก


boston public library| Boston


BROOKLYN BRIDGE| New York


OCULUS (WTC TRANSPORTATION HUB)| New York


Portfolio de Arquitetura |2015-2018  
Portfolio de Arquitetura |2015-2018  
Advertisement