Page 30

SEXTA-FEIRA, 27 DE ABRIL DE 2018

Produzimos orgânicos na região

A

produção de orgânicos ainda é baixa no Brasil, mas cresce de forma acelerada no Rio Grande do Sul. O Estado, segundo a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar, lidera o ranking nacional de produção orgânica com 1.554 produtores, seguido de São Paulo com 1.438 e Paraná que possuí 1.414 agricultores que cultivam sem veneno. Atualmente apenas 2% dos alimentos produzidos no país são orgânicos, e para isso surgem novos projetos de incentivo da produção orgânica. Um levantamento realizado em Santa Rosa apontou que existem cinco granjas certificadas de produtores orgânicos na zona rural. Destes, três comercializam hortigranjeiros na Feira do Produtor no Mercado Público e outros dois comercializam laranja e amendoim. As propriedades certificadas são do Lajeado Tigre, Rincão dos Souza, Rincão Santo Cristo e Esquina Guia Lopes, interior do município. Estes primeiros sítios foram certificados em dezembro de 2014. Os produtores estão registrados no Ministério da Agricultura e a comercialização está habilitada à exportação. Segundo o engenheiro agrônomo da Emater, Gilmar Francisco Vione, o comércio de orgânicos gerou um incremento na renda da propriedade e o mercado está em plena expansão. "Além de ofertar produtos de qualidade e fiscalizados, a produção gera uma renda extra, garantindo a subsistência do meio rural", afirmou. Já na região, entre os itens mais cultivados está a uva. Produtores de Cerro Largo, Tuparendi, Porto Mauá, Santa Rosa, Boa Vista do Buricá, Alegria, Nova

Mercado Público de Santa Rosa comercializa produção de orgânicos Candelária e de Horizontina, trocaram experiências e discutiram formas de manejo da uva orgânica em um Dia de Campo promovido pela Emater. O grupo foi recepcionado na propriedade de Luciano Hickmann, coordenador dos produtores orgânicos Organovida, na localidade de Lajeado Guilherme, em Horizontina. A família Hickmann reiterou a importância do cultivo para o autoconsumo. Além da uva, mantém uma diversidade de alimentos para eles próprios. No levantamento apresentado foi possível observar que esta família economiza, em média, R$ 1,5 mil por ano com a produção própria de alimentos. Em relação ao assunto central do encontro - o plantio de uva orgânica - os participantes puderam acompa-

nhar estações sobre manejo ecológico do solo conduzidas pela engenheira agrônoma da Emater, Cecília Bernardi. Conheceram a certificação orgânica participativa, com informações do engenheiro agrônomo e coordenador do núcleo missões da Rede Ecovida, André Rocha de Camargo, além do gerenciamento ecológico de insetos e tratamentos fitossanitários em uva orgânica, tema abordado pelo assistente técnico estadual da Emater na área de fruticultura, Antônio Conte. Todos ainda tiveram a oportunidade de conhecer o programa Pronaf Agroecologia, voltado ao incentivo para esta atividade. Como exemplo, destacou-se o investimento da família Hickmann, que está adquirindo cobertura anti-pássaro para o parreiral.

30

Noroeste na Fenasoja  
Noroeste na Fenasoja  
Advertisement