Issuu on Google+

Agrupamento de Escolas Abade de Baçal

Título do Trabalho: “A

Célula da Vida”

Numa perspetiva fisiológica, a célula constitui-se como a unidade fundamental da vida formada por constituintes múltiplos, de várias formas e tamanhos, desempenhando cada um deles uma função determinada, específica. A célula contém a informação genética transmitida de geração em geração de forma a assegurar a preservação e manutenção das características específicas dos diferentes seres vivos. Numa interpretação antropológica e sociológica a família constitui-se como a célula viva – núcleo fundamental no desenvolvimento, progresso e transformação da sociedade, cujo contributo primordial é o de perpetuar e transmitir os traços e os genes identitários, os conhecimentos, a cultura e os valores que caracterizam, sustentam e aprimoram a humanidade. A união, a fraternidade, o calor humano, a empatia, a criatividade, a colaboração e o saber, neste trabalho, expressam-se e transmitem-se através de técnicas, modelos e formas diversificadas, com diferentes tamanhos e gradações, numa multiplicidade de cores e materiais resultando numa sinfonia de simplicidade e apologia à quadra natalícia que se aproxima, ao modelo de família e ao Amor. Identificação do grupo: alunos do 1º ciclo da E.B.1,2,3 Augusto Moreno Professores responsáveis: Amparo Figueiredo e Anabela Padrão Objetivos:  Aprimorar a criatividade e originalidade dos alunos;  Reutilizar materiais diversos;  Mobilizar conhecimentos e competências de todas as áreas do saber para a elaboração deste projeto; Materiais utlizados: bola de ginástica, cartão, areia, serrim, madeira, cola branca, cola quente, tintas, fio do norte, laca fixadora, purpurinas e líquenes. Metodologias: O trabalho iniciou pela construção do estábulo a partir de uma bola grande de ginástica, que representa a célula. Para o efeito envolveu-se a bola com várias camadas de jornal, que se fixaram com cola branca. Seguidamente, a parte exterior foi coberta com serrim, para adquirir um aspeto rugoso e procedeu-se à sua fixação com laca. Fez-se um corte de maneira a apresentar forma de cabana e para possibilitar a cobertura interior com líquenes de árvores representando o citoplasma e a multiplicidade de constituintes da célula com a finalidade de apresentar um efeito rugoso e esponjoso. Para o núcleo da célula elaboraram-se as imagens do presépio: o triângulo que representa Nossa Senhora, feito com cartão, foi revestido com areia e pintado em tons de azul; o rectângulo representa São José, elaborado com o mesmo material, foi revestido de serrim e pintado com diferentes tonalidades de bordeaux; o quadrado assume a figura do Menino Jesus, foi elaborado com o mesmo material e revestido com pasta de serrim, pintado em tom de pele. A cabeça das três imagens têm forma circular e foram elaboradas em cartão, revestidas com areia e coloridas em tom de pele. A estrela foi feita com vários triângulos. Com as cores utilizadas na elaboração das figuras pretendeu-se obter um efeito degradé. Como suporte foram utilizados troncos de madeira, colocados e trabalhados de forma adequada para o efeito pretendido.


Ciência viva