Issuu on Google+

P o r t f 贸 l i o cenografia

1 Susana barroso 5864


2


P o r t f 贸 l i o cenografia 铆ndice dreams (van gogh) - akira kurosawa ___________3 perfect day - lou reed ___________5 o criado - joseph losey ___________7 janela indiscreta - alfred hitchcock ___________9


D r e a m s ( Va n G o g h )

Através deste filme de Akira Kurosawa, criei esta maquete de um possível palco, onde os actores poderiam movimentar-se entre os vários planos que constituem o cenário. Cada conjunto de planos pertence a uma determinada parte do filme. Tal como o personagem atravessa e interage com diversos quadros de Van Gogh, esta maquete tenta transmitir exactamente essa ideia, pois à medida que a acção se vai desenrolando, o actor vai avançando para os diferentes espaços.

Material: Cartão canelado, cartão prensado, palitos e pastel de óleo.

4


Akir a Kurosawa

5


Pe r f e c t day

A música “Perfect Day” remeteu-me para acontecimentos e não tanto para locais. Por esta razão decidi imaginar um espaço agradável, mas um pouco surreal, onde um “dia perfeito” pudesse acontecer. Esta maquete foi construída de modo a ser utilizada numa performance ao ar-livre, onde os espectadores pudessem observar a peça de ambos os lados do muro e os actores conseguissem atravessar os buracos, trepar o muro ou sentarem-se à sombra das árvores.

Material: Cartão canelado, espuma, balsa, rede e palitos.

6


Lou Reed

7


O criado

O filme “O Criado“ está repleto de jogos de luz/sombra e reflexos entre espelhos, que conferem mistério e suspense ao filme. Para além disso é dada especial importância à escada. Esta maquete teria como objectivo ser utilizada numa peça de teatro. As escadas são o objecto de maior destaque e os actores poderiam subilas. O pano branco seria utilizado para fazer os jogos de luz em determinadas situações. Onde nem tudo é o que parece, o espectador fica na mesma dúvida que o próprio personagem da história.

Material: Balsa, lenços de papel e palitos.

8


Joseph losey

9


ja n e l a i n di s c r e ta

No bairro do filme “Janela Indiscreta“, todos os habitantes parecem comportar-se maquinalmente, com as suas rotinas, as suas tarefas, as suas vidas. O prédio que interpretei é aquele onde ocorre o assassínio da mulher. Através da cor metalizada, dos pregos e das linhas rectas,tentei transmitir para esta maquete a frieza e crueza das acções do assassino. Sem se preocupar com o facto de alguém poder estar a ver, executou a mulher e apagou todas as provas.

Material: Cartão prensado, pregos e spray metalizado.

10


Alfred hitchcock

11


Susana Barroso 5864 Design de Comunicação _ Faculdade de Belas Artes Universidade de Lisboa


Portfólio de Cenografia