{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

SHARK NEWS www.surfingviana.com

Nº 12 / setembro 2019 / Edição: Surf Clube de Viana / Distribuição gratuita

A excelente organização do Mundial de Bodyboard por Viana do Castelo, nos últimos anos, valeu-lhe, pelo segundo ano consecutivo, a realização do Viana World Bodyboard Championship Pro Junior. Os melhores bodyboarders juniores do mundo vão disputar, entre 19 e 22 de setembro, este Grand Slam da Association of Professional Bodyboarders (apb), que atribuirá o título de campeão do mundo júnior 2019. Armide Soliveres regressa à praia da Arda, onde pretende, neste primeiro Campeonato do Mundo de Bodyboard Júnior autónomo, revalidar o título que conquistou o ano passado.

VIANA DO CASTELO MARCA O INÍCIO DE UM GRANDE MOVIMENTO JÚNIOR NO BODYBOARD MUNDIAL Pág. 07 — 09

EUROSURF ADAPTIVE É O 1º O FUTURO DO OUTDOOR SURF CLUBE DE VIANA EVENTO SUSTENTÁVEL DA EUROPA EUROPEU DEBATE-SE EM VIANA COMEMORA 30º ANIVERSÁRIO Pág. 05

Pág. 10

Pág. 15

DESTAQUES SURF CLUBE DE VIANA Pág. 12 — 14 Raquel Otero Atleta de Surf

João Maria Pereira Atleta de Surf

Renato Bentes Treinador


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA DROP

FICHA TÉCNICA Propriedade Surf Clube de Viana CAR Surf de Viana – Rua Diogo Álvares 4935–161 Darque www.surfingviana.com info@surfingviana.com tel. 258 332 043 / tlm. 962 672 222 Editor João Zamith Redação Luísa Nunes Design Afonso Designers, Lda Fotografia Tó Mané Surf Clube de Viana Impressão A Aurora do Lima Tiragem 4.000 exemplares Distribuição gratuita © Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do jornal Shark News sem autorização prévia dos editores.

Surf Clube de Viana 30 anos a surfar a crista da onda... É com enorme alegria e honra que escrevo sobre o nosso Surf Clube de Viana que, no presente ano, celebra o seu 30º aniversário... Aloha! Desde logo, o meu reconhecimento aos antecessores diretivos que, com grande audácia, souberam, desde o começo, projetar, a partir de Viana do Castelo, os primeiros passos da estruturação do surf nacional. Relembro que o scv “cedeu” dois presidentes para a fps: o Adolfo Stuart e o João Guilherme Bastos. O scv tem um currículo absolutamente notável graças à visão, ao sentido de oportunidade e também à capacidade de organizar eventos de referência e de executar projetos nacionais (Geração Z e otl Longa Duração) e internacionais, como o Erasmus+ Sport e o European Solidarity Corps, de ser membro fundador da European Network of Outdoor Sports e parceiro da World Surf Cities Network. #vianasurfcity O nosso agradecimento à Câmara Municipal de Viana do Castelo que esteve sempre ao lado do Surf Clube de Viana. Felicitá-la, em particular, pelo projeto “Náutica nas Escolas”, que está a mudar a mentalidade das gerações mais jovens e a permitir, simultaneamente, aos clubes captar atletas. Uma palavra de agradecimento também aos agrupamentos escolares pela participação no estudo europeu sobre impacto social das atividades náuticas. Hoje em dia, o scv orgulha-se por ter uma equipa técnica profissional e atletas que lutam por lugares cimeiros, tanto a nível regional, nacional e internacional, resultado do apoio de programas de desenvolvimento desportivo (Fundação do Desporto), que permitem investir em equipamentos técnicos e recursos humanos qualificados.

O scv tem procurado também responder a desafios na área social, proporcionando momentos de lazer a dezenas de indivíduos do município com dificuldade de inclusão social ou incapacidade. Recentemente, realizámos mais um sonho, treinos de surf adaptado regular com quatro atletas: o Tomás, a Marta, o Hugo e o Lucas. Além de apoiarmos a embaixadora da Semana Europeia do Desporto, Marta Jordão Paço, que, ainda este ano e também em Viana do Castelo, se sagrou a 1ª campeã europeia em asvi Ladies, no 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado, vamos receber, em outubro, as seleções da Itália e da Alemanha que vão estagiar no car Surf de Viana. Estamos a preparar ainda o novo ciclo desportivo 2019/2020 e vamos incluir novidades e novos desafios para todos... Com uma aposta clara no rendimento escolar/desportivo e também num maior envolvimento da juventude nas atividades do scv. Um agradecimento especial à Luísa, ao Edgar e à direção do jornal “A Aurora do Lima” pela divulgação das nossas atividades. Last but not least, agradecer o apoio da família scv, direção, sócios, amigos e parceiros pela confiança e por nos ajudarem a conquistar sonhos.... E a surfar ondas maiores... Aproveito a oportunidade para vos convidar a assistir a dois eventos que vão ficar na história do desporto: o apb World Bodyboard – Grand Slam Pro Junior e o Outdoor Sports Euro’Meet 2019. Boas ondas! Melhor surf ! João Zamith Presidente da direção do Surf Clube de Viana

SOMOS SURF! SOMOS CLUBE! SOMOS VIANA!

2


SURF CLUBE DE VIANA

SHARK NEWS

EVENTOS

COMPETIÇÃO

Atletas do scv destacam-se no arranque do Circuito Regional de Surf do Norte

e  Tó Mané ©

O clube anfitrião teve 11 dos seus atletas a competir nas quatro categorias da prova. Tendo mesmo João Maria Pereira vencido em Sub-14 e Raquel Otero em Sub-16, além de ter sido 2ª classificada em Sub-18. A sua colega de equipa Raquel Vale, também em Sub-16, conquistou o 4º lugar. Kekoa Hummel, da Associação Onda do Norte, venceu em Sub-12 e Beatriz Costa, do Surfjah Clube, em Sub-18, numa prova que registou 68 inscritos. Nesta competição, organizada em parceria com a Federação Portuguesa de Surf, as condições de mar estiveram desafiantes. No entanto, a capacidade logística da organização possibilitou alterar o cenário de prova por quatro vezes, com vista a conseguir ajustar as ondas às categorias. Esta etapa teve o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo, do Instituto Português do Desporto e da Juventude, da Fundação do Desporto, da Viana Segura, da Quiksilver e da Roxy.

e  Tó Mané ©

O Surf Clube de Viana (scv) organizou a 1ª etapa do Circuito Regional de Surf do Norte, a 26 e 27 de janeiro de 2019, na praia do Cabedelo, em Viana do Castelo. Ao longo da competição, tentou sempre conciliar a qualidade das ondas com o nível dos surfistas, o que resultou num bom espetáculo com ondas “excelentes”.

C Kekoa Hummel

C Finalistas

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Movimento “Não Lixes…” sensibiliza participantes no Surf Holidays Fernando Jorge Paiva, comumente conhecido por Joca, fundou, em 2013, o “Não Lixes …”, um movimento cívico ambientalista para a promoção de valores e práticas ecológicas. Em julho último, ao longo de uma manhã, realizou diversas ações de sensibilização ambiental junto dos participantes no Surf Holidays de 2019 do Surf Clube de Viana. As ações deste movimento, com um enfoque especial no lixo, dirigem-se a todos. No entanto, Fernando Paiva considera que o público jovem é o mais fácil de sensibilizar. “Consumimos mais do que necessitamos, quando devíamos ter um comportamento mais sustentável ambientalmente e um maior contacto com a natureza. Somos a única espécie que está a colocar em risco a sua própria existência. Cada pessoa produz 1,5 kg de lixo por dia”, referiu. Com as suas ações pretende sobretudo colocar as crianças e os jovens em contacto direto com o problema. Assim, entre as atividades realizadas com os participantes do Surf Holidays, destaque para uma palestra, uma limpeza de praia e um “cumprimento”

ao mar, seguido de um mergulho. Nesta limpeza de praia, as crianças e jovens tomaram consciência do percurso feito, por exemplo, de cotonetes recolhidas desde uma sanita até ao mar. “Esta consciencialização da responsabilidade de cada um de nós através da alteração dos nossos comportamentos do dia-a-dia, das nossas escolhas e também a importância de uma aproximação à natureza são importantes para o futuro do planeta e para o presente, no qual as crianças e os jovens passam cada vez mais tempo confinados a espaços fechados”, explica, acrescentando “o balanço que faço desta ação no scv é muito, muito positivo”. O programa Surf Holidays de 2019 do scv, compreendeu duas semanas, uma de 1 a 5 e outra de 8 a 12 de julho. Os seus utentes tinham entre oito e catorze anos. O seu objetivo é proporcionar, de uma forma inovadora, a estadia e prática de atividades singulares, desportivas e inesquecíveis no Centro de Alto Rendimento de Surf, durante o período de férias escolares.

Voltado sobretudo para a prática de surf, aposta também na prática de outros desportos, em atividades ambientais e culturais, proporcionando, assim, um conjunto

de vivências e desafios diferenciadores que estimulam o desenvolvimento motor, cognitivo, pessoal, relacional e social dos seus participantes.

3


SURF CLUBE DE VIANA

SHARK NEWS

EVENTOS

EUROPEAN ADAPTIVE SURFING CHAMPIONSHIP

Marta Paço e Nuno Vitorino sagram-se campeões europeus em Viana do Castelo

4

car Surf de Viana é magnífico. Tem tudo integrado e adaptado”. A colega de equipa Laura Dominguez avançou “fiquei super contente por ter conseguido provar o quanto valho”. Para Massimiliano Mattei “foi fantástico! O Surf Clube de Viana (scv) já é como uma família para mim. Desde que cá comecei a vir até agora, é fantástico ver o quanto este clube tem conseguido fazer pelo surf adaptado”. Por equipas, a França sagrou-se campeã da Europa, seguida da Espanha, de Portugal, da Itália, da Alemanha e do País de Gales. Lisa Monteith, da Federação Europeia de Surf (fes) considera que “o EuroSurf Adaptive foi incrível, tendo colocado a fasquia alta para o que se irá realizar dentro de dois anos. Os voluntários de todo o mundo que cá estiveram a ajudar também foram incríveis”. O car Surf de Viana foi uma estrutura fundamental na realização desta competição, a primeira que contou com classificadores seniores do International Paralympic Committee (ipc) e da International Blind Sports Association (ibsa), potenciando a entrada do surf adaptado nos Jogos Paralímpicos. Foi também palco de um seminário sobre classificação orientado por classificadores do ipc e da ibsa e com assistência da International Surf Association (isa), destinado a certificar futuros classificadores. O EuroSurf Adaptive foi organizado pelo scv, em parceria com a fes, a Federação Portuguesa de Surf, a Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, o Instituto Português do Desporto e Juventude, o Comité Paralímpico de Portugal e a Câmara Municipal de Viana do Castelo.

C Ibon Muguerza

C Equipa Portuguesa

C Eric Dargent

C Marta Paço

C Nuno Vitorino e  TóMané ©

A vianense Marta Paço, com 14 anos, e Nuno Vitorino conquistaram os títulos de campeões europeus, em asvi Ladies e em as5 respetivamente. “Estou muito feliz por ter ganho. Valeu a pena o esforço. Não foi fácil, pois competi em duas categorias. Espero que haja mais campeonatos”, referiu Marta Paço, que teve uma prestação fantástica e “chamou” muitos apoiantes às duas praias. Também Nuno Vitorino disse “estou feliz com este resultado, pois queria ser campeão europeu. Trabalhei para isso. O meu próximo objetivo é ser campeão do mundo”. Camilo Abdula foi vice-campeão da Europa em as1 e Nuno Maltez, em as4, foi 4º classificado. Os espanhóis Aitor Francescena, em asvi, e Ibon Muguerza, em as1, os franceses Eric D’Argent, em as2, Laura Dominguez, em as2 Ladies, Katell Ropert, em as5 Ladies, e o italiano Massimiliano Mattei, em as4, sagraram-se também campeões da Europa no EuroSurf Adaptive. Para Aitor Francescena não há palavras que descrevam a sua emoção. “Estou muito feliz. Tenho feito surf toda a vida. Há cinco anos ceguei. Estou muito feliz por ser o primeiro campeão do mundo cego e, agora, o primeiro campeão cego da Europa. Obrigado a Portugal por ter organizado este magnífico campeonato”. Para Ibon Muguerza este resultado foi muito bom, “frente a tantos e fortes adversários”. Eric D’Argent, também muito contente com a sua prestação, disse “estou muito motivado e acredito que esta vitória vai ajudar-me, através da minha associação, a melhorar a acessibilidade para outras pessoas. Este campeonato foi uma experiência fantástica! Bom ambiente, boa organização, boas acessibilidades às praias”. Para Katell Ropert, atual vice-campeã do mundo em as5 Ladies e que liderou com tranquilidade essa mesma categoria, o EuroSurf Adaptive também foi “uma experiência fantástica! Muita competição, muita camaradagem e solidariedade, um ambiente fenomenal. Um campeonato com condições excelentes… O

e  Tó Mané ©

O 1º Campeonato da Europa de Surf Adaptado, que se realizou entre 22 e 24 de maio último em Viana do Castelo, foi palco de alta competição. Contou com a participação dos melhores atletas da Europa, oriundos de Portugal, Espanha, Itália, França, País de Gales e Alemanha, nas categorias de as1, as2, as2 Ladies, as4, as5, as5 Ladies, asvi Fem. e asvi Open. Teve dois palcos de prova, a praia do Rodanho e a do Cabedelo, beneficiando de ondas de grande qualidade para a modalidade.

C Marta Paço


SURF CLUBE DE VIANA

SHARK NEWS

EVENTOS

EUROPEAN ADAPTIVE SURFING CHAMPIONSHIP

EuroSurf Adaptive 2019 é o 1º evento de surf sustentável da Europa O 1º Campeonato da Europa de Surf Adaptado é o primeiro evento de surf da Europa certificado em sustentabilidade pela Sustainable Tourism & Outdoors Kit for Evaluation (stoke). Esta certificação foi obtida em resultado da avaliação realizada pela entidade certificadora durante o campeonato. Os principais parâmetros avaliados foram: gestão sustentável, gestão do impacto socioeconómico e gestão do impacto ambiental. De entre um vasto leque de ações de sustentabilidade que caracterizaram o 1st European Adaptive Surfing Championship, destaque para: a existência de dois locais de prova acessíveis e livres de barreiras; ações de sensibilização e de sustentabilidade ambiental; aulas de surf para utentes de várias associações e alunos de escolas do distrito, que foram vividas por cerca de duzentos beneficiários com possibilidade de experienciarem surf adaptado e de conviverem com os atletas; ser um evento sustentado a energia solar; os plásticos terem sido substituídos por alumínio ou por papel; ter fornecedores locais; fomentar a mostra/ venda de produtos locais, a cultura e as tradições; e a organização do International Adaptive Surf Congress, paralelamente à competição. O 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado foi autossustentável em termos energéticos, tendo contado com um sistema fotovoltaico de autoconsumo, em resultado de uma parceria tecnológica com a ertec, Lda. Destacando-se, assim, também por ser o primeiro evento de surf na Europa total-

mente alimentado a energia solar. O congresso, aberto ao público em geral, realizou-se no Centro de Alto Rendimento de Surf de Viana, entre 21 e 24 de maio. Contou com uma forte participação de especialistas internacionais, desde representantes da International Surf Association (isa), do International Paralympic Committee (ipc) a representantes de outras entidades de referência da Califórnia, do País Basco ou de Itália, nas áreas do surf, do surf adaptado e da sustentabilidade. Surf Performance & Paralympics; “WillPower”; Living a Life of Purpose; Accessible, Tourism and Sustainability foram as temáticas das quatro conferências que ajudaram a colocar este evento no mapa mundial do debate do futuro do surf. Este congresso registou a participação de aproximadamente duas centenas de pessoas e foi um êxito a nível de partilha de conhecimento e de boas práticas. Para José Renato Bentes, do Surf Clube de Viana, “o clube já cumpria habitualmente a maior parte dos requisitos desta certificação, mas ajudou-nos a agir, a definir de

forma consciente ações de promoção de sustentabilidade”. Afonso Teixeira, avaliador independente da stoke, afirmou que “o processo para se chegar à certificação, com o envolvimento

e a consciencialização de todos para o que é necessário para se ser sustentável, é o mais importante. A certificação, em si, é o reconhecimento do esforço realizado em todo esse processo”.

e  Tó Mané ©

Marcos Tapia vence o International Adaptive Surf Open No dia 21 de maio, realizou-se o International Adaptive Surf Open na categoria as4, na praia do Rodanho. Foi uma espécie de antestreia do EuroSurf Adaptive e também uma forma de colocar em competição atletas que haviam ficado fora do quadro principal deste 1º Campeonato Europeu de Surf Adaptado. Espanha esteve em destaque, com Marcos Tapia, campeão espanhol de as4, sempre em grande e a vencer naturalmente a competição e com Christians Marcos em 2º lugar. Na 3ª posição ficou o alemão Johannes Laing e na 4ª a havaiana Ann Yoshida, campeã mundial de surf adaptado.

5


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA VIANA SURF CITY FESTIVAL: CNSE + LG

NACIONAL SURF ESPERANÇAS

LUSO GALAICO

Mafalda Lopes e Gabriela Dinis sagram-se campeãs nacionais de surf esperanças em Viana

xxi Luso Galaico inova com sup Wave e alto rendimento

Mafalda Lopes e Gabriela Dinis sagraram-se campeãs nacionais de 2019 em Sub-18 e em Sub-16 respetivamente, na Finalíssima do Campeonato Nacional de Surf Esperanças, que teve lugar na praia da Arda, em Viana do Castelo, entre 31 de agosto e 1 de setembro.

Em ano de celebração do 30º aniversário do Surf Clube de Viana (scv), o Luso Galaico (lg), que se realizou, nos dias 14 e 15 de setembro, na praia da Arda, em Viana do Castelo, registou um recorde de inscrições, 91 atletas, um alto nível de surf, beneficiando da presença dos melhores surfistas do norte de Portugal e da Galiza e de boas ondas, excelente organização e ainda a introdução de uma nova modalidade: sup Wave.

Mafalda Lopes, da Associação de Surf da concretizar o objetivo que havia traçado: Costa da Caparica (ascc), revalidou o título “conquistar o lugar mais alto do pódio em de campeã Sub-18 conquistado anterior- Sub-16”. mente também em Viana do Castelo. Teve “Estou satisfeita por ter conseguido fazer uma prestação muito consistente e scores o meu surf e ter atingido o meu objetivo altos ao longo de toda a competição. Tanto neste campeonato que teve boas ondas”, no primeiro dia como no último, protago- avançou Gaby. nizou os scores totais mais elevados, 13.50 Benedita Teixeira, também da ascc, e 14.65 respetivamente. sagrou-se vice-campeã em Sub-16, com o “Estou super satisfeita com a minha pres- score de 9.55. tação e por ter sido bicampeã de Sub-18. Há “Este foi um bom campeonato, no qual muito que não tinha um campeonato tão consegui superar o meu objetivo. Tentei consistente”, referiu Mafalda. sempre manter-me ativa e fazer o máximo A sua colega de equipa, Matilde Passa- de ondas”, explicou. rinho, por uma diferença de 5.45 pontos, Ainda nesta categoria, Maria Chaves, do sagrou-se vice-campeã, seguida por Cons- Ericeira Surf Clube, e Constância Simões, tância Simões, do Clube Naval de Portimão, do Clube Naval de Portimão, ficaram na 3ª e por Gabriela Dinis. posição. Raquel Otero, atleta do Surf Clube “Cheguei esta sexta-feira a Portugal e fui, de Viana (scv), foi 7ª classificada em Sub-16. ao longo da competição, adaptando-me Esta prova, organizada pelo scv e pela ao fato e às ondas. Tendo culminado com Federação Portuguesa de Surf, contou com uma final bem disputada com uma amiga”, o apoio da Câmara Municipal de Viana do disse Matilde. Castelo, do Instituto Português do Desporto Gabriela Dinis, do Clube Lombos Praia, e da Juventude, da Fundação do Desporto, conseguiu, com um score total de 12.90, da Roxy, da Viana Segura e da Cabo d´Mar.

e  Tó Mané © C Mafalda Lopes

C Gabriela Dinis

Em Surf Open, que apresentou um alto nível ao longo de toda a competição, Sacha Garcia esteve em grande destaque ao conquistar o primeiro lugar, seguido do vianense João Crespo, de Tomás Arroja e de David. No Surf Feminino, a final, quase exclusivamente galega, foi muito disputada, tendo apenas 40 décimas separado a grande vencedora, Isa Gundín, da sua colega Martina Alvaréz. Em 3º lugar ficou Lola Bernúdez e Mariana Reis em 4º. Em Bodyboard Feminino, Letícia Flores Cruzeiro, com um score total de 11,83, venceu destacadamente, seguida de Sara Silva, de Luana Costa Ferreira e de Sara Alen de Chevarria. Joel Rodrigues foi a grande estrela do Bodyboard Open, com o score mais alto das finais, 12,07. Tendo também este resultado lhe valido um wildcard para o Pro Junior. Em 2º lugar ficou Alex Rico, à frente de Tiago Ferreira e de Uxio. Román Diez venceu destacado em Longboard, seguido por Tomás Arroja, por Eduardo Martins e por Mariana Gonçalves, ambos atletas do scv. Na estreante categoria de sup Wave também houve muita disputa, com Ângelo Bernardo a vencer, por uma diferença de 57 décimas, Eduardo Martins, que ficou à frente da colega de equipa Ângela Fernandes e de Pedro Break. Do scv competiram nove atletas. Além dos três já referenciados anteriormente,

destaque, em Surf Feminino, para o 5º lugar de Raquel Otero e para o 7º de Raquel Vale, e ainda, em Surf Open, para o 7º lugar de João Maria Pereira. Esta edição do LG, associada à celebração do 30º Aniversário do clube, abriu a sua participação à seleção de surf júnior galega, reforçando a cooperação existente com a Federación Galega de Surf (FGS). Também convidou os clubes diretamente ligados aos car Surf nacionais, materializando o 2º Meeting Nacional car Surf, que juntou a Associação de Surf de Aveiro (car Surf de São Jacinto) e o scv (car Surf Viana). Paulo Marcolino, diretor executivo da Fundação do Desporto, considera que “estes encontros e esta partilha de conhecimento são importantes para a evolução dos car, que apesar de terem valências e potencialidades diferentes têm objetivos comuns. O car Surf de Viana é um exemplo não só para os da modalidade mas para todos os outros, pois foi o que mais rapidamente conseguiu assimilar a ideia de modelo de gestão dos car e que a implementou”. O LG foi organizado pelo Surf Clube de Viana e homologado pela Federação Portuguesa de Surf e pela FGS. Teve o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo, do Instituto Português do Desporto e Juventude, da Xunta de Galicia, da Fundação do Desporto, da Quiksilver, da World Surf Cities Network, da Meo Beachcam, da Roxy, da Viana Segura e da Cabo d´Mar. e  Tó Mané ©

C Tarik Habjaoui

6


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA VIANA SURF CITY FESTIVAL: CAMPEONATO DO MUNDO DE BODYBOARD

VIANA — APB GRAND SLAM PRO JUNIOR Viana do Castelo marca o início de um grande movimento júnior no bodyboard mundial A excelente organização do Mundial de Bodyboard por Viana do Castelo nos últimos anos valeu-lhe, pelo segundo ano consecutivo, a responsabilidade de realizar o Viana World Bodyboard Championship, que atribuirá o título de campeão do mundo júnior 2019. As ondas da praia da Arda, no norte de Portugal, voltam a acolher os melhores bodyboarders juniores do mundo neste Pro Junior Grand Slam da Association of Professional Bodyboarders (APB) entre os dias 19 e 22 de setembro. Em jogo, além do título mundial, está o prize money de 10 mil dólares. A apb está entusiasmada por Viana do Castelo ser palco do primeiro Campeonato do Mundo de Bodyboard Júnior autónomo. “A competição do ano passado foi um êxito retumbante, mas os juniores tiveram um papel secundário em relação à competição Men. Este ano, no entanto, é tudo sobre os juniores. E temos jovens atletas vindos de todo o mundo com aspirações a serem o novo campeão do mundo júnior”, avança

Terry McKenna, world tour manager da apb. “Achamos que este é um momento marcante para o desporto e o início de um grande movimento júnior no bodyboard”, acrescenta. O Município de Viana do Castelo ficou para sempre ligado ao Circuito Mundial de Bodyboard por realizar, em 1994, a sua primeira prova fora do Havai. Também a organização que levou a cabo consecutivamente entre 2016 e 2018 foi considerada uma referência pela apb. Em 2019, o sétimo ano em que Viana do Castelo organiza provas do Mundial de Bodyboard, será escrita uma nova página histórica no bodyboard mundial.

O Viana World Bodyboard Championship tem organização do Surf Clube de Viana, em parceria com a apb e a Câmara Municipal de Viana do Castelo. Conta também com os seguintes apoios: Instituto Português do Desporto e Juventude, Fundação do Desporto, Federação Portuguesa de Surf,

e Campeões Pro Junior 2018 / Tó Mané ©

e Mike Stewart 2018 / Tó Mané ©

e Tó Mané ©

e Estrutura do Campeonato 2018 / Tó Mané ©

e Pierre-Louis Costes 2018 / Tó Mané ©

e Tó Mané ©

Marinha Portuguesa, World Surf Cities Network, Axis Hóteis, Delta Cafés, Silampos, Amorim Isolamentos, Science, Cunha Bastos, Viana Segura, Cabo d’Mar, Escola Superior de Desporto e Lazer - ipvc, Vava, Hospital Fernando Pessoa, A Aurora do Lima, Meo Beachcam e Corpo Europeu de Solidariedade.

7


SURF CLUBE DE VIANA

SHARK NEWS

CAMPEONATO DO MUNDO DE BODYBOARD: ENTREVISTA

ARMIDE SOLIVERES e  Tó Mané ©

Armide Soliveres vai “lutar para revalidar o título mundial” na praia da Arda

O canário Armide Soliveres, campeão de bodyboard de Espanha Sub-14 por duas vezes e campeão da Europa Sub-16, sagrou-se campeão do mundo júnior de bodyboard 2018 em Viana do Castelo. Continua a escolher esta modalidade por ser a única que o “faz desfrutar verdadeiramente”, mas confessa-se surpreendido por, na Gran Canária, terem dado pouca relevância ao resultado mundial que conseguiu em ondas vianenses. Regressa, agora com 17 anos, novamente à praia da Arda para tentar revalidar o título de campeão do mundo júnior, apesar de saber que “não será nada fácil” devido à qualidade dos adversários.

Depois de teres conquistado o título de campeão do mundo júnior 2018 em Viana do Castelo, quais são as tuas expetativas para o Viana World Bodyboard Pro Junior 2019? A minha expetativa é repetir o triunfo do ano passado. Vou lutar para revalidar o título mundial. Obviamente não será nada fácil porque os meus adversários são muito, muito bons. Vai ser complicado! Esta será a tua terceira competição em Viana do Castelo. Podemos dizer que já conheces bem as ondas locais? Considero as ondas parecidas. Mas, como é uma praia de areia, os fundos mudam. Por isso, não sei como serão este ano. Este ano, fizeste a tua primeira competição fora da Europa e também a tua estreia na categoria Men. Que balanço fazes desta época até agora? Tudo foi positivo nessa viagem. As conclusões que tiro é que eu gostaria de ser o mais profissional possível e fazer uma carreira neste desporto.

8


SURF CLUBE DE VIANA CAMPEONATO DO MUNDO DE BODYBOARD: ENTREVISTA

SHARK NEWS

e  Tó Mané ©

e Tó Mané ©

Quais são os teus objetivos a curto prazo? Como é ser bodyboarder na Gran Canária? Continuar a competir e conquistar os me- Tenho sorte por ter boas ondas, mas, como lhores resultados possíveis. disse antes, deram pouca relevância a haver quatro grã canários no top 10 mundial Júnior. Em termos de preparação, o que tens realizado e o que tens ainda planeado? Como é um dia habitual na tua vida de Eu continuo treinando duro. Agora, rodeei- bodyboarder? -me de um grupo de treinadores que me está Treino se posso. Estudo se tiver de estudar a ajudar na minha carreira. e, de resto, é uma vida muito normal. O título de campeão do mundo que oportunidades te trouxe? Para ser sincero, as únicas coisas que possibilitou foram algumas entrevistas, algum reconhecimento, mas nada mais. E eu esperava muito mais!

Podemos dizer que tens colocado os teus estudos em primeiro lugar? Quais são os teus principais objetivos a longo prazo? Desde sempre, o principal para mim foram os estudos. Gostaria de fazer carreira na universidade. Mas, como referi antes, também gostaria de ter uma carreira o mais longa que Quais são as principais dificuldades que conseguisse no mundo do bodyboard e poder tens enfrentado? ajudar este desporto a profissionalizar-se o Fiquei surpreendido com a pouca importân- mais possível. cia dada ao bodyboard, mesmo tendo sido campeão do mundo.

Quando e como o bodyboard surgiu na tua vida? Um dia, o meu pai apareceu com pranchas de bodyboard para mim e para os meus irmãos. Mas, com o tempo, eu fui o único dos três que continuou. Porque continuas a escolher o bodyboard? O bodyboard é o único desporto que me faz desfrutar verdadeiramente. Quais têm sido os apoios mais importantes que tens tido ao longo do teu percurso? São os que eu sempre tive: os meus pais e o Club de Surf Oleaje.

9


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA PROJETOS DE COOPERAÇÃO

O futuro do desporto outdoor acontece em Viana do Castelo

OUTDOOR SPORTS EURO’MEET (ENOS) www.euromeetviana2019.eu

Viana do Castelo é o primeiro município europeu do litoral palco do Outdoor Sports Euro’Meet. Com uma duração de três dias, este evento, que é a maior conferência europeia de desporto outdoor e de sustentabilidade, inicia-se já a 24 de setembro. O seu programa, que tem por palco principal o Centro Cultural de Viana do Castelo, é constituído por conferências, apresentações de posters, networking, workshops e 16 experiências outdoor, algumas inclusivas. Conta com mais de cinco dezenas de oradores, entre os quais conferencistas especialistas, oriundos de países como Reino Unido, Bulgária, Alemanha, Portugal, França, Espanha, Martinica, Dinamarca, Irlanda, Bélgica e Suécia, e apresentadores de posters da Eslovénia, Noruega, Estados Unidos da América, Reino Unido, França, Itália, Portugal, Grécia, Hungria e Países Baixos. As apresentações do 5º Outdoor Sports Euro’Meet são subordinadas a quatro temas principais: #BeActive, Be Healthy, Be Outdoors; Blue Growth; Urban Outdoor; e Inclusive Outdoor. Têm respetivamente como oradores principais: Ronaldo Gabriel, professor na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, especializado em biomecânica ecológica e investigador na área da vinculação de ecossistemas sustentáveis e saúde humana; Eric Banel, diretor-geral da Administração Marítima Francesa para o South of the Atlantic Ocean, especialista em gestão integrada de zonas costeiras, economia marítima e blue growth; Jacob Schouenborg, Secretário-geral da International Sport and Culture Association (isca), com uma vasta experiência no campo de desenvolvimento, capacitação, defesa e liderança e, atualmente, também a comandar a campanha global para a atividade física NowWeMove; e Joel Pereira, professor na Escola de Desporto e Lazer do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, especialista em desporto e lazer e investigador nas áreas de turismo de aventura, desportos outdoor e desportos e turismo inclusivos. François Beauchard, presidente da European Network of Outdoor Sports (enos), considera que a realização do Euro’Meet em Viana do Castelo, o seu primeiro palco litoral, “constituirá uma grande oportunidade e uma referência para o desenvolvimento do outdoor na Europa, pois dará especial destaque à análise das atividades costeiras”.

10

“A realidade e os desafios da náutica e das outras atividades outdoor de litoral precisam ser cuidadosamente avaliados: o domínio das práticas e o seu impacto, o desenvolvimento económico “Blue Grow” e também a importância dos desportos náuticos, como forma de educar e socializar gerações de jovens que têm vindo a perder o contato com a natureza. Neste contexto, esta edição do Outdoor Sports Euro’Meet, tal como as anteriores, permitirá intercâmbios frutuosos sobre o desenvolvimento do outdoor na Europa e, particularmente, na região litoral”, explicou. Segundo o presidente da enos, Viana do Castelo também se destaca por ser “uma comunidade exemplar no panorama europeu das atividades náuticas, pois soube desenvolver, em parceria com outras entidades, projetos de êxito direcionados à sua geração mais jovem”. José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, explica “através do investimento que temos feito na Náutica nas Escolas, temos assistido a um desenvolvimento sustentado das mo-

“Queremos promover um concelho amigo do desporto, do ambiente e de hábitos de vida saudáveis, pelo que acolher o Euro’Meet faz todo o sentido. Será uma oportunidade ímpar de partilha e de aprendizagem.” — José Maria Costa

dalidades de surf, de remo, de canoagem e de vela. Acreditamos que este projeto pode ser inspirador para outras localidades, já que chega atualmente a 2.226 estudantes do 2º e 3º ciclos. Temos também patinagem no pré-escolar, atletismo nas escolas e natação no 1º ciclo”, acrescentando “queremos promover um concelho amigo do desporto, do ambiente e de hábitos de vida saudáveis, pelo que acolher o Euro’Meet faz todo o sentido. Será uma oportunidade ímpar de partilha e de aprendizagem”. Esta 5ª edição está acreditada, pelo Instituto Português do Desporto e Juventude,

como formação contínua para treinadores, componente de formação geral. Também está certificada, pela Escola Superior de Desporto e Lazer, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, para professores, de todos os graus de ensino, das áreas de Desporto/ Educação Física. O Euro’Meet será antecedido pela realização, no próximo dia 23, da abertura nacional da Semana Europeia do Desporto, que entre os seus embaixadores tem a vianense Marta Paço, que com apenas 14 anos sagrou-se também em Viana do Castelo a 1ª campeã europeia em asvi Ladies.

As inscrições para esta conferência internacional, cujas recomendações também servirão de orientação para a Comissão Europeia, estão disponíveis no website do evento (www.euromeetviana2019.eu). O 5º Outdoor Sports Euro´Meet é organizado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, pela enos, pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, pela Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, pela Escola Superior de Desporto e Lazer e pelo Surf Clube de Viana.


SURF CLUBE DE VIANA

SHARK NEWS

PROJETOS DE COOPERAÇÃO

scv dinamiza voluntariado nacional

scv mantém aposta no Voluntariado Europeu EUROPE SURFING SOLIDARITY https://europa.eu/youth/solidarity_pt

“EUROPEAN SURFING VOLUNTEER” (ESV)

Em termos de voluntariado nacional, o Surf Clube de Viana (scv) conta, atualmente, com quatro jovens ao abrigo de duas ações promovidas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude. Dois deles, Miguel Silva e Bianca Rodrigues, estão enquadrados na ação de voluntariado jovem Geração Z, ao abrigo do Programa Agora Nós, projeto Surfing Z. Apoiam, no clube, o planeamento, organização e promoção das atividades desportivas e a promoção do turismo náutico e desportivo, associado à prática do surf. Mariana Gonçalves e Anastasia Bezpalaya são voluntárias ao abrigo do programa otl Longa Duração. O Surf 4 all, que incide na vertente de planeamento, organização e promoção das atividades des-

portivas do scv, é dinamizado por Mariana Gonçalves e o Surf Sustentável, focado na sensibilização ambiental, é dinamizado por Anastasia Bezpalaya. Nestes projetos de voluntariado, que se iniciaram a 28 de junho último e vão terminar a 30 de setembro, o clube vianense tem também por parceiras a Federação Portuguesa de Surf, a Associação Cultural e de Educação Popular (acep) e a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (appacdm). Tendo em conta o grande volume de atividades que o scv desenvolve, sobretudo no período de verão, conta ainda com a colaboração de André Cruzeiro, André Afonso, João Rodrigues e Raquel Vale.

Está em curso a 3ª edição do programa de Voluntariado Europeu jovem pelo Surf Clube de Viana (scv). Trata-se do projeto Europe Surfing Solidarity no âmbito do European Solidarity Corps, uma iniciativa da União Europeia lançada em dezembro de 2016. Tem por principais objetivos a promoção da solidariedade europeia, da interculturalidade, aprendizagem de uma nova língua pelos voluntários, aquisição de novas competências pessoais, sociais, culturais, cívicas, ambientais e desportivas, com reflexos práticos na sua vida ativa. A primeira fase deste projeto está a ser implementada através de outros programas já existentes, como o Erasmus+ e o Serviço de Voluntariado Europeu (sve). Nesta edição, que se iniciou no passado dia 11 de agosto e irá prolongar-se até 31 de julho de 2020, o clube recebe dois voluntários, um da Alemanha e outro de Itália, tendo por entidades parceiras a Experiment e.V. e a Associazione Inco-Molfetta. A edição anterior no âmbito do sve, com duração de sete meses, integrou os voluntários Marco Ficini de Itália e a alemã Constanze Gessendorfer, que consideraram esta experiência “incrível”, “inesquecível” e “enriquecedora”.

Para o jovem italiano advogado Marco Ficini esta foi mesmo uma das melhores experiências que já teve e que o terá levado a realizar um mestrado em Gestão Turística, pois, beneficiando da experiência adquirida, pretende abrir um hostal.

Seminário boss acontece em Viana COOPERAÇÃO INTERNACIONAL: “BENEFITS OF OUTDOOR SPORTS FOR SOCIETIES” (BOSS) http://outdoorsportsbenefits.eu

No âmbito do Projeto Benefits of Outdoor Sports for Societies (boss), o Surf Clube de Viana será a entidade anfitriã do seminário no qual será realizado um balanço da fase de teste e uma análise dos resultados obtidos. Próximos do encerramento do boss, no qual o Programa “Náutica nas Escolas” foi protagonista, este seminário terá lugar já a 23 de setembro, marcando o arranque da semana do Outdoor Sports Euro’Meet e facilitando também aos seus participantes o acesso a esta importante conferência internacional. Este projeto, desenvolvido pelos parceiros da European Network of Outdoor Sports (enos), é financiado pelo Erasmus+ Sport. O seu objetivo geral centrou-se em criar uma metodologia que permitisse medir o valor social dos desportos oudoor com o intuito de incrementar a sua participação. Isto porque, apesar do impacto económico do desporto ser cada vez mais evidente, não existia um método de cálculo compartilhado para avaliar os benefícios sociais dos investimentos no desporto em geral e no campo dos desportos outdoor em particular.

11


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA ENTREVISTA

RENATO BENTES

“Viana do Castelo tem muito potencial para ser destino turístico para a prática de desportos outdoor” Renato Bentes, técnico-desportivo do Surf Clube de Viana, está a terminar a tese de mestrado, intitulada: “Nature sport tourism resource inventory”. Incide numa análise do potencial de Viana do Castelo como destino turístico para a prática de desportos outdoor, que conclui ser muito. Considera que “uma das suas principais vantagens é ter uma grande diversificação da oferta de desportos outdoor que, aliada a um conjunto de recursos naturais e a infraestruturas, como os centros náuticos e o car Surf, pode ser aproveitada, de uma forma multifacetada, para a criação de novos produtos turísticos”.

Nome: José Renato Bentes Idade: 30 anos Localidade: Natural de Vila do Conde e a residir em Viana do Castelo Escolaridade: A terminar o mestrado na Universidade de Desporto de Colónia, Alemanha Ocupação profissional: Técnico-desportivo no Surf Clube de Viana (scv)

esta licenciatura, dei aulas de surf, trabalhei também na área de mountain bike e escalada. Depois de vários anos de experiência a trabalhar em desporto outdoor, decidi fazer o mestrado em desporto e turismo e gestão de lazer, na Universidade de Desporto de Colónia. A minha intenção era compreender melhor o mercado e o que se poderá fazer na área do turismo ligado ao outdoor. Estou a terminar a tese.

Como surgiu a tua ligação ao scv? Apesar de já conhecer o clube, a ligação aconteceu através do meu professor na Alemanha, o Edwin Jakob. A estudar em Colónia, contactei com este professor que conhecia o João Zamith e, por intermédio desta ligação, vim para o scv. Primeiro, organizámos algumas viagens para estudantes de desporto. Depois, comecei a participar noutros projetos e, mais recentemente, comecei a trabalhar cá a tempo inteiro. Tudo o que aqui faço, dar aulas numa vertente mais turística, treino, organização de eventos, investigação, está ligado ao surf. É um trabalho de sonho!

Em que consiste o teu projeto de mestrado e que conclusões podes avançar? Consiste numa análise do potencial do desenvolvimento turístico de Viana do Castelo como um destino para a prática dos desportos outdoor. A ideia-chave é perceber como com os desportos outdoor existentes, com especificidades muito particulares, poderá ser criada uma estratégia integrada, uma marca, para o desenvolvimento destes desportos na vertente turística. Inclui um levantamento dos recursos naturais e das infraestruturas para a sua prática, possibilitando uma estratégia de desenvolvimento, tendo Viana como centro, e na qual se tenta rentabilizar da melhor forma esses recursos para o turismo. Assim, também faço uma análise dos pontos fortes e fracos existentes e recomendações para o seu desenvolvimento. Viana do Castelo tem muito potencial para ser destino turístico para a prática de desportos outdoor. Uma das suas principais vantagens é ter uma grande diversificação da oferta de desportos outdoor que, aliada a um conjunto de recursos naturais e a infraestruturas, como

Estás a realizar um mestrado na Alemanha. Como surge no teu percurso? Estudei engenharia eletrotécnica durante 3 anos na Universidade do Porto e, ao fim desse tempo, apercebi-me que queria outra coisa. O que gostaria era de estar, de alguma forma, ligado ao desporto, estar mais ao ar livre. Nessa altura, mudei para desporto e licenciei-me na Universidade do Porto. Durante e após

12

os centros náuticos e o car Surf, pode ser aproveitada, de uma forma multifacetada, para a criação de novos produtos turísticos. Estas infraestruturas específicas poderão ser um ponto-chave no desenvolvimento do desporto outdoor turístico. Mas, algumas valências na região estão subaproveitadas, como os trilhos de montanha. Também há espaço para serem criados eventos com uma dimensão recreativa mais acentuada, trazendo, de forma massificada, mais gente e contribuindo para o aumento da visibilidade de Viana como destino turístico. O treino desportivo no desporto adaptado também pode ser diferenciador. O facto de estares ligado ao scv e ao car Surf foi facilitador do desenvolvimento deste projeto? O scv foi uma mais valia, pois já está inserido em muitos projetos em termos turísticos e é muito conhecido. Abriu-me a possibilidade de usar um leque vasto de contactos. Antes, já tinhas ligação ao surf ? Os meus pais são professores de educação física e, desde cedo, pratiquei muitos desportos. Estive no basquete, na natação, fiz ginástica de alta competição, estive na seleção nacional até aos 14 anos, fiz vela... Sempre tive uma forte ligação ao mar. Com 6 ou 7 anos já fazia bodyboard e depois surf. Há mais de 10 anos que dou aulas de surf e isso influenciou-me a querer seguir a área de desporto e turismo. Que perspetivas tens para o futuro? Ajudar o clube a desenvolver-se e dar tudo para que continuemos a ter sucesso.


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA ENTREVISTA

RAQUEL OTERO

“Sinto-me muito bem quando estou no mar”

e  Tó Mané ©

Raquel Otero, atleta do Surf Clube de Viana, tem dado nas vistas no surf nacional. Esta época, conquistou dois títulos regionais: campeã Sub-16 e campeã Sub-18, participou no Pro Junior e mantém-se a disputar o Rip Curl GromSearch, no qual pretende “ser campeã”, conquistando, assim, a entrada na finalíssima mundial. O que a move é querer dar sempre o seu melhor no seu desporto de eleição. Nome: Raquel Otero Idade: 16 anos Localidade: Viana do Castelo Escolaridade: Vai frequentar o 11º ano Patrocinadores/apoios: Marcelo Neto é o seu shaper, Mr. Candy Açai, Kailua Biquinis e Surf Clube de Viana Quando e como surgiu o surf na tua vida? O meu pai já era surfista antes de eu nascer. Desde muito pequena, ele já me levava para surfar. Mas, foi mais a partir dos 12/ 13 anos que comecei a dedicar-me mais a sério ao surf.

e  SCV ©

Porquê esta modalidade?

Já pratiquei muitos outros desportos. Sempre gostei de todos, mas com o surf acho que é diferente. Consigo conetar-me com a natureza e sinto-me muito bem quando estou no mar. Por isso, continuei.

Gostas do que sentes quando estás a competir? Sim. Competir é uma parte diferente do surf. Há muita adrenalina. Tentar dar o meu melhor, independentemente das condições, é a parte que mais gosto.

Quais são os teus objetivos para a final europeia Rip Curl GromSearch? Os meus objetivos são ser campeã e dar o meu melhor, independentemente das condições.

Dos resultados que já atingiste, até agora, quais são para ti os mais importantes? Fiquei muito feliz com os títulos de campeã regional Sub-16 e Sub-18. Este ano, também fui campeã santista, a minha cidade.

Quais achas que são as tuas maiores dificuldades no surf ? São alguns limites e medos da minha cabeça.

Como te sentiste por teres conquistado estes títulos? Foi uma sensação de missão cumprida, pois estes dois títulos eram o meu foco inicial. Que balanço fazes desta época? Acho que nesta época, com muito treino, evoluí e aprendi muito, pois ultrapassei alguns limites e medos que tinha e, em simultâneo, consegui atingir resultados.

Tens alguém que seja uma referência para ti? Sim. Marcos Corrêa, um amigo meu. Também sou fã dele. Para mim é um exemplo de dedicação e superação. Objetivos para a próxima época? Pretendo continuar a dar o meu melhor. Ser campeã regional Sub-18 e, na Finalíssima de Esperanças, disputar a final. Objetivos a longo prazo? Gostaria de lutar pelo título europeu júnior. O que dirias a quem está a começar? Acho que o surf implica persistência e muita dedicação, mas, se for este o desporto do qual gostam, não devem desistir.

13


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA ENTREVISTA

JOÃO MARIA PEREIRA

“Gosto da adrenalina quando estou a competir” e DR

João Maria Pereira, atleta do Surf Clube de Viana (scv), é uma jovem promessa do surf português. Em 2019, sagrou-se campeão regional de surf Sub-16, um escalão acima do seu, e vice-campeão regional em Sub-14; disputou o Pro Junior; após ter vivido a alegria de ganhar a 1ª etapa do Rip Curl GromSearch em Sub-14, com um score de 15.07 e a onda mais alta do campeonato (9), conseguiu classificar-se para a final europeia desta competição. Tudo numa época que considera de “sucesso”.

e  Tó Mané ©

Nome: João Maria Pereira Idade: 14 anos Localidade: Viana do Castelo Escolaridade: Vai frequentar o 9º ano Patrocinadores/apoios: Onda Wetsuits, Surf Clube de Viana, Cabo d’Mar, Viana Surf, Xlife Surfschool e Spo Surfboards

Quando e como aparece o surf na tua vida? O meu pai tem uma escola de surf e sempre me incentivou a surfar. Mas, foi a partir dos 12 anos que comecei a treinar mais. Porquê o surf ? É uma modalidade que me foi mostrada várias vezes e eu sempre gostei. Já pratiquei também basquete, ténis e natação. Como surgiu a tua ligação ao scv? O meu pai sempre esteve associado ao Surf Clube de Viana. Fomos sempre amigos do clube. Gostas do que sentes quando estás a competir? Gosto do que sinto. Gosto da adrenalina quando estou a competir. Gosto de ter de fazer jogadas mentais. Como foi conquistares o título de campeão regional Sub-16, após já te teres sagrado vice-campeão regional em Sub-14? Senti que consegui alcançar um resultado que estava à procura. Foi importante para mim, pois era o resultado que necessitava aqui no norte e que me deu o apuramento para o Europeu. Consegui, assim, alcançar os objetivos que esperava. Inicialmente, estava confiante e pretendia fazer o meu melhor, mas não sabia como me iriam correr as provas. Que balanço fazes desta época? Esta foi uma época de sucesso, na qual consegui alcançar os meus objetivos. Estou muito feliz por isso! Desde que praticas surf, tens alguma recordação mais especial? Em termos de resultados, o mais importante foi ganhar a 1ª etapa da Rip Curl GromSearch 2019 em Matosinhos, no Porto. Foi um momento muito feliz e também emocionante, pois é uma prova muito difícil.

14

Em termos de resultados, o mais importante foi ganhar a 1ª etapa da Rip Curl GromSearch 2019 em Matosinhos, no Porto. Foi um momento muito feliz e também emocionante, pois é uma prova muito difícil. Tens alguém que seja a tua referência? Não tenho uma referência. Tenho um surfista preferido: o Gabriel Medina. Apesar do surf dele não ter a ver com o meu, inspiro-me nele para fazer manobras. Que dificuldades costumas encontrar no surf ? As maiores dificuldades são os treinos, que se tornam difíceis, quando as condições estão más. Acho também que os meus colegas de competição da zona de Lisboa, por exemplo, como são em maior número, têm mais incentivo para surfar. Objetivos para a próxima época? Ser campeão regional de Sub-16 e esforçar-me para alcançar o melhor resultado possível em Sub-18. Depois, a nível geral, tentar dar o meu melhor em todas as outras competições.

Objetivos a longo prazo? Penso que, a longo prazo, os meus objetivos não são tão relacionados com surf de competição mas mais com surf de diversão. Se a vida me permitir, gostaria de fazer muitas viagens e, principalmente, divertir-me com os amigos a surfar. É difícil gerires o surf com os estudos? Dou sempre prioridade ao estudo. É um pouco difícil conciliar as duas coisas. Mas, quando se é atleta, ainda é mais fácil de nos concentramos no estudo, pois somos obrigados a gerir bem o tempo para conseguirmos alcançar os resultados também na escola. O que dirias a quem está a começar no surf ? Tenham muita paciência. Leva tempo a aprender e a melhor. Mas, depois de conseguirmos evoluir, é um desporto muito divertido.


SHARK NEWS

SURF CLUBE DE VIANA CLOSE-OUT

GUILHERME BASTOS

Ex-Presidente da Federação Portuguesa de Surf

O Surf Clube de Viana faz 30 anos!

Logo nos primeiros tempos, o Clube atingiu os 500 sócios. Toda a gente queria fazer parte e colaborar neste projeto. Tornou-se, rapidamente, numa referência nacional e internacional. Um orgulho. Éramos reconhecidos! Quanto a mim, fui atleta, trabalhador e dirigente. O clube deu-me ensinamentos, deu-me experiência e principalmente deu-me oportunidades. Por mais que eu dê ao clube, nunca será igual ao que recebi. Em tempos, enquanto presidente da Federação Portuguesa de Surf, perguntaram-me o que me fazia dedicar desta forma ao Surf e ao dirigismo. Respondi: a gratidão. Foi a forma que arranjei de retribuir o que tinha recebido. Durante a minha adolescência, o clube deu-me orientação, objetivos e ensinamentos, pro-

e  Juliana Calheiros ©

Lembro-me de me ter inscrito no clube, tinha 14 anos. Foi uma excitação! Documentos, fotografia, ficha e dinheiro para as quotas. E convencer os pais!...

tegendo-me de qualquer tentação, menos boa, típica da idade. Durante a idade adulta, deu-me conhecimento, visão e “saber-fazer” para que na minha profissão e na vida pessoal pudesse ser cada vez melhor. Agora, o Clube continua-me a dar. Dá-me prazer, gosto, amizade e esperança. Para mim e para a minha família. É de todo impossível falar do Clube com alguma distância, pois é, foi, e será parte da minha vida. O que aqui descrevo, tenho a certeza, também é sentido por todos aqueles que de certa forma estiveram ligados a esta instituição. E isto tudo acontece sendo “apenas” um Clube de Surf. Muitos Parabéns e muito obrigado Surf Clube de Viana! Guilherme Bastos

“Logo nos primeiros tempos, o Clube atingiu os 500 sócios. Toda a gente queria fazer parte e colaborar neste projeto.”

EM AGENDA Atividades SCV

SETEMBRO

OUTUBRO

19 a 22........ Viana World Bodyboard Championship (APB Grand Slam Pro Junior) 23................ BOSS General Meeting – CAR Surf 23................ European Week of Sport #BeActive 24 a 26........ 5º Outdoor Sports Euro´Meet

10 e 11........ XI International Forum on Elite Sport (Barcelona) 14 e 15........ Rip Curl GromSearch – 3ª Etapa (Peniche) 19 e 20........ Circuito Nacional BB Esperanças – 3ª Etapa (Póvoa de Varzim)

DEZEMBRO ISA World Adaptive Surfing Championship (Califórnia) 14 e 15........ Training Camp Natal – CAR Surf 14/15........... Circuito Surfing Viana – 4ª Etapa

NOVEMBRO 2 e 3............ Circuito Nacional Bodyboard Esperanças – 4ª Etapa (Carcavelos) 22, 23 e 24.. International Annual Meeting WSCN (Santos)

15


Fotografia: Tó Mané www.tomanephotos.com © / Bodyboarder: Pierre-Louis Costes / Praia da Arda @ Viana do Castelo / Design: Afonso Designers

Profile for Surf Clube de Viana

Shark News 12 - 2019  

Shark News Nº 12 Setembro de 2019 Edição: Surf Clube de Viana

Shark News 12 - 2019  

Shark News Nº 12 Setembro de 2019 Edição: Surf Clube de Viana

Advertisement