Page 1

A primeira vez que eles viram Truffaut

Há quem diga que o primeiro Truffaut está para os cineastas assim como o primeiro sutiã está para as meninas: o primeiro a gente nunca esquece. Na edição de fevereiro, mês que marca 80 anos do nascimento do diretor, a Continente abordou o legado do francês e sua influência no cinema contemporâneo. Para entender um pouco do que será mostrado na matéria, confira abaixo depoimentos dos cineastas pernambucanos entrevistados falando sobre o primeiro filme de François Truffaut que eles assistiram.

Kleber Mendonça Filho “O primeiro que eu vi de Truffaut é o primeiro dele, Os incompreendidos.

Eu vi esse filme na televisão quando morava na Inglaterra. Eu devia ter uns 15 anos, e não conhecia a história do realizador. Ele me marcou bastante porque é um filme muito bom e eu vi de uma maneira muito pura. Não estava preparado para ver um clássico, então eu nunca esqueci, mas não sabia o nome do filme. No início dos anos1990 eu vi uma foto que eu achava que era o filme. Comprei uma obra importada. E não parei mais de ver. Em 1998, eu havia acabado de entrar na Fundação Joaquim Nabuco e organizei com meus amigos uma mostra que contemplava toda a filmografia dele. Foi um sucesso.”

Luiz Otávio “O primeiro filme de Truffaut que eu vi foi na televisão, na TV Cultura: Jules e Jim: uma mulher para dois. Eu devia ter uns 18 anos. Antes, eu já tinha visto em VHS um filme que era baseado em um roteiro dele e já devia ter lido algo sobre ele também. Então quando vi Jules e Jim já sabia um pouco sobre ele. Mas não lembro exatamente o que eu achei. Contudo, depois teve uma mostra no Cinema da Fundação que foi quando eu vi quase todos os filmes dele. O primeiro que eu vi no cinema foi Beijos roubados e lembro de ter saído da sala com uma sensação muito boa.”

| continente fevereirO 2012 |


Marcelo Gomes “O primeiro filme de Truffaut que eu assisti foi o Último metro. Fiquei fascinado. Em seguida, passamos vários filmes no cine clube que eu organizei com amigos da faculdade, em Recife. Exibimos A mulher do lado, Jules e Jim, A noite americana, Fahrenheit 451 e o mais célebre de todos: Os incompreendidos. Truffaut era cinéfilo e tinha seu próprio cineclube, eu comecei em cinema com um cineclube em Recife. Uma coincidência sim, mas também esse fato reflete nos meus filmes.”

Leonardo Lacca “Não lembro bem qual foi o primeiro filme dele que assisti na vida. Talvez tenha sido A noite americana. Mas a primeira vez que vi um filme dele no cinema foi no Rio de Janeiro, no CCBB. Foi marcante demais. Vi Os incrompreendidos em 35mm. Pela primeira vez assisti a um filme de verdade.”

Marcelo Loderllo “Eu lembro que eu tinha uns 17 anos e teve uma mostra no Cinema

da Fundação. Lembro que passou O homem que amava as mulheres, Beijos roubados e todos os outros. Mas o que mais que marcou foi mesmo Os incompreendidos. Fiquei abismado com a história que o filme contava. É um personagem que parece perdido, mas na verdade, ele sabe muito bem o que quer. E a maneira de filmar de Truffaut, mostrando Paris, suas ruas, naquele neorrealismo, me encantou profundamente.”

| continente fevereirO 2012 |

A primeira vez que eles viram Truffaut  

Saiba mais sobre a influência do francês no cinema pernambucano.