Issuu on Google+

ONDE NASCEM OS PRODUTOS: COMO E POR QUE TER UM SETOR DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. Pág. 138

NÚMERO 21 • PREÇO R$ 9,99 ISSN 2176-5553

N 9 772176555004

NESTA EDIÇÃO

TRADINGS As empresas que conhecem os caminhos da importação e exportação.

BENEFÍCIOS FISCAIS Como fica SC com a unificação do ICMS interestadual.

FILIAIS ESTRANGEIRAS O dia a dia nas companhias internacionalizadas. E MAIS: • SOFTWARES • PORTOS • CHINA

| Ivo Antônio Mafra, da DC Logistics. Necessidade do contratante guia estudo logístico.

DE OLHO EM

TUDO

ESTAR ATENTO A CADA ETAPA DOS PROCESSOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO É MAIS DO QUE OBRIGAÇÃO PARA QUEM PRESTA ASSESSORIA DE COMÉRCIO EXTERIOR. MAS O QUE DE FATO DEVEM CONHECER?

PÁGINA 80


TECNOLOGIA

ELES VÊM PARA AJUDAR

Menotti Antonio Franceschini Neto, da Softway, Edson Luiz da Silva, da Aberta Informática, e Gilsinei Hansen, da Totvs. Em comum, eles têm o fato de lidarem com sistemas computacionais que ajudam a gerenciar os processos de importação e exportação. Os softwares que produzem, na realidade, já saíram do nível operacional e partiram para o estratégico, já que liberam colaboradores de atividades burocráticas. Página 126

A ORIGEM DE TUDO A Rota da Seda foi um elo entre antigas civilizações da Ásia, África e Europa, sendo uma das maiores propulsoras da intercomunicação entre os continentes – tudo por conta do desejo de comprar da China esse tecido até hoje tão apreciado. Como só os chineses sabiam produzir seda e a demanda era crescente, os governos investiram em maneiras de tornar mais fáceis os meios de chegar até a Ásia. Assim, surgiu uma verdadeira revolução no que se refere a infraestrutura e treinamento de mão de obra para os padrões da época. O anseio por compra e venda entre países naquele Nações cresceram e tempo foi um dos princievoluíram graças ao pais motivadores do desenvolvimento das nações, desejo de manter algo que permanece ainda Estradas e portos são relações comerciais hoje. construídos para facilitar com outros países. importações e exportações, por exemplo. Infraestrutura, porém, não é suficiente sem um gerenciamento eficaz de cada etapa da viagem trilhada pelos produtos “nascidos” em um país e transportados para outro. Esse assunto está estampado na capa desta edição. A reportagem apresenta empresas cujo negócio é controlar prazos de entrega, disponibilidades de matérias-primas, cotações de moedas e, entre outros, meios de transporte. Em cada processo, um mundo de variáveis, e em cada variável dúzias de possibilidades. Encontrar equilíbrio em todas elas pode ser a diferença entre um negócio sustentável e uma oportunidade frustrada – algo que não muda com o passar dos anos. Fernando Brüning, diretor de redação

Diretor de Redação • Fernando Brüning - 02264 JP - redacao@supernovaeditora.com.br - Gerente de vendas • Sidinei Duarte - sidinei@ supernovaeditora.com.br - Planejamento e Marketing • Bruno Henrique Rodrigues Romão - Supervisora de redação • Letícia Wilson. Colaboraram: Daniel Cardoso, Pedro Machado, Vanessa Hauser, Gabriel Guedes, Geraldo de Cesaro, Milena Nandi, Josiane Wunsch, Laís Pereyra Flores e Matheus Pera. - Diagramação e criação • Andrezza Nascimento e Francisco Badin - Coordenador de fotografia • Ronald T. Pimentel - Circulação e assinatura • Júnior Nascimento - assinatura@supernovaeditora.com.br - Representantes comerciais • Douglas Rubens Jahn, Flavio Rocha, Vitor Andrade, Chico Souza, Eduardo Nunes Nogueira, Patrícia Diniz Sposito, Mirela Leite Fragoso, Valdir Silva de Souza, Joaquim Barros, Mario Silva, Thiago Bittencourt, Eliomar Santos da Costa, Antônio Francisco Almeida, Paulo César da Silva, Sandra Dias Góes - Sucursal Florianópolis • floripa@negociosempreendimentos.com.br - Sucursal Tubarão • tubarao@negociosempreendimentos.com.br - Sucursal Criciúma • criciuma@ negociosempreendimentos.com.br - Sucursal Balneário Camboriú • b.camboriu@negociosempreendimentos.com.br - Colaboradores • Mércia Paiva da Silva, Helena Pinheiro Lemos, Uriel Pereira Climaco, Adriana Meirer, Jackson Fadini Toledo, Laura Cunha, Cléia Souto Grosso, Jair Simões, Bruno Pádua de Almeira, Camila Felippo, Renata Maia, Hermes Barcelos Cunha, Roberto Antunes, Fátima Veira da Rosa, Regina Alves, Ivo Neri Agnol, Alessandro Pinheiro Sá, Régis Ramalho, Emílio Cavalheiro, Audria Ximenes, Jhonathan Gonçalves de Mello. - Correspondência • Comentários sobre o conteúdo editorial, sugestões e críticas. - redacao@supernovaeditora.com.br - Rua Fritz Muller, nº 50 - edifício Praia Bela, 6º andar - Coqueiros, Florianópolis - SC - CEP 88080-720.

2

N www.negociosempreendimentos.com.br www.twitter.com/negociosempreen www.facebook.com/negociosempreendimentos Florianópolis: (48) 3029.0300


A COMPRA DE UMA SENSAÇÃO Por mais que você contrate serviços de segurança e vigilância eletrônica, nunca há como saber se de fato está totalmente protegido. Mas as inovações apresentadas na matéria com certeza farão com que a sensação de segurança seja mais consistente. Tiago Sullivan - Florianópolis/SC

Contra a violência e o crime eu aposto muito na tecnologia. Ela já nos auxiliou

em diversos aspectos, como os sistemas seguros de internet banking que temos hoje, e vai nos ajudar ainda mais. Jean Francesco da Silva - Curitiba/PR

O pior de tudo é que sempre vai haver mercado para essas empresas. É raro encontrar notícias de que o crime esteja diminuindo em grande escala. Willian Machado - Balneário Camboriú/SC

Foto: Carol Lancelloti/Divulgação

EIRELI Eu concordo com o senador Paulo Bauer sobre a exigência de 100 salários mínimos para constituição de Eireli (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada). Isso só vai criar repulsa à nova legislação. Caroline Pera - Tijucas/SC

O Eireli foi a melhor coisa que poderia ter acontecido no que se refere a sociedades empresariais. Temos a chance de acabar com os milhares de sócios fantasmas do Brasil, que contribuem ainda mais para a “burrocracia”. Vinícios Munier - Joinville/SC

Foto: Diego Redel/Divulgação

| Desfile da Coca-Cola Clothing realizado em São Paulo. Peças são fabricadas em Jaraguá do Sul.

| Paulo Bauer, senador. Político apresentou projeto de lei para eliminar a exigência de aporte mínimo na modalidade Eireli.

AS ISOS

COCA-COLA PARA VESTIR

Quando eu ouvi falar pela primeira vez em ISO 9000, achava que era só mais uma forma de algum órgão internacional ficar controlando a gente. Contudo, percebo hoje que não é assim, e há realmente ganhos, como aumento da qualidade de produtos e diminuição do desperdício.

Mais uma surpresa boa que a revista me traz. Muito legal saber que as roupas da marca Coca-Cola são feitas em solo catarinense. Mas essa proximidade não deveria nos proporcionar preços menores?

Marcos Passeggio - Criciúma/SC

REDUÇÃO NA CONTA

Ainda acho que padronizações demais tendem a apenas engessar uma empresa. Claro que precisamos de organização, mas ter regras para cada mínima coisa é falta de foco. Aline Martins dos Santos - Içara/SC

Gabriel Oliveira - Jaraguá do Sul/SC

É fato que a energia vai baixar e a gasolina vai aumentar. Até aí tudo bem, mas as reações do povo têm sido muito estúpidas. Dá para ver que são pessoas que eram bebês de colo quando Collor governava. Thulio Cavalcanti - Itajaí/SC

www.negociosempreendimentos.com.br

3


NESTA EDIÇÃO

COMER, Os restaurantes especializados GOSTAR mostram como, literalmente, estão E LUCRAR fidelizando o cliente pela boca.

54 RADAR DO EMPREENDEDOR

16

Resultados de 2012, metas para 2013 e reposicionamento de marca. O ano começou acelerado para as empresas catarinenses.

RAIO X

22 32

Librelato Implementos Rodoviários traz detalhes do planejamento de expansão que envolve até mesmo a busca por um parceiro na Europa.

AGRONEGÓCIO Santa Catarina nunca produziu tanto milho, mas ainda assim sofre com a crise do abastecimento do grão, que não chega em quantidade suficiente.

A ARTE DE COPIAR

38

NO ENCALÇO A indústria calçadista parte em busca de meios para conter os males do setor, algo que passa por investimento em valor agregado aos produtos.

UM DESAFIO PARA A EXPEDIÇÃO

A Marithimu’s produz frutos do mar em conserva, cresceu no Estado e almeja o mercado nacional. Falta, agora, equilibrar produção e logística. Página 24

Chef Vitor Gomes, do restaurante Ponto G. “Interesse das pessoas por gastronomia tem aumentado muito”.

Foto: Ronald T. Pimentel

Foto: divulgação Marithimu’s

46

Os resultados atingidos pelas empresas podem ajudar na melhoria de outras através de benchmarking, há muito conhecido e aprovado.


REVISTA BIMESTRAL – ANO 3 – Nº 21 – 15 DE FEVEREIRO DE 2013

A FORÇA DOS PORTOS

80

POR DENTRO DE TUDO

88

SÃO ELES QUE RESOLVEM

96

“MI VECINO”

Um retrato da estrutura portuária das cidades de Itapoá, São Francisco do Sul, Itajaí, Navegantes e Imbituba.

Eles cobrem diversas áreas dos caminhos que fazem os produtos importados e exportados, e contam no que é preciso ater-se.

Assessorias de comércio exterior têm aumentado suas áreas de atuação ao absorverem a gestão aduaneira dos clientes.

Fazer negócio com empresas situadas nos países vizinhos do Brasil pode trazer bons frutos. Mas quais países reservam as melhores oportunidades?

ENDOMARKETING Empresas do Estado têm investido nessa ferramenta e colhido bons frutos. Mas deve ser feito pelo RH ou pelo setor de marketing?

102

O BRASIL APÓS A UNIFICAÇÃO

112

A CHINA AINDA SEDUZ

118

COM UM PÉ FORA DO PAÍS

126

TECNOLOGIA

O ano começou com a alíquota de ICMS para operações interestaduais sendo unificada em 4% para todo o país. Veja o que a mudança já fez.

Um destino barato e rentável que a cada dia fica mais caro e com mais qualidade nos produtos, fazendo os negócios borbulharem.

Entrevistamos executivos de empresas catarinenses internacionalizadas. Eles nos contam os prós e os contras de possuir uma filial fora do Brasil.

Sistemas e softwares voltados para comércio exterior saíram do nível operacional e estão indo para o estratégico, sendo decisivos para aumentar a competitividade.

Foto: Ariel Castro Leão/divulgação

60

72

NECESSIDADES ESPECÍFICAS Diabéticos, obesos e pessoas com deficiência física são os alvos de empresas que atendem as ditas minorias.

DANIEL RESENDE

64

A metodologia do fundo de investimentos que priorizava perder um pouco de dinheiro todos os dias para ganhar muito em oportunidades eventuais.

132

MIGUEL NOZAR

66

Acreditando que o pior da crise já passou, ele projeta que o Brasil tem condições de retomar seu crescimento e ter um período muito positivo no comércio exterior.

ENTREVISTA

131

Maurício Salton, diretor de planejamento da vinícola Salton, conta como a empresa está se preparando para construir sua marca no exterior.

138

O que fazer para o setor não virar um elefante branco na empresa e de fato ser uma área estratégica para o futuro do empreendimento.

PESQUISA & DESENVOLVIMENTO

Cliente da Cerb, de Blumenau. Tempo de fidelização pode chegar a décadas.

www.negociosempreendimentos.com.br

5


N 6


REVISTA NEGÓCIOS & EMPREENDIMENTOS ED. 21