Page 1

GRUAS: OS MOTIVOS QUE AS FAZEM TÃO RARAS NAS OBRAS CATARINENSES, E COMO REVERTER ESSA REALIDADE. PÁG. 76

N NÚMERO 8 • PREÇO R$ 11,99 ISSN 2176-5532

9 772179545002

REFORMAS E OPORTUNIDADES

REVITALIZAR AMBIENTES E FACHADAS PODE VALORIZAR EM ATÉ 30% O IMÓVEL – PARA VENDA E LOCAÇÃO. PÁG. 38

ALTÍSSIMO PADRÃO

AÇÕES SOCIAIS

EMPRESAS ESPECIALIZADAS EM LARES PARA A CLASSE A MOSTRAM QUE O SEGMENTO ESTÁ AQUECIDO.

OS ESFORÇOS DAS CONSTRUTORAS PARA DIMINUÍREM OS IMPACTOS DAS OBRAS NAS VIZINHANÇAS DOS EMPREENDIMENTOS.

PÁG. 70

PÁG. 52

INSTALAÇÕES

SUBTERRÂNEAS ENERGIA ELÉTRICA, COLETA DE LIXO E CABOS DE DADOS SÃO APENAS ALGUNS DOS SISTEMAS QUE PODEM SER TRANSFERIDOS PARA BAIXO DA TERRA.

ALÉM DO BENEFÍCIO ESTÉTICO, AS MANUTENÇÕES FICAM MAIS FÁCEIS. O CUSTO DE IMPLANTAÇÃO, PORÉM, CHEGA A SER 15 VEZES MAIOR.

VEJA AS CIDADES QUE ESTÃO ADERINDO.

PÁG. 64

www.construcaosa.com.br

1


Diretor Geral • Jefferson Pereira da Silva Diretor Comercial • Sidinei Duarte sidinei@construcaosa.com.br Editor-chefe • Fernando Brüning (02264 JP) redacao@supernovaeditora.com.br Sub-editora • Letícia Wilson redacao@construcaosa.com.br Redação • Tayse Cardoso e Vanessa Hauser, com colaboração de Geraldo De Cesaro, Patrícia Rodrigues, Daniel Cardoso e Josiane Wunsch. Diagramação e criação • Paulo Henrique Wolf, Andrezza Pereira do Nascimento e Francisco Badin Planejamento e Marketing • Bruno Henrique Rodrigues Romão Coordenador de fotografia • Ronald T. Pimentel Circulação e assinatura • Júnior Nascimento assinatura@supernovaeditora.com.br

EDITORIAL

O ASSUNTO VOLTA À TONA O pouco uso de gruas nos canteiros de obras reacende a discussão sobre a industrialização na construção civil.

Web designer • Alex Nunes Representantes comerciais • Luiz Bayard, Douglas Rubens Jahn, Flavio Rocha, Vitor Andrade, Chico Souza, Eduardo Nunes Nogueira, Patrícia Diniz Sposito, Mirela Leite Fragoso, Valdir Silva de Souza, Joaquim Barros, Mario Silva, Thiago Bittencourt, Eliomar Santos da Costa, Antônio Francisco Almeida, Paulo César da Silva, Sandra Dias Góes. Sucursal Florianópolis • floripa@construcaosa.com.br Sucursal Tubarão • tubarao@construcaosa.com.br Sucursal Criciúma • criciuma@construcaosa.com.br Sucursal Balneário Camboriú • b.camboriu@construcaosa. com.br Colaboradores • Andresa Regina Gomes, Bárbara Silva, Mércia Paiva da Silva, Helena Pinheiro Lemos, Uriel Pereira Climaco, Adriana Meirer, Jackson Fadini Toledo, Laura Cunha, Cléia Souto Grosso, Jair Simões, Bruno Pádua de Almeira, Camila Felippo, Renata Maia, Hermes Barcelos Cunha, Roberto Antunes, Fátima Veira da Rosa, Regina Alves, Ivo Neri Agnol, Alessandro Pinheiro Sá, Régis Ramalho, Emílio Cavalheiro, Audria Ximenes, Jhonathan Gonçalves de Mello, Emílio Wiznitzer. Correspondência • Comentários sobre o conteúdo editorial, sugestões e críticas. imprensa@supernovaeditora.com.br Rua Fritz Muller, nº 50 - edifício Praia Bela, 6º Andar - Coqueiros, Florianópolis - SC - CEP 88080-720

contato@construcaosa.com.br www.construcaosa.com.br www.twitter.com/construcaosa www.facebook.com/construcaosa Florianópolis: (48) 3029.0300

N A REVISTA CONSTRUÇÃO S.A É UMA PUBLICAÇÃO DA SUPERNOVA EDITORA LTDA. A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTA OBRA É PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO EDITOR.

2

www.construcaosa.com.br

Sistema subterrâneo de coleta de lixo de Paulínia (SP).

Único na América Latina, é exemplo de que é possível fazer diferente na urbanização e na construção civil.

E

m abril deste ano, publicamos uma reportagem chamada “O fim do artesanato”, na qual abordamos o relativo baixo grau de industrialização da construção civil, e também algumas medidas para reverter o quadro. Na ocasião, foram citadas soluções em estruturas pré-fabricadas e até mesmo sistemas prontos, como o Kit Pex da Tigre, um sistema de condução de água quente e fria para banheiros. Seis meses depois, o tema retorna dentro da matéria “Por que ainda são raras?”, referindo-se à reduzida utilização de gruas em Santa Catarina – situação que se repete no Brasil todo. Entre as razões, é possível citar o custo, ainda considerado elevado, e restrições de espaço – determinados terrenos em Balneário Camboriú, por exemplo, possuem largura e comprimento insuficientes para comportar uma grua. Nem sempre os motivos envolvem verbas ou restrições técnicas. Durante as pesquisas para a reportagem, encontramos outras matérias nas quais alguns depoimentos mostravam profissionais que não optavam pelas gruas por já estarem acostumados a sistemas mais rudimentares, ou pela substituição das máquinas por mão de obra – algo inconcebível nos dias de hoje. É novamente a questão da pouca industrialização à tona. O mais preocupante no assunto é que, muitas vezes, pode estar dentro da cabeça dos profissionais responsáveis pelas obras. Tecnologia não falta. Altos valores? Linhas de financiamento estão cada vez mais disponíveis, e dezenas de equipamentos e soluções são ofertados por valores que diminuem a cada ano. Assim, a primeira mudança que precisa ser feita é cultural. Felizmente, vários são os exemplos de que isso já está acontecendo. Um deles pode ser visto em Paulínia (SP). A prefeitura adotou um sistema subterrâneo de coleta de lixo que hoje tem custos que se equiparam ao sistema convencional. Não é exatamente uma novidade, mas serviu de inspiração para nossa reportagem de capa, apresentando as ações que estão sendo feitas em nosso Estado, principalmente no que se refere à iluminação pública. Em um primeiro momento os custos são elevados, mas acabam sendo diluídos com o passar do tempo. Há também o benefício estético. Todavia, o maior legado que vão deixar – e que já estão deixando – é a prova de que é possível pensar e fazer diferente e melhor. Fernando Bruning Editor-chefe


18. RADAR

Entre os destaques, a prorrogação da redução do IPI na construção civil e a entrada de novos produtos no benefício.

22. SOLUÇÕES

Nesta edição, perfis de alumínio, peneira vibratória e cabos flexíveis para instalações prediais.

28. OBRA PÚBLICA

Ampliação do CEDUP de Tubarão trará novos cursos na área de construção civil, com investimentos de R$ 4 milhões.

30. À VENDA

Veja os detalhes dos empreendimentos Vercelli, Privilege Tower Residence, Saint Paul e Nova São José

38. REFORMAR

Na contramão da onda de lançamentos, uma série de empresas mostra que reformar imóveis é um bom negócio.

46. SEGUROS

As modalidades de seguros concebidas para o setor aumentam, enquanto os custos diminuem.

52. DE BEM COM OS VIZINHOS

76 EFICIENTES, PORÉM ESQUECIDAS A gruas podem representar consideráveis reduções de tempo e custos nos canteiros, mas ainda assim raramente são utilizadas. Engenheiros apontam suas vantagens e os porquês de serem tão pouco usadas no Brasil e no Estado.

Os ganhos das construtoras que investem em ações de responsabilidade social nos arredores dos empreendimentos.

64. DEBAIXO DA TERRA

Com preços ainda semi-impraticáveis, as instalações subterrâneas começam a ficar mais presentes em Santa Catarina.

70. LUXO E LUCRO

Os profissionais que desvendaram o ritmo e o perfil de compra de imóveis de quem pertence à classe A.

REVISTA BIMESTRAL - ANO 2 - Nº 8 15 DE OUTUBRO DE 2012 TIRAGEM DESTA EDIÇÃO: 28 000 EXEMPLARES

Produtos, técnicas e soluções garantem a impermeabilização de estruturas. Contudo, ainda há muita discussão sobre as formas de aplicação.

32

www.construcaosa.com.br

3


N 4

www.construcaosa.com.br

Revista Construção S.A. Ed. 8  

Revista Construção S.A. Ed. 8 Supernova Editora Outubro/Novembro 2012