Issuu on Google+

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão Conhecimento na área Domínio

Competências do professor bibliotecário

Organização e Gestão da BE

Aspectos críticos que a Literatura identifica

- Gerir, organizar e facilitar aos utentes o acesso à informação e aos meios para a transformar em conhecimento. - Definir as metas estratégica e as linhas de actuação para a BE - Organizar uma equipa autónoma e plurivalente. - Avaliar os resultados educativos da actuação da BE, transpô-los para novos planos de acção e utilizá-los para mostrar à comunidade em que medida a BE contribuiu para melhorar os resultados dos alunos.

- Organização, motivação e coordenação de uma equipa autónoma e activa. - Definição de normas de utilização e de planos de colaboração com os parceiros (professores).

Biblioteca escolar Desafios. Acções a implementar

Pontos fortes

Fraquezas

Oportunidades

Ameaças

- Competências definidas no plano de acção e na organização interna. - Formação previa, creditada. - Trabalho em equipa (três bibliotecários do agrupamento, restante equipa, coordenadora interconcelhia, bilbiotecários do concelho). - Experiência prévia como membro de outra equipa.

- Falta de experiência como gestor/administrador de uma BE. - Conhecimento superficial e incompleto dos professores e alunos com qeum vai trabalhar.

- Resistência, por parte de pais ou de outras pessoas, a didácticas que não se concentrem na transmissão e reprodução de conteúdos.

- Levar a biblioteca às aulas e vice-versa. - Formar pais. - Apoiar professores e colaborar com estes em parceria, na BE ou na sala de aula. - Aproveitar as aulas de ensino nocturno para chegar a membros adultos da comunidade. - Definir e aplicar um plano de trabalho que permita desenvolver, gradualemente, o domínio pelas velhas e novas tecnologias da informação.

- Formação prévia do bibliotecário. - Experiência prévia como membro de outra equipa

- Inexistência, neste momento, da biblioteca – em fase de instalação. - Colecção incompleta, por inventariar,

- Possibilidade de definir a primeira política e a situação de partida da bilbioteca que irá administrar. - Trabalhar co uma equipa de professores dinâmicos e motivados. - Possibilidade de aplicar projectos baseados em trabalho de pesquisa e na criação de conteúdos. - Possibilidade de definir a produção e obtenção de conhecimento como linhas orientadoras do trabalho a desenvolver na BE. - Possibilidade de definir normas em conjunto com os professores e com outros eventuais pareceiros. - Possibilidade de

- A instalação da BE poderá consumir muito do tempo necessário para realizar trabalho no terreno.

-Pugnar pela constituição de uma equipa; - Dividir e definir as tarefas da equipa, se esta vier a existir. - Definir normas.


Conhecimento na área

Gestão da Colecção

A BE como espaço de conhecimento e aprendizagem. Trabalho colaborativo e articulado com

- Obter financiamento e outras formas de apoio. - Apostar na aquisição e manutenção de meios que permitam a utilização das novas estruturas e redes de comunicação e informação - Organizar a BE de maneira a promover a interactividade do utente com os documentos, com outros utentes, com o mundo ou com a equipa.. - As liçações são mais importantes do que as colecções: a) os meios electrónicos permitem o acesso a conteúdos para lá das condicionantes físicas de uma coleção...; b) as ligações reacionam-se com a compreensão e a capacidade de realização, enquanto que a colecção se relaciona com a retórica (advocacy) e a informação. - Apesar disso, a colecção deve ser mantida actualizada, por ser um recurso funcional, que oferece alguma garantia de qualidade, que está ao alcance da mão... - Contribuir para a formação de cidadãos conscienciosos, conhecedores do seu mundo, críticos e capazes de utilizar a informação para produzir conhecimento e para tomarem decisões para as suas vidas. - Necessidade de promover e

Biblioteca escolar

- Formação prévia do bibliotecário. - Experiência prévia como membro de outra equipa. - Participação, em duas equipas, na formulação da política de requisições e empréstimos e na redacção do Regimento. - Experiência na utilização de pesquisa com recursos electrónicos diversos (CD--rom, internet, audio, ...). - Existência de um conjunto de professores motivados e com gosto pelo trabalho de projecto. - Apoio dado pela coordenadora do

desarrumada... - Inexistência de uma equipa.

aperfeiçoar ou analisar as normas pré-definidas para a agestão das colecções

- Definir, em conjunto com os professores, os modos (tipos), os papeis, a profundidade e os momentos da colaboração entre o prof e a BE

- Falta de prática como administrador. - Falta de verba para actualizar a colecção.

- Possibilidade de apostar em conteúdos multimédia e audiovisuais. - Incentivar e estruturar o uso de meios electrónicos, em especial da Internet. - Possibilidade de actualizar conhecimentos e de aprender novas formas de utilização.

- Tendência para uma cada vez menor utilização de livros. - Possiblidade de não se constituir uma equipa e de, como consequência, o trabalho de gestão da colecção poder, em parte, ser atrasado.

- Criar um documento – ou um plano – para estruturar, organizar e orientar a pesquisa através de meios electrónicos, para evitar riscos vários. - Divulgar a coleção, em especial as novidades e destacando as obras que poderão interessar a cada professor num dado momento.

- Os professores de duas das escolas cobertas pela BE que está em fase de instalação não têm facilidade em acede ao espaço da BE. Os doecumentos têm de

- Possibillidade de implementar/desenvol ver um espírito de trabalho de projecto. - Favorecer uma utilização lúdica que seja intelectualmente estimulante.

- Alguns porfessores poderão sentir-se intimidados pela presença do bilbiotecário sentir que este está a usurpar o seu papel. - Resistência por

- Promover ou apoiar actividades lectivas ou extra-lectivas que favoreçam a formação de conhecimento através de projectos - Divulgar a missão


Conhecimento na área

Departamentos e docentes.

Formação para a leitura e para as literacias

BE e os novos ambientes digitais. Gestão de evidências/ avaliação.

Biblioteca escolar

aprofundar progressivamente a colaboração entre a BE e os docentes. - Estar a par da inovação (tecnológica, educacional) e da mudança e trazê-las para a BE. Aceitar a mudança para, a aprtir dela, rever a sua actuação. - Ter sempre presente a missão educativa da BE.

Agrupamento e pela coordenadora interconcelhia, profissionais experimentadas. - Alunos do 1.º cilco, geralmente muito abertos a este tipo de trabalho.

ser previamente apresentados e solicitados. Necessidade de deslocações.

- Missão permanente e mais alta da BE. - As literacias são várias e prendem-se com a capacidade de inter pretar textos, imagens, etc. Todas elas necessitam de ser trabalhadas para que a BE possa constituir-se como um espaço de conhecimento a que todos podem aceder em pé de igualdade.

- Experiência no acompanhamento de alunos. - Conhecimentos de TIC , música, artes plásticas, música, comunicação e publicidade (ao nível de amador).

- Falhas a corrigir na aplicação de TICs na sala de aula. E em trabalhos de projecto.

Uma realidade que, em vez de ser ignorada ou combatida, deve ser integrada nos meios da BE, beneficiando do estudo de como pode ser utilizada de forma produtiva, eficiente, segura e ética. Definição clara das metas educativas e da missão da BE, bem como análise criteriosa, objectiva e parcimoniosa da situação de partida, para a partir daí se definir um conjunto de aobjectivos concretos, a partir dos quais se possa medir a evolução dos resultados educativos dos

- Conhecimento de Tic como Utilizador de aplicativos. - Facilidade em aprender. - Experiência no uso de alguns destes meios nas aulas. Foi aplicad o o modelo na escola sede do agrupamento.

-Insuficiência dos meios; exiguidade do espaço. -Vícios no uso dos computadores e outros meios electrónicos. Recolha de dados. Identificação dos indicadores relevantes.

parte de professores ou pais que insistem numa pedagogia centrada na transmissão de conteúdos. - Formar leitores, utilizadores da informação e autores. - Possibilidade de precocemente formar rotinas de utilização de meios de pesquisa e de organização, selecção, interpretação e síntese de dados.

Possibilidade de formar utentes em áreas-chave e que são atraentes para os mais jovens. Desenvolver rotinas de análise e de aperfeiçoamento constante

- Uso superficial e desorganizado das TIC. - Resistência por parte de algum professor às sugestões quer lhe são dadas.

da BE junto do público e consciencializar este da missão educativa da BE e da necessidade de todos colaborarem na concretização dessa niciativa. - Formar utentes e autores - Formação de leitores. - Formação de utilizadores da Internet .

Desvalorizaçõ das velhas tecnologias e consequente perda da opotunidade de se desenvolver um conjunto de competências .

- Formação na utilização do computador como meio de comunicação: aprendizagem de aplicativos

- Deturpação da análise pelo reflexo de acontecimentos próximos ou por contaminação de sentimentos e emoções, sobretudo com crianças.

- Definir o que se pretende saber através da avaliação. - Perceber de que forma se pode estrair dados a partir desses itens. - Definir um calendário e um


Conhecimento na área alunos – logo, o cumprimento, ou não, da missão da BE. É importante identificar os indicadores que realmente interessam e de que forma se espera que a sua análise possa gerar alguma iinformação relevante. Os factos observados (evidence) e devidamente analisados são provas (evidence) que nos permitem demonstrar (evidence) que o trabalho desenvolvido na BE foi deterninante para a qualidade dos resultados obtidos (evidence). O que importa reter é a necessidade de ter uma avaliação solidamente baseada em factos que corroborem aquela correlação. Provar que há uma correlação entre a BE e os resultados serve para obter a adesão do úblico – pais, alunos, professores, direcção da escola – e para obter o apoio (€ e pessoas) necessário para continuar a aperfeiçoar ainda mais o trabalho desenvolvido.

Biblioteca escolar - Deturpação e indefinição do termo “evidência(s)” e da actividade baseada na apresentação de resultados (based on evidence): a avaliação é para ser feita dentro da BE, não para fora. “Recolher evidências” é um pouco mais do que mater umregisto do que se fez: Todd escreve que é justamente isso que se pretende evitar, porque ninguém quer saber do que o bilbiotecário faz, mas apenas dos resultados da sua actuação.

conjunto de itens a avaliar, em conjunto com os professores e a equipa do Sgrupamento.


Conhecimento na área

Gestão da mudança: SÍNTESE A grande mudança será a instalação e abertura da BE. A mudança exige capacidade de adaptação e, sobretudo, de antecipação. Facilita a inovação. As novidades levam algum tempo a instalar-se e disseminar-se, tempo esse que pode ser utilizado pela equipa da BE para se antecipar às necessidades so utentes ou para melhorar a sua oferta informativa e/ou formativa. O trabalho em equipa é fundamental neste processo, por permitir um maior poder de adaptação e de compreensão da mudança.

Biblioteca escolar

Factores de sucesso

Obstáculos a vencer

Acções prioritárias

- Trabalhar sempre para a melhoria dos resultados educativos - Apostar no trabalho baseado em projectos - Fazer a avaliação de resultados para, a partir daí, identificar necessidades - Pensar e agir proactivamente: antecipar cenários - Trabalhar em equipa

- Obstáculos que possam derivar das próprias ideias feitas ou da formação do bibliotecário - Esterótipos acerca da bilbioteca - Receios ou falta de vontade dos professores e das chefias - Pouca familiaridade entre o bibliotecário e os professores

- Instalar a BE - Fazer o ponto de situação das turmas: matérias tratadas; tipo de trabalhos realizados; experiências pedagógicas; levantamento de ideias. - Planear actividades que, gradualmente, envolvam as aulas e a BE de uma forma cada vez mais profunda e regular. - Organizar uma forma de mostrar à comunidade os resultados obtidos: fotos comentadas, mostra de trabalhos realizados... - Identificar ´topicosa a avaliar e definir a forma de recolher e de tratar os dados obtidos.


Tabela