Page 1

Jornal de um novo tempo Brasília, Distrito Federal, 11 de abril de 2012 - Ano 20 nº 793 - www.dfnoticias.com.br - redacaodfnoticias@uol.com.br - Exemplar R$ 1,00

PIO Foto: Divulgação

PERISC

Recorrer ao Papa

Operação Lesma

Quem pretende vender aquelas ações de telefone, lembram? Passa por uma via-crúcis. Ninguém informa onde podem ser resgatadas as ações. Tem gente que se esquece que quem comprou tem direitos. Com a palavra a Anatel.

Dizem as más línguas que agora os policiais que faziam a Operação Tartaruga passarão a fazer Operação Lesma, após o governo divulgar aumento na gratificação dos comandantes de quartéis.

OPERAÇÃO TARTARUGA

ESTÁ PERTO DO FIM

O novo comandante da Polícia Militar do Distrito Federal, coronel Suamy Santana da Silva, foi bastante contudente em seu discurso ao afirmar que a Operação Tartaruga acaba sexta-feira. E repreendeu os que aderiram à estratégia de dificultar o trabalho de atendimento à população: “Essa farda faz parte de nossa pele e aqueles que não se sentem assim não são policiais militares. Essa corporação tem quase 15 mil homens e não será meia dúzia que sujará o nome dela”, afirmou. Página 3

A presidente Dilma Rousseff se encontrou com a presidente do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), Susan Hockfield, em Boston, para tratar do programa de bolsas de estudo ‘Ciências sem Fronteiras’. Dilma ressaltou que é muito importante para o Brasil a parceria com a instituição, pois abre caminhos para estudantes brasileiros. Página 3

Foto: Dida Sampaio/AE

Danos à saúde mental e física Gritar, xingar, humilhar, repetir críticas e comentários improcedentes ou que subestime os esforços do empregado, isolar a pessoa em seu ambiente de trabalho são alguns exemplos de assédio moral no trabalho. Para coibir esta prática, principalmente em escolas, o Sinproep e o Ministério Público do Trabalho decidiram confeccionar uma cartilha para esclarecer sobre o assunto e como proceder em situações de assédio moral. Página 4

Sinduscon

Custo básico da construção civil tem crescimento

Cidade

Mundo Melhor

Pichação dá cadeia

É um projeto desenvolvido por ex-presidiários, que tem como objetivo produzir bolas de futebol e outras peças reaproveitando materiais reciclados. Além disso, dá oportunidade para outros detentos e jovens da comunidade da Estrutural de trabalharem dignamente. Página 6

Foto: Divulgação

Um Sonho de Liberdade

A onda de pichações está por todos os lados da cidade. Em quase todos os lugares a poluição visual e a degradação é percebida. No Brasil, a pessoa que picha qualquer edificação urbana sem autorização, comete crime ambiental, com pena de detenção que pode variar de três meses a um ano, além de multa. Página 8

Entrevista Foto: Alex Brito/PMJ/Duvulgação

Dilma negocia bolsas de estudo para brasileiros

Atualidade

Área bem vista e de grande atuação

Cálculos registraram alta nos preços da construção do DF. O Custo Unitário Básico (CUB) reflete a variação mensal das despesas do setor para utilização nos reajustes dos contratos da construção civil. No mês passado, ele foi de R$ 963,25 por metro quadrado.

A agricultura é uma das áreas em franca expansão e atuação no Distrito Federal, que está recebendo muitas contrapartidas do governo. A atuação da secretaria está sendo muito elogiada no meio rural e não rural. Um dos acertos é o Mercado do Peixe. O secretário aponta várias ações desenvolvidas pela secretaria que deixou de ser Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento para ser Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

Página 5

Página 5 ção Foto: Divulga

Cultura

Calma Ai Coração Brasília foi escolhida pelo cantor Zeca Baleiro para lançar seu novo show. O cantor chega aos palcos da cidade trazendo seu novo álbum ‘O Disco do Ano’ com músicas inéditas. Página 7


2 Brasília, 11 de abril de 2012

PIO

Frase

“Somos um país pronto para cooperar e estabelecer parcerias. Temos confiança que sairemos dessa crise mais fortes e potencialmente mais pungentes”, disse Dilma Rousseff referindo-se ao Brasil e ao restante do mundo, durante encontro com empresários brasileiros e norte-americanos.

Foto: Divulgação

PERISC

DF NOTÍCIAS

Só deveres

Foto: Divulgação

Começou o pagamento do IPVA deste ano e com ele a infeliz constatação de que o asfalto está cheio de buracos. Os que foram tapados, pela má qualidade do remendo, já se abriram. Na hora de pagar, pagar, mas na hora de cuidar de sua obrigação, o governo vem com desculpas. A obrigação é unilateral.

A greve continua

Os professores decidiram em assembleia continuar a greve que já dura 31 dias. Os professores reivindicam a reestruturação nos planos de carreira, a implantação do plano de saúde, a contratação dos concursados, a incorporação de gratificações e o pagamento das pendências financeiras. Foto: Andressa Anholete /Divulgação

Outro projeto bom

O Projeto de Lei nº 404/2011, que confere atendimento prioritário na rede pública de saúde às mulheres vítimas de agressão, da qual resulte dano físico ou estético, na realização de cirurgia reparadora está pronto para ser votado em plenário da CLDF.

Multa à vista

Será?

Quem mora em Vicente Pires, Samambaia e São José e usa os poços artesianos, apesar de consumir água fornecida pela Caesb receberá multas da Adasa no valor de até R$ 10 mil. Essas pessoas estão desrespeitando o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Dizem na cidade que os doze carrões que estão estacionados no pátio do CCBB são para transportar as autoridades na Copa do Mundo. Mas se ficarem pegando chuva e sol não podem estragar?

Justiça ágil

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios lança, nesta quarta-feira (11), um conjunto de ações que busca agilizar e humanizar a Justiça criminal no DF. Trata-se da implantação do inédito Projeto de Controle Biométrico para Acompanhamento de Penas (Probio), do Projeto de Alvará de Soltura Eletrônico (Proalv) e do Guia de Orientação para o Egresso do Sistema Prisional. O lançamento será às 17h, no Salão Nobre do Tribunal, 2º andar do Palácio Rui Barbosa.

Sem comida

Investigado

Foto: Marcelo Brandt/UnB Agência

Foto: Divulgação

O “bandejão” só voltará a funcionar após os funcionários receberem o pagamento de março .E mais uma vez o problema, que já é recorrente, fez com que os funcionários do Restaurante Universitário da UnB resolvessem paralisar suas atividades deixando alunos e funcionários sem comida.

O presidente interino do Conselho de Ética do Senado, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), julgou procedente a abertura das investigações sobre o envolvimento do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com o esquema de jogos ilícitos comandado pelo empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Avisaram?

Foto:Divulgação

Projeto de Lei nº 499, de 2011, concede o direito de pessoas com mais de 40 anos de idade realizarem, bienalmente e de maneira gratuita, na rede pública de saúde do Distrito Federal, exames básicos para verificação da qualidade da saúde (check-up geral) . Mas avisaram aos administradores da rede pública de saúde? O projeto é muito bom.

Justiça

Na próxima sexta-feira (13), a partir das 9h, está marcado o interrogatório do professor acusado de atirar contra ex-namorada, a estudante de direito Suênia Sousa Farias, causando-lhe a morte, em setembro do ano passado. Na oportunidade o juiz poderá sentenciá-lo a ir a júri popular ou não.

Disque 180

Foi aprovado em primeiro turno , no Plenário da CLDF, o PL N° 518/2011, que obriga a divulgação do Disque-Denúncia Nacional de Violência Contra a Mulher - Disque 180 - em hotéis, motéis, pousadas, bares, restaurantes, lanchonetes e casas noturnas.

Artigo

A Internacionalização do Mundo Fui questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia, durante um debate, nos Estados Unidos. O jovem introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um humanista e não de um brasileiro. Foi a primeira vez que um debatedor determinou a ótica humanista como o ponto de partida para uma resposta minha. De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso. Respondi que, como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, podia imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade. Se a Amazônia, sob uma ótica humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia é para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço. Os ricos do mundo, no direito de queimar esse imenso patrimônio da humanidade. Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos

Diretoria Suéllen Vieira Barreto - Presidente

Redação Francisca Rocha - Editora franciscapautas@gmail.com

dfnoticias@uol.com.br redacaodfnoticias@uol.com.br

Vivianne Frota - Repórter annefrota@bol.com.br

www.dfnoticias.com.br

Cledson Soares - Design gráfico

os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país. Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação. Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França. Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar que esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural amazônico, possa ser manipulado e destruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês decidiu enterrar com ele um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado. Durante o encontro em que recebi a pergunta, as Nações Unidas reuniam o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu disse que Nova York, como sede das Nações Unidas, deveria ser internacionalizada. Pelo menos Manhatan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada

DF NOTÍCIAS Expediente O DF NOTÍCIAS é de propriedade da DF Notícias Editora Ltda SIG - Quadra 3 Bloco B Entrada 75 2º Andar CEP 70610-400 - Brasília-DF

cidade, com sua beleza específica, sua história do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro. Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maior do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil. Nos seus debates, os atuais candidatos à presidência dos EUA têm defendido a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do mundo tenha possibilidade de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro. Ainda mais do que merece a Amazônia. Quando os dirigentes tratarem as crianças pobres do mundo como um patrimônio da humanidade, eles não deixarão que elas trabalhem quando deveriam estudar; que morram quando deveriam viver. Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa. Cristóvão Buarque é senador pelo PDT.

e-mail: redacaodfnoticias@uol.com.br Telefones: 3964-0777 e 3039-2631

Os artigos e matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade dos seus autores. Impressão F. Câmara Gráfica e Editora Tiragem 5 mil / 10 mil exemplares


Brasília, 11 de abril de 2012 3

DF NOTÍCIAS

SEGURANÇA PÚBLICA -

Segundo o vice-presidente da Aspra, sargento Sansão, não há Operação Tartaruga, mas sim desmotivação dos policiais. Os policiais militares querem isonomia com outras categorias

Onde está a polícia?

A

pergunta mais usada pela população do Distrito Federal, ultimamente, é onde estão os policiais que eram encontrados mais facilmente antes do início da Operação Tartaruga, deflagrada em assembléia, no dia 15 de fevereiro. As reclamações são muitas, passam pela cobrança do cumprimento das promessas de campanhas feitas pelo governador eleito que são: reestruturar o Plano de Carreira, sem a dependência de vagas, interstício e aumento de efetivo para recompor a defasagem existente, instituir o Programa Policial do Futuro (graduação e pós-graduação), terceirização das guardas dos quartéis, Plano de Obras com metas a curto e longo prazos para a construção e reforma dos quartéis, bem como a implementação do Centro Médico da PMDF, instituir um novo Código de Conduta Ética na PM, continuação do Programa Habitacional para policiais, instituir o Auxílio Transporte no contracheque, instituir um programa de negociação da dívida do policial, com juros mais acessíveis, nova lei de vencimentos para a PMDF, que estabeleça igualdade dos valores dos auxílios fardamento, natalidade, invalidez e funeral entre oficiais e praças, adicional de tempo de serviço anual, antecipação das parcelas do Risco de Vida, reajuste salarial com o mesmo índice de correção PCDF, aumento das cotas e valores da Gratificação de Serviço Voluntário (GSV). “São muitos os pontos prometidos, são mais de quatro anos sem reajuste salarial, com salários congelados. Policiais militares com 13 anos de serviço, não têm nenhuma promoção. Nenhuma outra categoria do serviço público ficou tanto tempo sem receber ascensão vertical. É claro que a desmotivação é geral e não vamos abrir mão da reestruturação do nosso Plano de Carreira e isonomia com outras categorias da segurança. Tudo pode ser implantado ano que vem, mas não abrimos mão”, pondera o vicepresidente da Associação dos Praças Policiais Militares do DF, sargento Sansão.

Foto: A. Sabino

Novo comandante da PMDF, Suamy Santana da Silva, promete policiais nas ruas com o fim da Operação Tartaruga

Segundo as deliberações da assembleia, a Operação Padrão envolve o atendimento das ocorrências na velocidade da via e sem avançar sinal de trânsito. Policiais não acreditam que o principal fator pelo aumento dos índices de criminalidade nos últimos dias seja a operação em si, é a desmotivação que causa a apatia do policial. Mas algumas pessoas acreditam que há uma longa distância entre explicar e fazer. Maria Lúcia de Almeida, moradora de Samambaia, assinala que antes disso as viaturas circulavam normalmente, hoje é difícil ver uma. “Conheço várias pessoas que ligaram para o 190 informando alguma ocorrência e a polícia não compareceu para checar o acontecido. A reclamação é geral”, aponta Lúcia. Para Michel Oliveira Trindade, morador do Guará, o problema já foi longe demais. “Precisamos confiar em quem ganha para nos fornecer segurança, e o que constatamos é uma coisa absurda. Todo trabalhador tem o direito de reivindicar, não é crime, mas não desta maneira. A vida humana não tem preço”, lembra Michel. Quando o Serviço Voluntário Gratificado (SVG) foi criado na Policia Militar do Distrito Federal, foi a resposta a uma reivindicação antiga da tropa. Mas o que era para ser esporádico foi incorporado ao orçamento, e os valores ficaram ultrapassados. Muitos policiais estão

É claro que a desmotivação é geral e não vamos abrir mão da reestruturação do nosso Plano de Carreira e isonomia com outras categorias da segurança. Tudo pode ser implantado ano que vem, mas não abrimos mão cansados. “A solução seria ganhar um salário justo para não precisar tirar o serviço voluntário”, adverte o policial Carlos Santos de Aparecida. Outro ponto apontado pela categoria é discrepância do valor do Riso de Vida entre PM (R$ 500), Polícia Civil e Detran (R$ 2mil). Também pedem aumento do auxílio moradia, que hoje está em torno de R$ 30. Procurando enfrentar os problemas de insubordinação, o governador trocou o comandante da PM, segunda-feira (09), uma medida já esperada por alguns. “Não dou mais vinte e quatro horas para o comandantae cair”, confidenciou associado da Aspra, na quinta-feira (05). E o discurso do novo comandante da corporação, coronel Suamy Santana da Silva foi bastante contun-

dente. Já expôs as intenções de promover mudanças em parte das 33 chefias de batalhões de área e aumentar a gratificação dos comandantes de unidades regionais que passará dos atuais R$ 2,4 mil para R$ 3 mil. O coronel prometeu rigor na investigação e punição dos policiais que insistirem em atrapalhar o trabalho da corporação e não atender à população em seu direito. Outra medida adotada, de acordo com o comandante, é que até sexta-feira irá acabar com a Operação Tartaruga, para isso se reunirá com a tropa. “Essa farda faz parte de nossa pele e aqueles que não se sentem assim não são policiais militares. Essa corporação tem quase 15 mil homens e não será meia dúzia que sujará o nome dela”, afirmou.

Disse ainda que no próximo dia 19 lançará o Plano Ação pela Vida, que terá o objetivo de combater os homicídios. Nessa ação, o Distrito Federal será dividido em quatro regiões. “Esse plano não é emergencial, é permanente. Vamos contar com a ajuda da população por meio das administrações regionais para garantir seu sucesso”. O secretário de Segurança, Sandro Avelar afirmou para nossa reportagem que não vai admitir nenhum retardamento ou não atendimento a ocorrências. Mandou investigar quem está participando e prejudicando o trabalho da Polícia Militar e fala sobre o Plano Ação Pela Vida. “Será um trabalho integrado entre a segurança pública. Vamos criar metas e cobrar os resultados”, explica. Genário de Sousa, motorista e morador de São Sebastião, afirma que espera que a situação melhore. “Agora é só acreditar no bom senso dos policiais. Usar a desgraça dos outros para se conseguir aumentar salário é inadmissível. Foram boas as medidas adotadas”, comemora. Elisa Maria de Souza, enfermeira, moradora do Gama, também acredita que com as novas medidas os policiais irão se acalmar. O governo não fechou as negociações”, lembra. Uma nova assembleia dos policiais militares está marcada para quinta-feira (12), às 9h, em frente ao Buriti.

Baixa renda terá 90 minutos por R$ 13,30 A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou nesta segunda-feira (9), no Diário Oficial da União, as novas regras do chamado “telefone social” para as famílias de baixa renda. A resolução que regulamenta o Acesso Individual Classe Especial (Aice), do Serviço Telefônico Fixo Comutado, é uma nova versão do chamado “telefone popular”, lançado em 2005, que era destinado a toda população na modalidade pré-paga, por um preço de R$ 17,60, sem qualquer franquia. As novas regras permitirão que famílias de baixa renda paguem em média R$ 13,31 (com tributos já incluídos), pós-pago, pela assinatura de telefone fixo com franquia mensal de 90 minutos para chamadas locais para fixo. Além desse limite, os usuários poderão realizar ligações adquirindo créditos pré-pagos. Conforme a Anatel, a medida vai beneficiar 22 milhões de famílias inscritas no cadastro único dos programas sociais do Governo Federal, que terão direito ao novo Aice. De acordo com a resolução, as operadoras terão que instalar o Aice nas residências em apenas 7 dias. As companhias terão 120 dias para se adaptar à nova regra nas casas onde não existe nenhuma linha instalada. A Anatel afirma que o valor de R$ 13,31 é inferior ao do atual Aice (R$ 24,14, com tributos) e da assinatura básica residencial convencional (R$ 40,24, com tributos). Os atuais assinantes do Aice terão sua assinatura reduzida para o novo valor no momento que começar a valer o regulamento. A agência publicou o cronograma de implantação para permitir que as companhias planejem a migração. Nos primeiros 12 meses, a obrigatoriedade será para as famílias que recebem até um salário mínimo mensal. Nos 12 meses seguintes, passará para as residências com renda de até dois salários e, após 24 meses, será estendida ao restante dos integrantes do cadastro único, que recebem até três salários. Se não houver procura suficiente pelo modelo nesses prazos, a Anatel poderá antecipar o cronograma.

Governo Federal

Presidente Dilma visita universidade em Boston Ontem, em visita aos Estados Unidos, a presidente Dilma Rousseff fez palestras em Boston, nas universidades de Massachussetts e Harvard. As duas instituições têm mulheres no comando. A presidente aproveitará a oportunidade para assinar acordos inseridos no programa Ciência sem Fronteiras – que pretende enviar 100 mil pesquisadores brasileiros para o exterior até 2014, à maioria para instituições norte-americanas. Em seus discursos, Dilma defende a troca de experiências entre pesquisadores. O governo brasileiro quer aumentar a cooperação científica com os Estados Unidos e fazer com que um quinto dos cientistas inscritos como bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras faça intercâmbio em universidades e empresas norte-americanas. No mês passado, ao visitar a Índia, a presidenta elogiou as instituições do país, destacando os avanços nas pesquisas de tecnologia de ponta e produtos farmacêuticos. A ideia é enviar 100 mil

Foto: Roberto Stuckert FilhoPR

pesquisadores, em quatro anos, para diversos países: 20 mil só para os Estados Unidos. O governo promete custear 75 mil bolsas e espera que a iniciativa privada viabilize outras 25 mil. O programa inclui desde bolsas sanduíche de graduação até pós-doutorados em 18 áreas de tecnologia, engenharia, biomedicina e biodiversidade. Na visita aos Estados Unidos, a presidenta está acompanhada pelo ministro de Ciência, Tecno-

logia e Inovação, Marco Antonio Raupp, o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, e o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Glauco Arbix. Oliva deverá assinar acordos de intercâmbio científico entre o CNPq e dez universidades norteamericanas. Arbix participará do painel Pesquisa, Inovação e Mercado de Trabalho, no seminário Brasil-EUA: Parcerias para o Sé-

culo 21, na Câmara de Comércio Americana, em Washington. Dilma será homenageada hoje pelo governador de Massachussetts, Deval Patrick, com um almoço. Na Universidade de Massachusetts, a presidente conhecerá um laboratório de inovação e participará de mesaredonda com a comunidade acadêmica e científica. Em Harvard, Dilma fará discurso na Kennedy School of Government e terá uma reunião com a reitora da Universidade de Harvard, Drew Faust. Nos Estados Unidos, o reitor da universidade é chamado de presidente. Em Harvard, Dilma tem um encontro com bolsistas brasileiros. Dos 800 bolsistas do Ciência sem Fronteiras nos Estados Unidos, 31 estudam em oito universidades, entre elas Massachusetts, John Hopkins, Stanford e New York University. Pela agenda oficial, a presidente Dilma deverá deixar Boston por volta das 23h com destino ao Brasil. A previsão é que ela chegue amanhã de manhã.

Estudo mostra aumento no número de mulheres que fizeram mamografia e papanicolau no país Foto: Divulgação

Estudo divulgado ontem pelo Ministério da Saúde indica que a proporção de mulheres que fizeram mamografia nos últimos dois anos subiu para 73,3%. Em 2006, o índice era 71,2%. A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) mostra ainda que, nos últimos três anos, cerca de 80% das brasileiras fizeram o exame de citologia oncótica, mais conhecido como papanicolau, que previne do câncer de colo de útero. De acordo com a pasta, quanto mais baixa a escolaridade da mulher, menor a frequência de realização dos exames. O percentual de mulheres com mais de 12 anos de estudo que fizeram a mamografia foi 87,9% - contra 68,5% entre as que têm até oito anos de estudo. Em relação ao papanicolau, as porcentagens são 89,6% e 76,9%, respectivamente.


4 Brasília, 11 de abril de 2012

DF NOTÍCIAS

ATUALIDADE - A violência moral no ambiente do trabalho não é um fenômeno novo.

As leis que tratam do assunto ajudaram a discutir a existência do problema. Um exemplo disso é a humilhação dos profissionais da educação por parte de pais, patrões e alunos

Assédio Moral, sinônimo de humilhação e abuso O assédio moral, é uma prática ilícita e muitas vezes silenciosa, geralmente traz consequências desastrosas para o vitimizado e para a sociedade. Comportamentos agressivos que visam, sobretudo a desqualificação, desmoralização profissional e a desestabilização emocional e moral dos assediados, tornando o ambiente de trabalho desagradável, insuportável e hostil em qualquer esfera são preocupantes. Para acabar e informar sobre o assédio moral, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep/DF) se uniram e criaram uma cartilha. A meta é que cada segmento tome providências, denuncie e tenha uma mudança de cultura. A procuradora do Trabalho, da Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, Ana Cláudia Rodrigues Bandeira Monteiro, destaca que a criação da cartilha se deve à quantidade de reiteração de casos de assédio moral no DF e em Tocantins. “Este é um assunto difícil de ser tratado, pois afeta a dignidade do profissional. A cartilha é uma forma de conscientizar o empregador e informar às pessoas que o assédio moral é um crime. E que ninguém deve se submeter a está humilhação”, lembra a procuradora. Segundo a promotora, antigamente não existiam debates e premissas em cima deste assunto e até para identificar o assédio moral era difícil, pois sempre existiu a questão da submissão, o medo de ser demitido, pois muitas vezes não tinham como afirmar ou provar a agressão. “Por isso, queremos conscientizar, educar, esclarecer e promover a dignidade do profissional em qualquer ambiente de trabalho”. No ambiente dos educadores também é assim, constantemente profissionais da educação são agredidos tanto fisicamente quanto verbalmente. A violência de alunos contra professores ultrapassou as fronteiras das escolas públicas da periferia e se instalou na rede privada também. Muitas pessoas da sociedade acham que o professor é um subalterno para qual são dirigidas diversas ordens. Mas não, ele é

apenas um trabalhador. “No ambiente de educares acontecem diversas situações de humilhação e muitas vezes não são denunciadas. O professor vai para a sala de aula promover cidadania, mas antes de qualquer coisa é preciso que ele tenha cidadania garantida. E acredito que a escola deve assegurar isso para o bom profissional que ele contrata”, complementa Ana Cláudia Monteiro. Alguns professores reclamam que são tratados como mercadorias, pois em várias situações o professor está nas mãos dos alunos, dos pais e da própria instituição. A professora Maria, como quis ser chamada, trabalhou em uma faculdade do Goiás ficou com medo de dar aula depois de ter sido ameaçada por um aluno repreendido por ela quando intimidava uma colega grávida. “Disse que ele não tinha o direito de falar assim com a menina. Depois ele começou a gritar comigo dizendo que pagava meu salário e poderia fazer o que quisesse. Jogou a carteira no chão e me xingou. Foi uma situação complicada porque, depois disso, fiquei um bom tempo com medo de acontecer alguma coisa, já que não sabia até aonde ele podia fazer alguma coisa comigo. Denunciei ele ano passado”, revela. Quando o professor atua na escola pública muitas vezes não possui ou é limitada a autonomia plena para aprovar ou reprovar um aluno. Nas escolas particulares, em sua maioria, os problemas não diferem tanto, os donos designam a aprovação a qualquer preço, pois os pais não querem seus filhos reprovados, ainda mais que durante o ano foram feitos altos investimentos em mensalidades. Além disso, os pais ameaçam constantemente retirar os filhos da escola caso sejam reprovados. Uma professora que não quis se identificar disse que foi agredida

faculdades para coibir a prática. “Os professores na maioria das vezes ficam com medo de denunciar e serem demitidos. O ministério e o sindicato querem atingir 100% da categoria com esta cartilha e esclarecer sobre o problema. Com isso, conseguiremos identificar e tratar, porque muitas vezes, o professor acaba saindo da escola com problemas psicológicos. Por que é isso que está acontecendo na educação e queremos que os professores possam desempenhar seu trabalho com qualidade”, afirma.

Foto: Reproduçã o

Fique por dentro Rodrigo salienta que hoje no DF, cerca de 20% da categoria já passou por alguma agressão moral, por isso a divulgação da cartilha e da importância da denúncia. “Na cartilha informamos ao profissional como proceder em casos de assédio moral e aonde denunciar. Neste caso,o professor pode ir ao Sinproep e ao Ministério Público do Trabalho no DF”, lembra. A cartilha traz informações importantes sobre, agressão verbal, desvio de função para qual o profissional foi contratado, redução de carga horária, comentários que colocam em dúvida a capacidade do subordinado, estas e outras formas sutis que desvaloriza o trabalho e ridiculariza o profissional se encontram na cartilha “Assédio Moral, sinônimo de humilhação”. Para maiores informações sobre assédio moral a cartilha esclarece: quem pratica, principais vítimas, algumas consequências à integridade física e mental, que tipo de crime, quais os motivos, que tipos de provas servem para denunciar, como se defender, onde denunciar e até mesmo o perfil do agressor.

por um aluno logo depois de advertir o rapaz por perturbar aula. Segundo ela, depois disso, o aluno passou a agredir-la com palavras de baixo calão e enquanto ela escrevia no quadro, o aluno jogou contra ela uma lixeira atingindo sua face no lado direito, causando uma pequena lesão. “Nunca imaginei passar por uma situação dessas. Não culpo o aluno, mas acredito que isso é falta de educação e respeito, que vem de casa. Na minha época os professores eram respeitados só por serem mais velhos. Nunca tinha tido problemas com alunos”, revela a professora. O presidente do Sinproep, Rodrigo de Paula disse que o assédio moral é uma a preocupação dos educadores das escolas particulares. Ele ressalta que a cartilha vai ser uma forma de popularizar e divulgar o assunto nas escolas e

Bancos cobram R$ 300 milhões da Receita sobre queda de juros Os bancos aproveitaram o momento em que o governo pressiona pela redução dos juros aos consumidores para cobrar R$ 300 milhões devidos pela Receita Federal ao setor. A “cobrança” foi feita em reunião na manhã desta terça-feira (10), entre o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, e o presidente da Federaçao Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, comentou no início desta tarde, em tom de brincadeira, o pedido da Febraban: “Achei que eles [a Federação] iriam trazer 300 milhões [de reais]”, afirmou. Ainda nesta terça, deve ser discutida a redução do spread --o ganho que os bancos têm com os juros. Quando eles emprestam dinheiro para seus clientes, como cheque especial, cobram juros muito maiores do que os juros que pagam aos clientes que investem em CDBs, por exemplo. Essa diferença de juros é que é chamada de spread. Os bancos privados estão sendo pressionados pelo governo a reduzirem os juros cobrados dos clientes. Após discurso feito pela presidente Dilma Rousseff na semana passada sobre o nível elevado dos spreads no Brasil, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal anunciaram redução nos encargos financeiros cobrados dos clientes.

Dívida da Receita com os bancos A dívida entre a Receita e a Febraban decorre, segundo Portugal, de contrato firmado no ano passado para que as instituições financeiras recebam dos contribuintes os tributos devidos ao governo federal. Segundo informou Portugal, para cada Documento de Arrecadaçao Fiscal (Darf) pago nas agências, os bancos recebem uma tarifa que varia de R$ 0,40 (pagamento feito no caixa eletrônico) a R$ 1,39 (pagamento feito na boca do caixa). “Eles vão examinar a possibilidade de estabelecer um cronograma para o pagamento”, disse Portugal. De acordo com o presidente da Febraban, além da dívida de R$ 300 milhões contraída no ano passado, foram discutidas mudanças na operação de arrecadação de impostos, incluindo o estabelecimento de taxas mais baratas.

Mercado de trabalho Senac Curso: Técnicas de Operador de Caixa Perfil Profissional de Conclusão Participante apto a Operar Caixa, realizando as atividades de recebimento e controle de valores das vendas de produtos, fechamento de caixa e prestação de contas. Atua em Empresas de vários segmentos e trabalha junto a Operadores e Supervisores de Caixa. Deverá apresentar criatividade, bom relacionamento interpessoal, capacidade de trabalhar em equipe, cuidados com a preservação do meio ambiente, capacidade de comunicação, postura e comportamento ético. Requisito de Acesso Idade mínima de 18 anos. Ensino Fundamental completo Ter experiência na ocupação de operador de caixa Carga Horária: 60 Investimento: R$ 200,00 Condições de Pagamento: 1 + 1x Local Período Horário Previsto Período Previsto 23/04/2012 a 08:00h às Ceilândia 2a à 6a 15/05/2012 12:00h 04/06/2012 a 19:00h às Ceilândia 2a à 6a 03/07/2012 22:00h 21/05/2012 a 19:00h às Sobradinho 2a à 6a 19/06/2012 22:00h Informações pelo telefone 3313-8877.

785

- www .dfno ticias

Jorn

para marc laridade, do ano pode transporte para dinamizar e melhorar nenh àsMaria, o Polo discu riude o da s não segurança, serJK Criado em 2004, nos arredores passAlgumas empresas se ressentem da dium 9h, na Praça carre tir as Santa coniniciaas área. daira, ado setor chereivin dos no dacondições se arrasta desde então. Os serviços essenciais afirma convmãoque dia de obra no Distrito Federal, pois dicaç prazo contratar ficuldade s quedo Buriti ocaç de inclu ões Comercial sesso Wash em a de Santa Maria não gam timidamente. O presidente da Associação ãoos “O ônibus acord ele que alegam ingto dos ria de os.trabalhadores o Gove conc refor adasa mesm e Industrial do Polo, reconhece a morosidade dos projetos mula buracos, com impr n Dour ruas ursad no setor. em abrilo Gest rnoReclamam ção do ensa também ado, das serem desenvolvidos para a área. Grandes indústrias estão circulam os, seco, vem pela a falta período da Secre e odiret chuva trazidos quad gara ão Dem or do o plan instaladas no local e outras estão chegando gerando muitos dos problemas ocrátiproporcio o de JK ro de O Polo e segurança. 040taria BR nand sindi de pedestres passarelantem Págin de Educ ascen cana cato. saúde”, empregos. Muito pode ser feito, como asfalto que falta em de que a 3 compasso de espera . o para são profi foi deslanchar sanc à classe ação afi Já a asmuitas ruas, a luz, drenagem, recolhimento de lixo com regu- está em ssion

Página 3

al.

ionada

rma ganh onte os, comoque m, curso Foto: A. Sabino a s que

A. Sabino

Alessandro Foto:

Entrevis ta

Quali ficar é a me ta

Glauc Traba o Rojas, secre lho está afirma que tário do desen voltad volven sua pasta as do profis para a qualifiações sional atend cação não er que a os event só para cidad os espor e vai para tivos traba atender receber, o mas lho. o empr E tem mercado novida de Progr eendedor: de ama o Prosp para de Micro eracrédit Págin o. a5 Divulgaçã

o

Foto:

Foto:

Página 5

Atualidade

Fiscalize o transporte escolar

Mundo Melh

Foto: J. Vieira

Pró vid or a

Institu ição jovens valoriza Sama do Recan a educação mbaia to . A ideia das Emas de inclus é promo e projet ão social Educa os como por meio ver de ção Infant Educa ção reforç il, Esporte, Digital, o escola lazer e r. Págin

Petr obra s foi mais a empr inves esa que tiu em zir temp tecnologi explo raçã a pres o do pré-so e cust a o na ident as pesq a Dilm al. Segu ndo a pela uisas dese Rousseff, educacionais e industriais empr nvolv

4 redu Páginapara

o

Págin

a3

Divulgaçã

Escol as aguar de samb a qualq dam para de Brasí uer mom lia receb GDF er ento desfil para a realiz verba a es do “Está das escol ação dos tudo até o certo as de samb final e As agrem da sema esperamosa. por hora iações na a verba . prepa para estão a mil rativo termi melho nar os s. Ma

Foto: José Cruz/ABr

Página 3

quat e Página 47 6 rsida ro espe campi univedes feder cialm ais rsitá ente rios, no Cultura país, até 201interior do

Carnaval 4. Setebelos

Sh

doinéDF ruasnoow dito Brasil

Todos os dias a população Cirqu DFeem alguma região do du Soleil mau cheiro, mas paracom convive voltase deve “Vare apres isso a Caesb ao Brasi segundo entar muita kai”. O espet novo da própria l ao comportamento ousad áculo show colori que ruas. prom númelixo nas população dos e ia,joga verda àros deete rede aéreo lixo é levado Esse surpr deiram s, Outro esgoto. e dentes. ente águas pluviaiseende fator é que os moradores fazem redes clandestinas de ligação, não obedecendo os padrões exigidos pela companhia. lgação

sadois ir

entre os esa tiver inves idas País. Na oportunidade ressaltou que as trocas comerciaispr ao time ées.um aindabilhõ essasàs nto de am um países e que ambos pretendem aumentar o fluxo de investimentos. Gove E reite R$ 9,5 ornopara desafi rou que vai técn o icas, criar 201 definovacientes entre esco s unive elas, las

o

a6

pedem passarela correm perigo ao atravessar a BR-040 todos os dias, por isso Falta de drenagem provoca buracos nas ruas e trabalhadores

Divulgaçã

29

PetroPresidenta bras investafirma qu Cidade Cidade e em e pesqparcerias Ca Visita inspira cheiro Mau Cultura Mundo Melhor uisaparceriasva rn comerciais, Dilma destaca o interesse do Brasil em fortalecer i aval invade Inclusão com a Finlândia, durante visita do primeiro-ministro

Foto:

A secretaria de Educação e o Detran/DF afirmaram que estão atentos as irregularidades. Por mais que haja fiscalização pais devem ficar atentos aos veículos que prestam serviços de transporte escolar. O objetivo é verificar a segurança Governo e documentação dos veículos, Fede em especial nas áreas rurais ral e, caso constatado alguma irregularidade, que sejam tomadas as providências estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Organizadora:ESAF

E-mail:redaçãodfnoticias@uol.com.br

al

Todos podem ajudar

ANO L ETIV CONINFRAESTRUT FALTA TAGE O COMEÇURA A COM REPOLO GRESSJK E MUITO MAISMNO IVA

Duarte/Di vulgação

Foto: A. Sabino

Engolir sapo

Foto:

Tire suas dúvidas. Mande sua reclamação.

20 nº

e

Reun de um idos .com na presi .br por novo - redac depu dênc mais de PERISC tem aodfn ia da três acord tados distr po oticia Câma hora s@uo s, ontem itais perm o para ra PIO l.com não Legislativa , marc anentes a nova comp chegSão constantes .br os problemas com placas de sinalização, ada - Exem aram , os osiçãsemáforos hoje da Casa consequência é o trânsito bastante plar . , às o das a um no Sudoeste. A Itapo R$ 1,00 14h3Uma nova pior grande comi de ã, congestionado regiã circulação. É ainda 0. mês. ssõe em horários reun o admi Não adianta botar desculpas. e dãoNão alguém quandoião está sreclama segu tem nistra rança alguém muito estar ligado tiva, nos É preciso culpa em outros órgãos. algun deixa fez o que come aniversário lutare s moradoresa dese problemas da cidade e resolver. mora jar, este mora m para fazer lembram diz a popu r, pois a r. Se da que todos lação . Mas colab cidade um é preci so orare m... lugar bomtodos de se

Mais espe um ano ra uma se ente grev letivo come e. tage ndem . Hoje Governo ça e a 8 de m regressiva , segu e Sindi comu Gove março, com cato nidade para ndo o rno não estipulo assem a grev Sinpro, dos Profe escolar cump éo ssore já bleia e que u

Entrevista

A missão é regularizar O deputado distrital Wellington Luiz (PPL) assume a Secretaria de Regularização de Condomínios sabendo que não há fórmula mágica para resolver a regularização dos condomínios. Promete fazer um trabalho observando a complexidade que envolve cada um, sem deixar brechas para contestações dos órgãos fiscalizadores mais tarde.

Ministério da Integração Nacional (MI) - 53/2011 Região/Estados: Centro-Oeste | DF Escolaridade: Nível Superior Vagas: 52 Salário: Máx.: R$ 5.460,02 Min.: R$ 3.534,22 Cargos: Analista de Sistema, Analista Técnico Administrativo, Assistente Social, Engenheiro, Estatístico, Geólogo, Meteorologista e Químico. Inscrições: 02/04/2012 a 15/04/2012 Prova(s): 06/05/2012 Validade do concurso: De um ano, contado da data da publicação de sua homologação, podendo ser prorrogado uma única vez e por igual período.

de um novo tempo - Ano

Pode

PERISCserPIO hoj

Diante de tamanha cara de pau do motorista que estacionou na calçada no SIG, Quadra 1, não restou ao policial multar. Muito bom! É por essa e outras que se instalou a maior baderna no setor. Estacionam de qualquer maneira tanto carros de passeios, como caminhões, motos e tudo mais.

Foto: Divulgação

Fale com o DF Notícias

Brasí lia, Distri Jornal to Fede ral, 8

fever - Exemplar R$ 1,00 eiro - www.dfnoticias.com.br - redacaodfnoticias@uol.com.br de 2012 Brasília, Distrito Federal, 15 fevereiro de 2012 - Ano 20 nº 786

Flagrante

Foto: Divulgação

Curso: Auxiliar de Transporte e Distribuição Perfil Profissional de Conclusão Profissional apto a executar os processos administrativos de uma empresa de transporte e distribuição, realizando atividades de apoio nas áreas de logística em transporte e distribuição. Atender a fornecedores e clientes, fornecendo e recebendo informações sobre produtos e serviços, preparando relatórios e planilhas e executando serviços gerais para atendimento nas áreas afins. Deverá ainda, apresentar criatividade, bom relacionamento interpessoal, capacidade de trabalhar em equipe, cuidados com a preservação do meio ambiente, capacidade de comunicação, postura e comportamento ético. Requisito de Acesso Idade Mínima: 18 anos. Estar cursando,no mínimo o 2º ano do Ensino Médio. Conhecimentos básicos de informática. Carga Horária: 160 Investimento: R$ 640,00 Condições de Pagamento: 1 + 3x Local Período Horário Previsto Período Previsto 11/06/2012 a Gama 18:00h às 22:00h 2a à 6a 03/08/2012

Concurso

www.dfnoticias.com.br Telefones: 3964-0777 e 3039-2631


DF NOTÍCIAS

ENTREVISTA – A Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural tem a missão de coordenar e promover o desenvolvimento rural e e zelar pela segurança alimentar da população

DF tem área rural bastante produtiva

L

úcio Taveira Valadão é engenheiro Agrônomo graduado pela Universidade de Brasília (UnB) e mestre em Irrigação e Drenagem pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). É extensionista rural da Emater-DF desde 1986. Como secretário pretende realizar uma gestão mais articulada e harmônica da secretaria com suas empresas vinculadas – Emater-DF e Ceasa. Pretende estimular maior integração dos técnicos do órgão com o meio rural, assim como fortalecer a agricultura familiar, um dos grandes focos do setor agrícola que estimulará a geração de renda no campo por meio das ações do programa de aquisição de alimentos (PAA) e do programa nacional de alimentação escolar (Panae). O Distrito Federal tem tendência e meios para ser rural, apesar da especulação imobiliária ter levado ao parcelamento de áreas rurais. Como o senhor vê essa situação? O DF é a menor unidade da federação com uma população muito grande. Maior renda do país. Somos uma região dinamizadora do Centro-Oeste. Quando Brasília foi pensada na sua estrutura, existia também a preocupação de como essa população ia ser abastecida. Foi criada uma forma de abastecimento para Brasília desde a sua produção, que previa o abastecimento. Brasília é uma das poucas capitais do mudo que tem zona rural. Hoje temos 80% da área rural com área de 20 hectares. Essa ocupação da área rural foi planejada, foram criados núcleos rurais, colônias agrícolas, e assentamentos. Hoje com a lei em vigor 69% do território do DF é rural pelo PDOT de 2009. Muitas áreas rurais foram transformadas em urbanas, devido aos parcelamentos. Não se perdeu área rural? Essa área não foi perdida, foram parceladas para o crescimento urbano. No ajuste que está sendo feito no PDOT, as áreas que eram rurais e que queriam que

Foto: A. Sabino

O secretário Lúcio Valadão explica no mapa a localização das áreas produtoras no DF

fossem urbana, voltam a ser rurais. O rural do DF é pouco conhecido. Em relação ao PDOT de 2009 para cá, a zona rural até aumentou Qual o desa�io agora? Valorizar o rural. Valorizar de tal forma que a sociedade do Distrito Federal compreenda o seu papel no desenvolvimento local. Somos autossu�icientes em hortaliças? Na maioria somos. Hoje o mercado de hortaliças é grande. Uma parte da produção a gente manda para fora. O senhor pode citar algumas áreas de produção? Bacia do Rio Preto é a parte da Bacia do São Francisco,�ica na região Leste do DF. Aqui está a produção de grãos. Temos a avicultura e suinocultura e tem também a horticultura. Essa área não há uma competição com a cidade. Há uma produção grande de hortaliças que vai desde Brazlândia até Planaltina. Há produção de outras culturas. Temos 253 mil hectares com produção agropecuária, produção de grãos, de hortaliças, frutas e pastagem. Principais ações da secretaria? Regularizar as terras rurais por meio doPrograma ‘Terra legal’. É um processo longo, vai até 2014. Deman-

da muitas ações. Já temos 2.300 processos em andamento de regularização. O assunto exige muita atenção, porque estamos lidando com patrimônio público e um patrimônio muito valioso. E temos o programa ‘Abastecer’ que visa ampliar o volume de produtos hortifrutícolas e os não-agrícolas comercializados na Ceasa; descentralizar a estrutura de comercialização da Ceasa: implantação do entreposto da CEASA em Planaltina , implantação do Programa “Direto da Ceasa”, em cooperação com a Sedest e Administração da Rodoviária; implantar a Política de Redução de Desperdício de Alimentos no DF ; implantar a Política de Integração e Regulamentação dos Mercados de Orgânicos, Flores e Pescado. Os agricultores vão pagar pelas terras? Vão pagar. Isso não vai ser doado, vai ser vendido dentro das normas estabelecidas. O processo inicia-se na Secretaria da Agricultura, nós estamos promovendo a caravana da regularização, estamos visitando os núcleos rurais, colocando a estrutura à disposição, informando às pessoas e abrindo novos processos. O trabalho é muito grande. Queremos chegar em 2014

com a maioria regularizada. Como está o abastecimento? A Ceasa foi retomada. Fizemos um concurso. Temos o programa de compras governamentais. Nós estamos operando o programa de aquisição de alimentos. Nós estamos aplicando 5,2 milhões para a compra direta, para doações de alimentos e para entidades. A previsão é de atendermos muitos agricultores e 154 entidades. Doaremos 1.200 toneladas de alimentos. Os recursos estão garantidos. A entidade procura o Banco de Alimentos na Ceasa, cadastra e a partir daí, ela passa a receber as hortaliças compradas diretamente do produtor. O produtor pode dispor de linhas de crédito? Temos o Fundo que aplicamos RS 1 milhão no �inanciamento da produção e esse ano vamos aplicar RS 5 milhões. Aqueles pequenos agricultores que não têm suas garantidas vão poder se avaliados pelo próprio governo para obter seus próprios �inanciamentos. E aprovação da dispensa ambiental? É um procedimento realizado com o apoio do Ministério Público, junto com o Ibram, junto com a Secretaria de Meio Ambiente para permitir que aquelas ativi-

dades já consolidadas que não agridam ao meio ambiente, possam obter seus �inanciamentos sem passar por todas aqueles processos de licenciamento. Quando o produtor quer construir uma estufa, quer �inanciar, basta o agricultor se comprometer a seguir as regras que ele vai ter a dispensa do licenciamento. Implantamos três Casas Rurais, onde dispõem de internet no meio rural. Temos também, a Arca das Letras que são pequenas bibliotecas que vão às comunidades rurais. Hoje temos um acordo com o DER para facilitar as melhorias das estradas rurais. A Secretaria comprou cinco novas máquinas para ajudar os produtores. Tem algum projeto de empréstimo de máquinas? A Secretaria está comprando 13 tratores e a Emater mais 7. Vamos ter 20 máquinas com equipamentos para disponibilizar para as associações. Adquirimos 13 mil mudas para a recuperação ambiental. Podemos dizer que o Mercado do Peixe é um sucesso? Temos a produção de alevinos no Ipê. O produtor pode fazer a aquisição e comprar lá uma determinada quantidade por preços mais baratos. E a Agrobrasília? Vai ser de 15 a 19 de maio. É o maior evento da agropecuária do DF. No ano passado movimentou RS 200 milhões em negócios. Este ano, espera-se um aumento desse valor. A secretaria está trabalhando muito, de forma dinâmica. Considerações Finais: Hoje, sob o comando do governador Agnelo, o sistema público da agricultura prevê que a de Secretaria da Agricultura, Emater e a Ceasa trabalhem juntas, de forma harmônica e articulada para trazer melhores resultados para a sociedade. Todas as demandas do meio rural, a secretaria está trabalhando junto aos órgãos do governo, por isso o governo Agnelo mudou o nome da secretaria para a Secretaria de Agricultura, e Desenvolvimento Rural.

FECOMÉRCIO

Preço da cesta básica cai no DF O preço da cesta básica em Brasília ficou 0,86% mais baixo em março de 2012 em relação ao mês anterior. O custo dos gêneros de primeira necessidade ficou em R$ 253,70. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (9) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que realizou a pesquisa em 17 capitais do país. Apesar da queda no preço, Brasília está em oitavo lugar no ranking das cestas básicas mais caras. Na frente da lista está São Paulo, que teve um queda de 1,19% na variação mensal. Fotos: Divulgação

5 Brasília, 11 de abril de 2012

Na capital paulista, a cesta fechou o mês com um valor de R$ 273,25. Em março, o café teve alta em 10 capitais, particularmente em Brasília (4,05%), Florianópolis (3,98%) e Natal (2,93%). A maior queda no valor do conjunto dos produtos alimentícios essenciais foi registrada em Goiânia (-6,73%), seguida por Rio de Janeiro (-2,55%) e Porto Alegre (-2,01%). O levantamento do Dieese também mostra que a carne bovina de primeira – produto de maior peso na composição da cesta básica – ficou mais barata em 11 capitais, com queda de 1,27% em Goiânia, 4,50% no Rio de Janeiro e 4,09% em Natal. Em relação a março de 2011, porém, a carne está 7,06% mais cara no DF.

SINDUSCON – DF

Em março, os preços da Construção Civil no DF registraram crescimento de 0,35% em comparação a fevereiro de 2012. No terceiro mês do ano, o Custo Unitário Básico do Distrito Federal por metro quadrado (CUB-DF/m²) foi de R$ 897,66. O índice divulgado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF) é baseado padrão R8-N (residência multifamiliar padrão normal - garagem, pilotis e 8 pavimentos). “Essa expansão era esperada. Reflete uma oscilação normal dos preços de mercado. Os preços dos materiais passaram de R$ 388,86 para R$ 393,45”, explica o presidente da Comissão de Economia e Estatística do Sinduscon-DF, Marcus Peçanha. As despesas com mão de obra permaneceram estáveis.

Foto: Divulgação

O índice transmite a variação mensal das despesas do setor para utilização nos reajustes de contratos da Construção Civil. Nos últimos 12 meses, os custos acumularam alta de 5,90%. Em março, a formação do custo da construção brasiliense foi composta por R$ 438,06 (48,80%) de despesas com mão de obra; R$

393,45 (43,83%) referentes aos materiais; R$ 59,18 (6,59%) às despesas administrativas e R$ 6,98 (0,78%) aos equipamentos. Dos 29 insumos pesquisados no mês passado, 10 apresentaram redução em seus preços, enquanto 15 registraram aumento. Os demais permaneceram com os seus preços está-

veis. Entre os materiais com maior representatividade na composição do CUB-DF/m2, que apontaram queda em seus preços, estão: bancada de pia de mármore branco 2,00 m x 0,60 x 0,02 m, placa de gesso liso 0,60 x 0,60 m e fio de cobre anti chama, isolamento 750 V, # 2,5 mm². No período, o Índice Geral de Preços (IGP-M) apresentou variação positiva de 0,43%. Já nos últimos 12 meses, a variação foi de 3,23%. O CUB-DF/m² é calculado e divulgado mensalmente pela Comissão de Economia e Estatística do Sinduscon-DF, presidida pelo engenheiro Marcus Peçanha, que acompanha a evolução dos preços de 25 materiais de construção, salários de três categorias de mão de obra (pedreiro, servente e engenheiro) e um equipamento (aluguel de betoneira).

Sinduscon elabora checklist para fiscalização das obras Segurança no trabalho é prioridade para o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF). Por meio da Comissão de Política e Relações Trabalhistas (CPRT), o sindicato desenvolve ações para levar até as empresas associadas as melhores práticas. Para cumprir sua missão, o Sinduscon-DF informa as empresas associadas que a fiscalização às obras continuarão intensas. Com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes e evitar ações punitivas pelos agentes da fiscalização, a CPRT elaborou um checklist com os itens mais fiscalizados para que as empresas façam um acompanhamento dos requisitos mínimos a serem cumpridos nos canteiros de obras. O checklist é só um resumo que serve de orientação e que não abrange todas as Normas Reguladoras, bem como as demais legislações vigentes.

Foto: Divulgação

Custo Básico da construção no DF tem alta


6 Brasília, 11 de abril de 2012

DF NOTÍCIAS

Trabalho de reciclagem pode mudar vidas no DF

Ex-presidiários desenvolvem trabalhos de ressocialização de detentos e pessoas da comunidade da Estrutural, dando oportunidade de trabalho e aumentando a expectativa de vida Foto: Divulgação

A

criminalidade cresce cada vez mais no Brasil e essa questão preocupa a sociedade, pois não se encontra uma solução. Um dos problemas que mais aflige a sociedade brasileira atualmente é a situação do preso dentro dos estabelecimentos penitenciários. E mais ainda é quando o detento cumpre a pena e não tem uma oportunidade e assim volta à criminalidade. Por isso, como uma forma de ajudar e promover a ressocialização de presos Fernando Figueiredo, um pequeno empresário oferece uma oportunidade para ex-detentos de conseguirem dar um novo rumo a suas vidas. Um sonho que se tornou realidade para Fernando que resolveu desenvolver um projeto de reciclagem de materiais de lixo para confeccionar bolas de futebol e outros objetos de madeira. A confecção de bolas já existe há sete anos com a utilização da mão de obra dos detentos e uma forma de dar oportunidade e ajudar na recuperação para a vida social. Fernando Figueiredo também já foi preso e esteve na Papuda, por seis anos e meio. Segundo ele, se viu preso e sem uma oportunidade, desde então, resolveu trabalhar e produzir seu

sidiários, 10 são ex-presidiários e 23 pessoas da comunidade da Estrutural entre adultos e jovens. Fernando dar incentivo e não faz questão de saber quais os crimes que os detentos cometeram e afirma que, a partir do momento em que o procuram para trabalhar, é porque querem uma chance e querem mudar. “Existe uma falta de oportunidade de trabalho muito grande neste país, principalmente por ser um ex-detento. Geralmente, quando ele sai do presídio e quer trabalhar damos a chance e ensinamos”.

Ações de sustentabilidade

A Cooperativa produz cerca de 400 bolas feitas de material reciclado por mês

próprio dinheiro. Começou a vender sanduíches aos visitantes e a outros detentos. Nos “saidões”, oportunidade em que os presos em regime semiaberto são liberados em determinadas datas religiosas ou festivas, Fernando vendia nas ruas as bolas costuradas por ele e seus colegas. De bola em bola, Fernando ganhou autoconfiança e vislumbrou na atividade a oportunidade de

se ressocializar. A partir daí, junto com alguns colegas surgiu a ideia de fomentar uma cooperativa. Porém não foi fácil juntar dinheiro, devido ao preconceito da sociedade, quando descobriam que eram ex-presidiários. No entanto, isso não desanimou o rapaz de criar o projeto e ajudar outras pessoas que se encontravam na mesma situação.

Hoje, Fernando mantem a cooperativa de produção de bolas na Cidade Estrutural, onde os associados, muitos deles jovens em idade de risco social, aprendem a costurar bolas em vez de passarem seu tempo ocioso nas ruas. O pequeno empresário emprega cerca de 60 pessoas, que tiveram envolvidas com a criminalidade e com as drogas. Destas 17 são pre-

São confeccionadas diariamente de 20 a 30 bolas e reaproveitadas mil toneladas de madeira na forma de sofás, piquetes, combustível e na revenda às empresas de construção civil. O Sonho de Liberdade oferece diariamente almoço e lanche para os 60 integrantes e também moradia àqueles que não têm onde morar. Todo o recurso é arrecadado da própria cooperativa é dividido e repassado semanalmente dependendo da produção de cada um. “Este é um trabalho de sustentabilidade e uma for-

ma de dar oportunidade aos ex-presidiários e aos jovens que encontram-se em situação de risco. Uma realidade vista na comunidade da Estrutural. Além disso, este trabalho é muito importante, pois temos a chance de ajudar a mudar histórias e acredito que todo mundo erra e tem o direito de recomeçar”, disse o empresário. Segundo Fernando, o projeto já está consolidado, isso graças ao trabalho da cooperativa. Ele informa que pretendem ampliar ainda mais as ações desenvolvidas dentro da Associação. “A partir de agora queremos desenvolver outras ações, como a criação de uma marcenaria para a construção de outros materiais. Para este projeto estamos buscando patrocínio e queremos construir móveis sustentáveis. No último domingo a Associação realizou a entraga de ovos de páscoa para crianças e adolescentes da Estrutural. Fernando, ficou muito satisfeito com o resultado. “Entregamos vários ovos de chocolate. Foi sensacional ver nos rostos a alegria de receber ovos de páscoa”, disse. Quem tiver interesse em colaborar com doações, ser parceiro, entre em contato com o Fernando pelo telefone 9661-1412.

SAÚDE

Embora muitos considerem o tomate como sendo um legume, ele é um fruto. De formato arredondado e cor vermelha, o tomate é um alimento rico em licopeno . O licopeno, seu maior nutriente, contém propriedades antioxidantes e previne alguns tipos de câncer, como o de próstata, útero, mama, intestino, bexiga e pulmões. Possui também boa quantidade de vitaminas C, A e complexo B.; sais minerais como, por exemplo, ácido fólico, potássio e cálcio. Os tipos mais consumidos no Brasil são: italiano, carmem, cereja, caqui e santa cruz. É muito consumido na culinária brasileira e mundial. Usado em saladas, lanches, sucos e no preparo de molhos. O tomate vermelho possui mais nutrientes do que verde.

Benefícios do tomate Estimula as enzimas, previne a

coagulação sanguínea, anticancerígeno porque inibe as enzimas responsáveis pela metástase das células cancerígenas. Como possui ferro previne e cura anemia, fraqueza, palidez, o fósforo contido aumenta a resistência física, age sobre os ossos, distúrbios nervosos, stress e problemas de obesidade, além de fortalecer o cérebro auxiliando no aprendizado. O magnésio protege contra doenças cardiovasculares, hipertensão, nervosismo, tensão pré-menstrual, problemas da próstata, combate depressão e tremores, enquanto que o potássio, age também

Foto: Divulgação

Propriedades do Tomate

contra fraqueza em geral, arritmia e também pressão alta. A vitamina B2 (riboflavina) protege contra distúrbios nos olhos, distúrbios digestivos, ferimentos na boca. Apresenta ainda outros benefícios provenientes da vitamina C que aumenta a imunidade contra resfriados e outras infecções inclusive AIDS. O tomate pode ser consumido cru, cozido ou em molhos que não perde suas propriedades, evite o consumo de tomates verdes pois é contra indicado para os rins e sempre que possível também os molhos e extratos industrializados por conterem químicas que não são saudáveis. Além das propriedades antioxidantes ele possui também alta concentração de folato, vitamina do complexo B, que ajudam a prevenir a anemia e os problemas cardiovasculares. Para obter esses benefícios

basta ingerir um copo de suco ou de molho, de 200 ml, quatro vezes por semana. Quando consumir o fruto in natura ou em molhos para pizzas, saladas, refeições ou lanches, deve-se aumentar a frequência de consumo pois se ingere uma dose bem menor do que o necessário. Vale lembrar que os derivados do tomate são os mais concentrados que o fruto in natura. O vegetal fresco pode ter até 3x menos licopeno do que uma porção de molho de tomate. O tomate quando exposto a altas temperaturas, sofre uma quebra das moléculas de licopeno, o que facilita sua absorção pelo organismo e aumenta seu poder nutritivo. Na hora de comprar leve em conta a forma de como será preparado. Eles precisam ser bem maduros e vermelhos para dar cor e consistência aos molhos, sopas, cremes e sucos, mas há necessidade de que sejam grandes e bonitos. Se não for frita-los, evite comprar os tomates verdes, que amadurecem fora do pé, pois eles tem menos vitaminas que os maduros. Se for usá-los em saladas, escolha os tipos grandes, que não estejam machucados, de cor uniforme, lisos e brilhantes. Nunca pegue os com manchas escuras. Conserve-os na geladeira. A temperatura baixa diminui a ação de enzimas que levam a redução de nutrientes. E aproveite para colocá-los em sacos plásticos bem secos, para evitar a perda de água e de suculência. Não os deixe na geladeira por mais de uma semana. O tomate inteiro não deve ser congelado. Apenas o molho pode ir ao congelador.

Alimentos ajudam a melhorar a função cerebral Coordenador de todas as funções do corpo, o cérebro deve receber alimentação adequada Para ter boa saúde é primordial que qualquer pessoa tenha uma alimentação saudável, balanceada. Disso todo mundo já sabe. Mas o que também precisamos saber é que tudo o que ingerimos interfere no funcionamento da “complexa máquina” que é o corpo humano. Com o cérebro, coordenador de todas as nossas funções, a influência da alimentação é ainda mais relevante. Por isso, devemos investir nos alimentos que mais ajudam a melhorar o funcionamento cerebral, buscando o bem-estar físico e mental. Alguns alimentos não podem faltar no prato, pois garantem a saúde do cérebro e seu funcionamento. Aveia: traz energia para o cérebro, é fonte de vitaminas do complexo B que auxiliam na regulação da transmissão de informações entre os neurônios. Linhaça, óleo de peixe: fontes de ômega 3, que promove a neurogênese (formação de novos neurônios e protege os neurônios já existentes). Clorofila: fonte de nutrientes que auxiliam na eliminação de toxinas do organismo. Aumenta a atividade cerebral. O brócolis e o espinafre são as melhores opções, já que são excelentes fontes de ácido fólico, respon-

sável pela formação do sistema nervoso dos bebês. Além disso, contribui para um bom desempenho cognitivo e auxilia na comunicação entre as células nervosas. Cacau: rico em flavonóides que protegem a parede dos vasos sanguíneos e garantem um excelente fluxo sangüíneo para o cérebro. Auxilia ainda na prevenção de derrames. Chá verde: as catequinas, presentes neste chá, possuem ação neuroprotetora, diminuem danos neurológicos e a perda de memória associada. Lecitina de soja: fonte de colina, contribui para a neurogênese, que é a formação de neurônios. Possui também fosfolipídeos, sendo o fósforo um importante mineral para a memória. O consumo de alimentos que contêm colina durante a gravidez e na fase de aleitamento influi beneficamente no desenvolvimento cerebral da criança. Oleaginosas (nozes e amêndoas): contém grandes quantidades de ácidos graxos insaturados, que garantem um bom funcionamento cerebral, já que compõem a membrana das células nervosas e potencializam a transmissão de mensagens entre ela.


Brasília, 11 de abril de 2012 7

DF NOTÍCIAS

Foto: Divulgação

Zeca estreia nova turnê

O cantor Zeca Baleiro honra Brasília escolhendo o Teatro Nacional para estrear seu novo show com a turnê ‘Calma Aí Coração’ com Ninguém” (ZB) e “Calma Aí, Coração” (Hyldon e ZB). Baleiro ainda recupera algumas faixas menos conhecidas de discos anteriores, como “Mundo dos Negócios” e “Comigo”; e faz releituras de Marina Lima e Martinho da Vila. Projeções concebidas pelo próprio Zeca Baleiro vão compor o cenário do show. O novo disco tem 12 faixas, todas inéditas, à exceção de “Nada Além”, parceria com Frejat gravada por ele no cd “Intimidade entre Estranhos”. “O Disco do Ano”ainda traz parcerias com

O cantor e compositor Zeca de Baleiro preparou um novo show para a turnê de lançamento de seu 9º cd de inéditas, ‘O Disco do Ano’. O show leva o nome de uma das faixas do disco, ‘Calma Aí, Coração’, e estreia nos dias 12 e 13 de abril na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional de Brasília, passando depois por Goiás, Rio de Janeiro, Vitória e São Paulo, entre outras cidades do país. O show terá o repertório baseado no cd, destacando canções como “Nada Além” (Frejat e ZB), “Tattoo” (ZB), “Último Post” (ZB e Lúcia Santos), “Ela Não se Parece

Hyldon, Lúcia Santos (irmã de Baleiro), Kana (compositora japonesa) e Wado; e as participações especiais de Margareth Menezes, Andreia Dias e Chorão. Na produção do CD, Baleiro também resolveu ter diversos parceiros. Ao todo são 15 produtores, já que em alguns casos são dois produzindo uma mesma faixa. A capa do cd também foi produzida em parceria, desta vez com o público, que escolheu entre 3 opções colocadas em votação no hotsite www.zecabaleiro.com.br, que entrou no ar em janeiro e mostrou

Foto: William Claxton

cos de estúdio (Love and Theft – 2001, Modern Times – 2006, Together Through Life – 2009 e Christmas In The Heart – 2009). Recentemente a Anistia Internacional lançou Chimes of Freedom, com regravações de sucessos de Dylan na voz de artistas renomados como Adele, Miley Cyrus, Kesha, Seal, Jeff Beck, Mark Knopfler, entre outros. A arrecadação com as vendas do disco é revertida para a Anistia Internacional. Em 2004, Bob Dylan foi escolhido pela publicação Rolling Stone como o 2º melhor artista de todos os tempos, ficando atrás apenas dos Beatles. Uma de suas maiores canções, Like a Rolling Stone, foi escolhida como o melhor single de rock de todos os tempos. Sua música influenciou diretamente grandes nomes do rock americano e britânico.

O vestival sertanejo mais esperado pelo público de Braília já está de volta. A Granja 2012 vem mais uma vez com grandes nomes para agradar a todos que gostos. Para dar inicio aos shows, o parque receberá grandes nomes da música sertaneja e que continuam fazendo grande sucesso no cenário nacional. Paula Fernandes, Victor e Léo junto a outros cantores fazem a festa de abertura da tradicinal festa Brasiliense.

Horário: 21h Ingressos: Inteira R$ 160,00 Classificação: Não informada Informações: 3325-6256 / 8130-6681 / 9293-4074.

Quando: 17 de abril Onde: Ginásio Nilson Nelson Horário: 21h30 Igressos: Pista Premium R$ 500.00 inteira Pista R$ 280,00 inteira Arquibancada R$ 240,00 inteira Classificação: 16 anos. Informações: 4003-5588

Foto: Divulgação

Serviço: Quando: 13 a 15 de Abril Onde: Teatro I - CCBB Brasília Horário: Ver programação. Ingressos: Entrada franca, mediante retirada de senha a partir de uma hora antes do início do evento Classificação: Livre Informações: (61) 3108-7600 Programação: Dia 13 de abril, Apresentação especial para escolas, às 16h. Dia 14 de abril: às 16h e às 18h. Dia 15 de abril: às 16h e às 17h.

Foto: Ego/Divulgação

Serviço: Quando: 15 de Abril Onde: Arena - Setor de Clubes Sul Horário: 18h Ingressos: R$ 30,00 Classificação: 16 anos Informações: (61) 3342-2232 / 8413-3122

ação Foto: Divulg

Granja 2012

Onde: Sala Villa-Lobos Teatro Nacional

Foto: Ilana Bessler

O espetáculo narra, por meio das linguagens cênicas do circo, da dança contemporânea e do canto lírico, a fábula de Fedegunda, uma jovem encantadora que ama tudo à sua volta, mas que, repentinamente, se vê sem seu coração. Para reencontrá-lo e, por consequência, todo o seu amor, ela se lança numa profunda e fantástica aventura através do tempo, do mar, do vento e de seus próprios desejos. A encenação é embalada pela partitura original, executada ao vivo, no piano de Tony Luchesi. Os caminhos percorridos e os desafios enfrentados porFedegunda, representada Tatiana Kohler, são encenados e cantados pelos atores Wladimir Pinheiro, como o mar, Danilo Timm, o tempo, Kiko do Valle, o vento, e Jules Vandystadt, seus desejos. As aventuras fantasiosas e subjetivas de Fedegunda são narradas por Betto Serrador. Fedegunda é uma história subjetiva experimentada em residências artísticas/work in progress no Rio de Janeiro e em Villeneuve Les Maguelones, no Théâtre de La Grand Ourse, na França. “A montagem é resultado de um processo longo e bonito que vamos reapresentar em Brasília, após circular por sete cidades francesas, reabrir o Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro, e se apresentar em Belo Horizonte e Manaus.” Ressalta Karen Acioly, autora e diretora do musical. Karen Acioly trabalhou com o francês Camille Rocailleux, um dos mais expressivos compositores franceses de música contemporânea.

Quando: 12 e 13 de Abril.

A quinta edição do Festival Internacional do ReggaeFire, que acontece no próximo fim de semana em Brasília recebe Mato Seco e uma das bandas de reggae mais respeitadas da atualidade a Bambu Station. Aclamada e respeitada pela crítica, a banda Bambú Station é um dos grupos mais provocativos e que vão mais fundo na raiz do reggae desde Bob Marley & The Wailers. Bambu Station foi fundada em 1996 pelo vocalista Jalani Horton, um músico dedicado que durante toda a sua vida buscou o aprimoramento da poesia e da música. Por dois anos, Bambu Station tocou e fez turnês regionais, desenvolvendo um som que foi recebido com grande entusiasmo por fãs ávidos da vibração roots. Isso encorajou a banda a estabelecer seu próprio estúdio e mais tarde gravar o seu primeiro álbum chamado “Congo Moon”, lançado pela gravadora “High Rotation Records” em novembro de 1999. A energia do álbum levou uma das suas músicas a ter sido selecionada numa compilação chamada “Walking on Pennsylvania Avenue”, lançada pela gravadora “Open Source Record Label”, que tinha como proposta ter o lucro revertido ao tratamento de crianças com AIDS. A banda abriu o ano de 2003 com um dos lançamentos mais cruciais da história do Reggae Roots – “One Day”. Aclamado mundialmente por crítica e público, expandiu de vez o trabalho do Bambu Station para todo o mundo. Selecionado como “O Álbum do ano de 2003”, pelo Prêmio Anual “D.C. Annual Reggae Awards”, tendo também a música título – “One Day” sido selecionada como música do ano, e como se não bastasse a banda foi selecionada como Produção do ano. Toda essa repercussão fez ferver novamente as Ilhas Caribenhas de St. Croix e St. Thomas, que hoje é um dos “redutos” do Reggae Roots em todo o mundo.

Serviço

Musical infantil no CCBB

Serviço:

Bambu Station é uma das atrações do FIRE

Nilson Nelson recebe Bob Dylan Bob Dylan é uma figura influente na música pop e cultura há cinco décadas. Ele é considerado um dos músicos e compositores mais influentes e prolíficos do século XX. Seu longo e célebre trabalho remonta à década de 1960. Algumas de suas primeiras canções, como Blowin ‘in the Wind e The Times They Are a-Changing tornaram-se hinos para os direitos civis e movimentos anti-guerra. Deixando a sua base inicial na cultura da música folk para trás, Dylan revolucionou a percepção dos limites da música popular em 1965 com o single de seis minutos Like a Rolling Stone. Modern Times, um dos seus últimos álbuns de estúdio, entrou diretamente no topo da parada Billboard 200 e se tornou o álbum do ano na revista Rolling Stone. Dono de inúmeros hits como Like a Rolling Stone, Knockin’ On Heaven’s Door, Hurricane, Lay, Lady, Lay e Mr. Tambourine Man, Dylan chega ao Brasil com a promessa de fazer uma turnê repleta de clássicos que marcaram sua carreira. Bob Dylan vendeu mais de 100 milhões de discos no mundo todo, lançou mais de 40 álbuns e venceu inúmeros prêmios, entre eles o Grammy, o Globo de Ouro e o Oscar (os dois últimos pela música Things Have Changed, do filme Garotos Incríveis, de 2000). Mesmo com tanto tempo de carreira, ele continua ativo e criando. Na última década, por exemplo, lançou quatro dis-

os bastidores da produção do cd, com pequenos vídeos e mensagens de Baleiro, postadas diariamente até a data de lançamento.

Serviço: Quando: 13 de Abril Onde: Parque de Exposições da Granja do Torto Horário: 22 horas. Ingressos: Arena: R$ 30,00 Camarote Vip: R$ 60,00 Camarote Casa do Cowboy (Open Bar): Feminino R$ 100,00 / Masculino R$ 120,00 Classificação: 16 anos / 18 anos nas áreas open bar. Informações: (61) 9150-0901 / 8299-0009 / 3048-3030.


Brasília, 11 de abril de 2012 8

DF NOTÍCIAS

CIDADE

Escola de Música oferece cursos A Associação de Pais, Alunos e Mestres (Apam) da Escola de Música de Brasília abriu ontem a inscrição para as Oficinas Básicas Pontuais. São cursos livres de curta duração, sempre aos sábados, voltados para a formação musical, em diferentes modalidades, nos níveis básico, intermediário e avançado. Crianças, jovens e adultos têm espaço no projeto, que já é reconhecidamente um sucesso. Quem já é aluno pode renovar a matrícula. As oficinas são concentradas em três edições por ano e, a cada temporada, cresce o número de participantes. Elas já formaram aproximadamente 18 mil alunos desde 2004.

Mais de trinta modalidades oferecidas

As oficinas apresentam amplo repertório: violão popular, violão erudito, violão de choro, guitarra, cavaquinho, teclado, piano, guitarra, flauta transversal, saxofone, violino, bateria, percussão, canto coral, canto lírico, canto popular, clarineta, leitura musical, gaita, baixo elétrico, acordeom, dança de salão (forró), musicalização infantil (a partir de 3 anos de idade), canto coral (infantil, juvenil e adulto), cajon, pandeiro, leitura musical, percepção e solfejo, técnica para DJ, trompete e samba e chorinho com prática de conjunto. Informações na Associação de Pais, Alunos e Mestres (Apam) : 3321-1593

A pichação é crime e uma questão social

Povo Fala O senhor(a) é a favor das pichações?

Poluição visual em diversas áreas já faz parte do cotidiano de quem passa pelos muros de casas, órgãos públicos e monumentos históricos da capital federal

A

s pichações representam um problema crônico das grandes cidades no mundo inteiro. É possível visualizar degradações nas fachadas de casas, órgãos públicos, placas de sinalização, em monumentos históricos no centro de Brasília, nas regiões administrativas, entre outros. Muitos deixam a marca da poluição visual constante, pois já fazem parte do cotidiano de quem passa pelos locais. A Subsecretaria de Programas Comunitários (SUPROC) da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) informou que estas ações são questões que surgem na escola. À primeira vista, parecem apenas formas de expressão, como tantas outras. Mas, dado o efeito que provocam nos grandes centros urbanos, fica claro que não é possível tratá-las como formas de expressão. Até porque, para a grande maioria representa uma degradação. Mesmo se tratando de duas formas de expressão distintas, a legislação brasileira igualou os comportamentos, fazendo-os receber o mesmo tratamento na esfera criminal. De acordo com a lei, no Brasil, a pichação é considerada vandalismo e crime ambiental, nos termos do Artigo 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), que estipula pena de detenção de 3 meses a 1 ano, e multa, para quem pichar ou grafitar edificação urbana. As pichações são feitas em locais não autorizados, de forma rápida, sem técnica artista, visando confrontar a sociedade, seja por meio de frases de protesto, que até podem ter algum significado de cunho político, ou simplesmente para deixar uma marca, seja o nome, o apelido ou qualquer outro tipo de assinatura que identifique o pichador.

Fotos: A. Sabino

“Não. Acredito que deve ter mais investimentos na educação, porque esse negócio de pichação é coisa de quem não tem o que fazer. E as pessoas precisam denunciar para que tenham justiça”. __________

Ilza Aparecida Gomes, produtora rural, 43 anos

Fotos: A. Sabino

Espaços públicos são degradados por pichadores. Até placas de sinalização não são poupadas

As poluições visuais estão por toda parte principalmente em grandes avenidas, muro de casas, grades, prédios, nas placas de trânsito, nas fachadas das lojas e não é preciso muito esforço para notá-las. A analista de sistemas Ana Cláudia Ramos da Silva, 38 anos reclama que existe muita falta de responsabilidade por parte do governo em cima de ações para coibir a degradação de patrimônio público. “Manter a ordem é de responsabilidade do governo e da segurança pública e isso não tem acontecido. Quando passeamos por Brasília, nos deparamos com diversas ações de vandalismo desde luz quebrada em passagem de pedestres, até grades pichações em fachadas de prédios, muro de casas, lojas, patrimônios públicos... O que está sendo feito para coibir essa onda de degradações?”, perguntou Ana Cláudia. Estudos mostram que o jovem passa a respeitar o patrimônio público ao terem opções de lazer oferecidas pelo estado e pelas escolas. Por isso, existe o

Projeto em Águas Claras contra a pedofilia O projeto “Fim de Tarde no Parque” é para conscientização ao combate à Pedofilia no DF e apresentação de grupos artísticos para o fortalecimento da cultura popular. Hoje, a pedofilia em Brasília, se tornou um assunto discutido em reuniões de organizações que cuidam dos direitos da criança e do adolescente, associações e principalmente em deliberações governamentais. As denúncias de violência sexual contra crianças, não param de crescer na capital federal. A população precisa ser informada da gravidade do problema que se depara a Capital Federal. A proposta do projeto “Fim de Tarde no Parque”, é afirmar e deixar bem claro que: Parque é para criança brincar, não para ser aliciada. A ideia que o parque é um ambiente perfeito para família. Ambientes onde crianças possam circular livremente, brincar, enfim, gastar as energias. Infelizmente a realidade não é tão perfeita assim. Os parques hoje em dia são lugares preferidos para pedófilos cometerem seus crimes, pois sabem que ali encontrarão com certeza famílias e crianças. Objetivos da ação: Conscientizar a população da importância ao combate à pedofilia por meio de ações com informações e esclarecimentos a respeito do crime; Proporcionar aos visitantes do Parque Ecológico Águas Claras, momentos de descontração por meio de apresentações que fortalecem a cultura popular; Reunir pessoas no fim de tarde para confraternização e descon-

tração em um ambiente harmonioso; Divulgar a importância do combate a pedofilia por meio de pedalada ciclística nas ruas da Região Administrativa de Águas Claras; Orientar à população quanto a importância de denunciar o abuso sexual a crianças e adolescentes; Atrações • Brinquedos infláveis no parque para a criançada; • Divulgação e conscientização da campanha no parque e entorno; • Museu de Drogas; • Taxitermia “Empalhados”; • Cufa; • Trio Elétrico. O projeto será realizado no próximo fim de semana nos dias 13 e 14 no Parque Ecológico de Águas Claras para todas as idades. A programação segue da ão oduç r seguinte forma: p e R Foto: Dia 13 de abril Atrações musicais a partir das 16h, com Banda H3, Banda Amplitude (Tributo a Raul Seixas), Banda Cobogo, Júnior Tana e Banda, Thiago Amaro, DJ PH e DJ 2pac. Dia 14 de abril 3ª Pedalada Contra a Pedofilia, às 15h, concentração no Shopping Quê, de Águas Claras. Logo após, sorteio de bicicletas infantis. As atrações musicais, a partir das 16h com Geraldo Azevedo (MPB) e Beto Guedes (MPB). Mais informações: (61) 9316-5797 ou 7812-6131

projeto Picasso Não Pichava, da Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/ DF) que realiza um trabalho de fortalecimento em cima do processo de cidadania individual e coletiva, resgatando talentos escondidos, além de desenvolver valores humanísticos e éticos nos jovens. A major Cintia Queiroz Silva, responsável pelo projeto explica que as pichações são atos de vandalismo e isso se deve a falta de educação e de oportunidade. Ela salienta que essa prática começa dentro da escola onde o jovem começa a pichar as carteiras, paredes, quadros, portas de banheiros e para competir com outros adolescentes começam a deixar marcas e assinaturas. “Este é um principio de educação, pois quando eles resolvem ganhar notoriedade começam a pichar locais proibidos e ousados fora da escola deixando suas assinaturas e provando quem é o melhor”, elucida. Segundo a Major, o grande problema desse crime é que não é mensurado com facilidade, pois gran-

de parte da população não faz ocorrência. “As pessoas não denunciam e isso dificulta as ações. Por isso, a criação do programa Picasso Não Pichava que realiza palestras educativas e oficinas em todas as escolas e comunidades. Além disso, criamos núcleos para práticas culturais e ações de ressocialização do infrator e do jovem”, ressalta. As ações do Picasso não Pichava inclui ainda a promoção e realização de cursos de capacitação profissional e encaminhamento de seu público alvo para o mercado de trabalho por intermédio de parcerias com entidades públicas e privadas, em articulação com os órgãos competentes. O programa também redireciona o potencial artístico dos jovens, por meio dos núcleos que oferecem oficinas de Grafite, Rap, Dj, Break, Capoeira, Cinema, Teatro, Música, Serigrafia e ainda gera outras oportunidades por meio de cursos profissionalizantes, palestras socioeducativas, concursos, exposições e participações em eventos culturais.

“Claro que não. As pichações atrapalham muito. As pessoas que fazem reformas nas suas casas, pintam, deixam tudo bonitinho e no dia seguinte um marmanjo vai lá e picha. Fica uma sujeira só. Esse povo tem que ser punido”. _______________ Risomar Matias, pedreiro, 42 anos

“Não. As pessoas deveriam antes de qualquer coisa ter vergonha na cara e serem punidas. Acho que isso é falta de educação com a nossa cidade. Até as placas de trânsito são pichadas. Está difícil!” ______________

Adaiane Macedo, autônoma, 22 anos

Polícia Quadrilha chefiada por menor é presa no Itapoã Um adolescente de 16 anos chefiava uma boca de fumo no bairro Fazendinha, Itapoã, e tinha dois maiores – um de 30 anos e outro de 18 – como empregados. Todos foram presos às 17h de segunda (09/04) por agentes da Seção de Repressão a Drogas da 6ª Delegacia da Polícia Civil do DF com 18 pedras de crack e R$ 545 em dinheiro, provenientes da venda dos entorpecentes. O menor começou a traficar aos 14 anos e vinha sendo investigado há dois meses pela Polícia Civil. Ele contratou Ronaldo Martins de Souza, 30

anos, e Marcos Soares da Silva, 18, para se resguardar das ações policiais. Os empregados do adolescente infrator ganhavam 30% do que era apurado com a venda das drogas. Ronaldo e Marcos foram presos em flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas e podem ser condenados a uma pena que varia de oito a 25 de anos de reclusão, em regime integralmente fechado, pelos dois crimes. O menor foi encaminhado à DCA para a adoção dos procedimentos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Balanço das rodovias do DF na Semana Santa As rodovias federais que cortam o Distrito Federal e Entorno tiveram 50 acidentes com 58 feridos e seis mortes durante a Operação Semana Santa, realizada pela Polícia Rodoviária Federal entre a última quinta-feira e a até meia-noite de domingo (8). O número representa queda na ocorrência de acidentes e feridos, mas aumento no registro de mortes. No mesmo período do ano passado, foram registrados 57 acidentes com 64 feridos e cinco mortes. A BR-040, que liga Brasília à Região Sudeste, está entre as rodovias mais movimentadas que cortam o DF. O inspetor da PRF, De Lucas Barbosa, informou que as mortes nas rodovias ainda estão ligadas a imprudência no trânsito.

“Tivemos registro de colisões frontais e laterais. Na maioria dos casos a imprudência motivou esses acidentes. Então, a PRF reforça que é preciso que a sociedade tenha mais responsabilidade e respeite as leis de trânsito para se evitar essas mortes”, enfatizou Barbosa. Nos quatro dias de operação, a Polícia Rodoviária Federal registrou a saída de mais de 110 mil veículos do Distrito Federal. No total, 85 policiais fiscalizaram os 957 quilômetros de rodovias federais que cortam o DF. A ação foi feita nos cinco postos da PRF. Durante a Operação Semana Santa foram usados seis radares portáteis e cinco bafômetros, um em cada posto de fiscalização.

edição 793  

df noticias e um jornal semanal