Page 1

IT’S A B RAND WO SUSAN

A BAR

BOSA

RLD


ZARA CHA NEL

ETIQ

UETA

CON

SUM

ISMO

S

NIKE MAR KET

ING

SOLU

MAR KETI

ÇÃO

MAR KETI

NG

GRÁ

FICA

NG


ZAR A M A R K E T I N G


ZAR A M A R K E T I N G

-

Grupo Inditex Primeira loja 1975, Galicia, Espanha Amancio Ortega, fundador Primeira loja internacional no Porto Zorba, nome inicial


ZAR A M A R K E T I N G

- simplicidade - preto: elegância, estilo e excelência - criticada por ser demasiado simples e genÊrica


- Distribuição na Europa demora 24h, outros continentes 48h - Maioria das empresas são na Europa = redução tempo de distribuição = Produtos novos todas as semanas = Consumidores interessados todas as semanas - Produzem séries em poucas quantidades = sensação de escassez = sentimento de exclusividade = compras impulsivas - Prejuízo compensado com outra tendência - Produtos menos vendidos, redireccionados para outras lojas Inditex - Site oficial funciona como loja online

ZA R A M AR K E T I N G

- Distribuição controlada = 2 semanas, da produção para o mercado


ZA R A M AR K E T I N G

- Roupa sofisticada - Democratização do luxo - Marketing não convencional (quase inexistente) = poucos gastos = 0,28 dos custos para publicidade - Única estratégia de marketing, próprias montras e lojas = Lojas com design - Preços fixos e baixos - Primeira loja a ter últimas tendências nas lojas = Logística rápida - Atenta ás sugestões dos clientes


ZAR A M A RK E T I N G

- Cada loja é única e ajusta-se ás diferentes culturas e ambientes - Lojas localizadas nos sítios mais luxuosos, nas maiores capitais do mundo


ZAR A M A R K E T I N G

- 200 designers produzem 10.000 produtos diferentes todos os anos - Faz parte das 100 marcas mais valiosas do mundo, estando no segundo lugar


ZAR A M A R K E T I N G

“For the full body shape woman, Zara is the fashion expert for your wardrobe that helps you look the best you can because it takes the high fashion trends and adapts thems for the Real you.�


“Curvy is the new black”


ZAR A M A RK E T I N G

- Competição directa com a marca GAP - Acusada de exploraçção no trabalho e de imitar as grandes marcas - Perigo de não conseguir manter ritmo rápido com o aumento do número de lojas


NI KE MA R K E T ING


- Nike em 1978, deusa da vitória, Grécia - Primeira loja, 1966, Califórnia - Swoosh, primeiro modelo de sapatilhas - Inicialmente era só para atletas de alta competição, associada maioritariamente homens - Transmitiam espírito de competição, superioridade - Fim da 2º guerra mundial, símbolo de força, masculinidade, heroísmo - Começa desde logo a associar a marca a personalidades e depois a eventos desportivos

KE MAR K E T I N G

- 1964, Blue Ribbon Sports, Universidade de Oregon

NI

- Marca americana


- Não encontraram uma personalidade ideal para publicitar - Cada distribuidor local com a sua própria estratégia - Focaram-se apenas na performance e na inovação, retiraram a agressividade - Recuperaram 90% do controlo na distribuição e publicidade da marca, centraram-se em cada região - Associaram-se ao futebol

KE MA R K E T ING

- Considerada agressiva e arrogante

NI

- Com a mesma filosofia na europa não resultou


- Maior marca de desporto - Mais de 40.000 de trabalhadores

- Não patrocinou oficialmente os Jogos Olímpicos, mas com a publicidade dos atletas teve mais sucesso que as restantes - Ganhou dois Emmy Awards por melhor publicidade - Nike não cresceu pela sua superioridade técnica, apenas no basquetebol a teve - Maioria dos grandes atletas não escolhe Nike - Desportistas compram apenas porque gostam do aspecto

NI

- Mais de 700 lojas

KE MAR K E T I N G

- Comprou marcas como Cole Haan, Hurley International, Converse e Umbro


- Centra publicidade nos mass media - Publicidade única e provocativa - Publicidade focada nos produtos mais dispendiosos - Durabilidade - Lealdade - Credibilidade - 97% do reconhecimento que têm devese á eficácia do logo

KE MAR K E T I N G

- 40% dos custos em publicidade

NI

- Design de produto


- Utilização de personalidades similares á da marca (determinados, controversos, inconvencionais), personificam a marca - ‘Ensinar os consumidores com as necessidades dos atletas, e transmitem a sua paixão’ - Ao verem este atletas a calçar nike, aumentam a confiança na marca - Trouxeram a moda para as actividades desportivas - Parcerias de longa duração, consistência

KE MAR K E T I N G

- Todo o marketing através da conquista dos ídolos da actualidade

NI

- Sucesso da empresa através da imagem positiva, ter significado para os consumidores


NI

- Sensação de que tudo é possível, que és um campeão com as tuas Nike - Sentimento de inclusão numa comunidade - Sentimento do extraordinário, da coragem - Quer-te como tu és

KE MAR K E T I N G

- O que difere a Nike de outras marcas desportivas, como Adidas e Reebook é a publicidade, a transmissão do ‘sentimento’


NI

- Objectivo: responsabilidade social - Preocupação com o ambiente, criam primeiro par de sapatilhas através de desperdícios

KE MAR K E T I N G

- Distribuição feita por níveis, produtos a altos preços só para alguns distribuidores, os de baixo preço são vendidos em grandes centros


NI

- Website que permite partilhar informação nas redes sociais - 2009 Nike+, parceria com a apple, a revolução, a marca aproxima-se dos consumidores - Tratamento personalizado e individualizado

KE MAR K E T I N G

- Inovação da Nike: tecnologia


NI

- Acusados de exploração no trabalho e exploração infantil - Publicidade da linha 6.0 gera polémica pela introdução de frases como ‘Dope’ e ‘Get high’, marca é acusada de incentivar o uso de drogas

KE MAR K E T I N G

- Reciclagem de calçado gera polémicas com problemas tóxicos


CHAN EL MAR K E T I N G


- 1909, Coco Chanel - Inicialmente criava roupa desportiva para mulher - Alguns dos desenhos de Chanel derivam dos uniformes militares - Fama explode com o seu Classic Black Dress - Sucesso financeiro, cultural e comercial do perfume Nº5 levou ao reconhecimento da marca - Depois deste perfume, lançaram uma linha de perfumes - Despertou o desejo pela alta costura - Desenhou roupa para Salvador Dali

EL MAR K E T I N G

- Contrariou as tendências do séc. XIX

CHAN

- Marca francesa


- Em 1957 recebe Oscar , considerada a personalidade mais influente do século - 1978 , primeira colecção que é disribuída pelo mundo inteiro - Alain Wertheimer criou a nova evolução - Gastou milhões em publicidade da Chanel nº5, tirou-o das dorgarias = sensação de exclusividade - Celebridades usam Chanel - Depois da frase de Marilyn Monroe, foi o perfume mais vendido do mundo

CHAN

- Ficou exilada pelos crimes que cometeu

EL MAR K E T I N G

Coco Chanel durante a 2º guerra mundial foi colaboradora Nazi e anti-semita, e tornou-se agente secreta.


- 1990, Claudia Schiffer é rosto da marca e lança a sua carreira - Em 2010 já não fazia parte do top 3 de marcas luxuosas, perdendo para Louis Vuitton, Hermes, e Gucci, perdendo 11% do valor da marca - Inovação em 2012, primeira vez em que uma fragância feminina é representada por um homem.

CHAN

- inicialmente o público-alvo eram apenas adultos

EL MAR K E T I N G

- 1983, Karl Largerfeld entra na Chanel


- Alta costura - Design simples - Bens luxuosos - Famosa pela versatilidade estilística - Silhuetas estruturadas - Lema: luxo e contenção - Alta qualidade de confecção (design, construção e finalização) - Estabeleceram a reputação da marca como meticulosa, conhecida pelos detalhes

EL MAR K E T I N G

- Elegância, sofisticação, originalidade

CHAN

- 310 lojas pelo mundo


- Mesma técnica de merchandising desde sempre - Misturam os modelos clássicos com as peças da época - Não criam novas fragâncias com muita frequência = consumidores com especativa e curiosidade - Produto mais vendido: malas - Christian Dior é o seu adversário directo, pela oposição de estilos

CHAN

- Mantêm um aspecto místico na marca

EL MAR K E T I N G

- 6 colecções por ano, peças substituidas a cada 2 meses


CHAN

- Lojas sempre localizadas em comunidades ricas - Atendimento ĂŠ treinado para ser diferenciado - Publicidade tambĂŠm dominada pelo uso de celebridades - Estilo Chanel personificado nas modelos e actrizes

EL MAR K E T I N G

- Montras em escala. ProporcĂľes enormes ou tamanhos reduzidos


CHAN

- Conforto, estilo de vida activo - Aspecto feminino confortável e prático - Utiliza cores masculinas para enfatizar o carácter, a força da mulher - Público alvo, mulheres dos 18-39 - Revolucionou o mundo da moda na alta costura e na casual

EL MAR K E T I N G

- Incentiva a auto-confiança


- Transmitir os seus sucessos aumentando o desejo dos comsumidores - Tenta combater a falsificação: todas as malas da marca são especialemente numeradas - Próximo objectivo é entrar no mundo das redes sociais

CHAN

- Vários sites para as diferentes vertentes da marca

EL MAR K E T I N G

- Site interactivo, criativo e inovador: tramsmitir espirito da marc


“Simplicidade é a palavra-chave para a verdadeira elegância”


“Fashion passes, style remains”


“Fashion is not something that exists in dresses only. Fashion is in the sky, in the street, fashion has to do with ideas, the way we live, what is happening�


“Não há mulheres feias, há mulheres mal cuidadas”


“Change nothing and everything�


ET I Q U E T AS


- Todos os produtos actualmente tĂŞm uma etiqueta

- Comparam-se a um cartĂŁo de visita

- Contribui no mundo da publicidade e pode ser uma ferramenta de marketing

ETIQ U E T A S

- Produto da cultura moderna

- Promover a marca, adicionam-lhe valor

- Falam pela marca, e do seu design e caracteristicas, tĂŞm um efeito importante

- Contributo para a originalidade da marca

- Forma de serem reconhecidos no mercado


- Estabelecem relação entre o produto e o consumidor

- Contem informação útil - Elemento que faz parte do produto

ETIQ U E T A S

- Atrair os clientes e levá-los a comprar

- demonstram profissionalismo

- Aumentam a credibilidade no produto

- Design ainda não muito explorado

- Etiqueta cuidada, sinónimo de roupa cuidada


ET I Q U E T AS


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


ETIQ U E T A S


CONSU M I S M O


CONSU M I S M O

- Palavra utilizada pela primeira vez em 1915 para mencionar os direitos e interesses dos consumidores - Actual significado em 1960 - O que despoletou: revolução industrial = quantidade, preço - Capitalismo, materialismo - Invenção do carro, factor importante


- Elitismo - Bens materiais vão-te fazer felizes - Factor prazer, satisfazer desejos - Sentimento de excitação por poderem escolher o que querem - Sentimento de gratificação por comprar algo que eleva o seu estatuto social - Identificação com o produto - Vive do sentimento de insatisfação - Tradição do culto é facto, os pobres tentam imitar os afluentes, os afluentes tentam imitar as celebridades

CONSU M I S M O

- Individualismo


CONSU M I S M O

“You work in a job you hate, to buy stuff that you don’t need, to impress people that you don’t like”_ Fight Club


- Cartão de crédito é a maior invenção do mundo consumista - publicidades - Design responsável por transformar qualquer espaço num espaço de consumismo - Competição entre marcas - Consumidores compram para o produto ser reconhecida = lógica das grandes marcas - Inveja é um ponto a favor nesta situação - O que é consumido não é o produto, mas sim o seu significado

CONSU M I S M O

- Já não se compra para sobreviver


CONSU M I S M O

“I can imagine it, therefore I want it. I want it, therefore I should have it. Because I should have it, I need it. Because I need it, I deserve it. Because I deserve it, I will do anything necessary to get it�


CONSU M I S M O

“When people have lost their authentic personal taste, they lose their personality and become instruments of other people’s wills”. Robert Graves


SOL U Ç Ã O G R Á F I C A


SOL U Ç Ã O G R Á F I C A


SOL U Ç Ã O G R Á F I C A


SO L U Ç Ã OG R Á F I C A

n elige ue d veru eseq vendis tur? ebis ua m ius d stru m, q um, el entio , et qua Har s p iore llibu ima dia do o met

30€


SO L U Ç Ã OG R Á F I C A


SO L U Ç Ã OG R Á F I C A


SO L U Ç Ã OG R Á F I C A


SOL U Ç Ã O G R Á F I C A

Apresentação  
Advertisement