Issuu on Google+

editorial | design | impressĂŁo Editorial Design Branding MultimĂ­dia


MODERNA Roteirização de material multimídia.

Enciclopédia do Estudante Matemática II

TRABALHOS

Desenvolvimento de projeto editorial e organização didática. Elaboração de conteúdo e tradução de texto do espanhol.

§ Elaboração de conteúdo para o Projeto Buriti – Matemática. § Edição de texto da obra Matemática , de Ênio Silveira. § Edição de texto da obra Conviver Matemática , de Luís Marcio Imenes.


SISTEMA UNO

Ensino fundamental 2 Revisão técnica. Elaboração de sequências didáticas (Power Point).

Ensino médio Edição de texto. Elaboração de sequências didáticas (Power Point). Roteirização de material multimídia.

TRABALHOS § Edição de texto da obra Uno Expresso 2.0. § Organização didática do caderno de questões – regional Bahia. § Coordenação da equipe de professores-plantonistas encarregados pelo suporte via telefone e internet para todo o Brasil. § Resolução e comentário de vestibulares para o portal www.sistemauno.com.br. § Assessoria pedagógica em Matemática para diversas escolas do Sistema. § Gerenciamento da equipe de elaboração de simulados. § Elaboração do manual do professor de Matemática (parte geral).


ÁTICA 2.

a do p A escr it

róprio

nome

o d a t i r c A es e m o n o i o própr iniciar

s para aminho alfabetização c s o d Um o de process 1. O mei

2.

Coleção: Nós da educação

Arte, Inglês e Música (1º ao 3º ano) Ciências, Matemática e Língua Portuguesa (4º e 5º ano)

Edição de texto. Preparação de texto. Leitura crítica. Diagramação.

nte

rande é uma g o nome ri p do len ró u p no m ver o e entram uir escre tras qu as que le ç Conseg n e a d ri c conjunto para as e tem ta m m u is o u e n q d n o co so, ata-se para lém dis final, tr : serve dade. A trado. A definida a identi u ces, te s n n a e e rt m pe ra remete ocial cla rcar os nção s ara ma onquista p c , a a m o uma fu u s pes r ser ntar a e pode ém. Po represe rio nom bre algu algo so do próp r zação. e ta iz ri e c d b s alfa ti a e para alho de icativa, b if a n ntr ig s o ra da cria muito icial pa desafio ntapé in sso, o undo. e m c o ro ser o po n p sse iona leeço de ta func ntos de No com a escri s conju r como le m e e d u n q a te s sabe m e le e e v O desm o s ça é en om ulto atamen ue ela ito?”; “C e os ad q u je q to das sido ba o o r s o m is “P es É m ” stante a floresta ? o li o d a pri re to s é um p ri ró nalisad c p m s e o e s s im m tá o pela m o s tema q c c tras e o o m e lh u o ba seus re ue tem o q ídia nos a il tr u q o a e flexos n (aumen últimos r– e que é lv o s egativo to dos anos, a re r r. ta a n g s ç fe a te sobre o sses do o an v e p a u la a rq n o ta a tem de efeito e s e anim ser hum ra p dá-l stufa, m ais, alte ano ça ão segu ode aju muitos orte de rações a crian formaç nome p , in o o e ç u d e in tr n m o te ú o regim s). meras co é fon e de ch rita. No omo um O nome Mas se uvas, e de esc lugar, c rá que is ntre algum modelo s, ela tran o m m c e u u s o o e p to é c he a pe realmen re os scri rgunta, te um p plo, d piá-lo. A nome e m o c u xe e e s ta p r o n ro a. Afina rque mu blema? , po olha as, e te l, se alg ita gente Não es orquando de preg uém nã pode te , como rminada floresta – cartaz o sabe r essa d ridades m dete c la , e o s u , m o g m m o id re úvic u te é a ito bem re o caso pe a z p re o s n e e a s identific de muit urbana como é tras m nom oas pess –, a ne uma de nm e as le e existe oas que cessida ento e o nota qu re a lista rifica qu de de m vivem n próprio do sar sob e n bém ve d e a m p d a a o d o T ri s n e . A erva na itorar o . bate so ula a g n dem a re ri a a r tu b d re a pre ral” pod esmata e be aria e M e não te servaçã a perce u nome a e ç s e r como M e m v o o r c significa dessa “r n-O tema q escre do nenh sala, ela eue abo seu mjuu nder a mes da um. rdaremo ntes no s ta. Apre s neste endetar mente o estu de escri es existe re m a p o m n m te o s c primeiro do de u sis tro a m u e o o s o m ã b o m em. capítulo laç ambien -lo c essa re te que n é a. compará tender ão conh funcion Como vo da a en ecea escrita o c ê m do a aju o d c eve sab r rico, qu o lh e m e e z r, ambie significa cada ve nte é um entorno ra é um . Pode-s termo g ambien e dizer enéte, assim um aqu que o p como u ário, a laneta T ma flore sala de erapenas s ta, uma aula e para cit s colmeia ua cozin ar algu , ha tam ns exem Nesse c b ém o s plos be aso, pa ão, m difere a flores ra fin s didátic ntes. ta: com os, usa o estud se amb remos c ar com iente e omo exe os alun como d o mplo s problem a s carac eixá-los as que terística sensibili essas re s deszados e do amb g iõ es enfre m relaç iente pre ntam. A ão aos cisa da res, po final, a p ajuda d demos reserva e todos m ção o n tiv ó s, e, com ar as c amanhã rianças o profes , de form sopequen a positiva a s , adulto em rela 8 s do ção a e sse tem a.

1.

16

o ambie

O meio ambie nte

Como d eixa familia r as crianças m rizadas com o t ais ema


s notáve

Produto

Elaboração de conteúdo. Preparação de texto. Revisão técnica e textual. Programação visual para InDesign CS4. Diagramação. Pesquisa iconográfica. Ilustração.

§ Edição de texto das obras SER – Ensino Médio , SER – Pré-vestibular e SER – Revisão . § Assessoria pedagógica em Matemática.

Caderno de resoluções (Exatas)

= (z − 4) 2 8z + 16 d) z − =3 2 + 2ab = 4(r + 3) + 12 = (a − b) 2 6. a) 4r 2 + b a, b) = os ut 3. a) N( od − b) 2 2ab = a 1 – Pr 2 − ab = a(a lo b+b + 3a + 5) tu a 2)( pí b) + a2 − 2a Ca (4a = 90 a + 2) = 2 = 9 + 81 5(4 o 2 + çã 2 2) +9 2 = 10a 9) = 3 3a(4a + e fatora 3, c) 2 N( − 3) 2 = a + 9a gina 12 2 + (3a) 10q(2p icar, pá o al− 30q = 3a) = a , então d) 20pq Para prat 2 2 + 14x + 49 2 b) N(a, lo de 10 + 3) x a∈ é múltip 9 = (2x + 7) = alquer ) + (x qu x 3a 2 a) ra 12 a, 1. + pa N( 2 a, 3a), Como x + 49 7. a) 4x 2 N( ) 3y de 2 = x − 14 + 2 = (5 final 7) garismo b) (x − 30y + 9y ro. 2 ⇒ b) 25 + 2 mpre ze 4) = 0 = x − 64 se y) + é 8) − − (x z, 2 ⋅ x 3) = (2x 2 c) (x + 8)( 2 ⇒ (x + 4xy + y 12 = 0 s2 c) 4x − 1 2 + 7x + 2 + 2rs +  1  5x   s)2 = r 4. a) x = −4 d) (r + 2 2 −3 ou x 2 + 5x + = x  s x ⇒ + 4 s 2 d) 25 2 = r − 2r =0⇒ x=2 e) (r − s) 1) 2 5x − 14 2 x = −7 ou + 1)(x − b) x + r2 − s 2 − 1 = (x 2) = 0 ⇒ r + s) = 7) ⋅ (x − 8. a) x =0⇒ 9) f) (r − s)( ⇒ (x + 1 ⋅ (x + 3) 2  + 9)(y − (x − 4) 2 − 81 = (y ⇒ 0  a1 = a − 4 = 1 b) y − 12  2 − 7)  2 c) x − x 2 = g)  a  2  + 7)(3a = −3  2 − 49 = (3a )⋅3+3 4 ou x = x 2 + 2 ⋅ (4y 9a ⇒ c) ) 3)2 = (4y 1 − a) =0⇒ y=8 2 = (1 + a)( h) (4y + 2 15y + 56 9 y = 7 ou 2 + 24y + d) y − 2 = d) 1 − a 2 8) = 0 ⇒ = 16y − 1) ) + (3a) 7) ⋅ (y − Ca 1 =tu(4a ⇒ (y − 2 2 ⋅ 5 ⋅ (3a 2 8a +pí lo 1 – Pi )2 = 5 + ⇒ 16a − 0 3a a) = + 9. lh 2 (5 2 as i) 2 s) 14x + 49 e) x − s2 = (r − 30a + 9a + ra 7) = 0 ⇒ 2 2rsPa 52 = = 25 + praticar ) 7) ⋅ (x − b) r − (6x)5 + 3 ⇒ (x − 7y,) página )2 − 2 ⋅ 9. ízes iguais 5(2x + 19 5)2 = (6x (duas raSoma = 02 + 6) = 0 ⇒ y =Su 3 +1. 2 35b. j) (6x − + + 32 bstâncias ⇒x=7 04 25 c) 10x + 3) ⋅ (x 2 − 60x +   1 = = 38 sim  n) 1 − x ples (S, daçã n)(m = 0 ⇒ (x = 36 2 2 = (mo+= ze 2 + 9x + 18 01. Falso S8 ): núm     5  ⋅ x ⋅  2 2 ro x n . 2 O − + f) 1 =x ero de ferro po y)  5  = −6 d) m  oxi- = −3 ou x re 7x − 12 ssui men dução b) Evita k)  x  5  SO : x2 += (7x + 12y)( quxe+ o7) ⇒x or pote r a oxid 2 4y  oxigên 2(–2) = 2 − 14 = 3)( ncial de ação do + so 1) + x (x fre io. O fe 0 ⇒1)x+=y(2a 21 = oxidaç e) 49 cano de 2 + 10x + rro, po +4 2x 1 c) oxid , ferro. SO 2–: x y + y = x(2a + rtanto, processo x + ão 2 ação do 5. a) x 3) constituind 3 + 2a+ 3( 25 2 =x + 5 4)( . x –2 o metal de − + ) x (x o = =  –2 ⇒ x ânodo f) 2a 2 − x − 12 sacrifíc =  2  2  = do 0 y) x +4 M + g b) io: H x (s) SO 1)( 2 08. Falso a + 2) → Mg 2+ ⋅   = (2a +2 4 ; 2(+1) + 3)( 2 + 3y) . − − + – A 2  = y2 − 2 ⋅ y  3   3  (a 2e x di (5x  = + ferença 6x 2  a−6 18xy = 4(–2) = 0 ⇒ de pote reduçã c) a − ∆E = E oxid 2. b.xA l)  y  3  2 − 12x + x = +6 aç o da tu ncial é: x + 3)  g) 30 reação de bulação = −+0 (x − 2)( ão + E redu =4 x − 2y) )(5 2 ção = x 6 ,4 2yirr átomo 2 = (5x +ox + 1,23 de ferro ed ução e d) x + Fe 2+ + 2e – =x +1 4 4 2 − é: : 4y + 4) o5)No ,67 = x de 2 3 = → Fe 0(s) h)+125x = (x + 3)( = y − 3y 9 cada + y(x − 16 12 ⋅ 52 + 5 5) + . +5 –2 2 − Fa 7x 2 ⋅ 5 + 3a lso. O fe x(x 3 e) x + 0− 5y = K N + 7) 3 = a + 3a rro re xy x aç + 0 O so 5)( 2 ão é 5x + 5) fre o agen35 = (x + global: +1 +6 oxidaç i) x − 3 + S8 + C –2 125 2. a) (a ão 2 + 12x + te redu → 2 + 75a + y) ; +4 A po + K tor. 5) x –2 m − 5)( rtanto, a f) x S 3 2 43 = r va Mg 0(s) = (xaio = a + 15 riação 2 y22) = O4 + C O + 0 10. a. Pa x⋅4 + − 3)(x + + Fe 2+ → 2 4+3⋅ ocorre 2 do −nú N2 ra− 15 = (x 3 +3⋅x ⋅ 2 + y )(x Mg 2+ + 0 mero de no4 =en x2 + 2x que não ha (xxo g)da 4)3 = x Fe (s) oxidação fre, y) y +a 2) solução, x4 − y b) (x − 2 paraj) +6 d) O M 0 reduçã + 64 − 5)(ja e aum = (y ela g se ox o dos ío . 2 )(x + y)(x −qu x + 48x 3 deve se enta de 2 − 3y − 10 pi ida – ag ns Ni 2+ en = x + 12 y r (x2 + y te re ar h) = 3 = ze duz – ag m cu ente re ro jo metal 3)(a − 2) azenada ) 3 + 8) = 3. b. A 3 = dutor. ente ox − tem )2 − (3y em (x (a m (3y ) 7x = es ⋅ aio re O Fe 2+ se 3y ) = 6 pécie4 H idante. potenc cix 2 r qu + 3 ⋅ (2x c) (2x − ial de re 7x + +56 recebe + 4) 2 ⋅ (3y) + 16 i) a − 5ae o do níqu a) . . m 3) d ) 10 an 3 − dução do a su 2)(x2 − 2x elétron el:y 3 3 ⋅ (2x 2 27y (redu bs 11. Ao 2 8y + 15 = (y − 5)( estanho e co (2x) − 2 54xy − − 3) )⋅ y çã = 7x(x +tância hidr o) forbre. ⋅ (ab4. 3 36x y + j) yse− misturar og y(yio+ 3)( 2 ⋅ 3 + 3 = ên 2 − 9) I. = 8x − Co c. ) so (H ). rreto. O com so Na pres 3 9y = y(y luções 3 3 ⋅ (ab 2 luções que co en− metal de a − 3) = 3 (ab) + que co à tubu ntêm Cl – de Ag + b) y ça de luz, a = a(a − 3) − b( + 3) = sacrifíc a fo a ntêm NH lação m 6. rm O d) (ab para Ag − ab + 3b prata io doa açãox3de 8 etálica 3 = é redu ⇒ elétrons 2 ,3a dação. 3 , pode oc oxidan . Ocorre hidraz zida com as o, porta c) a − sendb) orrer ⋅ 32 + 3 te da , porta = m2irr y se nto, o 2x  4 ina, N2 H , + 27 reaç a− nto, ox − y) = x ea ão − 3)( de ag 2 b2 + 27ab çõ 2(x . (a ⇒ 4 + en = 2 es ac iy) − te : 9a 4) ⇒ y = x ordo 3 3 x− II. Corre 5. d 2 ClO – + =ab +  2x  = (x + y)( x 2y H to ( ) − 2 O 2 . O ferro  + 2 e(–x → + 2x 2 2 2 de redu po x ⇒ d) x − y 2 – 4 y ssu OH 2 4 2 2  = 2) x Cl i maior ção qu y NH + 2 y+ 2 +6 x  2+ e o zin 0 po 3 3. b − y)(x + x y  OH – → (x m te E 2 = ai nc 2 = co or tend ial +0,90 V N2 H + 2 y x 2 ência em . Assim, o zin x  y = −2 ⇒ 4 H –2gina 13 y x ferro, fo co terá 2 K Cr − 2 2O + 2 e– E0 = Reação oxidar 2 x orar, pá rnecen y= 2 2 +0,10 V em rela glob ⇒al: 2 O7 ra y ap2rim do elétro SO + 3 4 = 0 ⇒ ção ao Pa + 8H ClO – + 2 ns para 4 x ) C2 H O → 2 Cr 2 , III. Erra 2 2y x + y x 2NH → a tubulaç 6 x →(2  2 = ⇒x + 22 0⇒x+y =0  10 7 do. A 2 (SO ) + N 3 )⋅ 32 d x c H 4 ão 2 1. 2 3 7. =  K + pr .  2 4 H2 O + Cl –  10 7 ata po y) de redu 2 SO + 2 x 3 ⋅ (2 ssui maio ⇒ (x + 32 ção do 4 xLo  2ab 4 = C2 H4 O42 x +11 ∆E0 = +1 2 , a mist Sendo k  r potenc +3 que o H2 O 2 )x  (22 ) ] go cobre te ,00 V  ura po cobre. ial c rá tend = ou à= ex 2 ⋅ [(2 Dessa fo 0⇒ x )2 ] x ência em 4. c 10 7  plosão temos:de levar à to b) = 21 Soma x  qu rm − x0 2  (2 4 e = 32 (a a,  comprom . ) ab dos índi o 4  idade perder 2 = 210 ⇒  32  10 7 xic ces este 2 ⋅ [(2 x x eteria a e/ elétrons 2 +2+2 12. b. As  a2 b − ab =quiom4ét 4 tubulaç ,o 0⇒ + 3 + 11 bateria k   IV. Corre ricos: 2 ão. (7) = 21 7 ⋅ = 31 2 s de ce x  +8 30 to. O m ⇒ ab ⋅ regáve x   2 ⋅ 32  10 lulares  4 ) = 2+3+ ⇒ ab = etal de is. Dura trons, ou Como + b) ⋅ 1 = 2 ⋅ (4 210 : 7 sacrifíc 2 nte o se32  10sã7o pilhas re + (a a tempe se ⇒ ab = x re x ja, ⋅ io aç  ca 2 b) ox pe õe u  x ratura = rida. Po rde elé o agen = (a + com a re ( 2s) sã= o espont  funcionamen 4 4 da so rtanto, ) , ân te redu +a+b ( 3vo ação, ela lução au âneas to, as esse m tor da + b) ⋅ x odo, oc e no po é exotér m ta2 ) = etal é reação 5. a) (a orre ox lo nega m(ica3.  2 ) ( 3en 17. A re . 6. a. Osb(a + 2) = (x + 1) sitivo, idação tiação1 en + Nox do = (a + b) cátodo . Já no 2. a) volve 2 x(a + 2) s átom , ocorre polo po de met fluem + 2b = são: 1 m os = ab ol re 2 qu + de − du al e=va do ânod 2x 3 ria elétrons ção. Os deposit m na re b) ax + o para ado. As elétrons por mol externa. ação x + b) 0 sim, te o cáto mos: do na = (a + 2)( 2 mol de – +1 1)(s) + −Fe fiação e Na Cl O + 1)(2b 13. e — 65 g 1,5 · 10 -2 2 (aq) → +3 1 = (2b O ferro de Zn 0 Fe m c) 4b − –1

notáveis

Diagramação. Revisão de provas.

ões das

TRABALHOS

(

+2⋅

Resoluç

Avaliação integrada da aprendizagem

2 )  ( 3 )2 + 3 2 ) = ( 2 3⋅ 2 + 2 6 +2=5 + 2 6 2

b) 2

ão

r e Revis

aprimora

oxidou ; portant 2 O3 (s) + NaCl(a q) o, é o ag ente re dutor.

Eletroqu

questõe

ímica

s das se

ções Pa

ra pratic

ar e Para

aprimora

r

ol de e – — 200 — g de Hg 0 x — x = 4,8 y 7 · 10 –1 g; y = 1,5 Po rtanto, I. Verd g + 0,4 = adeira. a massa +1 ,65 V O iodo 4,87 · 10 –1 de zinco facilmen sofre re 14. d. Ba co g te que ns e a mas umida dução lancean tada é o alum sa de m é de oxidan mais de 1,5 do as re ínio, en te. ercúrio espécie g. tão é m ações e deposis quím elhor anulan icas igua 18. a) Po global do as II. Verd is, cheg lo posit da pilh adeira. a-se à a: ivo da O alum reduçã reação pi tencial lha: cá o (Palá ínio te de redu Zn(s) + todo – dio). Po m men 2OH –(a ção, ou ânodo ocorre or polidade lo nega q) → Zn – ocorre seja, te em sofre tivo da O (s) + m maio oxidação r oxidaç pilha: Ag O(s) H2 O(l) r faci(Níque ão (per + e– 2 Ânodo: + H O( l). III. Verd der elé l) + e – → 2 adeira. trons). 2A Ni  g(s) + 2O –  O alum Zn(s) + (perde   Ni 2+ + ínio so H (aq) Cátodo Ag O(s) elétrons 2 e– fre oxid 2 : → ZnO( ) e o io nha elé aç s) do 2+ ão + 2Ag( Pd + 2 – sofre re trons). 15. a) O s) e  dução  metal M Reação  (ga Pd global: é cham fício, um IV. Falsa ado de Ni + Pd 2+ . O ele a vez qu metal de  trodo do b) A co  e evita  lação at (oxidaç  Ni 2+ + sacrincentra alumín a corro ão). ravés da Pd çã io é o ân sã o o da em de Ni 2+ da tubu doação metal da odo que o aumen de elétro tubulaç V. Falsa ba ta à m stão de ção. ns para ão. Para . O ∆E tamento ediníquel o da pilh que es aconte sofre ox a é +2,19 se com ça id ta co 8. a. Co al po m M deve V. o o espe rA conc mo o co possuir rado, o entraçã bre ap maior uma te o de Pd 2+ mecial de resenta tion re que o ndência reduçã diminui o maior cebe os metal de oxid o ele nã um pote , pois, da tubu elétrons potené, não ar de o o nc so ní lação, perde cáial de re perdid fre oxid quel e elétrons ou seja, os pelo se redu lação é dução ação, ist bastão . z a Pd. menor. constit o uída de Se a tu c) A tabe único en buferro, o la mostra tre os magné metais que a di (produ usado sio é o citados to) faz minuiçã para es qu co o de [N 2+ se fim. m que e pode tencial i ] a difere ser aumen te em re nça de (+1,24 polação ao V). Em valor pa contrapa de [Pd 2+ drão rtida, a ] (reag diminui ente) di ção minui a difere nça de

7. d

∆E = E 0

= +1,25

oxidação

+ E 0 redu

ção =

1

Quím ica

Resoluç

a

eções P

es das s

questõ ões das

ar, Para ra pratic

máti Mate

SER

s

conjunto

ação e is, fator


SARAIVA

Portal Saraiva Conecta Classificação de questões de todas as disciplinas.

TRABALHOS § Edição do manual do professor de obra de Ciências para PNLD.


BARSA PLANETA

Livro do ano 2011 Ciência e Futuro Preparação de texto. Revisão de provas.

Curso de Español Revisão de texto.

Enciclopédia Barsa Universal (versão impressa e eletrônica) Checagem de 17.000 personalidades. Edição dos artigos temáticos de todas as disciplinas. Preparação de texto. Inserção das alterações no sistema eletrônico. Diagramação.

TRABALHOS § Revisão de artigos para o Portal. § Conversão para e-Pub da obra Uma breve história do Brasil.


IBEP

Change Rediagramação. Batida de emenda.

Panorama da História Rediagramação. Batida de emenda.

Cambio Coleção Eu gosto Rediagramação. Batida de emenda.

Rediagramação. Batida de emenda.


DCL

Biblioteca multimídia Boxe para acondicionar DVD. Espelhos para DVD. Catálogo de divulgação. Livreto explicativo.


RIDEEL Catálogo de livros Versões em inglês e espanhol Diagramação.

Coleção Base do Saber Matemática e Geografia Diagramação. Revisão técnica.


OUTROS CLIENTES

MADAME LIVRO


Veja outras vantagens ao contratar a Schäffer § Empresa que cresceu mais de 200% nos últimos 12 meses. § Possui 100% dos seus colaboradores internos em regime de contratação CLT. § A única que possui uma carteira com mais de 180 colaboradores externos. § Aquela em que todos os seus colaboradores estão preocupadas com a qualidade do seu produto. Viu só? Não deixe que o seu cronograma acabe com o seu bom-humor. Lique agora e solicite uma visita a um de nossos representantes:

2387-0300 ou (11)2387-0301

(11)

contato@studioschaffer.com

Que tal nos visitar e tomar um café conosco? A Schäffer possui um aconchegante espaço e convida você para conhecer o nosso trabalho mais de pertinho. Estamos na rua Sousa Filho, 701 – Freguesia do Ó, próximo à ponte do Piqueri.


Catalogo Schaffer