Issuu on Google+

O grande teste...

SORRIA PARA A FOTO! As câmeras compactas estão cada vez mais sofisticadas e cheias de recursos. Testamos 9 modelos para você escolher a sua. Por Stella Dauer. Fotos Eduardo Rodrigues

M

inha primeira câmera digital chegou de fora do país em 2001. Era uma Casio com 0.3 megapixel de resolução, menos até do que encontramos nos celulares mais baratinhos. Quase dez anos depois, eu me deparo com modelos cada vez mais incríveis, que, além de possuírem mais de 10 megapixels, contam com recursos muito diferentes e úteis, como projetores, resistência à água, tela de toque, gravação de vídeos em HD etc. Com uma câmera, você já pode ter um minicentro de mídia na bolsa, pronto para fazer uma exibição de slides com direito a música para toda a família na TV da sala. Além disso, com os vários efeitos e ajustes disponíveis, é possível soltar a imaginação e passar bem longe do lugar comum. Entre tantos modelos legais, nossa escolha foi difícil. Reunimos as melhores marcas e procuramos modelos que ofereçam um diferencial, seja a qualidade de foto, sejam recursos curiosos, para que você possa escolher sua câmera e sair por aí fazendo capturas incríveis. Aproveite!

86

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 86

®

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:03


Upgrade Grande teste

Sons e Fúria Os novos modelos com as novas plataformas Core i5 e Core i7 da Intel vieram provar que lugar de PC de mesa é no lixão da cidade - ou em algum lugar mais ecológico. Mas nunca na sua mesa.

www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 87

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

87 23/06/10 18:04


Conclusão

A Samsung ST1000 pode ser cara, mas reúne recursos que estarão presentes em todas as câmeras apenas em alguns anos, e ainda conta com imagens muito nítidas e com boa cor.

Contraste, nitidez e ótima cor. Não há do que reclamar

Samsung ST1000

R$ 1.170 (www.fastshop.com.br) www.samsung.com.br

P

elos recursos que essa câmera tem, pode parecer que ela á um celular ou um netbook – só falta falar. A Samsung ST1000 vem com conexões Bluetooth, Wi-Fi e recurso de geotagging, graças ao GPS embutido. Isso significa que você pode tirar fotos em que ficarão armazenadas as informações de latitude e longitude, dando a localização da captura. As conexões sem fio servem para enviar fotos para outros dispositivos de maneira bem fácil. Com o Bluetooth, você envia fotos para celulares e outras câmeras, e com o Wi-Fi, você manda direto para o computador ou mostra tudo no home theater. Se quiser, ainda há atalhos diretos para YouTube, Facebook, Picasa, Flickr e outros, para fazer publicações diretamente na internet, sem precisar de um PC. Seu corpo é em plástico e a frente é em metal escovado, dando um bonito acabamento. A tela de toque de 3,5 polegadas impressiona, mas é um pouco demorada na resposta e não há qualquer caneta para ajudar com isso. Ela ainda tem um sensor de movimento que permite que comandos preestabelecidos sejam acionados com alguns gestos, como inclinar a

88

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 88

®

câmera para os lados, para cima ou para baixo. Seu menu é bem caprichado e simples de lidar. Com alguns toques, você chega à função que precisa, e não há dificuldade no entendimento dos comandos. Em nossos testes, enviamos rapidamente uma foto para um celular, sem problemas. Outra vantagem da ST1000 é que ela funciona com cartões microSD, e para quem ainda não tem o cartão, ela vem com 100 MB de memória interna. Mas uma mancada é a porta proprietária, já que se você perde esse cabo, fica sem ter como se conectar ao computador por fio ou mesmo carregar a câmera, uma vez que que o adaptador de força se liga ao mesmo cabo de conexão. E com todos esses recursos, a bateria pode esvair-se mais rápido do que você pensa. Ela tem 12.2 megapixels de resolução, e um respeitável zoom óptico de 5x, bastante pelo aspecto pequeno da lente. Falando em lente, a dessa máquina é uma Schneider Kreuznach Varioplan, cuja distância focal é de 6,3-31,5mm e 1:3,6-4,8. Isso equivale a 35-175mm, menos que uma grande-angular ou uma superzoom,

mas resolve problemas diários. Para completar, ela faz filmes em 1280×720 pixels, resolução HD, com som estéreo. A função de recuperar fotos já apagadas também é uma boa. Além dos modos de cena já conhecidos, a ST1000 também tem recurso de seleção automática de cena ou de configurações. Mas para quem gosta de explorar seus recursos, o modo manual permite fazer ajustes no branco, contraste, ISO (que vai de 80 a 3200), brilho, entre outros. Por ter tela de toque, possui o recurso de escolha de ponto focal por toque, muito útil. Também há o sistema de detecção de rostos, sorrisos, olhos fechados e modo de autorretrato. Não gostamos muito de flash, e o da ST1000, que alcança pouco mais de três metros, não é grande coisa. O disparo é rápido e o contraste das fotos é muito bom. Uma característica de bons modelos da Samsung é a nitidez e a cor agradável de suas imagens, vistas de maneira semelhante apenas em produtos da Panasonic.

O que vem na caixa? Câmera, bateria, correia da câmera, adaptador AC/USB, CD com manuais, manuais.

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:04


Upgrade Grande teste Conclusão

Esta é a câmera para quem quer um produto de qualidade, um “plus” na hora de mostrar para os amigos, mas não quer muita enrolação no momento de fotografar.

Boa cor e nitidez, mas fica um pouco lavada no projetor

Nikon Coolpix S1000pj

R$ 2.600 (www.walmart.com.br) www.ttanaka.com.br

Q

uem tem uma Nikon profissional morre de amores pela sua. Já quando o assunto são compactas, sabe que a Nikon não conseguiu até agora emplacar no Brasil nenhum sucesso, principalmente por insistir em utilizar pilhas em seus produtos e por não caprichar tanto quanto faz com as DSLR. Entretanto, chega ao mercado a 1000pj, uma compacta à altura de suas concorrentes, que alia a qualidade das lentes Nikkor a uma série de outras vantagens. A estrela da S1000pj é o projetor embutido, que mostra na parede ou em outras superfícies fotos e vídeos com boa qualidade. Com 10 lúmens de potência, ele encara projeções até mesmo em salas iluminadas – diversão garantida. Um botão acima da câmera regula o foco, permitindo que você faça projeções menores e mais próximas ou maiores e mais distantes. Um pezinho de plástico que acompanha o produto permite acomodá-lo de forma fixa e inclinada sobre uma mesa. O controle que vem com a câmera é um mimo. Diminuto, ele é levinho e tem apenas os controles mais básicos, mas, ainda assim, é

www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 89

bem útil, tanto para as apresentações pelo projetor como para tirar fotos sem precisar mexer na câmera. É perfeito, por exemplo, para quem quer se aventurar no mundo do stop motion. O menu das câmeras Nikon não costuma impressionar muito pela beleza. É meio malacabado, mas o importante é que mantém a ordem de tudo sempre no mesmo lugar. Quem já mexeu com uma Nikon, mexeu com todas. Para marinheiros de primeira viagem, no entanto, os botões sem explicação textual podem parecer um pouco confusos. Uma ótima vantagem é o uso de baterias recarregáveis. Finalmente a Nikon abandona as pilhas, ainda presentes em alguns modelos anteriores. Ela é um pouco pesada e não é muito pequena, mas o que pode parecer uma desvantagem traz, na verdade, uma sensação de segurança e robustez ao segurar a câmera para a foto. Seu corpo é em metal e plástico de ótima qualidade, como as profissionais da marca. É uma câmera bonita. Já é um milagre a Nikon ter colocado gravação de vídeo com áudio na câmera, então, não dá para reclamar muito que a resolução

seja VGA, de 640×480 pixels. Se bem que, pelo preço, esperávamos gravação em HD. Perde pontos com a entrada proprietária. Perca o cabo e você terá problemas. Sua definição de 12.1 megapixels produz fotos extremamente nítidas, além de ter a beleza de tons e cores das Panasonic e Samsung. Ela produz macros interessantes e seu flash é um pouco exagerado, mas bem distribuído. A qualidade das lentes Nikkor são aumentadas com o zoom óptico de 5x, o tamanho de 5.0-25mm e a luminosidade de 1:3.9-5.8. Uma mancada dela é não ter um modo manual. O máximo que pode ser feito é mexer na compensação de exposição, e só. De resto, você cai no automático, na seleção de cenas, no disparo por sorriso ou no bizarro Seguimento do motivo, que avisa quando você não está mais enquadrando o que fotografou antes.

O que vem na caixa? Câmera, bateria, correia da câmera, cabo AV, cabo USB, carregador, CD de instalação, manuais, pé para apoio e controle remoto.

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

89 23/06/10 18:04


Conclusão

Para ir à praia ou ao clube com as crianças, é perfeita. Leve, barata e resistente.

O modo Super Macro da Olympus não perdeu o foco aqui

Olympus Stylus-550WP

R$ 600 (www.carrefour.com.br) www.samsung.com.br

D

á medo entrar com uma câmera debaixo d’água, principalmente com uma que não é sua. Mas corajosamente fizemos o teste e comprovamos: a Olympus Stylus-550WP aguenta sem problemas as fotos submersas. Isso acontece porque todas as menores entradinhas são vedadas com borracha, e até por isso é tão difícil abrir algumas delas. Se você esquecer uma das portinhas abertas, a câmera avisa assim que é ligada. A Olympus Stylus-550WP é a câmera para quem quer começar a fotografar. Seu menu é simples e muito explicativo, mostra com fotos exemplos dos modos de cena. Ela possui modo de programação de fotos, mas ele mesmo tem presets e não permite muita liberdade, bom para quem quer explorar outros tipos de fotos sem bagunçar tudo. O corpo dela é compacto, mas ela é levinha. Traz todos os botões necessários, mas todos bem sucintos por causa da vedação contra água. Seu design é divertido, uma boa câmera para a família. A tela de 2,5 polegadas é peque-

90

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 90

®

na, mas está de bom tamanho para seu público e seus recursos. Mas cuidado, são apenas 3 metros de profundidade. Isso significa que você pode brincar com ela na piscina e na praia, caso não seja adepto de mergulho. E dá para se divertir bastante, porque a bateria aguenta bem sem o uso do flash. Perde pontos com a entrada proprietária. Perca o cabo e você terá problemas. Apesar de já utilizar baterias recarregáveis, a Olympus ainda não perdeu a mania de adotar o padrão de cartões xD em seus produtos. Essa é uma memória flash que cai cada vez mais em desuso, praticamente só a Olympus a utiliza. Porém, dessa vez ela pensou melhor e decidiu colocar um cartão xD que é, na verdade, um adaptado para os microSD, bem prático para quem tem um no celular. Sua lente Olympus tem zoom óptico de 3x e 10 megapixels de definição, tamanho de 6.720.1mm e luminosidade de 1:3.5-5.0. As cores são meio lavadas, mas a imagem é bem nítida. Ela não se saiu muito bem em situações com

muita luz, mas seu modo Super Macro tira fotos ótimas com a câmera a menos de 5 centímetros de distância do assunto. Como outros recursos, ela conta com um estabilizador de imagem interessante e também com detecção de rostos, para priorizá-los na hora do foco. Ela também faz vídeos em qualidade VGA (640×480 pixels), em qualidade boa para o YouTube. No entanto, a Stylus-550WP não tem som na hora da exibição, mas reproduz tudo normalmente no computador. Apesar da simplicidade, a Stylus-550WP tem seu público bem definido. Ela é perfeita para aqueles que não querem ficar perdendo tempo ajustando configurações ou se preocupando onde leva sua câmera, com medo de ser roubado e ter o investimento de meses indo embora. É pegar, apontar e clicar!

O que vem na caixa? Câmera, bateria, correia da câmera, cabo AV, cabo USB, carregador, CD de instalação, adaptador de cartão microSD, manuais.

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:05


Upgrade Grande teste Conclusão

A PowerShot SD780 IS é o que se pode chamar de câmera versátil. Ela tem habilidade de fazer fotos boas onde outras não conseguem.

Fotos internas impressionantes com o ISO alto

Canon PowerShot SD780 IS

R$ 800 (www.fnac.com.br) www.canon.com.br

C

anon é sempre sinal de câmeras de qualidade. E com a PowerShot SD780 IS não poderia ser diferente. Apesar de sua aparente simplicidade, essa pequena câmera tem 12.1 megapixels de definição em fotos e faz vídeos em HD. Entre todas as que testamos, ela foi aquela com a qual nos acostumamos mais rápido – e a que foi mais difícil colocar de volta na caixa. Quando o assunto é design, somos só elogios. A PowerShot SD780 é a menor de todas as câmeras testadas: cabe na palma da mão e se esconde facilmente em um bolso. Seu acabamento em plástico e metal é todo arredondado, dando um visual orgânico ao produto. Testamos a preta, mas as cores branca, rosa e vermelha também podem ser encontradas. Ela também tem um viewfinder – que não tem muita acuidade e é meio inútil. Essa Canon também sai na frente devido à sua recente queda de preço em algumas lojas, o que a torna extremamente competitiva para quem busca a tradição de uma marca de quali-

www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 91

dade conhecida. A companhia de um cartão SD de 1 GB na caixa também é uma boa pedida. A câmera possui sensor de movimento que vira a foto conforme mexemos a câmera. A transição de uma imagem para outra no modo de visualização é suave e bonito. Sua bateria tem longa duração graças ao novo processador DIGIC IV. O menu é o mesmo de todas as outras Canon. Se você já usou, muito bem. Se nunca usou, vai sofrer um pouco para lembrar onde estava cada função. Entretanto, seus muitos modos de cena que acompanham o sistema são bem legais, inteligentes, sem muita inutilidade – é possível brincar bastante sem saber fotografia. Seu modo manual é um pouco limitado. Uma pena. No vídeo, a PowerShot SD780 não faz feio, pois o sensor arrasa na filmagem. Além disso, grava em HD (1280×720 pixels), algo difícil de encontrar por esse preço. Ela também exibe os vídeos em câmera lenta também, mas não mostra som nem no modo normal. O sensor da Canon Zoom tem 12,1 megapixels, mas zoom óptico da lente é de apenas 3×.

Ela tem tamanho de 5.9-17mm e luminosidade de 1:3.2-5.8. Não é uma lente das mais potentes, mas cumpre seu papel para uma compacta. Ela possui detector de face, de piscar de olhos e sistema de estabilização de imagem, ambos muito bons. As fotos da PowerShot SD780 tem boa qualidade, mas perdem para Panasonic e Samsung. Em certos modos de cena, apresenta cores vívidas e ótimos contraste e nitidez no modo retrato. Ademais, o modo macro é muito bom para essa lente. As fotos externas saem perfeitas, unindo a qualidade do sensor a uma boa estabilização de imagem – estabilização essa que brilha no modo ISO3200, que levou a PowerShot SD780 a fazer, no teste, as melhores fotos em ambientes com pouca luz. Ela também tem flash homogêneo e pouco exagerado.

O que vem na caixa? Câmera, bateria, correia da câmera, cabo USB, carregador, manuais, cabo AV, CD de instalação, cartão SD de 1 GB.

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

91 23/06/10 18:05


Conclusão

Esta é a câmera para quem quer as melhores imagens, recursos básicos e vídeo em HD com som estéreo.

Apesar da pouca luz, manteve as cores quentes

Panasonic Lumix DMC-ZS3PU-K

R$ 2 mil (www.carrefour.com.br) www.panasonic.com.br

T

er uma Panasonic na mão é garantia de qualidade instantânea, seja uma câmera DSLR, seja uma compacta. Com a ZS3, não poderia ser diferente. Antes mesmo de conferir qualquer outro de seus recursos, você liga a câmera, tira uma foto e se impressiona na hora com a qualidade das imagens. Não há muito a dizer sobre ela, porque sua característica matadora é mesmo a beleza de suas fotos. Ela não tem muitos recursos diferentes além da gravação de vídeos em HD, mas não precisa de mais nada. O design não é seu forte. Por ter uma lente grande, com zoom óptico respeitável, ela acaba sendo pesadona e tem uma cara bem retrô, lembrando as compactas analógicas. Mas mesmo com esses contratempos, ela tem boa pegada, e seu peso garante aquela segurança que os fotógrafos mais experientes prezam. Por outro lado, a roda de troca de modo na parte superior é um pouco confusa, e pode levar a erros. Seu menu tem a vantagem de ter sofrido poucas modificações desde os primeiros mo-

92

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 92

®

delos digitais compactos da Panasonic. Então, ele é simples e tranquilo para quem já mexeu com outras da mesma marca. Ele possui letras grandes e não tem muitas frescuras com cores e efeitos – é funcional. Sua tela de 3 polegadas não é a maior entre os modelos testados, mas a Panasonic conseguiu resolver bem o que precisava colocar nela, sem deixar nada ilegível. Os modos de cena presentes nessa câmera são peculiares. Além dos normais, como paisagem, retrato, neve (?), noturno e outros, também estão presentes o modo pinhole (que deixa uma bordinha escura ao redor da imagem), tempestade de areia e pele suave, modo este que suaviza o rosto e está presente na maior parte das câmeras que testamos. É a mais nova moda depois da detecção de rostos, que a ZS3 também tem. Na hora de falar da qualidade da imagem, só há elogios. As cores de suas fotos são muito particulares e bonitas, quentes e vívidas. As fotos são nítidas e com contraste ideal. A lente conta com um zoom óptico de 12X, o maior de

nossos testes, e também com formato wide de 25mm, para fazer fotos que abrangem muito mais área na cena. Pelas fotos que você vai fazer, os 10,1 megapixels de resolução nem farão muita diferença em relação aos modelos mais poderosos. O flash é bem equilibrado: é possível fazer retratos sem ficar parecendo um fantasma. A única desvantagem que notamos é que ela possui poucos ajustes manuais, um desperdício para com lente e imagens tão boas. E para melhorar, a ZS3 grava vídeos em HD com áudio em estéreo, com ótima qualidade. Ela ainda vem com a tecnologia AVCHD Lite, que permite passar os vídeos em uma TV de alta resolução. Para isso, além da saída proprietária para conectar-se ao computador, ela também conta com saída HDMI – mas não vem com o cabo.

O que vem na caixa? Câmera, correia da câmera, carregador, cabo AV, cabo USB, CD de instalação, manuais.

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:05


Upgrade Grande teste Conclusão

A Z950 é a câmera compacta para quem procura recursos manuais avançados e boa qualidade de imagem, além de vídeo em HD.

Mesmo em ambiente escuro, a foto não perdeu cor

Kodak EasyShare Z950

R$ 1 mil (www.shoptime.com.br) www.kodak.com.br

S

urpreendente é o mínimo que podemos dizer da Kodak EasyShare Z950. Seu visual “antigo” engana quanto à quantidade de recursos e qualidade das imagens. E seu preço, considerando tudo o que ela pode fazer, tem ótima relação custo–benefício. Seu visual é chocante: difícil acreditar que ela não seja analógica. Grandona, desajeitada e pesando incríveis 223 gramas – a mais pesada em nossos testes. E toda preta, sem atrativos visuais. Mas na traseira, a primeira coisa que vemos é uma boa tela de 3 polegadas. Além disso, podemos ver os botões comuns a todas as câmeras, porém dispostos de forma bem ousada. Explico: mesmo não estando nos locais de costume, mostraram-se bem colocados. Essa nova disposição foi uma boa ideia da Kodak, pois deixa a traseira da Z950 muito mais sóbria e discreta, fora o botão Share que a Kodak insiste em manter (e que eu duvido que alguém utilize com frequência). Os botões de temporizador e flash foram parar no topo e ficaram mais fáceis de alcançar. A roda dos modos de

www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 93

seleção tem as funções principais. O menu também é legal. Na hora de mexer nos ajustes manuais, estes ficam embaixo da foto, evitando o trabalho de ficar entrando em um menu por um botão físico, escolhendo, dando ok etc. Com o botão de navegação multifunção, você passeia entre os ajustes e em segundos está tudo acertado. O botão de informação explica todas as funções e ajustes, além de sumir com os dados que aparecem na tela. Apesar de possuir uma saída proprietária, ela é prática por utilizar o mesmo cabo para carregar e conectar-se ao computador, diminuindo o volume de coisas a serem transportadas. Também é um benefício a Z950 ser um modelo em que finalmente a Kodak abandona as pilhas e adota a bateria recarregável, cuja carga é reposta conectando a câmera direto na tomada. Porém, a maior vantagem da Z950 é a versatilidade dos ajustes manuais. Controle de abertura do diafragma e tempo de abertura entre 1/1000 e 16 segundos é uma coisa bem difícil de ser vista em câmeras compactas. E ela

ainda tem o recurso de criar fotos panorâmicas, o que é encontrado somente na Sony. Unindo isso ao sensor de 12 megapixels e o zoom óptico de 10X em uma lente Schneider Kreuznach de ótima qualidade, temos aqui uma câmera que, pelo preço que custa, é um bom negócio. Para completar, ela filma em formato HD e vem com um cartão SD de 2 GB. E por ter inúmeros ajustes manuais, não há do que reclamar de suas fotos. Com tanto alcance, basta saber mexer ou se aventurar um pouco para fazer boas fotos em ambientes com pouca luz, externas, retratos e macros. No modo automático encontramos boa nitidez e cores vivas. Porém, é bom notar que não é uma câmera para quem procura algo bem compacto e prático. Se não precisa de tantos controles manuais, melhor pegar a Panasonic ou a Casio, que tem grandes lentes, bom zoom e menos ajustes manuais.

O que vem na caixa? Cabo USB, carregador, câmera, correia da câmera

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

93 23/06/10 18:05


Conclusão

É um modelo voltado para quem deseja diversos recursos e muito a explorar na câmera e nas imagens – mas sem entrar no modo manual.

Câmera prática com boas cores e os inúmeros filtros

Casio Exilim EX-H10

R$ 2 mil (www.americanas.com.br) www.cweb.com.br

P

elo formato e características, fica claro que a Casio Exilim EX-H10 chegou para brigar com os modelos mais parrudos da Panasonic e da Kodak. E ela não faz feio. Mesmo sendo uma das primeiras a entrar no mercado de câmeras digitais, a Casio não se tornou muito popular no Brasil. Com esse novo modelo, ela espera atingir um público mais exigente, mesmo sendo uma compacta. Apesar de ser parruda e pesadona como a Kodak e a Panasonic, ela é mais bem acabada em seu corpo de metal e plástico. De um cinza meio azulado, ela consegue ser ligeiramente menor do que as outras, ainda que comportando uma enorme lente e tela de 3 polegadas. Seu menu só se complica um pouco por causa dos botões que estão na traseira da EX-H10. Os botões de maquiagem e paisagem vívida que ficam na parte superior poderiam ser excluídos numa boa. Set, menu e BS (Best Shot) confundem um pouco na hora de saber qual deles apertar. Mas, uma vez acostumado, você também não se incomodará com a falta de be-

94

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 94

®

leza do menu, já que ele é simples, tem poucas modificações e pode ser facilmente manuseado. O modo maquiagem começa a se tornar uma moda presente em quase todos os modelos novos. Na EX-H10, esse recurso vai além e apresenta até nível de ajuste. Ela também é original em seus modos de cena. Além dos tradicionais, ela inclui coisas como fotos para documentos, onde você enquadra o rosto na foto e essa já sai pronta com vários tamanhos diferentes. Ela também tira fotos automaticamente de uma ou duas pessoas. O modo de movimento múltiplo grava várias imagens e as junta em uma só foto. Um outro, ainda mais estranho, recorta objetos de seus cenários. A bateria promete até mil disparos antes da recarga. Não pudemos testá-la até o fim, mas ficou claro que ela aguenta bem mais do que as outras. Para quem gosta de fotografar bastante em campo, isso é uma mão na roda. Para ajudar a gastar essa bateria, ela é compatível com cartões Eye-Fi, cartões no formato SD que trazem conectividade Wi-Fi para a máquina.

Ela filma em HD, mas conta também com formato especial para o YouTube e também o Mudo, no qual os frames por segundo e a cor deixam o vídeo parecido com filmes do Chaplin. Infelizmente, ela tem apenas a saída USB proprietária para conexão com o computador e a TV. Seria legal contar com uma saída HDMI para ver os vídeos em TVs de alta resolução. Sua lente é wide, captura imagens com muito mais área do que as comuns. Além disso, tem zoom óptico de 10X unido e sensor de 12.1 megapixels de resolução. As fotos têm cores suaves, nitidez e contraste satisfatórios. Ela se saiu bem em ambientes com pouca luz. Infelizmente, há poucos controles manuais. Em compensação, conta com outras coisas legais, como filtros de cores de diversos, tons diferentes e ajustes de saturação, contraste e nitidez, enfim, funções incomuns em outros modelos.

O que vem na caixa? Câmera, correia da câmera, cabo USB, cabo AV, CD de instalação, manuais, carregador.

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:05


Upgrade Grande teste Conclusão

Eis um exemplo de câmera para quem quer presentear alguém que acaba de entrar no mundo da fotografia. É barata, pequena e bonitinha.

Câmera básica que faz fotos melhor do que um celular

FujiFilm FinePix Z35

R$ 350 (www.ricardoeletro.com.br) www.fujifilm.com.br

D

entre as câmeras que recebemos, existem algumas que permitem ajustes manuais, que são pesadonas, têm lentes enormes e até alguns recursos que não estamos certos se vamos precisar utilizar. Caso você queira dar uma câmera para seu filho, filha, sobrinho, vai dar uma enorme e complexa ou uma pequena, bonitinha e com preço em conta? A FujiFilm FinePix Z35 responde a sua pergunta. Dá vontade de apertar as bochechas dela (caso tivesse alguma) de tão bonitinha que é. Arredondada, colorida e pequenina, a Z35 foi a mais leve dos nossos testes, com apenas 115 gramas. Chega a ser do tamanho de um celular, além, de não parecer uma câmera. Cabe facilmente em uma bolsa ou mochila. Nós a consideramos perfeita para presentear pessoas que estão no início da prática fotográfica. Seu design, além de bonitinho, também é feito para não dar muitos problemas para quem não cuida assim tão bem de seu equipamento. Todos os botões do menu não têm frestas,

www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 95

assim, a sujeira não entra pelos cantos. É tudo emborrachado e fácil de acionar, embora leve um tempinho para pegar o jeito de mexer nele. Seus comandos são simples, não é necessário passar por vários botões para chegar a algumas tarefas. Para ligar a câmera, basta abrir a tampa da lente. Para começar a filmar, aperte o botãozinho de vídeo, e para parar, é só fazer o mesmo. Ela possui poucos modos de cena, só os mais importantes. E o estabilizador de imagens mais o modo de cena antidesfoque garante fotos boas (mesmo para quem se esquece de prender a respiração na hora do clique). Ela funciona com cartões SD e seu cabo para recarga é USB proprietário. A câmera não tem carregador separado, carrega direto por cabo, o que é uma boa para quem gosta de levar poucas coisas na mochila. Seu menu é colorido, simplificado e exibe explicações sobre a escolha de alguns comandos, bem didático. Por ser um modelo bem simples, não há como exigir muito dos recursos. Ela grava no formato VGA, e seu sensor possui

10 megapixels de definição. O zoom óptico é de apenas 3X, mas, para iniciantes, todos esses valores estão de bom tamanho. Tudo isso nos leva a fotos nítidas com boa luz, mas um pouco prejudicadas em ambientes fechados, mesmo se este estiver bem iluminado. Seu flash é um pouco exagerado, e o detector de faces precisa de um bom incentivo para funcionar corretamente, mas a qualidade é muito superior à de qualquer celular do mercado. A gravação de vídeos é ideal pa ra quem gosta de publicar coisas no YouTube. O software que vem incluso no CD, o FinePix Viewer, ajuda a publicar os vídeos na internet, além de possibilitar algumas edições em fotos. Além do modelo branco e rosa que testamos, a Z35 está disponível nas cores roxa e preta com cinza. É um presente estiloso e que não fará você cometer gafes.

O que vem na caixa? Câmera, correia da câmera, carregador, CD de instalação, cabo USB, manuais.

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

95 23/06/10 18:05


Conclusão

A TX5 agrada àqueles que precisam de um modelo bem bonito e repleto de recursos sociais para impressionar a todos. Mas o preço pode não condizer com a qualidade de imagem.

Essa orquídea super colorida saiu lavada aqui

Sony Cyber-shot DSC-TX5

R$ 1.900 (www.extra.com.br) www.sony.com.br

A

Sony tem os modelos mais populares de compactas do mercado por apresentar preço baixo e qualidade aceitável pelo que cobra. Mas para atingir um público mais refinado, que busca design e recursos diferentes, ela tem a nova DSC-TX5, uma câmera bem fininha, com tela de toque e à prova d’água. Essa é pau pra toda obra. Se você é conhecido entre os amigos como um desastrado, essa é a sua câmera. Além de ser à prova d’água, é resistente a altas e baixas temperaturas, poeira e aguenta quedas de até 1,5 metro de altura. Isso tudo aliado ao design mais bonito entre os modelos testados. E nós testamos. Pusemo-la debaixo da torneira, bem como a levamos para a piscina. Ela funciona bem, sem problemas. Mas o fabricante adverte: o tempo máximo de permanência sob a água é de 60 minutos. Algo além desse tempo fica por sua conta e risco. Além disso, ela aguentou bem as quedas, caiu da mesa e continuou funcionando ligada. Seu corpo de plástico e metal é lindo. Pu-

96

|

Windows A Revista Oficial | Julho 2010

w032.upg_grandeteste.indd 96

®

demos testar a TX5 nas cores prata e grafite, ambas com uma tampa em metal que recobre e protege a câmera. Cantos arredondados e corpo fino compõem com a tela de toque wide de 3 polegadas. Todo o menu e ajustes estão na tela de toque. De início, o menu pode parecer confuso, mas logo você se acostuma, uma vez que ele também é bonito. A saída é proprietária e fica horrivelmente escondida ao lado da entrada da bateria e do cartão. Quase impossível de descobrir. Ela funciona com os cartões Memory Stick Duo, e o cabo que a acompanha é, ao mesmo tempo, USB e AV, um trambolho a mais para carregar, juntamente com o carregador da bateria e o enorme cabo de energia. Uma câmera tão compacta com tanta tralha? Mas um recurso legal é seu sistema de panorama. Para tirar uma foto larga, basta clicar no obturador e arrastar a imagem na velocidade recomendada pelo visor. A imagem é formada na hora, com bem menos cortes e deformações do que os panoramas normais. Também é le-

galzinho o recurso de slide show, já com quatro músicas em MP3 na memória. Ela tem sensor de 10.2 megapixels e zoom óptico de 4X. Nada fantástico, mas suficiente para tirar boas fotos, tendo em vista que sua lente também não é das maiores. Seus vídeos em formato VGA é ideal para quem gosta de publicar no YouTube. Fora isso, ela conta com os recursos básicos, como estabilizador de imagem, detecção de rostos e até de sorrisos. As cores não são incríveis, mas a nitidez em ambientes externos é ótima. O contraste acompanha a nitidez em ambientes fechados. Aqui, o ISO de até 3200 ajuda a fazer fotos melhores. No final, a TX5 é uma câmera bonita e descolada, com recursos divertidos e boa resistência. Porém, seu custo faz com que ela acabe custando o mesmo que modelos mais parrudos quando comparada aos outros modelos deste teste.

O que vem na caixa? Câmera, correia para câmera, caneta stylus, carregador, cabo de energia, cabo USB/AV, CDs

www.winajuda.com.br

23/06/10 18:06


Upgrade Grande teste

Tabela de especificações

Todas as informações técnicas de que você precisa

FABRICANTE

SAMSUNG

NIKON

OLYMPUS

CANON

MODELO

ST1000

S1000pj

Stylus-WP550

PowerShot SD780 IS Lumix DMC-ZS3PU-K

PANASONIC

KODAK

CASIO

FUJIFILM

SONY

EasyShare Z950

Exilim EX-H10

FinePix Z35

Cyber-shot DSC-TX5

PREÇO

R$1.170

R$ 2.600

R$ 600

R$ 800

R$ 2 mil

R$ 1 mil

R$ 2 mil

R$ 350

R$ 1.900

MEGAPIXELS

12,2

12,1

10

12,1

10,1

12

12,1

10

10,2

ZOOM ÓPTICO

5X

5X

3X

3X

12X

10X

10X

3X

4X

LENTE

Schneider 6.3-31.5 mm

Zoom-NIKKOR 5.0-25.0mm

Olympus 6.7-20.1 mm

Canon Zoom 5.9-17.9mm

Leica DC Vario Elmar 3.3-4.9 mm

Schneider 3.5–35 mm

Exilim 4.3-43mm

Fujinon 3.7-4.2 mm

Carl Zeiss Vario Tessar 4.43-17.7 mm

LCD (pol.)

Toque de 3,5

2,7

2,5

2,5

3

3

3

2,5

Toque de 3

MEMÓRIA INTERNA

100MB

36MB

16MB

Não tem

40MB

32MB

35MB

18MB

45MB

MEMÓRIA EXTERNA

microSD de até 4GB

SD

xD-Picture Card / microSD até 2GB

SD até 8GB

SD

SD

SD

SD

Memory Stick Duo

PESO (g)

156

155

127

115

206

223

164

115

144

TAMANHO (mm)

99,8 x 60,8 x 18,9

62.5 x 99.5 x 23

93,6 x 61,7 x 21,5

87 x 54,5 x 18,4

103,3 x 59,6 x 32,8

110,0 × 66,8 × 35,5

102.5 x 62.0 x 24.3

89,0 x 57,9 x 23,9

94 x 57 x 18

MODO DE VÍDEO

HD estéreo

VGA

VGA

HD

HD estéreo

HD

HD

VGA

VGA

MODO MANUAL

Sim

Não

Sim

Sim

Não

Sim

Não

Não

Não

RECURSOS PRINCIPAIS

GPS, Bluetooth, WiFi, tela de toque

Projetor

À prova d'água

Grava vídeo em HD

Lente wide, grava vídeo em HD

Modo manual, grava em HD, zoom grande

Zoom grande, lente wide

Compacta e leve

À prova d'água, tela de toque

NOTA

Veredicto Final É difícil chegar a uma conclusão e escolher a melhor entre todas. Com tantos modelos diferentes, é fácil perceber que cada um deles atende a um público diferente: os que querem uma câmera básica e baratinha, os que gostam de gadgets de última geração, os que buscam qualidade e versatilidade… Mas se fôssemos escolher aquela que reúne os recursos mais legais e melhor qualidade de imagem, escolheríamos a Samsung ST1000. É bem engraçado termos escolhido um equipamento de marca não tradicional no mercado das câmeras, mas isso mostra que já existem muitas possibilidades. Isso não exclui outras ótimas câmeras, como a Kodak, a Panasonic e a Canon, apenas diz que elas ainda podem melhorar em alguns recursos, seja tamanho físico, qualidade de imagem etc. Enfim, antes de comprar sua câmera, veja bem o que procura. Não adianta sair e comprar o modelo mais caro e mais complexo, porque você terá muitos recursos em mãos e não saberá aproveitá-los, caso ainda não tenha o conhecimento necessário. Da mesma forma, não adianta comprar o mais barato e achar que fará tudo o que quiser com ele. Leia atentamente nosso review, consulte a tabela e explore a internet em busca de opiniões de usuários. E treine muito. Câmeras que trazem tudo em www.winajuda.com.br

w032.upg_grandeteste.indd 97

modo automático não dão a certeza de uma boa foto. Explore os recursos, experimente fotos em macro, em paisagens, retratos, noturnas e cenas de movimento, como animais, esportes e crianças.

ESCOLHA DO EDITOR

Julho 2010 |

Windows A Revista Oficial | ®

97 23/06/10 18:06


Sorria para a foto!