Issuu on Google+

o multi-homem

Presidente: Alessandro Gerardi Conselho editorial: Alessandro Gerardi, Luís Afonso G. Neira, Alessio Fon Melozo, William Nakamura

Discografia

DIGERATI É UMA EDITORA DO GRUPO DOMO MAC+ PORTIFOLIO é uma publicação da Editora Digerati. Distribuidor exclusivo para todo o Brasil: Fernando Chinaglia Distribuidora S.A. Tel.: (21) 2195-3200 Distribuidor para Europa e América Latina: Malta Internacional +55 11 3284 6444 Impressão: Araguaia LTDA

»»Bem-Vindo a São Paulo (2004)

»»De Passagem (2003)

Nesta edição de Mac+ Portfolio, a revista em que os grandes artistas que usam Mac contam seus segredos, mostram suas técnicas e como é seu processo criativo, André Abujamra revela, em uma exclusiva entrevista em vídeo, o que sabe sobre música, seu método de composição, suas influências e como produziu seu último álbum praticamente sem sair de seu MacBook.

»»Vocês inocentes (2004)

2001 Estamos adorando Tóquio (Net Records)

»»O Caminho das Nuvens (2003) »»Carandiru (2003) SOLO

André Abujamra é um artista com mais faces que um triacontaedro. Tem o músico pop (Karnak, Mulheres Negras), o compositor de trilhas para filmes (quase 40 longas no currículo), o músico eletrônico (A.K.A. Fat Marley), o punk rocker (Gork), o compositor de jingles para propaganda, além do ator de teatro, cinema, televisão.

2002 Fat Marley – New old world/ Future sun (Outros Discos)

2005 O infinito de pé (Spin Music)

capa2.ai

12/12/2007

garoto de três anos com uma ca-

a idéia era soar mais do que duas pessoas.

tar camadas, esticar samples e deixar tudo

ta maravilhoso, que conseguiria ganhar

beça muito grande. Preocupada, a

Nossa primeira demo tinha um ‘sampler

na mesma batida e afinação. Felizmente

dinheiro com a minha música sem precisar

mãe o levou ao médico, que sugeriu

analógico’. Eu pegava fita cassete, cortava

apareceram, logo depois, o Ableton Live e

me vender. Eu acreditava que o Karnak era

colocar o menino em alguma atividade artísti-

e colava com durex para ter um loop de um

o Apple Soundtrack, que fazem isso bem

uma banda superpop, no nível de um Skank,

ca para coordenar atividade física e cerebral.

trecho da música”.

melhor e rodam no Mac.”

que eu ganharia milhões em dinheiro com

durante a adolescência, onde tocou bumbo

“Quando terminou o Mulheres Negras,

“Eu não levo a música, nem a vida muito a sério. Você tem de errar para aprender a fazer música, assim como tem de errar para saber viver”

ganhar dinheiro com música e o que dava

viagem, comprei um Walkman que gravava

dinheiro era publicidade. Sofri horrores. Os

em som estéreo. Comecei a captar sons e

caras chegavam pedindo ‘quero uma música

voltei para o Brasil com centenas de fitas

igual a essa’. Mas, com o tempo, aprendi

cassete. Aí comecei a misturar sons e a

alguns truques, como usar loops sem ficar

desenvolver uma técnica de composição

aparente, já que todo mundo tem os mes-

baseada no empilhamento de camadas de

mos loops. Essas coisas que você aprende

ao Brasil e montou a terceira menor big

áudio. Era uma coisa que eu queria fazer

na MAC+ Workshop 2, do Márcio Nigro, à

band do mundo: Os Mulheres Negras, com

desde os Mulheres Negras, mas não existia

venda em www.macmais.com.br.”

Maurício Pereira.

aprendi a ler e a escrever música, essas coisas que hoje ninguém mais faz”. Depois de morar nos Estados Unidos em banda de escola, tímpano em orquestra e guitarra em conjunto de jazz, André voltou

Abujamra foi apresentado ao Mac por

a tecnologia. Hoje, isso virou lugar comum,

Jarbas Agnelli (AD Studio). “Meu primei-

todo mundo faz. Mas há 20 anos era como

Músico Pop

tecnologia. Primeiro a tecnologia para-

ro Mac foi um Quadra 650 de 33 MHz.

fazer música com machado. A gente usava

“A música pop vem à minha cabeça. A

guaia: uns pedais vagabundos que a gente

Por um bom tempo, morri de inveja dos

uns equipamentos enormes que disparavam

música ‘O Mundo do Karnak’ eu fiz inteira

comprava e fazia o diabo com eles. Mais

pecezistas – apesar de odiar PC – por causa

samplers de 1 minuto, o que para a gente

na cabeça, indo de barco da Itália para o

para o final veio o Atari, que tinha duas

de um programa: o Acid. Foi o primeiro

era uma eternidade.”

Egito. Baixo, guitarra, bateria, tudo. Eu

portinhas MIDI e um programa chamado

software a surgir com um conceito seme-

“Nos Mulheres Negras, eu descobri a

me acostumei a essa coisa da repetição.

O verdadeiro André, por favor, levante-se

Eu nunca escrevo minhas letras. Eu guardo

André Abujamra tem várias personas musi-

na hora de gravar.”

15:01:02

2007 Retransformafrikando

NO CD »»Bicho de Sete Cabeças (2001) »»Domésticas (2001) »»Nem Gravata, Nem Honra (2001) »»O Tempo dos Objetos (2001)

C

»»Um Copo de Cólera (1999) »»Castelo Rá-Tim-Bum, O Filme (1999) »»Ação Entre Amigos (1998) »»Nós Que Aqui Estamos por Vós Esperamos (1998) »»Os Matadores (1997) »»Carlota Joaquina – Princesa do Brazil (1995) »»A Origem dos Bebês Segundo »»Kiki Cavalcanti (1995) »»Capitalismo Selvagem (1993)

trilhas para filmes (com quase 40 longas no

André e o Mac

currículo, é praticamente o John Williams

“Sou um cara que se separou muito. Estou

brasileiro), o músico eletrônico (A.K.A. Fat

indo para o meu quarto casamento. No

Marley), o punk rocker (Gork), o composi-

último casamento, eu estava com um estú-

tor de jingles para propaganda (o ratinho

dio maravilhoso em casa, mas me separei

da Folha, “Duvidar por quê, detergente é

e ele ficou pra trás. Porém, percebi que os

Ipê”). Fora ele também ser ator de teatro,

processadores evoluíram muito, os micro-

cinema, televisão...

fones caíram de preço. Comprei um laptop,

»»Hip-Hop SP (1990) »»Sampa (1988) minissérie TV Comments

MAC-P#002_posterG.indd 1

Y

CM

MY

#2

K

PORTFOLIO

bits/96 hertz. Comecei a viajar muito, atuar

cabeça em três seções: o músico pop, o

em palestras e a sacar que não preciso mais

compositor de orquestra e o músico fun-

de um estúdio para fazer minhas trilhas. Fiz

cional. Tem outro André que pouca gente

uma para uma peça de teatro em um hotel

conhece, que é o arranjador. Gosto de fazer

em Brasília. Gravei coral e editei tudo no

arranjos para orquestra. Não são partes

MacBook. Basta um banheiro legal ou um

separadas, elas se misturam. No começo

edredom por cima da cabeça para conseguir

da música “Retransformafrikando”, há uma

uma vedação de som razoável. Criei uma tri-

parte orquestral. É tudo sampler, apesar de

lha para um filme mexicano todo em um ho-

não parecer.”

tel. Fiz em MIDI, o diretor aprovou, vim para

André, o erudito

uma trilha totalmente por iChat. O diretor

“Basicamente, eu gosto de escrever para

em Los Angeles me mandava um QuickTime

cordas e quinteto de sopro. Gosto muito de

do filme, eu compunha, devolvia para ele o

Stravinsky, Ravel, Debussy, Barber e Berlioz,

filme com a trilha, ele pedia mudanças, eu ia

Gork não dá entrevista. Gork não

mas minha maior influência na música para

para o estúdio e gravava orquestra e manda-

é André Abujamra. Não é Marcelo

cinema é Prokofiev (Pedro e o Lobo). Eu penso

va a versão final. Tudo pelo iChat.”

Effori. Gork não é Sérgio Vilaça.

música como minimúsicas que se entre-

Gork não vai dar um show em

meiam e se completam. O contraponto de

breve, nem vai fazer um clipe. Gork

quinta espécie era meu exercício favorito. Uma das músicas que mais influenciou meu

“PC é para quem gosta de computador. Mac é para quem gosta de criar.”

punk-rock. Não é candomblé-metal.

meçar a se preocupar. Eu já estava

trabalho de compositor de cinema foi a

Gork não é uma banda do Mundo

a fim de fazer a operação, estava

suíte Tenente Kijé. Prokofiev fez um primeiro

Bizarro. Não ouça as músicas de

com quase 180 quilos, conheci o

movimento lindo, um segundo mais lindo,

Gork incluídas neste CD. Não visite

médico que operou o João e realizei

um terceiro mais lindo ainda e no quarto

seu site em myspace.com/gorkband.

a cirurgia. Podia ter morrido, não é

colocou as três melodias tocando simul-

“Tinha um iBook G4, mas acabei de

Urk! Durk! Turk!

uma operação simples. Como sou

taneamente. É um caos total, mas como

comprar um MacBook branquinho. Virei,

artista, resolvi que essa mudança

você já ouviu as melodias antes, consegue

finalmente, um estúdio nômade. Até um

tinha de virar arte.

entender o caos. É isso o que eu tento fazer

tempo atrás eu ainda me sentia mais seguro

em minhas músicas. Destruir as regras har-

chegando ao meu estudiozão, cheio de

DJ, multiinstrumentista, físico

CMY

os meus trabalhos, mas eu divido minha

Gork

Ceratoconnect – Fat Marley

CY

um gravador da M-Audio que grava 24

o Brasil, gravei a orquestra e mandei. Já fiz

não é uma banda de country-surf-

Por que “Retransformafrikando”?

amador e precursor da onda de

Na minha religião, o candomblé,

monicamente. Procuro fazer coisas bonitas,

plug-ins de orquestras. Atualmente desen-

Balkan Beats, Fat Marley morreu,

eles ensinam que a gente não muda,

romanticonas, mas sem seguir regras.”

volvi técnicas para trabalhar apenas com

depois de viver longos e prazerosos

só muda quando morre. Mas como

cinco anos. Foi atropelado por um

sou de Obaluaê, um cara trans-

Músico por encomenda

Logic. Ele altera bastante a qualidade do

caminhão de CDs piratas na Regis

gressor, resolvi transgredir minha

“Cuspi muito no prato em que comi.

som gravado. É um plug-in fantástico.

Bittencourt. Sua última obra, Cera-

própria religião. Mudei sem morrer.

toconnect, em um mundo ideal, faria

Me transformei, me retransformei.

mais sucesso que Play, do Moby.

Mas me retransformei ficando, sem

Não fez, mas como ele morreu,

ir para o outro lado. E me retrans-

pode ser que agora faça e ele final-

formei frikando, de África e de

mente ganhe uma graninha.

Freak, porque me considero negão

o laptop. Uso direto o Space Designer, do

e maluco. A primeira música do

7 898357 607781

»»Atrás das Grades (1993)

Filmografia selecionada

M

tudo na cabeça e monto tudo no estúdio,

cais. Tem o músico pop, o compositor de

“Acho que sou André Abujamra em todos

»»As Três Marias (2002)

ela. Mas aí veio a realidade e eu precisei

fui pro Egito com alguns amigos. Nessa

Multi-música do multi-homem »»Durval Discos (2002)

Durante anos, eu me considerei um artis-

escolinha de iniciação musical da Tia Olga,

Diretor editorial: Alessio Fon Melozo Coordenador editorial: Hudson de Almeida

1997 Universo Umbigo (Velas)

No CD que vem com a revista, você encontrará três discos de Abujamra em formato MP3 de alta qualidade (Retransformafrikando, Ceratoconnect e Gork) num total de 30 faixas para você curtir em seu computador ou MP3 player.

»»Achados e Perdidos (2005)

lhante ao meu jeito de fazer música: mon-

“Sou músico desde os três anos. Fiz a

Redação Editor-chefe: Heinar Maracy Editor: Sérgio Miranda Editor de Arte: Luciano Hagge Assistente de Arte: Stella Dauer (estagiária) Reportagem: Fábio Zemann (estagiário) Revisão e checagem: Sirlene Farias e Raphaela Maia (estagiária) Capa e embalagem: Sérgio Bergocce

»»Carandiru, Outras Histórias (2005) TV

S

Notator Logic. Éramos somente dois, mas

MULTIMIDIA Coordenador: Rafael Fernandes Scopel Equipe: Cleber Faria, Marcelle Comenale, Maikon Bomfim, Walacy Machado

KARNAK 1995 Karnak (PolyGram)

Mas não é só. Esta edição traz também a faixa título do CD Retransformafrikando dividida em tracks por instrumento para você fazer seu próprio remix no Logic ou GarageBand.

»»Cafundó (2005)

Aprender com os prós é bem mais divertido. Sérgio Miranda Editor

»»Os 12 Trabalhos (2006)

ão Paulo, 1968. Andrezinho era um

Publicidade Simone Siman – siman@macmais.com.br

»»Yellow (2006)

Atendimento ao Leitor Suporte: suporte@macmais.com.br Site: www.macmais.com.br

1990 Música serve para isso (WEA)

ASSINATURAS Telefone: (11) 3217-2602 E-mail: assinaturas@grupodomo.com.br Site: www.macmais.com.br

»»Querô (2007)

Contato Redação: Rua Haddock Lobo, 347 12º andar – Cerqueira César CEP 01414-001 – São Paulo – SP E-mail: editor@macmais.com.br Marketing: marketing@macmais.com.br Publicidade: (11) 3217-2639 E-mail: publicidade@digerati.com.br Marketing: (11) 3217-2600 E-mail: marketing@digerati.com.br Circulação: (11) 3217-2654 E-mail: circulacao@digerati.com.br

MULHERES NEGRAS 1988 Música e ciência (WEA)

MAC+PORTFOLIO ANO 1 - #2 R$ 16,90 ¤ 3,90

Retransformafrikando

disco conta essa história: “por isso

Fiz uma operação de redução de

eu volto, me transformo sem me

estômago e perdi 70 quilos. Muita

transformar. A essência ficou no lu-

coisa mudou. O João Gordo quase

gar”. É uma EgoTrip total, mas tem

morreu por ser gordo demais. Eu

a ver com o que a gente vive hoje,

sempre fui mais magro do que

com esse apego que as pessoas têm

ele. Um dia, encontrei o João e

a iPhones, TVs a cabo, dinheiro. Eu

ele falou pra mim “você tá muito

queria mostrar que a transformação

gordo”. Quando o João Gordo fala

da humanidade é possível, sem pre-

isso pra você, está na hora de co

cisar morrer ou matar ninguém.

13.12.07 15:04:40


Revista Mac+ Portfólio 02