a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

POR TFÓ LIO Fernanda Fideles Steinberg


FERNANDA FIDELES STEINBERG brasileira | arquiteta e urbanista steinbergfernanda@gmail.com 019 997871261

CV

FORMAÇÃO ACADÊMICA planejamento e gestão de cidades | feb 2019 - dec 2020 Especialização Poli USP - São Paulo, SP, Brasil bacharelado em arquitetura e urbanismo | fev 2012 - dez 2017 Pontifícia Universidade Católica de Campinas - Campinas, SP, Brasil urban planning, design and society | ago 2014 - ago 2015 University of Groningen - Groningen, Holanda

DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL pathways to sustainable futures | jan 2016 - fev 2016 UFABC - São Bernardo, SP, Brasil University of Groningen - Groningen, Holanda bolsa de iniciação científica | ago 2013 - ago 2014 Pontifícia Universidade Católica de Campinas - Campinas, SP, Brasil sustainable interior design in historical buildings | jul 2013 Florence University of Arts - Florença, Itália absegami high school | ago 2009 - jan 2010 Galloway Township, NJ, EUA

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL prefeitura de Limeira - sec. da habitação | mar 2016 - dez 2016 Limeira, SP, Brasil Jaime Lerner arquitetos associados | jan 2017 - fev 2017 Curitiba, PR, Brasil TC Urbes | jun 2017 - atual São Paulo, SP, Brasil Vereda Educação | jun 2017 - today São Paulo, SP, Brasil

IDIOMAS inglês | proficiência operativa eficaz proficiência na leitura, escrita e comunicação espanhol | básico habilidade em leitura

PROFICIÊNCIAS autocad | revit architecture | photoshop | indesign | illustrator | sketchup | qgis avançado microsoft office intermediário v-ray rendering básico


PROJETO VILA OLÍMPIA

ANTES

REFORMA E DECORAÇÃO

E DEPOIS

São Paulo - Brasil Free lancer | ano | 2019 Arquiteta Data:

Item

Área do imóvel (m²): 115 m² Prazo de execução (dias): 20 dias

Fernanda 01/08/2019

Descrição dos Serviços

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

Quant. Unidade

Valor Total

Observações

Residência L

1 1,1 Sub-item 2 2.1 Sub-item 3 3.1 3.2 3.2 Sub-item 4 4.1 4.2 Sub-item 7 7,1

EQUIPE TÉCNICA Arquitetura 2 Pintura Parede cimento queimado 3 Marcenaria Tábua Madeira PINUS Painel MDF duas faces BP branco Estrutua metálica 3 Mobiliário Banquetas Produção Geral 5 Limpeza Fina Limpeza fina e desmobilização

1,00

mês

102,00

R$ R$

4,00 5,00 -

Unidade Unidade -

R$ R$ R$ R$

67,25 -

Unidade -

R$

1,00

vb

R$

40% Entrada 30% Após 50% dos serviços 30% Após a entrega dos serviços

269,00 763 1.031,51 160,00 com material 160,00

R$ R$

CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

111,80 Estante 148,88 Bar 1.031,43 Mão francesa, parafuso, etc 1.292,11

R$

BDI Sem Nota Fiscal

150,00 Cliente fará aplicação 150,00

R$

TOTAL DOS SERVIÇOS TOTAL DA PROPOSTA

1.200,00 Acompanhamento Arquiteta 1.200,00

R$

3.833,62 3.833,62


PROJETO PINHEIROS REFORMA E DECORAÇÃO

Espaço bar com estrutura metálica grafite

planta baixa

São Paulo - Brasil

Painel artístico / ilustrações

6.30 0.60

Free lancer | ano | 2018 -2019

Banco madeira 1.10

1.22

Vasos e plantas altas 1.10

Mesas laterais 1.40

Churrasqueira portátil

Cadeira área externa estilo praia

Painel de entrada em madeira clara: sapateira + mancebo

Banco madeira Cabide violão

Grid metálico com parede verde

CÓDIGO

PROJETO

FOLHA

0001

Apto Pinheiros

02/02

ENDEREÇO

Rua Mateus Grou 285, Apto 72

CLIENTE

Pedro Henrique Oliveira | Guilherme Jardim

FASE Estudo Preliminar STUDIO Organização 143 modem parede

DATA

23/10/18

ESCALA

1:75

Fernanda Steinberg Luminária Giovanna Federico Thays Colli cabeceira

planta baixa 0.95

0.55

Cabeceira 2.00

Painel ripado Cadeira

0.70

0.65

Organização elétrica

Luminária piso Estofamento/ cobertura com manta

CÓDIGO

PROJETO

FOLHA


CRONOGRAMA SEGUNDA

01/19

01

TERÇA

02

QUARTA

03

QUINTA

» Retorno

04

SEXTA

05

SÁBADO

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

01

02

03

» Inicío acompanhamento » Inicío entrega frete

» Inicío obras

» Produção

DOMINGO

PRODUÇÃO objetos

04 ANTE SALA luminária parede

ETAPAS OBRAS 2018/2019

TOKSTOK - Pipe Luminária Parede Preto R$ 102,90

LABLUZ - Arandela Zig Zag Haste Preto Fosco R$ 500,26

LUMINI - Micro Bauhaus 90w2 Preto Fosco Texturizado R$ 684,60

01 SALA

PISO

INFERIOR

decoração: tapete

Textura 01 Textura 02 Linho Creme Escuro Verde Linho Básico Creme Escuro

Textura 03 Linho Azul Claro

Textura 04 Linho Verde Água

SUPERIOR

OBRA/CIVIL

OBRA/MOBILIÁRIO

MOBILIÁRIO

OBJETOS/PRODUÇÃO

» Elétrica: ponto escada luz adega luminária jantar régua pontos trocar ponto hall » Pintura: luminária jantar

» Serralheria: adega (vergalhão) » Marcenaria: painel escada

» Banco grande » Mesinhas laterais » Banquinho pequeno » Cadeira praia 2X » Banco pequeno

» » » » » »

Quadros grandes Tapete Vasos grandes Jardim vertical Churrasqueira Cabide violão

» Elétrica: luminária parede modem toalheiro? pontos cabeceiro luminária piso modem » Pintura: cabeceira » Reparo: silicone

» Tapeceiro: estofamento » Marcenaria: cabeceira ripado

» Carrinho Bar » Luminária parede » Luminária cabeceira » Luminária piso » Poltrona

» Quadro parede » Quadro chão » Roupa de cama


ANTES

E DEPOIS


PROJETO ESCOLA VEREDA - SÃO BERNARDO PROJETO, OBRA E GESTÃO São Paulo - Brasil Free lancer | ano | 2019 - 2020

ANTES

E DEPOIS


UNIDADES HABITACIONAIS COLETIVAS - SOL NASCENTE Quadra 700, Ceilândia, Brasília - Brasil concurso | CODHAB Brasília ano | 2016 - 2 º semestre Os pequenos módulos de 8,10X8,10 m desenham entre si uma implantação permeável por espaços coletivos e estruturadas por uma via central pedonal. O desenho das unidades cria singelos espaços externos que eventualmente podem virar uma expansão, criando uma flexibilidade adequada à dinâmica da comunidade. O uso da alvenaria estrutural e paíneis de laje de concreto criam, além de uma economia e racionalização de obra, a possibilidade de permitir que a população participe da construção da própria residência, o que desenvolve a ideia de identidade dos moradores para com o local.


EDIFÍCIO DE USO MISTO - SOL NASCENTE Quadra 105, Ceilândia, Brasília - Brasil concurso | CODHAB Brasília ano | 2017 - 1 º semestre

O projeto proposto orienta-se pela busca na qualificação da paisagem urbana e na potencialização da vida comunitária. A implantação para as quadras em questão resulta na observação do contexto e na interpretação dos parâmetros propostos pela legislação urbanística. Conforme previsto no zoneamento, ocupam-se as divisas do lote, aproximando as edificações da rua, adotando espaços comerciais voltados para o passeio público e possibilitando a criação de vazios nos centros dos lotes: espaços destinados à potencialização da vida coletiva. A qualidade espacial destes pátios resulta da subtração volumétrica em trechos específicos, que geram vazios na escala urbana, responsáveis pela integração entre o conjunto e a cidade. Estes vazios conformam praças de transição entre o espaço público do entorno, os pátios coletivos dos conjuntos e a privacidade doméstica das unidades habitacionais.


ARCO BAQUIRIVU: ENTRE A SOMBRA E ÁGUA SUJA Guarulhos, São Paulo - Brasil

“Entre a sombra e a água suja” determina um plano urbanístico baseado na interpretação das diferentes escalas que o território apresenta. Entende-se a relação entre os entraves ambientais e físicos e o tecido urbano como determinantes na leitura da região em macro e microescala, resultando em um plano que contempla e soluciona as demandas existentes e consideradas no estudo.

TFG | Trabalho Final de Graduação Grupo ano | 2017 - 1 º semestre

ÁREA ESTUDADA EM DESTAQUE REGIÃO NORTE DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE GRU

REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO (RMSP)

Os pontos estabelecem faixas que dividem o projeto em suas três escalas urbanas: regional, municipal e local, caracterizando a mencionada desaceleração. A confluência viária principal de cada escala implica na localização de três recortes que representam o caráter de força de cada uma, marcando pontos de mudança na intensidade do fluxo e consequentemente, na transição de uma escala para outra.

A existência da Serra da Cantareira, o novo Rodoanel ao Norte e o Aeroporto Internacional de Guarulhos ao Sul resulta no estrangulamento da região e por isso, reafirma-se a necessidade de desacelerar o crescimento desenfreado da cidade em direção a serra.


A primeira faixa determina a transferência da escala internacional (representada pelo Aeroporto de Guarulhos) à regional. Localiza-se nessa transição um nó entre a nova Estação Baquirivu do CPTM e o novo ponto intermodal, que configuram eixos de deslocamento e locais de permanência que transpõem a nova reserva hídrica e ambiental, distanciando o equipamento do aeroporto com o bairro. Apresenta-se nela o mais complexo entroncamento, envolvendo escalas macros de diferentes demandas. Desta forma, contempla projetos estruturadores de revitalização que recebem os visitantes, sem negar a identidade local, como centro de integração ao migrante e apoio à cultura.

PONTO DE APOIO INTERMODAL

ponto de ônibus + apoio ao ciclista + informaçöes

VIA COM CARÁTER LOCAL

recuo + acesso ao lote + estacionamento CICLOVIA

bidirecional + segue topografia plana (margem do rio) VIA COM FAIXA PREFERENCIAL PARA ÔNIBUS

A faixa intermediária é principalmente reconhecida como área de conexão interbairros, nela localiza-se a confluência entre as vias de escala municipal e local, e por isso estabelece locais para novos equipamentos nos vazios urbanos encontrados, como forma de requalificação e estruturação de novos fluxos, suprimindo as demandas sociais na área norte do aeroporto. As intervenções têm por objetivo estimular as tradições cultivadas locais, como o mercado de produtos cultivados na agricultura local, e a escola técnica. O espaço do brincar, escola de circo, teatro e escola infantil se somam aos equipamentos educacionais escassos na região, assim como novos projetos na área de saúde.

recuo de 5 metros nos lotes para conforto do pedestre VIA TRONCAL: AV. JAMIL JOÃO ZARIF

recuo de 5 metros nos lotes + ciclovia unidirecional em cada bordo + automóvel particular + faixa exclusiva de ônibus AEROPORTO INTERNACIONAL DE GUARULHOS

A faixa localizada mais ao Norte marca o final da desaceleração, pois é limitada pela Serra da Cantareira.Destinou-se uma área maior de cultivo de produção agrícola ao final do tecido urbano, como forma de prevenção à expansão do perímetro da cidade.

IMPLANTAÇÃO sem escala

PRODUÇÃO LOCAL

CONEXÕES

TRANSVERSALIDADE

DEVOLVER A VÁRZEA


PROJETO CON[VIVA] Guarulhos, São Paulo - Brasil TFG | Trabalho Final de Graduação Individual ano | 2017 - 2 º semestre

1,92% Bicicleta

5,77% Peatonal

9,62% Transporte Coletivo Metrô 40,38% Aumóvel Particular

QUEM SÃO ESSES USUÁRIOS?

CONVIVA organiza seus espaços a partir dos vazios, necessários para atender à imprevisibilidade da dinâmica da cidade, que constroi suas áreas públicas na maneira que lhe convém. Ambos os projetos oferecem abrigo de forma acolhedora, e configura ambientes pelo contraste entre cheios e vazios.Por fim, visam principalmente quebrar a ideia de que estações e paradas de ônibus são apenas locais provisórios de passagem, construindo espaços abertos, acessíveis e atrativos para o cidadão.

42,31% Transporte Coletivo - Ônibus

Fonte: Pesquisa realizada pela equipe (mar, 2017)

EMBARCAR

ATRAVESSAR

PERMANECER

Imagem Ilustrativa


EIXO DE MOBILIDADE entrada para a cidade + fluidez no transporte + conecta paisagens

Via Jamil João Zarif Atualmente - Entrada para Área Estudada Google Earth, 2017

Serra da Cantareira - Finalização do Tecido Urbano Google Earth, 2017

PAM - PONTO DE APOIO MODAL

ESTAÇÃO BAQUIRIVU - CPTM


PROJETO CON[VIVA] ESTAÇÃO BAQUIRIVU - LINHA 13 CPTM Guarulhos, São Paulo - Brasil TFG | Trabalho Final de Graduação Individual ano | 2017 - 2 º semestre

COBERTURA POLICARBONATO TIRANTE EM AÇO

PÓRTICO METÁLICO VEDAÇÃO EM CHAPA METÁLICA PERFURADA

+745,5

MÃO FRANCESA EM CONCRETO TIRANTE EM AÇO PILAR EM CONCRETO (Ø= 1,4m) VIGA METÁLICA

+740,4

+736.8

CORTE TRANSVERSAL - ESTAÇÃO BAQUIRIVU

0

2

4

6m


Enquanto a plataforma é destinada exclusivamente ao embarque, o mezanino é dividido entre área paga e não paga, onde se localiza as bilheterias e linhas de bloqueio, servindo como apoio ao nível da plataforma e escoamento dos passageiros. O térreo é aonde a racionalidade se dissolve, começando por seu pé direito que se aproxima mais da escala da cidade, com 3 metros. Toda a estrutura pensada foi uma maneira de garantir a permeabilidade do pedestre de um lado para o outro do CPTM,

não se limitando à sua projeção. A área central é liberada como um local de passagem, travessia, no qual se ‘’acelera’’ o pedestre, enquanto as extremidades incentivam a permanência. É também no térreo que se encontram escadas fixas nas laterais que permitem acesso direto à plataforma e abrigam a torre hidráulica. O desafio de ‘’prever o imprevisível’’ se inicia nesses espaços onde o contexto determinará o uso.

VISTA PLATAFORMA ESTAÇAO BAQUIRIVU EMBARQUE

VISTA MEZANINO ESTAÇÃO BAQUIRIVU DISTRIBUIÇÃO

+736,4

VISTA TÉRREO ESTAÇÃO BAQUIRIVU

DISTRIBUIÇÃO + PERMANECER + ATRAVESSAR


PROJETO CON[VIVA] PONTO DE APOIO MODAL Guarulhos, São Paulo - Brasil TFG | Trabalho Final de Graduação Individual ano | 2017 - 2 º semestre

COBERTURA EM POLICARBONATO CALHA DE AÇO PERFIL U apoio em chapa de aço soldada (e=0,5’’)

PILAR EM CONCRETO (Ø= 0,40m)

+741

VIGA METÁLICA

+738.5

CORTE TRANSVERSAL - PONTO DE APOIO MODAL

0

2

+738 4

6m


O programa do Ponto de Apoio Modal se divide entre dois fluxos de distribuição: permanência e refúgio. As áreas de circulação acompanham os eixos provenientes do ponto de ônibus no canteiro central e do eixo de mobilidade na outra extremidade, que também se liga à Casa Brasil como fluxo de pedestre. Desta maneira o PAM não se limita, assim como a estação Baquirivu, por sua projeção de cobertura, mas transcende acompanhando os fluxos até a praça, auxliado por planos que desenham cheios e vazios na extensão do projeto. Toda a área do PAM, mas principalmente as de acolhimento e refúgio, também estão sujeitas ao imprevisível, ainda mais por esta-

rem associadas à escala mais próxima do pedestre, a municipal. Dentro da área estudada pelo plano há escolas diversas e áreas agrícolas, por exemplo, que podem fazer uso do espaço de sombra do PAM para feiras e comércios esporádicos e informais, divulgações de eventos e etc. O patamar elevado 0,5 metro, sua escada larga de acesso e outros ambientes do sentar incentivam ainda mais o uso do PAM como espaço público de permanência, além do embarque ao transporte público, auxílio ao ciclista, e travessia.

VISTA ESPAÇO COMERCIAL TRANSPOSIÇÃO

O projeto é um abraço de boas vindas à cidade.

VISTA INTEGRAÇÃO IINTERMODAL DISTRIBUIÇÃO

VISTA TRAVESSIA

DISTRIBUIÇÃO + PERMANECER + ATRAVESSAR


Fernanda Fideles Steinberg

Profile for Fernanda Steinberg

Portfólio - Fernanda Steinberg  

Portfólio profissional

Portfólio - Fernanda Steinberg  

Portfólio profissional

Advertisement