Page 1

POR T F Ó L I O

STEFANIE MARTINS Arquitetura & Urbanismo julho 2018


STEFANIE MARTINS SOUZA estudante de Arquitetura & Urbanismo

INFORMAÇÕES PESSOAIS NOME / SOBRENOME CIDADE TEL E-MAIL

Stefanie Martins Souza Brasília, DF +55 61 98483-0407

PINTURA EM AQUARELA

FORMAÇÃO FORMAÇÃO ACADÊMICA Cursando o 9º semestre de Arquitetura e Urbanismo (em anexo o histórico acadêmico). Ensino médio (2º grau).

CONCLUÍDO EM 2013

PESQUISA E EXTENSÃO AGO 2017 - AGO 2018

TEMA - Concursos em revista: Análise de concursos sob a ótica da revista Arquitetura e Engenharia (Belo Horizonte, 1949-1965). Orientador: Fabiano Sobreira.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL ESTÁGIO EM ESCRITÓRIO

Estagiária na Empresa Tune Arquitetura.

AGO 2018 - ATUAL ESTÁGIO EM OBRA, ACOMPANHAMENTO DE OBRA FEV 2017 - JUL 2017

Acompanhamento de obra da construtora PaulOOctavio Investimentos Imobiliários LTDA.

IDIOMAS INGLÊS CASA THOMAS JEFFERSON

Nível avançado. Cursando Flex Expert 2.

JUL 2015 - JUL 2020 ESPANHOL

Nível básico.

EXPERIÊNCIAS EXTRACURRICULARES CURSO DE VRAY E PHOTOSHOP | ESTÚDIO MAPPA

Carga horária aproveitada: 20h.

05.02.2018 - 09.02.2018

SOFTWARES OS

Windows

3D RENDER

AutoCAD Vray

Mac Os X

Lumion OFFICE

Word PowerPoint Excel

IMAGEM/ DIAGRAMAÇÃO DE PRANCHA

Photoshop Keynote Lightroom

2D

AutoCAD Sketchup

3D

AutoCAD Sketchup

SEXO

Feminino

CARGO PRETENDIDO

MÍDIAS SOCIAIS

BOLSISTA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CNPQ - PIBIC

23 anos

stefaniemartins95@gmail.com

DESIGN GRÁFICO

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

IDADE ESTADO CIVIL

FOTOGRAFIA

JUL 2014 - JUL 2019

Brasileira

stefanie_martins@hotmail.com

INTERESSES & HOBBIES

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA - UNICEUB

NACIONALIDADE

Solteira Estagiária


TRABALHOS ACADÊMICOS ARQUITETURA, URBANISMO & PAISAGISMO


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA SUL Projeto de Arquitetura VIII PROFESSORA ORIENTADORA Suyene Arakaki AUTORAS Stefanie Martins & Amanda Borges Para a casa geminada localizada na 708 sul foi proposto um ambiente de acordo com o cliente. Os clientes são dois artistas plásticos, músicos, 3D | SKETCHUP fotógrafos, recém-casados, possuem uma filha e são amantes da natureza, ao mesmo tempo, queriam uma casa confortável onde tivessem grandes |áreas para receber amigos e familiares. O partido da casa surge com a idéia de ter uma casa voltada para dentro (privacidade) e para RENDER LUMION cima (contato com a natureza) ao qual fosse capaz de trazer acolhimento e aconchego para os moradores. As áreas sociais são integradas e fluídas (espaço evasivo), enquanto as áreas íntimas constituem espaços imersivos. Então em torno disso o programa de necessidades da casa foi criado. No térreo, encontra-se a área social da casa com uma ampla sala de cinema, uma área gourmet grande, uma área de serviço, um banheiro social e uma piscina. No térreo, optou-se por grandes portas de vidro que permitisse a abertura e ventilação de toda a área gourmet. Foi criado um grande átrio central com um jardim, aumentando o contato da casa com a natureza. No primeiro pavimento, encontra-se a área íntima da casa, três suítes, sendo uma para o casal, uma para a filha e uma para os hóspedes. Foi proposta na área gourmet um pé-direito duplo que permite a visualização da passarela criada no pavimento superior. No subsolo da casa, onde é o nível inicial do jardim (átrio) encontra-se também um ateliê para o casal com vista para o jardim. A estrutura da casa foi proposta de madeira em viga vierendel e por paredes estruturais de concreto. Vale ressaltar que neste semestre o foco foi em projeto executivo fazendo diversos tipos de detalhamentos como: piso, cobertura, forro, banheiro, cozinha, exaustão, escada, ampliações, etc. ESTUDO PRELIMINAR | plantas

6

6

4

2

10

5

3

3

9 1

8

8

planta baixa | térreo

7

8

7

planta baixa | primeiro pavimento


legenda 1. sala de tv/cinema 2. área gourmet 3. jardim interno 4. serviço 5. banheiro social 6. piscina 7. varanda 8. suíte | hóspede e filha 9. banheiro compartilhado 10. suíte casal 11. acesso cobertura 12. clarabóia 13. placa solar 14. 2 caixas d’água (1.000 L cada), boiler & condensador 15. ateliê

3 13

3 14 11 12

planta baixa | cobertura

15

planta baixa | subsolo 03


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA SUL Projeto de Arquitetura VIII PROFESSORA ORIENTADORA Suyene Arakaki AUTORAS Stefanie Martins & Amanda Borges ESTUDO AVANÇADO | plantas 3D | SKETCHUP RENDER | LUMION


3D | SKETCHUP RENDER | LUMION

DETALHES | piso

04


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA SUL Projeto de Arquitetura VIII PROFESSORA ORIENTADORA Suyene Arakaki AUTORAS Stefanie Martins & Amanda Borges ESTUDO AVANÇADO | sanitário social & cobertura 3D | SKETCHUP RENDER | LUMION

clientes: fábio marques, juliana vieira & sua filha mariana

PRANCHA


3D | SKETCHUP RENDER | LUMION

clientes: fábio marques, juliana vieira & sua filha mariana end. da obra: 55, St. de Habitações Individuais Geminadas Sul 708 - Asa Sul, Brasília - DF, 70351-753 natureza: residência unifamiliar

autoras: amanda borges & stefanie martins orientadora: prof. suyene arakaki projeto de arquitetura VIII

PRANCHA

05

04/14


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708SUL ASA SUL RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA Projeto deArquitetura Arquitetura Projeto de VIII VIII PROFESSORORIENTADORA ORIENTADOR PROFESSORA SuyeneArakaki Arakaki Suyene AUTORAS AUTORES Stefanie & Amanda Borges StefanieMartins Martins & Amanda Borges


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA SUL Projeto de Arquitetura VIII PROFESSOR ORIENTADOR Suyene Arakaki AUTORES Stefanie Martins & Amanda Borges

01


RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR, 708 ASA SUL Projeto de Arquitetura VIII PROFESSORA ORIENTADORA Suyene Arakaki AUTORAS Stefanie Martins & Amanda Borges


02


CENTRO CULTURAL BRASÍLIA, LAGO EDIFÍCIO COMERCIAL EMURBANO BRASÍLIA,EM SETOR COMERCIAL SULNORTE Projeto deArquitetura Arquitetura Projeto de VI VII PROFESSOR ORIENTADOR PROFESSOR ORIENTADOR Emília Stenzel Gustavo Cantuária AUTORA AUTORES Stefanie StefanieMartins Martins Levando em consideração as influências sociais, históricas e culturais, o partido do edifício surge a partir da necessidade de mudança dessa região, portanto tem o objetivo de contribuir para a desmarginalização do local criando áreas públicas de convivência. Nesse espaço onde é notável a falta de áreas de respiro urbano, sugere-se a criação de espaços públicos ao redor do edifício em vez de grandes estacionamentos. Foi proposta a criação de uma grande praça, pois espaços abertos ou praças humanizam e revigoram as cidades, são essenciais para a saúde e o bem estar das pessoas que vivem e trabalham nela.

Além disso, o objetivo do projeto é fazer um edifício de escritórios que façam as pessoas felizes por irem trabalhar. Logo, o edifício deve atender diferentes funções as quais os trabalhadores fariam antes, depois ou durante o seu turno de trabalho, mas que poderiam ser realizadas ali. Ao mesmo tempo, o intuito é projetar espaços de trabalho colaborativos onde exista uma relação de cooperação e consequentemente êxito empresarial, o que é definido pela configuração espacial do trabalho. Sugere-se a a criação de espaços abertos e flexíveis (planta livre) para que os funcionários possam escolher qual deles mais se atende as suas necessidades. A convivência, a conexão, a interação espontânea e a inteligência coletiva foram os pontos cruciais do projeto, tais pontos são essenciais para aumentar a criatividade e o rendimento do trabalhador.

O conceito do edifício está baseado na integração, ao qual tem a intenção de levar diferentes públicos para essa área trazendo vida a esse espaço em diferentes horários do dia. Então, a criação de espaços públicos ao ar livre funcionaria durante o dia como praças de convívio e a noite como um espaço para receber festas ou eventos.

Sugere-se a criação de espaços como: uma creche (onde os pais possam deixar seus filhos e no meio do turno visitá-los), espaços para atividades extras (esportes e aula de línguas), espaços de convivência (salas de descanso, sala de jogos, tv e música, café e livraria) e um restaurante skylounge com vista panorâmica de Brasília.


DETALHE CONSTRUTIVO

SISTEMA CONSTRUTIVO O sistema construtivo sugerido foi uma malha estrutural de aço constituída por treliças de forma que possa economizar mais material que uma malha estrutural convencional. A volumetria do edifício foi pensada em conjunto com a estrutura e de forma racional permitindo um melhor aproveitamento do espaço interno. A área de convivência tem o objetivo de ser um espaço de respiro, para isso foi proposto um local com o pé-direito duplo que traz uma sensação diferente do ambiente de trabalho, onde encontra-se as salas de descanso, salas de tv, sala de jogos e sala de música.

CONFORTO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE O edifício tem o intuito de proporcionar maior conforto térmico para os indivíduos, então foi proposto um grande átrio central que permite iluminação e ventilação natural através dos shed’s que funcionam como captadores ou extratores de ar. No átrio central propõe-se uma queda d’água projetada com a função de umidificar o ambiente e amenizar a temperatura interna e o uso do vidro nas fachadas, para isso utilizando um sistema de coleta de água das chuvas no telhado. Essa queda d’água inicia na cobertura e chega no térreo onde encontra-se um espelho d’água. No telhado também foi sugerido um sistema de placas fotovoltaicas para gerar energia elétrica no edifício. Ao mesmo tempo, depois de analisar as cartas solares, foi notado que as fachadas recebem incidência solar direta em determinadas épocas do ano, então foi feito recuos em todas as fachadas para que possa ter uma melhor proteção solar no prédio. Na fachada norte onde recebe maior incidência solar durante o ano, observa-se um recuo de dimensão maior para maior proteção.

04 06

CORTE LONGITUDINAL


EDIFÍCIO COMERCIAL EM BRASÍLIA, SETOR COMERCIAL SUL Projeto de Arquitetura VI PROFESSOR ORIENTADOR Gustavo Cantuária AUTORA Stefanie Martins

DETALHAMENTO DO SANITÁRIO | planta baixa


VISTA 1

VISTA 3

VISTA 4

07


CENTRO CULTURAL URBANO EM BRASÍLIA, LAGO NORTE Projeto de Arquitetura VII PROFESSORA ORIENTADORA Emília Stenzel AUTORA Stefanie Martins


08


CENTRO CULTURAL URBANO EM BRASÍLIA, LAGO NORTE Projeto de Arquitetura VII PROFESSORA ORIENTADORA Emília Stenzel AUTORA Stefanie Martins

LABIRINTO

TEMPLO

QSC E SAN

GAL REST

REST

QSC OFC ADM

AUD E CINE

QSC E SAN

DANCE

LIV/CAFÉ

CALÇADÃO

QSC QSC

NAU QSC


AMBIENTAÇÃO (DISPOSIÇÕES + ATIVIDADES)

ÁREA FINAIS DOS ESPAÇOS

GRUPOS DE ESPAÇOS

DENOMINAÇÃO DOS ESPAÇOS

grupo a

cinemas/auditório

dois pavimentos.

cinema 01

afastado do lago. acesso pelo nível superior e saída nível inferior.

157m²

cinema 02

afastado do lago. acesso pelo nível superior e saída nível inferior.

157m²

auditório

afastado do lago. acesso e saída pelo nível superior.

440m²

área técnica

14m²

camarim

44m²

hall com bilheteria

espaço amplo com átrio central para circulação.

sanitários grupo b

560m² 138m²

livraria/ cyber café

dois pavimentos.

cyber café

acesso principal pelo nível superior. mezanino central.

700m²

varanda ( área transição)

espaço amplo com mesas ao ar livre.

800m²

livraria

acesso principal pelo nível inferior. área para café no espaço de transição e área para crianças no interior.

1850m²

sanitários (um em cada andar)

100m²

galeria

acesso somente do térreo para maior segurança.

500m²

mezanino

possui um átrio livre para circulação.

230m²

grupo c

oficina de arte 01

permite a visual do entorno.

70m²

grupo c

oficina de arte 02

permite a visual do entorno.

70m²

grupo c

grupo c (espaço de transição)

radicais livres

hall com recepção

80m²

sanitários

25m²

recepção principal

acesso central direcionado para a recepção principal.

café/bar

ao ar livre (somente cobertura) e localizado na área de transição do grupo c.

salão aberto

radicais livres

radicais livres

radicais livres

20m²

155m²

cozinha

simples balcão de atendimento.

25m²

restaurante 01 (salão)

permite a visual da lateral bucólica.

236m²

varanda

permite a visual da lateral bucólica.

250m²

hall com recepção

50m²

cozinha

65m²

sanitários

60m²

restaurante 02 (salão)

dois pavimentos. acesso principal pelo nível superior e possui também acesso pelo nível inferior.

220m²

varanda

65m²

hall com recepção

100m²

cozinha

48m²

sanitários

48m²

danceteria/bar

em uma ilha. bar em um nível acima da pista de dança.

hall com bilheteria

possui área coberta de transição.

180m²

bar

permite a visual da pista de dança.

180m²

cozinha bar/depósito danceteria (pista de dança) sanitários

60m² afundada sobre a água e com aquários ao redor.

200m² 72m²


CENTRO CULTURAL URBANO EM BRASÍLIA, LAGO NORTE Projeto de Arquitetura VII PROFESSORA ORIENTADORA Emília Stenzel AUTORA Stefanie Martins


GRUPOS DE ESPAÇOS

DENOMINAÇÃO DOS ESPAÇOS

atividades de suporte

área administrativa

AMBIENTAÇÃO (DISPOSIÇÕES + ATIVIDADES)

ÁREA FINAIS DOS ESPAÇOS

dois pavimentos. possui pátio interno.

recepção

50m²

sanitários (um em cada andar)

150m²

hall com pátio interno e varanda

possui varanda com visual de todo o entorno.

2 almoxarifados

680m² 50 m² (total)

sala do diretor

permite a visual do lago.

40m²

sala do curador

permite a visual do pátio interno.

40m²

sanitários curador e diretor (junto a cada sala)

9m² (cada)

sala de reunião

permite a visual do lago e pátio interno.

42m²

administração (6 funcionários)

permite a visual do lago e pátio interno.

50m²

copa

permite a visual do lago e pátio interno.

30m²

vestiários sala de descanso

100m² permite a visual do pátio interno.

50m²

central de segurança

30m²

área técnica 4x20

158m²

associação eletiva

templo

grupo d

pavilhão esportes náuticos

grupo d

pier

grupo d

quiosque (minimo 6)

localizado na área bucólica, possui uma entrada estreita para provocar surpresa ao entrar

170m² 250m²

ao longo de toda a orla deck de madeira 30m² (cada)

10


PRAÇA DE CONVÍVIO EM BRASÍLIA, NO UNICEUB Projeto de Paisagismo II PROFESSOR ORIENTADOR Alexandre Sampaio AUTORAS Stefanie Martins & Amanda Borges

PLANTA DE VEGETAÇÕES

CORTE LONGITUDINAL


11


HABITAÇÃO COLETIVA EM BRASÍLIA, ASA NORTE Projeto de Arquitetura V PROFESSORA ORIENTADORA Ana Carolina Drumond AUTORA Stefanie Martins O público alvo é estudantes de pós-graduação, pensando nisso, quatro apartamentos diferentes foram sugeridos para atender todo o público. Dois tipos de apartamento são direcionados para solteiros e dois tipos de apartamentos aos casais (com filho ou sem). Sendo os apartamentos para os solteiros com cozinha e sanitário compartilhado, enquanto os apartamentos destinados aos casais possuem banheiros e cozinhas individuais. A escolha do terreno foi baseada nas condicionantes ambientais, de modo que as fachadas maiores dos apartamentos não estão diretamente conectados a fachada que tem maior incidência solar, a fachada norte. Visando um maior conforto para os estudantes, foram propostos “vazios” que permite a passagem dos ventos (leste) e que penetra por todo o edifício por painéis metálicos. Com isso, todos os cômodos dos apartamentos possuem ventilação e iluminação natural. Ao mesmo tempo, a área da entrada (térreo) e todos os andares do edifício são iluminados por aberturas zenitais (Shed’s) formando um átrio na principal área de circulação dos moradores. Além da praça, uma forma de reforçar o conceito integração do projeto, opta-se por não ter salas de estar na maioria dos apartamentos para pressionar os estudantes a irem sempre nos espaços coletivos. O único apartamento que tem sala de estar é o apartamento destinado para casais com filhos, pois tornase necessário. Uma forma encontrada para o edifício ser mais econômico foi compartilhar o banheiro e cozinha dos apartamentos para os solteiros.

O projeto tem como premissa trazer a arquitetura verde para o projeto, para isso foi proposto na área de circulação um grande jardim vertical dividido por andares, o que facilita na sua manutenção, a água usada no abastecimento é feita por um sistema de águas pluviais reaproveitada. Os painéis metálicos que permitem a passagem de ar ao longo de todo o edifício também dispõe-se da presença do verde. Além disso, na cobertura possui uma grande horta que pode ser utilizada por todos os moradores. Essa proposta visa ajudar no controle térmico do edifício e na manutenção da qualidade do ar, filtrando gases poluentes. Todos os pavimentos da Moradia Estudantil na área de circulação possuem ventilação e iluminação natural, feita pelo átrio central proporcionando melhor conforto para os moradores. Nos apartamentos compartilhados, a planta de Layout foi feita pensando na privacidade dos moradores, onde o próprio mobiliário e painéis fazem esse papel. Cada quarto tem acesso a varanda individualmente. Existe uma leve diferença proposital (deslocamento) nas plantas que possibilita um jogo de movimento nas fachadas.


12


HABITAÇÃO COLETIVA EM BRASÍLIA, ASA NORTE Projeto de Arquitetura V PROFESSORA ORIENTADORA Ana Carolina Drumond AUTORA Stefanie Martins


DIAGRAMA DE VENTOS

13

CORTE LONGITUDINAL


HABITAÇÃO COLETIVA EM BRASÍLIA, ASA NORTE Projeto de Arquitetura V PROFESSORA ORIENTADORA Ana Carolina Drumond AUTORA Stefanie Martins


PARQUE URBANO EM BRASÍLIA, VILA PLANALTO Projeto de Paisagismo III PROFESSOR ORIENTADOR Alexandre Sampaio AUTORA Stefanie Martins

PARQUE |VILA PLANALTO 17

20

07

20

03 20

14

02

09

03

09 05

07

13 20

01 12

01

09 15 18

20

20

ESPÉCIES VEGETAIS

IMAGENS DE REFERÊNCIA

ESPÉCIES VEGETAIS

ÁRVORES Nº

Nome Científico

Nome Popular

Frut Ver

Frut Frut Frut Flor Flor Flor Flor Out Inv Prim Ver Out Inv Prim

Observações

Ø de copa (m)

Altura (m)

01

Delonix regia

Flamboyant

Raízes superficiais

10

13

02

Michelia champaca L.

Magnólia Amarela

Flor e fruto de interesse

8

12

03

Cariniana rubra (Gardner) Miers

Jequitibá

Flor expressiva

10

15

04

Genipa americana L.

Jenipapo

Fruto atrai pássaros

7

10

05

Caesalpinia leiostachya Ducke

Pau-Ferro

Fruto e flor não expressivos

10

5

06

Tabebuia róseo-alba (Ridley) Sand.

Ipê-branco

Flor expressiva- beija flores

6

9

07

Clitoria racemosa Benth.

Clitoria

Flor expressiva

8

12

08

Tabebuia serratifolia Nichols

Ipê-amarelo de folha lisa

Flor expressiva

8

12

09

Copaifera langsdorffii Desf.

Copaíba

Frutos = pássaros

10

15

10

Mangifera indica L.

Mangueira

Frutos de interesse

10

15

11

Sapinus saponaria L.

Saboneteira

Boa para estacionamentos

12

Myrciaria cauliflora (Mart.)

Jabuticabeir a

13

Morus nigra

Amoreira

14

Cedrela fissilis Vel.

Cedro

Flor inexpressiva, madeira $

15

Dalbergia nigra (Vell.) Fr. Allem.

Jacarandáda-bahia

16

Tabebuia heptaphylla (Vell.) Tol.

Ipê-roxo

8

12

10

15

7

4 a 12

8

15

Flor expressiva, madeira $

8

12

Flor expressiva

7

12

01

07

PALMEIRAS

17

Acrocomia aculeata

Macaúba

5

12 a 15

18

Washingtonia filifera

Washingtoni a

5

12 a 15

FORRAÇÕES

19

Hemerocallis flava

hemerocallis

0.75

GRAMADOS

20

Hemerocallis amarela

Grama esmeralda

13


11

20

05 20

12

12

12

11

02

20

20

06

10

20

16

03 15

01 20

17

20

08

16

20

01

20

08

01

03 09

09 20

04

18

19

16

01

16

16

20

10 04

20

20

0

02

03

08

14

04

09

15

5

20

10

20

05

06

11

10

16

50

17

18

12

19

15


STEFANIE MARTINS SOUZA stefanie_martins@hotmail.com julho 2018

Stefanie Martins Souza|PORTFOLIO  
Stefanie Martins Souza|PORTFOLIO  
Advertisement