Page 1

Dezembro 2011 20 de de Julho dede 2011 CIRCULAÇÃO:

Itaocara, Aperibé, Pádua, Cambuci, São Sebastião do Alto, Macuco, São Fidélis, Cordeiro, Miracema, Itaperuna, Laje do Muriaé, São José de Ubá, Porciúncula e Natividade

Ano Ano XVII XVII

Nº 171

NOROESTE nos NoroesteNOROESTE Notícias

NOTÍCIAS

A 7 1 Nº 170

- Um novo jeito jeito de fazer jornal Um novo de fazer jornal

Página 1

NOTÍCIAS www.noroestenoticias.net 20 de Dezembro de 2011 20 de Julho de 2011 - www.noroestenotícias.net

R$0,50 1,00 R$

Reforma do Hospital e compra de equipamentos Asfaltamento de ruas no centro de Itaocara Reforma e ampliação do Mercado do Produtor Construção da Creche-Escola de Jaguarembé Asfalto de Laranjais e Construção da Casa de Cultura Reforma do Centro Presépio é de Saúde

atração em Nara, com Reforma do Nildo Itaocara cursos superiores oficiais Como já é tradição em Itaocara, a praça Cel Guimarães, em frente a Igreja Matriz, é ornamentada para os festejos natalinos. Este ano, a secretaria municipal de Cultura e Turismo acrescentou mais um ícone que vem atraindo os olhares da população, virando ponto de encontro e poses para registros das câmeras. O novo Presépio é um sucesso absoluto e foi projetado pelo artista plástico Henrique Resende, que trouxe para a praça, em ricos detalhes, a passagem mais importante para os cristãos mundo afora, ou seja, o nascimento do menino Jesus. A inauguração foi realizada no dia 08 de dezembro e contou com a participação de grupos de Folia de Reis do município, da Escola de Música Patápio Silva, além de autoridades municipais e populares, que foram apreciar o Presépio e reforçar sua fé no Salvador. Segundo informações, o Presépio poderá ser visitado durante todo o mês de dezembro. Hospital

Compras de carros, caminhões, máquinas, UTI e Ambulâncias

reformado, ampliado e

Tribunal APROVA contas do prefeito Alcione Araújo O Tribunal de Contas do Estado do Rio de JaneiroTCE, órgão fiscalizador dos municípios, aprovou em novembro as contas do prefeito Alcione Correa de Araújo, de Itaocara, referentes ao exercício de 2010, a exemplo do que já aconteceu em 2009 e anos anteriores. E com um detalhe: com a menor exigência já vista na história itaocarense. A Câmara de Itaocara também já aprovou e a matéria está no BIOPI Nº 78 de 30 de novembro último Esta é mais uma resposta para aqueles “profissionais” em críticas destrutivas, os pregoeiros contumazes de inverdades, que sonham em um dia poder montar um governo paralelo, já que pelo voto popular nunca chegarão ao poder. A aprovação das contas foi motivo de efusivos elogios pelos vereadores durante a apreciação pelo Poder Legislativo Municipal.

E TEM MAIS...

Gelsimar, cadê a

Foto do vereador

Casa do Estudante. Dr.


Rosa Dos ventos

o amor, a felicidade, o tempo & o vento... Noroeste

Página 2

Notícias

S

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Chico Marra

EDITORIAL OPINIÃO ão quatro coisas que filme na telinha da TV; uma como em sendo, segundo o Nada que tenha antônimo pode O Diabo dorme andam, não ou deveriam caneta com tinta; uma coluna poeta gaúcho Mário Quintana, ser definitivamente grande,

gelado. Do tempo que trás as rugas, os cabelos brancos, as andar,popular semprequejuntas jornal;vazia, a ordenha sali- forte, infalível, inexpugnável, saudades ou o beneplácito do Há um ditado diz ser ade “cabeça ofici- da vaca; “uma palavra molhada de “ na do diabo” e é mesmo verdade: Aqui em Itaocara, por com todas as pessoas, a memória do computador; a va dentro da boca de alguém” definitivo: que ” Assim se dá com luz esquecimento. O tempoMarra exemplo, existe umade meia dúzia de tarrafa “cabeçasdevazias”vaindependentemente posição um pescador; o pé ou quando diz que “a mentira e sombra, amor e ódio, alegria rouba os amores. Chico Do tempo zias deriqueza, tudo - um ninhoou decor. “diabos” bem nono centro da a jangada social, pobreza de laranja quintal; nada é do que a líverdade e tristeza, felicidade infelici- a notícia que é não o principal inimigo lhe interessa, vivedose Quem vê um mais cidadão, pretenso légio Nildo Nara para, no seueespaço cidademundo de Itaocara, só vivem vida deder estar sendo perseguido, político, falando como de fala,acontecer”. arro- físico, dade, construir uma piscina, fatos Todo quer: que o amor, a para soltainfernizar no mar; aacarícia mãos que esqueceu liberdade e prisão. Nin- queixando própriodetempo. Hoje, aqui e de todo mundo, inclusive impedidomacias; que o progresso che-um sorriso, na verdade essaalém mania pergantemente, compalco sua diarréia verbal, impossíveis serem sabe realizados mas,um masagora, felicidade & o tempo. O vento? um beijo, Esse da vida... Nele, para guémdenunca quando o vento, dedetudo gue e melhore a vida do povo, gerando emprego e renda, seguição se encaixa como uma luva pensa que ele é exemplo de idealiscomo ele mesmo diz, “ não é preciso Bem, o vento... O vento entra um olhar, uma fatia de queijo muitas pessoas, não é só a ver- se inicia ou o outro termina... isso, é dúvida... Essa volumosa fato que se traduziria em comida, roupa, calçado, moradia eis queoo de competência cumprir, o importantedee um prometer” nessa história como auxiliar com goiabada, ou um mo, corpo dade que como deixa (?) de gestor acontecer... A existência depende numa ferapsicologia que fere reversa, mortalmente digna. Esse pessoal- Os diabos que não dormem- não dorperseguidor é ele próprio. Useiro público, de democrata, infalível e de para se vencer uma eleição”. do ladrão... O amor... Bem, de mulher? Um corpo de mu- Também, pudera, quem manda sempre do existir do outro. Daí amor. O vento é o auxiliar doe mem exatamente para ficar na rua futricando, inventando vezeiro em denúncias e informações um verdadeiro “messias” políticoum Tal “cidadão’, hipoteticamente, vira não existe ninguém que esteja lher,ser trêmulo, querer pegar a Lua submersa a “felicidade” não dar direito “ladrão”... Do tempo que engole e disseminando mentiras e isso parece fruto deardente, uma quente, santo milagreiro. O pior é que em sua e mexe, mais mexe do que vira, vive despidas de verdades, o ponto “G” de imune desejopordonão amar, mas aoinsaciável? ver nas águas do Paraíba! Foi a ninguém de impedir que o as horas, os dias, os meses, os mágoaao infinda chegarem Poder peloAh! votoÉdopreciso psicologia reversa, o “tal”, em seus falando em democracia, mas faz sem- quem assim age é sempre se consioeleitor, que seria o amor? Seria o raio o amor como algo que aconvocê? Você? Você quis? Você tempo passe e com suas afiadas anos e nos faz náufragos da vida sendo os mesmos os eternos derrotados nas urnas delírios de grandeza e sapiência, pen- pre ao contrário e “governa” algum ór- derar vítima quando, na verdade, é o dee Sol; os cordões prateados da tece do outro lado da linha do teve? Ou quer? Sua tarrafa seria garras e dilacere os sonhos de ou fantasmas de corpos mortos, isso tem razão de ser: são anti-povo e que só defensa que é tudo isso. Mas, em verdade, gão público como verdadeiro ditador. algoz; considerar-se mais competenLua; a carícia do vento; a gota Equador, onde, como já disse o capaz sabe de tal proeza? Bem que sem sonho, poesia,quando perspectiva, dem seus próprios interesses. Ninguém nunca viu e nem Se um eternidade. político com Talvez tal perfileu umqueira dia te do que os demais, o oposquem o conhece que não é nada deouviu chuva; a onda do mar; azul poeta, “não háapecado”. Deixese desconfiava! O amor... comdooutras que a to émagia e encantamento. O vento dizer que viram taiso “diabos” fazendo algo favor à chefia Poderpalavras, Executivo, a verdade; considerar-se o mais disso, poisjáconhece suas extremas li- chegar dizer, decéu; alguém, muitodopelo contrário, de ele, tridente nas sejamitações, do as cores arco-íris; a andam mos que o amor, como a começar Uma filosofia de botequim única coisa se pode permitir honesto é o auxiliar dotodo tempo e o escunão sabemos o queque poderá acontecer quando, mundo sabe, por seu discurso mãos prontos o primeiro que aparecer. correnteza do para rio; espetar o sorriso de o espírito vadioAliás, que está encomendado, solto e tentadeexplicar existência eis da que,emalém níveldedesua“felicidade” do frio invade ade alma consagrada seja in- a tal deiro predicado nãoque é privilégio ninlavra deaterceiros, é bom que se odiga nem éda surpresa essa suas atitude “dia-macias uma criança; cio;que o verde rolando mãos felicidade comtextos a frase conquista de um fragmento e apaga todas as últimas velas competência, incompetência esta vis-do guém... Principalmente quando esse ao em conteúdo de “seus” pu- banal bólica”, já que esse o papel do diabo... mata; o perfume daéflor; a cor percursos sobre as curvasblicados peca- em de que foiprovavelAdão, que não lumbrada em seus discursos, ainda lhe a alguém se imagina seroo vento que nãonão é... certo“feliz jornal, tempo. Seria a “felicidade” da vida! Ah! Se Para o “diabo que não dorme” (e para os que também dormente como matéria paga, já que de falta suporte até mesmo político para Ah! Parafraseando o Poeta Mario da arara; o canto do pássaro; o doras ou santas desses corpos teve sogra e nem caminhão”. vivência de um momento? Tem ventasse tão forte e você não mem) presta, todo mundo énus, ladrão, e vive graça ninguém dele um secretariado. salvo engano, ninguém vôo daninguém asa delta; a bola rolande safado mulheres ou homens, Nem publicaria uma coisanada e nem outra.formar A muita gente que Partindo diz que de sim! Quintana, estivesse tão insensível e longe, é metido em “maracutaia”, mas generalizar não é correto e por sua precariedade, incoerência e tais premissas, certamente, um goverdono da verdade, eis que esta apenas do no campo; a nota musical; que fazem o cio da vida e dão verdade é que a felicidade não Você? Eu? Não sei... Ou sei? talvez... É o tempo que venta o esses infalíveis “diabos julgadores” se esquecem dos seus ignorância. O cara é tão “limitado” no assim “comandado” será um desasé “uma palavra molhada de saliva o verde dólar; o orvalho da os tons de cores e calores que pode ser uma coisa burra, aqueO vento é o auxiliar do lavento ou é o vento que venta o próprios rabos espichados no leito de numa movimentada nem sabe da existência Lei de etre, do municíboca de Ao alguém”, assimde como manhã; os bonecos de neve; invadem o verão. Daí, que quem la que entorpeceda o espírito dá a falência drão, ogeneralizada assistente do tempo. A na tempo? contrário tudo‘a via pública e de vez em vez vê-se alguns deles cotós. Tem Responsabilidade Fiscal, não sabe do pio, aí incluídos os seus servidores que, mentira é uma verdade que se esqueogente roncopordoaímotor; o sabor da política, sabe, nasça o amor se preguiça ao corpo... Que faz o ele cabe roubar as folhas secas que se tem, quanto mais se cheia de disfunção que prega de- como limite para gastos com pessoal e nem provavelmente, voltarão ao pesadelo ceu de acontecer”. As duas hipóteses cerveja; o trago do cigarro; o fosse à síntese de tudo, dos deser humano contentar-se com das árvores, fazer as marolas acumula tempo menos tempo mocracia, mas age como ditador; que prega honestidade, o que é desafetação e essas asserti- do atraso de pagamentos como já acon- se amoldam muito bem em certos pé na rua; o sabor da maçã; sejos mais loucos aos quereres o que se tem. Para ser feliz é das águas dos rios para impedir se tem para manter, justimas pratica a desonestidade; que prega a tolerância, mas é vas se justificam pelas promessas de teceu no passado e a conseqüente falta políticos falastrões, que só terão suointolerante; gosto do pecado; a reza de mais profundos, da autenticipreciso buscar sempre, a pesca com anzol, secar ainda cesso ficar ou conquistar o amor. que prega a humildade, mas é arrogante; que de chegar ao Poder quando saci conceder 50% de reajuste salarial renovarde de crédito no comércio. domingo; o própria banco competência, escolar; o mas dade mais palpável, fogo os pastos inverno, espa- cruzar Quanto maioroufor o tempo, apregoa sua é incompetente ao douma só vez,sejádiuturnamente no primeiro anoedoterseuo peitoUm mais político assim,no quase sempre, as pernas morcego doar palco paraque representar; o dis-masdos extremo, prega o trabalho, viveprazeres, no ócio; que dosde-beijos“governo”, mais sempre repleto dedo emoções. o fogo das queimadas, fazer sangue... maioresse é ooimpacto do vento intocável e sempre, quando ponto “G’... a transformação Co- seÉjulgalhar fende político; a geração ademesa emprego, contra a construção curso farta;mas éardentes, das verdades mais nunca admitir que se seja feliz, o furacão assassino, levar as no frágil corpo da vida e daí indústrias no município; a dedicação do mais im- eis que se assim não for cessa a pétalas das flores, carregar em ao desequilíbrio o passo é tão asdeareias das dunas; a água que de defende puras ou das mentiras servidor público, masda elemoda; próprio não trabalha; que diz coco na praia; a roupa puras... De conformidade com busca, a conquista da vida... A suas asas o perfume. O vento é o pequenino, eis que o tempo é defender a zona rural, mas nem sabe o que é um pé de um banco de praça (o outro é o verdadeiro sabor do desejo... própria razão do existir. Nada auxiliar do tempo, do tempo que uma pinguela sem e bycorrimão Chico Marra milho,a xícara que dizde defender meio ambiente, masMas joga tudo o lixojustificado que precise de prova para de- passa e não perdoa. Do tempo o vento quer jogá-la azar); café; a oboneca É claro. ao chão... sua casa na rua depois que o veículo coletor passa; que dedepano; a novela das oito; o em nome do amor... A verdade existência fermentado, fervido, heta, Ouena Eu abrimonstrar o portal sua do tempo paraé real. dades destilado, dos seus antigos moradores. aí água? eu contei todas as estre-

O ponto

LITERATURA

G

de um Político...

Portais do Tempo

diz defender os cursos d água, mas enchem os rios de enque por ele pudessem passar os an- Ah! Esses sonhos não vieram e nem tulhos; que diz defender florestas, mas é amante das queitigos sonhos, quimeras que desfila- poderiam vir: Eles não foram commadas. Estas são algumas das disfunções político-sociais ram pelos corredores da vida quase partilhados, não tiveram vida e são do “diabo que não dorme”... que inteira e que se perderam pelas como pássaros de asas partidas... O “diabo que não dorme” é incitador de greves até em madrugadas infindas e incontáveis Não voaram, não saíram de dentro serviços essenciais; prega a luta de classe, proletariado x de insônias que acabaram, cansadas, do de si mesmos... Ficaram inertes, burquês, como se o muro de Berlim ainda estivesse de pé; por dormirem no quarto minguante sentidos, morridos ou indefinidos se diz defensor de direitos humanos, porém aplaude ações Chico Marra Mais um show do grupo de uma lua agonizante, no ocaso em suas vontades dentro do meu de governos sanguinários como os da Líbia, da Venezuedança “Corpo Livre” das horas de mortas. Vieram quase to“Eu”. A saudade dói, principalmenla, da Eu Bolívia, doraIrá, decom Cuba,sorriso da Síriadee criança, acha que a morcultuei vida dos os sonhos: Uns rolando com o aconteceu e desta vez foi tenaquando ela deriva de um sonho te do Expressando chefe máximotodo do terrorismo foide uma irrecuperável um mundo calma. vento, outros andando pelas tranças acalentado bem lá no fundo do peito perdaVesti para ade humanidade; solidariedade, localidade de Pouso Alto, rara belezaprega e coraminha alma, mas não das chuvas, alguns nos perfumes e que nunca se tornou realidade... doa nem um quilo de fubá para de flagelados. Que socialisPlantei um futuro cheio esperança... município de Itaocara. das flores, no muitos nas corredeiras do As palavras nascidas no pasmo é esse? Pois é, “o diabo que não dorme” está sempre Rio NegroSob e nãoopoucos montados sado não morreram jamais, moram comando do seu na contramão história, coisa e fazendo Quando damorrer voupregando emborauma sereno, no cavalo alado que ainda mora no dentro do peito e continuam, ainda coordenador geral Jorge outra Não exatamente contrário. É muitoveneno. fácil para o “diacultiveiaoódio nem destilei arco-íris... Sem falar naqueles que hoje, fazendo eco no corpo inteiro, bo que fazer crítica, já que (Jorgete), o grupo Eunão só dorme” quis saber dequalquer paz, de tipo bemde viver, chegaram França nos braços dos doirados arrepiando cabelos, fazendo um o seu compromisso não está atrelado à verdade e até por Ter fé, esperanças e amar muito você. raios da lua cheia, nos que evieram friozinho correr pelo estômago e realizou bela aplaudique ele não conhece nada de nada, não tem competência com as músicas dos anos sessenta e dando uma sensação de presença... da apresentação de dança para gerir sua própriada vida. só um “diabo” desses A psicologia vidaImagina reversa, outros tantos que botaram seus pés Apesar do tempo decorrido, as carícom poder parajunta mandar e desmandar... fatodaque “abalou” em mim lágrima e sorriso. Seria a anarquia na estradafunk, em busca derradeicias, os olhares cheios de promesabsoluta. Mas tem gente querendo isso, apostando nisso garotas do por local, Rápido, e sem muita pressa, ra chance,as agora entrando este além sas e os passos também continuam para governar em nome dele. Claro, para tirar proveito da portal. Dentre todos que ultrapassahipoteticamente vivos. Os sorrisos, Eu vou do Inferno ao Paraíso... da quadrilha e casamento total incompetência dele... ram esta porta mágica, nenhum fi- não... Esses ficaram sepultados juncaipira. O sucesso do grupo cou. Assim como entraram, saíram. tos com o último adeus acenado de é tantoqueque já tem comproÉ bem verdade muitos sonhos dentro de um barquinho de papel Expediente: E x p e d i e n t e não vieram, principalmente aqueles que você arremessou na correnteza misso agendado até novemJornal Noroeste Notícias que forambro ardentemente sonhados. deste ano. Segundodaochuva que correu pela Rua CapiRevista e Editora Ltda Estes preferiram ficar sentados nos tão Lessa, numa tarde de domingo. diretor do grande CNPJ 39.416.235/0001-02 velhos banquinhos da grupo, Praça José Você nem viu que eu estava dentro CNPJ-MF 39.416.235/0001-02 Redação: Rua Moisés Pedro de Aguiar, 44 - bairro parte do sucesso do “Corpo Dias, contemplativos, na ponte de desse barquinho! Estava... E junto Redação: Rua -Gilceria Jorge deRJ Oliveira, 390 - CEP.: 28.570-000 - Itaocara - RJ Eucalipto Itaocara madeira sobre o Valão da Onça ou com ele desci pelo valão da Onça, Diretor: Jonathan Sabino de Faria Diretor: Jonathan Sabino de Faria Livre” se deve ao apoio que Programador Visual: Luíz C. Mello e Michael Bastos debruçados numa janela azul de passei pelos rios Negro e Grande, Programador Visual: Fabiane da Cunha - Cel.: (24) 8811-3906 - E-mail: fabicunha@click21.com.br lhe aé vida dadocisma pelade1ªmanDama cheguei de Representante: Essie Publicidades uma casa que até ao Paraíba e daí ao mar, drfranciscomarra@yahoo.com Impressão: Gráfica Hoffman - Itaperuna - RJ Itaocara, a Professora Leila Representante: ESSIÊ PUBLICIDADES ter de pé quando, na verdade, já foi onde naufragamos os dois... Eu e As matérias assinadas responsabilidade Impressão: Gráfica Hoffmann são - Tel.: de (22) inteira 3824-2499 - Itaperuna - RJ engolida pelo asfalto da RJ-116 há a vida. Na ilha deserta onde aporde seus autores e não corresponde, obrigatoriamente, a Martins de Araújo. Ao lado As matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus opnião do Jornal. autores e não corresponde, obrigatoriamente, a opinião do Jornal muito tempo e que agora apenas tei, o tempo passou lentamente, até fotos do acontecimento: mora dentro de mim ou nas sau- acabar com toda a areia da ampul-

Trovas

os An 17

NOTÍCIAS

NOROESTE

Trovas Extemporâneas

Jornal Noroeste Notícias Revista e Editora Ltda

las... Uma a uma, sem esperanças de encontrar aquela que me servisse de guia para voltar ao mundo das esperanças. Empilhei saudades numa ilha deserta... Umas mortas, outras vivas. As saudades são sementes secas dos sonhos vividos, principalmente dos perdidos e aí não germinam mais. Eu não gostaria de tê-las, mas eu às tenho plantadas num grande jardim hipotético... São flores hipotéticas de todas as cores, matizes e perfumes. Nelas não chove e nem as rego, mas elas continuam germinando, crescendo e florindo. Você? Bem, você nunca soube desse naufrágio e nem jamais irá saber desse jardim, das sementes de saudades que germinam sem parar. Esperança? Que esperança, se o tempo já destilou o tempo e o vento que impulsiona a vida não anda de marcha-ré e nenhum túnel é caminho para se voltar ao passado, a não ser que se abra o Portal apenas para desfiles de reminiscências. Daí ... Apesar de tudo, hoje eu abri o Portal do Tempo para que as reminiscências voltassem e. muitas voltaram, num desfile sem brilho e sem alegria. Apenas voltaram. Essas eu não convidei para ficarem, já que nenhuma delas trouxe o fogo das antigas paixões. As que não vieram, talvez trouxessem esse fogo... Mas essas não caberiam nos Portais do Tempo...

Grupo de Dança “Corpo Livre” dá show em Pouso Alto


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Amanda Ripper @ Você já viu ? Pois é, você já viu a belíssima loira que passa todos os dias, pela manhã e a tarde, na calçada do Parque Faria Souto, em Itaocara, perto da Nova Prefeitura? Ninguém sabe de onde ela vem e nem para onde vai, mas uma coisa é certa: tem muito homem suspirando por ela. Dia desses “T”, atualmente um solteirão inveterado, que já teve a mulher que quis nesta cidade e que tem um belo carro esporte vermelho, pensou alto: “com essa mulher eu caso”. Amanda, que estava perto e "antenada", ouviu a confissão... A mulher é um Torpedo, e que torpedo.....

@ Politicando Estão dizendo nos meios políticos que o partido que mais cresceu em Itaocara, na corrida para filiação de possíveis candidatos ao pleito de 2012, foi o PSC. Para se ter uma pálida idéia de como foi esse crescimento, dizem que o partido do peixinho tem excelentes nomes para formar uma chapa completa de candidatos ao cargo de vereador, o que significa dizer que coligação é história fora de cogitação e quem pensar que fica só nisso a excelência do quadro de filiados, está completamente enganado: o “20” tem nomes que poderiam perfeitamente disputar também os cargos de prefeito e de vice...

@ Verdes Águas Para algumas pessoas o mar é azul, para outras é verde... Mas em se tratando de motel, algumas mulheres de Ita ocara estão achando que é mesmo “verde” a “água” do mar. Será que é por isso que estão frequentando tanto certo motel de Cambuci? Ou será pelo fato do “Ricardão” morar naquela cidade? Amanda tem visto algumas mulheres “in_suspeitas” vindo daquela cidade sempre à noite, a bordo da VB, para despistar... Descendo cheirosas, arrumadas e... Desconfiadas, olhando para todos os lados com medo de serem “filmadas”. Só que, dia desses, o marido de uma delas achou um “sabonete de motel” na gavetinha de uma cômoda do quarto...

@ Ingratidão

Tem certos co_merciantes na cidade de Itaocara, que vivem enchendo de anúncios caros páginas de jornais de fora da cidade e se negam a colaborar com uma pequena quantia para um autêntico jornal da cidade para o divulgar o Município de Itaocara, sua história passada e presente, Inclusive do próprio comércio local. Esses camaradas, quase sempre, são fornecedores do município, mas dele só querem mesmo é o dinheiro... Divulgá-lo? Nem pensar! Será que já não está passando da hora do povo dar uma ‘banana” para esses ingratos comerciantes? O NN está de olho neles...

@ Safadona

Pois é, uma certa “loira”, muito bonita e que anda sempre bem arrumada, com roupas bem provocantes, que adora dar uma de santinha, mas que já passou pelas mãos de dezenas de homens e que estava “devagar”, mas que agora está atacando de novo e pode ser vista em todas as cidades da região, inclusive em Itaocara, na maior orgia. A safadona, que tem marido, sai de casa bem cedo e só volta altas horas da noite. Em casa ela está sempre doente, cansada, com frio e dorme cedo. Já na rua ela não sente nada e anda sempre disposta a sentir as delícias do sexo... Estão dizendo por aí que o “maridão” cansou de levar chifres...

@ Sindi_cato

Pois é, nunca se viu uma eleição tão irregular como foi essa última ocorrida para reeleger o presidente do Sindicado dos Servidores Públicos do Município de Itaocara: É que existiam duas chapas inscritas, mas os servidores só puderam votar em uma, explico: só existia uma urna e esta e ela não tinha lugar fixo, era móvel e andava debaixo do braço do candidato Gelsimar Gonzaga, sem falar que tal “eleição” durou dois dias, como já noticiou a imprensa. Bem suspeita essa eleição. Suspeita, não, Ilegal mesmo. Além disso, o tal cidadão, que prega a alternância no poder, já está na presidência do Sindicato há quase 20 anos, quando só poderia ficar por dois mandatos, mas, mesmo sem trabalhar na Prefeitura, aonde é “mata mosquito”, durante todo esse tempo, recebe em dia seu salário. Para quem prega, como prega o Sr. Gelsimar Gonzaga, democracia, transparência, legalidade, moralidade e alternância no Poder, esse não é um bom exemplo...Olha, não confunda : Eu falei Sindi_ Cato! Gelsimar Gonzaga, que é mestre em denúncia, quando é denunciado, esperneia, chora e se diz perseguido pela imprensa. “Buá, buá,

Parabéns!!! Parabéns para a nova psicóloga Giselle Fallone Marra (foto), que se formou na Faculdade Luterana de Psicologia, de Imtubiara - GO, neste ano de 2011, com destaque especial para a apresentação de sua monografia. A nova psicóloga encanta com seu charme e simpatia.

@ Nota DEZ

Página 3

Um novo jeito de fazer jornal

Quem está merecendo uma bela Nota Dez é o Prefeito de Itaocara, Dr. Alcione Araújo, pela excelente administração que está realizando em prol do município de Itaocara, atacando e resolvendo sérios e crônicos problemas como, exemplificando, a água e o PSF de Estrada Nova; O asfalto da Rua Nilo Peçanha, em Laranjais; a construção cinco pontes na zona rural; as construções da creche-escola e a reforma e ampliação do Mercado do Produtor de Ponto de Pergunta, em Jaguarembé; as construções da Capela Mortuária e da Casa da Cultura, bem como pavimentação de ruas em Batatal; O asfaltamento da Avenida do Fórum, pavimentação de ruas no bairro Jardim D´Aldeia; O muro de contenção do Morro do Cruzeiro; o asfalto do centro da cidade; a Nova e moderna Prefeitura; A reforma, ampliação, compra de modernos equipamentos para o Hospital Municipal- hoje referência regional em saúde; a reforma e ampliação do Colégio Nildo Nara, inclusive trazendo mais faculdades para ali funcionar, em convênio com a Fundação CECIERJ, a fundação da Escola de Música e do Teatro Municipal KIÚD; a modernização do trânsito na cidade, a corajosa cassação dos Taxis Fantasmas; a reforma da Rodoviária e a desobstrução de suas passarelas laterais, a criação do projeto “Música na Praça” e “Calçada das Artes”; a aquisição de veículos leves, ambulâncias, UTIs, caminhões, máquinas pesadas e leves; a realização de Concurso Público; a abertura e conservação de estradas rurais. A colocação de água tratada em Estrada Nova, em parceria com a CEDA E , vinda de Valão do Barro, um obra muito cara e que o povo esperava a vida inteira; aquisição de terrenos para ampliação, construção de capela mortuária e adequação do cemitério de Itaocara às normas de segurança e ambientais; o pagamento em dia, e até antecipado, dos salários dos servidores e dos fornecedores; a reforma e ampliação do Centro de Saúde da cidade; a realização do campeonato de futebol urbano, dentre outras coisas, bem como os diversos projetos a serem executados neste final de ano e em 2012, aí incluído o distrito de Portela.

@ NOTA ZERO

Para certo policial militar, do Batalhão de Pádua, que dizem, que participou de “ blitz” no trânsito das ruas de Itaocara, no dia 14/11, por volta das 15 horas, por três razões: A Umapor não ter competência para fiscalizar o trânsito (e veículos) na zona urbana da cidade e dos distritos, por NÃO haver convênio firmado para tal entre o Município e a Policia Militar e, assim, toda e qualquer multa ou apreensão é Nula de pleno direito . É só recorrer e sair pra comemorar... A Dois- pela ignorância e truculência com que se agiu em certas ocasiões, com algumas pessoas como, por exemplo, contra um servidor municipal, do Jornal BIOPI. A Três- por determinar a remoção de veículos devidamente legalizados para o depósito de Itaperuna que fica a mais de 100 km de Itaocara, ao invés de agir com bom senso, já que não se lidava com marginais. Ainda bem que esse truculento procedimento ficou por conta de um único policial... Ah! Como a sociedade gostaria de ver tal policial trabalhado numa favela do Rio onde poderia mostrar toda a sua valentia... E competência!

@ Se bicando Um certo conhecido e de profissão que se fala, ou será escreve, muito, foi visto recentemente com uma bela e escultural mulher. Tão fogosa quanto a brasa em fogueira de São João. Se do Porto descesse ou se lá ainda desembarcasse sonhos e delírios, a vida seria ainda mais encantadora. A morena de seios carnudos e que tem o mesmo nome da flor da primavera, apesar de casada, não consegue deixar sua velha paixão, que de santo não tem nada.

@ Censurando Os jornais do interior que o digam. Se ainda tem juízes que censuram, tem ainda muito mais gente que se vale da justiça com o único intuito de calar aqueles que ainda resistem em divulgar as notícias das pequenas cidades interioranas. A cada dia que passa é mais comum os oficiais de justiça frequentarem as redações dos periódicos para entregar alguma citação ou intimação, sendo estas na maioria das vezes, por que algum cidadão, principalmente político, se sentiu ofendido e visa tentar calar a boca através da intimidação psicológica ou em tirar o pouco tempo que os repórteres tem de fazerem investigações. Há, tem ainda os 40 salários mínimos que todos querem arrancar a todo custo dos jornais, como se eles fosse uma mina de dinheiro ou ganhasse muito como eles. Agora até bandidos estão processando os jornais. Imprensa é assim: você elogia, ninguém te liga agradecendo. Agora se foi notícia, sabem logo o caminho da justiça para abrir um processo...


Página 4

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Conspiração Illuminati- Sociedades Secretas “A simulação é a situação criada por um sistema de sinais, quando se torna-se bastante sofisticados, bastante autônomo, de eliminar o seu referencial próprio e para substituí-lo por si mesmo”- Jean Baudrillard Baudrillard nos diz que temos entrado na hiper-realidade, por vezes, definido como o mais real do que real. Parece um conceito estranho, mas talvez possamos encontrar um bom exemplo na proliferação de teorias da conspiração. ‘RL’ – Real Life – é freqüentemente associado com acidentes, cockups, preguiça, incompetência, má sorte, circunstâncias imprevistas, as conseqüências não intencionais, coincidências … um miasma de bagunça, confusão, desordem, caos, desconexão. Causa e efeito existe, mas não de uma maneira simples e satisfatória. As pessoas não gostam do real sem adornos. Estamos sempre à procura de padrões que fazem sentido: fácil de entender causa e efeito. Mesmo quando olhamos para as nuvens, imaginamos que estamos vendo contornos definitivos (como rostos ou animais) ao invés de bolhas amorfas. Nós não podemos ajudar a nós mesmos – nossas mentes estão ligadas dessa maneira. Quando não podemos encontrar uma causa e efeito óbvio, ficamos perplexos. Mesmo em dificuldades. Mas a nossa ansiedade é relativamente fácil de curar. Nós simplesmente inventamos uma causa e efeito e impô-la sobre a situação problemática. Quanto maior a causa e efeito, podemos conjugar, mais felizes somos. Nós sentimos que estamos a compreender o mundo. Resistimos a noção de que a verdade, da forma que podemos compreender, não é por aí. Deve haver algum padrão compreensível de causa e efeito que explica tudo. Existe as teorias da conspiração. Nada é por acaso. Nada é um cockup. Não há nutters solitário com rifles de alta potência. Os loucos não fazem coisas loucas. Em vez disso, tudo é racionalizado, colocar em um agradável, a casa arrumada e amarrada em um lindo arco-derosa. The Gift-wrapped parcel é apresentado ao mundo e todos os acenos e sorrisos, porque agora o mundo faz sentido. Sanity restaurado. Tudo tem um motivo sensato. Claro, pode haver muitos fatos inconvenientes que não suportam as várias teorias da conspiração. Mas não é aqueles que estão sobre a conspiração que fabricam esses “fatos”? Seis milhões de pessoas morreram no Holocausto. ‘Quem disse? ” que negam o Holocausto

perguntar. “Os judeus dizem: ‘é a sua resposta. Por quê? Para promover uma agenda sionista. E não são os judeus que querem secretamente controlar o mundo? Quem escreveu aquilo em segredo nos protocolos dos Sábios de Sião? Aqueles eram falsos, é claro. Mas por quem? Bem, pelo Sábios de Sião, naturalmente, para disfarçar a astúcia da verdade. Para dizer a verdade da “conspiração judaica” é, de acordo com os negadores do Holocausto, a ser acusado de acreditar em uma “falsificação comprovada”, que não foi forjada em tudo, mas deliberadamente distribuído como uma falsificação simulada. Hoje em dia, ninguém pode discutir a “conspiração judaica” por medo de serem marcados antisemita, e ingenuamente e perversamente aceitar falsificações … que era toda a questão da falsificação, em primeiro lugar. Exceto, como observou, não era uma falsificação, mas apenas uma simulação de uma falsificação. O gênio por trás desta conspiração! Bem, isso é como algumas pessoas vêem isso, e não há nada que você possa dizer ou fazer para mudar as suas mentes. E mesmo a tentar é demonstrar que você é parte da conspiração. Existem aqueles que afirmam que os fatos possam dissipar as teorias da conspiração. Que planeta essas pessoas estão vivendo? Como Nietzsche disse, ‘Não há fatos, apenas interpretações. ” Ele poderia ter vindo acima com uma formulação ainda mais radical: “Não há fatos, apenas interpretações.” Fatos há muito que deixou de ser objetivo, as coisas reais. (Eles não são, afinal, mas os sinais elétricos no cérebro humano, em qualquer caso, assumindo que aceitar os fatos da ciência.) Facts, agora temos consciência, são crenças. Eles podem ser utilizados para apoiar qualquer coisa. As pessoas têm crenças religiosas, precisamente porque os “fatos” são tão maleáveis. Você pode escolher o seu próprio de todos aqueles em oferta. Você pode ignorar todos os fatos que você não gosta. É uma condição de fé. (Was Jesus Cristo, o Filho de Deus? O Filho do Homem? Será que ele levanta pessoas da morte e da ressurreição dos mortos mesmo? São estes factos?

Ou será que Jesus Cristo realmente Yosef ben Yehoshua, e não fazer nenhum milagre e foi um ser humano comum? Será que ele ainda existe?) Teorias conspiratórias operam no mesmo território. Estes são sistemas de crença também. Nada pode superá-los. Na verdade, é uma previsão da teoria da dissonância cognitiva de Festinger, quanto mais conclusiva as crenças das pessoas são refutadas o mais provável que muitas dessas pessoas são de redobrar a sua fé em suas crenças negadas. Você vê, tudo é hiper-real. As teorias conspiratórias, como as religiões, oferecem muito mais emocionalmente explicações satisfatórias. Eles fecham o grande, assustador, questões abertas. Quem, além de pessoas racionais, quer acreditar que um motorista embriagado em um túnel de Paris matou Diana Spencer? Seus seguidores não vão aceitar isso. Assim, todos os granizo elaboram a teoria da conspiração. Ela morreu por razões específicas, de uma agenda racional – e não por causa de algum acidente de carro barato e vulgar, do

tipo que acontece dezenas de vezes por dia em todo o mundo. Não, isso simplesmente não funciona. Os pensadores dinossauro que escrevem livros de teorias “refutando” conspiração deveriam cair na real e repensar suas teorias. Ou melhor, hiper-real. Seus fatos ridículos foram extintos há muito tempo, admitindo que já existiu em primeiro lugar (que eles não fizeram.) Não há nenhum ponto em discutir a veracidade ou não das teorias da conspiração. É tão inútil como tentar refutar as religiões. Os fiéis costumam dizer: ‘Mas você não pode provar que Deus não existe. ” Eles nunca dizem o que eles aceitam como prova. E, na verdade, eles aceitariam o nada. Mesmo jogo com os teóricos da conspiração. Evidentemente, todos nós estamos familiarizados com a conspiração do primeiro humano – quando a primeira mulher falou ao primeiro homem para roubar uma maçã de uma árvore especial: a Árvore do Conhecimento. Os fatos nunca ficaram no caminho dessa conspiração, não é?

Gelsimar Gonzaga, a ditadura no Sindicato? Segundo matérias já publicadas na imprensa local, a recente reeleição de Gelsimar Gonzaga para o cargo de presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Itaocara, onde o seu “reinado” já dura mais de 15 anos, está sendo contestada por duas razões: pelo fato da eleição ter sido realizada em dois dias e em razão de que a única urna existente “andou” debaixo do braço do citado candidato nos “dois” dias em que ocorreram as eleições, sem falar na negativa do referido cidadão de não deixar a imprensa ter acesso a informações relativas à citada eleição, numa atitude antidemocrática de quem tanto prega a própria democracia. Gelsimar Gonzaga é servidor do Município de Itaocara, no cargo de Agente de Vigilância Sanitária e Epidemiológica, mas dele está afastado há mais de 15 anos, embora receba seus vencimentos em dia. Outras questões levantadas por alguns sindicalizados ficm por conta da suposta falta de prestação de contas

e de informações sobre a existência ou não de mais uma sala no mesmo prédio da atual sede ou se a teria tido. Tais fatos mostram que a democracia, a moralidade e a transparência que ele tanto prega não são as mesmas que ele pratica. Caso parecido ao do presidente Gelsimar aconteceu em Porto Velho, capital de Rondônia, onde Denis Oliveira de Souza, presidente do SINDECOM- Sindicato dos Empregados do Comércio, que tem mais de 15 mil sindicalizados, também está se eternizando no poder com os mesmos artifícios, ou seja, eleição em dois dias e urna móvel “debaixo dos braços do candidato” e, como denunciaram alguns sindicalizados de lá, “violando o princípio de eleições sindicais livres”. A CUT de Porto Velho está contra a reeleição de Denis de Oliveira. O caso foi para na Justiça e uma Liminar foi concedida anulando a citada eleição de Porto Velho. E aqui, como é que fica?


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

Página 5

Morre Monsenhor Pedro Maia Saraiva Ele foi o camareiro secreto do Papa Paulo VI Nascido no sertão de São Roque, em 22 de setembro de 1920, filho de José Saraiva e Haydeé Maia Saraiva, pertinho da Água Preta do “Moleque Amaro” levado da breca, de Gamaliel Borges Pinheiro, zona rural do 1º distrito de Itaocara, filho de família pobre, oriunda de Minas Gerais, cujo pai trabalhava plantando fumo para poder sustentar a família. A dureza da vida o levou aos dez anos a juntar-se com outros três meninos e começar a trabalhar como engraxate. O dinheiro arrecadado ajudava a fazer as compras de casa. O menino engraxate tornou-se um dos maiores ícones da sociedade itaocarense, da qual foi o primeiro a ordenar-se padre. Trata-se do Monsenhor Pedro Maia Saraiva, contemporâneo de outros itaocarenses ilustres como Dr. José Bucker, Dr. Carlinhos Faria Souto, Dr. Nicolau Mary e tantos outros mais. Quando criança, “Duduca”, esse era o seu apelido, comandou “quadrilhas” (movimentos folclóricos), times de futebol e o Grupo de Escoteiro “Tabajara”. Tarde, muito mais tarde, ordenou-se padre em 29 de junho de 1956. Era prefeito na época o Sr. Genésio Maurício de Aguiar, que lhe prestou todas as honras e lhe entregou a chave da cidade. Em 1957 foi nomeado, conforme termo de fls. 77 do Livro de Tombo pároco da Igreja Matriz de São José de Leonissa, assumindo o cargo em 1º de janeiro de 1957. Quem lhe deu muito apoio material/financeiro foi o grande itaocararene Altevo do Valle e Silva. Foi elevado Monsenhor em 5 de outubro de 1963, véspera da Revolução de 1964 que cassara seu amigo Jango Goulart da Presidência da República e Roberto e Badger Silveira, governadores do Estado do Rio e que eram seus amigos íntimos. No livro Tombo nº. 31 está escrito ter ele recebido o título de camareiro secreto de S. Santidade Paulo VI. Monsenhor Saraiva faleceu na manhã de quarta-feira, 7/12/11, e sepultado dentro da Igreja Matriz dede São José de Leonissa, depois de 55 anos de sacerdócio. By Chico Marra.

Pedro Maia Saraiva

1920 - 2011


Página 6

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

A Administração Municipal:

O Poder Executivo

Quem foi o primeiro prefeito de Itaocara eleito pelo povo?

Como já se sabe, o município de Itaocara foi criado em 28 de outubro de 1890 e, com o passar do tempo, o pequeno “burgo” ia crescendo, crescendo... tomando ares de cidade, de uma cidade geometricamente planejada, a única do noroeste fluminense. Isto graças aos conhecimentos de arquitetura do seu fundador, Frei Tomás. Durante o Império, no segundo reinado, D. Pedro de Alcântara por diversas vezes visitou a Aldeia da Pedra, chegando mesmo a pernoitar na Fazenda da Serra Vermelha (4º distrito), hoje de propriedade do Sr. Claúdio Gualberto. Com o advento da República (esta proclamada de maneira surpreendente até para os republicanos), o Brasil inteiro passava por uma reorganização, para não se dizer uma tumultuada transição. Os republicanos, na verdade, não sabiam o que fazer com o inesperado presente: a queda da monarquia. Dizem até que o Marechal Deodoro, desiludido, escrevera a um sobrinho de nome Luiz dizendo-lhe que: “... No Brasil, república é sinônimo de desgraça”, o que dá para sentir bem, se verdadeira a frase a ele atribuída, o seu desencanto

com o nascente regime republicano. A história tem mostrado, a todos os níveis de governo, que a troca da Monarquia quase nada trouxe de muito positivo, embora a monarquia tivesse vícios enormes. Mas a República não só não eliminou tais vícios, como acrescentou outros que perduram até hoje, como a corrupção desenfreada e a crise moral. Cedo, muito cedo, Rui Barbosa também ficou decepcionado com a República e seus métodos. O tempo passou e o sonho brasileiro de uma vida digna ia ficando sempre mais distante. Mas história é história. Voltemos ao ano de 1890: Criado o município, este foi governado por Intendentes. O segundo e último intendente foi José Joaquim da Cruz Braga, que governou no período de 1891 a 1892, quando foi organizada a Câmara Municipal, passando o presidente de esta ter funções também executivas. Esse sistema vigorou até 1921. A seguir os presidentes da Câmara que exerciam, cumulativamente, funções executivas (de prefeito): 01 - Coronel José Ferreira Guimarães,1891 – 1894; 02 - José Joaquim da Cruz Braga, 1895 – 1896; 03 - João Francisco de Aguiar, 1898 – 1900; 05 - Eduardo Scisínio de Araújo,1901 – 1903; 06 - Coronel Antônio Alves Pita de Castro,1904 – 1909; 07 - Clemente Pereira de Carvalho (Substituto), jan/fev 1910; 08 - Coronel Antônio Alves Pitta de Castro,1904 – 1909; 09 - Amaury Guimarães (substituto), jun/1910 fev/1911; 10 - Coronel Antônio Alves Pitta de Castro,1911 – 1915; 11 Raul de Carvalho,1915 – 1916; 12 - Dr. Francisco Portela dos Santos 1916; 13 - Coronel João FrancisPrefeito de 1971 a 1973, Paulo Mozart co Ramos,1916 – 1918;14 de Almeida era natural de Salgueiro, - Capitão José Dias 1918zona rural de Santo Antônio de Pádua 1921. A fase de presiden-

tes com poderes executivos termina com o Capitão José Dias, em 1921. Ocorrendo a tripartição dos poderes também no âmbito municipal (como hoje: Executivo, Legislativo e Judiciário), a administração do Município passou a ser exercida por um Prefeito. O primeiro deles, o primeiro prefeito eleito, foi o Coronel Antônio da Silva Pinto, que governou no ano de 1922. A seguir, os Prefeitos do Município de Itaocara: 01 - Coronel Antônio João Manoel dos Santos, do distrito de Portela, foi prefeito de 1951 a 1955 da Silva Pinto, 1 9 2 2 ; 02 - Dr. Carlos Moacyr de Faria Souto Queiroz de Souza, 1947; 23 (que foi eleito, tomou posse, mas Dr. Péricles Corrêa da Rocha,1947 não exerceu o cargo), 1923; 03 - Dr. – 1949; 24 - Ataliba de Souza MaDiogo Campbell (Interventor),1923 rinho (substituto), 1949; 25 – 1924; 04 - Dr. Jonathas Pedrosa Dr. Péricles Corrêa da Rocha,1949 Filho (Interventor),1924; 05 - Nico- – 1951; 26 - Elias de Carvalho lau Mary (Interventor),1924 – 1925; Gama,1951 – 1955; 27 - Genésio 06 - Ataliba de Souza Marinho (In- Maurício de Aguiar,1956 – 1958; terventor),1925 – 1926; 07 - João 28 - Otílio Pontes,1958 – 1959; 29 Gomes da Silva (Interino), 1 9 2 6 - Johenir Henriques Viégas,1959 – – 1927; 08 - Pedro Joaquim da Cun- 1962; 30 - Augusto José Pires,1962 ha, 1927 – 1929; 09 - Alfredo de – 1963; 31 - Dr. Álvaro dos Santos Souza Figueira,1930; 10 - Dr. José Pinheiro,1963 – 1965; 32 - CarCosta Júnior,1930 – 1931; 11 - Dr. los Gomes Figueiredo de Siqueira José Antônio Velasco (Interven- (substituto),1965; 33 - Dr. Álvaro tor),1931 – 1932; 12 - Dr. João Pau- dos Santos Pinheiro,1965 – 1967; lino de Siqueira Campos (Interven- 34 - Genésio Maurício de tor),1932 – 1935; 13 - Alcebíades Aguiar,1967 – 1971; 35 - Paulo Mode Carvalho,1935 – 1936; 14 - Luiz zart de Almeida;1971 – 1972; Py de Azevedo (Prefeito em Comis- 36 - Dr. Carlos Moacyr de Faria são), 1936; 15 - Tenente Joaquim Souto,1973 – 1977; 37 - Joaquim Ramos Pereira, 1936; 16 - Alce- Soares Monteiro,1977 – 1983; 38 bíades de Carvalho,1936 – 1937; José Romar Lessa,1983 – 1989; 39 17 - Dr. Carlos Moacyr de Faria - Dr. Robério Ferreira da Silva;1989 Souto (Interventor), 1937 – 1945; – 1992; 18 - Dr. Ivo Pereira Soares (Promo- 40 - José Romar Lessa,1993 – 1996; tor investido),1945 – 1946; 19 - Dr. 41 - Dr. Robério Ferreira da SilCarlos Moacyr de Faria Souto, mar/ va;1997- 2000; e 42- Dr. Manoel jun/1946; 20 - Dr. Eduardo Scisínio Faria, 2001- 2004/ 2005-2008 e Dr. Dias, jun/out/1946; 21 - Tenente Alcione Correa de Araújo, de 2009 José Couto do Nascimento (Inter- a 2012. ventor),1946 – 1947; 22 - Jayme By Chico Marra.


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Página 7

Um novo jeito de fazer jornal

A História passa pelo Túnel do Tempo Há centenas de anos o Rio Paraíba do Sul, com suas límpidas e volumosas águas, formava uma grande Baía, na hoje cidade de Itaocara, a então terra de matas fechadas, índios, aves, pássaros e todos os tipos de animais... Do gambá às gigantes onças pintadas, apenas exemplificando... Não havia ilhas, exceto a existente onde hoje se situa a praça Cel. Guimarães, local das pajelanças, das festas e todos os rituais, ou seja, da morte, do casamento e dos nascimentos, sem falar nos namoros que ali nasceram, viveram ou morreram nos dias ensolarados ou nas noites enluaradas. Só os gemidos das corredeiras das águas, fora o farfalhar de folhas ao vento, o uivo de animais e algazarras de aves e pássaros, sem falar nos cânticos de guerra, quebrava o silêncio da orla do rio, um rio repleto de encantos e magias, principalmente quando a Lua Cheia mergulhava em suas águas para, depois, ir dormitar no alto da serra da Bolívia... As canoas, feitas com madeiras leves, como a garapa e o jenipapo e até com as de estirpes mais nobres, como o mogno e o cedro, singravam a lâmina d`água do velho Paraíba, para transporte de índios para a margem esquerda e para a peca, esta feita com arpão e muita paciência. Guerras entre as tribos indígenas eram constantes e os cadáveres eram enterrados ou comidos por ferozes animais. Na verdade, o costume indígena há época era apenas de enterrar em bonitas urnas funerárias, com toda pompa, os mortos de suas tribos, principalmente em lugares aonde as águas do rio não atingiam, como o antigo “Morro dos Cabritos”, hoje Bela Vista que, malgrado a negativa de muitos, é um excepcional sítio arqueológico, donde já foram retiradas urnas funerárias, panelas de barro, vasos, talhas, bilhas e mosaicos coloridos de azul e vermelho, tingidos que eram com tintas extraídas de jenipapo e urucum, respectivamente, e que se encontram hoje sob o domínio de particulares, como também estão peças iguais retiradas das profundezas do Paraíba por garimpeiros lá pelos idos de 1988/1989... Os inimigos? Bem, estes depois de mortos eram deixados pelas florestas ou pelos poucos campos então existentes...A real possibilidade de que a atual

Um artigo com a chancela de Chico Marra

Itaocara se revela no tempo com suas maravilhas naturais ou erguidas pelas mãos humanas Praça Cel. Guimarães era uma ilha e que as águas do Paraíba dominavam quase todo o perímetro onde hoje se situa a cidade de Itaocara, está na narração no engenheiro Ivan Henriques dada ao redator do jornal Noroeste Notícias: -“ Em escavações realizadas para construção de edifícios na rua Cel. Guimarães fomos surpreendidos com a existência , em razoável profundidade, de uma grande e alva camada de areia, igual às encontradas no leito do Paraíba, fato incomum no subsolo da cidade”. Tal declaração dispensa qualquer comentário... Os primitivos donos das terras, e de tudo o mais, eram os índios purís, que não vieram com frei Tomás, que se espalhavam pelas margens dos rios Paraíba, Pomba e Negro onde, neste último, no atual distrito de Jaguarembé, havia uma “civilização” indígena muito avançada, inclusive com conhecimentos tecnológicos ainda hoje disponíveis a restrito número de pessoas, que fora caldeada com os brancos dos bandeirantes e, depois, com Mão de Luva, o Conde de Santo Tirso, e seus seguidores. Dessa “civilização” surgiram as incríveis construções dos já famosos “fornos” de 77 perfurações cilíndricas, milimétrica e assimétricamente perfeitos para melhor aproveitamento da temperatura produzida, esta, calcula-se, atingindo mais de 1000º centígrados, o suficiente, dizem, para transforma o ouro

bruto em lingotes, documentados pelo designer Henrique Resende e pelo pesquisador José Francisco de Moraes, mas que as autoridades itaocarenses não deram à devida importância. O curioso é que tais fornos só existem no distrito de Jaguarembé, que significava na língua tupi “Valão da Onça”, e já em 1918 eram conhecidos e usados pelos Bota Amarelas, uma sociedade secreta ali surgida e comandada por Jerônimo Braz, Cap. José Dias e Monclar Duarte, em oposição à liderança do Cel. Roque Teixeira Alves, para combater as fraudes eleitorais, quando se votava sob a mira dos fuzis governistas. Tais fornos existem em posições estratégicas em Jaguarembé: nas localidades de Santa Cruz, Ouricana e na Praça José Dias, no centro da vila, se falar no recém e inexplorado forno descoberto na localidade de Monte Puri, também no distrito de Jaguarembé. O estranho de tudo isso, além da exclusividade de Jaguarembé em tê-los, é o fato deles se apresentarem em perfeito estado de conservação, embora subterrâneos, construídos sem tijolos, sem cimento e com uma liga composta de material que ainda hoje é um enigma, sem falar no “tapete” que cobre as perfurações dos mesmos, tornando-os invisíveis ao olhar comum.

Quantos mistérios ainda existem em Terras Jaguarembeenses? Os fantasmas que cismam em andar pelas madrugadas, alguns batendo tamanco com seus pisares pela calçada do falecido Tomás Gama? Ou os que atormentam as noites escuras da Praça José Dias? Herança das pessoas escravas que foram dessa “civilização” que precede a fundação oficial da Aldeia da Pedra? O falecido bruxo e mago “Chico Caxixe”, lá das minas de malacacheta da localidade de “Farope”, em Ipituna, próxima a Serra do Curuzú, que já pertencera a Aldeia da Pedra, e que, se vivo fosse, teria hoje 160 anos, dizia que sim, com base em relatos de seus antepassados. O velho Manoel Cabral de Rezende, o padeiro Augusto de Oliveira, a dona Semiana Souza e tantos outros, também com os mesmos fundamentos, acreditavam que sim... A história passa pelo Túnel do Tempo, mas não volta... Do livro Casa de Pedra, do Dr. Francisco Marra de Morres, não pode ser reproduzido integral ou parcialmente, inclusive fotos, sem prévia autorização do autor.


Página 8

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Coca-Cola muda fórmula secreta de lugar pela primeira vez desde 1925 Criada em 1886, fórmula estava guardada em banco e foi transferida para o museu da companhia A Coca-Cola anunciou na quinta-feira (8 de dezembro) que, pela primeira vez em 86 anos, mudou a localização onde está guardada a sua "fórmula secreta", levando-a de um cofre de banco para o museu da companhia, em Atlanta. "Pela primeira vez na história, o cofre contendo a fórmula secreta será visível para o público em uma exposição permanente intitulada 'O cofre da fórmula secreta', que começa hoje no World of Coca-Cola", informou a empresa, em comunicado. saiba mais • Programa de rádio diz ter descoberto receita original da Coca-Cola A "fórmula secreta" estava guardada desde 1925 em um cofre do Banco SunTrust, no centro de Atlanta (EUA). A fórmula criada em 1886, no entanto, permanecerá escondida da vista do público e guardada a sete chaves pelos proprietários da empresa. "Este é um dia especial na história da Coca-Cola, e o culminar perfeito para as celebrações do nosso 125º aniversário", disse, no comunicado, Muhtar Kent, presidente e CEO da

Coca-Cola Company. O nascimento do refrigerante mais conhecido do mundo remonta a 1886, quando o médico John Pemberton inventou o xarope que deu origem a bebida. Em 1919, quando Ernest Woodruff e um grupo de investidores ad-

quiriram a companhia, pela primeira vez a receita foi inscrita num documento que foi guardado numa caixaforte no Guaranty Bank, em Nova York. Seis anos mais tarde, a fórmula secreta foi transportada para o banco de Atlanta, onde permaneceu nos últimos 86 anos.


20 de Dezembro de 2011

Noroeste

Um novo jeito de fazer jornal

Notícias

Página 9

A população de Itaocara atualizada Para um município que já teve, há 54 anos, dados bem maiores nos idos de 1928, mais de 39 mil habitantes, e em 1950, 24.069 habitantes, sendo 12.159 homens contra 11.910 mulheres, a população itaocarense detectada pelo Censo 2000, de 23.003 habitantes, divulgada pelo IBGE, foi uma grande decepção, uma decepção até compreensível levando-se em consideração o crescimento da construção civil na área urbana da cidade mas que, a bem da verdade, retrata apenas o êxodo da população rural que vem à procura de melhor sorte na “capital” do município, engrossando a zona periférica desta e fazendo crescer vertiginosamente as favelas, isto em função de alguns governos ruins que nunca tiveram uma política voltada para a zona rural, ao contrário de agora quando tudo se faz e incentiva a fixação da população no seu habitat natural, o campo, eis que antes, cada vez mais a cerca de arame farpado chegava mais para perto da porta da sala do colono, e assim mais uma família deixava as lides campesinas para aventurar-se na cidade, mas é claro que as exceções existem e muitos fazendeiros reservam áreas de terras para que tais colonos plantem suas lavouras, principalmente agora com o ciclo dos hortifrtigranjeiros, que também

interessa aos donos das terras... Conforme o Censo Demográfico de 2000 eram 269 mulheres há mais do que homens nesse universo populacional itaocarense: 11.367 homens e 11.636 mulheres, sendo 15.928 espalhados pelas zonas urbanas da cidade e das sedes distritais. 7.075 habitantes viviam nos outrora verdes, férteis e produtivos campos agrícolas e que já foram grandes produtores de café, cana-de-açúcar, fumo, algodão, milho e que hoje apenas produzem, a rigor, hortifrutigranjeiros (dos quais Jaguarembé é o maior produtor), bem diversificados, com destaque para berinjela, tomate, pimentão, pepino, abóbora, quiabo, do qual Itaocara é o maior produtor fluminense, e mais umas dezenas de produtos, alguns bem exóticos, eis que todos os outros tiveram suas fronteiras invadidas pelas patas dos bois, estes últimos formadores de um ciclo econômico que quase não absorve mão-de-obra, embora muito importante e produtivo, e que faz, por isso, a riqueza circular em poucas mãos. A cana- de- açúcar ainda resiste em umas poucas áreas, notadamente em Batatal e Portela, mesmo só existindo alambique em funcionamento no primeiro. De 2001 para cá, porém, já está sendo detectado um estancamento

no citado êxodo campesino e a causa disto é a adoção de uma política rural, com distribuição de sementes, facilidade para aração de terras, a solidez da Cooperativa de Leite, a conservação e a abertura de estradas para escoamento da produção, o Mercado do Produtor (CEASA do Ponto de Pergunta), a irrigação através de açudes, a chegada da antena parabólica, o que se reverte em lazer. a colocação de água encanada para diversas comunidades, como da Bóia, Arrozal, etc, a conservação das estradas.. Segundo alguns especialistas em censo demográfico, que já participaram de vários recenseamentos feitos pelo IBGE, esse número populacional da Terra de Frei Tomás não corresponde à realidade e a população real deve ficar entre 30 a 35 mil habitantes. Justificando tal especulação, dizem tais “experts” que quando o censo era feito por pessoas das comunidades a aproximação do número real era possível, pois o recenseador conhecia o município inteiro, inclusive suas fronteiras, algumas delas contestadas como, por exemplo, as divisas com Cantagalo (Porto Marinho, Pias e Mangueira) e São Fidélis (Olho D´água, Lajinha e Laje), estas invadidas ano a ano sem nenhuma resistência dos moradores. Hoje, em virtude das contratações fei-

tas pelo IBGE através de concurso público, muitos dos recenseadores vêm de outros municípios, sem nenhum conhecimento da realidade itaocarense, o que faz muita gente ficar fora da pesquisa, principalmente em localidades rurais como Nunca Cuidei, Jararaca, Monte Puri, Japona, Santa Florentina, São Félix, Laje, Serra Vermelha, São Jerônimo, Porto Marinho, Bóia, Olho D`Água e Candiba, com destaque para as áreas fronteiriças com outros municípios. Além disso, o censo demográfico só considera morador do município àqueles que dormiram em seus domínios em determinada noite tomada como base pelo IBGE. Assim, se alguém estiver viajando naquele dia, estiver estudando fora, passeando em um lugar qualquer ou até mesmo internado em algum hospital, ele não é contado no seu município de origem, mas sim no qual ele está na oportunidade. Essa, penso, é uma das grandes falhas do recenseamento demográfico. Até 2007, o município possuía, pelos dados oficiais, 23.003 habitantes, contra os 22.060 encontrados, oficialmente no censo de 2007, e que prevalece hoje foi retificado oficialmente pelo IBGE, em 01/07/11 para 22.891 habitantes. Para fins do IBGE, o município de Itaocara está classificado como código 32,

Índio ensina como ganhar eleição Por uma taxa de R$ 10, o ex-deputado Índio da Costa promete formar candidatos qualificados para disputar vagas nas Câmaras Municipais brasileiras em 2012. O futuro presidente do PSD no Rio mandou espalhar 65 outdoors pela capital fluminense para anunciar o curso Seja Vereador. Em três horas de aula, ele espera passar noções de atividade legislativa, administração pública municipal e mostrar aos alunos ‘como ganhar uma eleição’. ‘Nosso objetivo é elevar o nível da política brasileira. A idéia é atrair pessoas novas, que nunca militaram politicamente e têm capacidade de gerar voto’, explica Indio, que foi vereador, deputado federal e candidato a

vice na chapa do tucano José Serra na campanha presidencial do ano passado. O site do curso (sejavereador. org.br) convoca líderes comunitários, estudantis e de movimentos sociais, e promete ensinar ‘o passo a passo para a vitória’. A página informa que a taxa de R$ 10 é simbólica e coffee breaks serão oferecidos nos intervalos das apresentações. ‘O valor é simbólico, uma taxa para evitar que apareçam pessoas que não têm nenhum interesse político’, explica Índio. Os seminários serão usados para arregimentar candidatos para o PSD, em processo de formação. Um instituto coordenado por Índio será o organizador do curso, mas o novo partido pas-

Proteja o Rio Paraíba do Sul

sará a conduzir os seminários depois que for criado oficialmente. Um projeto piloto começa em setembro, no Rio, e vai até 4 de outubro - três dias antes da data-limite de filiação de candidatos para as eleições de 2012. O ex-deputado garante que os alunos serão livres para decidir se querem se filiar ao PSD e afirma que o curso será aberto a políticos de outras legendas. ‘Se vierem quatro ou cinco pessoas novas (para o partido), é um avanço’, avalia Indio da Costa. ‘Não queremos buscar quem já está na política e tem um eleitorado que não passa de 5 mil votos. Buscamos uma oxigenação.’ No Rio, os outdoors do curso serão expostos principalmente nas zonas norte e

Não jogue lixo. Ela é nossa fonte de vida.

oeste, onde estão concentrados bairros populares e a maior parte da população da cidade. Relator do projeto da Lei da Ficha Limpa, Indio cobra dos futuros alunos um passado sem condenações na Justiça. ‘Amar o Rio, querer conhecer política e ser ficha limpa são os únicos pré-requisitos que você precisa preencher’, escreveu o ex-deputado no site do curso. As aulas serão levadas a outros Estados após a criação do PSD. Indio diz que conversou com o vicegovernador Guilherme Afif Domingos para levar os seminários a São Paulo. O objetivo é preparar para a campanha os que já estiverem filiados ao partido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo”


Página 10

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

A evolução do com

Muitos sóis já cruzaram o Rio Paraíba do Sul para dormi na Serra da Bolívia desde quando Itaocara, embora belíssima, e apenas mais uma cidade entre tantas outras da região noroeste, que o seu comércio era precário, sem vida, e o “centro comercia da cidade girava entre a Rua Nilo Peçanha, atual “Calçadão P feito Otílio Pontes” e parte da rua Cel. Pita de Castro. Aventurara abrir uma loja comercial ou de prestação de serviços fora d citados logradouros era correr para os braços do fracasso. Quan lojas foram abertas e fechadas! Pouca gente se lembra, mas o comércio nos distritos e muito mais pujante, inclusive em relação ao ramo atacadista de c reais, café, perfumes, tecidos e armarinhos, como aconteciam e Jaguarembé, Portela e Laranjais e isso tinha uma explicação: 70 da população itaocarense vivia das lides campesinas, mas a par da década de 50, com as prolongadas estiagens e o consequen declínio da agricultura, a cerca de arame farpado dos senhores d terras foi cada vez mais chegando para perto das portas das s las dos colonos. Daí o êxodo do povo do campo para a cidade Itaocara, razão do vertiginoso crescimento desta e da consequen expansão de lojas, indústrias e prestação de serviços para qua todas as ruas do centro da cidade e dos bairros. O oposto també aconteceu: o comércio nos distritos foi minguando até chegar declínio de hoje. Para um município que até pouco tempo vivia submisso progresso do comércio de Santo Antônio de Pádua, os tempos hoje são especiais e mostram que o comércio de Itaocara é exc lente, meca obrigatória do consumidor que queira diversificaçã qualidade, preço baixo, garantia e excelente atendimento. Claro porém, que essa excelência do comércio itaocarense tem tudo ver com a organização e suporte que lhe é dado pela CDL, alé evidentemente, do espírito empreendedor dos empresários de Ita cara. É preciso, por questão de reconhecimento , inclusive histó co, registra que o nosso progresso, o progresso do Município, e diretamente ligado ao comércio, aos prestadores de serviços e a industriais, eis que estes além de gerarem impostos ainda são re ponsáveis por milhares de empregos, movimentando, junto com Prefeitura e a CAPIL- Cooperativa de Leite, a economia municip A sequência fotográfica mostra alguns setores do comércio itaoc rense que se incluem no topo desse comércio e com os quais Noroeste Notícias, jornal genuinamente itaocarense, se orgulha


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

Página 11

mércio em Itaocara

itar era eis al” Prer-se dos ntas

era ceem 0% rtir nte das sade nte ase ém ao

o ao de ceão, o é, oa ém, aoóriestá aos esma pal caso de fazer esta parceria para divulgar o Município, uma parceria que os demais comércios se recusaram a participar, numa prova inequívoca de que pouco se importam com o município de Itaocara e sua história. Na oportunidade, agradecido, o jornal Noroeste Notícias e os anunciantes desta página, desejam a todos um Feliz Natal e Próspero Ano Novo, na Paz de Deus...

Que em 2012 todos os sonhos se realizem


Página 12

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Serra da Bolívia e sua relação com Itaocara Para quem não sabe, quando Frei Tomás subia de barco, um tipo de canoa indígena, as então navegáveis águas do rio Paraíba do Sul, com a missão de escolher um local para o aldeamento dos índios coroados que fugiam de aldeamentos fidelenses pelas margens rio acima, quedou-se extasiado com a beleza da serra da Bolívia e, achando ser ali o local ideal para uma nova aldeia, disse “que bela vista” e resolveu de imediato fundar a Aldeia no local fronteiriço à pedra, o que veio a traduzir-se no nome de Aldeia da Pedra, numa evidente homenagem a Serra da Bolívia, esta localizada naquela época, 1809, em território pertencente a terras da nova Aldeia. Aliás, até mesmo o mapa do Curato da Aldeia da Pedra, continuava mostrando Pedro Corrêa (Aperibé) como pertencente ao território itaocarense, indo este até a barra do rio Pirapetinga e nele incluído ainda, Três Irmãos e vasta área lado a lado do rio Pomba, que ia, em parte, até a então comarca de Monte Verde, em terras que vieram posteriormente a serem anexadas ao município de Cambuci. Para se ter uma pálida ideia do lapso temporal que unia a Aldeia da Pedra com as terras de “Pedro Correa”, basta dizer que em 13 de dezembro de 1834, atendendo ao pedido de informações do Juiz de Paz de São Salvador de Campos, a que pertencia o Curato de São José de Leonissa da Aldeia da Pedra, o cura Frei Florido, lhe informou, dentre outras coisas, que “Há n´este curato 170 a 180 índios coroados e a maior parte situados em uma sorte de terras que pelo missionário Fr.Thomas já falecido lhes foi marcado acima d´este arraial, cujo lugar é o do valão d´água Preta ao ribeirão das Áreas, que terá de distância três quartos a uma légua de terra, os quaes vivem de suas rocinhas e conduções de madeiras. Há no lado norte uma porção de índio Puri que contará de 500 a 600, os quaes vivem a maior parte pelos matos e se chegam aos habitantes do rio Pomba para haverem o necessário, trazendo poaias para com eles negociar...” E mais: Pelo ofício de 22 de junho de 1835, dirigido ao “Sr. juiz de orphãos da vila de S. Salvador de Campos” era narrado que “Para satisfazer o ofício que v. s. me remeteu no dia 20 de junho do corrente ano, pedindo-me um esclarecimento aos quesitos que vieram inclusos acerca dos índios, sou a dizer-lhe que eu ten-

ho batizado desde o ano de 1827 até ao ano presente a quantia de pouco mais ou menos de 1440 índios de ambos os sexos das nações seguintes: de coroados, puri, coropós e botocudos que todos estão dispersos nas margens dos rios Paraíba e Pomba e vivem debaixo da proteção de famílias brasileiras que aí os cultivam em serviços rurais. A nação coroada está morando nas suas terras que a coroa lhe concedeu pegado as terras do mesmo arraial; porém estas terras não estão medidas e nem demarcadas. A nação puri tem na margem do rio Pomba o princípio de 2 aldeamentos com boas derrubadas; um nos fundos das Frecheiras, outro no Caracol, que dei princípio desde o ano de 1833, e aí se acham estabelecidos alguns índios e brasileiros. Este serviço o tenho feito com algum adjuntório que o eximperador mandou repartir pelos mesmos índios no ano de 1829, constando de algumas ferramentas e pano de algodão que pelos ditos distribuí, e ainda ficou de resto em meu poder 25 foices, 15 machados, 8 enxadas, 18 facas, que tudo distribui conforme a necessidade.

O que pertence ao templo é um cálice de prata, uma emula do mesmo metal, duas casulas, duas alvas e quatro toalhas. Tudo isso me foi entregue pelo falecido meu companheiro Fr. Thomas de Castelo. É quanto devo em resposta ao ofício de V.S.”. Curiosamente, parece que a serra da Bolívia tem conhecimento, se assim se pode dizer, da história da Aldeia da Pedra que ele sempre pertenceu, demonstrando, dir-se-ia, que tem uma certa predileção por Itaocara, eis que o namoro entre ambas é muito antigo e ela só se apresenta bela, mágica, cheia de fetiche e graça para aterra itaocarense. Vista da cidade de Aperibé, o máximo que se lhe vê é a sua costa. A verdade é que a relação entre a serra da Bolívia e Itaocara corresponde a um amor eterno que nem a posição geográfica, e nem o fatídico Decreto nº. 1, de 8 de maio de 1892 foram capazes de dar fim... Com a criação do Município de Itaocara, em 28 de outubro de 1890, ainda com Aperibé fazendo parte de Itaocara, foi criado o Brasão de Armas do novo município e nele, pela tradição histórica e a beleza ímpar da Serra da

Bolívia, o encanto mágico que dela irradiou e deslumbrou Frei Tomás, sendo tal pedra a razão principal da escolha do local (onde hoje está a praça Cel. Guimarães) para sediar a aldeia, foi nele incluída como símbolo itaocarense. Parece que a recusa da serra da Bolívia de mostrar-se toda bela ao município de Aperibé tem como justificativa, também, o seu flerte com o Paraíba e a ponte Ary Parreira, além de adorar agasalhar o sol, esconder a lua e velar pelo sono da Princesinha do Paraíba, a sempre jovem e encantadora Itaocara. Pela Deliberação de 4 de setembro de 1891, Pedro Correa, hoje Aperibé, foi confirmado como sendo parte integrante de Itaocara como seu 4º distrito e seus domínios iam da Barra do Pomba até a barra do Rio Pirapetinga, pelas águas vertentes. Todavia, pelo Decreto nº. 1, de 8 de maio de 1892, do governador do estado, por pressão de forças políticas paduanas, Pedro Correa deixou de ser o 4º distrito itaocarense, sendo anexado ao município de Pádua. Em tempos imprecisos, mas certamente bem antes da emancipação de Itaocara, e com a localidade de “Pedro Corrêa” a esta pertencente, um cidadão português conhecido como “Mão de Luva”, que dizem ter vindo “desterrado” de Portugal para o Brasil por haver ousado ser amante de uma grande dama da corte portuguesa, enriquecera com o garimpo de ouro e pedras preciosas, inclusive lesando o fisco dos colonizadores portugueses, fugiu da milícia das Minas Gerais descendo pela margem esquerda do Rio Paraíba, parando ao pé da Serra da Bolívia, onde teria enterrado grande fortuna em sacos cheios de ouro e pedras preciosas. Segundo se conta, a serra, naquela época não tinha exatamente, em sua base, o formato de hoje: havia uma caverna (talvez soterrada por deslizamento de terra e pedra) e um grande e cristalino lago. Depois disso, despistando a polícia imperial, pensando em voltar para apanhar sua riqueza ele, Mão de Luva, atravessou o Paraíba e cortou toda a extensão da sede da Aldeia da Pedra indo em direção ao rio Negro pela margem do qual subiu até Cantagalo, de onde nunca mais voltou para recuperar seus tesouros. Há quem diga que em altas horas na noite, principalmente de lua cheia, muita gente escuta o barulho de picaretas batendo na terra da serra à procura de ouro e de passos apressados carregando olhos que procuram um lago. Seria o espírito de “Mão de Luva” que voltou? Essa é uma lenda itaocarense...


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Meu namorado é bipolar.

E agora? Conhecer os sintomas e incentivar o tratamento do parceiro podem salvar o relacionamento marcado por mudanças constantes de humor “Primeiro você me azucrina, me entorta a cabeça, me bota na boca um gosto amargo de fel. Depois vem chorando desculpas, assim meio pedindo, querendo ganhar um bocado de mel (...) E eu vou perguntando: até quando?”. O trecho pertence à canção “Grito de Alerta*”, na voz de Maria Bethânia, e é muitas vezes considerada a trilha sonora de casais em crise. Mas, analisando mais a fundo, é possível sentir na pele a angústia de uma mulher que ama um homem cujo comportamento muda de uma hora para outra. Como se fosse tomado pela bipolaridade. “É comum algumas pessoas acharem que o transtorno afetivo bipolar (TAB) é mais comum em mulheres”, relata Amaury Cantilino, psiquiatra e pesquisador do Programa de Saúde Mental da Mulher da Universidade Federal de Pernambuco. Mas os homens também podem ter a doença. “O problema é que, geralmente, o homem não procura se consultar com um médico tanto quanto a mulher, então, muitos possuem problemas sérios e nem desconfiam que possam ter transtorno bipolar. Uma coisa é certa: sem o tratamento adequado, a felicidade do casal fica comprometida”, alerta o médico. Mas como saber se o parceiro é bipolar? “Primeiro, é preciso identificar os sintomas da enfermidade no comportamento dele”, orienta Amaury. A forma clássica do TAB atinge cerca de 1,5% da população mundial e se divide em dois tipos: o tipo I, que apresenta toda a amplitude de variação do humor, da mania plena à depressão grave, e atinge igualmente a homens e mulheres; e o tipo II, que é o mais prevalente na população geral, é mais frequente em mulheres e apresenta a depressão como a fase mais predominante. Segundo o psiquiatra, nos homens, os sintomas da mania são mais exuberantes e isso torna a identificação da doença mais fácil. Esta fase é marcada por vários tipos de excessos que podem atrapalhar o relacionamento. “O parceiro pode começar a gastar demais, por exemplo. Também poderá ficar irritado por motivos banais e até agressivo quando contrariado. Outra característica é a desinibição sexual, que pode ser tão intensa, fazendo com que o bipolar corra o risco de trair a namorada ou esposa com outras mulheres”, informa. O quadro depressivo também pode fazer parte do cotidiano dos homens bipolares e afetar o namoro. “Na depressão, a libido do homem cai, há perda de interesse para diversas atividades, ele não sente mais prazer em estar com a parceira. Ou pode ocorrer o oposto, onde o namorado fica excessivamente inseguro e dependente da parceira. Talvez a fase depressiva do TAB seja motivo maior para separação, pois nem todas as mulheres conseguem suportar essas situações. É preciso saber que esses altos e baixos da doença não possuem cura, mas há tratamento. E incentivar o parceiro a procurar um médico é fundamental”, diz

Amaury. Os episódios do transtorno afetivo bipolar podem ser menos frequentes e menos graves quando o paciente adere aos tratamentos medicamentosos. Atualmente, existem no mercado opções capazes de reduzir os efeitos colaterais normalmente causados por este tipo de medicamento. Incluem-se entre elas o Geodon (cloridrato de ziprasidona), que teve uma nova indicação para o controle da mania bipolar aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) no Brasil. Indicado também para controle da fase aguda, prevenção de recorrência em pacientes bipolares e para portadores de esquizofrenia, o produto tem a vantagem de não apresentar alguns dos efeitos adversos associados aos demais antipsicóticos atípicos, como ganho de peso excessivo e indução à síndrome metabólica (aumento do colesterol, triglicérides e da glicemia). “Apesar de todos os dissabores, manter o relacionamento é possível”, avalia Amaury. O transtorno bipolar não precisa ser motivo para separação. As pessoas que convivem com um bipolar precisam conhecer a doença e seus sintomas para que saibam identificá-los no momento em que aparecem. “Tanto a namorada, quanto a família do paciente, devem se tornar parceiras no tratamento, no sentido de ajudar o especialista com informações e comportamentos que nem sempre o paciente consegue identificar em si mesmo”, informa. Saiba como os sintomas do Transtorno Bipolar se manifestam em homens e mulheres: • A frequência de mania é semelhante em homens e mulheres; • Homens têm quadro de mania numa idade mais jovem que mulheres; • A frequência de episódios depressivos e episódios mistos (sintomas de mania e depressão ao mesmo tempo) é maior em mulheres; • Início de depressão bipolar é menor em mulheres; • O diagnóstico tende a ser mais atrasado na mulher; • Mulheres bipolares têm mais história familiar de comportamento suicida; • A chance de transmissão de transtorno do humor é maior quando a mulher é afetada; • Quanto ao desencadeamento de novas fases, as mulheres parecem ser mais sensíveis a fatores estressantes de vida (como problemas de saúde e familiares), sobretudo desencadeando fases de depressão; • Em relação aos homens, mulheres bipolares apresentam mais comorbidade com: bulimia, transtorno de estresse pós-traumático e distúrbios tireoidianos; • Em relação às mulheres, homens bipolares apresentam mais: jogo patológico, distúrbios de conduta e abuso/dependência de álcool e outras drogas; • No entanto, mulheres bipolares apresentam 4 a 7 vezes mais abuso de substâncias psicoativas que mulheres nãobipolares.

Um novo jeito de fazer jornal

Página 13

Ministério Público Estadual manda arquivar denúncias contra Alcione Araújo O jornal “GRIFONN”, do grupo Estadão, acaba de publicar que a Procuradoria Geral do MP do Restado do Rio de Janeiro determinou o arquivamento, por unamidade, de diversos inquéritos movidos contra o prefeito Alcione Araújo, de Itaocara, através de denúncias formuladas pelo PT e outras “anônimas”, ao Ministério Público de Assuntos Difusos- Tutela Cioletiva de Pádua-RJ, por terem sido

consideradas infundadas. Na verdade, para quem conhece a oposição de Itaocara, quase toda, sabe de sua tradição de denúncias. Sem nunca ter chegado ao Poder, a festiva oposição itaocarense vive numa corrida maluca e acha que o denuncismo é o caminho mais curto quando, na verdade, o povo não acha assim e ai o sonho de “governar itaocara” vai ficando cada vez mais longe.

Nova vitória contra o fator Justiça reconhece revisão que pode dar ganho de até 80% e atrasados acima de R$ 10 mil Rio - Setença do Juizado Especial de Florianópolis (SC) aceitou argumento que beneficiará segurados do INSS por tempo de contribuição prejudicados pelo fator previdenciário no cálculo do benefício. A revisão pode proporcionar ganhos de até 80% e atrasados acima de R$ 10 mil. Segundo a decisão da Justiça, aposentados a partir da entrada em vigor do fator, em 1999, devem ter renda mensal inicial calculada sem o peso dele, conforme determina Lei 9.876/99, que implementou o redutor de valores de aposentadorias. Assim, qualquer aposentado por tempo de contribuição, independentemente de ter aposentadoria concedida proporcional ou integral, pode recorrer à Justiça para pedir a exclusão do fator do cálculo do benefício. Em alguns casos, essa revisão poderia garantir, segundo o especialista, uma revisão de até 80%. “Para obter este direito, terão que ter cumpridos todos os requisitos da regra de transição da Emenda Constitucional 20, que são cumulativamente: idade mínima de 53 anos para homens e 48 anos para mulheres, pedágio (acréscimo de tempo de contribuição) de 40% para as aposentadorias proporcionais e de 20% para as integrais”, explica o advogado Guilherme Portanova. A sentença recente, proferida pelo Juizado Especial Federal de SC, além de ter assegurado aumento no benefício pela exclusão do fator, ordena o pagamento de atrasados acima de R$ 10 mil. “A nova lei ( 9.876/99) poderia alterar parâmetros de fixação da base de cálculo de aposentadorias, mas não poderia jamais mexer nos critérios de imposição de restrições atuariais aplicáveis aos benefícios assegurados em norma constitucional, nem para substituí-lo, nem para agravar-lhe”, acrescenta o especialista

Supremo vai julgar repercussão geral

Advogados que apostavam que decisões favoráveis a quem contestou o fator previdenciário abririam caminho a julgamento de ações diretas de inconstitucionalidade, hoje estacionadas no Supremo Tribunal Federal, acertaram. A aplicação do fator na regra de transição já está no Supremo, nas mãos dos ministros Gilmar Mendes (Recurso Especial 639.856) e Luiz Fux (RE 644.111), para repercussão geral. Isso significa que todas as ações similares terão a mesma orientação. O fator é objeto de duas ações diretas de inconstitucionalidade há 11 anos no STF. Caso os ministros decidam que não é constitucional e concedam a retroatividade, segurados que se aposentaram desde 1999 poderão recorrer para tirar o fator do cálculo.

Para advogados, tese é a principal

O advogado Guilherme Portanova considera essa a principal das cinco teses existentes sobre a aplicação inadequada ou indevida do fator previdenciário. “Seja por decorrência do percentual de aumento, seja pela abrangência de segurados que ela atende”, diz. Segundo ele, consegue-se pela exclusão do fator previdenciário aumentos de até 80%, que explica a ação (2010.72.50.012448-6) no site Assessor Previdenciário (http:// www.assessorprevidenciario.com.br/). O DIA publicou há dois meses alerta do especialista Diego Gonçalves sobre a aplicação da regra de transição de 1999 a 2004. O INSS aplicou para muitos que poderiam ter sido beneficiados pelo fator integralmente. Ele demonstrou matematicamente que pessoas de idade mais avançada ou tempo maior de contribuição perderam. O advogado fez a advertência durante retomada das negociações entre governo e representantes das centrais sindicais para criar novo critério de cálculo de aposentadorias e regras de transição. Fonte: O DIA Online


Página 14

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Conspirações sobre a existência dos Et’s Depois que vi um documento que falava do dia 11 de setembro (acho que foi Loose Change) e comecei a me inteirar sobre as conspirações, lendo sobre o assunto e vendo vários outros documentos cheguei, inevitavelmente, no assunto Illuminates e consequentemente ao ocultismo. Intrigou-me muito e o que mais me fascinou foi que, assuntos que antes eu lia os vendo separadamente sem dar muita bola, estavam interligados: a metafísica, práticas ocultas, ETs, círculos nas plantações, entretenimentos na maioria fútil (pelo menos os mais populares), parcialidade da mídia, ocultação de informações da mídia e as conspirações, entre várias coisas… Qualquer um que lê um pouco mais sobre conspirações vai entender o que digo. Depois de “ligar os pontos”, fascinada pelo fato de ver que havia lógica sim de haver algo além da matéria, percebi que havia mais lógica ainda disso tudo ter sido “escondido” de nós. Afinal, tirando das pessoas o conhecimento real (real que digo sem dogmatismo) de que há algo além da matéria, permite muito mais o domínio do povo no geral, “tirando” deles a busca da verdade sobre a vida. Sabemos o quando é confundida religião com fé e como hoje em dia a ciência é tratada por alguns de maneira tão fanática quanto os fanáticos religiosos que eles mesmos criticam… Mas buscando eu mesmo tentar entender o porquê também de muitos conspiracionistas acharem que ocultismo (que seriam práticas dos grandes dominadores do mundo) é coisa do “demo”, li bastante buscando informações sobre o assunto, informações básicas, o suficiente pra entender do que se tratava e que havia várias práticas, vários tipos, desde os tempos mais primórdios até os atuais. Cheguei à conclusão que as práticas esotéricas e ocultistas nada mais são do que práticas que te levam a um “outro mundo” (que seria esse que nos escondem, como é dito no início de “O Segredo”) e que os dominadores do mundo podem até ser adeptos delas, mas não quer dizer que o ocultismo é coisa do “demônio”. Pois pelo que pesquisei, tudo depende de quem pratica e do que se pratica, melhor ainda, da intenção. Mais ou menos assim, você pode usar uma faca tanto pra salvar uma pessoa que ta amarrada, como para cortar um alimento, como para matar, isso vai depender da intenção de quem a usa, mas a culpa não é da faca. Enfim, ultimamente, depois de ver uns vídeos de oradores espíritas

(o espiritismo não deixa de ser uma prática relacionada ao oculto), que passam muita legitimidade e seriedade na divulgação da Doutrina, especificamente Raul Teixeira e Divaldo Franco, tenho buscado me aprofundar no espiritismo, no que realmente ele propõe. Passame algo bom, creio que a intenção é boa, estou falando no geral, porque sempre pode ter um safado em qualquer lugar. Mas acredito na intenção de Kardec, vi um documento sobre ele “Allan Kardec, o educador” e suas intenções eram belíssimas no campo da educação. Hoje o espiritismo tem um caráter religioso muito forte, mas quem busca sobre como tudo começou percebe que, na verdade inicialmente, havia uma intenção científica e não religiosa e que me parece muito legítima sua intenção de nos mostrar o que há no plano espiritual através da codificação, o que não significa necessariamente (isso na minha interpretação), que tudo foi revelado a ele. Nesse documentário diz que o último lançamento de Kardec, foi um livro de indicações bibliográficas sobre o espiritismo e o mais interessante é que ele incluiu livros de algumas religiões e inclusive livros que são contra o espiritismo, ou seja, a intenção dele não era de impor suas conclusões, mas querer que as pessoas tirassem elas próprias suas conclusões vendo os dois lados (esse é o verdadeiro ceticismo), que elas mesmas buscassem a verdade. O próprio espiritismo afirma que se em algum momento ele perceber que está errado em algum ponto, não hesitará em se corrigir. Então escrevo, porque vi que no seu site tem vídeos do Chico Xavier, me parecendo ser então simpatizante dele, então talvez possa me dar uma opinião sobre o que venho pensando… Diante do que eu disse, pelas minhas conclusões até esse momento, o espiritismo parece ser algo do bem, Kardec parecia do bem, Chico parecia alguém realmente do bem, entre outros divulgadores da doutrina, mas fica uma dúvida no ar… Será que nenhum

espírito falou pra eles (médiuns) sobre essas conspirações, que não há como negarmos diante de tantos fatos e evidencias? Por exemplo, e se em casos de catástrofes anormais, como o que está acontecendo no Rio, for realmente causadas pela haaap? E se o tal 2012 for na verdade, uma propagação conspiratória dos próprios “illuminatis”, para causar um monte de catástrofes na Terra e culpar o 2012, pondo assim seus piores planos em prática? Depois querem dar uma de salvadores do Planeta, como em seus filmes. O espiritismo fala muito sobre um momento de transição, não li muito sobre isso, mas pelo que entendo, essas catástrofes tem a ver com esse momento, que não é apenas o espiritismo que fala, mas vários outros sentimentos espirituais. Será que no espiritismo, os espíritos mais influentes que mostram as “verdades”, não esconderiam essa grande verdade (os grandes poderes e conspirações), porque, de repente, a maioria das pessoas não estariam prontas pra lidar com esse tipo de verdade? Sei lá, não acredito que o espiritismo não saiba de nada, mas não acredito que ele haja de má fé, até porque, apesar de existir uma doutrina, ela deixa o pensamento livre, não julga nem impõe nada e tem uma postura libertadora contra os males da matéria, contra o apego na matéria no sentido mais amplo e é taxativo sobre a necessidade de se fazer o bem ao próximo. É a única, digamos, “religião” que vejo de fato, em se tratando de Cristo, se preocupar em passar os ensinamen-

tos de Jesus e não simplesmente impor a crença nele pra não ir pro inferno. E levando em conta que o próprio espiritismo diz que estamos aqui de passagem, se pensarmos assim, apesar de qualquer conspiração ou qualquer maligdade que a humanidade possa sofrer, tudo seria passageiro, tudo isso se torna pequeno, pois a alma é eterna e (na visão espírita) a lei da ação e reação por sí própria um dia faria a justiça naturalmente contra esses conspiradores e manipuladores através de seus karmas nas futuras vidas. Dessa forma, não caberia a nós nos rebelarmos (diretamente) contra eles, isso não significa se tornar ignorantes, mas aceitar fazer o que realmente está ao nosso alcance, como por exemplo, fazer o que esta matéria mostra, divulgar ideias, quem quer acreditar acredita, quem não quer… Fazer o que? Até porque, na prática, o que a população poderia fazer contra? Principalmente porque poucas pessoas creem de fato em conspirações, achando até coisa de maluco, e sabemos que os que tentam enfrentá-la de frente, sempre são aniquilados. Se buscamos informações sobre pessoas que estudavam ou buscavam certas verdades ou queriam alertar sobre a realidade, boa parte delas morreram de forma estranha. Então, talvez se o espiritismo tocasse diretamente nesse assunto poderia perder o pouco de respeito que tem (já que “conspiração é coisa de lunático”), além de provavelmente sofrer uma conspiração dos próprios “Illuminatis”. O que acha disso tudo? Do espiritismo e das conspirações?


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Página 15

Um novo jeito de fazer jornal

Morre William Portes ex-prefeito de Cambuci Foto: Rádio Itaperuna

O ex-prefeito de Cambuci, William Cardoso Portes faleceu no final da manhã desta segunda-feira, 5/12/11, em Itaperuna, onde estava internado. O político governou Cambucí, um município pobre e em situação adversa, tumultuado por crises administrativas causadas por seu assessoramento, um assessoramento no qual ele confiava mas que, com algumas exceções, o decepcionou, levando- ao declínio político e até as grades de uma prisão. Dr. William, como era conhecido, era médico renomado, humanista e político de palavra, tendo sido prefeito de Cambuci por duas vezes, sempre realizando boas administrações. Vítima do “sistema” que deixa solto ver-

Caravana Cultural invade o Norte Fluminense e a Região Serrana As diversas e ricas manifestações culturais do norte fluminense e da região serrana vão compor o ‘Mapa de Cultura do Rio de Janeiro’, que estará sendo produzido durante os próximos seis meses e será disponibilizado na web em 2012. Nos próximos dias, a caravana com equipe que reúne repórter, fotógrafo e cinegrafista, percorre os municípios Trajano de Morais (09/12), São Sebastião do Alto (10/12), Santa Maria Madalena (11/12), Itaocara (13/12) e Cantagalo (14/12) para traçar um levantamento dos espaços culturias, calendário fixo da cultura local e principais destaques dos patrimônios material, imaterial e natural de cada um dos municípios da região. Nos últimos dias, a caravana passou por Macuco, Nova Friburgo, Bom Jardim, Duas Barras, Carmo, Sumidouro e Cordeiro. O projeto vai mostrar, através do portal Cultura.rj (www.cultura.rj.gov. br), da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, uma ampla pesquisa sobre o que os 92 municípios fluminenses produzem em áreas como música, teatro, artes visuais, arquitetura, gastronomia, dança, entre outras. Realizado pela Secretaria de Cultura do Estado do Rio, com o patrocínio da Petrobras, o ‘Mapa de Cultura do Rio de Janeiro’ reunirá as características culturais de todos os municípios do Estado, desde a Festa do Divino em Paraty e tradição finlandesa de Itatiaia às serestas de Conservatória e ao Boi Pintadinho, de Campos. O Mapa, que terá recursos de georreferenciamento, vai oferecer um mergulho na cultura do Rio. “Traçar o Mapa de Cultura do Rio de Janeiro é uma prioridade, um dos nossos projetos mais importantes e necessários”, diz a Secretária de Estado de Cultura, Adriana Rattes. “Ele nos ajudará a conhecer mais a fun-

dadeiros “ladrões públicos”, como os do Mensalão, dos dólares na cueca, dos cartões coorporativos, de tantos e tantos escândalos palacianos e prende o Dr. William, um cidadão íntegro, que chegou a ser preso sem ser julgado, humilhado e mantido em presídio mesmo sendo portador de Cardiopatia Grave, atestado por médico, mas não levado em conta pelo juiz do caso, fato que lhe causou a morte. A causa da morte do político não foi revelada, mas obviamente tem relação com a sua tardia soltura pela Justiça, dizem. O sepultamento ocorreu na terça-feira (06/12) em Santa Maria Madalena, sua cidade natal. Descanse em paz, William, o povo reza por você!

Itaocara:

Sem sindicato, professores conseguem melhoria salarial

do o tecido que forma a cultura do nosso estado, fará uma radiografia do que realJá saiu na imprensa local e é verdade: em negociação direta mente são nossos 92 municípios”. com o Governo de Itaocara, representado pela Secretária de Edu"Mapear a Cultura fluminense cação e o Prefeito, os professores da rede municipal de ensino e construir uma ampla base de dados Itaocara: conseguiram uma grande vitória, ou seja, um reajuste salarial de sobre as suas manifestações, espaços Sem sindicato, professores conseguem salarial e potenciais - é uma ação de extrema 16%, fato que gera um piso salarialmelhoria de R$ 702, 02, para profesJá saiu na imprensa local e é verdade: em negociação direta com o Governo deà Itaocara, importância para se conhecer em detalsores ativos, inativos e pensionistas. Tal piso corresponde carga pela Secretária de Educação e o Prefeito, os professores da rede municipal hes o tamanho e a diversidade representado do pasemanal de 22h30min e é proporcional ao nacional de 40 horas. de ens conseguiram uma grande vitória, ou seja, um reajuste salarial de 16%, fato que gera um piso trimônio do estado. Ajudará, também, O Projeto já foi aprovado pela Câmara de Vereadores na sessão salarial de R$ 702, 02, para professores ativos, inativos e pensionistas. Tal piso corresponde à c na tarefa de pensar as políticas públicas do dia 11/10. A ausência Sindicato nas negociações só aprovado veio semanal de 22h30min e é proporcional ao do nacional de 40 horas. O Projeto já foi pela para o setor. Para a Petrobras, patrociprovar, mais uma vez, que a negociação direta do servidor com o Câmara de Vereadores na sessão do dia 11/10. A ausência do Sindicato nas negociações só vei nar esse projeto representa não somenexecutivo dá melhor e mais rápidocom resultado. novo quauma vez, que a negociação direta do servidor o Poder O executivo dá melhor e te reconhecer o seu mérito, mas provar, dar um maisPoder dro de nível de vencimento que vigora a partir de 01 de outubro rápido resultado. O novo quadro de nível de vencimento que vigora a partir de 01 de outubro d importante retorno ao estado que, há 2011 é o seguinte: de 2011 é o seguinte: tantos anos, sedia e acolhe a empresa", diz Eliane Costa, gerente de patrocínios NÍVEIS VALORES R$ da Petrobras. 1 702,02 O Mapa de Cultura será como 2 772,22 uma bússola para estudantes, turistas, produtores culturais e interessados em 3 849,44 cultura em geral, que poderá conduzi4 934,38 los aos Quilombos do Vale do Paraíba 5 1.027,81 ou à Festa do Cascudo em Itaperuna. 6 1.130,59 Um guia para dançar o Mineiro Pau 7 1.243,64 ou jongar em Pinheiral. Trará ainda 8 1.368,00 um registro de manifestações ligadas à 9 1.504,80 cultura digital e indicará os principais 10 1.655,28 festivais de cultura do Estado, como o 11 1.820,80 Festival de Jazz de Rio das Ostras ou 12 2.002,88 o festival de música do Vale do Café, entre tantos outros. Sensível à situação salarial das outras que categorias Sensível à situação salarial das outras categorias funcionais, já são os funcionais, mais bem pagos da

Pé na estrada

que jádesão os mais bem pagos daderegião, Governo de Itaocaregião, o Governo Itaocara determinou o início estudos otécnicos relativos ao impacto O mapeamento cultural do Estado ra determinou o início de estudos técnicos relativos ao impacto orçamentário-financeiro sobre a folha de pagamento de pessoal, de acordo com a Lei de vai percorrer todo o território fluminenorçamentário-financeiro a folha de pagamento pessoal, Responsabilidade Fiscal para fins de um sobre novo Plano de Carreira e Saláriosdepara os servidores. se para retratar e divulgar as riquezas Assessoria Jurídica já está trabalhando no assunto. de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal para fins de um e diversidades da cultura produzida no Uma notícianovo de última hora chega aeredação do para NN eos refere-se à determinação dada pelo Plano denos Carreira Salários servidores. A Assessointerior do estado do Rio. O projeto, Governo do ria Pará, ontem (09/11/11) para abrir inquérito e anuncia demissão de professores Jurídica já está trabalhando no assunto. realizado com patrocínio da Petrobras grevistas, uma história semelhante a vivida Itaocara do . NN e Uma bem notícia de última horapelo nosMunicípio chega aderedação através da Lei Estadual de Incentivo à refere-se à determinação dada pelo Governo do Pará, ontem Cultura (Lei do ICMS), será produzido pela Diadorim Ideias & Comunicação (09/11/11) para abrir inquérito e anuncia demissão de professores e disponibilizará textos, fotos e vídeos grevistas, uma história bem semelhante a vivida pelo Município para o grande público, num esforço de de Itaocara . catalogação inédito.


Página 16

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Itaocara, a cidade jardim*...

Havia muita luz, perfume, cores e esperanças em Itaocara lá pelos idos de 1927 a 1929 e a sociedade era bem organizada, o povo elegante. As mulheres usavam longos vestidos e os homens, quase sempre, vestiam ternos, até mesmo a população campesina. Júlio Pompeu (o escritor) e Sylvio Bevilacqua, famoso artista plástico e fotógrafo, já vinham freqüentado a cidade desde o governo do Cap. José Dias (1918/1921) à época prefeito, contratados que foram para escrever a história de Itaocara, conforme ficara acertado no lançamento do livro “História de Cantagalo”, ocorrido na Prefeitura daquela cidade em 1918. Com a morte de José Dias, o livro foi “engavetado”, só voltando à tona em 1922, no governo do Cel. Antônio da Silva Pinto, mas no trem em que viajava Julio Pompeu de retorno a Itaocara, nessa época, no banco do mesmo trem também esta- va sentada a “Senhora Intervenção” que afastou o novo “prefeito” do cargo. Depois disso governaram Itaocara

os doutores Diogo Campbell, colega de faculdade de JúlioPompeu em São Paulo, que se reencontraram em Itaocara (1923/1924), Jonathas Pedrosa Filho, interino, em 1924 e Nicolau Mary, interino, de 1924 a 1925. De 1925 a 1926, o prefeito era Ataliba de Souza Marinho (interino) e de 1926 a 1927 governou Itaocara o Senhor João Gomes da Silva, também interino. Nenhum destes fizeram qualquer coisa para tornar realidade um dos sonhos do Cap. José Dias: escrever, através do bacharel Julio Pompeu, a História de Itaocara, mas não demorou muito e assumiu o cargo o Cap. Pedro da Cunha Cidade, homem probo, inteligente e com visão de futuro, que iniciou a reestruturação de Itaocara, isto no período de 1927 a 1929, quando, por fim, com a ajuda deste, Júlio Pompeu editava o livro “O Municipio de Itaocara”. Para se ter uma pálida idéia do esplendor itaocarense, em 1929 o município tinha 39.307 habitantes, contra os 22.069 de hoje (Censo do IBGE-2007). Com o título “Itaocara, a cidade jardimcomo eu a vejo”, o bacharel Júlio Pompeu de Castro Albuquerque assim escreveu em seu livro “O Município de Itaocara”, no ano de 1929: “ITAOCARA, a mui pittoresca** cidade fluminense, junto à qual murmuram ruidosas as águas pouco claras do magestoso Parahyba, é – sem favor ou lisonja-um dos trechos mais encantadores do glorioso Estado do Rio de Janeiro. Situada sobre uma graciosa collina, á margem direita daquelle grande rio, possuindo varios prédios de construcção moderna, a formosa Itaocara, que se chamou outrora Aldêa da Pedra e S. José de Leonissa, impressiona, prende e cativa os seus visitantes por sua topographia incomparável, pelo irreprhensivel asseio de suas praças e ruas, lindamente arborizadas, pela perfeita organização dos seus serviços públicos, pelo brilho de sua imprensa, pela suave belleza de suas ilhas, pela cortezia sem par de sua população eminentemente ordeira e profundamente honesta. No perímetro urbano da graciosa cidadezinha fluminense existem cerca de 250 predios, geralmente térreos. Oito são as suas ruas principais. As praças são em número

de duas. Umas e outras ostentam bellissima arborização, que a administração pública zela com carinho. Toda a cidade é fartamente illuminada por eletricidade. Na principal de suas praças, a que se denomina Coronel Guimarães, ergue-se, ao fundo de um jardim, muito simples e muito clara, a Igreja Matriz, cuja construcção, toda de cantaria, data de 1890. Itaocara, cuja beleza panoramica é sem par no Estado do Rio de Janeiro, possue boas casas comercciaes, hoteis, bars, escolas publicas, collegio de ensino secundário, atelier photografhico, pharmacias, cinemas, uma estação de telegrapho nacional e uma agencia do correio, accusando ambas um sensível movimento diário. É’ belo o templo catholico”. Em 1929, Itaocara era assim, na visão de Julio Pompeu de Castro Albuquerque: Publicam-se em Itaocara duas folhas hebdomadarias (jornais*): O Lidador e a Cidade de Itaocara. São ambas muito bem feitas e redigidas com elevação e critério. A Camara Municipal, as collectorias federal e estadual, os cartorios de paz, do 1º e 2º Officios de Justiça acham-se convenientemente installados. O Foro local goza de excelente conceito. E’

culto e honesto. O clima é quente e saudavel. Existe na sede do município, em predio e com uma instalação excellente, a Caixa Rural de Itaocara, cujas operações se acham temporariamente paralysadas. Como nos outros municípios do Estado, existe em Itaocara, subordinada ao Ministerio da Guerra, uma Junta de alistamento militar. Muito se tem desenvolvido no municipio o uso de automoveis particulares. Na séde existe mesmo uma empresa, em franca prosperidade, que, por meio de caminhões, faz intenso trafego entre a referida cidade e os districtos mais proximos. Tal é, em rapida synthese, a formosa cidade de Itaocara, séde do município mais dividido do Estado do Rio, daquelle que mais exporta, onde quasi todos os seus filhos, que se dedicam ao cultivo das terras, geralmente excellentes, trabalham pra si mesmos, pequenos proprietarios que elles são! * Júlio Pompeu de Toledo, in “O Município de Itaocara-1929” ** Texto de acordo com o original. Do Livro “Casa de Pedra”, do Dr. Francisco Marra de Moraes, no prelo. Não pode ser reproduzido sem prévia autorização do autor.

Os jardins e as flores estão voltando e a cidade está cada vez mais bela


Noroeste

20 de Dezembro de 2011

Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

Página 17

Maria, a Imaculada Conceição Paradoxos e corrupção *Marina Adamo apresentou diante de

A denominação de Maria como Imaculada Conceição foi uma proclamação solene da Igreja pelo Papa Pio IX, no dia 8 de dezembro de 1854. Para entender melhor esta verdade da Conceição Imaculada de Maria, lembramos que os nossos primeiros pais, Adão e Eva, foram criados em estado de graça e participantes da natureza, da bondade e da felicidade de Deus. Por causa do pecado que cometeram, - chamado Original, porque foi cometido na Origem da humanidade - perderam a graça divina e todo tipo de intimidade e amizade com Deus. As conseqüências do pecado de Adão e Eva se transmitem a todos os seres humanos pela geração. Isto é, nascemos todos sem a Graça Divina. Entretanto, esta ausência da Graça Divina para nós termina no dia do nosso batismo, quando nos tornamos filhos de Deus. Todos os seres humanos nascem com o pecado original, mas há uma exceção: Maria. Maria é uma segunda Eva, mas Eva antes de sua queda! Maria é a nova Eva, mãe do Novo Adão. No Evangelho de Lucas, o anjo Gabriel, quando se

Maria, assim a saudou: "Ave cheia de graça" (Lc 1,28). Falar que: "Maria achou graça" é dizer que achou a "graça original".Ora, a "graça original" é a "Imaculada Conceição"! Se Maria tivesse nascido com o pecado original, isto é, sem a Graça santificante, o anjo não poderia chamá-la de “Cheia de Graça”, pois não seria verdade. Ora, este tabernáculo, Maria, feito por Deus e para Deus, devia revestir-se de toda a beleza e pureza que somente o próprio Deus teria podido outorgar a uma criatura. E esta pureza perfeita e ideal se denomina: a Imaculada Conceição. Maria com a sua entrega e obediência incondicional a Deus, reabilita em si todas as mulheres do mundo, inclusive Eva. Aqui está o equilíbrio contido no plano de Deus. Em Maria, com Maria e por Maria toda mulher se torna responsável pela vinda do Filho de Deus ao mundo. Marina Adamo é membro da comunidade Canção Nova há 20 anos e atua na equipe de formação. É autora do livro "Deus fala com você", pela Editora Canção Nova. http://blog.cancaonova.com/marinaadamo.

Prefeito Alcione defende Itaocara na UHE ITAOCARA

O Sistema FIRJAN organizou na noite do dia 12 de maio, no Teatro Municipal de Santo Antônio de Pádua, uma apresentação sobre o Consórcio UHE Itaocara, responsável pela construção da usina hidroelétrica de Itaocara. Durante a apresentação, técnicos da UHE falaram ao público sobre como serão as obras e quais os impactos causados na região. Em Itaocara também foram organizadas diversas reuniões e o prefeito de Itaocara, Dr. Alcione Araújo vem aproveitando as oportunidades para reivindicar obras e serviços para o Município de Itaocara. De acordo com os técnicos, os investimentos serão de R$ 1,2 bilhão e serão gerados diretamente 1,5 mil empregos. O lago represado terá 60 km² de área e a usina vai gerar 195 megawatts, energia suficiente para abastecer uma cidade de 650 mil habitantes. Também foi apresentado o cronograma, incluindo os procedimentos para obtenção de licenciamento junto ao Ibama, e o prazo para o início de operação, estimado em 30 meses. Entre os vários tópicos abordados na apresentação estão as necessidades de mão de obra em várias áreas. A qualificação da mão de obra está sendo negociada com o Sistema FIRJAN, a ser realizada por meio do SENAI. Durante o encontro, foi frisado que um dos objetivos é contratar apenas mão de obra local. O presidente da FIRJAN Noroeste,

Antônio Boechat, cita que o Consórcio UHE Itaocara é um empreendimento que traz grandes investimentos na região e um alto número de novos empregos. “Nós temos um projeto de desenvolvimento, focando a geração de empregos e de renda. E o projeto da usina traz investimentos para o estado”, diz. Durante o encontro também foi apresentada a lista de programas ambientais criado pela empresa como contraponto aos danos provocados pela usina, como projetos de sustentabilidade, programas sociais e institucionais, entre outros. A parte turística também foi explicada, podendo ser utilizado o lago da represa como forma de fomento econômico nesta área, por intermédio de atividades como pesca esportiva, esportes náuticos e ecoturismo. Na parte econômica, foi abordado o impacto que a construção da usina irá causar na economia local, como, por exemplo, na rede hoteleira, alimentícia, de fornecimento de equipamentos. Os técnicos ainda citaram como será feita a indenização aos proprietários da área atingida pela represa. O prefeito de Itaocara, Alcione Araújo, tem ressaltado que Itaocara sofrerá os maiores s impactos da construção da UHE Itaocara, já que, ao contrário de Aperibé, tem toda infra-estura para suportar esse ônus, tais como redes hospitalar, segurança, transporte, escolar, hotelaria, trânsito, comércio, moradia etc.

Paradoxo é o conceito de uma contradição, pelo menos na aparência. Temos alguns paradoxos famosos como o Paradoxo de Epicuro, que fala sobre o problema do mal, o Paradoxo da Pedra, o do Crocodilo, etc. O paradoxo da pedra, por exemplo, versa sobre a onipotência e diz o seguinte: Pode um ser onipotente criar uma pedra tão pesada que não consiga erguer? Se não consegue erguer a pedra, não é onipotente e se não consegue criar tal pedra, não era onipotente desde o início da hipótese. Já o paradoxo do crocodilo diz que um crocodilo rouba uma criança e quando sua mãe vai pedi-la de volta ele faz a proposta de que a devolverá se a mãe adivinhar de forma correta se ele vai devolver ou não. A mãe responde que ele não vai devolver a criança e aí está o paradoxo: se ele devolve a criança, entra em contradição, pois a mãe errou na resposta e se ele não devolve, acontece o mesmo, pois a mãe acertou a resposta. No que diz respeito à corrupção, podemos imaginar o seguinte paradoxo: pode um presidente de uma empresa, que não seja corrupto, acabar com a corrupção em sua gestão? Se dissermos que sim, por que ele não acaba com ela? A primeira hipótese é que ele realmente quer, mas não acaba, pois não tem poderes ou não sabe como e, portanto não faz jus ao título de pre-

sidente, que é quem supostamente tem o poder e o preparo para tal; a segunda é que ele sabe como, mas não quer. Neste caso, ele também é corrupto e contraria a hipótese inicial de que não é corrupto. De todas as formas, fica a pergunta do porque não acabar com a corrupção. Mário Amato, ex-presidente da FIESP, falou certa vez que “nós todos somos corruptos” e Itamar Franco, quando não conseguiu sua indicação para ser candidato à presidência, durante uma convenção do PMDB em 1998, comentou que “o lado que ganhou, comprou e o lado que perdeu, não comprou”. O que se vê é que na verdade todos nós somos participantes da corrupção, quer seja como autores, como vítimas, ou como omissos. A corrupção talvez seja hoje a maior desgraça do ser humano, e no dia 09 de dezembro será comemorado o Dia Internacional de Combate à Corrupção. Aqui no Brasil, creio ser interessante lembrarmos Rui Barbosa, quem disse num célebre discurso ao Congresso em 1914: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”. Por Célio Pezza*

O crime & o contrato social Por Francisco Marra de Moraes

Não é só o homem que mata, mas o homicídio é um privilégio dele e isso vem de longas e imemoriais eras, desde o começo do mundo com Cain e Abel nas calmas terras do Paraíso, quando não existia nenhuma regra punitiva fora da divina. Matava-se por qualquer motivo: pela comida, pela disputa de mulheres, pelo espaço de terra, pela tocha de fogo. A segurança e o respeito eram coisas e/ou direitos desconhecidos e isso fazia com que todo mundo vivesse na maior incerteza e desespero, apesar da pouca consciência predominante. A impunidade campeava e no decorrer dos anos a noção de que era preciso uma organização social, mesmo que mínima, foi tomando conta dos homens, surgindo, precariamente, na época, o que hoje se chama de “governo”. Daí o surgimento do “Contrato Social”, isto é, a outorga de poderes de legislar e punir feita pelo povo (a sociedade) ao governo. Nascia para o homem, à convivência com direitos e deveres, punindo-se ou absolvendo-se os acusados de violar tal contrato... Mas nem todo homicídio e/ou tentativa, embora taxados como crimes na legislação penal são puníveis, eis que o próprio Código prevê a exclusão da punição quando se caracteriza a existência, in casu, da legítima defesa em qualquer das suas modalidades, inclusive a putativa. Até mesmo quando não caracterizada, a LD, pode-se defender a “legítima limpeza”, esta acontecendo contra àquelas “vítimas” provocadoras e verdadeiras “fá-

bricas de réus”. Isto porque a paz social da maioria deve prevalecer sobre esses que são graves e constantes ameaças à própria sociedade. O crime é, no mínimo, um fato bilateral, daí ser preciso, caso se queira fazer justiça, perquirir o comportamento de ambos antes, durante e depois do evento crime e não como se faz, quase sempre, analisando o comportamento do réu, deixando a suposta “vítima” alheia ao evento quando se sabe que, às vezes, é ela- a suposta vítima- a acionadora do gatilho que a vitimara, apesar da tendência do “Parquet” de considerar toda evidência como prova, quando esta é contrária ao acusado e desprezar toda e qualquer evidência que seja contrária à “vítima” ... Fugindo dos “padrões” tradicionais da definição de que “age em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem”, é preciso acrescentar que assim também age todo aquele que é agredido em seu direito, qualquer que seja a forma, e o Estado não está presente, através de seus representantes, para defendê-lo. Quando isso acontece, quando o Estado está ausente, através da autoridade policial, o cidadão retoma, legitimamente, os poderes que ele outorgou ao próprio Estado e este, representado pelo Poder Judiciário, não pode puni-lo. É a quebra do Contrato Social, à volta ao “status quo ante” ou, melhor dizendo, ao tempo em que não havia o “contrato social”...


Página 18

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

A Aldeia da Pedra

No começo, quase todo o campo era coberto de verdes florestas, aonde índios e animais reinavam absolutos e o Paraíba do Sul era mais majestoso, com seu curso quase que livre de ilhas. Uns poucos brancos e muitos índios habitavam a terra. A Serra da Bolívia, com seus mil encantos, a tudo assistia e era motivo de contemplação, principalmente quando a lua cheia se punha por detrás dela, ou quando o arco-íris formava um colar de luzes e cores ao seu redor. As corredeiras do Paraíba ninavam os primitivos habitantes, além de fartar suas mesas com a abundância de peixes. Depois vieram os brancos e estes e os índios singravam as águas límpidas do velho rio em suas canoas. O clima era mais ameno e chovia mais. Umas poucas casas de brancos e muitas choupanas de índios existiam. A vida corria mansa, sem nenhuma preocupação com o futuro, já que nem mesmo se tinha consciência do que seria uma organização social nos moldes que tempos depois iria ser implantada por frei Tomás. Assim era, em síntese, o “ambiente” em que nasceu a ALDEIA DA PEDRA, primitivamente fundada às margens do Rio Paraíba do Sul, na confluência deste com o Rio Pomba com o nome de Aléia da Pedra de Dom Marcos, mas que os nativos não aceitaram, preferindo a designação de Aldeia da Pedra.... A FUNDAÇÃO Frei Ângelo Maria de Luca e Frei Victório de Cambiasca receberam do Frei Antônio Maria Canejo (prefeito dos Capuchinhos do Rio de Janeiro), a incumbência de subirem o rio Paraíba, partindo da vila de São Salvador dos Campos de Goitacases (atual Município de Campos), para aldear os índios Coroados. Subindo o Paraíba, os Freis e sua comitiva, detiveram-se no lugar, onde hoje é o primeiro distrito de São Fidélis, onde fundaram a Aldeia de São Fidélis de Sigmaringa. Naquela época, o território, onde mais tarde se fundaria a Aldeia da Pedra (atual Itaocara), pertencia à Aldeia de São Fidélis, que, por sua vez, pertencia à Vila de Campos. Segundo contam os historiadores, em 03/02/1824 ocorreu à separação entre as duas aldeias. Com isso, São Fidélis de Sigmaringa (a aldeia e todo o seu território), foi incorporado ao território de Cantagalo, levando junto o território que hoje é o município de Itaocara. Com o Decreto de novembro de 1825, a Aldeia de São Fidélis retornava ao domínio de Campos e com ela as terras que viriam a formar a Aldeia da Pedra. Em 02 de abril de 1840, através da Lei Provincial, a Aldeia de São Fidélis de Sigmaringa era elevada

à categoria de Freguesia. O território da futura Aldeia da Pedra acompanha São Fidélis nessas idas e vindas. Aldear os índios coroados e purís na Aldeia de São Fidélis, conforme o projeto inicial, tornou-se impossível, eis que tal objetivo se esbarrava nas recentes guerras travadas entre eles e no ódio daí advindo. Os puris eram arredios, não se sujeitavam e nem aceitavam a conversão pretendida pela igreja. Assim, só restava uma alternativa aos padres Capuchinhos: procurar novas terras, para a fundação de nova aldeia. Conta Alaôr Eduardo Scisínio, in Itaocara - Uma Democracia Rural, “que Frei Thomás de Castello, capuchinho italiano vindo de Lisboa, onde esteve enfermo por dois anos, chegou ao Rio de Janeiro em 25 de fevereiro de 1796, recebendo do bispo Dom José Joaquim de Mascarenhas a incumbência em tom de ordem de rumar para a missão de São Fidélis, substituindo o Frei Victorio de Cambiasca, que naquele ano havia sido convocado ao Rio para ocupar o cargo de Prefeito Apostólico e Superior da pequena comunidade jesuítica: Em 1797, seguiu com destino a Campos e de lá para São Fidélis, onde se encontrou com o Frei Ângelo Maria de Luca. Frei Ângelo recebeu com simpatia àquele jovem de menos de vinte anos que havia ingressado na Ordem com pouco mais de dezesseis, conhecendo o português falado no Brasil, com noções da língua tupi-guarani e iniciado na arquitetura. Em 1806, assumia o Vice-Reinado, o 8º Conde dos Arcos, D. Marcos de Noronha e Brito, que seria o nosso último Vice-Rei, pois a pressão que Napoleão Bonaparte exercia sobre Portugal faria com que, em 1807, a sua Corte se transferisse para o Brasil, com o príncipe regente, D. João, governando em substituição a sua mãe, Rainha Maria I, demente desde 1792”. D. Marcos de Noronha, “fidalgo da melhor estirpe”, soldado que já vira o fogo, administrador louvado por seus engenhosos planos quando dirigia a Capitania do Grão-Pará e Rio Negro, grave, ponderado e firme, que logo assumiu os poderes de Vice-Rei, prosseguiu o projeto de expansão das aldeias e criação de novos aldeamentos e, inteirado do que havia ocorrido até então, pôs termo às incertezas, marcando nas margens fertilíssimas e amenas do Paraíba, na confluência do rio Pomba, local para o estabelecimento da Aldeia, sob a denominação de São José de Dom Marcos. A Portaria de 24/02/1808, expedida pelo Cabido Sede Vacante, encarregou Frei Thomás de Civi-

ta e Castello da paroquiação dos índios que somavam 50 e até 100 famílias, segundo Saint Adolphe (dicionário Histórico e Descritivo do Império do Brasil-París, 1845) e “viviam em choupanas mui baixas e postas em renque, coisa que julgavam necessária para melhor se precaverem contra os inimigos”. Soube o digno religioso conquistar por tal modo à confiança desses índios, que conseguiu com eles edificar uma igreja, sob a invocação de São José de Leonissa, com a ajuda dos fiéis e o escasso rendimento da extinta Aldeia de Guarulhos (a Aldeia de Guarulhos ficava a uns 40 quilômetros de São Fidélis e fracassou como aldeamento, motivo este que trouxe os religiosos citados para a formação da Aldeia da Pedra". O Conde D´Arcos ajudou Frei Thomás, concedendo-lhe meia légua de terra para patrimônio da freguesia, paramentos, um sino, uma pia batismal para a matriz, pano para vestir os índios e ferramentas agrícolas (Frei Jacinto Palazzolo, História de São Fidélis, p. 127). Não são os puris que ali se juntaram, lembra Alberto Lamego (O Homem e a Serra, p. 273), pois eles sempre eram renitentes à submissão aos padres. A nova Aldeia com 30 famílias de coropós e 80 de Coroados, totalizando 226 indígenas, foi chamada ALDEIA DA PEDRA, recusando-se os índios a chamá-la de Dom Marcos. Convém frisar que muito antes de receber o encargo de paroquiar os índios, o que aconteceu em 24/02/1808, Frei Thomás havia estado na Aldeia da Pedra por inúmeras vezes, com ela já formada e tendo já esse nome, batizando, casando, celebrando missa com seu altar portátil e mantendo contatos com o cacique, por ele investido, na condição de Capitão-de-Mato, com o nome de José de Leonissa Silva. Em 1812, no dia 24 de novembro, o bispo José Caetano da Silva Coutinho elevou o aldeamento a condição de Aldeia da Pedra, sob a invocação de São José de Leonissa da Aldeia da Pedra. Vale ressaltar que esta é a história oficial, mas existem indícios de que uma outra versão possa existir, a partir da descobertas de fornos centenários e enigmático em terras jaguarembeenses, cuja história e descrição pormenorizada foi publica no Jornal Noroeste Notícias, edição nº ..... Obras Pesquisadas: Itaocara - Uma Democracia Rural - Alaôr Eduardo Scisínio - História de São Fidélis - Frei Jacinto Palazzolo, Jornais Noroeste Notícias e Cidade, ambos de Itaocara. Do livro “Casa de Pedra”, do Dr.Francisco Marra de Moraes. Proibida a reprodução sem prévia autorização

20 de Dezembro de 2011

Prefeitura de Itaocara inaugura Auditório em sua Sede

Depois de 120 anos, finalmente o Município de Itaocara recebe sua nova prefeitura, uma prefeitura moderna, onde tudo é novo, dos sistemas de telefonia e internet aos mobiliários, isto sem falar na excelência da distribuição das salas e seus respectivos serviço, Além do conforto proporcionado aos povo e usuários dos serviços da municipalidade. Destaque especial merece o Auditório da Prefeitura, um excelente espaço para eventos, cursos, reuniões- um espaço com setenta cadeiras, ar refrigerado e tudo o mais que um auditório precisa ter. Nele tem sido comemorado aniversários, confraternização de servidores e da defesa civil , cursos ministrados pelo SEBRAE, etc..

Confratenização dos Servidores contou com palestra de motivação

A confratenização da Defesa Civil contou com presenças do Coronel Douglas, Sargento Carlos Amaral , o representante do INEA Aureo e comandantes das defesas civis municipais

Em parceria com a Ampla , Prefeitura de Itaocara inaugura novo sistema de energia elétrica e solar , bem como entrega de novos equipamentos de refrigeração doados pela empresa

O acesso ao hospital foi totalmente reformulado pela prefeitura

Itaprev realiza festa para os servidores com distribuição de prêmios , durante almoço realizado no dia 03 de dezembro e contou com a presença do prefeito Alcione e do deputado Christino


20 de Dezembro de 2011

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

Página 19

Por mais que os servidores fazendários se esforcem e produzam crescimento na arrecadação, o Governo do Estado não reconhece e não valoriza o esforço desses servidores

Carta aberta ao Governador Os servidores fazendários estão, há cinco anos, cobrando do governo Sérgio Cabral o cumprimento da Lei 1.650/90, em vigor desde 16.05.1990, portanto, há 21 anos, que trata de sua única gratificação, a RETAF, por participarem do Regime Especial de Trabalho da Administração Fazendária. O calote que os servidores da Fazenda estão levando chega já a 25,67%, acumulado de janeiro de 2007 a outubro de 2011. Recentemente, o Secretário de Fazenda Renato Villela, em matéria publicada pelo Jornal VALOR ECONÔMICO, de 08.09.2011, divulgou prever que o Estado receberá, nos próximos nove anos, investimentos da ordem de 50% do PIB estadual, ou seja, R$ 110 bilhões. Apesar de haver no país sinais de desaceleração, contou que não houve recuo na arrecadação do ICMS nos últimos meses. Segundo a Fazenda, a arrecadação total do Estado do Rio cresceu, no semestre, 11,27% em relação ao mesmo período de 2010, se forem descontadas as receitas extraordinárias que ocorreram no ano passado. Nesse cenário, não foram levadas em consideração a operação de crédito obtida junto ao Bird, o recebimento de receitas extraordinárias do petróleo referentes ao Campo Marlin (R$ 200 milhões), o programa

de regularização de créditos tributários (Refis) e esforços realizados, em conjunto com a Receita Federal, que possibilitaram mudança de patamar de arrecadação do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e por Doação de Quaisquer Bens (ITD). A receita total somou R$ 27,1 bilhões, com alta de 13,9% na receita tributária do Estado. Só o ICMS representou uma expansão de 14,6%, com base no bom desempenho da arrecadação do setor de petróleo, combustíveis e gás natural; de mercados, lojas e magazines; de construção civil e de energia elétrica. Mesmo com o crescimento declarado pelo Governo, em agosto último, o mesmo deixou de pagar a Prestação Pecuniária Eventual – PPE dos servidores da Secretaria de Estado de Fazenda. Tanto os Auditores Fiscais como os Fazendários não receberam qualquer benefício em função do grande esforço dispensado no processo de arrecadação. As remunerações dos servidores da Fazenda estão diretamente relacionadas à variação anual da UFIR-RJ e ao crescimento da arrecadação, previsto através de metas que seriam pré-definidas, MAS QUE ACABAM SENDO ESTIPULADAS E TORNADAS PÚBLICAS PELO GOVERNO APENAS JÁ PRÓXIMO AO FINAL DO PE-

RÍODO SEMESTRAL A SER CONSIDERADO, o que, em verdade, faculta ao Governo pagar a PPE SE QUISER e QUANDO QUISER (!). Assim, não só os servidores não têm sido recompensados pelo seu esforço funcional, como o descumprimento da legislação vigente que trata das remunerações dos mesmos (RETAF e Produtividade Fiscal) também denota o descompromisso do Governo com o desenvolvimento do setor e o abandono funcional. Agora, paira sobre nossas cabeças a ameaça de o governador Sérgio Cabral enviar à Assembleia Legislativa projeto de lei visando à extinção das gratificações dos Fazendários e dos Auditores Fiscais. Aonde o Governo espera chegar? Criar o Caos? Forçar os servidores a procurarem outra forma de sustento? Qual? E por que? A quem interessa tanta insatisfação? Quem lucra com o quê? Certamente, não a Fazenda! Não a sociedade! A grande maioria dos servidores permanentes em atividade hoje, na Fazenda, possui mais de 30 anos no leal exercício da função e tem sua história pessoal fundida com a história de nossa Secretaria. Representa o maior patrimônio de nossa “pasta”, e sempre pôde contar com a valorização de sua importante colaboração no desenvolvimento de nosso Estado, em razão do papel de

destaque que lhe cabe na administração estadual. Prejudicar levianamente tais servidores com alterações em suas remunerações, tanto os ativos, como aposentados e pensionistas, só causará muita revolta, indignação e, fatalmente, prejuízos ao processo de arrecadação de tributos. O Governo do Estado deve sim: cumprir o que estabelecem as Leis 1.650/90 e 69/90, pagar em dia e de forma atualizada a remuneração de nossos servidores e alcançar, em parceria com os mesmos, patamares ainda mais altos no processo de arrecadação de tributos. Qualquer coisa diferente disso será improdutiva, absurda, injusta e prejudicial, tanto à ordem administrativa, quanto ao recentemente tão citado, até pelo governador, “ESTADO DE DIREITO”. O Governo, respeitosamente, deve dar exemplo; cumprir com isenção, as leis vigentes e pugnar, juntamente com seu corpo funcional e toda a sociedade fluminense contra a covardia e má-fé no trato com os funcionários públicos de carreira, e pela obrigatória e real preservação do Estado de Direito. É o mínimo que lhe cabe fazer, pela paz social, pelo bem de nosso Estado, pelo bem de todos, inclusive, dos que o elegeram. A Diretoria

Os caminhos do Poder e do Povo

Por Francisco Marra de Moraes

Aos poucos, agora já mais rapidamente, o Brasil vai avançando em direção ao primeiro mundo. E só não enxerga isto quem não queira ver. Já se tem leis importantes regulando quase que tudo nos moldes, ou até mais avançado, dos países tidos vanguardeiros da civilização de hoje e pode- se citar, como exemplos, a Lei do Trânsito, a Lei Seca, O Ensino a Distância, o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Lei das Cidades, a Lei de Responsabilidade Fiscal, a Lei do Meio Ambiente, os Códigos Penal, Civil e do Consumidor. Com um detalhe bem animador: elas, as leis, não ficam só no papel como antigamente. Hoje ricos e pobres, qualquer que seja a “casta” social (até juízes e políticos), pagam por seus crimes. Até as notícias divulgadas de corrupção, em todos os níveis, mostram o caminhar brasileiro naquela direção, até porque hoje ela (a corrupção e os corruptos ativos e passivos) não ficam mais ocultos como antigamente e, com isso, podem ser conhecidos, julgados (até politicamente) e punidos, o que dá chances reais de extirpá- la do cenário brasileiro...

A própria Carta Política de 88 (a CF) trouxe avanços consideráveis como, por exemplo, a garantia de que a casa de moradia, bem como a pequena propriedade rural é inalienável (não podem ser penhoradas) e, daí, não haver legalidade na exigência delas como garantia de dívida de qualquer espécie, inclusive pública, bancária, fiscal e particular. Antes, muita gente perdia casas e terras para bancos e agiotas. Agora, num avanço verdadeiramente fantástico, o Congresso Nacional, através da PEC 26 (proposta de emenda constitucional) deu nova redação ao art. 6º da Constituição Federal, nele incluindo a moradia como Direito Social. Tal Emenda foi promulgada recentemente e já está em vigor o que significa, trocando em miúdos o novo diploma legal, que o problema da habitação do pessoal de baixa renda deverá ser tratado pelos governos, nos três níveis (Federal, Estadual e Municipal), como direito do cidadão, semelhantemente à educação e a saúde que são obrigações do Estado, reservando para tanto verbas orçamentárias. Isto será, certamente, o fim das favelas e, consequentemente, oportunidade de vida

decente para o povo. Se o eleitor escolhesse mais criteriosamente seus candidatos, como tem acontecido em alguns lugares, até nos municípios, o caminho poderia ser bem mais curto... E o sofrimento bem menor. Na verdade, o eleitor precisa botar na cabeça que ele tem menos de um minuto para votar e, depois, quatro anos para se arrepender. Votar por protesto, como se votou em “Tiririca”, em São Paulo e que levou com ele mais cinco ou seis deputados que, provavelmente, não apresentarão nenhum trabalho útil para a Nação e para o povo não é a solução. Pelo contrário, é uma autovitimização do próprio povo... Mas, convenhamos, tudo isso ainda é muito pouco eis que qualquer político com um mínimo de sensibilidade para fazer justiça social deve incluir o trabalho, o lazer, a comida, a segurança e um meio ambiente equilibrado, como direitos inalienáveis do cidadão. Só assim, com todos os direitos fundamentais garantidos na Constituição (e respeitados), a sociedade brasileira vai ser mais justa, humana, igualitária e progressista, acabando-se de vez com a exclusão de tantos brasileiros nos benefícios da

distribuição da renda nacional. É bem verdade, porem, que a corrupção vem crescendo vertiginosamente nos últimos tempos, principalmente no governo federal, embora a presidenta Dilma venha se empenhando em apurar os fatos que a mídia noticia diariamente, mas infelizmente a “farra” com o dinheiro público continua crescendo incontrolavelmente e já atingiu cinco Ministérios só neste ano de 2011 e o último deles é o do Trabalho. O fato que mais impressiona a “gregos & troianos” é a impunidade que campeia: Existe corrupção? Troca-se o Ministro, mas alguém é punido criminalmente? Não se tem notícias. Mas também é bem verdade que existe uma verdadeira indústria do denuncismo infundado, fato que já se deveria esperar depois do nascimento da denúncia anônima e da delação premiada. Hoje, sem medo de errar, já se está chegando ao ponto de ser preciso criar uma Secretaria Municipal de Assuntos Judiciais para poder responder ao grande volume de pedidos de informações e ações propriamente ditas. Também, pudera, com a denúncia anônima e a delação premiada em alta...


Página 20

Noroeste Notícias

Um novo jeito de fazer jornal

20 de Dezembro de 2011

Itaocara:

Um hiato histórico vem à tona...

Erguido para ser uma usina de açúcar, nunca chegou a funcionar e o “Castelinho” virou atração turística e sua beleza encanta a todos que o visita

De 1918 a 1929, poucas informações se têm sobre Itaocara nos livros até então conhecidos, mas graças a um amigo, Anderson de Oliveira Gomes, mais conhecido como Chiquinho, residente em Itaocara, recebi uma preciosidade de livro cujo título é “O Município de Itaocara” de autoria do bacharel Julio Pompeu de Castro Albuquerque, edição de 1929, uma publicação da Imprensa Nacional. Tal fato veio darme subsídios maiores e fundamentais para preencher essa lacuna no livro que estou acabando de escrever, que é “Casa de Pedra”. Histórico, real e romântico, tal livro mostra, além disso, os encantos, as magias e o “progresso” de uma época doirada que ficou perdida no passado e que hoje retorna para todos àqueles que se deliciam com a história itaocarense. Antes de prosseguir neste artigo histórico, é preciso, até pela própria história, extrair do citado livro trechos de sua apresentação, como se segue: “Alguns dias da publicação da minha conhecida monografia sobre o município de Cantagallo, trabalho de que me ufano e cuja acceitação por parte daquella formosa terra fluminense foi sem duvida, uma tarde, no hotel Santa Thereza, Barreto Dantas, nobre figura de Juiz e magistrado que, pelo caracter, pela cultura e pela bondade, faz a honra e é orgulho da magistratura fluminense, apresentou-me a dous cavalheiros ali chegados naquele dia. Vendo o album de Cantagallo, de minha autoria, os srs. Antônio Pinto e José Dias, que eram os cavalheiros em questão, depois de o haverem elogiado sem reservas, externaram o desejo de que Itaocara, terra de que eram filhos, fosse também objecto de um estudo igual ao que acabavam de examinar. E a próxima publicação de um album de Itaocara ficou desde então combinada entre mim e

os dous cavalheiros ali presentes. Mezes se passaram. José Dias, de tão irradiante sympathia, após curta enfermidade, fallecia no Rio de Janeiro por uma tarde triste e humida de inverno. Antônio Pinto, estimado, influente, popular, fora eleito prefeito municipal de Itaocara. Na companhia sempre amavel de Sylvio Bevilacqua, um bello artista e também um perfeito cavalheiro, fui pela primeira vez á formosa cidade banhada pelo Parahyba do Sul. Ficamos encantados com o espectaculo que tínhamos diante dos olhos. Itaocara é realmente uma bella e singular cidadesinha, posta de proposito no extremo de uma longa via ferrea para causar ao viajante fatigado a maior, a melhor das surprezas amáveis. Achava-me eu afinal em Itaocara. Mas commigo, no mesmo trem, tambem tomara, incognita e com igual destino, a senhora Intervenção Federal... É claro que o prefeito Antonio Pinto, dada a situação em que se encontrava, quasi nada poude fazer pelo album de Itaocara. Elle tinha assumpto que o interessava mais de perto. Enquanto isso, Sylvio Bevillacqua, enamorado pela terra, que é bella, apanhava sua excellente objectiva fhotographica alguns aspectos urbanos e algumas lindas paysagens de Itaocara Regressei ao Rio depois de curta permanencia na pittoresca cidadesinha, cuja amavel população nos cumulára – a mim e a Sylvio Bevillacqua-de gratissimas gentilezas. Quando, mezes depois, volvi a Itaocara, encontrei no cargo de prefeito municipal um velho amigo, meu condiscipulo em São Paulo, Diogo Campbell, espírito culto, educação aprimorada, coração bem formado, intelligencia viva em summa. Por essa epoca (1923/1924 *) Itaocara era um brinco. Havia asseio nas ruas, havia alegria

nos lares, havia tranquilidade nos espíritos... Passara a borrasca. Trabalha-se. Campbell sympathisou com a idea de Antonio Pinto e José Dias de dotar-se Itaocara com um trabalho que demonstrasse, pela descripção e pela gravura, o seu progresso e os seus encantos. E resolveu auxiliar a publicação desta obra. Não direi aqui emquanto montou esse auxílio, que aliás é conhecido officialmente, por acanhamento e tambem para não tirar a illusão a certos cavalheiros de espírito irrequieto , que estão convencidos de que esse auxilio bastaria para enriquecer alguns ... milionarios. Não é verdade. Tudo quanto obtive em Itaocara, seja de particulares, mal chegou para as despezas não que essa obra de divulgação e propaganda ocasionou. Mas o primitivo Álbum de Itaocara não é o que hoje se distribui (1929**). Daquelle quase nada se aproveitou. O actual foi quase todo impresso a expensas minhas. Preferi assim proceder a fornecer aos Itaocarenses uma obra em desacordo com o actual momento histórico da vida do município! Que os Itaocarenses comprehendam, com meu grande sacrificio, a nobreza do meu gesto não commum!”. A divisão administrativa de Itaocara em 1928 era a seguinte: 1º Distrito- Itaocara, Lei provincial nº. 500, de 21 de março de 1850; 2º Distrito- Laranjeiras, deliberação de 10 de setembro de 1890; 3º Distrito- Portela, Lei nº. 1.267 de 9 de novembro de 1915; 4º Distrito- Jaguarembé, Lei Estadual nº. 662, de 27 de outubro de 1901; 5º Distrito- Estrada Nova, Lei nº. 1888 de 22 de novembro de 1924 , e 6º Distrito Estação de Três Irmãos, Lei nº. 1888,de 22 de novembro de 1888. A altitude da sede é de 59 metros sobre o nível do mar (informações do livro citado).

Existiam 1.925 propriedades rurais no Município de Itaocara no ano de 1929 e o valor venal dessas propriedades era de 10.556.305$000. O Imposto territorial pago por elas foi de 43.555$100. A Estação Telegráfica em 1929: Repartição telegráfica de 4ª classe, a estação de Itaocara possuía um regular movimento diário. Dela era encarregada, há nove anos, D. Justina Ramalho de Oliveira Sucupira que, como escreveu Júlio Pompeu, in “O Município de Itaocara-Ed. 1929, “que exerce o cargo com proficiência e agrado da população local.” Culturas Agrícolas: Em 1929, as principais culturas agrícolas eram as seguintes: café, cana de açúcar, algodão e milho. O que exportou Itaocara em 1927: Indústrias: em 1928/29, havia em Itaocara uma fábrica de móveis, sete de calçados e oito de aguardente e álcool. Os salários em Itaocara oscilavam entre 4$500 e 3500, a seco e 2$500 a 2$000 com comida. O sistema de trabalho na lavoura, comumente adotado era o da Meação. Distancias KILOMETRICAS ENTRE OS DISTRICTOS DE ITAOCARA:* (de sede a sede) Do 1º ao 2º districto, 14 Kilometros, ao terceiro, 12 Klms; ao 4º 13 klms; ao 5º, 20 Klms; ao 6º 12 Klms. Todos os districtos do município de Itaocara são servidos por estradas de rodagem, geralmente boas. Com excepção do 4º , os demais districtos são atravessados pela Estrada de Ferro Leopoldina (nessa época o território de Estrada Nova estava incorporado ao do districto de Laranjeiras ***) • Redação original.*, ** Comentários do Redator). • Prossegue na próxima edição do Jornal Noroeste Notícias...

Jornal Edição 171  

Noroeste Noticias

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you