Page 1


Estamos no limiar de um novo ano. Novas promessas de sucesso estão tomando espaço nas vitrines e prateleiras do mercado fonográfico. Sem pretensão, são poucos os artistas formadores de opinião que fomentam o diálogo entre todas as gerações que VIVEM CONECTADAS pela música! É ela quem nos motiva, nos move, nos apaixona, nos torna mais próximos da natureza humana. E, nesse amontoado de figuras e palavras é que queremos COMPARTILHAR nosso olhar, talvez um pouco acostumado com a MESMICE DO POP, talvez sedentos por uma retomada dos CLÁSSICOS DO ROCK ! Prepare-se para algumas revelações...

Tudo que faço é pra mim Até a bondade que ofereço Fui evoluindo assim Pra conseguir o que mereço!

Jay Vaquer

Jay Vaqu soa o vbo abre o jogo e coa sua ca musical!

LENDA$ URBANA$ - ENTREVISTANDO JAY VAQUER

FOTOGRAFIA DE CAPA:

DONO DE UMA DAS VOZES MAIS INCRÍVEIS DO ROCK NACIONAL, JAY VAQUER CONSEGUE TRANSMUTAR ENTRE ESTILOS ROMÂNTICOS POP, ROCK'N'ROLL E MÚSICA ALTERNATIVA. SEM AVISAR, SURPREENDE SEU PÚBLICO ROMPENDO A BARREIRA DO SILÊNCIO COM REFRÃOS RAIVOSOS E LETRAS CERTEIRAS.


tristando Jay Vaqu

O sol nasce para todos, mas brilha para poucos. Quisera que todos artistas tivessem Luz própria, como o Jay Vaquer!

Por Anderson de Paula Santos

Um gênio à frente de seu tempo remando contra incertezas Um mortal que precisa pagar contas no fim do mês e que poderia estar “nadando de braçada”: é assim que se resume a trajetória de Jay Vaquer. Seu som não é ouvido nas rádios; ele não é chamado a participar de programas de auditório; não tem um milhão de views em redes sociais nem trilhou carreira internacional. Mas segue fiel a seu estilo e suas músicas permanecem atuais, mesmo com o passar do tempo. Dono de uma das vozes mais incríveis do Rock nacional, Jay Vaquer consegue transmutar entre estilos românticos pop, rock e música alternativa. Sem avisar, surpreende seu público rompendo a barreira do silêncio com refrãos raivosos e letras certeiras. Neste universo musical, Jay é um cometa que evita apropriar-se de “tendências musicais” nem pegar carona no sucesso alheio. Estranhamente, consegue incomodar e gerar desconforto ao mass media: seu eco reverbera no inconsciente coletivo como antídoto aos ouvidos. Seja bem-vindo, Jay! 3


É uma honra tê-lo de volta ao cenário musical e poder entrevistá-lo! Gostaria que iniciasse fazendo uma breve apresentação para o público que ainda não o conhece: Muito obrigado pelo interesse e espaço. Acho que vale dizer que sou um artista brasileiro, nasci e moro no Rio de Janeiro. Constantes acontecimentos frequentes na cidade, parecem me pedir pra sair fora daqui. Uma violência diária lastimável. Sensação de insegurança total, abandono, esculhambação. Mas sou teimoso. Esse nome, Jay Vaquer, é realmente tudo que tenho no RG. Se fosse pra inventar algo, acho que teria pensado em algo melhor. Tipo Bruno Mars que é um bom nome inventado. Um Chris Saturn. Sei lá…kkk Muitos ainda não sabem, mas seu DNA musical vem de berço. Explica isso pra galera! Sim… Minha mãe é uma cantora que se chama Jane Duboc. Muito respeitada especialmente pelo músicos e maestros que mais entendem de música. Eles sabem entender, perceber o tamanho do talento, domínio e conhecimento técnico. Ela realmente sabe muito e tenho sorte, afinal, posso aprender bastante até hoje. Meu pai também é músico. Trabalhou como guitarrista e arranjador na década de 70 com Raul Seixas. Quais são suas maiores influências musicais e como você se define? Nacionais: Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Cartola, Renato Russo, Cazuza. Internacionais: Peter Gabriel, The Beatles, David Bowie, Martin Gore, Vince Clarke, Jeff Buckley… E claro que estou esquecendo mais uma porrada de 'Maiores influências”. Isso na música. Literatura, Teatro , Cinema… Diversas manifestações artísticas também exercem muita influência sobre aquilo que produzo. Me defino como um artista honesto, buscando expressar aquilo que realmente preciso expressar. Gosto de arriscar, experimentar caminhos pouco percorridos por mim. Acertando ou errando, mas sempre aprendendo e buscando evoluir.

4


Se pudesse dissecar sua obra como num todo, que palavra você usaria para representar?

Coência!

Uma curiosidade sobre o início de sua carreira musical: Antes de gravar seu primeiro álbum solo, Jay era cantor de uma banda cover, que tocava sucessos de Seal, George Michael, entre outros!

Como você lida com o sucesso? As pessoas o reconhecem facilmente? Sucesso pra mim não está na popularidade. Está na realização de algo que eu SEI que tem verdade, qualidade. Que perdura. Permanecerá relevante por muitos anos. Nada que faço é imediatista. Ignora completamente eventuais tendências, modismos. Sucesso é saber que vivo daquilo que amo fazer. Se fizesse qualquer outra coisa, estaria infeliz, frustrado. Como você consegue sobreviver somente de música? Já foi convidado a participar de outros projetos? Não é simples, mas possível. Grana entra com os shows, arrecadadora, editora, streaming… Não é uma vida de grandes confortos e AINDA não é uma vida de tranquilidade financeira. Nunca sei como será o próximo mês. Num mês, posso garantir as contas de quatro meses. E por quatro meses, posso ficar sem nenhuma grana. E assim tem sido. Não tenho décimo-terceiro, se fico doente, ‘fodeu’ e tal… Mas não trocaria minha vida por nada. Quais as canções mais pedidas nos shows? Não sei responder. Sempre pedem aquelas que ficaram de fora do set e claro que isso me deixa feliz. Cada vez mais músicas ficam de fora do set. Inevitavelmente. Sabe-se que a indústria cultural é preguiçosa ao insistir nas velhas fórmulas maçantes de hits e singles. Conta para a gente um pouco da sua vivência nesse mercado fonográfico! Assim, tenho que escrever uma novela. Duas décadas convivendo com muita gente bacana e muitos, mas MUITOS filhos da puta. Rende uma história interessante, que futuramente pode virar um livro. 5


V

ocê se considera um artista independente?

Isso vem do período em que as gravadoras exerciam um poder determinante no resultado de um lançamento fonográfico. E quem não tinha a gravadora, era “independente”. Já faz um tempo que isso perdeu o sentido. Mas buscando o sentido literal do dependente/ independente, como qualquer outro ar tista, dependo do interesse de um público pra justificar a existência do trabalho. Já precisou de alguma ajuda psicológica para não surtar? Você lida bem com sua atual condição artística? Quais são os recursos que faltam para alavancar novamente a sua carreira? Hahaha. Nunca busquei ajuda psicológica e devo ser um pouco surtado num grau que me permite seguir vivendo em sociedade. Aliás, a sociedade é surtada. Lido muito bem com minha condição artística. Gosto cada vez mais daquilo que produzo. Sobre “alavancar novamente”, quando é que ela foi “alavancada”? Você está falando do UM ponto de audiência que rolava na MTV? Fui seguramente um dos artistas nacionais de maior repercussão pelo DiskMTV , Top20. Isso entre 2001 e 2005… Mas seria isso o ápice da “alavancada”? Minha carreira NUNCA foi alavancada… E hoje, entendo que possivelmente, jamais será nesse sentido de sua pergunta. Nunca estarei num anúncio da Coca-Cola com a Ludmilla e a Simaria. Mas ao mesmo tempo, sinto minha carreira alavancada pra caralho naquilo que vem sendo realizado. Cada vez mais. Isso me realiza. Busco me superar. Na qualidade de composição, arranjo, gravação, execução… Nos músicos que gravam, na maneira como tudo é gravado, mixado. É uma delícia esse processo todo. Costumo dizer que gravar um cd é besteira. Qualquer um grava em casa e joga na internet. Poderia fazêlo diariamente nesse esquema. Quero saber o que se grava, como se grava, onde, com quem…. e é aí que começa a minha brincadeira MUITO séria. rs 6


Na sua opinião, porque os programas de televisão não te dão uma nova chance de estar no topo da cadeia?

Nem tão

são - 20

00

Essa pergunta pressupõe algo que não é verdade… “Nova chance” ?? Que nova? Que chance? O que me faria estar nisso que você chama de topo da cadeia (que está atrelado ao popular), está no perfil do que eu deveria realizar. As músicas que faço, do jeito que faço, automaticamente estão fora desse baralho. kkk...e tudo certo. O Rock brasileiro morreu ou está ressurgindo? Nunca morreu. Nem vai morrer. Pode não estar num momento de muito espaço no Mainstream, mas existe em quantidade e qualidade pra quem procura.

im M a Vendo o - 2004 Mesm

Você não Me Conhece - 2005 do n u M l e v á d i m For 7 Cão - 200

Zil a r B n i e v i aL 09 0 2 D DVD/C

De onde você tira tanta criatividade? Umbigobunker!? - 2011 Você se cobra muito? Certa vez, li que a criatividade precisa de exercícios tal qual um músculo como o bíceps. Pode ser isso… Sou muito malhado nesse sentido..kkk…. E tecnicamente, sei transformar uma fagulha num incêndio. Me cobro sim. Sou rigoroso comigo. Não abandono enquanto não estiver satisfeito… Mas depois disso, o mundo pode não gostar e ‘caguei’ pro mundo… Porque estou feliz com aquilo… Só lanço quando estou 100% satisfeito. 7

Antes da Chuva Chegar Transversões: Volume 1 - 2013

Canções de Exílio - 2016 La Guapa Payola - 2017 Lista dos Cd’s do cantor Jay Vaquer. Imagens retiradas da internet.


Suas composições são altamente ricas em musicalidade e apuro nos acabamentos, tanto instrumental quanto comercialmente. Já pensou em oferecer seu trabalho a outros artistas? Já pensei. Para tanto, é preciso que o artista manifeste esse desejo e que eu consiga respeitá-lo. Não faria isso somente por dinheiro. Vamos falar dos novos projetos? Em 2017, seu último trabalho foi um marco em sua carreira e muitos críticos enalteceram sua maturidade musical. Foi difícil produzir essa obra-prima sem custeio e lançamento em programas de grande audiência? Pode rasgar o verbo! Muito obrigado por pensar assim. “Canções de Exílio” é de 2016 na real. Em 2017, lancei uma coletânea de tracks que estavam de fora dos Cd's. O “La Guapa Payola”. Já o “Canções de Exílio”, realmente merecia mais repercussão. Faltou parar pra fazer uns vídeos. Colocar no Youtube. Faltou estratégia. Mas tá tudo bem… Ele está aí pra sempre e é isso que me tranquiliza. Você é um cantor nacionalmente conhecido. Qual é a relação de seus fãs espalhados pelo Brasil com sua agenda de shows? Como anda a sua agenda? Sou um cantor conhecido nacionalmente… Umas dez pessoas em cada capital do país. hahaha…Olhe…. Minha agenda não tem andado. Está deitada…de castigo. Preciso organizar o lançamento do CD deste ano. E depois do show de lançamento no RJ, espero que eu consiga fazer alguma coisa bacana pelas capitais. Do que você mais sente falta? Estádios com ingressos esgotados, aparições em programas de TV ou ser uma das grandes atrações em eventos de grande repercussão, como o Rock in Rio, Lollapalooza ou Festival Atlântida? Quero segurança financeira. Não ficar pendurando contas eventualmente, me afundando na porra do LIS, no rotativo do cartão, pagando juros bizarros. Isso seria maneiro que só. kkk O caminho é a expansão. Tudo que contribuir nesse sentido é salutar. 8


De uns tempos para cá, percebemos um Jay mais interativo nas redes sociais. Acompanhamos suas lives no instagram e nitidamente você tem respostas bem inteligentes e verdadeiras. Como você vê o futuro das redes sociais e como elas podem ser utilizadas de forma positiva para a difusão da cultura musical? Só preciso que isso não vire obrigação. Não tenho que tratar as redes sociais como palanque. Meu trabalho, feito um candidato e eu, com sorrisos e discursos impactantes, gritando “Vote nesse trabalho! Olhe aqui! Aqui!”, “Vote! Vote! Vote!” Fuck that. Sempre que eu realmente tiver algo para dizer, posso usar o espaço para tanto. O que quero fazer é alimentar um canal oficial no Youtube. Gravar vídeos de música com qualidade de áudio e imagem. Bora ver… Uma hora isso acontece.

Finalizando, quero agradecer essa troca de experiências contigo. Teria como dar uma palhinha do novo trabalho? Qual será a pegada e como podemos adquirir a mídia física? Muito obrigado! Um prazer. O novo trabalho chama-se “Ecos do acaso e casos de caos”. São algumas músicas extraídas de um musical que venho escrevendo faz muito tempo. É um trabalho de rock em 2018, no Brasil. Com muita qualidade. Pode adquirir no site www. jvaquer.com.br

Será que podemos aguardar uma turnê pelo Brasil? Q Tomara!! Vou me esforçar para tanto.

blogmundica@gmail.com

/jayvaquer /jayvaquer

/JayVaquerOficial/ www.jvaquer.com.br 9

Jay vaquer  

DONO DE UMA DAS VOZES MAIS INCRÍVEIS DO ROCK NACIONAL, JAY VAQUER CONSEGUE TRANSMUTAR ENTRE ESTILOS ROMÂNTICOS POP, ROCK'N'ROLL E MÚSICA...

Jay vaquer  

DONO DE UMA DAS VOZES MAIS INCRÍVEIS DO ROCK NACIONAL, JAY VAQUER CONSEGUE TRANSMUTAR ENTRE ESTILOS ROMÂNTICOS POP, ROCK'N'ROLL E MÚSICA...

Advertisement