Page 1

06 SUE ELLEN 18 ISILDA SANCHES 25 INAUGURAÇÃO SWEET 26 QUILL SHOW ROOM

QUEM NÃO VÊ CARAS VÊ PRODUÇÕES

DIGGIN’


“Do ponto de vista artístico, a moda não passa, em geral, de uma forma de felicidade tão insuportável que nos vemos obrigados a substituí-la a cada seis meses.”


capa quill quillograma.net

spin fanzine #004julho/agosto2009 revista gratuita de música, cultura urbana, festas, eventos e conteúdos SPIN

editorial edição

SPIN - Hino ao Talento Unipessoal NIF: 508 485 410 SPIN Management Rua José Elias Garcia nº611 2Dto 2775-218 Parede, Portugal 00351913 382 569 00351214 454 386

director

JoãoFernandes kamala@spin-management.com

publicidade JoãoFernandes kamala@spin-management.com

textos MikeStellarmyspace.com/mikestellar DjMaskarilhamyspace.com/djmaskarilha ButterflieSoulflowmyspace.com/butterfliesoulflow Hiumfotolog.com/hium DMarsmyspace.com/markorocaworld SueEllenmyspace.com/sueellendisco IsildaSanchesorádiooxigénio Cosmo VanessaOliveira

editor

MarkusLey markusley@spin-management.com

director de arte

MarkusLey markusley@spin-management.com

A reprodução de todo o material é expressamente proibída sem a permissão prévia da SPIN MANAGEMENT Todos os Direitos Reservados Copyright (c) 2009 SPIN


spin-management.com myspace.com/spinmanagement

fanzine online issuu.com/spinfanzine

índice

06 07 08 10 12 14

quill

mikestellar oconcerto

maskarilha

mypeoplepartIII

butterfliesoulflow oipodde

hium

secretwars

vanessaoliveira streetartatimv

16 18 20 25 26 28 30

d-mars

odisseiadovinilpartII

sueellen

quemnãovê carasvêproduções

cosmo fresh&co

isildasanches diggin’

inauguração sweet

vanessaoliveira mafaldapinto coffeebreak

charts


quillograma.net myspace.com/bruno_quill

//quill


Touros de Cascais - A chuva e o moscatel marcaram este concerto... o Billy Corgan a arrancar as cordas da guitarra. O resto não me lembro...

O concerto da minha vida são vários, consoante as fases e as estéticas por onde andei... Nunca se esquece o primeiro concerto a sério e esse para mim foi em 1989 no Coliseu com os The Pogues. Verdadeira festa contagiante com um Shane McGowan na sua melhor forma alcoólica e com direito a um número de alguém lhe roubar um anel de estimação e só recomeçar o concerto quando o mesmo lhe foi devolvido por alguém do público. Memorável! Philip Glass solo piano no CCB - nas galerias porque era o bilhete mais barato. A acústica daquela sala é tão boa que ouvi o concerto deitado na carpete. Ainda hoje penso que não poderia ter havido melhor opção. Mágico! Smashing Pumpkins @ Praça de

Jorge Palma @ Aula Magna ISCTE - o primeiro concerto que organizei. Com toda a inexperiência resultou num momento mágico para 300 pessoas numa sala que apenas levava 200. E-Z Rollers live @ ISCTE - A primeira vez que (ou)vi “música de dança” tocada. Ao ar livre, na minha faculdade. Inesquecível! Antibalas Afrobeat Orchestra @ Jazz Cafe - Uma atmosfera explosiva, num sítio mítico. A memória engana-me e diz-me que os meus pés não estavam no chão. Dançar do princípio ao fim. E haveria tantos mais... mas estes são os que me lembro de repente. Ficam histórias por contar para outro dia...

CS// “A chuva e o moscatel marcaram este concerto; O resto não me lembro” Deve ter sido da chuva...


MY PEOPL E PART 1Ii myspace.com/djmaskarilhA


PART 1iI Esta semana que passou fui surpreendido com algo que me chocou, talvez se estivéssemos numa cidade como S.Paulo no Brasil seria bastante normal e nem sequer passaria na televisão com tanta frequência, mas visto que até vivemos num pais brando de costumes e afastado de grandes confrontos, para o nosso bem, porque da forma que somos calmos, eu diria mesmo “medricas”, se sofrêssemos uma invasão como os países do Médio Oriente e Ásia sofrem tipo Israel a invadir a Faixa de Gaza, ou a China o Tibete, eu queria ver quantos de nós saímos à rua para defender o que é nosso, o país, o sítio onde vivemos, o bairro ou mesmo a nossa casa! Imagina por exemplo os Espanhóis a entrar por aqui como se isto fosse tudo deles, armados até aos dentes para tomar posse do país; o que farias? Lutavas com tudo o que te aparecesse pela frente, ou deixavas ser levado e acobardavas-te? Bem, passo a explicar: sábado cheguei ao barbeiro do Bairro, onde normalmente se junta muita gente e se fala do que se tem passado, discute-se ideias e até se conhece gente nova; estão a ver o esquema? Tipo mulheres no cabeleireiro, mas com menos “fofoca” e sem falar mal nas costas dos outros. Soube que na noite anterior depois de uma festa, grupos de jovens da área, mas de diferentes bairros entraram em confronto e acabaram da pior forma; pois o resultado foi a morte de um jovem com 18 anos. De certo que estão familiarizados com o sucedido bem recentemente. Sem querer tomar partido de algum dos lados ou opinião sobre o sucedido, eu apenas tenho a lamentar a perda e desta forma enviar os meus sinceros pêsames à família, passando de seguida para outro sucedido muito recente e que em ambos se ligam. Trata-se de uma reunião que tive numa instituição com a qual eu tenho proximidade e até amizade com algumas das pessoas que a cara dão para trabalhar em prol da comunidade e, como parte integrante dessa comunidade, exprimime com a preocupação de que tem de haver mais intervenção com estes jovens. Reforçar na prevenção (atenção, isto tudo antes do fatal incidente). Até

parece que se tem medo de abordar tais assuntos; eles ficam assustados e ofendidos com a ideia pré-concebida de que têm de me dar emprego nesta área, mas na verdade não fui lá pedir nada a meu favor, mas sim a pensar em melhorar o meio que me envolve (preocupado com pequenas situações que de futuro poderão ser grandes problemas como o de sábado de manhã). Por aoutras palavras, desresponsabilizam-se de tal tarefa e ainda afirmam que não precisam de jovens como eu, como o Duba e a Romana, que nascemos naquelas ruas e intervimos com toda a gente. Somos conhecidos como referência para muitos; decerto que em outros bairros existem líderes assim com tal influência. Pergunto: Afinal de que serve toda a nossa vivência naquelas ruas? E todo o tempo que perdemos a ajudar os outros? Somos conhecidos pelo trabalho de intervenção que fazemos, por vezes a tempo inteiro e sem remuneração, apenas exigimos que cada um faça a sua parte, por pequena que seja decerto que tudo junto já será uma grande mudança. Bem, voltando à reunião e para ser sincero até sai dela sem moral, como se as minhas ideias e força de vontade não fossem um passo importante para mudar mentalidades; talvez não... Senti que nem estão para aí virados. Imagina porquê!? Porque não tenho um diploma universitário! Por isso não me podem empregar; é justo!! De que me serve se depois a teoria não se aplica e já vi muitos com canudo que não se aguentaram neste tipo de andanças. Normal! É desnivelada a teoria com o facto de nunca terem trabalhado no terreno. Ou o simples facto de ali não pertencerem. É igual se morre mais um jovem ou se outro foi preso. No geral apenas têm que fazer o seu trabalho e ir para casa às 17h longe destes problemas sociais. Apontar números para serem discutidos por quem governa é a função de muitos. Não quero aqui desvalorizar o importante trabalho que fazem com a comunidade e até há muitos que o fazem com o coração. Apenas acho que não é o suficiente dada à constante necessidade que é trabalhar e instruir os jo-

vens e crianças que serão o amanhã. É cada vez mais preciso e menos levado em conta, como referi no primeiro texto; colocar mais polícias na rua não irá parar o crime. Falta o investimento nas pessoas, nas suas capacidades e ideias e dar ferramentas para aumentar as suas competências. Daqui a um ano não queremos ter a mesma mentalidade, mas sim pensar muito à frente. Vejam os partidos políticos quando se reúnem. Parece uma festa!! Estão no parlamento a discutir e a rirem uns dos outros, em constantes ofensas e piadinhas de assuntos sobre os quais exigimos respostas eficazes e menos palhaçadas. Foca-se tanto em números e esquece-se realmente o que é necessário e isso passa por ouvir o que as pessoas querem, pensam ou sentem necessidade. Se ainda não o fiz apresento-me como representante legal da comunidade, sou uma das vozes que se quer fazer ouvir e discuto por ideias, pelos meus interesses e por aqueles que as suas vozes não conseguem ser escutadas lá em cima, pois por onde vou levo o sítio que nasci cravado no coração; o bairro! E toda a minha vivência para me poder destacar naquilo que penso que sei fazer melhor e, se for na área onde vivo, de certeza que reconhecem o esforço que tenho feito, quando me abordam, comentam e perguntam por mais. Não interpretem mal pois não sou mais que ninguém, mas como alguém já afirmou, orgulho para quem se interessa por estas questões e forma de viver, estigma para quem a mentalidade continua fechada para o mundo em seu redor, afastando-se da realidade em sua volta. Eu não vou dar um passo atrás, para mim não existe limite ainda e enquanto me sentir apoiado irei lutar por isto. Acreditem, não é um discurso político, apenas histórias contadas na primeira pessoa. Comento situações que me preocupam, por isso estarei sempre por perto atento aos deslizes que são dados em meu redor e, exponho em forma de textos como este, pois de política quero longe estar, reconhecendo que bons líderes, mesmo políticos, existem e eu tenho uma prova disso bem perto de mim.


oiPodde

butterfliesoulflow

myspace.com/butterfliesoulfloW

#01

AmonTobim Bricolage

Supermodified

Out from out where

Permutation

O destaque que faço é ao Amon Tobin. Comecei a ouvi-lo sem fazer ideia de quem eram as músicas. São muito usadas pelas bailarinas de Fusion Belly Dance, e como eu também o danço apaixoneime rapidamente. Acho que tem a ver com o ambiente que transmitem, tem um tom sombrio e misterioso, às vezes parece que estamos no meio de uma floresta negra, outras vezes no meio de uma feira com carroceis e seres estranhos. O resultado é sempre eclético, sendo que as influências que ele usa vão desde a música brasileira ao Hip Hop, Drum n’ bass e Blues. Acho que gosto sobretudo por ser tão mágico e tão urbano, conseguindo também transportar-me para longe daqui num mundo de fantasia qualquer. Sou fã.

MENU

#02

YannTiersen BS Amélie Poulain

#03

QTip The Renaissance

#04

TroyVonBalthazar

I Block the Sounlight out

#05

#06

#07

#08

#09

#10

Propellerheads

JasonMrazs

#11

Beyoncé Video phone

JSquad

Tryo Je veux fumer

#12

DjShadow

KanyeWest 808s & Heartbreak

JazzLiberators

#13 EmilieSimon To the dancers in the rain

#14

Bjork Emotional Landscape

16 Patrice 17 Skream 18 Eminem

#15

ZapMamma Adventures in Afropea vol.1


kamalaconvida

agosto09

semana festival SW

noite

tarde

hugosantana

myspace.com/djhugosantana

se単orpelota

myspace.com/senorpelota

andyh

myspace.com/andyhspace

yugodee

myspace.com/yugo_dee

domingos

maskarilha djglue djtony markoroca

myspace.com/djmaskarilha

myspace.com/glue2099 myspace.com/djtonyportugal myspace.com/markorocaworld

clubedapraia.net


12


Secret Wars é um projecto de street art que nasceu em Londres, rapidamente se espalhou pelo Reino Unido, invadiu a Europa e prepara-se para invadir o Mundo! Lisboa será uma das próximas capitais europeias a receber este evento. Trata-se de uma batalha entre street artists onde todos dispõem das mesmas “armas”. Em Lisboa, teremos 3 artistas vindos de Londres e 3 artistas de Lisboa. As regras são comuns e aplicam-se a todas as Secret Wars: 90 minutos Marcadores pretos sobre tela branca Nada de esboços Nada de pinceis Nada de Latas Os vencedores da Battle são apurados utlizando um sistema de 3 pontos: O voto de 2 júris convidados e o voto do público (utilizando um medidor de décibeis); o que torna as coisas um pouco mais complexas. Já houve uma batalha Secret Wars entre portugueses e ingleses há 2 meses

em Londres, onde a equipa Portuguesa perdeu.. Ainda tivemos de desempatar pelo medidor de décibeis mas não tivemos hipóteses; acho eu por estarmos exactamente no país deles.. A Equipa portuguesa é composta por membros da LEG crew (HIUM, KLIT, MAR) e a equipa Inglesa denomina-se por MONOREX. Aproveitando a deixa e o tema, também vai ser criada uma residência de artistas de 5 a 10 de julho, em Lisboa. Vai ser a primeira residência de artistas dedicada ao graffiti alguma vez feita em Portugal. Durante uma semana, s3 writers ingleses e 3 writers portugueses irão preparar em conjunto uma exposição a inaugurar no mesmo dia em que decorrerá a primeira battle Secret Wars em Lisboa. Em jeito de curiosidade, a residência será um espaço onde se desenvolverão projectos, sem quaisquer limitações artísticas, onde se desfrutará de uma

forte componente de convívio enriquecida mutuamente pelo intercâmbio de experiências vividas e respectivas culturas. Vamos esperar para ver..

CS// “Secret Wars é um projecto de street art que nasceu em Londres, rapidamente se espalhou pelo Reino Unido, invadiu a Europa e preparase para invadir o Mundo!” Gripe suína style...

texto: HIUM scretwarslisbon.blogspot.com


Numa iniciativa única, a IMV e o Spazio Dual convidaram alguns graffiters a costumizar um carro. Durante um dia, alguns dos nomes mais reconhecidos do street art nacional, Add Fuel To The Fire, Dheo, Klit, Leonor Morais, Mar, Minimal Animal, Mosaik, Paulo Arraiano, Ram e Skran mostraram o seu talento e mudaram o aspecto exterior do carro de uma maneira invejável. Entre a escolha dos desenhos, o importante era todos fazerem parte da mesma tela onde desenharam sem pré-combinações – “foi acontecendo” - como disse Leonor uma das artistas.

“Não tivemos nenhuma conversa prévia, quando lá chegámos, sentámonos em frente ao carro e decidimos. Achámos que não deveria haver cor e, de seguida, decidimos que não íamos dividir o carro em quatro partes e cada um fazia a sua. Não! Cada um ia desenhando umas linhas e outro pegava nessas mesmas linhas e criava para a frente para que o trabalho fosse feito em conjunto.” Sobre esta iniciativa, Leonor elogia a marca e defende que devia haver mais eventos como este para divulgar este tipo de cultura urbana cada vez mais iminente na nossa sociedade.

“Foi interessante este convite. Nunca tinha pintado um carro, foi uma nova superfície, diferente. É um objecto tridimensional, como se fosse uma escultura. Temos que tentar apanhar o movimento do carro e, em conjunto, trabalharmos.” Sobre o resultado final, Leonor é reservada... “Gosto mais do processo do que propriamente do resultado final. Durante o processo estamos perante um DIÁLOGO SEM PALAVRAS, é um diálogo através de linhas e de repente já estamos todos a falar, mas de outra maneira.”


Texto: Vanessa Oliveira Fotografia: Ivo Cordeiro


ODISSEIA do vinil vol II

d-mars markoroca

myspace.com/marsianobeats myspace.com/rockymarsiano myspace.com/markorocaworld Data//23deOutubro Hora//15:56h Local//WaxWellRecords,Amesterdão

Hoje é o Taco quem está “de serviço” na Wax Well. O Taco é o dono deste esta-belecimento que é um espelho autêntico do seu criador. Para quem não sabe, é um dos DJs de funk mais respeitados e requisitados de Amesterdão. Consequentemente, a loja de um DJ assim, só pode ser a Meca do beat diggin´ na cidade dos canais. Nesta loja o que à primeira vista mais se evidencia, é o ambiente de “sala de estar” presente nas cores que ofuscam, na música que toca e no cheiro que paira. O “Olá” muitas vezes é substituído por um “Tomas um café?”, seguido de um “O teu costuma ser com leite, não é?” É assim que se constrói uma relação lojista-cliente que no mundo do diggin´ é imprescindível. Quando se anda à pro-

cura da batida perfeita, convém fazêlo num ambiente caloroso. Até porque não há nada mais quente que um break pesado ou um loop de baixo mágico. As conversas variam desde o gig de ontem à noite ao fascínio mútuo pela voz do Joe Bataan. O senhor Joe Bataan. Pela loja passam nomes míticos do universo dos “malucos do vinil”: Keb Darge, Olski, Peanut Butter Wolf, Madlib, Beni B, Amir, etc. E desde alguns meses, o produtor luso-croata chamado D-Mars…

S p a c e i s T h e P l a c e / / Newcleus(SunnyviewRecors) FunkYouUp//TheSequence(SugarHill) WakeUpEverybody//HaroldMelvin& TheBlueNotes(CBSRecords) CypressHill//CypressHill(RuffHouse) RockTheCasbah/TheMagnificentDance//TheClash(Epic)

“(...) não há nada mais quente que um break pesado ou um loop de baixo mágico.” Que o digam os pinguins! Qual aquecimento global qual quê....

CS//


myspace.com/sueellendiscO


Re-edit - acto de editar uma música, utilizando elementos estruturais de um tema original e realçando os aspectos considerados mais pertinentes. É sempre uma opção subjectiva e depende sempre da imaginação e o objectivo de cada produtor. Normalmente é feito por DJs e a sua edição é feita em pequenas quantidades e sob um pseudónimo. O projecto Sue Ellen nasceu da pesquisa musical em lojas de discos em segunda-mão. Na procura de sonoridades Jazz, Funk e Soul norte-americanos surgiu uma questão: Será que estas sonoridades foram produzidas em Portugal? Depois de consultadas várias pessoas, começou a tarefa de compilar o que foi feito no nosso país durante os últimos 40 anos. Não existem muitos álbuns específicos que abranjam estas estéticas musicais, mas existem experiências e temas perdidos. O potencial que alguns destes temas possuem para as pistas de dança é inegável e houve uma imediata tentação de ‘re-editar’ as músicas descobertas. Falamos de diversos nomes (Duo Ouro Negro, Rão Kyao, Cool Hipnoise, Né Ladeiras, Tora Tora Big Band,, Eugénia de Melo e Castro, Paulo de Carvalho, José Cid, Fernando Tordo, Miguel Graça Moura, Ananga Ranga, Heróis do Mar ou José Calvário, etc) que pertencem a diferentes gerações e estilos musicais, em que uns, num determinado momento, e outros, de uma forma coerente, utilizaram o Groove como expressão musical, fugindo ao consensual (?) Pop Rock.

Ao fim de 10 re-edits o resultado foi partilhado entre amigos, através de uma edição de autor. Não teve propostos comerciais e foi divulgado sobretudo junto do meio DJ. Mas a partir de certo momento adquiriu uma componente extra de divertimento. Inventar uma personagem que estivesse na origem destas recriações musicais, com o objectivo de suscitar uma maior curiosidade. Desenvolveu-se um conceito de personagem com uma vida atribulada. Seguiu-se a criação de uma imagem Sue Ellen - ver www.myspace.com/ sueellendisco. E, por fim, foi promovido junto da imprensa. A vida desta personagem foi elaborada de uma forma exageradamente ficcionada, sendo óbvio tratar-se de uma história inventada. Apesar de Sue Ellen ser uma personagem da série televisiva Dallas, adquiriu uma dimensão inesperada e cumpriu os pressupostos para o qual foi criada. Divulgar re-edits de música portuguesa. No entanto, o que se seguiu foi surpreendente. Desde a marcação de entrevistas (jornais, rádio, televisão) ao acreditar que a Sue Ellen existia e vivia em Portugal, passando por especulações sobre quem seria o produtor por detrás do projecto, foram diversas as reacções. Houve quem abordasse o tema de direitos de autor e da ilegalidade que estava a ser cometida, e em contraste, houve quem afirmasse tratar-se de uma original forma de criação, onde se destaca a descoberta de temas portugueses com um potencial desconhecido. … Das várias conceptualizações feitas à

volta de Sue Ellen, todas podem fazer sentido, mas foi, sobretudo, um exercício de marketing onde se comprova que o “circo” ajuda a promoção da música. Este processo contou com a colaboração de um designer, uma assessora de imprensa, um engenheiro de som e um manequim. Foram utilizados os softwares Sound Forge, Fruity Loops e Logic. A Sue Ellen está neste momento a trabalhar numa compilação de música portuguesa com influências de música negra – Soul, Afro, Jazz, Disco, Funk – que abrange o período dos anos 60 até à actualidade. Um especial destaque para o maestro José Calvário (rip). “Sue Ellen’s theme” é feito a partir de uma música sua – a ouvir no myspace. “Calvary”, integrado no último 12” polegadas de Dj Kaspar, sampla o tema de Sue Ellen. E assim se ligam os elos e recria uma música com 25 anos.

CS// “Ao fim de 10 re-edits o resultado foi partilhado entre amigos, através de uma edição de autor.” Eu tive direito a uma cópia... “Paixão, paixãaaaaaaoooo” resulta sempre!


RESH&CO

Mais uma edição e a viagem continua. Os nossos próxi- mos passageiros, Ivan Silva e Bruno Conceição, são os res- ponsáveis pelo pro jecto AllGoodThingsCome InPairs. Para quem não conhece, este projecto consiste num simples blog que espe lha e partilha os gostos pessoais, bem como toda uma cultura em que estes dois guerreiros urbanos se inserem. E quando falo de cultura, falo de todo um universo urbano em que todos nós, habitan tes de um meio cosmopolita, fazemos parte. Com isto, é feita uma forte abordagem ao street fashion, maioritariamente trabalhada na área do street wear, bem como numa paixão incompreendida por muitos, que são os snea kers. Contudo, certamente que o ecletismo de conteúdos nunca deixará os seus visitantes entediados. /HIGHLY RECOMENDED// Já com um ano de vida AGTCIP tem atravessado de dia para dia, barreiras fronteiriças no que diz respeito a visitas. Já existem vários seguidores pelo mundo fora, o que confirma os níveis de qualidade deste projecto que nasceu tão genuínamente. Nunca esquecendo do forte núcleo de inter venção nacional que tem sempre algum comentário na manga para os posts diáriamente pu blicados. Uma forte dose de informação é nos transmitida relativamente a áreas diversas que fazem parte das tendências actuais (streetwear, sneakers, música, street art, eventos..............) Fica aqui uma sugestão para acrescentarem nos vossos favoritos, porque certamente encon trarão algo com que se identifiquem. E em jeito de pensamento do dia; sintam o verdadeiro significado de dedicação e persistência com estes dois senhores. E acima de tudo, continuem a fazer o que vos der na cabeça e estimulem a vossa criatividade. Ha verá sempre alguém do outro lado do mundo que se vai identificar com o que fazem; ou talvez, esse alguém está mesmo na porta ao lado e vão conseguir ouvir o som do bater de palmas. /PS// Antes de saírem de casa, verifiquem se têm os atacadores bem postos e a roupa bem engomada e passem na Rua do Norte (Bairro Alto) para visitar esta malta. Quem sabe, serão os próximos a aparecer no blog!


FRE “(...) sintam o verdadeiro significado de dedicação e persistência com estes dois senhores.” E não se baldem ao trabalho por noitadas, copos e subitos surtos virais que só não impossibilitam passeios na baixa com a mnamorada...

CS//

allgoodthingscomeinpairs.blogspot.com


agenda

djglue

kamala

ruimurka

josébelo

markoroca

soulflowdj’s

mc’s

virgul

dinosoul

jeff

knowledje

live

mundocomplexo rockymarsiano

butterfliesoul flow

pink

dj’s

julho09

maskarilha

vanessaoliveira

ritaandrade

orsifehér

nunoeiró

nunopardal

mikestellar

djkwan

djtony

invaders

dino&the soulmotion

cláudiaborges

lilianacampos

sylviedias


semana

01

qua 1

qua 1

qui 2

sex 3

sab 4

sab 4

soulflowdjs

josébelo

ruimurka

josébelo

kwan/glue

kwan

lisboa

lisboa

lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

sushi lounge lisboa

lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

casino lisboa rádio oxigénio

fresh bash espaço interpress

r&b sessions praia cabana do pescador costa da caparica

sab 4

kamala/glue sweet lisboa

qua 8

semana

02

josébelo

sushi lounge lisboa

sáb 11

03

qui 9

maskarilha kwan/dino casino lisboa mtv insomnia rádio oxigénio sweet

hot five

musicbox

sex 17

porto

lisboa

estado líquido + sweet

qua 15

qua 15

qui 16

qui 16

josébelo

glue

kwan

dinosoul

kwan

lisboa

lisboa

lisboa

sushi lounge lisboa

lisboa

sweet lisboa

sex 17

sáb 18

sáb 18

dinosoul

mundo complexo

kwan

porto

aveiro

music box

lisboa

casa da música

muralhas

sex 10

sáb 11

lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

dino&soulmotion kamala

sáb 11

lisboa

kamala

sex 10

mikestellar

lisboa

mikestellar kamala

ajuda-belém

sex 10

lisboa

maskarilha

ter 14

semana

qui 9

óbidos

estado líquido lisboa

r&b sessions sweet

acústico soul club

sáb 18

dom 19

kamala

mundo complexo

sweet lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

festival da maia maia

semana

04

qua 22

qua 22

qui 23

sex 24

sex 24

sex 24

josébelo

dinosoul

kwan

ruimurka

mikestellar

virgul

lisboa

lisboa

lisboa

póvoa

vila real

sushi lounge

05

r&b session

tba

celorico basto

sáb 25

dom 26

dom 26

kamala

mikestellar dinosoul

mikestellar

kamala/maskarilha

lisboa

vila real

lisboa

zambujeira do mar

sweet

kamala

dom26

dali daki

sáb 25

ter 28

semana

onda jazz

tba

festival out jazz

qua 29

qui 30

qui 30

josébelo

kwan

josébelo

lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

sushi lounge

sex 31

sex 31

sex 31

josébelo

virgul

kamala

lisboa

lisboa

lux

lisboa

lisboa

lisboa

op art

r&b sessions sweet

noobai

abrantes

varanda das amoreiras lisboa

clube da praia

sex 31

sex 31

ruimurka

mikestellar

lisboa

lisboa

frágil

music box


agosto09 semana

01

sáb 1

sáb 1

sáb 1

dom 2

kamala

ruimurka

kwan

kamala/glue kamala/kwan

kamala

lisboa

lisboa

algarve

zambujeira do mar

zambujeira do mar

sweet

qua 5

qua 5

kamala

josébelo

clube da praia zambujeira do mar

02 03 semana

04

lisboa

clube da praia

qui 6

qui 6

sex 7

sáb 8

kamala / josébelo

ruimurka

kamala

josébelo

zambujeira do mar

s.pedro moel

zambujeira do mar

lisboa

clube da praia

casino lisboa rádio oxigénio

sáb 8

dom 9

maskarilha

kamala

kamala/ruimurka

lisboa

zambujeira do mar

zambujeira do mar

clube da praia

seg 10

ter 11

glue

kamala

zambujeira do mar

clube da praia

clube da praia

spot

clube da praia

qua 12

qui 13

sex 14

sex 14

josébelo

josébelo

maskarilha

dinosoul

lisboa

algarve

lisboa

melgaço

casino lisboa rádio oxigénio

sushi lounge

sáb 15

sáb 15

sáb 15

sáb 15

dom 16

dom 16

kamala

maskarilha kwan

josébelo

maskarilha

kamala/djtony

lisboa

lisboa

tba

lisboa

zambujeira do mar

hit

póvoa do varzim

bloop vs connect ccb - belém

a.s2

lisboa

sweet

qua 19

semana

sushi lounge

ter 4

clube da praia

tba

sáb 8 tba

semana

lux

seg 3

josébelo

sushi lounge lisboa

ccb - belém

lux

lisboa

neopop after pty ccb - belém

clube da praia

qui 20

sex 21

sex 21

sáb 22

dom 23

kwan/glue /virgul

kamala

kwan

kamala

kamala /markoroca

sasha beach

manta beach

manta rota - algarve

casino lisboa rádio oxigénio

sweet lisboa

lisboa

portimão

clube da praia zambujeira do mar

qua 25

qua 26

qua 26

qui 27

sex 28

sex 28

kamala

josébelo

dinosoul

dinosoul

ruimurka

josébelo

lisboa

vilamoura

portimão

lisboa

lisboa

casino lisboa rádio oxigénio

sushi lounge

solo aqua

lisboa

sáb 29

sáb 29

seg 31

kamala

josébelo

soulflowdjs

vila do conde

lisboa

sweet lisboa

azurara beach casino lisboa party rádio oxigénio

solo aqua

frágil

op art


DIGGIN’ E2E4 BY MANUEL GOTTSCHING LABEL: MG.ART Não vou dizer que é o meu disco preferido de sempre, mas é dos que me dá mais gozo ouvir de uma ponta à outra - talvez porque é um contínuo de 59.20 minutos. E2 E4 é um disco de Manuel Gottsching, guitarrista dos Ash Ra Tempel, grupo de rock alemão da década de 70 que os adeptos do progrock veneram. Hoje em dia não há muito quem venere progrock, é verdade, e os que o fazem estão quase todos do lado de quem produz (Lindstrom, Dj Harvey, Prins Thomas e outra  gente igualmente respeitável) mais do que de quem ouve, mas em 1981 quando foi gravado (num só take) e em 1984 quando saiu, o rock progressivo ainda tinha muitos adeptos, mas nem o facto de ser uma das cabeças mais respeitadas do género salvou Gottsching da incompreensão absoluta. E2 E4 (nome de uma jogada de xadrez) era tão estranho que precisaria da club culture para fazer sentido e foi quando as festas de Ibiza começaram a chamar gente de todo o mundo para uma co-

munhão dançante com vista para o pôrdo-sol, na segunda metade dos anos 80, que o disco, uma longa faixa que se desenvolve numa progressão lenta e hipnótica, brilhou como merecia. Ainda que por via de outros. Em 1989 uns italianos resolveram aproveitar partes do disco de Gottsching e fizeram Sueño Latino, música que ficou como marca da época de ouro de Ibiza. Esse foi o momento em que E2 E4 se revelou, mas mesmo assim a muito poucos porque o disco continuou o que sempre fora, uma obra obscura, sem expressão de mercado, quase sem referências críticas, um culto desconhecido. Foi preciso chegar ao momento actual para que E2 E4 se afirmasse como um dos maiores discos de sempre (em sentido figurado e literal). James Murphy, por exemplo, inspirou-se nele para fazer o seu 45.33 para a Nike (e nalgumas partes soa mesmo como ele, sobretudo na que foi aproveitada em Someone Great, de Sound Silver do Lcd Soundsystem). E2 E4 foi reeditado há um pouco mais

de um ano, quando se cumpriram 25 anos sobre a sua edição original. Foi nessa altura que arranjei o meu. Acompanha-me em viagens, ajuda-me a pensar, arrumar a casa e não fazer nada. É bom para festas em grupo ou solitárias, alimenta a cabeça e o espírito e conta uma história incrível sobre a música e os seus caminhos insondáveis. Minimal nos recursos, (guitarra, sintetizador e pouco mais), dopante no efeito, luminoso na natureza, E2 E4 é uma trip sonora como poucas. Um disco perfeito para tardes de calor. Durante uma hora viajamos para outro sítio, sem sair do lugar. E a brisa sopra…

CS// “(...) ajuda-me a pensar, arrumar a casa e não fazer nada.” Um disco que ajuda a não fazer nada? Em Portugal habitualmente não é preciso ajuda... Estrangeirices!


ESPAÇO BBC


coffeebreak vanessaoliveira

mafaldapinto Neste mês, e aproveitando o facto da PINK SPIN se associar à Loft Elite, decidi conversar com a actriz Mafalda Pinto, um rosto já conhecido do nosso país e que descobri, tem gostos muito interessantes sobre música. “Acho que música portuguesa tem cada vez mais qualidade, por exemplo, dois dos últimos cd’s que comprei foram Buraka Som Sistema e Rita Red Shoes. Mas adoro Madonna desde que me conheço. Aos 4 anos já sabia algumas letras porque o meu pai tinha os cd’s todos em casa e no carro. Foi o vício que lhe herdei. É a minha cantora de eleição e ver o concerto dela em Lisboa foi uma sensação única. VO – Se te pedissem para cantar, por exemplo, por motivos profissionais… cantarias? MP – Não sei… Canto muito mal mas isso não me impede de cantar quando vou sozinha no carro…por acaso tenho que comprar umas colunas melhores que as que tenho no carro. No carro ouço sempre música: Jason Mraz e Mika, por exemplo.

VO – Aprendeste a tocar algum instrumento? MP - Não sei tocar nenhum instrumento, acho mesmo que não tenho muito ouvido para a música. (risos) VO – E à noite, gostas de sair? MP - Não adoro ir para discotecas mas quando vou gosto muito de dançar Dance Music. VO – E no Verão? MP – No Verão é diferente!! Está calor e toda a gente gosta de ir para a rua. Por exemplo, para quem está em Lisboa no Verão, nada melhor que o novo espaço, o Sweet. Ao ar livre e com boa música para desfrutar. No sul, para quem pode ir até ao Algarve, gosto de espaços como o Sasha por ser na praia. VO – Sei que és praticante e viciada em desporto, a música também entra nesse vício? Tenho ipod porque quando corro, todos os dias, levo uma selecção de músicas que me ajudam a correr. Às vezes dou por mim a cantar enquanto corro. (Risos) VO – Portugal é um país de muitos concertos, costumas ir?

pinkspin

MP – Sim, costumo ir a alguns, quando tenho tempo por causa das gravações. O último concerto que fui foi a da Beyoncé. VO – E os festivais de Verão? MP - Não sou grande fã de festivais de Verão, mas acho que este ano vou ao Optimus Alive. Gosto de algumas bandas e é um bom concerto, perto de casa e com boa onda! Obrigada Mafalda por partilhares este coffee break comigo!

“Canto muito mal mas isso não me impede de cantar quando vou sozinha no carro...” Fecha as janelas rouxinol!

CS//


models

people

actors

stars

www.loftmodels-eliteportugal.com

talents


CHARTS 1//A day in the life//The Beatles 2//Lizstomania//Amadeus Wolfgang Phoenix 3//My favourite things//John Coltrane 4//Don’t hate//Evidence 5//How soon is now?//The Smiths

1//Pon di floor//Major Lazer 2//Triple Play//Drop Top 3//Get off (Jack Beats Remix)//Blaqstarr 4//Feel for you (Calvertron Remix)//Chaka Khan 5//Step off//Blatta & Inesha feat Congorock

DROP TOP 1//Bagpipes from Baghdad//Eminem 2//Fire//B-REAL/Damien Marley 3//So far So good//SKILLZ/Common 4//Johnny is dead//Q-tip 5//Take off the blues//The Foreign Exchange

DJ BOMBER JAC

K

1//Let’s take off//Dâm-Funk 2//Rushing to paradise//House of House 3//Elden street//Martyn 4//Adonai//JC Freaks 5//In for the kill (Skream Remix)//La Roux

KASPAR


JUKEBOX JUL.009

MAJOR KAMALA BELITA JOAOMARIA KWAN YUGODEE LUISPATRAQUIM BRUNOSAFARA CARLAMENITRA RIDE SENORPELOTA HUGOSANTANA LUCIOMONTEIRO DIOGOPIRES ISILDASANCHES KAMALA PEDRORICCIARDI MARIOVALENTE LAD

JUKEBOX AGO.009

MASKARILHA HUGOSANTANA LAD DIOGOPIRES ISILDASANCHES ALCIDES BELITA JOSEBELO YUGODEE LUCIOMONTEIRO FRANCISCODINIZ BRUNOSAFARA KAMALA PEDRORICCIARDI SENORPELOTA KWAN LUCIOMONTEIRO ANDYH SOULFLOWDJ’S

SEG13 TER14 QUA15 QUI16 SEX17 ARENALOUNGE SAB18 DOM19 SEG20 QUA1 SOULFLOWDJ’S TER21 QUI2 RUIMURKA QUA22 SEX3 JOSEBELO QUI23 SAB4 MIGUELKELLEN DOM5 FRANCISCODINIZ SEX24 SAB25 DOM26 SEG6 ALCIDES TER7 MARYB SEG27 QUA8 RAI TER28 QUI9 MASKARILHA SEX10 PANSORBE QUA29 SAB11 LUCIOMONTEIRO QUI30 DOM12 NUNOLEOTE SEX31 QUI13 SEX14 SAB15 DOM16 SEG17 ARENALOUNGE TER18 QUA19 SAB1 MIGUELKELLEN QUI20 DOM2 NUNOLEOTE SEX21 SAB22 SEG3 MAJOR DOM23 TER4 RIDE QUA5 CARLAMENITRA SEG24 QUI6 RUIMURKA TER25 SEX7 YUGODEE SAB8 LUCIOMONTEIRO QUA26 QUI27 DOM9 LUISPATRAQUIM SEX28 SEG10 ALCIDES SAB29 DOM30 TER11 KAMALA QUA12 MARIOVALENTE SEG31

DESEGUNDAASEXTA

19H//20HNARÁDIOOXIGÉNIO /102.6


SPIN FANZINE #4  

PORTUGUESE MUSIC, ENTERTAINMENT AND URBAN CULTURE FANZINE BY "SPIN MANAGEMENT" (MYSPACE.COM/SPINMANAGEMENT)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you