Issuu on Google+

ANO V - Nº 25 - NOVEMBRO | DEZEMBRO 2011

Feliz Natal! E um Ano Novo repleto de realizações

Office: início da entrega

Balanço 2011 e expectativas para 2012

S ÃO BER NA R DO DO CA MPO S ÃO CA R LOS • CA MPINA S


ÍNDICE

CONVERSA ESCRITÓRIOS BALANÇO 2011 INFRAESTRUTURA ASSOCIAÇÃO NATUREZA VIVA PAINEIRA-ROSA ESPECIAL DE NATAL ARQUITETURA GARIMPO ENTREVISTA TURISMO SUSTENTABILIDADE GIRO POR CAMPINAS GASTRONOMIA

06 08 12 18 20 24 26 28 32 36 38 42 44 47 48

Seção de cartas / Espaço do leitor Office: início da entrega 2011: um ano de importantes conquistas para o Swiss Park Conforto e segurança nas avenidas do Swiss Park Trabalho e dedicação durante todo o ano Você já viu? Árvore-símbolo ganha selo comemorativo Época de união e confraternização Ecologicamente correta O meio ambiente agradece No mundo da fantasia O Natal de luzes e cores de Gramado! Mantenha a casa limpa e o planeta também! Natal, época de presentear! Torta de panetone

EXPEDIENTE Revista Swiss Park é uma publicação da AGV Campinas Empreendimentos Ltda. Diretor Responsável: Ricardo Anversa Design Gráfico: Charles de Souza Leite Revisão: Marco A. Storani

Editorial: Newslink Comunicação. Jornalista Responsável: Raquel Mattos - MTb 26.865 Textos: Élcio Ramos, Raquel Mattos, Andréa Barbieri Pagotto, Carolina Pimentel, Janaina Nascimento, Michele Médola e Talita Mollar. Fotos: Celso de Menezes.

Leia a Revista Swiss Park no www.revistaswisspark.com.br Fale com a gente: editorial@revistaswisspark.com.br Anúncios: comercial@revistaswisspark.com.br

Foto “Natureza viva”: As corujas-buraqueiras

Foto da capa: feita em novembro de 2011,

foram fotografadas pelo morador Fernando

mostra a entrada do Swiss Park Office.

de Oliveira Rocha. Fotos “Turismo”: Cleiton

Todos os direitos reservados. Proibida a

Thiele, cedidas pela assessoria de imprensa

reprodução sem autorização prévia da editora.

da Prefeitura de Gramado-RS. Fotos “Giro por Campinas”: cedidas pelas administrações das feiras: Luiz Granzotto – Feira de Artesanato de Campinas; Carlos Bassan – Villa das Artes; Feira de Artesanato do Castelo – divulgação.

A Revista Swiss Park não se responsabiliza por produtos ou serviços anunciados.

03


EDITORIAL

Hora do

balanço!

ano voou. Todo mundo sente isso. No momento de fechar esta edição da Revista Swiss Park, em meados de novembro, nos deparamos com a procura de um Papai-Noel para estampar a capa. Foi então que percebemos que 2011 já começava a nos dar adeus. Muita gente encara essa fase do ano como um tempo de balanço. De pesar o que já passou, o presente e o que está por vir. Algumas pessoas costumam fazer listas que incluem trabalhar menos, visitar mais a família, praticar um esporte, ir à igreja, não estressar no trânsito, fazer uma dieta, arrumar o jardim da casa. As promessas costumam ir de coisas simples, cotidianas, até grandes desafios para a alma. Seguindo esse preceito e as edições da Revista dos anos anteriores, trazemos, neste número, um balanço do Swiss Park: dos acontecimentos que marcaram 2011, números de vendas, de famílias moradoras e de obras em andamento. Destaque para o início das operações do Viaduto Carlos Gomes e o início da entrega do Swiss Park Office. Além disso, abrimos espaço para que cada uma das 12 associações, de cada um dos residenciais já entregues, pudesse apresentar o que foi feito no ano que se encerra e o que pretende para 2012. A AGV Campinas Empreendimentos, loteadora do Swiss Park, também contou o que almeja para o ano que vai se iniciar daqui a pouco. Portanto, nesta edição pulsa o sentimento de dever cumprido e de expectativa. Inspirador foi observar o entusiasmo das famílias

que se mudaram neste ano para o Swiss Park e que começavam a organizar sua primeira ceia de Natal na casa nova. Fomos recebidos na casa de quatro dessas famílias que nos contaram como será a noite de celebração do nascimento de Jesus. Tudo muito sincero, amoroso e recheado de carinho. Cheia de capricho também é a cozinha de Simone Ferigato, moradora do Biel, que abriu seu caderno de receitas de sobremesas para a Revista. Simone, doceira de mão cheia, deu uma dica deliciosa para adoçar o Natal da família Swiss Park. Neste fim de ano, os moradores e futuros moradores do Swiss Park tiveram também a oportunidade de ajudar a quem precisa, com a campanha de arrecadação de brinquedos em prol do Natal das crianças do bairro Nossa Senhora Aparecida, perto de Viracopos, em Campinas. Até o fechamento desta edição, muita gente já tinha contribuído e nós já iniciávamos a organização do evento de entrega dos brinquedos, com a presença do esperado Papai-Noel. Afinal, diz a lenda que o bom velhinho não se esquece de ninguém. A todas as pessoas que ajudaram na campanha, nosso muito obrigado e, na primeira edição de 2012, traremos toda a cobertura do evento. Mais do que ajudar as crianças, fizemos com que o Natal de todos nós fosse mais solidário e, acima de tudo, mais verdadeiro. Enfim, o tempo mais gostoso do ano chegou! Então, queremos desejar a todos um Natal cheio de luz e um 2012 de muitas realizações, sucesso e prosperidade. Boa leitura! Feliz Natal! Feliz 2012!

04


CONVERSA

ÚLTIMA EDIÇÃO

As crianças gostaram muito da matéria Brincar, brincar e brincar... até cansar, publicada na última edição. Mostraram para os amigos, na escola, para os parentes. Nós, pais, estávamos ansiosos e vimos a Revista pela internet, antes mesmo de a recebermos impressa. Foi a maior farra! LEILA LOIOLA GOBBO ZÜRICH

Saúde: infertilidade

Brinquedos para o Natal (1)

Zelo com as informações

Gostaria de dar meus parabéns pela matéria Doutor, quero um bebê! publicada na última edição da Revista. É um assunto delicado de ser tratado com os casais que passam por esta situação. Gostaria de sugerir a continuidade da matéria, falando não sobre a infertilidade, mas sobre casais férteis, que conseguem engravidar até com certa facilidade, mas que por diversos motivos não conseguem levar a gravidez adiante e acabam caindo no que é chamado “aborto de repetição”.

Parabéns pela sensibilidade da Revista! No vilarejo onde morávamos, há 50 anos, foi feita uma campanha como a que a Revista está fazendo. Por incrível que pareça, todo Natal eu me recordo da campanha. Pode contar com o meu presente!

Gostei muito do resultado da matéria, fruto da entrevista que concedi à repórter Michele Médola (Edição 24 - Em Busca do ideal). Michele mostrou, mais uma vez, ser muito zelosa com as informações e ter excelência no que faz. É de fundamental importância o que a Revista Swiss Park faz: abrir espaços para profissionais habilitados para que possam compartilhar seus conhecimentos com o público.

WANDA PATROCINIO ZERMATT

Natureza: diferencial Visitei o empreendimento e, confesso, fiquei surpresa com a qualidade de vida disponível aos moradores. A natureza é muito presente no Swiss Park e esse é, sem dúvida, seu maior diferencial. Gostei muito! MIRIAM PASCOAL PEDAGOGA - CAMPINAS

EU LEIO A REVISTA SWISS PARK O que mais me chama a atenção é a evolução do Swiss Park e isso a Revista mostra muito bem. Além disso, a cada edição traz assuntos diferentes sem deixar de ser um perfeito informativo para nós, moradores. A interatividade da Revista permite sempre a nossa participação. LUIZ HENRIQUE G. DUARTE ZÜRICH

06

LINA DE CAMARGO BADEN

Brinquedos para o Natal (2) Sou morador do Fribourg e fiquei muito contente com a oportunidade de utilizar uma data tão bonita como é o Natal para presentear as crianças que tanto precisam de carinho, atenção e amor. Parabéns! RODRIGO MORALEZ FRIBOURG

DÉBORA PINHEIRO FRAZATTO ARQUITETA

ESPAÇO DO MORADOR Seja bem-vindo! Queremos saber sua opinião sobre as reportagens da Revista Swiss Park e queremos receber sugestões para as matérias. Envie seus comentários pelo e-mail: editorial@revistaswisspark.com.br A redação se reserva o direito de publicar as cartas que couberem em nosso espaço e de adaptar as mensagens sem alterar seu conteúdo.


ESCRITÓRIOS

Office:

início da entrega Raquel Mattos

Proprietários começam a receber as chaves de seus escritórios e lojas. Primeira assembleia está planejada para janeiro, quando será instituído o condomínio

A

AGV Participações iniciou, no mês de novembro, a entrega dos escritórios do Swiss Park Office aos proprietários. A entrega técnica disponibiliza as salas para que possam ser iniciadas as obras de acabamento, como instalações de aparelhos de ar-condicionado, iluminação e decoração. O condomínio oferece toda estrutura de funcionamento, contemplando, por exemplo, segurança, limpeza e conservação de jardins. Para executar

08

os serviços de administração do condomínio de escritórios, a AGV contratou a empresa Invest Imóveis, referência no mercado corporativo da Região Metropolitana de Campinas. O Grupo Invest foi fundado em 1996 e possui consolidada experiência no segmento. Além disso, nos próximos dois anos, a AGV permanece como síndica do empreendimento. Assim, conjuntamente, as duas empresas ficarão à frente do gerenciamento patrimonial do Office. A AGV informa que a assembleia para instituir o condomínio, deve acontecer

até o fim de janeiro, dependendo dos trâmites internos das concessionárias de água e luz da cidade, além dos bombeiros e da Prefeitura de Campinas. “Acreditamos que até janeiro todo esse processo esteja validado e poderemos ter a primeira assembleia dos condôminos do Office”, diz Ricardo Anversa, diretor da AGV Participações. Nessa fase é que serão apresentados os estudos para os valores mensais da taxa condominial. Ainda no mês de novembro, outra novidade foi a consolidação do Código de Endereçamento Postal (CEP) do condomínio, já implantado pelos Correios. O número é 13049-900. “Recebemos diariamente muitos proprietários de salas que vêm pessoalmente ver o acabamento das obras; algumas dessas pessoas já moram no Swiss Park e estão ansiosas para trazer seus escritórios


Entrada do edifício Locarno, pronto no mês de novembro

para próximo de suas casas, o que vai facilitar muito suas vidas”, comentam os engenheiros responsáveis pelo Office, Nilo Carneiro de Novaes e Paulo Augusto Dutra. Os edifícios começaram a ser entregues na seguinte ordem: Andermatt, Locarno, Vernier e Altdorf, já concluídos em novembro. Depois, segue a entrega, em dezembro, do Zug e Santis. Por fim, será a vez do Flims. Segundo os engenhei-

ros, este último possui uma área de paisagismo interno grande, que requer acabamento mais demorado, além de ter uma ampla praça de alimentação. O planejamento é que todos os sete prédios estejam aptos a ser entregues até janeiro de 2012. O pórtico de entrada do Office está finalizado. Sistema de monitoramento de segurança está em fase final de implantação, com a instalação das últimas

câmeras e cancelas. “Calçadas de acesso e divisas estão todas terminadas”, afirmam os engenheiros. Eles dizem também que a iluminação direcionada dos jardins também está finalizada, assim como todo o projeto paisagístico. Até o fechamento desta edição da Revista (23 de novembro), cerca de 210 pessoas trabalhavam no Office para garantir as programações das entregas.


ESCRITÓRIOS

Recepção finalizada do edifício Locarno

Números do Office A área total reservada para o condomínio de escritórios Swiss Park Office é de 141 mil metros quadrados. No total, serão 973 salas comerciais distribuídas em 12 edifícios. As salas possuem diferentes metragens, sendo que a estrutura dos pavimentos permite junções que podem configurar até dois mil metros quadrados de laje. Cada prédio contará com um centro de convenções e terá recepções independentes. São 51 elevadores no total e 2.809 vagas de garagem. Há também a área de conveniência com 30 lojas, com infraes-

trutura para estabelecimentos comerciais de vários segmentos, como cafés, papelarias, restaurantes, entre outros. O destaque é a alta tecnologia empregada nos equipamentos de segurança do Office, com itens como monitoramento eletrônico, vigilância 24 horas e portarias com acesso controlado. A primeira fase do condomínio, chamada de parte leste, que começou a ser entregue em novembro, contempla sete prédios: Zug, Flims, Santis, Locarno, Andermatt, Vernier e Altdorf. A parte oeste do condomínio, que abrigará os edifícios

Bienne, Sion, Sierre, Liestal e Olten, tem data prevista de lançamento para o primeiro trimestre de 2012. Todos os prédios do Office receberam o nome de localidades suíças, seguindo o padrão do complexo urbanístico Swiss Park. Também como os residenciais, a segurança, a natureza, a conveniência e a localização do condomínio de escritórios são pontos que diferenciam seu projeto de qualquer outro em toda a região.

Edifício Altdorf, também concluído em novembro

10


BALANÇO 2011

2011: Carolina Pimentel e Michele Médola

Grandes acontecimentos marcaram o complexo urbanístico

12

F

altam apenas alguns dias para selar o fim de 2011. Um ano de importantes acontecimentos no Swiss Park, a começar pela finalização de uma grandiosa obra que deu ao empreendimento uma nova entrada: o Viaduto Compositor Carlos Gomes. Além de facilitar o acesso ao maior complexo urbanístico do interior do Estado de São Paulo, a cidade de Campinas também foi privilegiada. “O viaduto aumentou a visibilidade do Swiss Park e facilitou a passa-

gem dos moradores. Sem dúvida foi uma importante realização que trouxe a todos mais uma comodidade e uma admirável ferramenta ao município”, afirma Ricardo Anversa, diretor da AGV Campinas Empreendimentos, loteadora do Swiss Park. Mas a entrega do viaduto foi apenas o início das muitas realizações que aconteceram no Swiss Park e mudaram o cenário do local. A entrega do Arosa, o 12º dos 17 residenciais que integrarão o Swiss Park, a ins-


um ano de importantes conquistas para o Swiss Park talação da Associação Master, o lançamento do residencial Basel, o novo plantão de vendas, a finalização de 90% de toda a infraestrutura do local e, por fim, a maior realização de 2011: o início da entrega da primeira fase do Swiss Park Office. Nas páginas anteriores da Revista há uma matéria especial sobre o condomínio de escritórios, que traz um conceito inovador para o mercado de Campinas. As construções das casas merecem destaque. As obras estão cada vez mais rápidas e hoje

há quase 250 famílias morando no local; isso é 195% a mais que 2010. No dia 31 de outubro, 1.326 projetos de obras estavam em andamento e a perspectiva é que até o final de dezembro cerca de 80 deem entrada no Departamento de Projetos e Fiscalização do Swiss Park. A cada dia o complexo urbanístico ganha mais vida e em 2012 promete muito mais.

A maior realização de 2011: o início da entrega da primeira fase do Swiss Park Office Foto panorâmica mostra os residenciais Vevey e Fribourg, além da portaria do Genève ao fundo. Hoje, quase 250 famílias moram no Swiss Park

13


BALANÇO 2011

As obras estão cada vez mais rápidas e hoje há quase 250 famílias morando no empreendimento

Acima da média

São quase 1,4 mil projetos de obras em andamento. Estima-se que, até o final de dezembro, outras 80 deem início

14

Com cinco milhões de metros quadrados, o Swiss Park Campinas é quase uma cidade. Só que melhor. Seu planejamento urbanístico foi minuciosamente idealizado para que seus moradores tivessem tudo sem ter de sair do local. Toda a infraestrutura necessária, com excelente localização, conveniência, lazer, área verde e segurança, resultou em uma valorização acima da média. Em 8 de abril de 2006, o primeiro lote vendido custou R$ 200,00 o metro quadrado e hoje, em 2011, o valor chega a

R$ 500,00. Uma valorização de 150% em apenas cinco anos. “Em 2011, a retração sadia no mercado imobiliário posicionou melhor o Swiss Park e fechamos o ano dentro das expectativas. O lançamento do residencial Basel, em março, consolidou a valorização do Swiss Park. Para 2012, no primeiro trimestre, vai acontecer o primeiro lançamento residencial dos três previstos para o ano e, também, a segunda fase do Swiss Park Office”, planeja Anversa.


Em abril de 2006, o primeiro terreno vendido custou R$ 200,00 o metro quadrado e hoje, em 2011, o valor chega a R$ 500,00. Uma valorização de 150% em apenas cinco anos

Lotes comerciais Os terrenos comerciais do Swiss Park também provaram ser um ótimo negócio. Seja para quem vive lá ou percebeu que, de qualquer forma, ter seu comércio ou empresa no complexo urbanístico vale muito a pena. Praticamente todos os 203 lotes foram vendidos e há quem já comemore o primeiro aniversário no Swiss Park. É o caso da loja Construção Livre, que em outubro deste ano completou um ano e só tem motivos para comemorar a escolha de estar no Swiss Park. Para ter hoje essa loja, que fica próxima do Zermatt, Cássio e Luci Maria Tucunduva adquiriram dois lotes comerciais há três anos. Antes disso, já tinham mais dois lotes, comprados há quatro anos, próximos do Biel, onde pretendem iniciar uma construção, no ano que vem, para locar. “O

foco é o cliente do Swiss Park. O negócio está muito bom, acima das expectativas, com bons resultados. E por isso estamos investindo ainda mais na loja”, conta Luci. Quando comprou os terrenos, pensava apenas em tê-los como investimento, mas percebeu a tempo que ali havia potencial para evoluir rapidamente. E acertou. Com a loja funcionando a toda, o plano agora é utilizar os outros lotes para, aí sim, construir e alugar. A loja do casal é uma das sete que já estão em funcionamento nas áreas comerciais do complexo urbanístico. Segundo Anália Nogueira, do Departamento de Projetos e Fiscalização do Swiss Park, os comércios que já estão em funcionamento são fortes na área de construção, como as lojas de material para obras, arquitetura, entre outras. Gilmar Gonçalves é um dos exemplos de quem está na expectativa. Ele comprou um lote comercial e pretende construir um galpão para depósito de peças automotivas de sua em-

presa, a Estrela de Autopeças. A empresa no Swiss Park será, inicialmente, distribuidora, mas planos e possibilidades não faltam para o futuro. Outro empresário, Valmir Gonçalves, proprietário da imobiliária Prado Gonçalves, participa do desenvolvimento do Swiss Park desde a concepção do complexo urbanístico. Ele adquiriu seu terreno comercial, no entorno do Vevey, em 2006, e planeja começar a construção em 2012. No entanto, há pouco mais de três meses ele alugou um imóvel no Arosa, onde instalou a imobiliária para comercializar terrenos e casas do local. “Sempre acreditamos no empreendimento e temos uma história de sucesso junto do Swiss Park. A valorização dos terrenos, residenciais e comerciais, é excepcional, nunca vista antes. O Swiss Park fez tudo o que foi prometido e até melhor”, diz Valmir.

15


BALANÇO 2011

Residenciais em números* Zürich Entregue em abril de 2008 29 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 99

Retrospectiva 2010 Janeiro

Julho

• Revista Swiss Park entra no seu quinto ano. Para comemorar, mudança no projeto gráfico, aproximando moradores ao editorial. • Abraço de figueira mata paineirarosa no Parque Botânico.

• Primeira “Festa Julina” é realizada no Swiss Park, no residencial Zürich, promovida pelos moradores.

Fevereiro

Agosto • Inauguração do parque aquático do Centro Esportivo de Alto Rendimento (Cear).

• Entrega do residencial Arosa.

Setembro Março • Lançamento do residencial Basel. • Swiss Park São Carlos atinge 90% de comercialização.

Abril • Início do funcionamento do Viaduto Compositor Carlos Gomes.

Maio • Associação Master em pleno funcionamento. • Residencial Biel inaugura espaçoso playground.

• Paineira-rosa é eleita pelos moradores a árvoresímbolo do Swiss Park. • Swiss Park Office chega à fase final das obras da primeira etapa do condomínio de escritórios. • Inauguração do novo plantão de vendas do Swiss Park, localizado ao lado do Relógio. • Início da campanha de arrecadação de brinquedos para o Instituto de Reabilitação de Campinas (Ircamp).

Outubro • Lançada campanha publicitária “Quase uma cidade. Só que melhor”.

Junho

16

Entregue em junho de 2008 36 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 199

Luzern Entregue em outubro de 2008 52 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 191

Lauerz Entregue em outubro de 2008 15 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 106

Fribourg Entregue em fevereiro de 2009 21 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 134

Vevey Entregue em junho de 2009 25 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 108

Lenk Entregue em julho de 2009 23 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 103

Biel Entregue em setembro de 2009 5 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 65

St. Moritz Entregue em janeiro de 2010 8 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 84

Zermatt Entregue em janeiro de 2010 10 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 73

Genève

Novembro • Swiss Park Office firma parceria com Telefônica. • Vendaval atinge o Swiss Park e derruba mais de 130 árvores.

Baden

• Início da entrega da primeira fase do Swiss Park Office.

Entregue em setembro de 2010 10 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 85

Arosa Entregue em fevereiro de 2011 2 famílias moradoras Obras em andamento e processos em análise: 79

* Números oferecidos pelo Departamento de Projetos e Fiscalização do Swiss Park e atualizados até o dia 31 de outubro de 2011. Até dezembro a previsão é de que cerca de 80 projetos deem entrada no departamento.


SUA OBRA TEM QUE TER ESTILO Optando pela experiência da Stilo Esquadrias de Alumínio você tem a certeza de que contará com um trabalho competente, idôneo e comprometido com o atendimento e a satisfação do cliente. Nossa busca pela excelência é o que nos motiva a entrar para o processo de implantação do selo de qualidade ISO 9001:2008. E é com esse propósito que levamos para a área da construção civil nossas opções em produtos e serviços. Estamos prontos para recebê-lo e ajudá-lo a encontrar a melhor solução para a sua obra. Consulte-nos.

DO MELHOR • UN M

www.stiloesquadrias.com.br

LE • PARA U M CIC RE

Fo

LE • PARA U M CIC RE

DO MELHOR UN • M

as-SP Campin ias.com.br o v e r r T Jd. do esquad , 427 - adrias@stilo s a r d e das P oesqu Rua Rio 8.0689 • stil ) 327 ne: (19


INFRAESTRUTURA

Conforto e segurança nas avenidas do Swiss Park Andréa Barbieri Pagotto

A pavimentação do complexo urbanístico totaliza 650.781 metros quadrados. A área externa aos residenciais contempla 140 mil metros quadrados e está recebendo a última camada de capa asfáltica

A

s avenidas de acesso aos residenciais do Swiss Park estão recebendo a última camada de capa asfáltica. O engenheiro Silvio Mendonça, responsável pela obra, conta que são 140 mil metros quadrados de pavimentação nessa última etapa. “São 20 quilômetros que recebem a última camada de capa asfáltica; as avenidas vão ficar uma maravilha”, explica. Segundo Silvio, as avenidas recebem a capa asfáltica de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), com 3,5 centímetros de espessura, que propicia um melhor desempenho ao pavimento, melhorando sua durabilidade e aumentando a

resistência aos afundamentos por trilha de roda, ao trincamento térmico e à fadiga. “A grande vantagem desse revestimento é a eliminação da aquaplanagem, que diminui o risco de derrapagem; o objetivo é oferecer aos usuários avenidas confortáveis e seguras”, acrescenta o engenheiro. Assim que toda a pavimentação do sistema viário do Swiss Park for concluída, inicia-se a implantação da sinalização horizontal (pintura das faixas) e vertical (placas de sinalização) e também a implantação de câmeras para monitoramento do trânsito.

Última etapa da pavimentação aumenta durabilidade e resistência

18


ASSOCIAÇÃO

Trabalho e dedicação durante todo o ano Janaina Nascimento

Grandes realizações em 2011 e planos ambiciosos para 2012 estão na pauta das associações dos 12 residenciais entregues

A

cademia, salão de festas, churrasqueira, playground, segurança e monitoramento, enfim, tudo em pleno funcionamento. Essa é a realidade dos 12 residenciais do Swiss Park, que já têm seus próprios conselhos administrativos e trabalham diariamente para o bem-estar dos moradores. Além disso, já funciona também o prédio que abriga a Associação Master do Swiss Park Campinas, que pretende estreitar o trabalho de todas as associações

dos residenciais do complexo urbanístico. As instalações do edifício, próximo do Arosa e do Zürich, estão divididas em três departamentos: segurança, projetos e o administrativo. Acompanhe o sucesso de cada residencial nesta matéria. Parabéns a todos que contribuíram para tantas realizações no ano de 2011 e que já estão se preparando para cumprir a tarefa em 2012!

Parte da área de lazer do residencial St. Moritz

20


Zürich

Entregue em abril de 2008

Giuliano Perin, membro do conselho do Zürich, diz que, como o residencial é o menor do Swiss Park, sua receita é baixa. Neste contexto, no ano de 2011, foram priorizadas as melhorias e manutenções adequadas nas áreas de lazer. Foi elaborado um regulamento próprio de uso das áreas sociais, tentando atender às demandas verificadas até o momento dos moradores atuais. Destaque para a primeira Festa Junina do Zürich, aberta a todos os moradores do complexo, com a participação de mais de 150 pessoas. Para 2012 estão previstos o fechamento e a realização do projeto de sinalização interna e melhorias no salão social. Entregue em junho de 2008

Baden

O conselho do Baden foi eleito em abril de 2011 e, desde então, está atuando efetivamente no sentido de melhorar a qualidade de vida dos moradores e proprietários. Prova disso, são as diversas ações que já fez neste ano como: aquisição de novos equipamentos e armários para a moderna academia, brinquedos na área do parquinho infantil, instalação de toldo na churrasqueira, colocação de placa para sinalização interna e instalação de cerca viva. Segundo Ronie Serra, membro do conselho, o projeto para 2012 é a criação do site, instalação de um salão de jogos e também mais câmeras de segurança.

Luzern

Entregue em outubro de 2008

O Luzern foi o mais atingido pelo vendaval de junho de 2011, que causou muitos estragos. Assim, o conselho (que tomou posse em abril) atuou para conseguir o ressarcimento de 100% do seguro para os reparos, sem ônus financeiro para a associação. Em termos de investimentos, instalou o playground, implantou sinalização nas ruas, cerca viva ao redor das áreas de lazer e do salão de festas para limitar o acesso de convidados não proprietários. Segundo Christian Braga, membro do conselho, para 2012 há estudos de implantação da portaria eletrônica e da consolidação das regras de uso das áreas sociais e esportivas, a fim de aumentar o controle e a segurança.

Entregue em outubro de 2008

Lauerz

Em 2011, o Lauerz recebeu mobiliários e equipamentos para o salão de festas e a churrasqueira, iluminação das áreas externas e um lindo paisagismo. Outra importante ação foi a inauguração da academia, com a presença de um monitor, e a definição de algumas regras do regulamento. Segundo Karim Samra, membro do conselho, para 2012 o foco será a sinalização das ruas, melhorias no salão de festas e um calendário de eventos festivos.

21


ASSOCIAÇÃO

Entregue em fevereiro de 2009

Fribourg

Com a administração transferida aos associados há apenas dois meses, as mudanças estão a todo vapor no Fribourg. Iluminação do paisagismo, montagem da academia e instalação de um novo playground foram algumas das benfeitorias já disponibilizadas. Segundo Eduardo Lessa, membro do conselho, o objetivo agora é finalizar o sistema de áudio da academia, modernizar o salão de festas e ainda substituir as plantas que não se desenvolveram. Paralelo a isso, ainda está em evolução o plano de sinalização horizontal/vertical nas vias internas do condomínio, visando à melhoria das condições de segurança de trânsito.

Vevey

Entregue em junho de 2009

No Vevey, a grande realização do ano de 2011 foi a inauguração da academia. Segundo Luiz Guilherme Cunha e Veiko Rocabado, membros do conselho, a ideia foi disponibilizar a todos um modelo diferenciado, visando à qualidade de vida e à boa convivência entre os frequentadores. As ações para 2012 estão sendo debatidas por meio de um canal de comunicação, criado na internet para o grupo, e na lista dos planos estão: playground e salão de jogos, entre outros.

Entregue em julho de 2009

Lenk

Segundo Alexandre de Aguiar Brantis, em 2011, o conselho do Lenk finalizou os investimentos no espaço fitness e também climatizou as guaritas. Outro foco foi o processo interno de controle de acessos ao residencial, de terceiros e visitantes, em que foram e serão implementadas melhorias no software, ainda neste ano, pela AGV com a participação ativa dos conselheiros. O projeto para 2012 é avaliar os projetos de melhorias e conforto no espaço children e a climatização da academia.

Biel

Entregue em setembro de 2009

O conselho iniciou o ano concentrando esforços em preparar o residencial para receber bem os primeiros moradores. Após isso, foram adquiridos móveis de escritório para acomodar os funcionários e, até o final do ano, será implantado o novo regulamento de uso das áreas de lazer. Foram feitas também melhorias no acabamento da sede social, instalando peitoris e escada de granito, além da construção de um confortável e seguro parquinho para as crianças. Segundo Marcos Ribeiro, membro do conselho, a expectativa para 2012 é continuar investindo nas áreas de lazer.

22


Entregue em janeiro de 2010

St. Moritz

No ano de 2011, o conselho do St. Moritz promoveu ações para estreitar a comunicação com os proprietários, criando um informativo e disponibilizando e-mail para contato. Segundo Vladimir Angeloni, membro do conselho, investimentos foram direcionados para complementar a estrutura da área de lazer, com ar-condicionado para o salão de festas e para a academia de ginástica, que também teve seus equipamentos recém-adquiridos. A ampliação do playground, com a aquisição de novos brinquedos, em breve, também será contemplada.

Zermatt

Entregue em janeiro de 2010

O conselho do Zermatt optou em 2011 por investir nos mobiliários e eletrodomésticos da churrasqueira, já que o residencial possui um salão de festas equipado com bom gosto e requinte e com capacidade para realização de grandes festas, que tem sido muito utilizado desde a sua entrega. Segundo Diego Lopes, membro do conselho, o maior objetivo para 2012 é manter a segurança do residencial e a manutenção do que já foi comprado e instalado. Está também em estudo a viabilidade para montar a academia.

Entregue em setembro de 2010

Genève

Segundo Amira Abboud Pompêo de Camargo, membro do conselho do Genève, o maior investimento deste ano foi a compra do mobiliário do salão de festas e também da churrasqueira. Além disso, também investiram na compra de uma moto e de uma roçadeira. Os planos para 2012 já estão a todo vapor e a ideia é comprar todos os equipamentos para entrar em funcionamento a academia, que é uma realização que todos estão aguardando com ansiedade.

Arosa

Entregue em fevereiro de 2011

O Arosa é o mais novo dos residenciais do Swiss Park. Foi entregue em fevereiro deste ano, quando também os conselheiros dessa primeira gestão foram eleitos. Segundo Saulo Faccio, membro do conselho, no primeiro encontro decidiu-se o valor da taxa da associação e ainda foram programados os primeiros investimentos para 2012. Durante 2011, o conselho fez as primeiras aquisições na área de segurança e para a área de lazer, a fim de dar maior conforto aos primeiros moradores. Atualmente, o residencial possui duas famílias moradoras e, até o final do ano, espera-se que chegue a cinco famílias e mais de 30 construções.

23


NATUREZA VIVA

Você

já viu?

24

Andréa Barbieri Pagotto

Exemplos da fauna e da flora do Swiss Park, à disposição dos moradores!

FLORA

FAUNA

Primavera-arbórea

Coruja-buraqueira

Para quem pensa que as primaveras que ornamentam o Swiss Park são só as trepadeiras, segue uma novidade: a primavera-arbórea. Seu nome científico é Bouganvillea glabra. Segundo a bióloga Dionete Santin, responsável pela flora do Swiss Park, a florada se inicia na primavera, em novembro, e adentra o verão até fevereiro, esbanjando beleza e charme. Apesar das flores idênticas às das trepadeiras, inclusive na coloração tendendo ao pink, sua forma é bem diferente. É uma árvore muito chamativa de tronco lenhoso, grosso, porém sua madeira é leve. Pode atingir até 20 metros de altura e 70 centímetros de diâmetro. Possui crescimento muito rápido e é classificada como pioneira. É nativa do Brasil e seu emprego como ornamental ainda não é muito expressivo, apesar de toda sua beleza.

Um casal de coruja-buraqueira enfeita o terreno de Fernando Rocha Oliveira, no residencial Biel. A bióloga Giselda Person explica que essa espécie é a mais conhecida das corujas brasileiras e é facilmente vista durante o dia em locais expostos. “Seu nome científico é Athene cunicularia e vem da família Strigidae; recebe esse nome popular, pois vive em buracos cavados no solo”, explica Giselda. Mede 23 centímetros, possui a cabeça redonda, sem penachos e os olhos estão dispostos lado a lado, num mesmo plano. As sobrancelhas são brancas e os olhos amarelos. A plumagem tem traços de cor de terra. O seu voo é suave e silencioso, seu principal alimento são os insetos. Com hábitos diurnos e noturnos, tem o campo visual limitado, mas essa deficiência é superada pela capacidade de girar a cabeça até 270 graus. Bota em média de 6 a 11 ovos, a incubação dura de 28 a 30 dias e é executada pela fêmea. Os filhotes ameaçam intrusos com um chocalhar que se assemelha bastante ao som da cascavel.


PAINEIRA-ROSA

Árvore-símbolo

ganha selo comemorativo Janaina Nascimento

Eleita por votação dos moradores do Swiss Park, agora a paineira-rosa irá estampar as colunas da Revista

C

om a maioria esmagadora dos votos e de forma democrática, a paineira-rosa foi eleita a árvore-símbolo da flora do Swiss Park por moradores e futuros moradores. Por e-mail, 201 leitores da Revista votaram na preferida. Foram 50,7% dos votos para a imponente espécie. Para brindar essa eleição, a Revista Swiss Park decidiu produzir um selo que irá estampar as matérias jornalísticas relativas à natureza e também peças publicitárias. A inspiração para produzir o selo foi do designer da Revista, Charles de Souza Leite, que fez uma união entre a imagem da paineira-rosa, o Relógio e o gramado verde. “Um símbolo tem de ser simples e direto. A primeira ideia era para ser apenas

26

a árvore estilizada com os dizeres e uma composição harmoniosa desses elementos, mas a paineira sozinha, embora o texto ao redor explique, é um símbolo muito recente do empreendimento. Foi então que pensei em usar o Relógio, que deu um

apoio para a associação visual”, explica Charles. Na imagem, o chão de grama lembra a área verde do Swiss Park e, da forma que foi colocado, um desenho estilizado com dois morros põe em perspectiva os dois elementos do selo: a paineira à frente em destaque, e o Relógio atrás, como se estivesse no horizonte. “O círculo foi feito em tons de cinza a fim de deixar o destaque para as cores e para os elementos”, explica ele.


Foto: www.frozenframes.com.br


ESPECIAL DE NATAL

Época de união e

confraternização Janaina Nascimento

Ceia caprichada Os anfitriões Silmara e Rovildo Barbosa Fonseca, com os filhos Bruno e Vinícius, do residencial Zürich, estão entusiasmados para receber cerca de 25 pessoas da família para a ceia de Natal. Morando desde junho na casa, a área de lazer foi um espaço que ganhou destaque. “Adoramos receber convida-

28

dos em casa, por isso prezamos por uma área de lazer ampla e com churrasqueira. Para dormir é só espalhar colchões pela casa”, brinca Silmara. A tradição é que cada um leve um prato para a ceia e, nos outros dias, eles fazem churrasco. O amigo-secreto foi a forma encontrada pela família para que todos fossem presenteados e é revelado sempre antes da meia-noite. “Geralmente vamos para a cozinha preparar alguns

pratos tradicionais como pernil e chester, e tem o detalhe que família italiana come muito, então precisamos caprichar”, diz o casal, frisando que a maior parte da família tem descendência italiana. “Não podemos nos esquecer do mais importante no Natal, que é o aniversário de Jesus Cristo. Com isso, a esperança de que o próximo ano seja ainda melhor”, finaliza Rovildo.


O

Natal se aproxima! Para muitos moradores do Swiss Park, será a primeira vez a comemorar essa data especial na nova casa. A Revista Swiss Park entrevistou moradores que irão receber amigos e familiares para passar

União e oração É o primeiro Natal no Swiss Park e na cidade de Campinas para a família de Luiz Catapan, novo morador do residencial Zermatt. Ele e a esposa Inês estão otimistas com a nova etapa. Há pouco mais de um mês na nova casa, os planos para a ceia em família já estão a todo vapor. “Sempre sonhamos em vir morar em Campinas e escolhemos o complexo urbanístico pela garantia de segurança, além de ser um lugar

a meia-noite no novo lar. Ceia, brindes, brincadeiras, orações, amor... O Natal é um momento mágico de união e envolve muitas tradições familiares. Alguns têm suas próprias receitas “secretas”, outras apostam nas tradições natalinas. O mais im-

portante é que todos estão entusiasmados com a nova etapa e com a certeza de que a data será um marco para um 2012 cheio de realizações. Desejamos um Feliz Natal a todos!

lindo e encantador”, conta Luiz. O casal tem três filhos: Tiago, Felipe e Ana Paula. Tradicionalmente, os Catapan se reúnem com outros membros da família nesta data. “Prezamos pelo Natal em família, depois, no Ano-Novo, cada um acaba indo viajar”, conta Luiz. Segundo ele, quem abre a casa para receber a família fica responsável por organizar e comprar os itens para a ceia e depois o valor é dividido. Outro momento que não pode faltar é para as orações. A família é muito religiosa e ora em agradecimento ao ano que

passou. Recém-aposentado, Luiz e a esposa só pensam nos momentos que poderão desfrutar na nova casa. Além disso, para 2012, planejam participar de trabalhos voluntários a fim de ajudar outras pessoas. “O Natal é um momento para fazer uma revisão na vida, repensar nos valores e traçar metas para o próximo ano. O nosso maior desejo é colaborar para um mundo melhor”, finaliza. O encantamento da família pelo Swiss Park foi tão grande que o filho Felipe também já adquiriu um terreno no Basel.

29


ESPECIAL DE NATAL

Comemoração em dose dupla “Ansiosa e realizada”, esta é a frase de Maria Zulmira Xavier para descrever a nova fase. Ela se mudou para o Biel no início de novembro e não vê a hora de fazer a festa para estreia do novo lugar e ainda comemorar o primeiro Natal com a família no seu “lar, doce lar”. Motivos não faltam para comemorar. Além de poder reunir os três filhos e os netos, ela será avó mais

30

uma vez. No final de novembro chega Lucas, bebê de sua filha Sabrina Helena. O novo netinho irá alegrar ainda mais a casa com Artur, de 13 anos, de sua filha Simone, que mora com ela, além de Juliana e Camila, do filho Eduardo Ferigato, morador do residencial Luzern. “Este ano a comemoração merece muitos fogos de artifício. Estou muito feliz com essa mudança e apaixonada pelo Swiss Park. Além do nascimento no meu neto, que será um presente de Natal para todos”, conta. Ela e as filhas adoram cozinhar. Então a ceia é preparada com os quitutes de que a famí-

lia toda gosta. Outra tradição é montar a árvore de Natal junto com os netos. “É um momento incrível! Marcamos um dia e os meus netos vêm para a minha casa me ajudar. Eles adoram. Colocamos todos os presentes embaixo da árvore”, conta ela. O amigo-secreto ou amigo-da-onça não pode faltar, e todos se divertem muito com a brincadeira. “Desejo que este Natal renove a esperança de cada um, que as pessoas se unam cada vez mais e que a presença de Deus no coração seja constante”, diz.


Moradores número 25 “Aqui em casa é Natal o ano todo”, diz José Cardoso. Ele e a esposa Silvana moram no Fribourg desde setembro com os filhos Rafael e Mariana. Foi a 25ª família a chegar por lá. Coincidência ou não, é também o dia do Natal, que o casal passará em sua casa nova. A grande tradição da família nesta data, todos os anos, é unir os nove irmãos de José. Embo-

ra reúna tanta gente, isso não é problema. Eles criaram uma rede social com o nome “Cardoso Terapia”, em que tudo é decidido. “Minha casa é um clube, fiz a área de lazer pensando em receber sempre a família e os amigos, pois adoramos essa convivência. Costumo brincar que as pessoas chegam na sexta com roupa para dormir durante o final de semana”, afirma José. A família veio de Goiás e tem paixão pela cozinha, principalmente quando utiliza o fogão a lenha. O prato de destaque da ceia é sempre o porco, que demora cerca de 20 horas para

ficar pronto, assando calmamente. “É uma forma de fazer com que todos fiquem à vontade”, conta. A família não tem o costume do amigo-secreto, mas entregam presentes uns aos outros e dão início à ceia exatamente quando o relógio marca meia-noite. “É importante que esta data seja um motivo de união maior das famílias e que cada um avalie o que fez de bom durante todo o ano. Que 2012 seja cheio de realizações”, deseja José.

31


ARQUITETURA

Ecologicamente

correta

Carolina Pimentel

Na era do aquecimento global, em que a questão ambiental está constantemente em pauta, casa ecológica com telhado de grama é destaque no residencial Fribourg

L

iteralmente verde! Todos os materiais utilizados na construção da casa ecológica, localizada no residencial Fribourg, foram escolhidos por serem produzidos de forma sustentável e impactarem o mínimo possível o meio ambiente. A primeira casa ecologicamente correta do Swiss Park, que pertence à família do engenheiro civil Márcio Leandro de Medeiros, também recebeu materiais de sobras de outras obras. “O apoio da minha esposa Érika e

dos meus filhos, Lucas e Maria Eduarda, foi fundamental para a execução do projeto da nossa tão sonhada casa”, aponta Medeiros. O grande destaque da casa ecológica é o “telhado verde” desenvolvido pelo Instituto Cidade Jardim. “Na verdade a casa não possui telhado, mas sim uma cobertura vegetal feita com grama instalada na laje, que proporciona conforto tér-

mico e acústico nos ambientes internos”, explica o morador. O telhado ecológico divide espaço com um espelho d’água que capta água da chuva para reuso nos pontos chamados “não nobres” da residência, que são as torneiras externas, os vasos sanitários e a lavanderia. O projeto da casa de dois andares com 230 metros quadrados de construção foi realizado pelo próprio morador, que teve ajuda do amigo, também engenheiro civil, Gustavo Yansen. Além disso, em sociedade, abriram a empresa MY Engenharia, focada em casas sustentáveis. “A ideia surgiu na faculdade, mas só foi possível colocá-la em prática com a construção da minha casa e no Swiss Park, onde encontrei o lugar ideal para realizar o meu grande sonho”, explica Medeiros.

Márcio Medeiros, sua esposa Érika e um de seus filhos, a pequena Maria Eduarda


Reaproveitamento de materiais Utilizar as sobras de outras construções, na casa ecológica, permitiu reduzir gastos financeiros e energéticos que seriam consumidos na fabricação de novos materiais. “Tudo foi reaproveitado e incorporado com a arquitetura, e isso fez com que a obra gerasse menos resíduos, entulho e diminuísse os custos”, afirma o morador. Um bom exemplo foi reaproveitar a estrutura de metal da escada, que leva ao piso superior,

onde estão localizados os dois quartos e a suíte da residência, e que possui degraus em resina de polímeros, conhecido como madeira plástica. “Se fosse fazer uma idêntica, com madeira de primeiro uso, iria ultrapassar o orçamento da obra e ficaria inviável. As pastilhas dos banheiros, o piso de granito da lareira e até a parede de mosaico português da escada também são materiais provenientes de sobras”, explica o engenheiro.

Escada feita com materiais reaproveitados

Telhado de grama: maior destaque da casa

33


ARQUITETURA

Grande porta de correr de vidro separa casa de quintal

Iluminação natural privilegiada

Espelho d’água capta água da chuva para reuso

Acender a luz durante o dia é algo desnecessário na residência do Fribourg. A fachada da casa é totalmente de vidro verde e, nos fundos, uma grande porta de correr, também do mesmo material, mas transparente, faz a vez de uma parede que divide a sala e a cozinha com o gramado do quintal.

Com isso, o aproveitamento das condições naturais, como o sol e o vento, proporciona a máxima racionalização e eficiência energética, deixando a casa autossuficiente, naturalmente iluminada e ventilada. Na parte externa, a iluminação é toda por balizadores de minipainéis solares.


Hall de entrada com parede de tijolos ecológicos

Tudo verde Os tijolos ecológicos utilizados na construção dispensam a queima em sua produção, portanto, enquanto são feitos, não emitem dióxido de carbono (CO2) ao meio ambiente e não contribuem com o desmatamento. No hall de entrada foi aplicada uma leve camada de massa corrida na parede

Continuidade ao projeto sustentável

de tijolos, dando um acabamento diferenciado e rústico ao ambiente. O conceito verde também está nos aparelhos eletrônicos da residência como, por exemplo, os climatizadores evaporativos instalados nos quartos e na sala de TV, que consomem até 90% menos de energia em relação aos convencionais aparelhos de ar condicionado.

O paisagismo da casa foi planejado nos moldes da sustentabilidade. Um pátio verde, localizado entre a sala de TV e a de estar, possui jardim vertical instalado em um muro ecológico, com plantas que se adaptam ao sol. Uma pequena jabuticabeira plantada no meio do jardim embeleza ainda mais o local.

Em breve, Medeiros pretende dar continuidade ao projeto de sua casa ecológica construindo no quintal uma área de lazer para a família, com churrasqueira, piscina ou um SPA, mas

pautado, é claro, na sustentabilidade. “Pretendo fazer uma churrasqueira coberta com painéis fotovoltaicos, um sistema que produz energia elétrica”, planeja o morador.

35


GARIMPO

O meio ambiente agradece Carolina Pimentel

Reaproveitar materiais é tendência mundial para poupar matéria-prima e preservar a natureza. Além, disso, a decoração e a arquitetura ecologicamente corretas resultam em ambientes modernos e com muito estilo.

Abajur feito em resíduo de canela maciça com cúpula de seda mista, da designer Monica Cintra. www.monicacintra.com.br Luminária balinesa feita com troncos de árvores, da Bali Express. www.baliexpress.com.br

Abajur de leitura com base em resíduo de imbuia maciça descartado pela natureza, com tampo em cristal temperado, haste em ferro cromado e cúpula em gaze de seda preta, da designer Monica Cintra. www.monicacintra.com.br

36

Revestimento de parede feito com cabos de vassoura, elaborado em madeira de reflorestamento, da Mosarte. www.mosarte.com.br

A designer Francesca Alzati reaproveitou placas de tapetes do mundo inteiro e uniu em uma única peça: o Goltchin Color, na By Kamy. www.bykamy.com

Mesa Maya, com tampo de cristal e madeira, da designer Monica Cintra. www.monicacintra.com.br

Fotos peças da designer Monica Cintra: Marco Antonio. As demais, divulgação.

Balanço Thai Bamboo feito em bambu, da Bali Express. www.baliexpress.com.br

Climatizador Evaporativo em três velocidades com controle remoto e função sleep. Alternativa ao condicionador de 7 mil BTU/H, com 90% de economia no consumo de energia. Da Ecobrisa. www.ecobrisa.com.br


ENTREVISTA

No mundo da

fantasia Michele Médola

Escritora Telma Guimarães conta por que é tão interessante escrever para crianças

N

o aconchego do escritório em Campinas, rodeada por bichinhos de madeira e pelúcia e pilhas de livros infantojuvenis, a escritora Telma Guimarães observa as árvores pela janela e busca inspiração nos detalhes do dia a dia para dar início a mais uma bela história. Professora de inglês por formação, os livros escritos especialmente para crianças e adolescentes passaram a ganhar vida em

1987, de tanto contar histórias para os três filhos: Cleso, Mariana e Ana Maria, hoje adultos. “Eu inventava para eles. E para me lembrar de tudo, passei a escrever. A vivência deles sempre serviu de inspiração para o tema das histórias”, diz. Atualmente, a fonte de assuntos que dá origem a novas obras é a neta Júlia, com 11 anos. E a produção de Telma é intensa. Desde que lançou o primeiro, Cara de pai, pela

editora Loyola, não parou mais. São mais de 160 livros publicados, entre didáticos, dicionários, adaptações e histórias livres. A escritora não esconde a predileção em escrever para esse público. “A criança tem um universo que muda o tempo todo, mas é espontânea, fala o que pensa, dá um retorno. É mais prazeroso, muito gratificante”, conta. Em nossa conversa, Telma fala sobre a importância de fantasiar, sobre crianças e adolescentes e a relação com a leitura, e o modo de aprendizado dos dias atuais.


Em relação ao Papai-Noel, por exemplo, é legal usar essa fantasia para ajudar uma pessoa, para ter inspiração e escrever uma cartinha

Nesta época do ano, fantasias como a figura do Papai-Noel e outros rituais vêm à tona. Como lidar com essa questão em relação à criança? É importante alimentar fantasias como esta?

As fantasias são boas, fazem parte do imaginário, do folclore. Papai-Noel é uma delas. Mas é interessante aliar essa fantasia a um olhar mais próximo, uma comunhão. Em relação ao Papai-Noel, por exemplo, é legal usar essa fantasia para ajudar uma pessoa, para ter inspiração e escrever uma cartinha. O ruim é quando aliado a isso há um consumo exagerado. Também é preciso saber que a fantasia a leva a inventar histórias, põe uma lente de aumento em tudo, cria amigos imaginários. Eu mesma fazia isso quando era criança. Isso é muito comum. Crianças não têm medo do fantástico, mas de bullying, de exclusão, de agressão.

Telma Guimarães: há mais

Com tanta tecnologia nos dias de hoje, crianças e adolescentes cada vez mais ligados em aparelhos eletrônicos, há espaço para despertar o interesse em ler livros?

Há sim. E as crianças são boas leitoras. É importante que os livros façam com que se identifiquem com os personagens, que tenham relação com o mundo delas. Costumo incluir situações em que elas vivem. Mesmo quando faço livros didáticos, coloco família, diferentes regiões, sotaques, fotos, etnias, geografias. É legal se enxergar na história. Os pais também podem participar nesse processo, conversar com as crianças, ver como elas são, o que gostam de fazer, os assuntos que as interessaram mais. Bom que a literatura traga temas a serem discutidos em família. Por isso também abordo questões diversas, mostro crianças com deficiências, formas variadas de ser, porque somos diferentes e iguais ao mesmo tempo, mas sempre em harmonia. E o ilustrador tem de estar atento a esses traços, para refletir todos que estão na história. É preciso contemplar o diverso.

Seus livros são direcionados sempre às crianças e aos adolescentes, por quê?

Adoro escrever para eles, é muito mais prazeroso, o retorno é rápido e são bons leitores. São espontâneos e sinceros. É uma relação muito gostosa e gratificante. As crianças têm um universo que vai mudando, se transformando. Nas palestras, elas sempre falam, perguntam, participam. Quando vão crescendo, começam a se fechar.

de 20 anos escreve para o público infantojuvenil

39


ENTREVISTA E suas adaptações de obras adultas para crianças, como funcionam? E o retorno?

Mostro a situação e as consequências, mas sem colocar no final se isso é certo ou errado. Não finalizo com “moral da história”

As adaptações são ótimas, deram certo. Textos pesados, de William Shakespeare, Charles Dickens e Alexandre Dumas, por exemplo, são adaptados, reescritos de forma mais simples, adequados para que as crianças entendam. Porém, o teor da história não pode ser modificado. Apenas retiro o excesso. O ideal é que no futuro esses pequenos leitores leiam o original.

Professora experiente e escritora, como você vê o modo pelo qual as crianças aprendem nos dias de hoje?

Atualmente, aprendem de um jeito muito melhor. E é possível que os professores consigam ensinar tanta coisa! Na minha época não tinha tudo isso. Existem jeitos mais interessantes de aprender, o leque de opções é bem maior. São muitos canais a serem explorados.

Nos livros que escreve, costuma passar lições às crianças?

Não quero ensinar, dar lição de moral, isso nunca faço. Mas, se vejo crianças consumistas, procuro o que há na literatura sobre finanças para elas, penso em escrever sobre o assunto e começo a pesquisar. Desse tema, por exemplo, tenho um título que se chama A economia de Maria, que conta a história de duas irmãs, uma que poupa e a outra que gasta tudo e sempre está endividada. Mostro a situação e as consequências, mas sem colocar no final se isso é certo ou errado. Não finalizo com “moral da história”.

40


As crianças têm um universo que vai mudando, se transformando. Nas palestras, elas sempre falam, perguntam, participam. Quando vão crescendo, começam a se fechar

Certa vez você disse que inspiração não vem de repente, é preciso se exercitar para consegui-la. Como é isso?

É verdade. É preciso procurar a inspiração. Observar o que acontece em volta, conversar com as pessoas, ler, ter um olhar sobre o novo. Mesmo quando falta assunto, isso pode ser a inspiração. Descobrir o que falta e aí surgir uma ideia. Hoje, uma das minhas principais fontes de inspiração é minha neta Júlia, de 11 anos. Observo o mundo dela, pergunto detalhes sobre a vida e os amigos e daí surgem muitos temas para livros. Esse olhar sobre o que eles fazem agora se moderniza.

Com o avanço da tecnologia, há quem diga que os livros impressos podem ter um fim. Qual sua opinião sobre isso?

Quem gosta de ler usa outras fontes, mas não acredito que por esse motivo o livro vai acabar. Ler um livro digital não é a mesma coisa que poder pegá-lo, sentar num cantinho, levar para a cama e depois deixar na cabeceira. Ler na internet também não dá para aguentar muito tempo. O livro digital pode ser importante no caso de uma relíquia. Eu vi a primeira versão do Patinho feio, de mais de 100 anos, guardada num museu. É um livro que ninguém pode mais manusear. Se puder ser feita a digitalização dele, mais pessoas terão acesso. É uma bengala maravilhosa. Penso que as microfilmagens também são importantes para preservar essas raridades. Para profissionais da área médica, por exemplo, que possuem aqueles volumes imensos, ter a versão digital é útil. Mas a literatura envolve clima, sedução, o silêncio do cantinho, um ritual, que só uma obra impressa tem.

41


TURISMO

O Natal de luzes e cores de Talita Mollar Nesta época, a cidade proporciona espetáculos inesquecíveis aos visitantes

N

Gramado!

a edição de dezembro do ano passado, a nossa leitora mirim Beatriz Levanteze Burgos Machado contou que seu Natal inesquecível foi na cidade de Gramado-RS. Por isso a Revista Swiss Park foi buscar mais informações e traz algumas dicas sobre esse lugar encantador como opção de viagem para toda a família. A cidade, que fica na Serra Gaúcha, foi considerada, em 2011, a melhor cidade turística do Brasil, pela revista Viagem e Turismo, da Editora Abril. Para atrair turistas no final do ano, Gramado se transforma na terra do Natal, com muitas luzes, desfiles com temas natalinos e grandes espetáculos. Separamos para nossos leitores algumas atrações do Natal-Luz.

O GRANDE DESFILE DE NATAL O Desfile de Natal acontece na Avenida das Hortênsias, a principal de Gramado. São diversas alas com temas natalinos. Nelas se apresentam atores, dançarinos e até patinadores, todos fantasiados. Os carros alegóricos são cheios de luzes e som, levando os principais personagens do Natal. O desfile acontece às quintas-feiras e aos domingos nos meses de novembro, dezembro e janeiro de 2012. Você pode conferir também o Tannenbaumfest, que são os enfeites de Natal, e a Árvore Mágica de Natal.

A FANTÁSTICA FÁBRICA DE NATAL Um espetáculo musical, com muitas cores e efeitos especiais, conta a história de um menino que vive o sonho de conhecer a fábrica de brinquedos do PapaiNoel. A apresentação acontece às terças e sextasfeiras, nos meses de novembro, dezembro e janeiro de 2012, a partir das 21h30, no Carrieri. Além dessa apresentação, a programação da cidade conta com outros espetáculos, como: Nativitaten, uma ópera a céu aberto, a Árvore Cantante, concertos de Natal e muito mais.

VILA DE NATAL A tradicional Vila de Natal, toda decorada com temas natalinos, conta com a exposição de produtos dos artesãos gramadenses, além das apresentações: Natal no Circo, peça teatral com clowns, corais, o espetáculo “De pernas pro ar”, cinema 3D com o filme “O trenó maluco”, teatro de bonecos e parquinho de diversões para as crianças. E não poderia faltar a presença do Papai-Noel, ponto alto da festa, para alegrar os visitantes. A Vila está localizada próximo do Lago Joaquina Rita Bier.

42

Para mais informações sobre as atrações do Natal-Luz de Gramado, você pode acessar o site www.natalluzdegramado.com.br, e sobre a cidade de Gramado, informações pelo site www.gramado.rs.gov.br.


SUSTENTABILIDADE

Mantenha a casa limpa

e o planeta também! Andréa Barbieri Pagotto

O crescimento da população mundial reavivou as preocupações sobre a preservação do planeta para as gerações futuras

O

mundo chegou à marca dos sete bilhões de habitantes e a projeção para 2045 é de uma população estimada em nove bilhões de pessoas. Será que toda essa gente realmente se preocupa com nosso planeta? Pense duas vezes antes de responder.

44

O conceito de sustentabilidade, que hoje em dia é muito difundido, é amplo e envolve a preocupação em preservar o meio ambiente, diminuir a geração de lixo, manter a saúde e a qualidade da vida, utilizando os recursos naturais com consciência para não comprometer as gerações futuras. A água, por

exemplo, é um recurso finito e o mau uso pode trazer a escassez. Mas sabendo usar não vai faltar. Em tempos de previsões sombrias sobre o aquecimento climático da Terra, pequenas mudanças de atitude são valiosas para diminuir a cota individual de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Vamos fazer nossa parte! Que tal rever alguns hábitos para reduzir sua parcela de responsabilidade pelo desequilíbrio no efeito estufa da Terra?


Algumas dicas que podem transformar o planeta Prefira substâncias caseiras

Lave a roupa com consciência ecológica

Elas substituem cloro e produtos químicos agressivos: casca de limão seca é boa para manter as traças longe dos armários e roupas; vinagre branco é ótimo para remover ferrugem, mofo, manchas no tapete, sujeira de banheiros e para tirar cheiro de peixe dos utensílios; bicarbonato de sódio é excelente para limpar o forno e para limpeza em geral, tem ação fungicida.

A máquina de lavar roupa é uma grande consumidora de água e energia, por isso ao comprar o equipamento prefira os modelos com maior eficiência energética (A), que consomem menos energia. Espere ter uma boa quantidade de roupa para ligá-la. Se a quantidade de roupa for pequena, ajuste o nível de água. Outra dica é aproveitar a água final do enxágue para lavar o quintal ou para dar descargas.

Deixe o carro em casa às vezes

Não jogue

Não jogue remédios

Óleo de cozinha, inseticidas, pesticidas, tintas à base de óleo, solventes e fluidos de automóveis no esgoto doméstico. Separe em garrafas PET e informe-se sobre o Programa de Reciclagem de resíduos de sua região.

Ou cosméticos na pia ou no ralo. As substâncias ativas contaminam água e peixes (que serão consumidos por nós). Entregue em postos de coleta que os aceitem para serem incinerados. Quando não for possível, é melhor jogar no lixo do que no esgoto.

Os combustíveis fósseis são um dos principais vilões do aquecimento global. Por isso usar menos o carro é um excelente hábito ecológico que você pode adquirir. Uma dica para isso é caminhar pelo bairro e aproveitar os serviços disponíveis pertinho da sua casa.

Sacola para fazer as compras Levando sua própria embalagem – que pode ser uma mochila ou uma sacola de pano – você evita o desperdício de sacos plásticos e reduz a quantidade de lixo produzido na sua casa.

Feche a torneira Em 15 minutos, uma pessoa gasta mais de 240 litros de água na lavagem de louças. A dica é fechar a torneira, ensaboar as peças e só então abrir para enxaguá-las. Assim, o consumo cai para 20 litros de água. Além disso, considere diminuir o tempo do banho e fechar a torneira do lavatório ao escovar os dentes.

Plante árvores No quintal, em canteiros ou em vasos, as árvores têm o poder de absorver carbono da atmosfera, evitando o acúmulo excessivo do gás e retardando os efeitos do aquecimento global.

Na obra, dê preferência aos materiais ecológicos Para construir ou reformar sua casa, pense nas opções menos agressivas ao ambiente. Há vários tipos de produtos e até lojas especializadas no assunto.

45


SUSTENTABILIDADE

Casa consciente A questão ambiental vem sendo debatida em todo o mundo, e tornou-se necessário adequar construções sustentáveis a esta demanda. As edificações que ajudam a preservar o meio ambiente, além de gerar economia nas contas de energia e água, se valorizaram. Ou seja, os imóveis sustentáveis terão maior valor de venda e revenda, em poucos anos. E é um engano pensar que esse tipo de construção custa mais caro. A maioria dos materiais de uma obra em demolição, como tijolos, pisos, janelas e vidros, pode e deve ser reaproveitada

46

em novas edificações. A adoção de soluções ambientalmente sustentáveis na construção não acarreta em um aumento de preço, principalmente quando adotadas durante as fases de concepção do projeto. “A construção sustentável não custa mais caro, desde que integrada na etapa de concepção do edifício, ou seja, desde a fase de projeto”, explica Matheus Mason, diretor da KSA1 Engenharia Sustentável. Matheus explica que arquitetura sustentável é um processo contínuo de edificar com menos impacto ao meio ambiente e ao ser humano que ocupará o espaço. “Não basta apenas captar água da chuva para reuso, por exemplo. Para a casa ser

considerada sustentável, deve produzir o mínimo de impacto ao meio ambiente ou reduzir ao máximo esses impactos para que a pessoa tenha qualidade de vida também”, completa. “Elevar a casa 40 centímetros do solo para aumentar o conforto térmico, evitar infiltrações sem tirar a permeabilidade do terreno, ter pelo menos 70% de luz natural na casa, possuir uma cisterna, usar lâmpadas de LED, possuir um biodigestor, sistema de aspiração central, vigas e telhas metálicas, aquecimento solar, tijolos reaproveitados, pisos e revestimentos reciclados e recicláveis são itens imprescindíveis na construção de uma casa sustentável”, ensina Matheus.


GIRO POR CAMPINAS

Natal, época de Talita Mollar

Feiras de artesanato na cidade oferecem muitas sugestões de presentes e lembrancinhas

presentear! O Natal é uma das datas mais importantes do ano! É quando confraternizamos com os amigos e reunimos a família. É claro que o presente não pode faltar. A Revista Swiss Park deu um giro por Campinas e descobriu que nas feiras de artesanato há opções diversificadas e bem originais de produtos que podem ser belos presentes natalinos.

Feira de Artesanato Campinas

Feira Vila das Artes

Feira de Artesanato do Castelo

Ainda conhecida popularmente como Feira Hippie – porque no passado os hippies eram maioria na venda de trabalhos manuais –, a feira está localizada no Centro de Convivência Cultural de Campinas, com aproximadamente 130 expositores, oferecendo aos visitantes uma grande variedade de produtos, entre roupas, acessórios, calçados, artes plásticas, antiguidades, quitutes deliciosos e muito mais. Em dezembro a feira terá uma programação especial de Natal. Nos dias 7 a 12 de dezembro haverá shows de corais e a praça de alimentação será coberta. Uma boa opção para aqueles que procuram um presente diferente para o Natal!

Um dos pontos turísticos do Distrito de Sousas é a feira Vila das Artes. No mês de dezembro, o evento acontecerá todos os domingos. Localizada na Praça Beira-Rio, no Centro, além da variedade de produtos expostos em 35 barracas, um atrativo é a música ao vivo, que embala os visitantes durante toda a feira. Para quem quer aproveitar o passeio e comprar alguns presentes de Natal, a feira é uma boa dica!

Em um dos bairros mais tradicionais de Campinas, o Castelo, acontece aos sábados a Feira de Artesanato, com exposição de produtos artesanais, vários quitutes doces e salgados e pratos que são preparados na hora. Para as crianças, o parquinho da praça é a atração, com brinquedos de madeira como gangorra e balanço para brincar à vontade. A programação deste mês contará com horário estendido e a presença do Papai-Noel distribuindo balas para a criançada!

Praça Imprensa Fluminense, s/nº – Cambuí – Tel. (19) 3235.2505

Praça Beira-Rio – Sousas. www.viladasartescampinas.wordpress.com Horário de funcionamento em dezembro Nos dias 4/12, 11/12 e 18/12 (domingos), das 9h às 14h.

Praça Silvia Rego Rua Dr. Miguel Penteado s/nº – Castelo. Horário de funcionamento em dezembro Aos sábados das 9h às 17h.

Horário de funcionamento em dezembro Segunda a sábado, das 15h às 22h. Domingos, das 9h às 15h.

47


GASTRONOMIA

Torta de

panetone Janaina Nascimento

Simone Ferigato, moradora do Biel, dรก uma dica de receita rรกpida e muito fรกcil de ser preparada para adoรงar a noite natalina


Receita prática com delícias típicas

N

atal é época para comemorar ao lado de pessoas queridas e se deliciar com diversas comidas típicas, como é o caso do panetone e de suas variações de sabores. Se ainda não decidiu a sobremesa para a ceia de Natal, a nossa convidada desta edição, Simone Cristina Ferigato, ensina uma receita prática com essa delícia típica que ela criou exclusivamente para a Revista Swiss Park. Morando há apenas alguns dias no residencial Biel, ela se desdobra para ser professora de biologia e ainda atender as encomendas de doces

Doces finos combinam frutas diferentes

que já faz há dez anos. “Adoro cozinhar tanto doce como salgado, a maioria do que aprendi foi com a minha mãe, que me ensinou desde muito pequena”, conta Simone. “Essa torta é

muito fácil de fazer, pois nada vai ao fogo. Criei a receita pensando que já temos tantas tarefas no Natal, então fazer uma sobremesa rápida e gostosa é o ideal”, completa.

Além da receita, Simone também preparou uma de suas especialidades: os doces finos. Ela combina frutas diferentes que proporcionam sabores irresistíveis, como trufa de chocolate branco com frutas vermelhas, trufa de jabuticaba, trufa de caipirinha, copinho de physalis, entre outros. Uma delicia! Outra dica da convidada e de seu marido, Luciano Glauber, decorador de eventos, foi uma sugestão de arranjo para mesa

de Natal. Pegue uma travessa branca e coloque como base do arranjo. Compre um floral (base), contorne com uma folha verde, que ele sugere seja a tuia. Compre flor bico-de-papagaio no tom vermelho, lisiantos e crista-de-galo e espete na base. No final coloque um vaso de vidro alto no meio do arranjo e dentro uma vela. Pronto, agora prepare a sua sobremesa e tenha uma noite de Natal iluminada e recheada de coisas boas.

49


GASTRONOMIA

Torta de panetone

Sobremesas para o Natal Andréa Barbieri Pagotto

RECEITA

e Michele Médola

CASA DA SOBREMESA

INGREDIENTES • 1/4 de panetone de 500 gramas (em fatias) • ½ taça de leite • ½ taça de licor cítrico • 400 gramas de chocolate ao leite • 300 gramas de chocolate branco • 2 colheres (sopa) de frutas cristalizadas • 3 colheres (sopa) de uvas-passas brancas

• 2 colheres (sopa) de manteiga (sem sal) • 200 gramas de chocolate preto ou branco fracionado • 2 latas de creme de leite • 2 colheres (sopa) de castanhas de caju e lascas de amêndoa picadas • 1 pote de chantilly • 1 forma aro 20

Av. José de Souza Campos, 1151 Cambuí – Tel. (19) 3251.0337

Opcional: transfer (espécie de adesivo) para chocolate

BEIJO GELADO

COMO FAZER

Doce como um beijo e gostosa como o Natal, a Torta Musse de Amêndoas é feita de massa de chocolate com recheio de musse de chocolate com amêndoas e amaretto. Essa sobremesa tentadora promete fazer sucesso na ceia de Natal.

Coloque os pedaços de panetone no fundo da forma, no formato do aro. Não deixe que fiquem buracos. Derreta o chocolate ao leite e a manteiga (apenas 1 colher) no micro-ondas até obter um creme homogêneo. Coloque o creme de leite (1 lata) e um pouco do licor, misture as nozes e amêndoas (metade) e jogue em cima do panetone. Deixe na geladeira por 30 minutos. Nesse momento derreta o chocolate branco com o resto da

manteiga e misture com a outra lata de creme de leite e com o licor. Coloque as uvas-passas (metade) e frutas cristalizadas. Retire da geladeira, coloque o creme branco e finalize cobrindo com o chantilly. Para decorar pegue uma calda de chocolate ou morango e derrame por cima, misturando levemente com o chantilly. Jogue as frutas e o que sobrou das nozes. Deixe na geladeira por mais ou menos 2 horas antes de servir.

PARA DECORAR COM O CHOCOLATE FRACIONADO Recorte uma tira do transfer e jogue o chocolate fracionado (branco ou preto) derretido em cima. Lembrando que tem de ser do lado áspero. Espalhe cuidadosamente, caso contrário pode manchar com a tinta colorida do transfer. Aguarde cinco minutos para secar. Quando endurecer, corte no formato de quadrados e coloque na geladeira por 30 minutos. Pronto, agora é só enfeitar a lateral da sua torta.

50

A dica da Casa da Sobremesa para adoçar a ceia natalina é o Bolo Brigadeiro com Morangos. Uma das delícias mais procuradas nesta época do ano tem como base o pão-de-ló de chocolate e recheio de creme de morangos, cobertura de ganache de chocolate com granulados e morangos in natura.

Rua Frei José de Monte Carmelo, 165 Proença – Tel. (19) 3307.0558

SODIÊ A doçaria Sensações Doces mudou de nome, mas continua com as mesmas delícias. E a mais indicada para a ceia de Natal só poderia vir com a fruta seca mais típica da data: nozes. A dica é o bolo Baba de Moça com nozes. A receita traz pão-de-ló branco, recheado duplamente: com leite condensado cozido com nozes picadas e outro de baba de moça. A cobertura é de musse branco à base de creme de leite com nozes picadinhas. Av. Cel. Silva Telles, 165 Cambuí – Tel. (19) 3294.9784



Revista Swiss Park nº25