Page 1

SUSTENTABILIDADE

Novo Código Florestal Brasileiro NOVA LEI É MARCADA PELO RESPEITO AO MEIO AMBIENTE E O ESTÍMULO À PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL Página 4

SEGURANÇA PÚBLICA

EMENDA 29

Subcomissão de Segurança Pública do Senado define as diretrizes e metas para o próximo ano. Combate ao crime organizado é prioridade. Páginas 5

Senador Eduardo Braga defendeu a decisão do Governo Federal de destinar mais recursos para investir no setor da saúde. Páginas 2

Plano de trabalho Braga quer mais está definido verba para saúde


2 SOU+AMAZONAS SUSTETABILIDADE

GERAL

Dezembro de 2011

INOVAÇÃO

Braga destaca pioneirismo do TCE na questão ambiental

Copa do Mundo mostrará potencial da ciência brasileira, diz Nicolelis

"O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas tem marcado época na questão da transparência das contas e, mais que isso, no avanço do conceito do que é conta pública". Esse foi o teor do discurso do senador Eduardo Braga durante o encerramento do ciclo de palestras do 1° Fórum Amazonense de Controle e Sustentabilidade, promovido pelo TCE do Amazonas. Durante o evento, Braga recebeu a medalha “Colar do Mérito de Contas”, a maior honraria concedida pelo órgão.

Eduardo Braga ressaltou que o maior patrimônio brasileiro é a floresta amazônica em pé e que o TCE-AM é o protagonista e pioneiro na fiscalização de políticas públicas e do patrimônio público da floresta. "Eu tenho muito orgulho por ter contribuído para esse processo de envolvimento do Tribunal de Contas com a questão ambiental. Hoje, ao aprovar programas como o Bolsa Floresta, o TCE prova que é possível, sim, promover o desenvolvimento da região respeitando a questão ambiental e promovendo uma melhor qualidade de vida para nossa população", destacou. O senador também salientou o trabalho do conselheiro Júlio Pinheiro, enquanto presidente do TCE-AM. "Quero de forma muito especial destacar a coragem, a ênfase e a crença que o conselheiro presidente Júlio Pinheiro deu a esse modelo de controle

de contas públicas. As futuras gerações haverão de reconhecer a importância que o Tribunal de Contas teve por ter encampado essas questões", disse. "O nosso TCE hoje se preocupa com as questões dos aterros sanitários, dos destinos dados aos resíduos sólidos, ou seja, questões que influenciam a qualidade de vida das populações e diz respeito a políticas públicas e recursos públicos a serem investidos. O TCE já fez inspeções e relatórios sobre essa situação em várias unidades municipais o que mostra uma postura mais moderna, mais contemporânea e não apenas a contabilidade formal dos números", completou Eduardo Braga.

Entre os painéis do 1° Fórum Ama-

AVANÇO

Empresa pública vai gerenciar pesquisa nos biomas brasileiros A Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e de Fiscalização e Controle (CMA) do Senado aprovou, no último dia 6 de novembro, o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 440/2011, de autoria do senador Sérgio Souza (PMDB/PR), que autoriza o Poder Executivo a criar empresa pública voltada para a gestão do licenciamento de pesquisas nos biomas brasileiros e o monopólio das patentes originadas nessas pesquisas.

Relator da matéria na Comissão, o senador Eduardo Braga (PMDB) votou pela aprovação do projeto justi-

ficando que a criação da empresa pública – que se chamará Empresa para a Gestão do Licenciamento de Pesquisa no Bioma Brasileiro (Emgebio) – poderá “superar uma das mais sérias deficiências com que o Brasil se depara na esfera do acesso a seus recursos de biodiversidade: a ausência de uma entidade dotada de recursos financeiros, autonomia e estrutura que lhe permitam eficácia e agilidade na gestão das atividades de licenciamento de pesquisa em todos os biomas brasileiros”.

Ao justificar a aprovação do PLS,

PRESIDENTE: Eduardo Braga

zonense de Controle e Sustentabilidade, foram apresentados os temas "Sustentabilidade e Contas Públicas", "A Experiência do TCE do Amazonas nas Auditorias Ambientais" e "O Controle nas Obras da Copa e das Olimpíadas e Sustentabilidade".Também receberam a medalha “Colar do Mérito de Contas” o ministro Benjamin Zymler (presidente do Tribunal de Contas da União), o ministro do TCU Lincoln Magalhães da Rocha, o ministro do STJ Herman Benjamin, o deputado estadual Belarmino Lins (PMDB-AM) e o conselheiro Thiers Viana Montebello. Também participaram do Fórum os ministros Ubiratan Aguiar, Aroldo Cedraz, Walton Alencar e Weder de Oliveira, todos do TCU.

Eduardo Braga lembrou que o Brasil está entre os países que mais publicam pesquisas, mas ainda tem deficiência quando se trata de registrar patentes dos resultados dos estudos desenvolvidos no país.

“Quando se trata de registrar patentes, ainda somos muito fracos. Na Amazônia temos como exemplo os casos do cupuaçu e guaraná, que tiveram suas patentes registradas por outros países. Precisamos ter mais dinamismo nesse setor e diminuir a burocracia no registro de patentes”, disse.

O PLS ainda será analisado pela Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), presidida por Braga, e pela Comissão de Constituição e Justiça, onde tramitará em caráter terminativo. SECRETÁRIO GERAL: Miguel Capobiango Neto

1° VICE: Francisco Roberto Duarte da Silva

SECRETÁRIO ADJUNTO: Lourenço Borghi Júnior

3° VICE: Edilene Gonçalves Gomes (licenciada)

2° TESOUREIRO: Eduardo Henrique L. Backsmann

2° VICE: João Thomé V. Mestrinho de M. Raposo

1° TESOUREIRO: Danielle Farias da Cruz

Quando os jogadores da seleção brasileira de futebol entrarem em campo em junho de 2014, para abrir a Copa do Mundo no novo estádio de São Paulo, eles caminharão até o centro do gramado ao lado de um menino e uma menina paraplégicos, que comandarão com suas mentes a vestimenta robótica que lhes permitirá andar e dar os primeiros chutes na bola oficial do torneio. O cenário foi detalhado pelo cientista Miguel Nicolelis nesta quarta-feira (30) aos senadores que participaram de uma audiência pública sobre a relação entre a ciência e o desenvolvimento do Brasil.

- Na abertura da Copa vamos mostrar ao mundo o primeiro pontapé da ciência brasileira para toda a humanidade disse Nicolelis, que vai desenvolver a vestimenta robótica dos meninos. Ele falou na audiência promovida pelas Comissões de Educação, Cultura e Esporte (CE) e de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), a respeito do "uso democrático da ciência para a transformação social e econômica do Brasil".

Professor titular de Neurobiologia e codiretor do Centro de Neuroengenharia da Duke University, dos Estados Unidos, além de criador do Instituto Internacional de Neurociências de Natal, Nicolelis expôs os primeiros resultados do Campus do Cérebro, estabelecido por ele - com investimentos públicos e privados em Macaíba (RN), cidade de Natal até então com pobres índices educacionais. Na mesma audiência, a nova política brasileira de estímulo à inovação foi descrita pelo subsecretário de Coordenação das Unidades de Pesquisa do Ministério, de Ciência, Tecnologia e Inovação, Arquimedes Diógenes Cilino. Entre os objetivos principais da nova Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação para o período de 2011 a 2015, anunciou, estão os de contribuir para a erradicação da pobreza e para a inserção internacional soberana do Brasil, além de reduzir a defasagem tecnológica do país, incentivar e fomentar a economia verde e criativa.

JORNALISTA RESPONSÁVEL: Rodrigo Araújo

MTB/AM: 018/01


GERAL

Dezembro de 2011

ORÇAMENTO 2012

SOU+AMAZONAS 3

Emendas contemplam áreas estratégicas para o Amazonas Saúde, infraestrutura e segurança. Essas são as três principais áreas para as quais o senador Eduardo Braga (PMDB) destinou os R$ 15 milhões a que cada parlamentar tem direito para destacar recursos no Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2012. Grande parte dos investimentos é para reestruturação da rede de equipamentos dos hospitais de todo estado do Amazonas. Estão sendo destinados R$ 6 milhões para implantação e aparelhamento de unidades de saúde, principalmente aquelas voltadas para atenção especializada.

“A ideia é que esses recursos sejam usados para atualizar tecnologicamente os equipamentos para diagnósticos das unidades hospitalares da Secretaria Estadual de Saúde”, explicou o senador. Também para a área de saúde, Eduardo Braga incluiu na LOA emendas que destinam R$ 1 milhão para a aquisição de ambulâncias para a rede de urgência e emergência do estado e outro R$ 1 milhão para estruturação dos serviços de hematologia e hemoterapia do Amazonas. “Em reunião com a ministra das Rela-

ções Institucionais, Ideli Salvatti, nos foi garantido ainda para este ano R$ 38 milhões para ampliação da Fundação de Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) e agora estamos destinando mais R$ 1 milhão para que seja possível oferecer o tratamento de leucemias, linfomas em adultos e crianças, exames diagnósticos por imagem, e de toda complexidade que o tratamento dessas doenças que hoje são realizados fora da Fundação com grande perda de tempo e sacrifício para os nossos pacientes”, justificou Braga.

INFRAESTRUTURA No montante de R$ 15 milhões em emendas, o senador Eduardo Braga está destinando R$ 4 milhões para implantação de infraestrutura básica nos municípios da região abrangida pelo projeto Calha Norte no estado do Amazonas. Outros R$ 900 mil são destinados a projeto de infraestrutura econômica no âmbito da área de atuação da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Segundo a justificativa apresentada pelo senador, os projetos devem ser voltados para o desenvolvimento de arranjos produtivos e das cadeias produtivas

das potencialidades regionais.

Ainda na área de infraestrutura, Braga propõe a destinação de R$ 600 mil para implantação de agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) nos municípios do interior. Outros R$ 500 mil são reservados para auxiliar na construção da sede do Fórum Trabalhista de Manaus, que vai abrigar toda primeira instância dessa justiça especializada. SEGURANÇA A área de Segurança Pública também está entre as prioridades de Eduardo Braga para destinação de recursos à

INFRAESTRUTURA

Manaus ganha a sexta subestação de energia

A Eletrobras Amazonas Energia inaugurou, no último dia 2 de dezembro, a Subestação (SE) Jorge Augusto de Souza Baird (conhecida como Marapatá), no Distrito Industrial. A nova unidade é a sexta Subestação entregue este ano pela empresa em Manaus. O senador Eduardo Braga participou da solenidade, que contou ainda com a presença do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, do governador do Amazonas, Omar Aziz, do presidente do Sistema Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, do diretor de Distribuição da Eletrobras e também

diretor-presidente da Eletrobras Amazonas Energia, Marco Aurélio Madureira da Silva, e demais autoridades.

Eduardo Braga lembrou que a questão energética no Amazonas é uma luta permanente, desde a época da administração do presidente Lula, quando a presidenta Dilma Rousseff ainda era ministra das Minas e Energia. "É uma luta constante pelos investimentos necessários para que o Amazonas possa fazer frente ao seu desenvolvimento com energia elétrica", disse. Braga falou

INVESTIMENTOS

Braga defende Emenda 29, que define gastos para a saúde A defesa do senador Eduardo Braga (PMDB) à aprovação da regulamentação da Emenda 29 foi feita no último dia 7 de dezembro, na tribuna do Senado, durante discussão antes da votação pelos senadores. Braga defendeu a decisão do governo federal de apoiar a proposta já votada pela Câmara e que mantém os atuais gastos da União em Saúde em torno de

7% da receita bruta.

A proposta mantém o atual cálculo do piso nacional de Saúde, baseado nos gastos do ano anterior mais a variação do PIB nominal. Para 2012, serão quase R$ 80 bilhões, ou seja, mais R$ 8 bilhões do que o piso de 2011. Ainda na Tribuna, Braga afirmou que

suas palavras não eram apenas parte de um discurso vazio e lembrou que quando era governador do Amazonas investiu mais de 23% do orçamento em saúde pública. “Não é possível deixar a saúde pública, um dos setores mais carentes do nosso país, sem uma regra clara e transparente. A regulamentação da Saúde, com a destinação de recursos públicos definidos

Lei Orçamentária Anual. Ele propõe emenda que destina R$ 1 milhão para auxiliar na aquisição de viaturas para as delegacias de polícia do estado. “Somos sabedores que a área de segurança pública é estratégica para qualquer governo estadual. E a participação do governo federal, formando uma parceria sólida e efetiva, é primordial para se alcançar resultados positivos que refletem diretamente na qualidade de vida de toda população”, justificou Braga que, no Senado, preside a Comissão Temporária Externa de Segurança Pública, responsável, entre outras atribuições, por fiscalizar os recursos investidos nessa área.

sobre a importância econômica e social da energia elétrica na região. "Energia para o nosso povo é vida, é oportunidade de emprego e renda, é oportunidade de desenvolvimento social, é inserir o Amazonas e a Amazônia no novo milênio e na nova era industrial que deixará o Estado competitivo e preparado para o futuro", considerou. As seis novas subestações representam um total de 216,6 MVA de ampliação da capacidade de transformação da rede de distribuição de energia elétrica. O objetivo do sistema é melhorar, consideravelmente, a qualidade do serviço de fornecimento de energia em toda a cidade de Manaus.

para esse setor é uma decisão política louvável”, disse. A base de investimento em saúde é unificada, ou seja, vale para União, estados e municípios e deve ter início já em 2012. O projeto fixa percentuais mínimos de investimento na área da saúde por parte desses três entes da federação. Pela regra, os estados precisam aplicar 12% do que arrecadam anualmente em impostos e os municípios, 15% de sua receita.


4 SOU+AMAZONAS CONQUISTA

GERAL

Dezembro de 2011

Código Florestal aprovado no Senado contempla avanços para o Amazonas

Após seis meses de discussão, o Senado aprovou o texto do Projeto de Lei da Câmara nº 30/2011, conhecido como Código Florestal Brasileiro. Polêmico, o PLC tramitou nas comissões de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), de Constituição e Justiça (CCJ), de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle (CMA). Por causa das mudanças feitas pelos senadores, o PLC voltará a ser analisado pela Câmara dos Deputados.

No texto aprovado, senador também conseguiu que fosse aprovada emenda que legaliza o uso dos leitos dos nossos rios durante a seca, principalmente as praias e as várzeas dos altos rios para o plantio de subsistência, aquele feito em terrenos de dois ou quatro hectares.

Como presidente da CCT, o senador Eduardo Braga (PMDB) defendeu que a discussão na Casa levasse em consideração estudos e pesquisas científicas que pudessem orientar os debates. Um dos temas que obtiveram consenso entre os cientistas foi a possibilidade de se conciliar produção com proteção ambiental.

Também foi praticamente unânime entre os participantes das audiências públicas realizadas pela CCT a ideia de que é preciso oferecer incentivos financeiros para quem conserva a floresta em pé. Os estudos apresentados ajudaram a embasar a atuação do senador Eduardo Braga (PMDB) nas discussões em torno do novo Código Florestal. Desde o início da tramitação do projeto no Senado, ele defendeu uma compensação financeira para

Conquistas para o Amazonas No texto aprovado pelos senadores, emendas apresentadas pelo senador Eduardo Braga foram transformadas em um capítulo inteiro dedicado aos incentivos econômicos e financeiros para a preservação das florestas, que poderão representar renda para pequenos, médios e até grandes produtores. Segundo Braga, a medida é um avanço porque poderá recompensar aqueles que protegeram suas áreas além do que era necessário.

“Isso significa que plantar feijão, jerimum, melancia, e até mesmo arroz em muitas áreas de várzeas e praias de leitos de rios secos, que é uma cultura de subsistência, passa a ser absolutamente legal com o novo Código Florestal”, explica.

quem protege a reserva legal (RL) e para quem precisa recompor suas áreas de preservação permanente (APP) de sua propriedade.

“Participei de todos os debates com a clareza de que a reserva legal não deve ser um ônus para o produtor, mas

sim um meio de ele obter renda, utilizando de forma sustentável essa área de sua propriedade. Se conservar as áreas de reserva legal é uma questão estratégica para o país, não se pode deixar o ônus apenas para o agricultor, mas dividir essa responsabilidade com o governo”, defende.

Outra emenda de Braga aprovada no texto permite o uso de queimadas em atividades da agricultura familiar de subsistência. Nos demais casos, o uso de queimadas para o plantio está proibido. “Isso é um ganho para as culturas tradicionais de subsistência, dos pequenos produtores rurais, que trabalham com roça e ainda fazem queimadas para plantio de mandioca”, ressalta.

MEIO AMBIENTE

Moratória de 10 anos sem desmatamento na Amazônia Na discussão do novo Código Florestal Brasileiro (PLC 30/2011), no plenário do Senado, o senador Eduardo Braga (PMDB) anunciou a subscrição de emenda ao texto suspendendo pelo período de 10 anos a concessão de autorização para desmatamento de floresta nativa na Amazônia. A emenda é de autoria do senador Valdir Raupp (PMDB/RO) e define como exceção os casos em que o desflorestamento atenda a utilidade pública, interesse social, atividade de pesquisa, extração e os acessos de exploração, produção e transporte rodoviário de petróleo, gás natural, minério e manejo florestal, desde que com a devida autorização do poder público.

“Para que não haja risco de termos uma área maior desmatada na Amazônia, defendo e subscrevo junto com ou-

tros senadores essa emenda. Portanto, é uma demonstração de que nós da Amazônia queremos preservar o nosso bioma. Defendemos o avanço das políticas com sustentabilidade, com respeito à floresta em pé, mas garantindo aos verdadeiros guardiões e ao povo da floresta melhor renda, melhores possibilidades de políticas sociais e melhores condições de vida”, explicou.

Sobre a nova lei que regulará o uso das florestas brasileiras, Eduardo Braga enfatizou o avanço da discussão no Senado e a inclusão no texto do capítulo que trata dos incentivos econômicos e financeiros para garantir a preservação da floresta em pé. Esses incentivos, segundo o senador, ajudarão a melhorar a renda per capta dos moradores de áreas de baixa aptidão agrícola.

“Esse é um tema extremamente interessante quando discutimos, por exemplo, que um pequeno agricultor com renda per capta de R$ 150 ao ano por hectare pode ter sua renda aumentada e melhorada a partir do momento em que ele agrega atividades agrossilvipastoris”, defendeu. Braga defendeu ainda que na votação do novo Código Florestal deve prevalecer o equilíbrio entre a produção agrícola e a conservação do meio

ambiente, uma vez que o sucesso da agricultura brasileira se deve à estabilidade do clima proporcionada pela floresta em pé. “A verdade é que se um lado o Brasil tem sua economia fundamentada e baseada na agricultura, no agronegócio, de outro lado, isto só é possível por causa do clima, por causa do ritmo hidrológico e por causa da estabilização climática que a floresta em pé permite ao nosso país, por meio da maior floresta em pé do planeta”, disse.


GERAL

Dezembro de 2011

INTERNACIONAL

Eduardo Braga representa Senado em reunião das Nações Unidas

SOU+AMAZONAS 5

INTERATIVIDADE

Bate-Papo via twitcam

cana New Yorker. "Fiquei impressionado ao constatar que a questão da transparência na gestão pública no Brasil está anos à frente de muitos países. Nossos mecanismos de fiscalização ainda não são perfeitos, mas estão caminhando para um grau de excelência que é exemplo para o mundo", comentou Braga.

O Senador Eduardo Braga (PMDB-AM) esteve em Nova York representando, oficialmente, o Senado Federal brasileiro nas atividades da União Interparlamentar (UIP), agenda que integra a 66ª Sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Reforçar a responsabilidade política para um mundo mais pacífico e mais próspero”. Este foi o tema da reunião deste ano discutido entre as delegações de parlamentares. Também foram

tratados temas como a participação de jovens nos processos democráticos – desafios e oportunidades –, a gestão das contas públicas – boas práticas e modelos de legislação com vistas à transparência – e o fortalecimento dos vínculos entre as instituições públicas e a sociedade civil.

O avanço do Brasil no item transparência da gestão pública foi destaque nas reuniões da UIP e foi tema de matéria jornalística na revista norte ameri-

AÇÃO

Subcomissão de Segurança Pública do Senado define plano de trabalho

Reestruturação da polícia, repressão aos crimes violentos contra a pessoa, tráfico de drogas, crime organizado, controle das fronteiras e tráfico de armas, combate ao terrorismo e segurança nacional. Esses são alguns dos principais temas que serão foco de atuação da Subcomissão de Segurança Pública, ligada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Os temas foram listados no Plano de Trabalho apresentado pelo relator dessa instância, senador Eduardo Braga (PMDB).

O documento foi aprovado pelos integrantes da Subcomissão, presidida pelo senador Pedro Taques (PDT/MT) e composta também pelos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Demóstenes Torres (DEM-GO) e Jayme Campos (DEM-MT).

Segundo a proposta apresentada por Braga, o foco da Subcomissão foi dividido em dois viés: repressivo, para tratar dos temas citados; e preventivo, para tratar de temas como políticas de segurança pública e seu aspecto social com foco na criminalidade, combate à corrupção, acesso à jus-

tiça, prevenção social do crime e técnicas de mediação, valorização do profissional e condições de trabalho policial, além de análise e implementação do Sistema Único de Segurança Pública.

Ao defender a proposta, o senador Eduardo Braga lembrou que a segurança pública é hoje uma das principais preocupações da população brasileira e que, por isso, essa área deve ser uma prioridade para ações dos poderes executivo e legislativo. Ele enfatizou que é preciso unificar as estatísticas sobre segurança pública de todos os estados, de forma que seja possível ter dados confiáveis nessa área. Além disso, é preciso rever os critérios de distribuição de recursos federais.

“Temos casos em que o estado cumpre seu dever, investe, melhora seus índices de segurança e é penalizado com seus recursos federais diminuídos, uma vez que a prioridade é para os estados que apresentam altos índices de criminalidade. Passei por esse problema quando fui governador do Amazonas”, disse Braga.

As audiências parlamentares da UIP são realizadas, anualmente, na sede ONU, em Nova York, por meio de debate interativo com os altos funcionários das Nações Unidas, representantes dos Estados-membros e grupos de técnicos que trabalham com a organização da sociedade civil.

O objetivo da ONU com esta agenda é a de escutar a posição dos parlamentos – cujos países são associados à ONU – sobre temas considerados prioritários na atualidade. Também é interesse das Nações Unidas, em ocasiões como essas, manifestar suas posições aos dirigentes de parlamentos presentes no encontro.

Metodologia

Ao final do trabalho da Subcomissão será apresentado um relatório geral, dotado de sugestões de aperfeiçoamento das normas vigentes, apresentação de proposições legislativas que aprimorem a ordem jurídica e possibilite a concretização plena dos direitos da cidadania, além de determinar os marcos normativos de implementação do Sistema Único de Segurança Pública – SUSP.

Para isso, os temas abordados pela Subcomissão serão divididos e serão realizados levantamento e análise de proposições legislativas, documentos do governo federal e estaduais, identificação de experiências bem ou mal sucedidas na área de segurança pública, além de debates de propostas em audiências públicas.

Na reunião de hoje, os senadores aprovaram a realização de requerimento do senador Pedro Taques solicitando audiência pública para ouvir a Comissão de Juristas, responsável por elaborar anteprojeto de reforma do Código Penal. Também serão ouvidos nessa audiência o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso; o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante e o procurador geral da República, Roberto Gurgel.

Internautas de todo o planeta poderão conversar ao vivo com o senador Eduardo Braga a partir deste sábado (10/12), via twitcam. Ele estará conectado ao twitter logo após o término do programa Bate-Papo com o Senador, que vai ao ar todos os sábados, das 9h às 10h, na Rádio Cidade (99,3 FM).

Para conversar com o senador, basta estar conectado ao twitter a partir das 10h. Eduardo Braga responderá a perguntas feitas por meio do twitcam a internautas que estiverem navegando na Internet. O twitcam é a ferramenta do twitter que permite acompanhar toda a entrevista pelo vídeo, em tempo real. Durante o encontro virtual, os internautas poderão fazer perguntas sobre os mais variados assuntos como política, economia, cultura, esportes, problemas da cidade de Manaus, do Estado do Amazonas e do país. As perguntas devem ser enviadas para: @eduardobraga_am.

"O twitcam é uma ferramenta fascinante que permite essa interação. Poderemos debater assuntos com mais profundidade, já que não teremos a limitação de tempo do programa na rádio. Acho que as pessoas vão gostar de bater esse papo via Internet, de ter esse canal de comunicação mais direto", comentou Eduardo Braga.


ENTRETENIMENTO

Dezembro de 2011

SALMOS 51

1. Salmo de Davi. Do Senhor é a terra e tudo o que ela contém, a órbita terrestre e todos os que nela habitam,

6. Tal é a geração dos que o procuram, dos que buscam a face do Deus de Jacó.

3. Quem será digno de subir ao monte do Senhor? Ou de permanecer no seu lugar santo?

8. Quem é este Rei da glória? É o Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na batalha.

2. pois ele mesmo a assentou sobre as águas do mar e sobre as águas dos rios a consolidou.

4. O que tem as mãos limpas e o coração puro, cujo espírito não busca as vaidades nem perjura para enganar seu próximo.

5. Este terá a bênção do Senhor, e a recompensa de Deus, seu Salvador.

7. Levantai, ó portas, os vossos dintéis! Levantai-vos, ó pórticos antigos, para que entre o Rei da glória!

9. Levantai, ó portas, os vossos dintéis! Levantai-vos, ó pórticos antigos, para que entre o Rei da glória!

10. Quem é este Rei da glória? É o Senhor dos exércitos! É ele o Rei da glória.

Todos os sábados, das 9h às 10h, na

Rádio Cidade, acompanhe o “Bate-papo” com o senador

Eduardo Braga,

pela 99,3 FM.

SOU+AMAZONAS 6

SANTO DA SEMANA

Nossa Senhora da Conceição

A devoção à padroeira do Amazonas vem de longas datas. Nas cortes celebradas em Lisboa no ano de 1646, declarou o rei D. João IV que tomava a Virgem Nossa Senhora da Conceição por padroeira do Reino de Portugal.

Ordenou o mesmo soberano que os estudantes na Universidade de Coimbra, antes de tomarem algum grau, jurassem defender a Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Não foi D. João IV o primeiro monarca português que colocou o reino sob a proteção da Virgem; apenas tornou permanente uma devoção, a que os nossos reis se acolheram algumas vezes em momentos críticos para a pátria.

D. João I punha nas portas da capital a inscrição louvando a Virgem, e erigia o convento da Batalha a Nossa Senhora, como o seu esforçado companheiro D. Nuno Alvares Pereira levantava à Santa Maria o convento do Carmo.

Segundo diz Lopes Fernandes, na sua "Memória das Medalhas", que António Routier foi mandado vir de França, trazendo um engenho para lavrar as ditas medalhas, as quais se tornaram excessivamente raras, e as que aquele autor numismata viu cunhadas foram as reproduzidas na mesma Casa da Moeda no tempo de D. Pedro II.

O dogma da Imaculada Conceição foi definido pelo papa Pio IX em 8 de dezembro de 1854, pela bula Ineffabilis. A instituição da ordem militar de Nossa Senhora da Conceição por D. João VI sintetiza o culto que em Portugal sempre teve essa crença antes de ser dogma.

Em 8 de dezembro de 1904, lançouse em Lisboa solenemente a primeira pedra para um monumento comemorativo do cinqüentenário da definição do dogma. Ao ato, a que assistiram as pessoas reais, patriarca e autoridades, estiveram também representadas mui-

tas irmandades de Nossa Senhora da Conceição, de Lisboa e do país, sendo a mais antiga a da atual freguesia dos Anjos, que foi instituída em 1589.

No Brasil é tradição montar a árvore de Natal e enfeitar a casa no dia 8 de dezembro, dia de N.Sra. da Conceição.

Sou+ Amazonas  

Sexta edição do Jornal Sou Mais Amazonas

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you